O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Workshop de FacilitAção | Desenvolver skills de pessoa facilitadora

180 visualizações

Publicada em

Atualização no Workshop de FacilitAção em São Paulo dia 15/03/19

As pessoas que atuam como facilitadoras são responsáveis pela criação de um ambiente que permita ao grupo atingir o objetivo. Durante o processo, um time pode passar por diferentes momentos que influenciam no nível de colaboração. Para que o ambiente funcione, é necessário que exista empatia, respeito, confiança, liberdade, diálogo, sinergia e compartilhamento. O papel da pessoa facilitadora é garantir que exista responsabilidade, liderança e colaboração entre as pessoas participantes. Para isso, existem habilidades a serem desenvolvidas. E é isso que vamos fazer nesse workshop!

Publicada em: Aperfeiçoamento pessoal
  • Seja o primeiro a comentar

Workshop de FacilitAção | Desenvolver skills de pessoa facilitadora

  1. 1. Workshop de FacilitAção Desenvolver skills da pessoa facilitadora Mayra Souza, Mila Orrico & Andy Barbosa Baseado em pesquisa e experiência. Práticas do Livro Fun Retrospectives do Paulo Caroli.
  2. 2. Oi! Eu sou Mayra Souza Enterprise Coach, Lean-Agile Coach, Facilitadora e Trainer Lean Inception, Learning e Management 3.0, Idealizadora da AÇÃO e Trainer Agile School. É Engenheira de Produção (PUCRS), Professional & Self Coaching (IBC), Professional Agile Coach (PACC) e tem especializações de Scrum Product Owner, FMEA de processos, Auditoria, Organizações Orgânicas, Kanban, Design Sprint e Visual Thinking. Com um jornada profissional de 15 anos de experiência em gestão de pessoas, treinamentos e reengenharia de processos, gestão de produtos e qualidade. Atuou no Grupo ZAP com transformação de cultura organizacional, e na ThoughtWorks junto com Paulo Caroli em facilitações de Lean Inception e apoiou no desenvolvimento de novas pessoas facilitadoras. Exerceu os papéis de Agile Coach, Analista de Negócios, Coach e Facilitadora de práticas ágeis.
  3. 3. Oi! Eu sou Mila Orrico Consultora Sênior na ThoughtWorks Brasil/Chile Palestrante, facilitadora, consultora sobre Agilidade, Product Owner e Analista de Negócios. Certificada pela LeanKanban University além de CSM, CSPO e CSD, pela Scrum Alliance.
  4. 4. Oi! Eu sou Andy Barbosa ● 25 anos de experiência na área de TI ● 15 anos liderando times de alta performance ● Mestrando em Administração de Empresas ● Especialista em Gestão Estratégica de Negócios ● Especialista em Gestão Estratégica de TI ● MBA em Gestão de Projetos ● Professional Coach (FCC) ● Agile Coach Certified (ICP-ACC e PACC) ● SCRUM Certified (SCAC, SMAC, SPOAC) ● DevOps Professional Certificate (DEPC) ● Especialista em Management 3.0 ● Lean Change Agent ● SAFe Agilist | Scaled Agile ● Passagens por TOTVS, Benner e Desbravador ● Fundador do Agile Institute Brazil ● Criador da Formação e Acreditação PACC
  5. 5. Permissão Peça permissão ao grupo para facilitar todo andamento. Permita-se ter um dia de imersão, entrega e diversão
  6. 6. Acordos Expectativas
  7. 7. Agenda do workshop ◎ O que é facilitação? ◎ O que ocorre durante a facilitação? ◎ O que facilitar? ◎ Quais são as habilidades para uma pessoa facilitadora? ◎ Dicas para facilitação com práticas - MÃO NA MASSA! ◎ Como preparar uma facilitação. ◎ Simulações de facilitação.
  8. 8. Práticas & Simulações Práticas para desenvolver skills para facilitação: 1. Comunicar com empatia 2. Investigar a necessidade 3. Observar 4. Visual Simulações de Facilitação: 1. Daily/ Stand up 2. Planning 3. Facilitação 4. Icebreaker/ Energizer 5. Team Bonding/ Building/ Workflow/ Rules 6. Brainstorming/ Brainwriting 7. Retrospectiva 8. Speed feedback
  9. 9. O que é facilitação?
  10. 10. O que é facilitação? Significado de Facilitação s.f. Ação ou efeito de facilitar (descomplicar). Jurídico. Ajuda que, oferecida a uma outra pessoa, descomplica o desenvolvimento ou a prática de um ato. (Etm. facilitar + ção). O processo de facilitação é dirigir um fluxo de discussões propiciando um diálogo respeitoso, eliminando obstáculos, resumindo diferentes pontos de vista, fomentando o espírito positivo e produtivo, focando nos objetivos. É importante que a facilitação seja neutra ao longo dos debates.
  11. 11. “Facilitação de um grupo é um processo pelo qual uma pessoa cuja escolha é aceitável para todos os membros do grupo, que é suficientemente neutra e que não possui autoridade considerável no processo decisório do grupo, diagnostica e intervém para ajudar o grupo a melhorar como identifica, resolve problemas e toma decisões, para aumentar a efetividade do grupo, aumentando seu grau de autonomia. Roger Schwarz
  12. 12. O que ocorre durante a facilitação? Durante as dinâmicas de grupo, uma equipe pode passar por diversos momentos que aumentarão o nível de conhecimento, colaboração, compartilhamento e participação. O importante é entender cada momento e como agir!
