Rascunho da ultima aula de cristologia

832 visualizações

Publicada em

Segue o rascunho da última aula...

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
832
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
476
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rascunho da ultima aula de cristologia

  1. 1. TITULOS DE JESUS REFERENTE SEU MINISTÉRIO FUTURO: *MESSIAS *FILHO DO HOMEM PRESENTE: *O SENHOR *O EU SOU SUA PREEXISTÊNCIA: *O LOGOS
  2. 2. O QUE QUER DIZER "FILHO DO HOMEM"? A expressão "filho do homem" é encontrada muitas vezes, tanto no Velho como no Novo Testamento. Originalmente, foi usada como sinônimo de "homem". Isaías 51:12 diz: "Eu, eu sou aquele que vos consola; quem, pois, és tu, para que temas o homem, que é mortal, ou o filho do homem, que não passa de erva?" (Veja, também, Jó 16:21; 25:6; 35:8; Salmos 8:4; 80:17; 144:3; Isaías 56:2). No livro de Ezequiel, escrito no sexto século a.C., a frase foi uma maneira que Deus, muitas vezes, identificou o profeta Ezequiel (2:1,3,6 e muitos outros versículos em Ezequiel). A expressão aparece duas vezes no livro de Daniel, com dois sentidos diferentes. Em Daniel 8:17, o profeta é chamado de "filho do homem". Mas, em 7:13, desce do céu (numa visão) "um como o Filho do Homem" que recebeu do Ancião de Dias autoridade para reinar para sempre. Nesta visão profética, a frase claramente se refere a Cristo. .
  3. 3. Chegando ao Novo Testamento, "filho do homem" é usado quase exclusivamente para falar sobre Jesus. O próprio Cristo utilizou esta expressão (segundo os quatro relatos do evangelho) para se identificar inúmeras vezes (Mateus 8:6; 9:20; etc.). Assim, ele enfatiza sua própria humanidade, o fato que ele se fez carne e habitou entre homens (João 1:14). Mas esta descrição jamais é usada para sugerir que Jesus era mero homem. Sem dúvida, o uso no Novo Testamento elabora o tema introduzido em Daniel 7:13. O "Filho do Homem" não é alguém que surge da terra (como a erva de Isaías 51:12). Ele veio nas nuvens do céu (Daniel 7:13, compare Mateus 20:28; Lucas 19:10; João 3:13). Contra as doutrinas humanas que sugerem que Jesus era um homem glorificado, a Bíblia ensina que ele é Deus que se humilhou. Em João 6:62 ele diz: "Que será, pois, se virdes o Filho do Homem subir para o lugar onde primeiro estava?" Paulo confirma a mesma coisa em Filipenses 2:5-8. Assim, o Filho do Homem mostrou sua autoridade na terra (Marcos 2:10,28). Depois de sua morte e ressurreição, ele afirmou que tinha recebido toda autoridade (Mateus 20:28; veja Lucas 22:69). Como Daniel o viu descendo nas nuvens, Jesus prometeu vir nas nuvens em julgamento (Marcos 13:26; 14:62; etc.). Algum tempo depois da ascensão de Jesus, Estevão foi privilegiado em ver "o Filho do Homem, em pé à destra de Deus" (Atos 7:56).
  4. 4. SEU MINISTÉRIO PRESENTE: Jesus, O Senhor Governo Universal e Absoluto. “Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.” Filipenses 2:9-11
  5. 5. EU SOU. PG 88 O faraó respondeu: "Quem é o Senhor, para que eu lhe obedeça e deixe Israel sair? Não conheço o Senhor, e não deixarei Israel sair". Êxodo 5:2 ‫ר‬ ֶ‫אמ‬ ֹּ֣‫י‬ַ‫ו‬‫ה‬ ֹ֔‫ע‬ ְ‫ר‬ַ‫פ‬‫י‬ ִ֤‫מ‬ְ‫י‬‫ָה‬‫ו‬‫ה‬ ‫ע‬ ַֹּ֣‫מ‬ ְ‫ש‬ֶ‫א‬ ‫ר‬ ֶֹּ֣‫ש‬ֲ‫א‬ְ‫ב‬‫ו‬ ֹ֔‫ל‬‫ק‬‫ח‬ ַַּ֖‫ל‬ ַ‫ְש‬‫ל‬ ‫ת־‬ֶ‫א‬‫ל‬ ֵ֑‫א‬ ָ‫ר‬ ְ‫ש‬‫י‬ַ‫ָד‬‫י‬ ‫א‬ ִ֤‫ל‬‫י‬‫ת‬ְ‫ע‬ ְ‫י‬‫ת־‬ֶ‫א‬‫ה‬ָֹ֔‫ו‬‫ה‬‫ת־י‬ֶ‫א‬ ‫ַ֥ם‬ַ‫ְג‬‫ו‬‫ל‬ ַּ֖‫א‬ ָ‫ר‬ ְ‫ש‬ ‫א‬ ַ֥‫ל‬‫׃‬ַ‫ֵּֽח‬‫ל‬ ַ‫ש‬ֲ‫א‬ Êxodo 5:2
  6. 6. O LOGOS Pg 90 “Natureza divina de Jesus antes de se humanizar” João 1.1 “Conceito filosófico traduzido como razão, tanto como a capacidade de racionalização individual ou como um princípio cósmico da Ordem e da Beleza.” Temo usado apenas no evangelho de João, mas secularmente era usado por Heráclito(535-475 ªC) de Éfeso para explicar a Lei Universal da Realidade. Heráclito, inserido no contexto pré-socrático, parte do princípio de que tudo é movimento, e que nada pode permanecer parado - Panta rei ou "tudo flui", "tudo se move", exceto o próprio movimento.

×