O slideshow foi denunciado.

Transtornos alimentares

305 visualizações

Publicada em

ANOREXIA, BULIMIA E TRANSTORNO DE COMPULSÃO ALIMENTAR

Publicada em: Ciências
  • Seja o primeiro a comentar

Transtornos alimentares

  1. 1. Anorexia Nervosa, Bulimia Nervosa e Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica (TCAP)
  2. 2. ANOREXIA: A PESSOA DEIXA DE SE ALIMENTAR, PERDE PESO RAPIDAMENTE, CHEGAA ESTADO S DE DESNUTRIÇÃO SEVERA E RISCO DE MORTE. BULI MIA: POR ALIMENTOS SEGUIDA POR MÉTODOS COMPENSATÓRIOS.
  3. 3. Apresentam os episódios de compulsão alimentar, mas não utilizam as medidas extremas para evitar o ganho de peso.
  4. 4. • pica  ingestão persistente de substâncias não nutritivas, inadequadas para o desenvolvimento infantil e que não fazem parte de uma prática aceita culturalmente. As substâncias mais freqüentemente consumidas são: terra, barro, cabelo, alimentos crus, cinzas de cigarro e fezes de animais.Atrasos no desenvolvimento, retardo mental e história familiar de pica são condições que podem estar associadas. complicações clínicas podem ocorrer, principalmente relacionadas com o sistema digestivo e com intoxicações ocasionais, • e o transtorno de ruminação.  Inclui episódios de regurgitação (ou “remastigação) repetidos que não podem ser explicados por nenhuma condição médica desnutrição, perda de peso, alterações do equilíbrio hidroeletrolítico, desidratação e morte.
  5. 5.  Anorexia Nervosa • Várias alterações do apetite e perturbações da imagem corporal • podem ocorrer nas crianças em idade escolar predominantemente em mulheres jovens, com uma prevalência • Existem dois picos de incidência: aos 14 e aos 17 anos.  Obs.: A anorexia pode ter início a partir dos 7 anos de idade e preferencialmente em meninas, embora em crianças a prevalência entre meninos parece ser maior do que entre adultos jovens.
  6. 6. Bulimia nervosa (BN) • A BN é extremamente rara antes dos 12 anos. O transtorno é característico das mulheres • Fatores de ordem biopsicossocial se encontram relacionados com sua etiologia. • O episódio de compulsão alimentar é o sintoma principal e costuma surgir no decorrer de uma dieta para emagrecer. • Ciclo compulsão alimentar-purgação
  7. 7. QUADROS PARCIAIS chegam a ser cinco vezes mais freqüentes que as síndromes completas, e autores como Dancyger e Garfinkel (1995), acompanhando quadros parciais, observaram que aproximadamente 50% evoluem para quadros completos, sendo importante portanto seu diagnóstico precoce
  8. 8. TRANSTORNO DA COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA. • Os pacientes com o transtorno apresentam os episódios de compulsão alimentar, mas não utilizam as medidas extremas para evitar o ganho de peso. • A maioria dos pacientes com o transtorno é obesa.
  9. 9. Etiologia multifatorial: • predisposições genéticas • socioculturais • vulnerabilidades biológicas e psicológicas
  10. 10. São de etiologia multifatorial. Divididos em três grupos Anorexia Nervosa (NA) Bulimia Nervosa (BN) Transtorno de compulsão alimentar periódico (TCAP) Fatores predisponentes (aumentam a chance do aparecimento do T.A )  Individuais Familiares Socioculturais
  11. 11. ANOREXIA NERVOSA BULIMIA NERVOSA obsessividade sociabilidade perfeccionismo comportamento gregário passividade comportamentos de risco introversão impulsividade baixa auto-estima instabilidade afetiva auto-avaliação negativa baixa auto-estima auto-avaliação negativa
  12. 12. ANOREXIA NERVOSA BULIMIA NERVOSA transtornos da personalidade obsessiva-compulsiva transtornos caracterizados pela impulsividade e instabilidade transtornos da ansiedade TCAP dependências químicas
  13. 13. ANOREXIA NERVOSA BULIMIA NERVOSA Alterações em vias noradrenérgicas e da serotonina (5-HT) Deficiências no circuito sertoninérgicos menor atividade de sistemas associados à 5-HT cerebral
  14. 14.  Na cultura ocidental, ser magra significa ter competência, sucesso, autocontrole e ser atraente sexualmente. Vindo ao encontro destes valores, as dietas restritivas e cirurgias plásticas transmitem a ilusão de que o corpo é infinitamente maleável  O reforço social exercido pela família, pelos amigos e pela mídia em adolescentes e adultas jovens para se ter o corpo magro relaciona-se à presença de sintomas bulímicos e prediz o início de sintomas nesta população.42  O papel das mães Ricciardelli & McCabe43 afirmam que a pressão para perder peso exercida pela mãe é o principal fator preditivo de insatisfação corporal e do engajamento em estratégias para modificar o corpo em adolescentes de ambos os sexos.
