SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Baixar para ler offline
A teoria do lego




O cubo da
actividade da Empresa

              Manuel Teixeira - 2004   1
A teoria do lego
O cubo da actividade da Empresa
                              Clientes (mercados)




                                                    Produtos (necessidades
                                                    Satisfeitas, Funções
                                                    Desempenhadas)

    Tecnologia


                  Manuel Teixeira - 2004                                2
O cubo da actividade da Empresa

                    Opções Estratégicas de Base:
                                            •1- Clientes: com produtos e tecnologias
                                            Constantes. Ex: Siderurgia, matérias primas etc.
                                            •2- Produtos: com clientes e tecnologias
                                            Constantes. Ex: electrodomésticos.
             Clientes (mercados)            •3- Tecnologia: com clientes e produtos
                                            Constantes. Ex: Industria automóvel.




                     Produtos (necessidades
                     Satisfeitas, Funções
                     Desempenhadas)
Tecnologia
                                   Manuel Teixeira - 2004                               3
O cubo da actividade da Empresa
Progredir nos eixos:
1- Clientes e produtos (com tecnologias
Constantes).



            A) Mudar de produtos para os mesmos clientes,
            De seguida vender esses produtos a outros clientes.

            B) Encontrar novos clientes para os seus produtos,
            Depois vender-lhes outros produtos.

            C) Mudar clientes e produtos (ex: peugeot i.e. scooters)

                                Manuel Teixeira - 2004            4
O cubo da actividade da Empresa
Progredir nos eixos:
1- Clientes e tecnologia (com produtos
Constantes).


             A) Mudar de tecnologia,
             De seguida vender os produtos a novos clientes.

             B) Mudar de clientes,
             Depois vender-lhes os produtos com a nova tecnologia.

             C) Mudar clientes e tecnologia (ex: não há exemplos)

                                 Manuel Teixeira - 2004             5
O cubo da actividade da Empresa
Progredir nos eixos:
1- Produtos e tecnologia (com clientes
Constantes).

            A) Mudar de tecnologia,
            De seguida aplicar esta tecnologia
            para fazer novos produtos.

            B) Mudar de produtos,
            Depois mudar de tecnologia.

            C) Mudar produtos e tecnologia (ex: com base na marca)


                                 Manuel Teixeira - 2004        6
O cubo da actividade da Empresa
                    A manobra complexa:



             Clientes (mercados)
                                                       Desenvolver
                                                       nos três eixos

                     Produtos (necessidades
                     Satisfeitas, Funções
                     Desempenhadas)
Tecnologia


                                   Manuel Teixeira - 2004               7
Estratégias de
Internacionalização



 Manuel Teixeira - 2004   8
Estratégia de Internacionalização:
                  Conceitos Básicos
Michael Porter
                “A estratégia de internacionalização corresponde a uma lógica de
                 diversificação geográfica no processo de desenvolvimento da
                 empresa” (Michael Porter, 1986. In: Changing Patterns of
                 International Competition).
                Qualquer empresa com operações internacionais tem de escolher
                 a melhor via para balancear os interesses econômicos da
                 integração global com as vantagens comerciais da adequação
                 local.




                                      Manuel Teixeira - 2004                   9
Estratégias de
Internacionalização de Empresas
    Classificação das estratégias de
     internacionalização:
      Internacional
      Multidoméstica
      Global
      Transnacional



                   Manuel Teixeira - 2004   10
Estratégias de internacionalização
     como resposta a pressões do ambiente
                                      Pressões do ambiente tecnológico e
                                      concorrencial




Pressões do
contexto
económico




                 Pressões do contexto político e cultural
                          Manuel Teixeira - 2004                           11
Objectivos                 Coordenação
                           Integração
                           Eficiência
               Global


                                                 Diferenciação
                             Transnacional
                                                 Adaptabilidade
                                                 Flexibilidade

                                                  Multidoméstica
Inovação
Aprendizagem
               Internacional
                        Manuel Teixeira - 2004                    12
Ecs de escala
 Estratégias                 Ecs de alcance
                            Custo dos recursos

                 Global

                                                    Diferenças culturais
                              Transnacional          Factores políticos
                                                        Localização

Abertura à aprendizagem
  Redução dos ciclos.
    Custos de I + D                                  Multidoméstica


                  Internacional
                           Manuel Teixeira - 2004                      13
Classificação das estratégias
de Internacionalização




Estratégia Internacional
Extensão do ciclo de vida do produto e
da tecnologia.
Exemplos: Pficer, P&G, GE.




