A ascensão da economia colaborativa e a redefinição dos processos                            corporativosUma comparação an...
“Quando voltarmos a enxergar o relacionamento interpessoal como parte inerente à felicidade  humana, iremos entender que a...
A ascensão da economia colaborativa ou economia do compartilhamento trouxesignificativas mudanças nos processos internos d...
você acaba optando por um Ford Focus, porém, não quer arcar com os custos adicionais depossuir um veículo e muito menos de...
para a venda do Ford Focus, porém preocupou-se em criar um espaço on line que agrupassepessoas interessadas em alugar seus...
Nesse tópico, iremos analisar duas empresas situadas no mercado financeiro, uma cominclinação ao conceito P2P e outra aos ...
A importância da construção do capital social como principal fonte de diferenciação ealcance de vantagem competitiva      ...
Comentário sobre a host Trevite, que aluga o que ela chama de: Spacious 1 BR Close to Central Park         O preço cobrado...
experiência com um morador da região e não uma mera experiência turística, e no final dascontas o contato foi realmente hu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A ascensão da economia colaborativa e a redefinição nos processos corporativos

417 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
417
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A ascensão da economia colaborativa e a redefinição nos processos corporativos

  1. 1. A ascensão da economia colaborativa e a redefinição dos processos corporativosUma comparação analítica entre empresas tradicionais e empresas P2P. Martin Draghi 20 de Setembro de 2012
  2. 2. “Quando voltarmos a enxergar o relacionamento interpessoal como parte inerente à felicidade humana, iremos entender que a colaboração é a base para obtermos uma qualidade de vida melhor, baseada plenamente na sustentabilidade interna e externa” Martin Draghi
  3. 3. A ascensão da economia colaborativa ou economia do compartilhamento trouxesignificativas mudanças nos processos internos das empresas que estão situados no mercadoP2P. As principais características inerentes a esses mercados são a redefinição dorelacionamento empresarial junto a seu público alvo; o empoderamento dos consumidores naconstrução e manutenção dos serviços/produtos e a importância da construção do capitalsocial (entre os próprios usuários da plataforma) como principal fonte de diferenciação ealcance de vantagem competitiva. Como forma de aumentar o entendimento sobre os temasapresentados acima, buscou-se analisar de forma detalhada cada um deles e compararexemplos de empresas situadas no mercado P2P com as empresas “tradicionais”.Redefinição do relacionamento empresarial (P2P) Nota-se que a principal diferença entre as empresas tradicionais e as plataformas P2Pé a maneira como se dá o relacionamento destas junto a seus consumidores. Se no modelo“tradicional” as empresas atuam como intermediários ativos na produção, divulgação ecomercialização de produtos, nas plataformas P2P ocorre a redefinição do papel da empresacomo intermediária passiva, ou seja, o core business da empresa é construir um espaço on-line que aglomere pessoas que tenham interesses comuns em transações comerciais e atuarcomo ponto central de validação dessas interações no mundo off-line. Para aclarar os pontos apresentados acima iremos comparar duas empresas, umasituada no mercado “tradicional” de comercialização de carros e outra situada no mercadoP2P. Imagine que você está buscando comprar um carro da marca Ford. Provavelmente, seuprimeiro contato com as opções de compra será através da Internet e mídia impressa.Influenciado pelos comentários positivos dos seus amigos sobre determinado carro você acabaselecionando o Ford Focus como desejo de consumo. Uma vez estudada as melhores formasde pagamento do carro e com dinheiro no bolso você se desloca até uma distribuidora damarca, interage junto ao vendedor que lhe apresenta os benefícios do carro e paga a bagatelade R$45.000 para ser o mais novo proprietário de um Ford Focus zero quilômetro. Esse é omodelo tradicional de compra de carros, onde através da publicidade, da produção e doscanais de distribuição da Ford você teve toda a facilidade para conseguir concluir a compra. Agora, peguemos como exemplo uma plataforma P2P de carros, o Relay Rides. Apósler vários comentários na Internet sobre qual carro seria o melhor para suas necessidades,