  13. 13. Comunicação Consenso/ consentimento Processo de facilitação ColaboraçãoProblema! Solução? Atingiu o objetivo? Todas pessoas pensando Alinhando ideias Alinhando ações Plano de ação: O que? Como? Quando? Onde? Quanto?
  14. 14. Processo de facilitação Problema Facilitação Falta de Clareza (IDEIA) Comunicação deficiente Conflitos interpessoais Papéis x Responsabilidades Visualização Comunicação Envolvimento entre as pessoas Identificação
  15. 15. "Facilitar significa saber aplicar os métodos e as dinâmicas no momento certo, de forma a alcançar o resultado esperado. Para tanto, é preciso entender e fazer uma gestão do comportamento humano combinando e moderando a firmeza com o humor, a disciplina com o tato, e o resultado com a colaboração. Tudo isso se torna mais fácil quando você tem o entendimento de qual momento o grupo está e como agir!" Mayra Souza
  16. 16. Curva de Tuckman
  17. 17. Curva de Tuckman Normalizar e Acordo Desempenho Formação Contestar e Conflito Direcionar Coach Suportar Delegar
  18. 18. Team Bonding (Criar Laços) - Teste de Personalidade Fonte: https://www.16personalities.com/br/teste-de-personalidade
  19. 19. O que facilitar? Em que processo uma pessoa facilitadora (neutra) é indicada, quais técnicas…..
  20. 20. Tipos de pessoas facilitadoras ◎ Facilitadoras de negócios ◎ Facilitadoras de treinamento ◎ Facilitadoras educacionais ◎ Facilitadoras para resolução de conflitos ◎ Facilitadoras sociais ◎ Facilitadoras de pequenos grupos
  21. 21. O que facilitar na metodologia ágil? ◎ Reuniões (refinamento, planning, daily...) ◎ Lean Inception ◎ Design Sprint, Thinking e Service Design: ◉ Personas ◉ Jornadas do usuário ◎ Feedbacks: ◉ Speed feedback ◉ Autofeedback ◎ Icebreaker e Energizer ◎ Team Bonding/ Building/ Workflow/ Rules ◎ Retrospectivas: ◉ Futurospective ◉ Pre-mortem e Post-mortem ◎ Fishbowl ◎ World Café
  22. 22. Quais as habilidades necessárias para uma facilitadora? Facilitadoras são responsáveis pela criação de um ambiente para o grupo atingir o objetivo da dinâmica. Um ambiente de aceitação, empatia, respeito, confiança, liberdade, diálogo ou seja, sinergia e compartilhamento.
  23. 23. Facilitar é... Observar Organizar Regular Instruir e orientar para as descobertas Comunicar (Ouvir mais do que falar) Integrar Liderar Apoiar Treinar Neutralidade Incentivar a auto-organização Perguntar mais do que responder Prover recursos Coordenar Colaborar Explorar Estar sempre à disposição Agente da realidade Direcionar Moderar Iniciar Fomentar o espírito positivo e produtivo
  24. 24. Dicas para facilitar A pessoa facilitadora tem de estar aberta para feedbacks. É muito importante a troca de dicas e dificuldades entre pessoas facilitadoras.
  25. 25. A arte de se comunicar Comunicação é a relação de emitir, transmitir, receber e entender a mensagem: ◎ Linguagem falada (bom uso tom de voz); ◎ Escrita; ◎ Linguagem não-verbal com gestos corporais; ◎ Sonoro e/ou visual.
  26. 26. A regra 7-38-55 7% da comunicação é atribuída ao componente verbal (seu significado); 38% ao componente vocal (no caso específico, o tom da voz) 55% ao componente facial (expressão facial). A comunicação não verbal é responsável por 93% de toda a comunicação. MAS DEPENDE… DO CONTEXTO E DAS PALAVRAS
  27. 27. Comunicação não violenta | CNV ◎ Observar sem julgar ◎ Identificar sentimentos ◎ Entender necessidades ◎ Fazer pedidos/perguntas
  28. 28. Estar presente ◎ Quem eu sou? ◎ Onde estou? ◎ O que estou fazendo?
  29. 29. Comunicação mal estabelecida ◎ Bloqueios: mensagem não é captada e a comunicação é interrompida ◎ Filtragens: a mensagem é recebida apenas em parte ◎ Ruídos: a mensagem é distorcida ou mal-interpretada Existem barreiras que impedem a mensagem de chegar à pessoa receptora. Existem obstáculos e barreiras muito mais sutis, quanto mais fortes mais escondidas.
  30. 30. Barreiras da comunicação ◎ As opiniões e atitudes da pessoas receptora (ouvir apenas o que interessa); ◎ O egocentrismo (não enxerga do ponto de vista do outro ou interrompe com seu comentário); ◎ A percepção que temos do(a) outro(a) (preconceitos, estereótipos); ◎ A competição (monólogo coletivo ou diálogo de surdos); ◎ A frustração (impede de ouvir e entender o outro); ◎ A transferência (inconsciente de sentimentos dita uma predisposição favorável ou desfavorável); ◎ A projeção (emprestar a alguém intenções que nunca teve, mas que teria no lugar desta pessoa); ◎ A inibição.
  31. 31. “ Quem não se comunica se trumbica. Ditado popular
  32. 32. Quando interromper a fala/raciocínio de uma pessoa? Normalmente uma interrupção é reflexo da escuta com julgamentos, mas em alguns casos também pode ser necessária para acabar com uma conversa improdutiva, ou passivo-agressiva. Quando for necessário interromper faça isso o quanto antes, através inicialmente de gestos, depois da fala. Interrompa através de perguntas, usando empatia, a intenção ao interromper é ajudar quem fala a se conectar com uma pessoa ou o grupo.