                                    Manuel Teixeira - 2004   14
Classificação das estratégias
de Internacionalização




Estratégia Internacional                       Estratégia Multidoméstica
Extensão do ciclo de vida do produto e         Ênfase na diferenciação nacional.
da tecnologia.                                 Activos e recursos distribuídos.
Exemplos: Pficer, P&G, GE.                     Unidades nacionais auto-
                                               suficientes.
                                               Exemplos: Unilever, ICI, Philips,
                                               Nestlé.
                                    Manuel Teixeira - 2004                         15
Classificação das estratégias
de Internacionalização
Estratégia Global
Enfoque na eficiência global.
Menores custos, maior qualidade.
Exportação agressiva.
Concentração de I+D, produção e
operações chave.
Exemplos:
Japanese Toyota, Canon, Komatsu,
Matsushita.



Estratégia Internacional                       Estratégia Multidomestica
Extensão do ciclo de vida do produto e         Ênfase na diferenciação nacional.
da tecnologia.                                 Activos e recursos distribuídos.
Exemplos: Pficer, P&G, GE.                     Unidades nacionais auto-
                                               suficientes.
                                               Exemplos: Unilever, ICI, Philips,
                                               Nestlé.
                                    Manuel Teixeira - 2004                         16
Classificação das estratégias
de Internacionalização
Estratégia Global                               Estratégia Transnacional
Enfoque na eficiência global.                   Desenvolvimento simultâneo de
Menores custos, maior qualidade.
                                                inovação, flexibilidade e
Exportação agressiva.
Concentração de I+D, produção e                 eficiência.
operações chave.                                Procura de optimização na
Exemplos:                                       configuração de recursos e de
Japanese Toyota, Canon, Komatsu,                activos e competências.
Matsushita.                                     Exemplos: ABB


Estratégia Internacional                       Estratégia Multidomestica
Extensão do ciclo de vida do produto e         Ênfase na diferenciação nacional.
da tecnologia.                                 Activos e recursos distribuídos.
Exemplos: Pficer, P&G, GE.                     Unidades nacionais auto-
                                               suficientes.
                                               Exemplos: Unilever, ICI, Philips,
                                               Nestlé.
                                    Manuel Teixeira - 2004                         17
Formas Alternativas de
       Internacionalização Empresarial
   Modalidade de internacionalização mercantil:
          A exportação é o meio mais directo de internacionalização.
          A exportação directa ocorre quando a empresa vende directamente a
           um importador de um um país estrangeiro. A exportação indirecta, por
           sua vez, envolve o recurso a intermediários no país de destino.

                         Vantagens                        Desvantagens
                 • Maior informação sobre            • Maior dificuldade de
Exportação         o mercado;                          de penetração inicial;
                 • Maior controlo sobre os           • Maiores custos de
   Directa         canais de distribuição.             estrutura.

                 • Maior facilidade de               • Menor controlo e
Exportação         penetração inicial;                 informação sobre
                 • Menores custos de
  Indirecta        representação.                      o mercado.


                            Manuel Teixeira - 2004                              18
Processo Estratégico de Internacionalização

          ONDE?
         Pesquisa de               O QUÊ?                COMO?
          mercado e                                      Modos de
         segmentação           Posicionamento             entrada
         internacional

       Uma das principais razões para o fracasso de muitos negócios
        internacionais é a falta de preparo para enfrentar para enfrentar a
        complexidade e a incerteza decorrentes da intensa integração
        mundial.
       É imprescindível uma investigação prévia à internacionalização.
       Cuidado com o paradoxo do Ícaro!