  4. 4. você acaba optando por um Ford Focus, porém, não quer arcar com os custos adicionais depossuir um veículo e muito menos desembolsar R$45.000 para ser mais um proprietário de umveículo que possivelmente será utilizado menos de 5 horas por dia. Pensando em todos os contras de possuir um carro e ao mesmo tempo tendo certapreocupação com o atraso que o transporte público poderia trazer para seus horários do dia adia, você opta por acessar o Relay Rides e buscar algum proprietário que esteja interessado emalugar seu Ford Focus por algumas horas por dia por 8 dólares a hora* (valor retirado do siteRelayRides). Você faz sua reserva, encontra o proprietário e em poucas horas já tem acesso aoseu Ford Focus. Analisemos o comportamento do consumidor e seu relacionamento junto as empresaspara preencher a necessidade que lhe interessava. Em relação ao consumidor que optou por comprar o Ford Focus, nota-se queprimordialmente o canal de distribuição foi viabilizado pela própria Ford, através de umadistribuidora dos carros da marca. Toda a relação e interação do consumidor junto a marca atéo momento da compra foi feita através dos esforços de propaganda e marketing da Ford,afirmando o conceito apresentado acima de intermediário ativo, no qual a empresa mediugrandes esforços de construção de infra estrutura, canais de distribuição e publicidade paraviabilizar a venda de um de seus carros. Vale ressaltar, que embora exista a preocupação decriar uma comunicação humanizada para concretizar a venda dos automóveis Ford, aspropagandas são feitas no conceito broadcast, ou seja, de forma a impactar milhões depotenciais compradores, o que por si só já descaracteriza a possibilidade de um contatorealmente humano e individual junto ao consumidor. Analisemos agora o consumidor que optou por utilizar o Relay Rides. A primeiracaracterística dos sistemas P2P é que diferentemente do caso relatado acima, o principal canalde distribuição do Ford Focus é outra pessoa e não o Relay Rides. Esse ponto afirma que nosmercados P2P, devido a interação ser individual, existe um contato realmente humano, umavez que a negociação é feita diretamente com outra pessoa e não com uma companhia quetenta através de mecanismos de publicidade e propaganda humanizar uma marca. Esse ponto é fundamental para diferenciar a experiência do usuário das empresastradicionais das empresas baseadas no sistema P2P. Nesse sentido, fica claro o conceito de intermediário passivo por parte do Relay Rides.A empresa não criou nenhum tipo de propaganda sobre o carro ou uma infraestrutura física
  5. 5. para a venda do Ford Focus, porém preocupou-se em criar um espaço on line que agrupassepessoas interessadas em alugar seus veículos e pessoas com interesse em apenas ter o acessoa automóveis quando e onde fosse necessário. O preço do aluguel do veículo, suadisponibilidade na semana e os horários no qual o Ford Focus poderia ser alugado por outrapessoa são definidos única e exclusivamente pelo dono do carro. Essa é a premissa básica dossistemas P2P, unir pessoas físicas para que tenham acesso ilimitado a produtos a qualquerhora ou dia da semana. O acesso tendo maior privilégio do que a posse. Com isso, pode-se enxergar claramente um impacto em todos os 4P´s do marketing.Preço - Estabelecido pelo próprio dono do carro e não mais pela empresa que desenvolve oproduto e/ou serviçoPraça - O conceito de canais de distribuição sofre uma tremenda mudança. Os antigos “canaisde distribuição” são vistos como pessoas nas plataformas P2P.Produto – Uma vez que nos sistemas P2P o acesso tem maior importância do que a posse, oconceito de produto esvazia-se e torna-se um serviço extremamente personalizado asnecessidades do consumidor.Promoção – A promoção é realizada em parte pelas empresas que desenvolvem os produtos eserviços e potencializada pelas plataformas P2P, nesse caso o Relay Rides. O boca a bocatorna-se a principal forma de divulgação do Relay Rides e seus custos de comunicação sãosignificativamente menores do que as empresas tradicionais. Esse cenário será modificadoquando o número de plataformas P2P de compartilhamento de carros aumentarem,consequentemente aumentando a concorrência no mercado P2P, impactando num aumentodos custos de comunicação.O empoderamento dos consumidores na construção e manutenção dos serviços/produtos Levando em consideração que o sucesso das plataformas P2P depende do nível deinteração entre seus usuários, pode-se afirmar que o sucesso da empresa está intimamenteligado ao deslocamento de poder da empresa para seus usuários. Deve-se aclarar que apalavra poder no sentido em que é empregada no texto tem relação com a determinação dopreço dos produtos pelo próprio usuário e a possibilidade de definir como e quando será feitaa transação.