  33. 33. MÃO NA MASSA Prática 1 Aprender é colocar em prática. Ser ágil é aprender continuamente!
  34. 34. Prática para Comunicar com Empatia – 7 minutos Objetivo: Praticar a audição, comunicação interpessoal com empatia e estar presente. ◎ Dividir em duplas; ◎ Uma pessoa conte algo que ocorreu no trabalho esta semana que lhe marcou, e a outra pessoa tem de ouvir com atenção; ◎ Após o(a) receptor(a) repetirá o que a pessoa lhe falou e junto pedirá a confirmação do que ouviu; ◎ Depois trocar emissor(a) e receptor(a) fazendo a mesma prática; ◎ Ao final, todas as pessoas compartilham a experiência e dar feedback construtivo.
  35. 35. Não subestime o poder do silêncio ◎ Quando fizer uma pergunta, seja paciente e espere pela resposta em silêncio. Não tente explicar sua pergunta logo após questionar. ◎ Se a pessoa não responder, pergunte: posso repetir minha pergunta de outra forma? ◎ Não responsabilize a pessoa por não entender o que você disse, a responsabilidade de ser assertiva é sua.
  36. 36. Programação de Neurolinguística @paola_mayra
  37. 37. Perguntas com contexto ERRO COMUM: SUPOR AO INVÉS DE PERGUNTAR! Perguntas são necessárias para intervir e auxiliar nas discussões e reuniões, não faça perguntas genéricas. Use perguntas abertas e com contexto para ter respostas adequadas e objetivas (traz valor a pergunta e a resposta).
  38. 38. Perguntas reativas Crie um ambiente que favoreça as diferenças de opiniões e que minimize o ego das pessoas participantes. Tenha "jogo de cintura" e cuidado nas abordagens. ◎ Investigação direta: “Por que você acha que isso é importante?” ◎ Investigação indireta: “Você acha isso importante porque…?” ◎ Esclarecimento: “Parece que o que você está dizendo é __________, certo?” ◎ Direcionamento: “Vocês já pensaram em algo ligado a _________?” ◎ Desvio do assunto: “Interessante o ponto de vista, mas o que acham de colocar no parking lot?” ◎ O grupo travou: "Já falamos de A, B e C. Alguma nova sugestão para lidar com isso?”
  39. 39. Perguntas poderosas Mais Poderosa ◉ Por que? ◉ Como? ◉ O que? ◉ Como? Quando? Onde? ◉ Qual (senão/ou) ou Sim/Não Perguntas Exemplo: ◎ Você está feliz no trabalho? ◎ Quando você estava mais feliz no trabalho? ◎ O que sobre o seu trabalho que te faz feliz? ◎ Porque deveria sua felicidade no trabalho ter seus altos e baixos? Qual pergunta estimula mais pensamentos reflexivos e um profundo nível de conversação?
  40. 40. A Pirâmide DIKW (Pirâmide do Conhecimento) modelada por Russel Ackoff | análise da estrutura de conteúdo que compõe a nossa mente Fonte: https://medium.com/software-zen/como-um-agile-coach-pode-responder-perguntas-dificeis "Saber quando usar sua inteligência para oferecer certeza ou sua sabedoria para oferecer clareza…." "…..Mas quando o processo tem a ver com fazer escolhas, encontrar caminhos, tomar decisões difíceis, o foco não é certeza, mas clareza. Aí, é a sua sabedoria que vai te ajudar." Alisson Vale
  41. 41. MÃO NA MASSA Prática 2 Aprender é colocar em prática. Ser ágil é aprender continuamente!
  42. 42. Prática para investigar a necessidade – 10 min. Objetivo: Praticar a investigação com perguntas poderosas, com objetivo de entender as necessidades, percebendo a importância da comunicação para o bom relacionamento interpessoal. ◎ Em duplas 1º Etapa: ◎ Conversar sobre situações ou falas que ouvem frequentemente e que consideram agressivas, ofensivas ou que causam desconforto; 2º Etapa: ◎ De todas escolham a mais forte; ◎ Pensar e identificar quais perguntas poderiam ser feitas para identificar a necessidade por trás deste comportamento/ fala. Ao final, todas pessoas comentam o que descobriram, refletindo sobre as diferenças entre a situação/ fala original e após refletindo com as perguntas, como seria o cenário futuro.
  43. 43. Comportamento disfuncional Observar o comportamento das pessoas participantes, pois o comportamento disfuncional é uma forma consciente ou inconsciente de demonstrar/ expressar o descontentamento ou uma opinião sobre algo. ◎ Facilite a criação de Acordos do Time: o próprio time reforça o comportamento funcional; ◎ Identifique quem não está participando e envolva nas discussões com perguntas como: ◉ O que você acha disso? ◉ Na sua opinião, qual é a melhor forma de _________?
  44. 44. MÃO NA MASSA Prática 3 Aprender é colocar em prática. Ser ágil é aprender continuamente!
  45. 45. Prática para Observar – 10 min. Objetivo: Praticar a observação do comportamento disfuncional e a expressão corporal, desenvolver a atenção e a capacidade de interpretação. Auxiliando a compreensão da linguagem não-verbal. ◎ Dupla ou em grupo; ◎ Pegue um papel com a frase de como irá se comportar com sua expressão corporal (o(a) emissor(a) não utilize linguagem verbal); ◎ O(A) observador(a) irá falar o que o(a) emissor(a) quer dizer com a expressão corporal.