                             Manuel Teixeira - 2004                    19
Manuel Teixeira - 2004   20
Obrigado!
Manuel Teixeira - 2004




  Manuel Teixeira - 2004   21

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Multidisciplinary Working
Multidisciplinary WorkingMultidisciplinary Working
Multidisciplinary WorkingEduardo Isatto
 
Plano de transição 4 m´s
Plano de transição 4 m´sPlano de transição 4 m´s
Plano de transição 4 m´sManuel Teixeira
 
Swatch - Organização Criativa
Swatch - Organização CriativaSwatch - Organização Criativa
Swatch - Organização CriativaSérgio Assunção
 
Prevencao e controle_de_riscos_em_maquinas_e_equipamentos_e_instalacoes
Prevencao e controle_de_riscos_em_maquinas_e_equipamentos_e_instalacoesPrevencao e controle_de_riscos_em_maquinas_e_equipamentos_e_instalacoes
Prevencao e controle_de_riscos_em_maquinas_e_equipamentos_e_instalacoesRafael Galupo
 
Material da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKT
Material da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKTMaterial da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKT
Material da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKTABRACOMEX
 
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Relação Cliente Fornecedor
Selecção e Qualificação de Fornecedores -  Relação Cliente FornecedorSelecção e Qualificação de Fornecedores -  Relação Cliente Fornecedor
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Relação Cliente FornecedorSérgio Assunção
 
Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores
Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores
Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores Eduardo Isatto
 
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e Avaliação
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e AvaliaçãoSelecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e Avaliação
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e AvaliaçãoSérgio Assunção
 
10 estratégias para a gestão de fornecedores
10 estratégias para a gestão de fornecedores10 estratégias para a gestão de fornecedores
10 estratégias para a gestão de fornecedoresManuel Teixeira
 
Slides transporte manual de cargas
Slides transporte manual de cargasSlides transporte manual de cargas
Slides transporte manual de cargasRafael Galupo
 
Ciclo de Vida do Produto I iPod
Ciclo de Vida do Produto I iPodCiclo de Vida do Produto I iPod
Ciclo de Vida do Produto I iPodPaulo Matos Jr
 

Destaque (20)

Multidisciplinary Working
Multidisciplinary WorkingMultidisciplinary Working
Multidisciplinary Working
 
Plano de transição 4 m´s
Plano de transição 4 m´sPlano de transição 4 m´s
Plano de transição 4 m´s
 
Tutorial Excel 2003 intermediário
Tutorial Excel 2003 intermediárioTutorial Excel 2003 intermediário
Tutorial Excel 2003 intermediário
 
Swatch - Organização Criativa
Swatch - Organização CriativaSwatch - Organização Criativa
Swatch - Organização Criativa
 
Prevencao e controle_de_riscos_em_maquinas_e_equipamentos_e_instalacoes
Prevencao e controle_de_riscos_em_maquinas_e_equipamentos_e_instalacoesPrevencao e controle_de_riscos_em_maquinas_e_equipamentos_e_instalacoes
Prevencao e controle_de_riscos_em_maquinas_e_equipamentos_e_instalacoes
 
Material da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKT
Material da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKTMaterial da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKT
Material da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKT
 
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Relação Cliente Fornecedor
Selecção e Qualificação de Fornecedores -  Relação Cliente FornecedorSelecção e Qualificação de Fornecedores -  Relação Cliente Fornecedor
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Relação Cliente Fornecedor
 
Internacionalização de Empresas
Internacionalização de EmpresasInternacionalização de Empresas
Internacionalização de Empresas
 
Integração de Ergonomia
Integração de Ergonomia Integração de Ergonomia
Integração de Ergonomia
 
Acidentes de origem elétrica
Acidentes de origem elétricaAcidentes de origem elétrica
Acidentes de origem elétrica
 
Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores
Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores
Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores
 
Gestão de Fornecedores
Gestão de FornecedoresGestão de Fornecedores
Gestão de Fornecedores
 
Modelo Planilha Qualificacao Tecnica
Modelo Planilha Qualificacao TecnicaModelo Planilha Qualificacao Tecnica
Modelo Planilha Qualificacao Tecnica
 
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e Avaliação
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e AvaliaçãoSelecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e Avaliação
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e Avaliação
 
Private Labels | Store Brands
Private Labels | Store BrandsPrivate Labels | Store Brands
Private Labels | Store Brands
 
