Curso pentecostes

554 visualizações

Publicada em

Curso Pentecoste

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
554
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
43
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Curso pentecostes

  1. 1. CONTEÚDO I. VISIÃO PANORÂMICA DO CURSO 1. Objetivo 2. Enfoque 3. Pedagogía 4. Síntese Conceitual e Mapa Panorâmico II. TEMARIO DO CURSO Apresentação 1. A Revelação de Deus 2. Evangelizando com grande poder 3. Tres DEGRAUS A. KErygma B. KArisma C. KOinonía 4. Três gasolinas Laboratório Conclusão III. RESUMO LOGÍSTICO DO CURSO 1. Calendario do Curso 2. Material para o Curso IV. ANEXOS DO CURSO 1. Tres gasolinas 2. Novo Pentecostes para a Nova Evangelização
  2. 2. I. VISÃO PANORÁMICA II. 1. OBJETIVO Mostrar os diferentes elementos para evangelizar com poder; e a inter-relação entre eles. 2. ENFOQUE Experimentar o que aqui se expõe, para sermos testemunhas, e não simples repetidores. 3. METODOLOGIA Consultam- se os livros “Evangelizando com poder” de Prado Flores José H., e “ O Poder de Deus” de Tardif, Cantalamessa e Prado Flores. A analogía da água e o fogo podem se dividir em duas partes. 4. SÍNTESE CONCEITUAL E MAPA PANORÂMICO Apresentação: Chamados a evangelizar com grande poder. 1. Deus, para salvar a todos os homens, se revelou na Historia da Salvação por meio de: · Acontecimentos salvíficos. · Palavras dos profetas e escritores sagrados. · Íntimamente conexos entre si, convertendo-se em SINAIS, cheios de mensagens. Jesus é a plenitude da revelação. 2. Condições para evangelizar com grande poder · Como fez Jesus, a partir do Jordão. · Como fez a Igreja primitiva, a partir do vento impetuoso de Pentecostes. · O Novo Pentecostes é para a Nova evangelização. 3. Três engrenagens da escalada da Nova Evangelização (Como) · O poder da Palavra através do KErygma. · O poder dos KArismas. · O poder do amor na KOinonía, como fermento para transformar o mundo. 4. Três gasolinas (tipos) do evangelizador · Zelo pela evangelização. · A paixão pelo Evangelho. · A obsessão por Jesus. Laboratorio: Encher o tanque de gasolina.  Explorar o Mapa Panorâmico da página seguinte. 2
  3. 3. PENTECOSTES A IGREJA VAI FRACASSAR SE NÃO TIVER GRANDE PODER PARA EVANGELIZAR 3
  4. 4. II. TEMARIO DO CURSO APRESENTAÇÃO Analogia: Representa-se de forma dramática, familiar e alegre. A água do Espírito Santo Primeira parte: Uma jovem se queixava com seu pai: Não posso compreender quem é e que faz o Espírito Santo e, depois, é muito difícil relacionar-me com Ele. Seu pai a levou à cozinha. Ali tomou três panelas com água e as colocou no fogo. Quando a água estava fervendo, colocou um ovo; em outra colocou uma batata e na última colocou pó de café. Sem dizer uma palavra, só olhava e sorria para sua filha, a qual estava desconcertada por não receber resposta alguma de seu pai.. Segunda parte: Depois de 20 minutos, o pai apagou o fogo. Tirou os ovos e os colocou num recipiente. Tirou a batata e a colocou em um prato. Finalmente, colocou o café Numa xícara. Olhando para sua filha, lhe disse: Minha filha, o que vês? Um ovo, uma batata e uma xícara com café, foi sua seca resposta. Colocando sua mão direita no ombro de sua filha, lhe disse: O Espírito Santo é como está água que transformou estes três elementos: o A batata chegou dura; mas depois de passar pela água fervendo, se tornou mole e fácil de desmanchar o o O ovo entrou frágil, mas depois de estar na água fervendo, se fortaleceu. o Os grãos de café exalaram um fresco e agradável aroma por toda a casa, por ação da água fervente. A jovem levantou os olhos, em sinal que não entendera nada. Seu pai, então, acrescentou: - Teu coração está duro como essa batata? Então precisas do amor misericordioso do Espírito Santo, que te abranda e te faz misericordiosa contigo e com os demais. - Tua mente está frágil como o ovo, e podes te quebrar ante qualquer adversidade? Necessitas que o Espírito te robusteça com o Poder do Alto. - Entretanto o mais importante é que a água do Espírito Santo faça sair de dentro de ti o suave odor de Cristo Jesus, para que te identifiques com Ele; sua maneira de pensar e de viver. Todos precisam de alguma forma, da Pessoa do Espírito Santo. Em qual panela gostarias de estar agora mesmo? Apresentação 4
  5. 5. b. Motivação e Objetivo do Curso Este Curso “Pentecostes” será nosso Aposento Alto, donde receberemos a força que necessitamos para evangelizar com poder, ou melhor, com grande poder. c. Conteúdo do Curso · Vamos considerar primeiramente a forma como Deus se revela e salva na Historia da Salvação. · Depois veremos a fonte da evangelização: o Jesus tem uma experiência do amor incondicional de Deus no Jordão. o Os Apóstolos sobem ao Aposento Alto para ser revestidos do poder do alto. · Na parte central estudaremos as três engrenagens que nos levam ao Aposento Alto; que são os mesmos para descer à praça para converter as três mil pessoas. · Ao final, veremos as três gasolinas das quais dispomos para evangelizar. · Finalmente entraremos num Laboratório para experimentar o que aprendemos, e que é o ponto de partida para por em prática. d. Justificativa do título do Curso: Pentecostes Este Curso se chama Pentecostes, porque o que aconteceu no Aposento Alto naquela manhã, e que culminou na praça da cidade com a conversão de 3000 pessoas,  É A Fonte A Evangelização De Todos Os Tempos.  Sem Pentecostes não há evangelização. assim como não há evangelização sem Pentecostes. Este Curso vai nos levar ao Aposento Alto, para em seguida descer dele, para evangelizar com Pedro e como Pedro, Com Grande Poder. Pentecostes é para evangelizar, evangelizar com poder, com grande poder. Este Curso se chama “Pentecostes”, porque a força da evangelização na Igreja parte da experiência pneumática, tanto de Jesus no Jordão como dos Apóstolos no Cenáculo. Existe uma unidade indivisível entre Pentecostes e Evangelização. Ñ RECURSO DIDÁTICO: Moeda de duas caras Motivação: Pentecostes e evangelização são como as duas caras da mesma moeda. Procedimento:  Cartolina circular: De um lado se escreve: “Não há Pentecostes sem evangelização”. Do outro lado: “Não há evangelização sem Pentecostes”. ) Ensino: Sempre estão unidos. ? Pergunta para partilhar Em qual recipiente crês que queres estar? Partilham alguns participantes. E a Igreja, o que é que mais precisa? Apresentação 5
  6. 6. e. Resumo e Aplicação: Hoje estamos vivendo um Novo Pentecostes, que não é para ficarmos no Aposento Alto, mas para descermos e dar testemunho da morte e ressurreição de Cristo Jesus. È para os que crêem na Promessa de Jesus, que afirmou que faríamos coisas maiores que Ele mesmo (Jo. 14, 12), mas que sentem que lhes falta algo em seu ministério de evangelização. Essa oportunidade é hoje! Este Curso melhor se deve chamar “oficina”, porque deve ser muito prático. Não é para aprender, mas para experimentar, ou melhor, aprendermos experimentando. Vamos subir ao Aposento Alto, ao Cenáculo; para depois, com o poder do Espírito Santo, descer a pregar com grande poder.  A Igreja (eu, tu) jamais fracassará (fracassarei, fracassarás) por causa da Mensagem que transmite (transmito, transmites), mas pela falta de poder para anunciar.  Contraste: Primavera da evangelização e fracassos no mundo. O Papa João Paulo II afirmou que estamos na primavera da evangelização, mas ao mesmo tempo reconhece que a missão confiada por Deus à Igreja está longe de ser cumprida. Redemptoris Missio 1. Magisterio da Igreja A Europa se descristianiza; Os templos católicos se convertem em salas de arte, e aos domingos, apenas umas poucas anciãs assistem a Missa. O Islã cresce na Ásia e no Norte de África. Os católicos de América latina migram para as igrejas evangélicas e novos grupos religiosos surgem por toda parte. Sente-se a ausência dos jovens. ? Desafio para refletir: Estamos evangelizando com o poder do Espírito ou estamos fazendo as coisas do nosso modo humano? Desafio Conceitual Por que Pedro com um discurso converteu 3000 pessoas, e nós com 3000 discursos não convertemos ninguém? f. Encerramento motivador e alusão à Analogia inicial. O terceiro milênio nos oferece um desafio e uma oportunidade: Voltar às fontes da evangelização, para evangelizar como faziam nossos irmãos da Igreja primitiva, que foram capazes de transpassar fronteiras, converter povos inteiros e mudar as estruturas de pecado daquelas culturas. Não somos chamados a evangelizar, mas a evangelizar com grande poder, um poder que está a nossa disposição,  mas que talvez não o usemos.   Se quisermos continuar obtendo os mesmos resultados, já estamos fazendo o que tínhamos que fazer para obtê-los.  Porém se esperamos novos resultados, algo tem que mudar. 6 Apresentação
  7. 7. Os que já têm suficiente poder em seu trabalho evangelizador, não necessitam deste Curso. Se nós estamos satisfeitos com os frutos de nossa pesca, “proibido trocar” Mas se não temos obtido o que esperávamos,  este Curso é a resposta.  Aqui está a Água Viva que representa o Espírito Santo. De nós depende mergulharmos nele, para ser transformados em testemunhas com poder.  Evangelizamos (evangelizo, evangelizas) com poder, se fomos (eu fui, fostes) evangelizado(s) com poder!  Porque assim seremos testemunhas e não simples repetidores. Que se rasguem os céus! Que venha o vento impetuoso! Que caia o fogo para que nos incendiar possamos incendiar aos demais! Que este Curso se converta em um Cenáculo onde esperemos ser revestidos do poder, o dínamo (força) de Deus!  ATIVIDADE TERMOMETRO: Pet ról eo Objetivo: Descobrir o nível cultural dos participantes. Motivação: Até a alguns anos atrás, o Estado de Alberta era o mais pobre do Canadá e tinha que receber subsídios do governo Central para suprir suas necessidades. Mas um dia descobriram Petróleo no subsolo dessa região e se converteu no Estado mais rico do Canadá. Caminhavam sobre um mar de petróleo, mas não sabiam e viviam como pobres. ? Desafío para refletir Nós temos o poder do Espírito, mas: Sabemos disto? Sabemos Usa-lo? e aproveita-lo?  Procedimento: ? Pregunta para responder Qual é “o petróleo” da Igreja; quer dizer, seu segredo ou poder para evangelizar? Cada participante dá uma resposta, mas ninguém pode repetir o que o outro já disse. Apresentação 7
  8. 8. 1 REVELAÇÃO DE DEUS 1. O B J E T I V O Perceber como Deus se revela na História da Salvação 2. I D E I A C H A V E Evangelizar é tornar presente e operante o Deus revelado na Historia da Salvação. 3. M E T O D O L O G I A a. Enfoque Ver a complementação entre Atos e Palavras na Historia da Salvação. b. Didática e Pedagogía Se usam constantemente as duas mãos abertas. c. Tempo 60 minutos. 4. D E S E N V O L V I M E N T O D O E N S I N O A . I NTROD UÇ ÃO a. Evocação · Os homens recordam a Palavra mais importante que receberam da parte de Deus. · As mulheres lembrem um Acontecimento onde experimentaram a salvação, o amor ou a fidelidade de Deus. Alguns partilham brevemente, começando: “Eu me lembro...”. b. Apresentação e localização do tema A evangelização torna presente, com todo seu poder, o Deus revelado na historia. Por isso, é necessário ter uma visão panorâmica da Historia da Salvação, incluindo o momento presente. c. Objetivo do tema e motivação A Igreja do séculos passado, olhando dentro de si mesma, onde habita o Espírito Santo, e diante do espelho do Evangelho, quis expressar sua identidade, vocação e missão no mundo. Assim, nasceram 16 Documentos do Concilio Vaticano II; 4 dos quais - os mais importantes chamam-se Constituições Dogmáticas. 1. Revelação de Deus 8