  46. 46. Consenso e Consentimento O debate é muito importante, e os argumentos que levam a melhor decisão devem ser apresentados. ◎ Consenso: Acordo, um fim homogêneo de ambas as partes, ou seja um acordo comum de todas pessoas. ◎ Consentimento: Permissão, autorização, concordância. Do verbo consentir, daquilo que recebeu aprovação. O acordo é quebrado se existe uma restrição que bloqueia a decisão. Técnicas para tomada de decisão: ◎ Votação (vence pela maioria - menos discussão) ◎ Compra (ganha N pontos e distribui nas opções que apoia) ◎ Planning Poker / Five Fingers (Uso dos dedos para indicar o nível de apoio - mais discussão)
  47. 47. Ser o máximo visual http://www.viamosaico.com.br/site/facilitacao-grafica/
  48. 48. MÃO NA MASSA Prática 4 Aprender é colocar em prática. Ser ágil é aprender continuamente!
  49. 49. Prática Visual – 10 min. Objetivo: Praticar a facilitação gráfica, como colocar uma explicação/ ideia em um formato visual apoia no melhor entendimento da situação. ◎ Baseado na situação/ ideia; ◎ Crie símbolos/ ícones que contemple a exposição (significados) ◎ Em grupo ou individual com papel e caneta coloridas, expor a situação atual em um formato visual ◎ Cada grupo expõe seu dicionário visual e a exposição visual da situação Ao final, todos podem dar feedback construtivo.
  50. 50. Grupo 1 - Situação para a prática visual Uma equipe está com problemas de comunicação e junto não estão entregando nas iterações. As pessoas se atrasam para a daily e há um desconforto no ar, pois ninguém se dá feedbacks.
  51. 51. Grupo 2 - Situação para a prática visual Uma equipe está com problemas com a pessoa PO. PO não está participando das cerimônias, está distante e não alinha sobre o produto, as pessoas do time estão chateadas e não sabem como fazer esse alinhamento.
  52. 52. Grupo 3 - Situação para a prática visual Uma equipe está desmotivada, devido as demandas e tomada de decisão ser top down. A gestão da equipe não está apoiando o time, com isso vêm reduzindo as entregas e a qualidade no trabalho.
  53. 53. Como preparar uma facilitação Planejar e se preparar lhe dará segurança e confiança para a facilitação, mas lembre que tudo pode mudar então tenha planos alternativos.
  54. 54. Antes da Facilitação ◎ Saber o número de participantes; ◎ Saber o objetivo e qual é o resultado esperado; ◎ Planejar a agenda e se preparar (estudar a prática) e inclua um icebreaker/ energizer; ◎ Preparar o time previamente (e-mails, dicas, informações); ◎ Conversar com as pessoas envolvidas (reuniões ou 1:1 para entender e alinhar expectativas); ◎ Tempo, reserva da sala e agendamento.
  55. 55. Campanha de e-mails
  56. 56. Campanha de e-mails
  57. 57. Durante a Facilitação ◎ Pedir permissão e informar seu estilo no início; ◎ Pedir ajuda em relação a suas limitações como pessoa facilitadora; ◎ Fazer um acordo com as regras da dinâmica; ◎ Alinhamento de expectativa; ◎ Utilizar canetas sharpie (maior visibilidade de todos); ◎ Check-in e check-out nas dinâmicas; ◎ Não force a participação; ◎ Esteja flexível para mudança (planejar atividades coringa) para adaptar quando necessário; ◎ Deixar claro o objetivo do encontro e caso tenha os resultados esperados (deixar visível), se houver dúvidas, peça aos participantes explicarem qual o entendimento deles em relação aos objetivos; ◎ Expor informações/ explicações sobre a dinâmica (deixar visível);
  58. 58. Colaboração "Vamos desconectar, para nos conectar? " Carlos Rosemberg
  59. 59. Durante a Facilitação ◎ Deixar visível a agenda, modifique se necessário; ◎ Fazer a gestão do tempo (cronômetro online); ◎ Expor o envolvimento esperado dos participantes; ◎ Conhecer o background (conhecimento) e quanto as pessoas conhecem sobre o assunto; ◎ Usar post-its/ quadro para capturar ideias; ◎ Dividir em grupos para reduzir o caos e aumentar o consenso; ◎ Usar parking lot, mapa de afinidade (agrupamento), RAID, discussão e votação; ◎ Ter pessoa responsável para ações planejadas; ◎ Se for uma dinâmica recorrente, pode perguntar quem será a próxima pessoa para facilitar; ◎ Celebração! O quanto é importante comemorar as conquistas do grupo; ◎ Fazer uma retrospectiva simples da dinâmica.
  60. 60. Após a Facilitação ◎ Enviar rapidamente o seu feedback da reunião para as pessoas participantes, com as decisões tomadas e itens de ação; ◎ Enviar fotos ou vídeos; ◎ Solicitar feedback das pessoas participantes sobre a facilitação; ◎ Após um tempo saber com o time se o objetivo esperado realmente ocorreu (se ocorreu uma entrega, melhorou o convívio do time…). @paola_mayra
  61. 61. Crie uma exposição | Memória coletiva Durante a facilitação tenha templates visuais e fomente com que as informações pensadas e faladas sejam materializadas em post-its. ◎ Expectativa ◎ Happiness radar ◎ Objetivo ◎ Diretiva primária ◎ Retrospectiva ◎ Parking Lot ◎ RAID ◎ Glossário ◎ Perguntas & ideias ◎ Agenda Burn up
  62. 62. Crie uma exposição | FEEDBACK EXPRESS FEEDBACK & ROI TERMÔMETRO ESCALA DE APRENDIZADO
  63. 63. Pontos de Atenção ◎ Esteja atento a conversas paralelas; ◎ Preste atenção no relógio. Seja flexível, balance a necessidade de participação com a necessidade de manter a agenda; ◎ Aprenda o que fazer quando uma discussão não está chegando a uma conclusão.; ◎ Esteja atento às pessoas que não estão participando adequadamente; ◎ Esteja atento ao comportamento verbal e não-verbal do grupo; ◎ Interromper e mediar imediatamente caso tenham conflitos pessoais entre as pessoas participantes; ◎ Não seja representante do time e não crie uma dependência com o time.