Acao corretiva
Acao corretivaAcao corretiva
Acao corretiva
 
10 estratégias para a gestão de fornecedores
10 estratégias para a gestão de fornecedores10 estratégias para a gestão de fornecedores
10 estratégias para a gestão de fornecedores
 
Slides transporte manual de cargas
Slides transporte manual de cargasSlides transporte manual de cargas
Slides transporte manual de cargas
 
Aula de mercadologia
Aula de mercadologiaAula de mercadologia
Aula de mercadologia
 
Ciclo de Vida do Produto I iPod
Ciclo de Vida do Produto I iPodCiclo de Vida do Produto I iPod
Ciclo de Vida do Produto I iPod
 

Semelhante a Teoria Do Lego

P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011
P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011 P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011
P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011 Ioanis Sarantopoulos
 
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdf
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdfAmbipor III - Apresentação do Projeto.pdf
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdfSaraBentoMateus1
 
Apresentação C2i Observatório Inovação USP
Apresentação C2i Observatório Inovação USPApresentação C2i Observatório Inovação USP
Apresentação C2i Observatório Inovação USPRonald Martin Dauscha
 
Mudança no perfil dos gestores e nos processos de gestão nas organizações do ...
Mudança no perfil dos gestores e nos processos de gestão nas organizações do ...Mudança no perfil dos gestores e nos processos de gestão nas organizações do ...
Mudança no perfil dos gestores e nos processos de gestão nas organizações do ...André R. Rivas
 
Gestao 20 Apresentacao FIEP Unindus Divulgacao
Gestao 20   Apresentacao FIEP   Unindus   DivulgacaoGestao 20   Apresentacao FIEP   Unindus   Divulgacao
Gestao 20 Apresentacao FIEP Unindus DivulgacaoJose Claudio Terra
 
5º Fórum iNOVAção Sustentare: Palestra da coordenadora de patentes da Natura,...
5º Fórum iNOVAção Sustentare: Palestra da coordenadora de patentes da Natura,...5º Fórum iNOVAção Sustentare: Palestra da coordenadora de patentes da Natura,...
5º Fórum iNOVAção Sustentare: Palestra da coordenadora de patentes da Natura,...Sustentare Escola de Negócios
 
Innovo usach ambito publico negocios privados v3 portugues
Innovo usach ambito publico negocios privados v3 portuguesInnovo usach ambito publico negocios privados v3 portugues
Innovo usach ambito publico negocios privados v3 portuguesINNOVO USACH
 
2015: Análise de Mercado e Plano de Marketing
2015: Análise de Mercado e Plano de Marketing2015: Análise de Mercado e Plano de Marketing
2015: Análise de Mercado e Plano de MarketingLeandro de Castro
 
Inovação e estratégia
Inovação e estratégiaInovação e estratégia
Inovação e estratégiaMarco Oliveira
 
Difusao tecnologica
Difusao tecnologicaDifusao tecnologica
Difusao tecnologicaMarcel Gois
 
Inovação e incubação na Telefônica - Uma experiência
Inovação e incubação na Telefônica - Uma experiênciaInovação e incubação na Telefônica - Uma experiência
Inovação e incubação na Telefônica - Uma experiênciaAlessandro Germano
 
Ep aula 1 e 2 - conceitos de d.p
Ep  aula 1 e 2 - conceitos de d.pEp  aula 1 e 2 - conceitos de d.p
Ep aula 1 e 2 - conceitos de d.pAndre Meirelles
 
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação AbertaMVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Abertaauspin
 
Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...
Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...
Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...Allagi Open Innovation Services
 
2º Workshop Subvenção Economica à Inovação
2º Workshop Subvenção Economica à Inovação2º Workshop Subvenção Economica à Inovação
2º Workshop Subvenção Economica à InovaçãoBRAIN Brasil Inovação
 

Semelhante a Teoria Do Lego (20)

Fnq palestra 07_08
Fnq palestra 07_08Fnq palestra 07_08
Fnq palestra 07_08
 
P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011
P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011 P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011
P&D na Indústria de Frangos - UNOCHAPECÓ - 27 de maio de 2011
 
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdf
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdfAmbipor III - Apresentação do Projeto.pdf
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdf
 
Apresentação C2i Observatório Inovação USP
Apresentação C2i Observatório Inovação USPApresentação C2i Observatório Inovação USP
Apresentação C2i Observatório Inovação USP
 
Mudança no perfil dos gestores e nos processos de gestão nas organizações do ...
Mudança no perfil dos gestores e nos processos de gestão nas organizações do ...Mudança no perfil dos gestores e nos processos de gestão nas organizações do ...
Mudança no perfil dos gestores e nos processos de gestão nas organizações do ...
 
