Transição idade média - idade moderna

1.905 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.905
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
167
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Transição idade média - idade moderna

  1. 1. - FATORES DETERMINANTES. As Cruzadas. Renascimento Comercial. Renascimento Urbano. Surgimento da burguesia. Crise do feudalismo e o enfraquecimento dos senhoresfeudais. Desintegração da servidão, que sustentava o feudalismo. Progressos técnicos nos armamentos militares,provocando a decadência da cavalaria. Surgimento dos exércitos reais ou profissionais
  2. 2. - PRINCIPAIS MONARQUIAS NACIONAIS EUROPÉIASPRINCIPAIS MONARQUIAS NACIONAIS EUROPÉIAS>> PORTUGALPORTUGAL. Fim da Guerra da Reconquista. Fim da Guerra da Reconquista>> ESPANHAESPANHA. Fim da Guerra da Reconquista. Fim da Guerra da Reconquista. Casamento de Isabel e Fernando(Castela e Aragão). Casamento de Isabel e Fernando(Castela e Aragão)>> FRANÇAFRANÇA. Guerra dos Cem Anos. Guerra dos Cem Anos. Peste Negra. Peste Negra>> INGLATERRAINGLATERRA. Guerra das Duas Rosas (Lancaster x York). Guerra das Duas Rosas (Lancaster x York)
  3. 3. - ABSOLUTISMO MONÁRQUICOABSOLUTISMO MONÁRQUICO. Concentração total dos poderes nas mãos do rei.. Concentração total dos poderes nas mãos do rei.. O rei era visto como grande árbitro das questões. O rei era visto como grande árbitro das questõesnacionais.nacionais.. Luxo e ostentação reforçavam a imagem do rei diante. Luxo e ostentação reforçavam a imagem do rei diantedas massas miseráveis.das massas miseráveis.. Cobrança cada vez maior de tributos, irritando. Cobrança cada vez maior de tributos, irritandoburguesia e povão.burguesia e povão.. “casamento” da monarquia com a Igreja Católica.. “casamento” da monarquia com a Igreja Católica.
  4. 4. JUSTIFICATIVAS PARA O ABSOLUTISMONicolau Maquiavel: na obra “O Príncipe”, afirma que ospoderes do rei são ilimitados, desde que seus objetivossejam a grandeza do Estado. Os fins justificam os meios.Thomas Hobbes: na obra “Leviatã”, menciona que énecessário o poder ilimitado do soberano para umamelhor organização e defesa da sociedade. Sem essaautoridade, a sociedade tende ao caos.Jacques Bossuet: na obra “Política Segundo a SagradaFamília”, o rei é um representante de Deus na Terra etodos os súditos devem respeitá-lo.
  5. 5. Política econômica praticada pelos Estados Absolutistas.Política econômica praticada pelos Estados Absolutistas.. Objetivos: fortalecer o Estado e a burguesia.. Objetivos: fortalecer o Estado e a burguesia.. Princípios:. Princípios:MetalismoMetalismoBalança Comercial favorávelBalança Comercial favorávelIntervenção do Estado na economiaIntervenção do Estado na economiaProtecionismoProtecionismo
  6. 6. - RENASCIMENTORENASCIMENTO* Transição da mentalidade medieval para a mentalidade* Transição da mentalidade medieval para a mentalidademoderna.moderna.* Patrocinado pelos mecenas (burgueses ricos).* Patrocinado pelos mecenas (burgueses ricos).* Buscava o resgate da cultura greco-romana.* Buscava o resgate da cultura greco-romana.* Períodos:* Períodos:. Trecento(séc.XIV): início, ainda muita religiosidade.. Trecento(séc.XIV): início, ainda muita religiosidade.. Quatrocento(séc.XV): apogeu do “reviver clássico”.. Quatrocento(séc.XV): apogeu do “reviver clássico”.. Cinqüecento(séc.XVI): declínio do Renascimento,. Cinqüecento(séc.XVI): declínio do Renascimento,influenciado pelas Grandes Navegações e a Contra-influenciado pelas Grandes Navegações e a Contra-Reforma. Com a decadência, surge o Barroco.Reforma. Com a decadência, surge o Barroco.
  7. 7. - FATORES DETERMINANTES. Decadência moral do clero. Venda de indulgências(perdão dos pecados). Simonia(venda de objetos considerados sagrados. O patrimônio acumulado pela Igreja. Centralização das monarquias nacionais( > poder). O papa passou a ser visto como um líder estrangeiro. Ascensão da burguesia (condenação da usura)
  8. 8. Martinho Lutero (1483-1546) nasce em Eisleben,Martinho Lutero (1483-1546) nasce em Eisleben,Alemanha, numa família camponesa. Em 1501 ingressaAlemanha, numa família camponesa. Em 1501 ingressana Universidade de Erfurt, onde estuda artes, lógica,na Universidade de Erfurt, onde estuda artes, lógica,retórica, física e filosofia e especializa-se emretórica, física e filosofia e especializa-se emmatemática, metafísica e ética. Entra para o mosteiromatemática, metafísica e ética. Entra para o mosteirodos eremitas agostinianos de Erfurt em 1505, torna-sedos eremitas agostinianos de Erfurt em 1505, torna-sesacerdote e teólogo.sacerdote e teólogo.