  9. 9. Hoje, vamos considerar um destes últimos, que trata de um dos temas capitais da Historia da Salvação: A Revelação de Deus; a Constituição Dogmática “Dei Verbum”. Veremos como Deus se revela na historia e na vida dos homens. B . CORPO DO ENS I NO Pode-se afirmar que a Historia da Salvação se identifica tanto com o processo de salvação no tempo e no espaço como  o processo de revelação de Deus a humanidade.  a. Deus é amor e se revela de dois formas: Acontecimentos Palavras “Deus se revela a si mesmo com Acontecimentos e Palavras intrinsecamente conexos entre si”. Dei Verbum 2. Magisterio da Igreja 1º: Acontecimentos salvíficos que mostram diversos aspectos de Deus · Acontecimentos salvíficos que mostram seu poder: A criação. No Gênesis, Deus pronuncia uma palavra poderosa e eficaz: “Faça-se a luz”. Deus, com o poder de sua Palavra, cria as coisas. · Acontecimentos salvificos que mostram sua fidelidade: Historia de Israel. Parte do amor de Deus: Não é porque sois mais numerosos que todos os outros povos que o Senhor se uniu a vós e vos escolheu; ao contrário, sois o menor de todos. Mas o Senhor ama-vos e quer guardar o juramento que fez a vossos pais. Por isso a sua mão poderosa tirou-vos da casa da servidão, e livrou-vos do poder do faraó, rei do Egito....: Dt 7, 7-8. Deus escolhe um povo como seu povo e será fiel a seu compromisso, apesar das infidelidades de Israel, pois a misericórdia divina se agiganta frente a infidelidade de seu povo. · Acontecimentos salvíficos que mostram seu mistério: As teomanias ou manifestações de Deus. “Mais além do deserto” Moisés encontra a sarça ardente, onde Deus se revela com o misterioso Nome:  Eu Sou Aquele Que Sou.  ? Pergunta para partilhar Qual é a teomania mais significativa em tua historia de salvação? · Acontecimentos salvificos que mostram seu amor: Encarnação. Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.; E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória, a glória que o Filho único recebe do seu Pai, cheio de graça e de verdade.: (Jo. 3, 16; 1, 14). Através destes Acontecimentos, vamos conhecendo diversas facetas do único Deus: Seu poder, sua fidelidade e seu amor. Os acontecimentos em si tem uma força inigualável, porque quando é impossível expressar com a limitada linguagem humana uma realidade que nos ultrapassa, o Ato é mais eloqüente. 2º: Palavras proféticas que descobrem o sentido da Historia da Salvação. Deus, através da Palavra dos profetas, revela o sentido da Historia; admoesta, dirige e ilumina seu povo. 1. Revelacão de Deus 9
  10. 10.  Esta Palavra explica os Acontecimentos no contexto do plano de Deus.  Exemplo: O desterro da Babilônia e a queda de Jerusalém sem a iluminação dos profetas seria um acontecimento vergonhoso e humilhante. · As vezes o Acontecimento aparece antes e a Palavra o ilumina, explica, dá sentido ao Ato e o leva a sua plenitude de significado, integrando-o dentro de todo o Plano de Salvação. Exemplo O significado do cordeiro pascal, a passagem do Mar Vermelho, a rocha do deserto, o maná, que são símbolos iluminados, graças a Palavra de Deus. ? Pregunta para partilhar Qual é a palavra ou passagem da Bíblia que mais toca teu coração e tua vida? · Às vezes a Palavra anuncia o Acontecimento. 3º: Palavras e Acontecimentos estão intimamente conexos entre si  Deus se revela em Atos e Palavras fundidos em uma só realidade.  Os Acontecimentos e Palavras ou Palavras e Acontecimentos constituem uma unidade indivisível, que inclusive seria difícil identificar a fronteira entre ambos. Ñ RECURSO DIDÁTICO: Mãos unidas Procedimento: A explicar que Deus se revela por distintos Acontecimentos, levanta-se a mão direita com os cinco dedos abertos. Ao explicar que se revela por Palavras, se levanta a outra mão com os dedos abertos. Ao explicar que estão intimamente conexos, se unem os dedos de ambas as mãos com força. Ensinamento: Se estão profundamente unidos, não se podem separar.  Deus se (me, te, nos) revela com Atos e Palavras intimamente conexos entre si.  Ñ Recurso Didáctico: Mãos unidas Ao dizermos que “Deus se nos revela”, se unem as mãos com as pessoas que estão a direita e esquerda, e se afirma: Atos e Palavras não se podem separar. Uma Palavra isolada, sem Acontecimento que a respalde, converte-se em propaganda, ou promoção de ilusões. Um Acontecimento sem Palavra que o ilumine e o situe dentro do plano da salvação, desvaloriza-se. Seria como um filme mudo, em preto e branco. Milagres e curas, sem o anuncio da vida e missão de Jesus, seria circo. 10 1. Revelação de Deus
  11. 11. Sem duvida, uma Palavra profética confirmada por seu cumprimento, ou um Acontecimento iluminado por uma Palavra, valoriza-se e  se converte em Sinal.  Ñ Recurso Didático: Três letreiros Colocam-se três letreiros para estabelecer uma fórmula matemática: Acontecimento + Palavra = Sinal. Esta união de Palavras e Acontecimentos, se transforma em um “semáforo” (semeion - fero, em grego: portador de; cheios de significado. Se vê uma coisa (a cor vermelha) e se entende outra . Neste caso, é portador de mensagem teológico, vês e escutas algo, mas entendes a mensagem essencial. Exemplo: Quando se vê um iceberg de gelo no oceano, só se percebe uma décima parte flutuando na superfície, mas se entende que há nove décimas partes ocultas debaixo da água. Ñ Recurso Didático: Semáforo Apresenta- se um semáforo que é iluminado com uma lâmpada (flash light) por trás.  Padre Raniero Cantalamessa O.F.M. No Congresso internacional de Fiuggi, Italia, en 1995, o pregador do Papa afirmou: “Alguns receberam a cura física com a oração do Padre Emiliano, mas todos receberam o sinal do amor misericordioso de Deus. As cura são para alguns. O sinal do amor amor de Deus é para cada todos.”. b. Jesus, Acontecimento mais importante e Palavra mais eloqüente “Muitas vezes e de diversos modos outrora falou Deus aos nossos pais pelos profetas., Mas quando veio a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, que nasceu de uma mulher e nasceu submetido a uma lei,: Hb 1, 1; Gal 4, 4. O Acontecimento mais importante da revelação de Deus: Enviar seu Filho, Jesus. A Palavra de Deus feita carne tem um nome e um perfil: Jesus de Nazaré. As Palavras que caminhavam por um canal e os Acontecimentos que caminhavam por outro, se conjugam nele de forma indissolúvel. Nele se unem de maneira perfeita a melodia da Palavra com a melodia dos Acontecimentos salvíficos, para formar a sinfonia da revelação de Deus. Desta forma, Jesus é o sinal mais claro do amor de Deus: Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.: Jo 3, 16. Jesus realiza sua missão de duas formas complementarias: · Proclamando e ensinando o Reino (*). · Curando os enfermos (*). O evangelista Mateus o sintetiza magistralmente no seguinte versículo: Jesus percorria toda a Galiléia, ensinando nas suas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino, curando todas as doenças e enfermidades entre o povo.: Mt 4. 23. 1. Revelacão de Deus 11
  12. 12.  Proclamando e curando.  c. Enviou os discípulos para continuarem sua missão salvifica Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio a vós.: Jo 20, 21. Para continuar sua missão pelos séculos até os confins da terra, Jesus envia a seus discípulos cheios do poder do Espírito com uma dupla missão ou  uma missão em duas partes.  Trata-se de uma moeda de duas caras: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.. Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados.: Mc 16, 15.17-18. E AS ÚLTIMAS PALALVRAS DO EVANGELHO DE MARCOS resume ambos aspetos: (Os discípulos) Os discípulos partiram e pregaram por toda parte. O Senhor cooperava com eles e confirmava a sua palavra com os milagres que a acompanhavam. (Mc 16, 20) · Anunciar a Boa Nova (uma mensagem expressa com palavras). · Curar os enfermos e expulsar os demônios (ações salvíficas). Assim, a Igreja evangelizada e evangelizadora, se converte em sinal do Reino. d. Uma estratégia: O amor do Espírito Santo Para cumprir esta missão, semelhante de ir como ovelhas no meio de lobos, Jesus previne aos seus de não começar, até que fossem revestidos do poder do alto. Assim como Jesus, antes de iniciar sua missão, desceu ao Jordão para receber o Espírito Santo, os seus devem subir ao Aposento Alto para serem cheios da Força Divina, com o Espírito Santo que é o amor entre o Pai e o Filho, amor mesmo que une a comunidade cristã. O amor que existe entre os seus é uma forma eficaz de evangelizar, pois mostra que o amor de Deus foi derramado em nossos corações (Rom 5, 5) e que o amor é possível neste mundo.  O amor da comunidade torna presente o Reino.  e. Hoje: Um Novo Pentecostes para a Nova Evangelização. Hoje estamos vivendo uma primavera da evangelização. Redemptoris Missio . Magisterio da Igreja Esta Nova Evangelização vai no mesmo tom de toda a Historia da Salvação: · Com Acontecimentos Salvíficos; quer dizer, experiências de salvação. Não só transmissão de verdades ou conceitos, mas levar as pessoas a viver experiências salvíficas do poder de Deus. · Com Palavras Proféticas, que tocam o coração, que dão sentido à historia da salvação de cada um e abrem horizontes à vida e missão das pessoas e comunidades. Quando se dá estes dois elementos, se potencia a força do Evangelho, pois são sinais que revelam Deus e tornam presentes os frutos da Redenção, com o poder do Espírito Santo, até a segunda vinda do Senhor Jesus. Se Deus se revela por Palavras e Acontecimentos, nossa evangelização deve ser realizada com sinais, que compreendem tanto Palavras eficazes, assim como Acontecimentos Salvíficos. 12 1. Revelação de Deus
  13. 13. ? Desafio para refletir Tu és um sinal evangelizador? Tua paróquia é sinal evangelizadora? Tua Igreja Católica é sinal evangelizadora? C . CONCLU SÃO Deus se revela e salva por meio de Atos Salvíficos e Palavras Proféticas. Assim evangelizaram os Apóstolos. Assim somos chamados a fazer também. Ñ Recurso Didático: mãos unidas UNEM-se as mãos com os dedos abertos. Evangelizar com grande poder é capaz de tornar presente e eficaz o Deus revelado na Historia da Salvação. Se Deus se revelou e salvou a humanidade com Atos e Palavras (sinais), nossa evangelização não pode ser de outra forma, do que por meio de sinais que contenham tanto Palavras Eficazes como Acontecimentos Salvíficos. No inicio do tema fizemos referencia a acontecimentos salvíficos. Agora, o desafio é nosso. Agora nosso desafio é proclamá-lo. @ ATIVIDADE DOS PARTICIPANTES: Invest igação Objetivo: Confirmar como Deus se revela com a Palavra. Procedimento: 1. Cada um enche o seguinte quadro, com as citações bíblicas correspondentes: 20 minutos 2. Discute-se, e se enche só um quadro por comunidade: 30 minutos. 3. Apresenta-se o quadro de forma criativa em plenário: 15 minutos 4. O pregador corrige os trabalhos com a tabela da página seguinte. ANTIGO TESTAMENTO NOVO TESTAMENTO 7 Palavras - Eu serei o teu Deus, tu serás meu povo - - - - - - - Deus é amor - - - - - - 1. Revelacão de Deus 13
  14. 14. 7 Acontecimentos - Eleição de Abraão - - - - - - - Encarnação - - - - - - 7 Personagens - Abrão - - - - - - - Pedro - - - - - - 7 Teofanias - Sarça ardiente - - - - - - - Jordão - - - - - - Verificação ANTIGO TESTAMENTO NOVO TESTAMENTO 7 Palavras Proto-evangelho : Gen 3, 15. O Senhor passou diante dele, exclamando: “Javé, Javé, Deus compassivo e misericordioso, lento para a cólera, rico em bondade e em fidelidade,: Ex 34, 6. o justo vive por sua fidelidade.: Hab 2,4. todas as famílias da terra serão benditas em ti.”: Gen 12,3b. Tua casa e teu reino estão estabelecidos para sempre diante de mim, e o teu trono está firme para sempre.: 2Sam 7,16. Ouve, ó Israel! O Senhor, nosso Deus, é o único Senhor.: Dt 6,4. O Senhor é meu pastor.: Sal 22,1. .. Deus é amor: 1Jo 4,8 Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.: (Jo 3,16). Meu Senhor e meu Deus!: (Jo 20,28) Em nenhum outro há salvação, porque debaixo do céu nenhum outro nome foi dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos.: (At 4,12). Portanto, se com tua boca confessares que Jesus é o Senhor, e se em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.: Rom 10,9 Eu vos transmiti primeiramente o que eu mesmo havia recebido: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras;: 1Co 15,3. 14 1. Revelação de Deus