  64. 64. Ambiente seguro ◎ Nenhuma pergunta é besta e/ou piada preconceituosa é engraçada. Seja consciente disso e não ria, não seja irônica. Se as pessoas rirem de alguém peça ao time para dar atenção a necessidade da pessoa. ◎ Ensine gestos para que as pessoas possam se expressar de forma silenciosa quando concordarem, discordarem ou quiserem falar sobre o mesmo tema. ◎ Explique a necessidade de levantar as mãos para falar. Esteja atenta e cuide para que a ordem de fala seja respeitada. ◎ O português é um idioma machista, então se esforce para utilizar linguagem neutra, por exemplo: pessoas desenvolvedoras as pessoas BAs, as pessoas PMs, etc.).
  65. 65. Management 4.0 https://www.andybarbosa.com.br/blog
  66. 66. Dicas para facilitação remoto ◎ Comunicação: appear.in, hangout, Skype, fuze... ◎ Boards: IdeaBoadz, Fun Retro, Trello, Waffle.io... ◎ Quadros online: Realtime Board, blank canvas, web white board, zite board, stormboard, mindmeister, sketchboard.io, stoodle, deekit... ◎ Planning poker online
  67. 67. Dicas de busca e leitura ◎ Livro Tool BOX 360º do Jorge Horácio "Kotick" Audy; ◎ Sites com dinâmicas e jogos: ◉ Retroagil ◉ Hi Toolbox ◉ KOMBO gestão e estratégia de pessoas; ◉ Tasty Cupcakes (Indicação Guilherme Motta); ◉ TOOLBOX. ◉ Site slideshare artigos com 110 dinâmicas de grupo.
  68. 68. MÃO NA MASSA Simulação 1 - Daily | Stand up Aprender é colocar em prática. Ser ágil é aprender continuamente!
  69. 69. Daily | Stand up ◎ Reunião diária de duração curta (no máximo 15 min.) ◎ Ser no mesmo horário diariamente ◎ Indicado ser pela manhã ◎ Use toquem (só fala uma pessoa por vez) Objetivo: ◎ Plano diário ◎ Saber como estamos para atingir o objetivo ◎ Saber se existe algum impedimento, que alguém possa remover ◎ Saber se houve algum mudança/ replanejamento ◎ Agir rápido
  70. 70. Daily Scrum Guide Focar no progresso em direção à Meta da Sprint: ◎ O que eu fiz ontem que ajudou o Time de Desenvolvimento a atingir a meta da Sprint? ◎ O que eu farei hoje para ajudar o Time de Desenvolvimento atingir a meta da Sprint? ◎ Eu vejo algum obstáculo que impeça a mim ou o Time de Desenvolvimento no atingimento da meta da Sprint?
  71. 71. Daily com Ask Kanban Fonte: https://blog.huge.io/ending-stale-stand-ups -with-ask-kanban-64de6c084d60
  72. 72. MÃO NA MASSA Simulação 2 - Planning (reunião de planejamento) Aprender é colocar em prática. Ser ágil é aprender continuamente!
  73. 73. Planning ◎ Reunião a cada iteração/ sprint ◎ Duração 1h à 3h Objetivo: ◎ Planejar o que será desenvolvido na próxima iteração/ sprint ◎ Alinhamento e clareza do objetivo e o que será trabalhado para realizar a entrega
  74. 74. Método da Cebola Fonte: http://www.caroli.org/o-metodo-da-cebola-por-lourenco-soares/
  75. 75. Planning Onion Fonte: https://www.rogerritter.com.br/o-que-e-planning-onion/
  76. 76. Revisão Features Fonte Livro Lean Inception
  77. 77. Sequenciador de Features Sequenciador de funcionalidades 1 2 3 4 5 6 F1 F2 F3 F4 F5 F6 F7 F8 F9 F10 F11 F12 F13 F14 F15 F16 F17 F18 MVP 1 MVP 2 MVP 3 MVP 4 Fonte Livro Lean Inception Regra: ◎ Cada onda com 3 cartões ◎ Cada onda com a soma de no máximo 5 Es ◎ Cada onda com a soma de mínimo 4 $s e <3 ◎ Cada onda pode conter no mínimo 2 cartões ◎ Cada onde pode ter um cartão vermelho, e se tiver somente um amarelo
  78. 78. MÃO NA MASSA Simulação 3 - Facilitação de reunião Aprender é colocar em prática. Ser ágil é aprender continuamente!
  79. 79. Ciclo de PrOpER Canvas https://www.andybarbosa.com.br/blog
  80. 80. Reunião Lean Canvas https://www.andybarbosa.com.br/blog
  81. 81. Dilema O que lhe impede? O que lhe atrai?
  82. 82. Management 3.0
  83. 83. Management 3.0 Kudo Cards Improv Cards
  84. 84. Gestão 4.0 Management 4.0 https://www.andybarbosa.com.br/blog
  85. 85. Simulação de Facilitação– 10 min. Objetivo: Praticar o questionamento com perguntas abertas e com contexto para instruir e direcionar as pessoas participantes atendendo o objetivo da reunião. Utilize todas as dicas com apoio visual, observar o comportamento das pessoas participantes e inclua todas pessoas na atividades para chegarem em um consenso. ◎ Dividir em grupos com 5 pessoas; ◎ Cada grupo deve eleger um(a) facilitador(a); ◎ Cada pessoa receberá o papel que deve desempenhar durante a reunião, junto com a explicação de como agir; ◎ A pessoa facilitadora receberá o objetivo da reunião e o tempo de duração; ◎ Ao final, cada grupo deve ter alcançado o objetivo entregue ao facilitador.