  9. 9.  Os pontos centrais da doutrina de Lutero são a justificação deOs pontos centrais da doutrina de Lutero são a justificação deDeus só pela fé e o acesso ao sacerdócio para todos os fiéis.Deus só pela fé e o acesso ao sacerdócio para todos os fiéis.Lutero nega o valor dos sacramentos(conservando o batismo e aLutero nega o valor dos sacramentos(conservando o batismo e aeucaristia, esta com valor essencialmente simbólico), o cultoeucaristia, esta com valor essencialmente simbólico), o cultodos santos e o valor da missa . Afasta por completo a autoridadedos santos e o valor da missa . Afasta por completo a autoridadee a hierarquia da Igreja e do Papa, afirmando que “todo fiel ée a hierarquia da Igreja e do Papa, afirmando que “todo fiel épadre”. Nega também que o homem seja livre para praticar opadre”. Nega também que o homem seja livre para praticar obem e o mal. Calvino acrescenta a doutrina da predestinaçãobem e o mal. Calvino acrescenta a doutrina da predestinaçãodos fiéis. As diferenças doutrinais entre os dois dão origem ados fiéis. As diferenças doutrinais entre os dois dão origem aduas grandes correntes: os luteranos e os calvinistas. A Reformaduas grandes correntes: os luteranos e os calvinistas. A Reformaabole a hierarquia e institui os pastores como ministros dasabole a hierarquia e institui os pastores como ministros dasigrejas. As mulheres têm acesso ao ministério e os pastoresigrejas. As mulheres têm acesso ao ministério e os pastorespodem se casar. A liturgia é simplificada e os sacramentospodem se casar. A liturgia é simplificada e os sacramentospraticados são o batismo e a ceia.praticados são o batismo e a ceia.
  10. 10. Com a simpatia de diferentes setores da nobreza eCom a simpatia de diferentes setores da nobreza ecamponeses o protestantismo de Lutero difunde-secamponeses o protestantismo de Lutero difunde-serapidamente na Alemanha, provoca uma série derapidamente na Alemanha, provoca uma série deconflitos com os católicos e com Carlos V. Isto resultaconflitos com os católicos e com Carlos V. Isto resultana dissolução das ordens monásticas, na revogação dona dissolução das ordens monásticas, na revogação docelibato clerical, na secularização dos bens da igrejacelibato clerical, na secularização dos bens da igrejapela nobreza e na substituição da autoridadepela nobreza e na substituição da autoridadeeclesiástica pela autoridade do Estado.eclesiástica pela autoridade do Estado.
  11. 11. João Calvino (1509-1564) nasce em Noyon, França,João Calvino (1509-1564) nasce em Noyon, França,filho de um secretário do bispado de Noyon. Em 1523filho de um secretário do bispado de Noyon. Em 1523ingressa na Universidade de Paris, estuda latim,ingressa na Universidade de Paris, estuda latim,filosofia e dialética. Forma-se em direito e, em 1532,filosofia e dialética. Forma-se em direito e, em 1532,publica Dois livros sobre a clemência ao imperadorpublica Dois livros sobre a clemência ao imperadorNero, obra que assinala sua adesão à Reforma. EmNero, obra que assinala sua adesão à Reforma. Em1535, já é considerado chefe do protestantismo1535, já é considerado chefe do protestantismofrancês. Perseguido pelas autoridades católicasfrancês. Perseguido pelas autoridades católicasrefugia-se em Genebra.refugia-se em Genebra.
  12. 12.  Pela dogmática do francês João Calvino, o homem estáPela dogmática do francês João Calvino, o homem estápredestinado à salvação ou à condenação. Pode salvar-se quempredestinado à salvação ou à condenação. Pode salvar-se quemsantificar a vida cumprindo seus deveres. A Igreja e o Estadosantificar a vida cumprindo seus deveres. A Igreja e o Estadodevem estar separados, com predomínio da primeira.devem estar separados, com predomínio da primeira. Ética protestanteÉtica protestante –– Calvino considera o cristão livre de todasCalvino considera o cristão livre de todasas proibições não explicitadas nas Escrituras, o que torna asas proibições não explicitadas nas Escrituras, o que torna aspráticas do capitalismo lícitas, em especial a usura, condenadapráticas do capitalismo lícitas, em especial a usura, condenadapela Igreja Católica. De acordo com a teoria da predestinação, apela Igreja Católica. De acordo com a teoria da predestinação, aidéia de que Deus concede a salvação a poucos eleitos, oidéia de que Deus concede a salvação a poucos eleitos, ohomem deve buscar o lucro por meio do trabalho e da vidahomem deve buscar o lucro por meio do trabalho e da vidaregrada. Surge a identificação da ética protestante com oregrada. Surge a identificação da ética protestante com ocapitalismo, que se torna atraente para a burguesia.capitalismo, que se torna atraente para a burguesia.