  15. 15. 7 Acontecimentos Eleição de Abraão. Libertação do Egito. Aliança do Sinai. Entrega da Lei. Retorno do exílio. Construção e reconstrução do templo. Encarnação Batismo no Jordão Morte na cruz Ressurreição Pentecostes Envio de seus discípulos Segunda Vinda de Jesus. 7 Personagens Abraão Jacó e Judá. Moisés. Elías. David. Isaías. Pobres de YHWH. João Batista. María. Jesus. Pedro. Paulo. Andrés. João. Bernabé. Ananias. José e Maria. 7 Teofanias Noé. Abraham. Zarza ardiente. Sinai. Isaías no Templo. Ezequiel. Jordão. Tabor. Pentecostes. Casa de Cornélio. Damasco. Segunda Vinda. 1. Revelacão de Deus 15
  16. 16. 1. REVELAÇÃO DE DEUS A. DEUS SE REVELA A SI MESMO COM PALAVRAS E ACONTECIMENTOS B. JESUS É A PALALVRA E ACONTECIMENTO DE DEUS Palavra + Acontecimento = SINAL C. ENVIO DE SEUS DISCÍPULOS: PREGAR E CURAR D. HOJE: NOVO PENTECOSTES PARA NOVA EVANGELIZAÇÃO Evangelizar com sinais = Palavras + Acontecimentos EVANGELIZAR É FAZER PRESENTE COM TODO SEU PODER O DEUS REVELADO NA HISTORIA DA SALVAÇÃO 16 1. Revelação de Deus
  17. 17. 2 EVANGELIZANDO COM GRANDE PODER 1. O B J E T I V O Estabelecer os requisitos essenciais para evangelizar com poder; com grande poder. 2. I D E I A C H A V E A Nova Evangelização do Terceiro Milênio deve tanto afundar suas raízes na experiência de Jesus no Jordão como a dos Apóstolos no Aposento Alto. 3. M E T O D O L O G I A a. Didática e Pedagogia Usa-se constantemente as mãos como um avião que sobe e baixa. b. Tempo 60 minutos de exposição. 4. D E S E N V O L V I M E N T O D O E N S I N O A . I NTROD UÇ ÃO a. Evocação Não perguntamos que pensas, mas, que sentes que atraía e cativava as multidões quando Jesus pregava? Que sentes quando uma só pregação de Pedro convertia a multidões,e Paulo chegava a espaços que pareciam inalcançáveis para as forças humanas? Responde-se começando: “Eu sinto...”. b. Apresentação e localização do tema. Se São Lucas afirma que: Com grande coragem os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. Em todos eles era grande a graça. (At 4, 33); Jesus Cristo é sempre o mesmo: ontem, hoje e por toda a eternidade. (Hb 13, 8), então nós somos chamados a evangelizar com grande poder, como Jesus e como os Apóstolos. Por isso, neste tema vamos descobrir que para consegui-lo temos de enterrar nossas raízes na experiência de Jesus no Jordão e a dos Apóstolos no Aposento Alto. Assim como a batata, o ovo e o café foram mergulhados na água para serem transformados, assim nós também temos de ser submergidos na Água Viva do Espírito Santo para sermos transformados em testemunhas e não simples repetidores. 3. Tres Escalones 17
  18. 18. c. Objetivo do tema e motivação. Mostrar que para converter 3000 pessoas, antes se necessita descer ao Jordão e depois subir ao Cenáculo. B . CORPO DO ENS I NO Vamos descobrir primeiro como Jesus se preparou para evangelizar de forma eficaz e depois como os Apóstolos foram capacitados para evangelizar com grande poder. a. Jesus: Batismo no Jordão: Experiência de amor pessoal e incondicional de Deus. Jesus, antes de começar seu ministério, antes de pregar o reino ou curar os enfermos, desceu ao Rio Jordão para equipar-se para a missão que o esperava, donde teve uma experiência do amor incondicional e pessoal de Deus, que declarou publicamente: "Tu és o meu Filho muito amado; em ti ponho minha afeição.": Mc 1, 11. Jesus não só se sabe amado.  Se sente amado.  Com esta experiência, Jesus está capacitado não só para anunciar a Boa Noticia aos pobres e aos pecadores, como também para salvar a humanidade, enfrentando os obstáculos que se lhe haveriam de apresentar.  Só quem se sente amado, é capaz de fazer outros se sentirem amados.   Só se me sinto (te sentes) amado, posso (podes) fazer outros se sentirem amados por Deus. Cheio do Espírito Santo, voltou Jesus do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto, (Lc 4, 1. 14) e na sinagoga de Nazaré, declarou: O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu; e enviou-me para anunciar a boa nova aos pobres, para sarar os contritos de coração,Lc 4, 18. Jesus mesmo apresenta seu programa de ação em três partes: · Anunciar a Boa Nova aos pobres, proclamando que a salvação agora era gratuita. · Dar vista aos cegos: Curas físicas. · Libertar os oprimidos: Libertação do poder das trevas. Por isso, quando São Pedro sintetiza o ministério de Jesus, faz referencia aos mesmos três pontos: Vós sabeis como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com o poder, como ele andou fazendo o bem e curando todos os oprimidos do demônio, porque Deus estava com ele.( At 10, 38). Destas duas passagens deduzimos que a metodologia de Jesus estava integrada por quatro elementos: 1º: Evangeliza com palavras Ninguém fala como Ele (Jo. 7, 46), porque comunica a Palavra de Deus. O evangelho de Mateus dá especial importância às palavras, ensinamentos e discursos de Jesus Mestre. 2º: Evangeliza com sinais poderosos Realiza prodígios e milagres; curas e libertações, que São João chama de “sinais”. · Cura no sábado, ressuscita mortos e acalma tempestades. · De maneira especial, expulsa demônios, para demonstrar que o Reino de Deus havia chegado. O evangelho de Marcos sublinha os sinais de poder que Jesus realiza durante seu ministério. 18 3. Tres degraus
  19. 19. 3º: Mostra a misericórdia de Deus. Jesus revela o rosto misericordioso de Deus. O EVANGELHO DE Lucas mostra a misericórdia de Jesus com todos; especialmente com os pobres, as mulheres e os pecadores. 4º: Evangeliza com amor até dar sua vida por seus amigos O evangelho de João apresenta Jesus como o Bom Pastor que entrega voluntariamente sua vida. Todo isto tem sua origem no que Jesus experimentou nas águas do Rio Jordão;  o incondicional amor de seu Pai.  Aplicação: Ou seja, para evangelizar como Jesus, não precisamos passar por uma universidade nem ostentar um título acadêmico ou religioso, mas baixar ao Jordão para ter una experiência de amor incondicional e pessoal de Deus que nos capacite para amar até ao extremo. ? Desafío para refletir Tu já baixastes ao Jordão para ter uma experiência de amor incondicional de Deus? b. Apóstolos: Batismo no poder do Espírito e no fogo no Cenáculo (Mt 3, 11) João Batista resumiu a missão do Messias como quem batiza no Espírito Santo e no fogo. Se Jesus começou seu ministério depois de sua experiência pneumática no Jordão,  os Apóstolos necessitam de um batismo no Espírito e no fogo.  Jesus enviou seus discípulos para continuar a evangelização, mas lhes pediu que não se afastassem de Jerusalém, mas que esperassem ser revestidos do poder do alto,  para poder cumprir sua missão (Lc 24, 49). 1. Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. 2. De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. 3. Apareceu-lhes então uma espécie de línguas de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. 4..;  Ficaram todos Espírito Santo  e começaram a falar em línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem: (At 2, 1-4 ). Cinqüenta dias depois da Páscoa, Jesus ressuscitado, cheio, tão cheio do Espírito Santo, derrama a força do alto no coração de seus discípulos para transformá-los interiormente e constituí-los em testemunhas eficazes que levem seu nome até os confins da terra. 1. O acontecimento de Pentecostes contém diversos elementos: · De repente. Sem previsões humanas, sem planos prefixados e sem que ninguém o previsse, Jesus cumpre a Promessa. Os grandes acontecimentos da História da Salvação sucedem inesperadamente. · Um ruído vindo do céu. Tem origem divino. A iniciativa vem de Deus. · Encheu toda a casa e a todos. · Trata-se de um vento furaconado que encheu a casa e o fogo do Espírito repousa sobre cada um dos congregados no Cenáculo ou Aposento Alto. Manifesta-se com força. O Espírito é vento furaconado , que mostra o poder de Deus. 3. Tres degraus 19
  20. 20. ? Desafío para refletir Por que muitas vezes se converteu o vento furaconado de Pentecostes em ar condicionado? · Línguas de fogo. A proclamação deve incendiar os corações com o fogo da Palavra. 2. Pentecostes tem duas partes complementares e inseparáveis: 1º: Os Apóstolos sobem ao Aposento Alto para orar e ser cheios do poder do Espírito. 120 discípulos perseveram em oração, junto com Maria, a mãe de Jesus, esperando o cumprimento da Promessa do Pai. Chegado o dia de Pentecostes, graças a Efusão do poder do Espírito Santo, ou força do alto, para pregar com unção que transpassa os corações (*) e com a força dos carismas. Mas desgraçadamente em algumas partes se domesticou o Poder de Deu e se transformou  o vento impetuoso, em ar condicionado.  O sinal que fostes batizado no fogo é que incendeias a outros com teu testemunho; com o fogo das escrituras 2º: Baixam do Aposento Alto para evangelizar com grande poder.  Os que subiram com esperanças ao Aposento Alto para rezar, desceram à praça para pregar.  Pedro e os onze (comunidade evangelizada e evangelizadora) dão testemunho da ressurreição de Jesus. Sua palavra transpassa (“katenysan tem kardian, em grego1) os corações (At 2, 37). Resultado: Se convertem 3000 pessoas naquela manhã. Pentecostes começou com 120 e terminou com 3120 que louvavam o Senhor. Entre a recepção do Espírito e o começar a evangelizar, não há separação. No mesmo dia que receberam o Espírito Santo, começaram a evangelizar.  Se descem do Aposento Alto para evangelizar com poder, é porque subiram para recebe-lo.  Ñ Recurso Didático: Moeda de duas caras Cara A: Pentecostes. Cara B: Evangelização Batismo no fogo2; o fogo da Palavra. Não bastava o poder. Era necessário o fogo também. ? Desafío para refletir: Quando os Apóstolos receberam este fogo para incendiar o mundo? Podemos supor que fui nesse mesmo dia no Cenáculo; aparece mais claro no belíssimo relato dos discípulos de Emaús: regressavam frustrados, porque se havia extinguido 1 Ser perfurado violentamente. 2 Nao se trata do sacramento do Batismo 20 3. Tres degraus