  15. 15. o papel da mídia e da urbanização um maior grau de urbanização levaria a uma maior exposição ao ideal de magreza através da mídia propiciar mudanças de hábitos alimentares (ex.,“fast-foods”), sedentarismo e um maior número de pessoas sobrepeso e obesidade.
  16. 16. AN BN TCAP O uso de medicamentos na síndrome anoréxica baseia-se em três pontos principais:  as distorções do pensamento associados aos transtornos da imagem corporal (que alguns autores consideramcomo um forma de psicose),  os sintomas depressivos associados e as alterações do apetiteas distorções do pensamento associados aos transtornos da imagem corporal (que alguns autores consideram como um forma de psicose), os sintomas depressivos associados e as alterações do apetite o alvo principal da ação dos medicamentos tem sido os episódios de compulsão alimentar (ECA) e os sintomas comportamentais relacionados objetivos do tratamento envolvem a remissão ou redução dos ECA, e o controle da obesidade e depressão associadas. foco principal o ganho de peso naltrexona,23,24 lítio,25 d- fenfluramina,26,27 difenil- hidantoína,28 Ltriptofano antidepressivos, naltrexona, agentes antiobesidade e topiramato
  17. 17.  os antidepressivos (clomipramina, amitriptilina e fluoxetina),  os antipsicóticos (pimozida, sulpirida)8,  e outros agentes (cipro- heptadina, lítio, tetra-hidro- canabiol, clonidina, natrexona, hormônio do crescimento, zinco e cisaprida). antidepressivos para BN e os estudos mais recentes avaliando o ondansetron30 e o topiramato31 Os antidepressivos tricíclicos, os inibidores da monoaminoxidase (IMAO) e os inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRS) venlafaxina55 na redu ção dos ECA em pacientes obesos a consistência dos resultados negativos sugere que o tratamento medicamentoso não proporciona nem acelera o restabelecimento do peso em pacientes hospitalizadas na fase aguda da doença. Algumas classes de antidepressivos podem ter efeitos adversos particularmente negativos: tricíclicos (ganho de peso, boca seca, constipação); bupropiona (convulsões); IMAOs (dificuldade em seguir a dieta). desipramina foi significantemente superior ao placebo na redução dos ECA em pacientes com BN nãopurgativa. Entretanto, a melhora do comportamento alimentar não esteve associada com perda de peso e os pacientes recaíram logo após a descontinuação do medicamento
  18. 18. fluoxetina (dose média de 40 mg/dia) apresentaram ganho de peso e redução da psicopatologia associada. Os resultados deste estudo indicam um potencial benefício da fluoxetina em prevenir recaídas de pacientes após recuperação do peso. Baseado nos resultados negativos do uso de inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRS) na fase aguda da AN, poderia-se especular que os antidepressivos não seriam eficazes na presença de desnutrição ou que necessitem de um tempo maior de uso para apresentar início de sua eficácia terapêutica. As taxas de abandono são altas - cerca de 35% - demonstrando que o tratamento medicamentoso isolado não é bem aceito pelas pacientes fluvoxamina redução significativa na freqüência de ECA a redução significativa, porém discreta do peso corporal não esteve associada à melhora dos sintomas depressivos associados resultados. Semelhantemente a sertralina com significativa e expressiva perda de peso (-5,4 Kg).
  19. 19. Olanzapina e a risperidona risco de desenvolvimento de hiperglicemia e diabetes tipo 2 O tempo mínimo de tratamento é de 6 meses Se nenhuma resposta é observada em 8-12 semanas o tratamento pode ser considerado não eficaz. Agente Antiobesidade A d-fenfluramina (retirado do mercado por estar associado a valvulopatia e hipertensão pulmonar) foi descrita como capaz de provocar supressão dos ECA. Apesar da ação antiobesidade da d- fenfluramina a alta taxa de remissão reportada neste estudo (80%) não foi acompanhada por redução do peso corporal. Ansiolíticos do tipo benzodiazepínicos tem sido recomendados, antes das refeições para tratar a ansiedade antecipatória relacionada a alimentação Superioridade da psicoterapia fosse clinicamente relevante (taxa de remissão de 39% versus 20%). Houve maior taxa de abandono no grupo tratado com medicação Agente Antiobesidade Sibutramina, um agente antiobesidade, inibidor da recaptação de serotonina e noradrenalina, pode ser um tratamento seguro e eficaz para estes pacientes. Remissão dos ECA e redução do peso corporal maior taxa de remissão (47% contra 27% do grupo placebo Efeitos adversos mais descritos (boca seca e constipação) foram leves e benignos. Os efeitos da sibutramina no TCAP foram considerados únicos pelos autores ao contemplar três aspectos principais da síndrome:  comportamento alimentar alterado,  peso corporal e  sintomas depressivos associados.
