SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Baixar para ler offline
OFICINA:
O uso dos contos de fadas na
aprendizagem
Luciana Bem
Psicopedagoga e Arte-terapeuta
lucianabem@gmail.com
Literatura Infantil
A literatura infantil contribui para o crescimento emocional,cognitivo e para
a identificação pessoal da criança, propiciando a percepção de diferentes
resoluções de problemas, despertando a criatividade, a autonomia, a
criticidade, que são elementos necessários na formação da criança de
nossa sociedade atual.
As situações de interação, contato e manuseio de diferentes
materiais escritos são importantes para a aprendizagem da
leitura e da escrita.
Literatura Infantil
Inserir a literatura no dia a dia das crianças é o primeiro
passo para que elas sejam convidadas a entrar do
mundo da linguagem escrita. É essencial , porém que o
trabalho seja pensado, planejado e estruturado de forma
intencional.
É preciso ler os livros para as crianças e convidá-las a ler também.
A criança aprende através do exemplo!
Ao ver um adulto lendo ela se sentirá motivada a
ler também.
Literatura Infantil
Ao desmontar um texto, pode-se criar situações
em torno da leitura e do livro para se conhecer
as diferentes dimensões que compõem uma
história:
Como a história é contada?
Que recurso o autor utiliza na forma de
escrever?
Como a história é apresentada
graficamente?
(letras , ilustrações e recursos gráficos utilizados)
Literatura Infantil
O que fazer com o livro?
Conhecer o livro
Falar sobre o livro
Ordenar as ilustrações da história
Relacionar os personagens e suas ações
Localizar nome no texto
Escrever os nomes dos personagens da história
Ler os trechos da história
Os contos de fadas são uma variação do conto
popular ou fábula.
Partilham com estes o fato de serem
uma narrativa curta cuja história se
reproduz a partir de um motivo
principal e transmite conhecimento e
valores culturais de geração para
geração, transmitida oralmente, e onde
o herói ou heroína tem de enfrentar
grandes obstáculos antes de triunfar
contra o mal.
O significado oculto dos contos de fadas
Nos contos, que muitas vezes começam pelo
"Era uma vez"
são para salientar que os temas não se referem
apenas ao presente tempo e espaço, o leitor
encontra personagens e situações que fazem parte
do seu cotidiano e do seu universo individual, com
conflitos, medos e sonhos.
As etapas da vida (nascimento, amadurecimento,
velhice e morte), bem como sentimentos que
fazem parte de cada um (amor, ódio, inveja e
amizade) são apresentados para oferecer uma
explicação do mundo que nos rodeia e nos
permite criar formas de lidar com isso.
O significado oculto dos contos de fadas
“O modo pelo qual os contos de fadas resolvem esses conflitos é
oferecendo às crianças um palco onde elas podem representar seus
conflitos interiores. As crianças, quando ouvem um conto de fada,
projetam inconscientemente partes delas mesmas em vários
personagens da história, usando-os como repositórios psicológicos
para elementos contraditórios do eu.”
Cashdan -2000
Caminho da autodescoberta
TRAVESSIA: "leva o herói ou heroína a uma terra diferente, marcada
por acontecimentos mágicos e criaturas estranhas".
ENCONTRO: "com uma presença diabólica –uma madrasta malévola,
um ogro assassino, um mago ameaçador ou outra figura com
características de feiticeiro".
CONQUISTA: "o herói ou heroína mergulha numa luta de vida ou
morte com a bruxa, que leva inevitavelmente à morte desta última".
CELEBRAÇÃO: "um casamento de gala ou uma reunião de família, em
que a vitória sobre a bruxa é enaltecida e todos vivem felizes para
sempre".
Pelo seu núcleo problemático ser existencial, os contos de
fadas podem também ser encarados como "uma jornada em
quatro etapas:
Entre os grandes autores, além do irmãos Grimm,
encontram-se o francês Charles Perrault, que deu
vida à Chapeuzinho Vermelho, Bela Adormecida,
Pequeno Polegar e Gato de Botas; Andersen, que nos
presenteou com a história do Patinho Feio; Gabrielle-
Suzanne Barbot, a Dama de Villeneuvee com a Bela e
a Fera e Charles Dickens, com o Conto de Natal e a
história de Oliver Twist. No Brasil, a maior conquista
foi Monteiro Lobato, cuja a obra ainda hoje serve de
base ao início literário de muitas crianças.
UMA CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO
Vamos
pensar????
Jornal Falado
Objetivos:
1- Organizar informações sobre um determinado conto.
2- Desenvolver a expressão oral, a interpretação, o raciocínio, o espírito de
cooperação e socialização.
3- Sintetizar ideias e fatos.
Passos:
1- Formar pequenos grupos.
2- O coordenador apresenta o tema para pesquisa.
3- Cada grupo pesquisa e apresenta o conto de forma lúdica e criativa.
4- Os demais grupos sintetiza as idéias .
5- Elaboração das notícias para apresentação, de forma bastante criativa.
6- Apresentação do jornal ao grupão.
Avaliação
1- Quais os momentos que mais nos agradaram?
2- Que ensinamentos podemos tirar para o grupo?
Dinâmicas - CONTOS DE FADAS
Objetivos:
1- Estudar e debater um conto, levando todos os participantes do grupo se
envolverem e tomar uma posição.
Participantes:Juiz,Advogado de acusação,Advogado de
defesa,Testemunhas,Corpo de Jurados e Público.