  21. 21. neles a chama da esperança,  Jesus ressuscitado fez arder seus corações com o fogo de sua Palavra.  Então voltaram a Jerusalém para ser testemunhas do que antes eram simples repórteres da ressurreição de Jesus. Conclusão:  Só se pode incendiar aos demais se nosso coração está inflamado com o fogo da Sagrada Escritura.  ? Desafío para refletir Que aconteceria se nas Universidades Católicas os estudantes saíssem com o coração ardente e enamorados da Palavra de Deus? Que aconteceria se regressassem com o rosto tão radiante como Moisés, que pudessem comunicar aos demais o plano de Deus? Tu já fostes submergido neste batismo n o fogo da Palavra de Deus? Aplicação: Para evangelizar como os Apóstolos, não precisamos passar por uma universidade, ma: · Subir ao Aposento Alto para ser batizados com poder. · Ser incendiados, para ser capazes de incendiar os corações com o fogo da Palavra de Deus. ? Desafío para refletir Quantos, ou melhor, quais pessoas tens incendiado com o fogo de amor às Escrituras? Só um coração incendiado com a Palavra pode incendiar aos demais. c. Novo Pentecostes para evangelizar com valentia, formando comunidades de crentes Nos Atos dos Apóstolos existe uma segunda efusão do Espírito Santo, que está enfocada diretamente para evangelizar com grande poder. Depois que Pedro e João foram presos, tanto por anunciar Jesus como por curar o paralítico da Porta Formosa, foram milagrosamente libertados, São Lucas nos narra: Pois na verdade se uniram nesta cidade contra o vosso santo servo Jesus, que ungistes, Herodes e Pôncio Pilatos com as nações e com o povo de Israel, 28. para executarem o que a vossa mão e o vosso conselho predeterminaram que se fizesse. 29. Agora, pois, Senhor, olhai para as suas ameaças e concedei aos vossos servos que com todo o desassombro anunciem a vossa palavra. 30. Estendei a vossa mão para que se realizem curas, milagres e prodígios pelo nome de Jesus, vosso santo servo! 31. Mal acabavam de rezar, tremeu o lugar onde estavam reunidos. E todos ficaram cheios do Espírito Santo e anunciaram com intrepidez a palavra de Deus. 32. A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém dizia que eram suas as coisas que possuía, mas tudo entre eles era comum.(At 4, 27-32). A esta segunda efusão do Espírito se chamou “o Pequeno Pentecostes” (la petitte Pentecôte) e seu resultado és que os Apóstolos pregavam a Palavra com “parresía”:  Valentia e unção.  d. Novo Pentecostes para a Nova evangelização. Também nós, sem importar o lugar ou etapa em que nos encontramos, temos necessidade de uma nova efusão do Espírito para evangelizar com Parresía: Valentia e unção. Se o século XX ficou assinalado como o século do Espírito Santo, o milênio que começa não pode ser outra coisa que o milênio da evangelização, com poder e unção. 3. Tres degraus 21
  22. 22. Aqueles que subiram ao Cenáculo para ser cheios de poder e ser incendiados com fogo devem descer à praça para começar uma nova evangelização. Este Novo Pentecostes, como o primeiro, é para evangelizar e evangelizar com grande poder.  Para evangelizar sem poder não necessitamos do Espírito Santo nem de fogo.  A nova efusão do Espírito, ou o Novo Pentecostes, como o chamou o Cardeal Suenens, é para a Nova Evangelização. Ñ Recurso Didático: moeda de duas caras Lado A: Novo Pentecostes Lado B: Nova Evangelização 1º: Objetivo da Nova Evangelização: Fazer Cristo Jesus presente como Salvador e Senhor. A evangelização primitiva, como toda evangelização tem por objetivo fazer presente e eficaz a salvação conquistada pela morte e ressurreição de Jesus Cristo, o Senhor. “Não há evangelização verdadeira, enquanto não se anuncia o nome, a doutrina,a vida, as promessas, o Reino e o mistério de Jesus de Nazaré,o Filho de Deus”. Evangelii Nuntiandi 22. Magisterio Da Igreja 2º: Conteúdo da Nova Evangelização: Jesus Salvador, Senhor e Messias. O mesmo Jesus, portador do Reino, que por sua morte, ressurreição e glorificação nos salvou e nos libertou, formando o novo povo de Deus. Não se trata de um novo Evangelho, pois não há outro; mas de uma Nova Evangelização. Estamos começando um novo sinal e um novo milênio, uma época de profundas transformações no âmbito cultural, econômico e social. Para um “mundo novo” se requer uma “nova evangelização”; que seja compatível com o progresso e que responda aos novos planejamentos do mundo que corre na pista do desenvolvimento, mas nem sempre de maneira integral nem com alcance universal. 3º: Elementos da Nova Evangelização: · Responsabilidade de todos na Igreja: bispos, sacerdotes, religiosos e leigos. Cada um é convidado a remar na barca e trabalhar na vinha do Senhor. · Fazer arder os corações com o fogo das Sagradas Escrituras. A Bíblia, mais que catecismos ou qualquer outro Documento, como o manual de evangelização, porque a Palavra de Deus é viva e eficaz (Hb 4, 12). · Mostrar com atos e testemunhos, mais que com argumentos, que Jesus é o único Salvador e Senhor, pois nele se cumprem os oráculos dos profetas que haveriam de identificar o Messias.  Consultar testemunhos em nossos livros “Jesus é o Messias”. Rabbuní 2008. México. Sem dúvida, na reprodução deste Curso cada pregador deve partilhar seus próprios testemunhos. Se quisermos evangelizar com grande poder, os sinais, prodígios e milagres, não podem ser secundários nem opcionais, mas parte essencial do anuncio da Boa Noticia. 4º: Três aspectos da Nova Evangelização: · O mesmo método dos Apóstolos: Anunciar o Kerygma, e não da-lo por suposto. · Curar enfermos e libertar aos oprimidos; em todos os sentidos. 22 3. Tres degraus
  23. 23. · Formar comunidades onde reine o amor. C . CONCLU SÃO a. Resumo: · Para evangelizar como Jesus, necessitamos descer ao Jordão, para experimentar o amor incondicional de Deus. · Para evangelizar como os Apóstolos, precisamos subir ao Aposento Alto para receber a força d alto. · Para evangelizar com poder; ou melhor, com grande poder, é necessário que nosso coração arda com o fogo da Palavra de Jesus. Ñ Recurso Didático Sobe-se e desce a mão como se fosse um avião. Somos chamados a evangelizar com grande poder, com três fatores inter-relacionados: · O poder da Palavra, com valentia e unção, que transpassa os corações. · O poder dos Carismas, que mostram a vitória de Cristo sobre a morte. · O poder da Caridade, com comunidades que sejam fermento de transformação para instaurar o Reino de Deus.  Para evangelizar sem poder não necessitamos (necessito, necessitas) do Espírito Santo.   Se não houver (tenho, tens, temos) um novo Pentecostes, não haverá Nova Evangelização.  b. Encerramento e alusão a Evocação do tema ? Desafío para refletir A pregação da Igreja de hoje é tão atrativa e cativante como era a de Jesus e dos Apóstolos? @ ATIVIDADE DOS PARTICIPANTES: Trabalho. Objetivo: Comprovar o ensino com a Palavra de Deus. Procedimento: Trabalho por comunidades: Preencher os seguintes quadros. 3. Tres degraus 23
  24. 24. 1. Duas pescas milagrosas. Ambas as pescas refletem o que sucede no mar da evangelização A QUE SE ATRIBUI O FRACASSO A QUE SE ATRIBUI O ÉXITO APLICAÇÃO A EVANGELIZAÇÃO Pesca Lc 5,1-11 Jesus não estava na barca. Jesus subiu à barca e pregou a Palavra . Pesca Jo. 21, 1-8 Lançavam a rede sempre do mesmo lado Mudaram a forma de lançar a rede. 24 3. Tres degraus
  25. 25. Dar exemplos do Novo Testamento de evangelização com grande poder JESUS APÓSTOLOS - Zaqueu · Se converteu e toda a família · Dimensão social · Mostra preferencia pelos pecadores · · · · · · · · · · · · · · · - - - 3. Preencher o quadro seguinte, sobre as diferenças de Vento Impetuoso e Ar Condicionado: VENTO IMPETUOSO AR CONDICIONADO 3. Tres degraus 25
  26. 26. - Não o podemos controlar - - - - - - - - Controlamos a nosso beneficio e comodidade - - - - - - 4. Quando fui a última vez que se converteram 3000 pessoas com uma única pregação tua? 26 3. Tres degraus
  27. 27. 2. EVANGELIZANDO COM PODER A. Batismo de Jesus: Jordão C. Igreja: Novo Pentecostes para Nova Evangelização B. Pentecostes dos Apóstolos NÃO SE PODE DESCER DO CENÁCULO PARA EVANGELIZAR COM PODER SE ANTES NÃO SE SOBE PARA RECEBER O PODER DE DEUS 3. Tres degraus 27
  28. 28. 3 TRÊS DEGRAUS 1. O B J E T I V O Mostrar os três princípios estabelecidos na Palavra de Deus, para evangelizar com grande poder. 2. I D E I A C H A V E : C O M O As três engrenagens para subir e descer do Aposento Alto, para evangelizar com grande poder. 3. M E T O D O L O G I A a. Didática e Pedagogia Mais que apresentação analítica de cada ponto, se enfatiza a mudança de mentalidade e a união dos três elementos. Cada um dos três pontos tem duas sessões: · Explicação do mesmo. · Mentalidade kerygmática: O aspecto positivo da nova mentalidade; narra - se na primeira pessoa do singular. b. Tempo Três palestras de 45 minutos cada uma. 4. D E S E N V O L V I M E N T O D O E N S I N O A . I NTROD UÇ ÃO a. Evocação Qual é a pessoa que você conhece que evangelizou e/ou evangeliza com maior poder? Respondem alguns participantes, anunciando a principal característica desta pessoa. Não se pode repetir a pessoa que outro já mencionou antes. b. Apresentação e localização do tema. Já vimos a metodologia usada por Deus para revelar-se e salvar a humanidade, assim como nossa missão de evangelizar com grande poder. Depois mostramos que para evangelizar com grande poder, temos que seguir as pegadas de Jesus no Jordão e dos Apóstolos no Aposento Alto. Agora consideraremos a nova estratégia: Para descer à Praça de Jerusalém e converter 3000 pessoas, antes temos que subir pelas três engrenagens que nos conduzem ao Aposento Alto. c. Objetivo do tema e motivação 28 3. Tres degraus
  29. 29. Vamos encontrar esta estratégia para evangelizar com grande poder. B . CORPO DO ENS I NO O perfil da evangelização com grande poder encontramos na Palavra de Deus: Jesus: Em seu programa proposto na sinagoga de Nazaré, se descobre alguns elementos de uma evangelização com poder: · Está cheio da unção de Deus. · Anuncia uma Boa Nova aos necessitados. · Proclama a misericórdia de Deus (ano da graça do Senhor). · Paulo: Por sua parte enumera diversos elementos de sua evangelização. O nosso Evangelho vos foi pregado não somente por palavra, mas também com poder, com o Espírito Santo e com plena convicção. Sabeis o que temos sido entre vós para a vossa salvação. E vós vos fizestes imitadores nossos e do Senhor, ao receberdes a palavra, apesar das muitas tribulações, com a alegria do Espírito Santo, de sorte que vos tornastes modelo para todos os fiéis da Macedônia e da Acaia. Em verdade, partindo de vós, não só ressoou a palavra do Senhor pela Macedônia e Acaia: mas se propagou a fama de vossa fé em Deus por toda parte, de maneira que não temos necessidade de dizer Palavra alguma (1Tes 1,5-8)*. Palavras (logos, em grego) que expressam a mensagem, a qual se concretiza no Kerygma. · Poder (dynamis, em grego) através dos sinais carismáticos: prodígios, milagres e libertações. · Amor (ágape, em grego) com que o evangelizador se entrega a eles. · Nosso evangelho: Identificação do mensageiro com a mensagem que transmite. Pedro: No dia de Pentecostes, consegue uma abundante pesca, graças aos seguintes elementos: · Um conteúdo: Jesus morto e ressuscitado. · Um efeito: Corações transpassados (*). · Um fruto: Três mil convertidos, que se integraram à comunidade cristã. · Um método: Pedro é testemunha e prega em comunidade. Vamos apresentar as três engrenagens que nos conduzem ao Aposento Alto, que são as mesmas três engrenagens que nos levam a praça da cidade para converter 3000 pessoas. PRIMEIRO DEGRAU: O PODER DA PALAVRA: KERYGMA O anuncio da Boa Noticia que já fomos salvas graças à morte e ressurreição de Jesus, tem uma força intrínseca, porque é Palavra de Deus. Não se limita a transmissão de uma doutrina ou comunicação de um feito histórico, mas que é viva e eficaz, que penetra até o mais profundo do coração humano. Trata-se de uma palavra não baseada na sabedoria humana, mas com o poder de Deus e a unção do Espírito. O primeiro elemento da pregação com grande poder: 3. Tres degraus 29