  13. 13. Henrique VIII (1491-1547) nasce em Greenwich eHenrique VIII (1491-1547) nasce em Greenwich etorna-se herdeiro do trono da Inglaterra em 1502, apóstorna-se herdeiro do trono da Inglaterra em 1502, apósa morte do irmão mais velho. Em 1509 é coroado ea morte do irmão mais velho. Em 1509 é coroado ecasa-se com Catarina de Aragão, a viúva de seu irmão.casa-se com Catarina de Aragão, a viúva de seu irmão.Poliglota, esportista e estudioso de teologia, retoma aPoliglota, esportista e estudioso de teologia, retoma adoutrina de Lutero, o que lhe vale o título de defensordoutrina de Lutero, o que lhe vale o título de defensorda fé, concedido pelo papa Leão X.da fé, concedido pelo papa Leão X.
  14. 14.  Com o apoio do Parlamento e do povo, descontente com osCom o apoio do Parlamento e do povo, descontente com osprivilégios e poderes eclesiásticos, Henrique VIII rompe comprivilégios e poderes eclesiásticos, Henrique VIII rompe coma Igreja Católica e cria o anglicanismo. É reconhecido comoa Igreja Católica e cria o anglicanismo. É reconhecido comochefe supremo da Igreja da Inglaterra. O rei passa a ser ochefe supremo da Igreja da Inglaterra. O rei passa a ser ochefe supremo da Igreja Anglicana ou Episcopal e o seu líderchefe supremo da Igreja Anglicana ou Episcopal e o seu líderespiritual é o arcebispo de Canterbury. A Reforma anglicanaespiritual é o arcebispo de Canterbury. A Reforma anglicanaé promulgada em 1534 pelo rei Henrique VIII. Usa comoé promulgada em 1534 pelo rei Henrique VIII. Usa comopretexto a recusa do papa em aceitar seu divórcio da rainhapretexto a recusa do papa em aceitar seu divórcio da rainhaespanhola Catarina de Aragão, tia de Carlos V da Espanha,espanhola Catarina de Aragão, tia de Carlos V da Espanha,para casar-se com Ana Bolena, uma dama de sua corte, quepara casar-se com Ana Bolena, uma dama de sua corte, quetrês anos depois é decapitada por adultériotrês anos depois é decapitada por adultério
  15. 15. A reforma de Henrique VIII constituiu mais uma alteraçãoA reforma de Henrique VIII constituiu mais uma alteraçãopolítica do que doutrinária. As reais alterações teológicaspolítica do que doutrinária. As reais alterações teológicassurgiram no reinado de seu filho, Eduardo VI, que introduziusurgiram no reinado de seu filho, Eduardo VI, que introduziualgumas modificações fortemente influenciadas peloalgumas modificações fortemente influenciadas pelocalvinismo. Foi no reinado de Elizabeth I, porém, quecalvinismo. Foi no reinado de Elizabeth I, porém, queconsolidou-se a Igreja Anglicana. A supremacia do Estadoconsolidou-se a Igreja Anglicana. A supremacia do Estadosobre a Igreja foi afirmada e Elizabeth I tornou-se chefe dasobre a Igreja foi afirmada e Elizabeth I tornou-se chefe daIgreja Anglicana independente. A Reforma na InglaterraIgreja Anglicana independente. A Reforma na Inglaterrarepresentou uma necessidade de fortalecimento do Estado,representou uma necessidade de fortalecimento do Estado,na medida em que o rei transformou a religião numa via dena medida em que o rei transformou a religião numa via dedominação sobre seus súditos.dominação sobre seus súditos.