  86. 86. Simulação de Facilitação - OBJETIVO Papel da pessoa facilitadora: O Time deve decidir em 10 minutos quais treinamentos serão contratados no primeiro semestre de 2020. O orçamento disponível é de R$35.000,00 e as opções são: ◎ Técnicas de Facilitação: R$15.000,00 ◎ Management 3.0: R$25.000,00 ◎ Certified Scrum Developer: R$20.000,00 ◎ Agile Testing: R$20.000,00 O time deve reservar um valor para participar de eventos. Quanto?
  87. 87. Simulação de Facilitação - PAPÉIS Papel da pessoa conectada: Seu objetivo é tornar a vida da pessoa facilitadora mais difícil. Você deve ficar sempre acessando o celular e não prestar atenção no que está sendo discutido. Se a pessoa facilitadora pedir sua opinião não dê atenção, saia da sala por alguns instantes, volte e continue mexendo no celular. Papel da pessoa do contra: Seu objetivo é tornar a vida da pessoa facilitadora mais difícil. Você deve discordar de todas as propostas e não ser razoável nas discussões. Se a pessoa facilitadora pedir sua opinião, discorde sem apresentar argumentos válidos.
  88. 88. Simulação de Facilitação - PAPÉIS Papel da pessoa participativa: Você deve participar sempre, fale e tente atrapalhar os outros de falarem. Crie conversas paralelas com os colegas do lado. Dê sua opinião como se ela fosse sempre a melhor opção e interrompa as outras pessoas e a pessoa facilitadora. Papel da pessoa tímida: Você deve ser uma pessoa tímida que tem dificuldade de expressar sua opinião. Não participe, não responda as perguntas, e se a pessoa facilitadora te perguntar algo, fale baixo e expresse sua dificuldade de falar em público.
  89. 89. Simulação de Facilitação - PAPÉIS Papel da pessoa autêntica: Você deve ser você mesmo(a) durante a dinâmica.
  90. 90. Análise - Desafios, como fazer? A pessoa conectada: ◎ Procurar envolver a pessoa participante, chamando-a para as discussões e pedindo sua opinião; ◎ Quando há muitas conversas paralelas, o ideal é utilizar recursos como o quadro branco. Levante-se e escreva um resumo dos pontos já discutidos, o objetivo é capturar a atenção do grupo. ◎ Definir algumas regras no início da sessão, como limitação de uso de laptops e celulares.
  91. 91. Análise - Desafios, como fazer? A pessoa do contra e a participativa: ◎ Valorize a participação, sempre agradecer a contribuição da pessoa participante. Mostrar para ele/ela que as outras pessoas podem não ter o mesmo entendimento; ◎ Pedir a opinião de mais pessoas quanto à sugestões ou questionamentos apresentados; ◎ Quando a pessoa fizer uma pausa, interromper fazendo um resumo do que foi apresentado e relançar o debate para todo o grupo.
  92. 92. Análise - Desafios, como fazer? A pessoa tímida: ◎ Tentar envolver essa pessoa, neste caso, pode ser que diretamente, você intimide ainda mais a pessoa participante; ◎ Procure uma abordagem indireta, converse com ele/ela antes da reunião para saber sua opinião e peça para que ele/ ela compartilhe com o grupo durante a sessão. Com esta ação pode gerar mais confiança por ser um tema já conhecido e discutido anteriormente.
  93. 93. MÃO NA MASSA Simulação 3 - Icebreaker & Energizer Aprender é colocar em prática. Ser ágil é aprender continuamente!
  94. 94. Icebreaker e Energizer ◎ Quebra gelo ◎ Interação ◎ Socialização ◎ Descontração ◎ Movimento ◎ Energizante Blog Fun Retrospectives do Paulo Caroli www.funretrospectives.com/
  95. 95. MÃO NA MASSA Simulação 4 - Team Building Aprender é colocar em prática. Ser ágil é aprender continuamente!
  96. 96. As 5 Disfunções de Times - livro Os 5 desafios das equipes do autor Patrick Lencioni
  97. 97. Tipos de atividades de formação de Times ◎ Team Bonding ◎ Team Building ◎ Team Workflow ◎ Team Rules
  98. 98. Team Building Objetivos: ◎ Criar, manter e enriquecer os níveis de desenvolvimento de um grupo de pessoas, no sentido de os transformar numa unidade ou equipe/ time ◎ Desenvolve e utiliza os laços para melhorar o desempenho no plano profissional do grupo ◎ Criar senso de pertencimento de time ◎ Definir propósito, visão e valores Benefícios: ◎ Moldar e unir evolutivamente a equipe ◎ Fomentar a inteligência coletiva ◎ Fortalecer o protagonismo e relacionamento
  99. 99. Management 3.0 - Moving Motivators
  100. 100. Management 4.0 https://www.andybarbosa.com.br/blog
  101. 101. Management 4.0 https://www.andybarbosa.com.br/blog Sobrevivência Segurança Relacionamento Auto Estima Auto Realização “Fazer a Diferença” Aprendizado, Desafios, Autonomia Reconhecimento, Prêmios, Prestígio Boas Relações, Alinhamento Estabilidade, Salário Políticas & Regras, Segurança 5 4 3 2 1
  102. 102. Fonte: http://theteamcanvas.com/ Team Building
  103. 103. Fonte: http://theteamcanvas.com/
  104. 104. Matriz de papéis e responsabilidades
  105. 105. Statik Fonte: http://agile.pub/assuntos-diversos/caipira-agil-2017-primu-baum/
  106. 106. Summit - Team Workflow & Building
  107. 107. Management 3.0
  108. 108. Management 3.0 | Delegation Board
  109. 109. Inspirado na fonte: https://jorgeaudy.com/2016/09/29/scrum-setup-canvas-balizas-para-o-planejamento/ https://jorgekotickaudy.files.wordpress.com/2017/11/manual-ssc-scrum-setup-canvas-ed-5.pdf Team Workflow & Rules
  110. 110. Team Building – 10 min. Objetivo: Fomentar a construção do relacionamento, a interação entre as pessoas, a socialização e empatias entre as pessoas a partir do momento que começam conhecer suas histórias. ◎ Dividir em duplas ou grupos com 3 a 5 pessoas; ◎ Cada pessoa tem 5 min. para desenhar/ escrever sobre você, no template abaixo: ◎ Ao final, cada pessoa apresenta o seu para o par ou o grupo. 5 min. para este momento.