Passos:
1- Coordenador apresenta o assunto e a questão a ser trabalhada.
2- Orientação para os participantes.
3- Preparação para o júri. Juiz abre a sessão.
4- Advogado de acusação (promotor) acusa o réu ou ré (a questão em pauta).
5- Advogado de defesa, defende o réu ou a ré. Advogado de acusação toma a
palavra e continua a acusação.
6- Intervenção de testemunhas, uma de acusação. Advogado de defesa, retoma
a defesa. Intervenção da testemunha de defesa.
7- Jurados decidem a sentença, junto com o juiz.
8- O público, avalia o debate entre os advogados, destacando o que foi bom, o
que faltou. Leitura e justificativa da sentença pelo juiz.
Avaliação:
- Que proveito tiramos da dinâmica?
- O que mais nos agradou?
- Como nos sentimos?
- O que podemos melhorar?
Júri Simulado
Dinâmicas - CONTOS DE FADAS
Tirinha - Contos de Fadas
• Quem são os personagens dessa tirinha?
• O que eles estão fazendo?
• A expressão OBA!! no primeiro quadrinho significa o quê?
• No último quadrinho, qual a reação da mãe com a resposta
dada?Por que ?
1.Quem são os personagens
da tirinha ?
2.Quem é o principal
personagem ?
3. Qual é a principal
característica desse
personagem?
4.Onde está o humor da
tirinha?
5. Que sentimento
demonstra ? Como você
reagiria nessa situação?
1. Quem é o principal
personagem dessa tira ?
Descreva -o .
2.Contextualize o conto de fada.
3.O que está acontecendo na
ultima cena?O que a
personagem quer dizer com a
sua fala?
4.Que emoção expressou na
cena final? Como você reagiria
em seu lugar?
O LOBO, CANSADO DE SOPRAR, RESOLVEU ARMAR UMA CILADA DIFERENTE PARA OS TRÊS
PORQUINHOS. MANDOU UM BILHETE PARA ELES, QUE DIZIA:
QUERIDOS PORQUINHOS,
ESTOU CANSADO DE TANTA BRIGA, POR ISSO PENSEI EM FAZER UM BANQUETE EM
SINAL DE AMIZADE. SERÁ HOJE, À NOITE, EM MINHA CASA.
ESPERO ANSIOSO POR VOCÊS.
UM ABRAÇO CALOROSO DE SEU AMIGO.
ASS. LOBO
OS PORQUINHOS DESCONFIADOS, RESOLVERAM NÃO IR, POIS SENTIRAM QUE HAVIA
ALGO DE MUITO ESTRANHO.
COMO SÃO EDUCADOS, PENSARAM EM RESPONDER O BILHETE. AJUDE-OS A
ESCREVER EXPLICANDO O MOTIVO DA AUSÊNCIA.
Bilhete
Atividades - CONTOS DE FADAS
JOÃO E MARIA FORAM ABANDONADOS NA
FLORESTA E, COMO ESTAVAM PERDIDOS,
CAMINHARAM SEM RUMO.
AO LONGE AVISTARAM UM CASINHA TODA FEITA
DE DOCES. O QUE ELES NÃO SABIAM É QUE ELA
ERA DE UMA TERRÍVEL VELHA MÁ !
FAÇA UMA LISTA DOS DOCES QUE VOCÊ IMAGINA
QUE A VELHA MÁ COLOCOU NA CASA PARA
DEIXAR AS CRIANÇAS COM ÁGUA NA BOCA.
Listas
Atividades - CONTOS DE FADAS
O desafio do jogo Lince é encontrar as imagens que se tem no meio de
um grande tabuleiro cheio de imagens, como as cores, cenas e formas
se misturam a nossa visão tem dificuldade no foco. As regras podem
variar de acordo com a maneira que se quer jogar colocando mais limite
de tempo, jogadores procurando simultaneamente ou não, numero de
imagens escolhidas, a regra do Lince é sempre uma, mas algumas
alterações são sugeridas para deixar a brincadeira mais divertida e o
desafio maior.
Lince
Atividades - CONTOS DE FADAS
Memória
Proposta
Atividade Prática
Agora É com
VocêS!
 ...nenhuma outra será minha esposa senão aquela que couber
nesse sapatinho de cristal.
 … quando chegaram perto viram que a casinha era feita de pão e
coberta de bolo e as janelas cobertas de açúcar transparente.
 ...a filha do rei começou a chorar,pois tinha medo do sapo frio
que ela iria tocar e que agora iria dormir na sua cama de lençóis de
seda.
 ...o primeiro porquinho o seguiu pela estrada , não tinha a
intenção de andar muito e só de pensar.
 ...em construir uma casa já estava cansado.
Qual é o Conto?
“Salada de contos”
 A chapeuzinho vermelho encontra o Pinóquio na
floresta.
 O príncipe que acordou a branca de neve com o beijo
casou com a gata borralheira no dia anterior.
“Contos ao avesso”
 A chapeuzinho vermelho é mau e o lobo é
bom.
 A branca de neve não encontra 7 anões e
sim 7 gigantes que devoram todas as frutas
da floresta.
(RE) CONTEXTUALIZANDO CONTOS
“Contos insólitos”
 Chapeuzinho vermelho foi visitar a vovozinha
de helicóptero.
 A branca de neve fez uma viagem espacial com
o príncipe e resolveu ficar hospedada em
marte.
(RE) CONTEXTUALIZANDO CONTOS
“Finais diferenciados”
 O sapato de cristal da gata borralheira
parte-se.
 A bela adormecida só acorda 500 anos
depois no século XXI.
(RE) CONTEXTUALIZANDO CONTOS
 Escolha um instrumento...
Elabore uma atividade para ser utilizada no processo de
avaliação psicopedagógica.
E, uma atividade para ser utilizada no processo de
intervenção psicopedagógica.
Leve em consideração a situação:
Criança de 8 anos de idade com dificuldade na lecto-escrita e
na aprendizagem matemática.
ESTUDO DE CASO
“Há maior significado profundo nos contos de
fadas que me contaram na infância do que na
verdade que a vida ensina” (Schiller)
Meu agradecimento especial á Luciara Gomes, monitora da
oficina e parceira nos trabalhos da ABPp-Ce.
Luciana Bem
Fortaleza, 09/11/2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sequencia didática para trabalhar com as fábulas
Sequencia didática para trabalhar com as fábulasSequencia didática para trabalhar com as fábulas
Sequencia didática para trabalhar com as fábulasRITA DE CASSIA LAGO GOMES
 