  6. 6. Nesse tópico, iremos analisar duas empresas situadas no mercado financeiro, uma cominclinação ao conceito P2P e outra aos modelos tradicionais de transação. Imaginemos que você deseja pedir um empréstimo ao Santander, pois tem o desejo derealizar uma reforma em sua casa, porém, não possui os recursos financeiros completos pararealizar tal obra. Dependendo do prazo de devolução do empréstimo solicitado junto ao bancohaverá uma variação na taxa de juros cobrada para tal transação. Porém, quem decide qualserá a taxa de juros relacionada ao empréstimo é o próprio banco, o consumidor não tem forteinfluência para barganhar juros menores para realizar a reforma em sua casa. Dessa maneira, ovalor dos juros é imposto sobre o consumidor, que dependendo de sua vontade é realizado ounão, é dessa forma que a grande maioria dos modelos situados em mercados tradicionaistrabalha. Analisemos agora a opção de empréstimos via P2P. A plataforma existente chame-seZOPA e possui um sistema de empréstimos muito interessante. Imagine que ao invés derecorrer ao Santander, você decidiu buscar seu empréstimo no ZOPA, você abre uma conta naplataforma e anuncia o montante de dinheiro que está precisando para realizar sua tãoesperada obra. Nesse momento, a sua proposta de empréstimo é aberta para possíveispessoas que tenham interesse no financiamento de seu empréstimo. Os interessados lançamuma proposta de taxa de juros como se fosse um leilão e o financiador que oferecer a menortaxa de juros é quem sai como o vencedor, ou seja, irá fornecer o montante necessário pararealização de sua reforma. Nota-se que tanto o montante do empréstimo como a definição dataxa de juros é escolhida única e exclusivamente pelos usuários da plataforma, o que acabasendo o principal ponto de sobrevivência do ZOPA, o poder de definição de valores de troca érealizado e viabilizado através das interações do conceito P2P, atuando apenas como umintermediário passivo, e propiciando um espaço onde essas interações possam ser validadas. Embora a primeira vista muitas pessoas achem que esse tipo de mecanismo nãofuncione, o ZOPA apresenta uma taxa infinitamente menor de inadimplência do que os bancostradicionais, possuindo uma taxa de 0,65% em comparação com os 10% dos bancos**(Dados relacionados a economia Inglesa).
  7. 7. A importância da construção do capital social como principal fonte de diferenciação ealcance de vantagem competitiva Como já mencionado acima, um dos principais pontos que diferenciam as plataformasP2P é a humanização das relações de troca através da aproximação física de seus usuários.Embora muitas empresas tentem através das ferramentas de comunicação humanizar suasmarcas, existe uma clara dificuldade de criar um relacionamento realmente humano entre osconsumidores. Essa dificuldade apresenta-se, pois muitas vezes os benefícios emocionaisevocados pelas marcas estão em última instância ligados a comercialização de produtos eserviços, enxergando a relação das emoções positivas junto as marcas como um meio paraalcançar um fim (a conclusão da venda). No caso das plataformas P2P, quanto maior for a interação – inicialmente on-line eposteriormente off-line – de seus usuários, maior será o sucesso da plataforma, pois asobrevivência de tais plataformas dependem única e exclusivamente do nível de interaçãoentre seus consumidores. Nesse sentido, pode-se afirmar que uma plataforma P2P que tenhabaixa interação entre seus usuários não possui vantagem competitiva frente a seusconcorrentes. Para validar as afirmações acima iremos buscar analisar duas empresas situadas nomercado hoteleiro, uma com foco na construção do capital social (P2P) e outra no modelotradicional do ramo da hotelaria. Imagine que você irá viajar para Nova York e está querendo ficar em um Sheraton daregião de Manhattan, você pode fazer sua reserva tanto de forma on-line, como através deuma ligação para o hotel. Após realizar todo o tramite financeiro envolvido na operação vocêpode ficar no quarto do Sheraton que reservou e conhecer os principais pontos turísticos dacidade. Agora, imagine a mesma situação. Porém, ao invés de buscar uma rede convencionalno ramo de hotelaria você entra no site do AirBnB e procura algum apartamento que tenha umquarto para alugar pelo seu tempo de estadia. Através do site você pode visualizar oscomentários de pessoas que já ficaram nos quartos cadastrados e ter um breve conhecimentosobre como essa pessoa é como anfitriã, para esclarecer um pouco esse cenário segue a fotoabaixo de um quarto em Manhattan com os comentários sobre a host.
  8. 8. Comentário sobre a host Trevite, que aluga o que ela chama de: Spacious 1 BR Close to Central Park O preço cobrado pela proprietária da casa é de apenas R$80,00 por dia. Além de pagaruma diária mais barata do que possivelmente seria em um hotel conhecido no ramo deestadias como é o caso do Sheraton, os viajantes tem uma experiência totalmente diferentehospedando-se na casa de alguém que mora na localidade. Ao hospedar-se em um quarto onde a proprietária é uma residente do local, elacertamente te dará dicas melhores do que os tradicionais passeios turísticos oferecidos noconceito broadcast para todos os usuários que se hospedam na rede hoteleira convencional.O viajante terá uma experiência junto a alguém que conhece as particularidades de NY comonenhum outro passeio turístico possa fazer. Outro ponto importante é que possivelmente ahost irá te apresentar bares e pontos que talvez não fossem frequentados caso você sehospedasse em um hotel da região, o que acaba aquecendo a economia regional eprincipalmente pequenos empreendedores locais ou invés de abastecer empresasmultinacionais que se beneficiam com o turismo relacionado ao conceito broadcast ou turismovia agências de viagem. Fica clara que a experiência torna-se única, e é benéfica para os dois lados. Por umlado a proprietária ganha um dinheiro extra e pelo outro você tem a possibilidade de ter uma
  9. 9. experiência com um morador da região e não uma mera experiência turística, e no final dascontas o contato foi realmente humano, pois, quem aluga o quarto é realmente uma pessoacom uma história e não um ramo hoteleiro sem face e sem emoção.

×