  16. 16. - Reação da Igreja Católica contra as novas religiões.Reação da Igreja Católica contra as novas religiões.- Medidas:Medidas:. Concílio de Trento. Concílio de Trento- manutenção do celibato- manutenção do celibato- criação dos seminários- criação dos seminários- criação do catecismo- criação do catecismo- criação do Índex- criação do Índex. Companhia de Jesus: combate às heresias e aos. Companhia de Jesus: combate às heresias e aosprotestantesprotestantes. Reativação do Tribunal da Inquisição. Reativação do Tribunal da Inquisição
  17. 17. Compreende o conjunto das medidas adotadas pelaCompreende o conjunto das medidas adotadas pelaIgreja através da autoridade do Papa Paulo III, emIgreja através da autoridade do Papa Paulo III, em1545, para defender-se, como as reformas internas, a1545, para defender-se, como as reformas internas, afundação da Companhia de Jesus e o Concílio defundação da Companhia de Jesus e o Concílio deTrento. Cria novas ordens eclesiásticas, como a dosTrento. Cria novas ordens eclesiásticas, como a dosteatinos, capuchinhos, barbabitas, ursulinas eteatinos, capuchinhos, barbabitas, ursulinas eoratorianos.oratorianos.
  18. 18. Convocado por Paulo III paraConvocado por Paulo III paraassegurar a unidade de fé e aassegurar a unidade de fé e adisciplina eclesiástica. Regula asdisciplina eclesiástica. Regula asobrigações dos bispos e confirma aobrigações dos bispos e confirma apresença de Cristo na eucaristia. Sãopresença de Cristo na eucaristia. Sãocriados seminários como centros decriados seminários como centros deformação sacerdotal e reconhece-se aformação sacerdotal e reconhece-se asuperioridade do papa sobre asuperioridade do papa sobre aassembleia conciliar.assembleia conciliar.São restaurados também os Tribunais da inquisição, que viriam aSão restaurados também os Tribunais da inquisição, que viriam afuncionar principalmente na Itália, França, Espanha e Portugal, sob ofuncionar principalmente na Itália, França, Espanha e Portugal, sob onome de Santo Ofício, julgando e condenando cristãos acusados denome de Santo Ofício, julgando e condenando cristãos acusados deinfidelidade, heresia, cisma, magia, poligamia, abuso dos sacramentosinfidelidade, heresia, cisma, magia, poligamia, abuso dos sacramentosetc. É instituído o índice de livros proibidos (etc. É instituído o índice de livros proibidos (Index LibrorumIndex LibrorumProhibitorum)Prohibitorum) e reorganizada a Inquisição.e reorganizada a Inquisição.
  19. 19. Imagem do princípio do século XVI Prática de tortura na Espanha.
  20. 20. Gravura de Goya,representa o garroteutilizado emalgumas execuções.
  21. 21. Ordem Jesuíta: criada em 1534 por Inácio de Loyola.Ordem Jesuíta: criada em 1534 por Inácio de Loyola.Com organização militar e disciplina rígida, coloca-seCom organização militar e disciplina rígida, coloca-seincondicionalmente a serviço do papa. Desempenhaincondicionalmente a serviço do papa. Desempenhapapel fundamental na renovação da Igreja, na lutapapel fundamental na renovação da Igreja, na lutacontra os hereges e na evangelização da Ásia econtra os hereges e na evangelização da Ásia eAméricas.Américas.
  22. 22. - . Quebra da unidade do Cristianismo na Europa. Quebra da unidade do Cristianismo na EuropaOcidental.Ocidental.. Fortalecimento das monarquias nacionais.. Fortalecimento das monarquias nacionais.. Estímulo ao desenvolvimento capitalista.. Estímulo ao desenvolvimento capitalista.. Impulso à alfabetização(mais leitura).. Impulso à alfabetização(mais leitura).. Maior intolerância religiosa, tanto católica como. Maior intolerância religiosa, tanto católica comoprotestante.protestante.. Impedimento ao livre desenvolvimento das ciências.. Impedimento ao livre desenvolvimento das ciências.
  23. 23. DIVERSIDADE E TOLERÂNCIA RELIGIOSA
  24. 24. 38REGIÃO DE ORIGEM RELIGIÃO Nº DE ADEPTOSOriente Médio judaísmo 15 a 18 milhõescristianismo 2,1 bilhõesislamismo 1,3 bilhõesfé baháí 7 milhõesÁsia Hinduísmo 900 milhõesconfucionismo 6, 5 milhõesbudismo 376 milhõesjainismo 4,2 milhõessikhismo 25 milhõesxintoísmoReligião tradicional chinesa 400 milhõesCristãos independentes 430 milhõesEuropa Oriental Igreja Ortodoxa 220 milhõesÁfrica Negra religiões dos povos negro-africanos. 100 milhõesAmérica religiões das sociedades indígenasOceania religiões dos povos das ilhas do Pacífico, daAustrália e da Nova ZelândiaEuropa e América do Norte Igrejas Protestantes 375 milhõesEuropa Espiritismo 15 milhõesVárias partes Novas religiões 108 milhõesAteus/Agnósticos/ de 780 milhões a 1,1 bilhõesFontehttp://www.google.com.br

×