LUCÍOLAJosé de Alencar
O  escritor brasileiro José de Alencar nasceu no Ceará, região nordeste do Brasil,no ano de 1829. Antes de iniciar sua vi...
.Dentro das quatros características: Indianista,  Urbano, Regional e Histórico.    Escritor de obras com estilos variados,...
José de Alencar
 Paulo Silva, o personagem- narrador, é um rapaz de 25 anos, pernambucano, recém- chegado ao Rio de Janeiro, em 1855, com...
. Dia    após, em companhia de outro    amigo, o Dr. Sá, Paulo participa da    festa de N. Senhora da Glória, quando    l...
Lúcia:    Sua principal característica é a contradição. Como cortesã era a mais depravada. No entanto, a prostituição era...
.Maria     da Graça: Menina, pureza,    ingenuidade,     inocência,    simples    meiga, tende para o amor. Perdida a    ...
.Paulo:        É um provinciano de    Pernambuco, 25 anos, que veio tentar    se estabelecer no Rio de Janeiro. O    roma...
.   Ana: É a irmã de Lúcia, “Era o retrato deLúcia, com a única diferença de ter unslongos e de louro cinzento nos cabelo...
.Paulo     x Lúcia: Há motivos de    aproximação e de afastamento entre    ambos. Chegamos a uma composição    final. A c...
 1855   “ A primeira vez que vim ao Rio de  Janeiro foi em 1855.” Numa leitura atenta, o  leitor percebe no livro o Rio d...
    O cenário onde se desenrola a ação é o    Rio de Janeiro. Há referencias de seus    bairros (Santa Tereza), ruas (das...
    Lucíola é um romance narrado em    primeira pessoa, ou seja, quem narra    a história não é Alencar diretamente.    E...
. Na estrutura narrativa de Lucíola, portanto,    pode-se      observar       o seguinte: 1.Há um autor real: José de Al...
    A obra,publicada em 1862, é um romance de    amor bem ao sabor do Romantismo, muito    embora uma ou outra manifestaç...
    Em Lucíola , temática central está    exatamente na exaltação do amor    como força purificadora, capaz de    transfo...
O romance é impregnado da idéia demorte pois Lúcia está continuamente a sequeixar de uma doença misteriosa quePaulo não c...
E chega-se,afinal a temática básica deLucíola. A intriga é calcada em assuntoromântico: A situação social da mulherem face...
THE ENDAgradecimentos :Thank´sTchuTchaTchaTchu (8)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Luciola 2a-2011-110621133715-phpapp01

2.735 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.735
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
109
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Luciola 2a-2011-110621133715-phpapp01