Gestao 20 Apresentacao FIEP Unindus Divulgacao
Gestao 20   Apresentacao FIEP   Unindus   DivulgacaoGestao 20   Apresentacao FIEP   Unindus   Divulgacao
Gestao 20 Apresentacao FIEP Unindus Divulgacao
 
5º Fórum iNOVAção Sustentare: Palestra da coordenadora de patentes da Natura,...
5º Fórum iNOVAção Sustentare: Palestra da coordenadora de patentes da Natura,...5º Fórum iNOVAção Sustentare: Palestra da coordenadora de patentes da Natura,...
5º Fórum iNOVAção Sustentare: Palestra da coordenadora de patentes da Natura,...
 
Estratégia de Inovação = Portfólio de Projetos
Estratégia de Inovação = Portfólio de ProjetosEstratégia de Inovação = Portfólio de Projetos
Estratégia de Inovação = Portfólio de Projetos
 
Innovo usach ambito publico negocios privados v3 portugues
Innovo usach ambito publico negocios privados v3 portuguesInnovo usach ambito publico negocios privados v3 portugues
Innovo usach ambito publico negocios privados v3 portugues
 
2015: Análise de Mercado e Plano de Marketing
2015: Análise de Mercado e Plano de Marketing2015: Análise de Mercado e Plano de Marketing
2015: Análise de Mercado e Plano de Marketing
 
Inovação e estratégia
Inovação e estratégiaInovação e estratégia
Inovação e estratégia
 
Difusao tecnologica
Difusao tecnologicaDifusao tecnologica
Difusao tecnologica
 
Inovação e incubação na Telefônica - Uma experiência
Inovação e incubação na Telefônica - Uma experiênciaInovação e incubação na Telefônica - Uma experiência
Inovação e incubação na Telefônica - Uma experiência
 
Ep aula 1 e 2 - conceitos de d.p
Ep  aula 1 e 2 - conceitos de d.pEp  aula 1 e 2 - conceitos de d.p
Ep aula 1 e 2 - conceitos de d.p
 
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação AbertaMVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
 
Ihub
IhubIhub
Ihub
 
Industria automob
Industria automobIndustria automob
Industria automob
 
Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...
Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...
Open Innovation: Fontes de Inovação, Fontes de Financiamento e Caminhos para ...
 
2º Workshop Subvenção Economica à Inovação
2º Workshop Subvenção Economica à Inovação2º Workshop Subvenção Economica à Inovação
2º Workshop Subvenção Economica à Inovação
 
UFCD 0364 - Marketing Comercial
UFCD 0364 - Marketing ComercialUFCD 0364 - Marketing Comercial
UFCD 0364 - Marketing Comercial
 

Mais de Manuel Teixeira

Apresentação sustentabilidade resp social_final_ii
Apresentação sustentabilidade resp social_final_iiApresentação sustentabilidade resp social_final_ii
Apresentação sustentabilidade resp social_final_iiManuel Teixeira
 
Melhorar os resultados do sector público com o balanced scorecard
Melhorar os resultados do sector público com o balanced scorecardMelhorar os resultados do sector público com o balanced scorecard
Melhorar os resultados do sector público com o balanced scorecardManuel Teixeira
 
Atendimento ao cliente mts
Atendimento ao cliente mtsAtendimento ao cliente mts
Atendimento ao cliente mtsManuel Teixeira
 
Os sete pilares da sabedoria
Os sete pilares da sabedoriaOs sete pilares da sabedoria
Os sete pilares da sabedoriaManuel Teixeira
 
Introdução às cobranças
Introdução às cobrançasIntrodução às cobranças
Introdução às cobrançasManuel Teixeira
 