  30. 30. Deus quis salvar os homens mediante a loucura (simplicidade, necessidade) da pregação = Kerigma: 1Cor 1,21. ? Desafío para refletir: No principio do curso perguntamos qual era “o petróleo” (a riqueza da Igreja) para evangelizar, quantos responderam que é o Evangelho? Quando fizemos o Desafio por que Pedro converteu 3000 pessoas com uma só pregação, quantos responderam que era devido ao fato que anunciou Jesus, e nada mais? O poder do Kerygma não é mágico, mas se mostra na junção de vários elementos: · Uma mensagem: Deus nos salva gratuitamente em Cristo Jesus, morto, ressuscitado e glorificado, mas fazemos nossa a salvação por meio da fé, proclamando-o Salvador pessoal,e pela conversão, confessando-o como Senhor de nossa vida. Então, recebemos de Jesus Messias o Dom do Espírito, para integrar-nos ao Corpo de Cristo. · Um objetivo: A salvação gratuita de todo o homem e de todos os homens. · Uma resposta: A fé e a conversão de quem escuta a Mensagem. · Um método: Deve ser proclamado por testemunhos, mais que por mestres e menos por simples repórteres. · Uma estratégia: Com Parresia: Valentia e unção. A MENTALIDAD KERYGMÁTICA: PARRESÍA Não basta transmitir uma mensagem, por mais linda e rica que seja. É necessário proclamá-la como testemunha, que teve a vida mudada por Ela. Transformada por essa mesma mensagem. De outra forma, nos convertemos em frios repetidores de uma doutrina ou ensino sem antes ter provado sua eficácia. A mentalidade kerygmática não se limita em saber que já fui perdoado e que fui reconciliado com Deus, mas em experimentar essa realidade; é mais, senti-la em todos os poros de minhá pele, que já não pesa sobre mim nenhuma condenação. Não se reduz a uma idéia que se haja aninhado em nosso entendimento, mas que de nossa mente saia para viver como salvos, livres da Lei, do pecado e da morte. Exemplo: Os discípulos de Emaús · Quando caminhavam para Emaús, simplesmente repetiam o que as mulheres tinha dito sobre a ressurreição de Jesus, mas com ar triste e ofuscados. · Porém depois, arde seus corações com o fogo da Palavra e tem um encontro pessoal e vivo com Jesus na Fração do Pão. Voltam então pressurosos a Jerusalém, para dar testemunho pessoal do que tinham experimentado e não do que tinham ouvido. Quando transmitimos a Mensagem como simples repetidores de uma verdade, essa mensagem se assemelha a uma barra de gelo. Mas quando esta verdade é aquecida pelo fogo da Palavra, a barra de gelo se transforma em água, e a água em vapor, que seria capaz de mover uma locomotiva e até um barco. 30 3. Tres degraus
  31. 31. Ñ Recurso Didático: Gelo, água e vapor Coloca-se uma barra de gelo na água fervendo (com café), e se deixa ali até que o vapor exale o odor do café. A primeira coisa que devemos levar em conta é que não há outro Evangelho, outro meio de salvação, que Cristo Jesus, Salvador e Senhor. Porque debaixo do céu nenhum outro nome foi dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos.:( At 4, 12). Mas, ainda que alguém - nós ou um anjo baixado do céu - vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema. Repito aqui o que acabamos de dizer: se alguém pregar doutrina diferente da que recebestes, seja ele excomungado! (Gal 1,8-9). Em segundo lugar deve ser transmitido com o fogo do testemunho; ou melhor, dizendo, por uma comunidade de testemunhos, que tiveram experiência pessoal do que transmitem. Vamos considerar agora o que significa isto na transmissão dos seis temas do Kerygma, enfocados no pregador mesmo; não tanto no conteúdo ou destinatários, o qual é objeto dos Cursos “Nova Vida” e “Paulo”. Aqui, o enfoque é que O evangelizador deve estar incendiado para incendiar. ? Desafio para refletir Eu estou incendiado por um fogo que não pode se extinguir? Estou (estás) incendiado por um fogo que não pode (podes) se extinguir? 1º. O amor de Deus A salvação é fruto do apaixonado amor de Deus que nos salvou gratuitamente.  Mentalidade kerygmática Se experimento que sou amado de maneira firme e estável, com um amor incondicional e gratuito,  nada nem ninguém me (te) pode separar desse amor; nem sequer minha (tua) infidelidade ou pecado.  Há uma só coisa que Deus todo poderoso não pode fazer; deixar de me amar  O excesso da prova do amor de Deus: Envia seu Filho aos pecadores (Rom 5, 8). Quando tenho mentalidade kerygmática, experimento a segurança de que tudo quanto sucede na vida, provém do amor de Deus, e que eu estou em suas mãos; aconteça o que aconteça. 3. Tres degraus 31
  32. 32. e Parábola: Meu pai é o piloto Na sala de espera do aeroporto de Milão, estava um menino de 7 anos olhando atentamente pelo vitral os aviões que aterrissavam e levantavam vôo. Num momento, uma comissária o chamou e o conduziu dentro do avião, e o colocou num assento de primeira classe. Depois dele, embarcamos os demais passageiros. Tocou-me estar precisamente ao lado do pequeno, que parecia tão acostumado a viagens. Depois de uma hora de vôo, se escutou a voz do capitão que nos recomendou abotoarmos o cinturão, porque entrávamos em uma zona de turbulência. O garoto, sem ajuda alguma, apertou o cinturão e continuou olhando os Alpes pela l janela do avião. O avião se sacudia cada vez com mais violência, e não poucos passageiros começaram a ficar nervosos, enquanto que aquele infante se comportava tão seguro de si mesmo, sem intimidar-se nem sobressaltar-se. Uma senhora se aproximou e lhe perguntou se não estava assustado. O garoto respondeu com assombrosa segurança que não. - Não tens medo? Insistiu a senhora. - Não, senhora, respondeu com determinação o garoto. Não. Meu pai é o piloto do avião. Mentalidade anti-kerygmática. Ante uma adversidade, tem gente que se sente castigada por Deus, porque tem a imagem de um Deus vingativo, cheio de ira, que ameaça a humanidade pecadora. Exemplo: As adversidades da vida Ante terremotos ou guerras que semeiam morte, a pessoa sem mentalidade kerygmática, logo duvida duvida do amor de Deus. Em troca, quando tenho mentalidade kerygmática, em vez de questionar o amor divino, parto de seu amor para explicar o sucedido, pois sei que Deus sabe escrever direito por linhas tortas , e sei que tudo passa pelo Trono (Ap 4, 1-8). Aplicação: Se tenho mentalidade kerygmática, sou missionário do amor misericordioso de Deus em cada circunstancia, especialmente nas contrariedades. Parodiando a São Paulo, poderia afirmar que para quem se sente amado por Deus, tudo contribui para seu bem.  A frase tão sensível “Deus te ama”, tem um poder inimaginável quando quem a pronuncia está verdadeiramente convencido disso; pois  o convencido, convence.   Deus me (te) ama . 32 3. Tres degraus
  33. 33. 2º. O Pecado me leva à morte, mas provoca a necessidade de ser salvo. Mentalidade kerygmática Tem três partes: · A firme convicção e experiência de que todos somos pecadores, ou melhor, que eu sou pecador, necessitado de salvação. · Também inclui a certeza que a médio prazo a conseqüência do pecado é a morte; mas a largo prazo, é a morte eterna. · E, o mais difícil de assumir, que  não posso me salvar por mim mesmo.  Não tenho os meios, nem mesmo os méritos, para obter a salvação. Parábola: Manuel e Luis Carlos Depois de ter estado bebendo e bebendo, dois homens embriagados subiram a uma barca para passar a outra margem do rio. Estava escuro e remaram toda a noite, sem conseguir alcançar o outro lado. Ao amanhecer, e já havendo passado um pouco embriaguez, se deram conta de que não haviam avançado um só metro, porque a barca estava amarrada a um pau na beira do rio. Estamos atados pelo pecado, que nos impede de regressar ao Paraíso perdido. Quer dizer,  não podemos nos salvar por nós mesmos.  Necessitamos ser salvos por alguém que não sofra a mesma enfermidade que nós. São Paulo assegurava que o cumprimento da Lei na qual havia colocado sua segurança, era barro e esterco (Ef 3, 7*). Suas boas obras não eram capazes de conseguir a salvação. Mentalidade anti-kerygmática Manifesta-se como uma Pinça que aprisiona de duas formas: i Ñ Recurso Didático: Pinças Somos aprisionados por um dos braços das pinças de Satanás. · Ou perdemos a consciência de pecado, acostumamo-nos a viver com ele, ou então  não reconhecemos que necessitamos salvação · Ou nos cremos tão bons, que já merecemos o céu por nossas boas obras, e tampouco,  necessitamos de Jesus Salvador.  3. Tres degraus 33
  34. 34. Ñ Recurso Didático Desenhemos um caminho. ● ● · Perda da consciência do pecado Confiar en mi s d · Confiar em minhas boas obras Escreve um “x” onde te localizarias no dia de hoje. Aplicação Reconhecer-me pecador se pode sintetizar em dois pontos: · Minha vida se acha ingovernável, pois faço o mal que não quero, e não sou capaz de fazer o bem que me proponho (*). · Não me posso salvar por mim mesmo. Estou atado ao pecado. Curiosamente esta situação que parece conduzir-me ao fundo da depressão e até acercar-me à fronteira do suicídio, pode se transformar no trampolim para eu ser salvo pelo amor gratuito de Deus. 3º. Jesus Salvador e gratuidade da salvação Mentalidade kerygmática Jesus é o único Salvador de todo o homem e de todos os homens. Não há outro. Jesus já nos salvou faz dois mil anos, por seu sangue inocente, pagando na cruz o preço completo de minha salvação; e não lhe falta nada, mas que eu creia que verdadeiramente morreu por mim em meu lugar na cruz. São Paulo o expressa de forma tão genial como pessoal: Me amou e se entregou por mim: Gal 2, 20b. Não se trata só de uma idéia ou doutrina, mas algo que me faz viver livre do temor e liberado de toda condenação. Não me permite ser acusado por ninguém; nem por Satanás nem por mim mesmo. Mentalidade anti-kerygmática Intentar salvar-se pelos próprios méritos ou meios, e não pelo valor do sangue de Cristo Jesus, que morreu por nós, ressuscitou e está vivo. 34 3. Tres degraus
  35. 35. Ter como modelo de vida a outra pessoa; ainda que seja um santo fundador da comunidade, um guru ou um mestre oriental. Crer mais em supostas mensagens e aparições privadas ou ofertas de salvação à margem de Jesus, e até em amuletos religiosos, que na Revelação consignada nas Sagradas Escrituras. Aplicação: Quem aceita e proclama a Jesus como Salvador e Senhor tem acesso à vida em abundancia. Par ábol a A pintura de “O Filho” Pedro era um homem muito rico da Holanda que havia feito sua fortuna com centros comerciais e recreativos. Sua família tinha um grande amor pelas obras de arte e sua asa era um museu com pinturas da escola de Utrech e os mais destacados pintores flamengos. Muito a vontade, se sentava com seu filho único a contemplar as grandes obras de arte que tinha em sua coleção familiar. Um dia, seu filho partiu em regimento da ONU para salvaguardar a paz no Iraque. 3. Tres degraus 35
  36. 36. Pouco tempo depois, o pai recebeu a triste noticia que seu filho havia morrido, enquanto resgatava um outro soldado. Sofreu profundamente a morte de seu único herdeiro universal. Três anos mais tarde, justamente um pouco antes do Natal, alguém tocou a campainha de sua mansão. Era um jovem que caminhava com muletas, com um pacote em suas mãos, que disse ao ancião: - Senhor, você não me conhece, mas eu sou o soldado por quem seu filho deus a vida. Depois de um largo silencio em que as palavras sobravam, continuou: - Eu estava ferido, e enquanto me conduzia a um lugar seguro, uma bala lhe atravessou o peito, morrendo instantaneamente. Ele falava muito a respeito de você e de seu amor pela arte. Em seguida estendeu os braços para entregar-lhe pacote: - Eu sei que isto não é muito. Eu não sou artista, mas creio que seu filho teria gostado que você recebesse isto. O senhor Pedro abriu o pacote. Era uma pintura de seu filho, desenhado pelo jovem soldado. Contemplou com profunda admiração, pois refletia a inolvidável sorriso de se filho. O pai estava tão admirado pela expressão do olhar de seu filho, que seus olhos se encheram de lágrimas. Agradeceu ao jovem soldado e lhe ofereceu dinheiro pele quadro. Oh, não, senhor! -replicou o jovem com segurança- Eu nunca poderia pagar-lhe o que seu filho fez por mim. E ajuntou: - Pintei com meu coração para que você se sinta orgulhoso de seu filho. O pai colocou o retrato de seu filho em cima de sua chaminé. Cada vez que os visitantes ou convidados chegavam a sua casa, antes de mostrar sua famosa galeria de obras de arte, apresentava a pintura de seu filho. Pedro morreu uns meses mais tarde e se anunciou um leilão de suas pinturas. Muita gente importante e influente amantes da arte e diretores de museus dos Países Baixos, acorreram com a esperança de comprar um quadro da coleção. O pregoador golpeou seu martelo para dar inicio ao leilão. Referindo-se ao quadro de “O filho”, pintado pelo soldado, disse: - Comecemos os remates com esta pintura chamada “O Filho”. Quem oferece algo por ela? Houve um grande silencio de descontento e decepção. Então se escutaram algumas vozes provenientes do fundo do salão: - Queremos ver as pinturas famosas. Esqueçam dessa. Todos sabemos que essa não tem nenhum valor. Impassível , o leiloeiro continuoul: - Alguém oferece algo por esta pintura? O preço de inicio são cinqüenta euros, Quem melhora a oferta? Ante tal insistência, alguém se atreveu a reclamar - Não estamos aqui por essa pintura. Viemos pelos quadros de Van Gogh, de Bosco e Rembrant. Vamos diretamente as pinturas valiosas e importantes. Mas, ainda assim, o leiloeiro continuava com seu trabalho. - O filho, o filho, quem leva o quadro do “O FILHO”? 36 3. Tres degraus
