Treinamento físico o treinamento desportivo

377 visualizações

Publicada em

periodização

Publicada em: Esportes
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
377
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Treinamento físico o treinamento desportivo

  1. 1.  Sistemas energéticos;  Especificidade do treinamento;  Individualidade biológica;  Supercompensação;  Sobrecarga;  Princípio da síndrome geral da adaptação. Hernandes Jr., 2002
  2. 2.  Primeiramente, deve-se definir o sistema energético que se faz presente naquela atividade. Os esforços podem ser divididos em (predominantemente): o Anaeróbio Alático o Anaeróbio Lático o Anaeróbio/Aeróbio o Aeróbio Hernandes Jr., 2002
  3. 3. Fonte energéticaFonte energética Gesto motorGesto motor Tipo de treinamento de força Tipo de treinamento de força Exercícios concorrentes Exercícios concorrentes Volume e Intensidade de treinamento Volume e Intensidade de treinamento Simular o gesto
  4. 4.  Características individuais que são determinadas pela carga genética. Estímulos = x Respostas ≠
  5. 5. CARACTERÍSTICA HISTOQUÍMICAS E FUNCIONAIS DAS FIBRAS MUSCULARES Característica I IIa IIx Inervação Pequena Grande Grande Frequência de Ativação Baixa Alta Alta Velocidade de Contração Lenta Veloz Veloz Metabolismo Oxidativo Oxid / Glic Glicolítico [Mioglobina] Alta Intermed. Baixa Densidade Mitocondrial Alta Intermed. Baixa Atividade antioxidante Alta Intermed. Baixa Fatigabilidade Baixa Intermed. Alta Hipertrofiabilidade Baixa Intermed. Alta
  6. 6.  O processo de adaptação condicionado pelo desenvolvimento consequente do treinamento ocorre nas de acordo com as seguintes fases: Weineck, 1999
  7. 7.  Supercompensação significa recuperação acima do nível usual.  O termo “supercompensação” somente deve ser utilizado em se tratando de alterações condicionadas por treinamento, alterações estas relacionadas com o metabolismo energético, sobretudo com o nível de fosfato (especialmente fosfato creatina e glicogênio. Weineck, 1999
  8. 8. Weineck, 1999
  9. 9. Weineck, 1999
  10. 10. Weineck, 1999
  11. 11. Weineck, 1999
  12. 12. Weineck, 1999
  13. 13. Tipo de Sessão Sistemas Energéticos Tempo de Recuperação Anaeróbio Alático Anaeróbio Alático Anaeróbio Lático Aeróbio 40 – 48 horas 20 – 24 horas 06 – 10 horas Anaeróbio Lático Anaeróbio Alático Anaeróbio Lático Aeróbio 20 – 24 horas 40 – 48 horas 06 – 10 horas Aeróbio – Anaeróbio Anaeróbio Alático Anaeróbio Lático Aeróbio 40 – 48 horas 20 – 24 horas 68 – 72 horas Aeróbio Anaeróbio Alático Anaeróbio Lático Aeróbio 04 – 06 horas 20 – 24 horas 68 – 72 horas Hernandes Jr., 2002
  14. 14. Também conhecido como o principio da elevação progressiva da carga. Este principio relaciona-se às adaptações sofridas pelo organismo em conseqüência aos estímulos de treinamento (esforço físico). O aumento regular e progressivo da carga (total) de trabalho é que possibilitará a almejada melhoria de rendimento. Observa-se que essa reação do organismo é muito rápida inicialmente, tornando-se mais lenta à medida que o indivíduo atinge níveis de performance cada vez maiores e melhores.
  15. 15. Hernandes Jr., 2002
  16. 16. Hernandes Jr., 2002
  17. 17.  Sobre “adaptações biológicas no esporte”, entendem-se as alterações dos órgãos e sistemas funcionais, que aparecem em decorrência das atividades psicofísicas e esportivas .  Capacidade de adaptação é o nome que se dá à diferente assimilação dos estímulos, frente à mesma qualidade e quantidade de exercícios ou carga de treinamento. Ela pode ser atribuída à correlação organismo/ambiente, sob o ponto de vista da predisposição hereditária e sua expressão (genética).
  18. 18.  Força, velocidade e resistência são as capacidades importantes para o desempenho bem-sucedido;  A maioria dos esportes exige um desempenho máximo em pelo menos duas capacidades;  A capacidade dominante é aquela mais exigida pelo esporte (ex., a resistência é a capacidade dominante nas corridas de longa distância). Bompa, 2001

×