  111. 111. Team Building – 10 min. Objetivo: Mapear os valores de cada pessoa do time, ou seja, após a atividade temos os valores do time ◎ Cada pessoa descreve um comportamento/ atitude ◉ Confortável ◉ Desconfortável ◎ Cada pessoa apresenta ◎
  112. 112. Team Building – 10 min. Objetivo: Mapear os motivadores de cada pessoa do time, as pessoas se conhecem, ajuda a apoiar na organização de atividades que alimentam as pessoas ◎ Cada pessoa ordena os motivadores do que mais lhe motiva para o que menos lhe motiva ◎ Cada pessoa de acordo com a atividade atual, coloque para cima o que está sendo alimentado e para baixo os que não estão
  113. 113. MÃO NA MASSA Simulação 5 - Brainstorming Aprender é colocar em prática. Ser ágil é aprender continuamente!
  114. 114. Tipos de BRAINSTORMING SCAMPER: ◎ Substituir ◎ Combinar ◎ Adaptar ◎ Minimizar ou modificar ◎ Pensar em outros usos ◎ Eliminar ◎ Reverter ou rearranjar
  115. 115. Tipos de BRAINSTORMING Técnica dos 6 chapéus: ◎ Branco: dados e fatos; ◎ Preto: crítico, analítico, riscos e dificuldades; ◎ Vermelho: sentimento, emoções e instinto; ◎ Azul: agenda, coordenar, síntese e conclusão; ◎ Amarelo: benefício, aspectos positivos e atrativos; ◎ Verde: ideias e alternativas.
  116. 116. Tipos de BRAINSTORMING Mapa mental
  117. 117. Tipos de BRAINSTORMING MÉTODO 635/ Brainwriting 6 pessoas 3 ideias/ soluções em 5 minutos = 108 Prática de IdeAção 1 e 2
  118. 118. Brainstorming – 20 min. Objetivo: Explorar a potencialidade criativa das pessoas e do grupo, colocando-a a serviço dos objetivos pré-determinados. A técnica Brainstorming propõe que o grupo se reúna e utilize a diversidade de pensamentos e experiências para gerar soluções inovadoras, sugerindo qualquer pensamento ou ideia que vier à mente a respeito do tema tratado. Com isso, espera-se reunir o maior número possível de ideias, visões, propostas e possibilidades que levem a um denominador comum e eficaz para solucionar problemas e entraves que impedem um projeto de seguir adiante. Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Brainstorming
  119. 119. 1º 3º 4º 2º 5º Link: Template Learning Canvas.
  120. 120. 1° Problema Eu papel me sinto emoção quando ação porque motivo Eu analista SAC fico frustrada quando não consigo resolver o problema do cliente, por não ter acesso ao sistema. ◎ Fazer um Problem Pitch (flipchart) com a narrativa acima ◎ Após levante os problemas, unir por afinidade ◎ A cada grupo por afinidade, escrever uma pergunta que queira responder ◎ Votar nas perguntas mais críticas ◎ Pergunta mais votada será o tema do Learning Canvas ◎ Os post-its relacionados a pergunta vão para o Canvas ◎ Levantar mais problemas relacionados que estão no Canvas
  121. 121. 2° Resultados Esperados ◎ Em grupo ou individual levantar os resultados esperados solucionando os problemas. O objetivo é ter a visão futura que os problemas não mais existirão e também servirá para a validação do plano de ação. ◎ Em grupo ou individual, levantar experiências vivenciadas ou observadas de perto em outros contextos, mas relacionado aos problemas e aos resultados esperados ◎ Realizar a leitura de todos post-its levantados 3° Experiências
  122. 122. 4° Ideias ◎ Levantar ideias para solucionar os problemas, não precisa ter certeza ou experiência, este é o momento brainstorming. Ou seja, um caminho para a “aprendizagem emergente é conhecimento confrontado com a realidade”. ◎ Planejar itens de ação que valem ser testados, baseado em tudo que foi realizado até o momento. As ações podem conter experiências e/ou ideias apresentadas, e neste momento podem surgir ainda novas ideias. 5° Tentar
  123. 123. MÃO NA MASSA Simulação 6 - Retrospectiva Aprender é colocar em prática. Ser ágil é aprender continuamente!
  124. 124. Atividades de alinhamento e co-criação Objetivo: Gerar discussão, brainstorming, criação, alinhamento, definição, planejamento e validação de ideias de produtos, serviços, processos e papéis. Benefício: Promover o direcionamento, a redução de custos e desperdícios, melhoria contínua, aumento na qualidade, comunicação e entrega de valor.