  37. 37. Uma tímida voz se ouviu de trás. Era o velho jardineiro da família, que oferecia os cinqüenta euros pelo quadro “O FILHO”. O pregoeiro declarou com força: - O quadro “O Filho”. por cinqüenta, quem dá mais? Quem dá mais? Quem dá mais? Toda a gente estava molesta. Não se interessavam pela pintura de “O Filho”. Queriam as pinturas de Van Dyck e de Rubens para suas próprias coleções. O pregoeiro golpeou seu martelo de madeira: - Vai, uma; vão duas; vendida por cinqüenta euros. Então os assistentes esfregaram as mãos, enquanto se acomodavam em seus assentos, porque então se daria lugar ao leilão da coleção. O PREGOEIRO soltou seu martelo e afirmou em voz baixa mais segura: - Sinto muito, damas e cavaleiros, mas  o leilão terminou.  - Mas, e as pinturas? -perguntaram os interessados. - Sinto -repetiu o leiloeiro -. No testamento do Sr. Pedro, havia uma cláusula secreta que eu não podia revelar, senão agora: Somente a pintura de “O FILHO” seria leiloada.  Aquele que a comprasse, herdaria todas as possessões deste homem . Quem adquirisse “O FILHO” ficaria com toda a herança e quadros famosos. 4º. Fé e Conversão: Jesus Salvador e Senhor Mentalidade kerygmática Fui salvo gratuitamente, mas faço minha a salvação por meio da fé. A fé não se reduz a crer em algo, mas em Alguém; em Jesus, que ressuscitou dentre os mortos, como único Salvador, que exclui qualquer outro meio de salvação. Ao crer que já fui salvo por Jesus, começo a viver de acordo com a minha fé. Agora , a fé se expressa na conversão: Voltar-me para Deus e aceitar o Evangelho como meu plano de vida, para viver e atuar como Jesus. Isto se faz concreto quando abro a porta do meu coração a Jesus (Ap 3,20). Pela fé e a conversão me encaixo à fonte da salvação. Mentalidade anti-kerygmática Supor que a salvação se obtém ou se ganha por rezar tal oração (tantas vezes e a tal hora), uma devoção ou fazer tal prática de piedade. Confiar em nossas boas obras ou ações devocionais, como boleto que nos permite entrar no céu. O pior de quem tem sua fé em que se pode salvar por si mesmo;  não necessita de Cristo Jesus.   Se tenho minha (tens tu) fé de que posso (te podes) salvar-me por mim (ti) mesmo, não necessito (necessitas) de Cristo Jesus.  3. Tres degraus 37
  38. 38. Parábola: O homem “bom” que decidiu abandonar-se à misericórdia de Deus. Um homem muito bom e piedoso morreu, mas São Pedro lhe exigia 1000 pontos para poder entrar no céu. Aquele homem começou a apresentar seus méritos, para encher a cota: - “Sempre fui a Missa”. 20 pontos anotou São Pedro. - “Ajudei aos pobres”. 30 pontos. - “Li a Bíblia”. 10 pontos. - “Pregava nos fins de semana”. 1 ponto. - “Fui bom marido e nunca foi infiel à minha esposa”. 10 pontos. - “Pagava os impostos”. 30 pontos, comentou admirado São Pedro “porque isso quase ninguém faz. A mim mesmo me vieram a cobrar impostos, porque andava muito atrasado.” Aquele homem começou a suar, pois não encontrava mais obras boas e só tinha 101 pontos. Então, dando um profundo suspiro, expressou: - “Já sei, vou me abandonar à misericórdia de Deus." "Acabou de fazer 899 pontos!", exclamou São Pedro. A conversão se torna efetiva quando proclamamos com nossa boca o que cremos no coração: Que Jesus é meu único e pessoal Salvador e o único Senhor, meu Senhor, e render toda minha vida sob seu senhorio. Aplicação A fé nos leva a proclamar a Jesus como Salvador, meu pessoal e suficiente Salvador. Mediante a conversão o confesso como o Senhor, meu Senhor, o dono de toda minha vida. Isto se torna efetivo quando lhe abro a porta de meu coração. 5º. O Espírito Santo Mentalidade kerygmática: O Espírito Santo me comunica a vida de Deus e os frutos de sua morte e ressurreição. Só o Espírito Santo me faz nascer de novo, para poder entrar no Reino de Deus. Isto me leva a uma relação com Ele, como pessoa que sente, geme e se entristece (Rom 8, 26; Ef 4, 30). O Espírito e só o Espírito: · Faz-me ter experiência do amor de Deus como papai (Rom 8, 16; Gal 4, *). · Me dá consciência do pecado: Que não posso me salvar por mim mesmo (Jo. 16, 8). · Toca meu coração, para abrir-me ao dom da salvação. · Suscita a fé dentro de mim. · Me faz proclamar a Jesus como Senhor, meu Senhor (1Cor 12, 3). Jesus comparou muitas vezes ao Espírito Santo com a água, uma fonte de água viva que jorra até a vida eterna, que: · Dobra o que era rígido (cenoura). · Fortalece o que estava frágil (ovo). · Nos transforma em Cristo Jesus (café). Mentalidade anti-kerygmática Os discípulos de Éfeso que nem sequer tinham ouvido falar da existência do Espírito Santo (At 19, 1-7) 38 3. Tres degraus
  39. 39. Viver ignorando o Espírito Santo. Não ter nenhuma relação pessoal com Ele. Exemplo: O pastor pentecostal David Duplessis no Vaticano. Em1974 perguntaram a David Duplessis qual era o segredo do grande crescimento da Igrejas pentecostais. Ele respondeu com clareza. Há dois pilares: O primeiro,  nós consideramos o Espírito Santo como uma Pessoa e assim nos relacionamos com Éle.  Em segundo lugar, não temos outro livro de evangelização que a Palavra de Deus.  Aplicação Devemos ser templos habitados pelo Espírito Santo. Ser guiados permanentemente por Ele. Tratá-lo e relacionarmos com Ele como uma Pessoa. 6º. Comunidade eclesial Mentalidade kerygmática Jesus veio para salvar-me, mas não como individuo isolado, mas como povo de Deus. Ter absoluta consciência que à Terra Prometida só se chega em comunidade, como Povo de Deus. Ninguém se salva sozinho. Parábola: A sobrevivência dos porcos-espinhos Durante a era glacial, muitas espécies animais se sentiram em perigo de extinção. Algumas se protegeram em covas, outras engrossaram seu pelo; mas outras foram incapazes de adaptar-se à mudança e desapareceram. Os porcos-espinhos perceberam este perigo, concordaram viver em grupos; assim se davam abrigo e se protegiam uns aos outros. Mas os espinhos de cada um feriam os vizinhos mais próximos, justamente aqueles que lhes ofereciam calor. E, por isto, se separavam dos demais Mas o frio era tão intenso que tiveram que tomar uma decisão: Ou desapareceriam da face da terra ou toleravam os espinhos de seus vizinhos. Com sabedoria, decidiram viver juntos, aceitando que feriam e eram feridos com seus espinhos. As feridas eram o preço que teriam que pagar para não desaparecer. As chagas que lastimavam se transformaram em sofrimento de salvação. Aprenderam assim a vivir com as feridas que uma relacão muito intima lhes causavam, porque O que realmente era importante era o calor do outro.  @ ATIVIDADE DOS PARTICIPANTES: Porco Espinho Confessa a teu irmão que está junto a ti: Meu porco espinho, preciso de ti, apesar de teus espinhos. 3. Tres degraus 39
  40. 40. Mentalidad anti-kerygmática Mentalidade individualista: Querer se salvar só ou entrar em competição com os demais. Aplicação: Pensar sempre em “nós”, mais que em “mím”. Ser conscientes que viajamos na mesma barca, com um mesmo Pai, um único Mestre e movidos por um único Espírito. Resumo O que se identificou com a mensagem kerygmática e tem mentalidade kerygmática, repete como São Paulo:  Não me envergonho (não te envergonhes) do Evangelho, que é força de Deus para a salvação de todo o que crê.  Está convencido que o poder da evangelização radica no Evangelho, mais que nos livros de teologia, sistemas de comunicação ou técnicas humanas. Exemplo:1 Padre Ernesto Sievers de Uganda Depois de gastar toda sua vida como missionário na África, este sacerdote dos Padres Brancos, confessava: Na África, a Igreja Católica fracassou porque quis entrar com o catecismo , em vez do Anuncio explícito e claro de Jesus, morto e ressuscitado” ; e logo, concluiu com tristeza: “Se queremos que nosso fracasso se repita, devemos continuar usando mais o Catecismo que a Palavra de Deus”. Exemplo:2 A evangelização no Japão. Durante um retiro sacerdotal dado em Kyoto, em 1995, o bispo de Fukoka dizia aos pregadores: “Por muitos séculos a Igreja quis entrar na cultura japonesa pela cabeça, em vez de entrar pelo coração; ou seja, com a pessoa de Jesus de Nazaré”. Porque a boca fala do que lhe transborda do coração.: Mt 12, 34. Jesus estando em nosso coração, com certeza aparecera na vida das pessoas. Se ardemos com a Palavra de salvação, vamos também incendiar aos demais. Paulo refletis sempre: Ai de mim (ti) se não evangelizar (evangelizar)!  e voce? O evangelizador é o que está convencido do poder do Kerygma, e tem mentalidade kerygmática e evangeliza no tempo e fora de tempo, e experimentou a força da pregação do Kerygma. Nossa vocação:  Não basta conhecer o Kerygma. É necessário ter uma mentalidade kerygmática.  Os valores e princípios do kerygma não são negociáveis, não por intransigência ou radicalismo, mas por convicção edificada sobre uma sólida experiência de salvação. 40 3. Tres degraus
  41. 41. O sinal que se tem mentalidade kerygmática é que continuamente se encontram novos caminhos, expressões e métodos para evangelizar. O Kerygma é a grande força (o petróleo) que a Igreja tem para transformar o mundo. O Kerygma só tem um problema:  Se não uso não funciona.   Se não o uso (usas), não funciona.  O pregador com mentalidade Kerygmática se converte em testemunha que teve uma experiência pessoal, que se transforma em um fogo preso nos ossos, que não se pode e nem se quer extinguir (Jer 20, 9) Atenção: Muitas vezes se insiste em que pesa sobre todos e cada um dos batizados não só o direito, mas também a obrigação de evangelizar. Mas isto é muito perigoso, pois não podem e nem devem evangelizar quem não foi evangelizado; contrariamente, a mensagem ficaria reduzida a uma fria doutrina e não um testemunho, que carece do respaldo de uma experiência vivida. Precisam-se de testemunhas, e não de repórteres. No anuncio Kerygmático se precisa mais de testemunhas que de mestres; testemunhas transformados com o fogo da Palavra do Evangelho. O sinal que anunciamos o verdadeiro kerygma é: Corações transpassados, mais que mentes iluminadas. Convertidas. SEGUNDO DEGRAU: O PODER DA AÇÃO: KARISMAS Os sinais, prodígios, e milagres não só acompanham a proclamação do KErygma, como são parte integral do Primeiro Anuncio. · Jesus: Anunciava o Reino e curava aos enfermos (Mt 4, 23). andou fazendo o bem e curando todos os oprimidos do demônio, porque Deus estava com ele. (At 10, 38). · Apóstolos: Quando Jesus ordena a seus discípulos: “Vão por todo o mundo e proclamem a Boa Nova a toda a criação”, imediatamente depois acrescenta: Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados.:Mc16,17-18. E Nós: Hoje é necessária a dynamis, o poder do Espírito, para realizar curas, milagres e libertações que mostrem a atualidade e a eficácia da morte e ressurreição de Cristo Jesus. Estes sinais dão uma maior valia à proclamação. MENTALIDADE KARISMÁTICA: DYNAMIS Neste segundo MOMENTO da escalada do Aposento Alto, o protagonista é nada menos que a Pessoa do Espírito Santo. O espírito Santo é o Protagonista da missão (evangelizadora) João Paulo II * Magisterio da Igreja 3. Tres degraus 41