Mais de Manuel Teixeira (8)

O Homem Transnacional
O Homem TransnacionalO Homem Transnacional
O Homem Transnacional
 
Apresentação sustentabilidade resp social_final_ii
Apresentação sustentabilidade resp social_final_iiApresentação sustentabilidade resp social_final_ii
Apresentação sustentabilidade resp social_final_ii
 
Melhorar os resultados do sector público com o balanced scorecard
Melhorar os resultados do sector público com o balanced scorecardMelhorar os resultados do sector público com o balanced scorecard
Melhorar os resultados do sector público com o balanced scorecard
 
Atendimento ao cliente mts
Atendimento ao cliente mtsAtendimento ao cliente mts
Atendimento ao cliente mts
 
Os sete pilares da sabedoria
Os sete pilares da sabedoriaOs sete pilares da sabedoria
Os sete pilares da sabedoria
 
Introdução às cobranças
Introdução às cobrançasIntrodução às cobranças
Introdução às cobranças
 
Tec negociação part_1
Tec negociação part_1Tec negociação part_1
Tec negociação part_1
 
Filosofia fish
Filosofia fishFilosofia fish
Filosofia fish
 

Teoria Do Lego

  • 1. A teoria do lego O cubo da actividade da Empresa Manuel Teixeira - 2004 1
  • 2. A teoria do lego O cubo da actividade da Empresa Clientes (mercados) Produtos (necessidades Satisfeitas, Funções Desempenhadas) Tecnologia Manuel Teixeira - 2004 2
  • 3. O cubo da actividade da Empresa Opções Estratégicas de Base: •1- Clientes: com produtos e tecnologias Constantes. Ex: Siderurgia, matérias primas etc. •2- Produtos: com clientes e tecnologias Constantes. Ex: electrodomésticos. Clientes (mercados) •3- Tecnologia: com clientes e produtos Constantes. Ex: Industria automóvel. Produtos (necessidades Satisfeitas, Funções Desempenhadas) Tecnologia Manuel Teixeira - 2004 3
  • 4. O cubo da actividade da Empresa Progredir nos eixos: 1- Clientes e produtos (com tecnologias Constantes). A) Mudar de produtos para os mesmos clientes, De seguida vender esses produtos a outros clientes. B) Encontrar novos clientes para os seus produtos, Depois vender-lhes outros produtos. C) Mudar clientes e produtos (ex: peugeot i.e. scooters) Manuel Teixeira - 2004 4
  • 5. O cubo da actividade da Empresa Progredir nos eixos: 1- Clientes e tecnologia (com produtos Constantes). A) Mudar de tecnologia, De seguida vender os produtos a novos clientes. B) Mudar de clientes, Depois vender-lhes os produtos com a nova tecnologia. C) Mudar clientes e tecnologia (ex: não há exemplos) Manuel Teixeira - 2004 5
  • 6. O cubo da actividade da Empresa Progredir nos eixos: 1- Produtos e tecnologia (com clientes Constantes). A) Mudar de tecnologia, De seguida aplicar esta tecnologia para fazer novos produtos. B) Mudar de produtos, Depois mudar de tecnologia. C) Mudar produtos e tecnologia (ex: com base na marca) Manuel Teixeira - 2004 6
  • 7. O cubo da actividade da Empresa A manobra complexa: Clientes (mercados) Desenvolver nos três eixos Produtos (necessidades Satisfeitas, Funções Desempenhadas) Tecnologia Manuel Teixeira - 2004 7
  • 9. Estratégia de Internacionalização: Conceitos Básicos Michael Porter  “A estratégia de internacionalização corresponde a uma lógica de diversificação geográfica no processo de desenvolvimento da empresa” (Michael Porter, 1986. In: Changing Patterns of International Competition).  Qualquer empresa com operações internacionais tem de escolher a melhor via para balancear os interesses econômicos da integração global com as vantagens comerciais da adequação local. Manuel Teixeira - 2004 9
  • 10. Estratégias de Internacionalização de Empresas  Classificação das estratégias de internacionalização:  Internacional  Multidoméstica  Global  Transnacional Manuel Teixeira - 2004 10