  125. 125. Lean Inception
  126. 126. Dicas Lean Inception
  127. 127. Design Sprint
  128. 128. Dicas Design Sprint ● Sem distrações (notebooks, smartphones e iPads) ● Momento galeria de arte ● Votos em silêncio e mapa de calor ● Uso do Time timer para manter o foco e cria sensação de urgência ● Almoço por volta 13h, preserva níveis de energia e evita filas ● Post-its amarelos, multicoloridos causam sobrecarga cognitiva desnecessária ● Lanchinhos saudáveis ● Registre tudo (sintetizar) ● Decisões lentas consomem energia e ameaçam a agenda ● Trabalho individual em conjunto
  129. 129. ToolBox 360º
  130. 130. ToolBox 360º
  131. 131. ToolBox 360º
  132. 132. Retrospectivas - Team Workflow
  133. 133. Roda ágil | Assessment Fonte:https://www.anagsoares.com/conheca-a-roda-agil-um-assessment-para-equipes-de-desenvolvimento-agil/
  134. 134. Retrô Poker http://www.knowledge21.com.br/blog/retro-poker/
  135. 135. Check-list retrospectiva ◎ Entender o contexto do time, para elaborar a agenda; ◎ Objetivo e período da retro; ◎ Ler a Diretiva Primária; ◎ Check-in; ◎ Levantamento de informações; ◎ Ler, votar e discutir; ◎ Plano de ações/ acordos (pessoas responsáveis); ◎ Check-out; ◎ Retratar as ações e acordos; ◎ Quando será a próxima retro? Quem facilitará? Obs.: No início ou no final rever acordos e ações da última retro e verificar se está sendo atendida
  136. 136. Check-in
  137. 137. Retrospectiva “Independentemente do que descobrimos, nós entendemos e realmente acreditamos que todos fizeram o melhor trabalho que poderiam, dado o que era conhecido na época, suas habilidades e competências, os recursos disponíveis, bem como a situação em questão.” (diretiva primária da Retrospectiva, do livro Fun Retrospectives) A Diretiva Primária é uma declaração que ajuda a conduzir as pessoas para uma mentalidade colaborativa.
  138. 138. Futurospectiva "A esperança e a confiança vêm da participação adequada e uma vontade de prever o imprevisível. Vamos exercer plenamente esta oportunidade de nos unir em torno de uma visão inclusiva, e dar as mãos para construir um futuro comum.” (diretiva primária da Futurospectiva, do livro Fun Retrospectives) A Diretiva Primária é uma declaração que ajuda a conduzir as pessoas para uma mentalidade colaborativa.
  139. 139. Pré-Mortem "Dado tudo que já passamos na nossa jornada profissional. Vamos compartilhar nossas experiências de sucesso e fracasso, com intuito de realizarmos um melhor trabalho neste novo projeto. Sem julgamentos e com objetivo de fazer melhor e mitigar riscos.” (diretiva primária da Pré-mortem) A Diretiva Primária é uma declaração que ajuda a conduzir as pessoas para uma mentalidade colaborativa.
  140. 140. Pós-Mortem "Encerrando um ciclo de trabalho colaborativo, queremos mapear as nossas falhas e sucessos durante todo o projeto, com o objetivo de aprender. Sabemos que a responsabilidade é da equipe e que fizemos o nosso melhor, com os recursos e as capacidades disponíveis na época.” (diretiva primária da Pós-mortem) A Diretiva Primária é uma declaração que ajuda a conduzir as pessoas para uma mentalidade colaborativa.
  141. 141. MÃO NA MASSA Simulação 7 - Feedback Aprender é colocar em prática. Ser ágil é aprender continuamente!
  142. 142. “ Feedback uma ferramenta de transformação!
  143. 143. Auto - Speedback Pré-dinâmica: ◎ Solicitar para que as pessoas pensem o que trouxeram de melhor e o que podem melhorar no período de trabalho X Dinâmica: ◎ Cada pessoa vai expor para o time
  144. 144. Feedback Canvas https://www.andybarbosa.com.br/blog
  145. 145. Feedback Canvas Auto avaliação do João Avaliação do time (percepção)
  146. 146. Speedback – 10 min. Pré-dinâmica: ◎ Enviar e-mail as pessoas participantes para refletir sobre os feedbacks para as pessoas e para si mesma. ◎ Chegue na sala antes para organização (quantidade de pessoas é par ou ímpar?), colocar flechas para apoiar no direcionamento. Durante a dinâmica: ◎ Kick-off sobre Feedback; ◎ Icebreaker; ◎ Cronômetro online; ◎ Explicação sobre fluxo das cadeiras, tempo; ◎ Música ambiente.
  147. 147. “A pessoa facilitadora conduz o grupo como um maestro que conduz uma orquestra - com cientificidade, tecnicidade, espontaneidade, sensibilidade, poder de entrega e capacidade para criar. A condução do grupo envolve teoria e técnica, intuição e criação coletiva. Macedo (1998, p. 48) http://www.scielo.br/pdf/estpsi/v15n2/03.pdf
  148. 148.
  149. 149. Feedback e sugestões? Andy Barbosa anderlb@gmail.com https://www.linkedin.com/in/andybarbosa/ @albarbosa78 Mila Orrico https://www.linkedin.com/in/milaorrico/ https://medium.com/@milaorrico Mayra Souza https://br.linkedin.com/in/mayrarodriguesdesouza www.medium.com/@mayrarodriguesdesouza @paola_mayra Agradecemos a todes!

×