  42. 42. Assim como temos de ter a mente de Cristo Jesus para evangelizar, temos de adquirir a mente do Espírito Santo para a forma de fazê-lo. O principal carisma ou primeira graça de Deus, é o mesmo Espírito Santo, o qual vem acompanhado de: Dons do Espírito, Frutos do Espírito e Carismas do Espírito Santo. a. Os Dons do Espírito Santo são dados para a santidade. · Que são esses Dons?  Santo Tomás de Aquino (1225-1274) São disposições ou qualidades que capacitam o homem para obedecer rápido, fácil e voluntariamente a Deus. · Para que são? Para a santidade pessoal, pois nos capacitam para viver a vida de Deus e nos ajudam a cumprir a vontade divina. · Para quem são? Para todos os batizados. · Base bíblica: Sobre ele repousará o Espírito do Senhor, Espírito de sabedoria e de entendimento, Espírito de prudência e de coragem, Espírito de ciência e de temor ao Senhor.:( Is 11,2). DOM DE SABEDORIA: Capacita para entender e saborear as coisas com os olhos de Deus e amar a realidade como Deus a ama. Tem-se gosto pelas coisas de Deus e se goza e se desfruta os mistérios da fé. DOM DE INTELIGÊNCIA: Capacita para entender as verdades reveladas por Deus. Entende-se e compreende a Escritura com uma luz nova. DOM DE CONSELHO: Capacita para ouvir a voz de Deus nas situações difíceis da vida. Nos orienta para encontrar uma justa decisão. DOM DE FORTALEZA: Capacita a perseverar com fidelidade à própria vocação, como a superar as grandes provas com inteireza. O sacerdote que se mantém fiel à sua vocação ou um mártir que sofre a perseguição. DOM DE CIENCIA: Capacita para saber julgar retamente as coisas criadas. Sabe valorizar as realidades temporais e as realidades espirituais. DOM DO TEMOR DE DEUS: Não é medo de Deus, mas respeito, reconhecimento que Deus é Deus e renunciando a qualquer que ouse suplanta-lo, mesmo os ídolos religiosos que são os mais perigosos. Render-lhe gloria e não nos apropriarmos de nenhum dos atributos divinos. DOM DE PIEDADE: Nos capacita para nos apresentar diante de Deus com os sentimentos de um filho, e reconhecer aos demais como irmãos. Os dons do Espírito Santo são para todos. Desde nosso batismo, quando fomos selados com o Espírito Santo de Deus, os temos como uma semente que é capaz de crescer. Ñ RECURSO DIDÁTICO: Mulher adornada Objetivo: Mostrar que somos chamados a partilhar todos os dons do Espírito Santo. Motivação: Entre mais dons, mais riqueza espiritual. Procedimento: Pede-se a uma mulher que coloque um relógio, uma pulseira, uma corrente, dois argolas, um colar e um anel. 42 3. Tres degraus
  43. 43. Ensino: Darmo-nos conta como se embeleza. Assim também nós nos enchemos mais e mais da santidade de Deus. b. Os frutos do Espírito Santo Embora exijam nossa resposta e colaboração para exercê-los, fundamentalmente são a lógica manifestação de Deus em nossa vida. Assim como uma árvore de limões produz limões e uma laranjeira dá laranjas, o Espírito Santo produz seus frutos; os frutos do Espírito. São Paulo o declara assim: os frutos do Espírito são caridade, alegria, paz, paciência, afabilidade, bondade, fidelidade,:Gal5,22). Baseados neste texto, chega-se a afirmar que os frutos do Espírito são sete, mas o Espírito Santo manifesta um só fruto (o amor). A subseqüente lista do Apóstolo só mostra as distintas formas como o amor se torna vivo e atuante. Ademais, os frutos do Espírito são contrários aos frutos da carne (Gal 5, 19-24) Ñ Recurso Didático: Balança Colocam-se frutos da carne em um prato e frutos do Espírito em outro. Quanto mais cresçam os frutos do Espírito, menos peso tem os frutos da carne. Se os frutos da carne prevalecem, os frutos do Espírito se vão diluindo. ? Desafio para refletir Qual dos dois pratos estamos alimentando, regando e abonando? c. Os carismas do Espírito são para evangelizar Etimologia: Carisma vem do grego “charis”, que significa, dom, graça, presente. · Que são os carismas? o São dons extraordinários de Deus que acompanham a evangelização. o São momentos da graça de Deus, que visita seu povo. · Para que Servem? o Para o bem da comunidade, para a edificação do corpo de Cristo (Ef 4, 16). o Para suscitar ou acrescentar a fé, mas não necessariamente para provar a veracidade da doutrina. o Para mostrar a presença salvifica de Deus entre nós. · Para quem são os carismas? o Para os que proclamam o Kerygma. o Para os que crêem. d. Alguns carismas extraordinários São Paulo oferece diferentes listas destes carismas. Selecionamos alguns deles. 1º: Carisma de línguas (Rom 8, 26) Tem quatro formas distintas de manifestar-se, as quais não temos que confundir: · Glossolalia, dom de oração pessoal (1Cor 14, 2-5) 3. Tres degraus 43
  44. 44. O que ora em línguas, está comunicando-se diretamente com Deus, pronunciando coisas misteriosas. Nosso vocabulário é muito limitado para manifestar com palavras a grandeza de Deus. Por isto, o Espírito Santo vem em nossa ajuda e se comunica com Deus, não com palavras ou conceitos de um idioma, mas com uma linguagem nova, pois o que fala em línguas emite sons que não se entende. É o Espírito o que ora, não sua mente, como um canto, com melodia improvisada. É um dom tão pequeno e sensível, que se necessita grande humildade para recebê-lo e exercitá-lo. · Xenoglossia, como em Pentecostes (At 2, 4. 11) Em situações especiais de evangelização, um pregador se dá a entender por quem não fala seu mesmo idioma. · Jubilatio: Canto de assembléia A comunidade canta em línguas com grande harmonia e unidade. · Mensagem em línguas (1Cor 12, 10-11). Em um ambiente de oração, uma pessoa pronuncia sons semelhantes aos que nos referimos, mas não é para dirigir-se a Deus, mas uma mensagem que deve ser interpretada, ordinariamente por outra pessoa. Trata-se de interpretação e não de tradução. 2º: Carisma de profecia (1Cor 12, 10) O inspirado, em nome de Deus e movido pelo Espírito, fala à assembléia para edificar, exortar e animar. Exemplo: Profecía de Antioquia (At 13, 2) Durante uma assembléia da comunidade de Antioquia, o Espírito Santo disse por meio de um profeta: Separem-me já a Barnabé e a Saulo para a obra a que lhes chamei: At 12, 2b. A profecia não é adivinhação do futuro, mas para revelar o mistério do desígnio Salvifico de Deus. Manifesta seu plano nas circunstancias presentes. Em algumas ocasiões a profecia se apresenta como mensagem em línguas, fazendo-se necessário do dom de interpretação (não - tradução) para compreendê-lo. Estas mensagens geralmente são breves, claras e com uma idéia central. 3º: Carisma de palavra de conhecimento (Jo 4, 18) A pessoa percebe de alguma forma o que Deus está fazendo na vida da comunidade ou de alguma pessoa em concreto. É muito útil para a oração de cura interior. Jesus usou o dom de conhecimento com a mulher de Samaria (Jn 4, 16-19) 4º: Carisma de palavra de sabedoria (1Cor 12, 8) Permite-nos expressar e ensinar de maneira sensível e clara as verdades mais profundas da fé, como os mistérios da Trindade, Encarnação ou Redenção. 5º: Carisma de discernimento dos espíritos (1Cor 2, 15) Consiste em saber distinguir as moções que vem de Deus, daquelas que provem do Espírito Maligno. 6º: Carisma de fé (1Cor 12, 9) É a certeza absoluta de que Deus vai atuar e atua de acordo com suas promessas e em conseqüência dela. 44 3. Tres degraus
  45. 45. 7º: Visões (2Cor 12, 1) Deus costumava comunicar-se através de imagens mentais. Isto era muito freqüente nos profetas da Bíblia. Assim como, também os tempos messiânicos estão assinalados pelas visões dos jovens (Joel 3, 1-5). 8º: Descanso no Espírito Em momentos especiais da presença de Deus, se experimenta como um desvanecimento, em que a pessoa se sente submergida em Deus. Trata-se verdadeiramente de um repouso que vitamina a vida espiritual. Talvez algo semelhante aconteceu a Paulo no caminho de Damasco. 9º: Amor, que é um caminho e não meta (1Cor 12, 31) Onde há amor, ali está Deus. Os outros carismas não garantem a presença de Deus na pessoa. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos.: Jo 15, 13. Pela importância que o tema exige, damos um tempo especial no Laboratório deste Curso, para experimentar as seguintes dimensões: · Para enfermidades do corpo: Carisma de cura física. O orar pelos enfermos abre as portas mais duras. · Para enfermidades do coração: Carisma de cura interior. · Para enfermidades do espírito: A reconciliação. · Para ataduras e influencia de Satanás: A libertação. e. O Espírito dos carismas e critérios para seu bom uso: 1º: Acompanham a proclamação da Palavra Não se dão separados, mas como acompanhantes da evangelização,  porque a Catequese e a Teologia já têm seus próprios argumentos doutrinais. Carismas sem evangelização é simples show ou circo. Assembléia de cura sem proclamação do Evangelho se reduz ao trabalho de veterinário. 2º: devem ser usados em comunidade e para o bem da comunidade Carismático isolado é contradição de termos. Somos um corpo com diferentes carismas (1Tes 5, 12.19.21; 1Cor 3, 8). Ninguém tem todos os carismas, só a Igreja, como comunidade. Exemplo: a senhora – igreja Uma senhora se aproximou ao padre Tomás Forrest e lhe disse com presunção: “Padre, padre, eu tenho os sete carismas do Espírito Santo”. O sacerdote lhe contestou: “Filha, filha, és toda uma Igreja”. 3. Tres degraus 45
  46. 46. Ñ RECURSO DIDÁTICO: Apar elhos el et rôni cos Objetivo: Mostrar como o mesmo Espírito atua de diferentes maneiras em cada um de nós. Motivação: A energia elétrica é a mesma, mas pode manifestar-se de diferentes formas. Procedimento: Pluga-se diferentes aparelhos eletrônicos a uma tomada. Ensino: O único Espírito atua de forma diferente em cada um de nós para o bem comum. 3º Colaboração divino humana Em todo exercício dos carismas há: o Causa primeira: Deus, que é o protagonista. o Causa instrumental: O homem, que colabora com Deus. É necessária a cooperação de ambos. Nem Deus o faz só, nem o homem. Quando o homem o faz sem Deus e fora do contexto evangelizador, se chama curandeirismo, magia o espiritismo. 4º: Discernimento comunitário Os carismas se exercitam e se discernem em comunidade. Ao bispo, principio e fundamento visível da comunhão e unidade na fé, lhe compete discernir a autenticidade dos carismas, sem extinguir o Espírito. Magisterio Da Igreja Jesus oferece um critério: por seus frutos se reconhece a árvore: Mt 7, 16 Aplicação Cada um de nós tem um carisma, o qual não é para luxo ou beneficio pessoal, mas para evangelizar, pois os carismas mostram que Jesus está vivo e tocam o coração para a conversão. Uma evangelização sem carismas se reduziria a propaganda ou simples comunicação de uma verdade ou teoria. O segredo da evangelização apostólica era que os Apóstolos anunciavam com poder a mensagem do Reino: curas, milagres e ressurreição de mortos, não eram adornos opcionais, mas parte da mesma mensagem. Tanto, que até: · A sombra de Pedro curava aos enfermos (*). · O lenço de Paulo fazia o mesmo (*)3 Por muitos séculos na Igreja se pensou que as manifestações portentosas e os milagres estavam reduzidos ao inicio da era apostólica. Outros pensaram que os milagres e curas eram questão de santidade. É preciso mudar esta mentalidade. As manifestações carismáticas (milagres, prodígios, curas e libertações) não são propriedade exclusiva dos santos nem estão reduzidas ao principio da Igreja, mas é parte integrante da evangelização. 3 * A sombra e lenços não foram a causa da cura, se não, cairia em uso como talismãs ou amuletos. 46 3. Tres degraus