  • 11. Estratégias de internacionalização como resposta a pressões do ambiente Pressões do ambiente tecnológico e concorrencial Pressões do contexto económico Pressões do contexto político e cultural Manuel Teixeira - 2004 11
  • 12. Objectivos Coordenação Integração Eficiência Global Diferenciação Transnacional Adaptabilidade Flexibilidade Multidoméstica Inovação Aprendizagem Internacional Manuel Teixeira - 2004 12
  • 13. Ecs de escala Estratégias Ecs de alcance Custo dos recursos Global Diferenças culturais Transnacional Factores políticos Localização Abertura à aprendizagem Redução dos ciclos. Custos de I + D Multidoméstica Internacional Manuel Teixeira - 2004 13
  • 14. Classificação das estratégias de Internacionalização Estratégia Internacional Extensão do ciclo de vida do produto e da tecnologia. Exemplos: Pficer, P&G, GE. Manuel Teixeira - 2004 14
  • 15. Classificação das estratégias de Internacionalização Estratégia Internacional Estratégia Multidoméstica Extensão do ciclo de vida do produto e Ênfase na diferenciação nacional. da tecnologia. Activos e recursos distribuídos. Exemplos: Pficer, P&G, GE. Unidades nacionais auto- suficientes. Exemplos: Unilever, ICI, Philips, Nestlé. Manuel Teixeira - 2004 15
  • 16. Classificação das estratégias de Internacionalização Estratégia Global Enfoque na eficiência global. Menores custos, maior qualidade. Exportação agressiva. Concentração de I+D, produção e operações chave. Exemplos: Japanese Toyota, Canon, Komatsu, Matsushita. Estratégia Internacional Estratégia Multidomestica Extensão do ciclo de vida do produto e Ênfase na diferenciação nacional. da tecnologia. Activos e recursos distribuídos. Exemplos: Pficer, P&G, GE. Unidades nacionais auto- suficientes. Exemplos: Unilever, ICI, Philips, Nestlé. Manuel Teixeira - 2004 16
  • 17. Classificação das estratégias de Internacionalização Estratégia Global Estratégia Transnacional Enfoque na eficiência global. Desenvolvimento simultâneo de Menores custos, maior qualidade. inovação, flexibilidade e Exportação agressiva. Concentração de I+D, produção e eficiência. operações chave. Procura de optimização na Exemplos: configuração de recursos e de Japanese Toyota, Canon, Komatsu, activos e competências. Matsushita. Exemplos: ABB Estratégia Internacional Estratégia Multidomestica Extensão do ciclo de vida do produto e Ênfase na diferenciação nacional. da tecnologia. Activos e recursos distribuídos. Exemplos: Pficer, P&G, GE. Unidades nacionais auto- suficientes. Exemplos: Unilever, ICI, Philips, Nestlé. Manuel Teixeira - 2004 17
  • 18. Formas Alternativas de Internacionalização Empresarial  Modalidade de internacionalização mercantil:  A exportação é o meio mais directo de internacionalização.  A exportação directa ocorre quando a empresa vende directamente a um importador de um um país estrangeiro. A exportação indirecta, por sua vez, envolve o recurso a intermediários no país de destino. Vantagens Desvantagens • Maior informação sobre • Maior dificuldade de Exportação o mercado; de penetração inicial; • Maior controlo sobre os • Maiores custos de Directa canais de distribuição. estrutura. • Maior facilidade de • Menor controlo e Exportação penetração inicial; informação sobre • Menores custos de Indirecta representação. o mercado. Manuel Teixeira - 2004 18
  • 19. Processo Estratégico de Internacionalização ONDE? Pesquisa de O QUÊ? COMO? mercado e Modos de segmentação Posicionamento entrada internacional  Uma das principais razões para o fracasso de muitos negócios internacionais é a falta de preparo para enfrentar para enfrentar a complexidade e a incerteza decorrentes da intensa integração mundial.  É imprescindível uma investigação prévia à internacionalização.  Cuidado com o paradoxo do Ícaro! Manuel Teixeira - 2004 19
  • 20. Manuel Teixeira - 2004 20
  • 21. Obrigado! Manuel Teixeira - 2004 Manuel Teixeira - 2004 21