  20. 20. ondansetron - um inibidor periférico dos receptores 5-HT3, usado para tratamento da náusea induzida por antineoplásicos redução de 50% dos ECA e um aumento de 33% nas refeições não seguidas de purgação topiramato31 Vinte e cinco por cento dos pacientes apresentaram remissão no final do estudo, versus 12% com placebo. Houve redução de 50% tanto nos ECA quanto de purgação 29% (ECA) e 22% (purgação) Dose mediana foi de 100 mg/dia. Novo agente neuro-psiquiátrico com múltiplos mecanismos de ação. Em pacientes com BN e TCAP o topiramato parece reduzir a fissura por carboidratos, aumentar a saciedade, estabilizar o humor e reduzir comportamentos impulsivos. Anticonvulsivantes Topiramato redução dos episódios de ECA e do peso corporal. Evidências de que o topiramato poderia agir no TCAP independentemente da sua ação no transtorno do humor 150 mg/dia : As doses foram aumentadas gradualmente para reduzir os efeitos colaterais sobre o sistema nervoso central. Remissão completa e outras duas tiveram redução importante dos ECA associada à diminuição do peso. Os efeitos adversos mais freqüentes (parestesias, sonolência e fadiga) foram transitórios e desapareceram quando a dose final foi atingida. O topiramato esteve associado a uma redução importante e significativa dos ECA, peso corporal e sintomas psicopatológicos relacionados. A dose média do topiramato utilizada foi de 213 mg/dia. O topiramato neste estudo, entretanto, esteve associado a uma maior incidência de efeitos adversos, possivelmente pelo rápido escalonamento e altas doses utilizadas.
  21. 21. C L I o
  22. 22.  Era aceito socialmente, como prática religiosa: • Egito antigo: para ser iniciado nos mistérios dos deuses Ísis e Osíris. • Índia: Sidharta Gautama, o Buda histórico • Grécia: Hipócrates (460-370 a.C.) o receitava como tratamento de doenças. • Bíblia: Moisés e Jesus Cristo • Religião Cristã Medieval:  Santa Catarina de Sena (1347-1380)  Santa Clara de Assis (1193-1253)  Santa Rosa de Lima (1586-1617)  Depois da Idade Média, a Igreja começou a ver com maus olhos o caso das santas jejuadoras – poderia ser possessão diabólica, e não santidade – e o hábito caiu em desuso. (Weinberg e Cordas . Do altar às passarelas – da anorexia santa à anorexia nervosa.)
  23. 23.  O modelo de magreza começou nos anos 60 com a modelo Twiggy Lawson.  Em 1975 a cantora Karen Carpenter (do grupo Carpenters) desenvolveu anorexia nervosa. Na turnê daquele ano teve de cancelar apresentações devido à sua fraqueza. Em 1982 fez tratamento com um psicoterapeuta e ganhou peso, mas no ano seguinte, teve uma parada cardíaca e morreu aos 32 anos.
  24. 24.  Isabelle Caro (12|09|82 - 17|11|10): modelo e atriz francesa tornou-se conhecida na campanha No Anorexia, em 2007, da marca italiana No-li-ta, para alertar as mulheres do mundo inteiro, quanto ao perigo das mulheres se sujeitem a dietas demasiado radicais.  A Espanha deu o primeiro passo para terminar o abuso contra as mulheres. A Semana de Moda de Madri proibiu modelos com índice de massa corporal (IMC) inferior a 18 kg/m² de desfilar nas suas passarelas.
  25. 25. Anorexia Nervosa + Álcool O álcool ingerido com o estômago vazio facilita sua absorção. Atuando sobre o SNC o álcool age primariamente como um agente euforizante (produz depressão nos mecanismos inibitórios de controle), todavia, dependendo da quantidade ingerida torna-se um depressor (reduz a ansiedade, causa sedação, produz ataxia e torna a fala pastosa em toxicidade aguda).
  26. 26. Passo 1) Cultive vergonha / auto-desgosto Passo 2) distorcem a sua imagem corporal Etapa 3) compulsão!
  27. 27. Passo 4) Purga! Passo 5) Casa vomitando
  28. 28. A morte causada pela anorexia é geralmente causada por um ataque cardíaco, devido à falta de potássio ou sódio. A lista de problemas causados pela anorexia também não é pequena: intestinos e rins danificados, anemia e osteoporose.
  29. 29.  Aventuras na História. ”Anorexia: A magreza já foi santa” In.: http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/anorexia-magreza-ja- foi-santa-435103.shtml  MORGAN, Christina M; VECCHIATTI, Ilka Ramalho e NEGRAO, André Brooking. Etiologia dos transtornos alimentares: aspectos biológicos, psicológicos e sócio-culturais. Rev. Bras. Psiquiatr.[online]. 2002, vol.24, suppl.3, pp. 18-23. ISSN 1516-4446.  APPOLINARIO, Jose C e BACALTCHUK, Josue. Tratamento farmacológico dos transtornos alimentares. Rev. Bras. Psiquiatr.[online]. 2002, vol.24, suppl.3, pp. 54-59. ISSN 1516-4446.  APPOLINARIO, José Carlos e CLAUDINO, Angélica M. Transtornos alimentares. Rev. Bras. Psiquiatr. [online]. 2000, vol.22, suppl.2, pp. 28-31. ISSN 1516-4446. 

×