  47. 47. Também não são exclusivos de alguns movimentos, mas são para a de missão evangelizar. Estes carismas são para quem anuncia a Boa Noticia e para quem crê. Resumo do segundo escalão. O segundo degrau que tanto nos sobe como nos desce do Cenáculo, está construído com os carismas do Espírito. Eles mesmos já são manifestação do poder de Deus que atua nas pessoas que são evangelizadas. TERCEIRO ESCALÃO: O PODER DO AMOR: KOINONÍA Já vimos os dois primeiros Degraus: · O poder da Palavra proclamada através do anuncio do Kerygma · O poder dos sinais, prodígios e milagres que denotam a presença e a força do Espírito Santo, o protagonista da evangelização. Agora vamos subir este terceiro Degrau para o Aposento Alto: O poder do amor na comunidade cristã. O amor é a grande força para mudar os corações e o mundo, que brota da comunhão do Pai com o Filho no Espírito Santo (2Cor 13, 13). O amor manifesta-se especialmente de três formas: · A misericórdia, que é a forma como Deus ama. O amor misericordioso é o sinal que identifica os discípulos de Jesus. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: que se amem uns aos outros e se perdoem as ofensas como seu Pai os perdoou (Jo 13, 35; Lc 11, 4). · O perdão dado e recebido, que tem força reconstrutora. · A unidade, que manifesta a comunhão do Pai com o Filho no Espírito Santo. A unidade dos cristãos é força evangelizadora: Pai, que sejam um, para que o mundo creia: Jo 17, 21. MENTALIDADE COMUNITARIA Evangelizar é um ato eminentemente eclesial: Paulo VI. Evangelii Nuntiandi * Magisterio da Igreja Os Apóstolos evangelizavam em comunidade e formavam comunidades Jesus enviou seus discípulos de dois em dois para anunciar o Reino de Deus. Depois envia a comunidade apostólica, para que anuncie a Boa Nova da Salvação. Por outro lado, a meta da evangelização é a formação de comunidades que mostrem que o amor esta sendo derramado em nossos corações e que é possível viver o amor neste mundo. O primeiro fruto da evangelização é a comunidade. 3. Tres degraus 47
  48. 48. A comunidade Cristã de amor e unidade é testemunha da ressurreição de Jesus.  A comunidade Cristã comprova que o Reino de Deus já chegou. Aplicação O evangelizar e viver em comunidade como Corpo de Cristo é o argumento mais poderoso da Evangelização com Poder. Resumo A comunidade é fruto do Espírito Santo, e ao mesmo tempo Ele se faz presente na comunidade, principalmente quando reina o amor.  comunidade é o primeiro sinal de evangelização.  C. CONCLU SÃO Já consideramos os três degraus, para subir ao Aposento Alto, que são os mesmos para descer para a praça e anunciar para três mil pessoas. Estes três elementos estão intimamente entrelaçados e são inseparáveis. Ñ RECURSO DIDÁCTICO: Café com l ei t e e açucar Objetivo: Mostar que o KErygma, os KArismas a KOinonía são inseparaveis. Procedimento: O pregador solicita café. Que na sala será misturado com leite e com açucar. A seguir pede que tirem o leite e o açúcar, porque esta de dieta Ensino: Uma vez unidos, nao é possível separa-los.  Não somos chamados a evangelizar, mas sim para evangelizar com grande poder. Não é chamado para evangelizar, mas sim evangelizar com grande poder.  O mais importante não é somente conhecer estes três ingredientes, mas sim aprender a usá-los unidos, para que nossa evangelização se realize no poder do Espírito Santo. Quando usamos estes três elementos, automaticamente temos e vemos no local, alegria e entusiasmo; entusiasmo que não se reduz a uma forma de pregar. Mas sim ao objetivo do mesmo: animar, colocar alma na pregação, tanto o pregador como o evangelizado. @ ATIVIDADE DOS PARTICIPANTES: Tarefas Objetivo: Confirmar o que aprendemos com a Palavra de Deus. Motivação: Vamos recorrer à Palavra de Deus para confirmar o que aprendemos. Procedimento: Trabalho pessoal e por comunidades Subdividem-se as três tarefas seguintes entre os integrantes de cada comunidade A última tarefa, Memorizar, é tarefa pessoal. 48 3. Tres degraus
  49. 49. a. Paralítico de Porta Formosa Descobrir os três elementos da evangelização com poder neste relato da cura do paralitico da porta formosa atos 3, 1 – 4, 14 KE Kerygma KA Karismas KO Koinonía - Amor de Deus - Pecado - Salvacão - Fe e Conversão - Jesus Salvador e Senhor - Espírito Santo - Comunidade b. Padre Cantalamessa Ler a conferencia do Padre Cantalamessa sobre a cura integral no livro “O Poder de Deus” Sublinha as frases mais importantes. Comentá-las Pentecostes na casa de María, a Mãe de João Marcos Encontrar o KE KA KO na passagem de atos 4, 18-37 KE Kerygma KA Karismas KO Koinonía 3. Tres degraus 49
  50. 50. Memorizar Motivação A mente querigmática e a colheita do que semeamos em nosso entendimento. Por isso é necessário memorizar a semente da Palavra de Deus, para que de dia e de noite continue crescendo e crescendo. Procedimento: Cada um busca em sua própria Bíblia e memoriza os seguintes textos: · Geral: Rm 1,16; Atos 4, 12; 1Cor 1,21; 1Tim 2, 5. · Amor de Deus: Is 54, 10; 49, 15-16; Jer 31, 3; 1Jo 4, 8. · Pecado: Rm 3, 23: 6, 23; Jn 8, 34. · Salvação em Jesus: Jo 3, 16-17; 10, 10; Rm 4, 24-25. · Fé e Conversão: Rm 10, 9; Atos 3, 19; 13, 38-39; Ap 3, 20. · Dom do Espírito: Ez 36, 26; Lc 24, 49; Atos 1, 5; 2, 39. · Comunidade Cristã: Atos 2, 42-44; Rm 2, 5; 1Pe 2, 9-10. 50 3. Tres degraus
  51. 51. 3. TRES DEGRAUS A. KERYGMA B. KARISMA C. KOINONÍA SUBIMOS E DESCEMOS NO CENACULO PELOS OS MESMOS TRES DEGRAUS: O KERIGMA, OS CARISMAS E A COMUNIDADE 3. Tres degraus 51
  52. 52. 4 TRES GASOLINAS 1. O B J E T I V O Mostrar as tres dimensões de um evangelizador. 2. I D E A C H A V E Nao basta somente a mensagem e nem a metodología. O mensageiro também é determinante. 3. M E T O D O L O G I A a. Didática e Pedagogía Ver quadro panorâmico que sintetiza o tema. b. Tempo 45 minutos. 4. D E S E N V O L V I M E N T O D O E N S I N O A . I NTROD UÇ ÃO a. EvocaÇÃO quando a ocasião em que Deus te usou com maior poder? b. Apresentacão e concatenação do tema Já vimos os três degraus para subir ao Cenáculo e também descer a praça para Evangelizar. Agora temos que considerar a pregador. Ele não é somente o Microfone a buzina; é a voz da Palavra.  Sua vida determina sua Mensagem. c. Objetivo do tema e motivação  Não basta transmitir uma mensagem,  mas sim chegar a ser a Mensagem; como Jesus, que é Evangelizador e Evangelho ao mesmo tempo. Se a salvação depende da pregação, a pregação depende do Pregador. B . CORPO DO ENS I NO a. Três tipos de gasolinas: · A Gasolina Comum: de baixa qualidade, contém chumbo e outros aditivos e é para motores velhos. · A Gasolina Aditivada: tem mais potencia, não contem chumbo e é usada em motores novos. · A Gasolina Pura (Ultra): que é utilizada nos aviões que sulcam os ares. 4. Tres Gasolinas 52
  53. 53. Para percorrer os fascinantes caminhos da evangelização, temos também que usar as diferentes gasolinas. Da gasolina que decido usar determina o que eu quero ser. · Caso você seja uma máquina velha ou queres ir muito lentamente use a mais fraca. · Mas se és novo, e o amor de Cristo te move, te exorta, podes escolher outra mais potente. · Porem se queres voar pelos céus, encha teu tanque com gasolina Ultra (AZUL)  o tipo de gasolina que devo usar Depende de quanto eu queira servir ao Senhor,. 1ª gasolina: Comum. Zelo pela a evangelização para colher frutos trinta por um A primeira gasolina é o Zelo pela a evangelização. Jesus não permite que se ultraje o Templo do Deus vivo, porque: O zelo pela s tua casa me consome Jo 2, 17. O zelo não admite compartilhar a salvação com ninguém, com nada fora de Jesus. Paulo evangelizador O Apostolo, não investiu seu tempo em outra coisa a não ser evangelizar. Jesus Não me enviou para Batizar, e sim para anunciar o evangelho: 1Cor 1, 17. O apostolo experimenta zelo diante de tantos altares na cidade de Atenas (Atos17, 16). Por outro lado, reconhece que os irmãos de Corinto tem grande zelo pela a Palavra de Deus (2Cor 11, 2). ? Perguntas para compartilar Conheces alguma pessoa zelosa? Tu es zeloso por algo? (não por alguem) Quais são os aspectos positivos de uma pessoa zelosa? Imagem: Camponês (1Cor 3, 6) O evangelizador “COMUM” é como o camponês que respeita as estações do ano e espera pacientemente que a terra de seu fruto. É uma obrigação que pesa sobre nos. Tanto, que Paulo chega a dizer: Ai de mím (ti) se nao evangelizar(s):  1Cor 9, 16. Profeta Elías Elías, pai do profetismo em Israel dizia (meu Deus é Jave), ele ardía de zelo pelo o Deus vivo. Por isso não consentia culto aos Baaus, e se empenhou em uma luta ferrenha contra os profetas de Baal. ... quando os problemas crescem e se ampliam os horizontes da evangelização, ai nos precisamos de outra gasolina mais poderosa  2ª gasolina: Mega. Paixão pelo o Evangelho, para colher sessenta por um Esta gasolina é mais poderosa e consiste em ter o Evangelho como o valor supremo na nossa vida. Buscai primeiro o Reino de Deus e sua justiça...e Deus lhes Dara outras coisas por acrescimo: Mt 6, 33-*. 4. Tres Gasolinas 53
  54. 54. O primeiro na vida é o Evangelho. E se algum dia tiver que eleger prioridades entre distintas opções, já deves estar decidido desde sempre, que o  Evangelho ocupa o primeiro lugar. ? Perguntas para partilhar Conheces alguma pessoa apaixonada por algo? Tem algo na vida que te apaixona? Qual o aspecto positivo de uma pessoa apaixonada? O apaixonado pelo o Evangelho possui uma força, que faz com que o Evangelho seja sempre o primeiro valor em sua vida. Está acima do Dinheiro, Instituiçoes, Comodidades ou vantagens materiais. Profeta Amós (Am 3, 8) Quando o sacerdote Amazías de Betel questionou o ministério profético de Amós, que era oriundo do Reino do sul. O simples camponês replicou com lógica irrefutável: Ruge o Leão, quem não vai temer? Fala o Senhor, quem não vai profetizar? Quando se tem a experiência de escutar o rugido de Deus, não se pode ficar calado. Amós estava apaixonado porque foi capturado por Deus. Pedro e João Quando as autoridades religiosas de Jerusalém libertaram Pedro e João, lhes proibiram de falar, sobre Jesus. Porem, enquanto eles regressavam, foram novamente á praça para continuar o que estavam fazendo (pregando a Palavra de Deus). Quando os judeus reclamaram, responderam com lógica:  Não podemos (posso, não podes) deixar de falar do que temos (tenho, tens) visto e ouvido:  Hech 4, 20. Conclusão: Pedro e João estavam apaixonados pelo o Evangelho. Imagem: Embaixador (2Cor 5, 21) Quem tem paixão pelo o Evangelho, é como um embaixador, que representa o Reino de Deus 24 horas por dia. Seu maior ganho não é do tipo material ou de prestigio, mas somente representar o Rei, o Senhor dos Senhores. Exemplo: Antes que Victor Emanuel inicia-se a unificação Italiana no século XIX, os embaixadores da Serenísima República de Veneza não recibiam salario, porque representar seu país era a maior compensação que podiam obter. O embaixador de Cristo não ganha nada de tipo material. O ato de representar o Senhor, é seu maior beneficio e vantagem. ... Mas quando os ataques de Satanás se redobram, a se apresentam desafios bem maiores humanamente impossíveis de superar... então necessitamos uma gasolina mais forte a Ultra, pura, azul que nos faça voar. 3ª gasolina: Azul, Ultra. OBSESSÃO por Jesus, para colher cem por um 54 4. Tres Gasolinas

×