A orientação educacional e a família do aluno

1.849 visualizações

Publicada em

A orientação educacional e a família do aluno

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.849
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A orientação educacional e a família do aluno

  1. 1. A Orientação Educacional e a Família do Aluno Carolina, Keucilene e Maryanne
  2. 2. FAMÍLIA ESCOLA ALUNO A O. E. será exercida em cooperação com a família, cabendo a O. E. participar no processo de integração escola-família-comunidade.
  3. 3. Orientação Familiar  O conhecimento da família e uma comunicação efetiva entre ela e a escola, além de condições básicas para a realização de uma Orientação Familiar eficiente, são essenciais para a busca de uma unidade de princípios e de atuação entre ambas as instituições.  A atuação da escola em relação ao aluno é bastante ampla e diversificada, não se atendo apenas aos aspectos de aprendizagem de conteúdos escolares.  Cabe ao Or. E. trabalhar diversos temas junto às famílias buscando sempre uma ação harmônica e integrada com ela.
  4. 4. Orientação Econômica  É essencial orientar os pais quanto à educação financeira, pois esta tem papel importante na vida do aluno.  Mesada: dar ou não dar? A mesada educa.  Periodicidade, quantia, quais itens serão cobertos por ela...  É imprescindível que o Or. E. promova palestras e debates sobre o tema, a fim de que quantias razoáveis possam ser estabelecidas, assim como que tipos de gastos elas estariam cobrindo.
  5. 5.  Cantina: desigualdade na compra de lanches e guloseimas;  Excesso nas compras de material escolar e a falta de cuidado com ele, acarretando gastos desnecessários.  Zelo pelos seus próprios materiais e dos outros, bem como de patrimônio público.
  6. 6. Orientar os pais em educar os filhos  A criança necessita, na sua educação, de uma orientação segura e do estabelecimento de limites para seu comportamento.  Alertar os pais sobre a necessidade de estabelecer limites (ex. horários).
  7. 7. Conhecer a Comunidade e as famílias  A eficiência do trabalho na área de Orientação Familiar depende, em grande parte, do conhecimento da comunidade e das famílias dos alunos.  Boa parte dos dados necessários é encontrada na caracterização da comunidade.
  8. 8.  Dados iniciais de caracterização: constelação familiar.  Instrumentos de levantamento de informações: reuniões, entrevistas, os cursos e as palestras.  Reuniões com os pais precisam ter:  Boa organização e planejamento; periodicidade, atas, duração e escolha de horários favoráveis à presença do maior número possível de pais; pontualidade, elaboração de pautas, convocação por escrito e local adequado.
  9. 9.  Entrevistas: marcá-las em horários que não conflitem com outras atividades; delimitar o tempo de duração; manter a objetividade, ética e discrição no trato das questões; organizar um roteiro...  As entrevistas podem ser solicitadas pelos pais ou pelo Or. E.  Os pais devem ser alertados sobre a importância de comunicarem o SOE novos eventos na família que possam interferir no aproveitamento escolar e no comportamento geral do aluno.
  10. 10. Realização de eventos  Inserida na comunidade, a escola pode vir a ser um núcleo de irradiação socioeconômica e cultural.  Cursos de pequena duração sobre diferentes temas.  O Or. E. deve ser cauteloso no sentido de não promover de forma independente atividades extra.  Oportunidade de manter contatos com os pais e a comunidade, facilitando assim a sua atuação.
  11. 11.  As relações escola-família não se restringem a punições ou recriminações mútuas.  A escola pode cooperar em muitas campanhas que dizem respeito à comunidade, colocando sua infraestrutura e recursos à disposição do educando, em sentido mais amplo, os alunos.

×