  1. 1. LUCÍOLAJosé de Alencar
  2. 2. O escritor brasileiro José de Alencar nasceu no Ceará, região nordeste do Brasil,no ano de 1829. Antes de iniciar sua vida literária, atuou como advogado, jornalista, deputado e ministro da justiça. Aos 26 anos publicou sua primeira obra: “Cinco Minutos”. Podemos considerar Alencar como o precursor do Romantismo no Brasil
  3. 3. .Dentro das quatros características: Indianista, Urbano, Regional e Histórico. Escritor de obras com estilos variados, este escritor cearense criou romances que abordam o cotidiano. Deste estilo literário, também conhecido como romance de costume, destacam –se os livros: Diva, Lucíola, e Senhora..
  4. 4. José de Alencar
  5. 5.  Paulo Silva, o personagem- narrador, é um rapaz de 25 anos, pernambucano, recém- chegado ao Rio de Janeiro, em 1855, com a intenção de ai se estabelecer. No dia mesmo da sua chegada à corte do (Rio de janeiro), após o jantar, sai em companhia de um amigo para conhecer a cidade. Na rua das Mangueiras vê passar em um carro uma jovem muito bela. Um imprevisto faz parar o carro, dando a Paulo a oportunidade de repará-la melhor.
  6. 6. . Dia após, em companhia de outro amigo, o Dr. Sá, Paulo participa da festa de N. Senhora da Glória, quando lhe aparece a linda moça. Informando- se do amigo, fica sabendo tratar-se de Lúcia, a prostituta mais bela, requintada e disputada da cidade. Mas ele se impressiona com a “expressão cândida do rosto e a graciosa modéstia do gesto, ainda mesmo quando os lábios dessa mulher revelam a cortesã franca e imprudente.”
  7. 7. Lúcia: Sua principal característica é a contradição. Como cortesã era a mais depravada. No entanto, a prostituição era- lhe um tormento constante, já que não se entregava totalmente a ela. E os atos libidinosos constituíam para ela verdadeira autopunição aliada á angustiante sentimento de culpa.
  8. 8. .Maria da Graça: Menina, pureza, ingenuidade, inocência, simples meiga, tende para o amor. Perdida a virgindade física, Lúcia, por meio da compreensão e amor de Paulo, tende para a virgindade do espírito. “Elas não sabem,como tu, que eu tenho outra virgindade do coração!” . Para isso renuncia a qualquer amor sensual. Mesmo ao de Paulo, de quem fora amante e a quem passou a negar um simples beijo.
  9. 9. .Paulo: É um provinciano de Pernambuco, 25 anos, que veio tentar se estabelecer no Rio de Janeiro. O romance não esclarece se ele é ou não formado. É o narrador da história e como tal faz desviar a atenção do leitor para Lúcia e outros aspectos, não relevando certas informações suas. Os detalhes físico, por exemplo. Coisa, aliás, rara em José de Alencar, tratando-se de personagem central.
  10. 10. . Ana: É a irmã de Lúcia, “Era o retrato deLúcia, com a única diferença de ter unslongos e de louro cinzento nos cabelosanelados. Ana já conhecia a irmã e aamava ignorando os laços de sangueque existiam entre ambas.” Lúcia tentacasá-la com Paulo para ser uma espéciede perpetuação e concretização de seuamor por ele.
  11. 11. .Paulo x Lúcia: Há motivos de aproximação e de afastamento entre ambos. Chegamos a uma composição final. A composição é desejada por ambos, mas é preciso que antes muitas arestas sejam aparadas. Não é graciosamente que o ser humano se completa e se acha, mas através de muita luta e muito erro.
  12. 12.  1855 “ A primeira vez que vim ao Rio de Janeiro foi em 1855.” Numa leitura atenta, o leitor percebe no livro o Rio de Janeiro da época de D. Pedro II, com seus salões, sua burguesia, suas vitrinas chiques na Rua do Ouvidor com mercadorias elegantes vindas de Paris ou Londres, seus tílburis, seu vestuário, etc. Como o tempo narrativo é eminentemente “cronológico”. Ou seja, em Lucíola os acontecimentos se sucedem numa ordem quase normal, com uma seqüência natural de horas, dias, meses e anos.
  13. 13.  O cenário onde se desenrola a ação é o Rio de Janeiro. Há referencias de seus bairros (Santa Tereza), ruas (das Mangueiras), população, festa (a da Glória), teatros, lojas elegantes, etc. O segundo encontro já foi totalmente diferente, em local e desfecho. Foi nos jardins da casa do Dr. Sá, onde Lucia desfilara nua perante os convidados. O cenário é bem o gosto do romantismo: a natureza.
  14. 14.  Lucíola é um romance narrado em primeira pessoa, ou seja, quem narra a história não é Alencar diretamente. Ele o faz por meio de um personagem que viveu os episódios. No caso, esse personagem narrador é Paulo, que em cartas dirigidas a uma senhora (por quem o autor se faz passar) conta uma história de amor acontecida a seis anos entre ele e Lúcia.
  15. 15. . Na estrutura narrativa de Lucíola, portanto, pode-se observar o seguinte: 1.Há um autor real: José de Alencar. 2. Um autor fictício: a senhora G.M (pseudôminio de Alencar), destinatária das cartas de Paulo. 3. Um narrador: Paulo, com a incumbência e o privilégio de ordenar os fatos, comentá-los e tirar-lhes conclusões.
  16. 16.  A obra,publicada em 1862, é um romance de amor bem ao sabor do Romantismo, muito embora uma ou outra manifestação do estilo Realista ai se faça presente. Em todos os romances urbanos, Alencar aborda o amor como tema central. Ou, para ser mais exato, “aborda a situação social e familiar da mulher, em fase do casamento e do amor”. Mas o amor como o entendia a mentalidade romântica da época, um amor sublimado, Idealizado, capaz de renúncias, de sacrifícios, de heroísmo e até de crimes, mas redimindo- se pela própria força acrisoladoras de sua intensidade e de sua paixão.
  17. 17.  Em Lucíola , temática central está exatamente na exaltação do amor como força purificadora, capaz de transformar uma prostituta numa amante sincera e fiel.
  18. 18. O romance é impregnado da idéia demorte pois Lúcia está continuamente a sequeixar de uma doença misteriosa quePaulo não compreende nem aceita,supondo-se trata-se de refinada desculpapara não se entregar a ele sexualmente.Lúcia não acredita nem admite que umamulher como ela possa usufruir dasalegrias e gozos do amor conjugal dandoao esposo o mesmo corpo que tantosoutros tiveram.
  19. 19. E chega-se,afinal a temática básica deLucíola. A intriga é calcada em assuntoromântico: A situação social da mulherem face do amor. Do “amor” como oconcebe o Romantismo:sublimado, capaz de renúncias, desacrifícios, de heroísmo, que estáacima dos fatores sócio-econômicos, que trinfa apesar dasconvenções sociais.
  20. 20. THE ENDAgradecimentos :Thank´sTchuTchaTchaTchu (8)

×