Metodologia Catequética                                                                    Autoria de ir. Mary Donzellini,...
Metodologia Catequética                                                                   Autoria de ir. Mary Donzellini, ...
Metodologia Catequética                                                           Autoria de ir. Mary Donzellini, mjc     ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Comunicacao na Catequese

1.564 visualizações

Publicada em

Metodologia Catequética Autora: Irmã Mary Donzellini MJC http://marydonzellinimjc.blogspot.com

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.564
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
48
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Comunicacao na Catequese

  1. 1. Metodologia Catequética Autoria de ir. Mary Donzellini, mjc http://marydonzellinimjc.blogspot.com/ A COMUNICAÇÃO NA CATEQUESE Será que neste momento pensamos que estamos respirando? A respiração é um me-canismo que assimilamos de tal forma que nem perguntamos como o estamos fazendo.Somos conscientes deste processo só quando algo não vai bem. Com a comunicação acontece algo parecido, pois ela é um desses comportamentos querealizamos sempre e que nem nos damos conta. Quando falamos de comunicação pensamos imediatamente nos meios de comunicaçãosocial (televisão, rádio, jornal, cinema...). Para a catequese, contudo, interessa considerartambém a comunicação a partir de nós mesmos como catequistas, comunicadores, agentesdas relações humanas. Todo o nosso ser é comunicação e não só aquilo que falamos. Comunicar no grupo Somos seres sociais. Nós nos realizamos em relação com os outros, nos diversosgrupos: família, amigos, trabalho, comunidade eclesial e outros. Na vida em grupo não épossível não se comunicar: são novas ideias, comportamentos, atitudes, valores, sentimen-tos, afetividade e aprendizagem. Somos o resultado destas interações. Graças à comunicação entre os membros do grupo, há um constante intercâmbio demensagens, tais como: informações, formas de comportamento e práticas culturais. No grupo da catequese, os membros devem buscar caminhos de expressão e detransmissão da fé e da vivência com Deus. A comunicação deve favorecer este diálogo entre os componentes do grupo. Quan- dohá falha na comunicação é difícil que as mensagens sejam transmitidas* de forma adequada. Há elementos externos que ajudam a melhorar a nossa comunicação:1- cuidar da disposição física dos participantes: todos devem ser vistos quando falam para facilitar a participação de todos;2- cuidar do ambiente: alguns cartazes, obje-tos, flores e a boa colocação dos móveis tornam agradável a participação;3- usar técnicas simples que estimulem a comunicação: lançar perguntas para que o grupo responda. Fazer perguntas que permitam respostas abertas, que não possibilitem respostas com um sim ou com um não. Usar sempre nas perguntas: por quê? - como? - o que você pensa? Ruídos A comunicação nem sempre é fácil. Surgem dificuldades que chamamos de ruídos. Quando desejamos ouvir o rádio, em primeiro lugar, procuramos sintonizar a estaçãodesejada. Às vezes, por causa de defeito do aparelho, captamos com dificuldade aquilo que dese-jamos. Quando ouvimos um ruído diferente, dizemos: "a estação não está bem sintonizada".É importante que o emissor e o receptor estejam em sintonia. Só assim é possível escutarcom nitidez o que o rádio transmite. No grupo catequético pode suceder algo parecido. O animador deve sintonizar comseus destinatários para que a comunicação seja efetiva. Porém, pode haver ruídos quedificultam essa comunicação: diferença de idade e de linguagem, ambiente cultural, social eexperiências diferentes, situações pessoais, dificuldades de expressar o que queremos,bloqueio emocional, ambiente desfavorável, falta de testemunho e recursos mal utilizados. Quando comunicamos algo é necessário pensar na situação em que está o destinatário.
  2. 2. Metodologia Catequética Autoria de ir. Mary Donzellini, mjc http://marydonzellinimjc.blogspot.com/ Muitos ruídos não podem ser evitados. Mas quando estamos conscientes deles, épossível reduzir sua incidência no processo comunicativo.Atentos a toda espécie de comunicação Nós não escutamos apenas as palavras que estão sendo ditas. Escutamos também oque dizem os gestos, o tom de voz do receptor das mensagens, os silêncios, e outros. Embora a linguagem verbal seja a fonte de informação é importante que o catequistapreste atenção às diversas mensagens que aparecem no grupo. A função do catequista é fundamental no grupo. Ele anima, coordena, propõe, guia,provoca e ensina. Os catequizandos também participam desta mesma função, mesmo quandonão estão falando. Todos são sujeitos da história e da vida do grupo e se sentem parte ativa nocrescimento do grupo e de cada um dos participantes. Comunicar a própria experiência de fé é a primeira forma de evangelizar. Comunicar éanunciar o que temos. As vezes, não temos palavras adequadas para explicar as experiênciasmais profundas da vida cristã. Certas situações difíceis, contrárias à mensagem cristã, nosbloqueiam e nos tiram a paz. Porém, quando vivemos a fé com simplicidade de coração eabandono nas mãos de Deus, a comunicação se torna mais autêntica.A Comunicação da Palavra de Deus A comunicação no grupo não acontece somente entre os membros. É preciso abrir es-paços para que Deus também se comunique. Ele deve ser "O Participante" do grupo que nosfala. Em momentos de oração e de escuta da Palavra, temos mais possibilidade de deixarouvir a sua voz. "Toda Bíblia é comunicação de um Deus amor, de um Deus irmão. E feliz quem crê na Revelação, quem tem Deus no coração". Esta canção é conhecida em todo Brasil. Ela diz, com outras palavras, que Jesus seinculturou, assumindo os nossos valores humanos, o nosso jeito de viver. Isto constatamosem cada texto do Evangelho. A Igreja nasce no momento em que os seguidores de Jesus, impulsionados pelo Es-pírito Santo, saem proclamando as maravilhas de Deus de acordo com a língua de cada umdos ouvintes (At 2,2-13). A catequese é um ato eclesial de comunicação e de fé. Simples, sincero e profundo noqual os catequistas propõem aos catequizandos a pessoa e o seguimento a Jesus Cristo. SUGESTÕES PARA UMA BOA COMUNICAÇÃO IMA CATEQUESE  Lembrar que as pessoas são diferentes umas das ou trás e, por isso, a interpretação também acontece de forma diferente.  Desejar sempre escutar o outro. Escutar não é sinónimo de ouvir. Podemos estar ouvindo uma pessoa e, entretanto, não estar escutando nada daquilo que a pessoa diz. O ouvir é uma forma natural, externa, espontânea e automática. Não requer nenhum esforço. O escutar implica uma decisão, um interesse, uma
  3. 3. Metodologia Catequética Autoria de ir. Mary Donzellini, mjc http://marydonzellinimjc.blogspot.com/ opção e, portanto, uma renúncia em deixar de lado o que estamos fazendo ou pensando para ficar atentos ao irmão.TRABALHO EM GRUPO1. Fazer um esquema que resuma os elementos fundamentais que devem estar presentes numa boa comunicação.2. Levantar os maiores obstáculos para uma boa comunicação. Como poderão ser evitados?3. Acreditamos que a nossa linguagem chega, sem ruídos, aos catequizandos? Autoria de ir. Mary Donzellini, mjc Publicado na Revista ECOando – Ed. Paulus Seção - Formação Metodológica – p. 20-21 Ano 1 – n. 2 (junho – agosto de 2003)

×