A importância da leitura na infância
A importância da leitura na infânciaA importância da leitura na infância
A importância da leitura na infânciaMarcone Oliveira
 
Projeto: Despertar o prazer da leitura
Projeto: Despertar o prazer da leituraProjeto: Despertar o prazer da leitura
Projeto: Despertar o prazer da leiturasimonha
 
Projeto de leitura para o 3º bimestre
Projeto de leitura para o 3º bimestreProjeto de leitura para o 3º bimestre
Projeto de leitura para o 3º bimestreheliane
 
Projeto Leitura é Fonte de Saber
Projeto Leitura é Fonte de Saber Projeto Leitura é Fonte de Saber
Projeto Leitura é Fonte de Saber School
 
Projetos Educação Infantil
Projetos Educação InfantilProjetos Educação Infantil
Projetos Educação Infantilguest6de939
 
Ludico como processo de aprendizagem da criança
Ludico como processo de aprendizagem da criança   Ludico como processo de aprendizagem da criança
Ludico como processo de aprendizagem da criança Nilsa_kolling
 
1ª formação: Currículo no Ciclo de alfabetização
1ª formação: Currículo no Ciclo de alfabetização1ª formação: Currículo no Ciclo de alfabetização
1ª formação: Currículo no Ciclo de alfabetizaçãoHeloiza Moura
 
Planejamento bimestral ed. infantil
Planejamento bimestral ed. infantilPlanejamento bimestral ed. infantil
Planejamento bimestral ed. infantilkeillacr
 
1ª formação - Leitura e Escrita
1ª formação - Leitura e Escrita1ª formação - Leitura e Escrita
1ª formação - Leitura e EscritaPNAIC UFSCar
 
Leitura na educação infantil slide 2014
Leitura na educação infantil slide 2014Leitura na educação infantil slide 2014
Leitura na educação infantil slide 2014MariaScalet
 
Eu sou assim e vou te mostrar
 Eu sou assim e vou te mostrar Eu sou assim e vou te mostrar
Eu sou assim e vou te mostrarmeloand
 

Mais procurados (20)

Sequencia didática para trabalhar com as fábulas
Sequencia didática para trabalhar com as fábulasSequencia didática para trabalhar com as fábulas
Sequencia didática para trabalhar com as fábulas
 
A importância da leitura na infância
A importância da leitura na infânciaA importância da leitura na infância
A importância da leitura na infância
 
Projeto: Despertar o prazer da leitura
Projeto: Despertar o prazer da leituraProjeto: Despertar o prazer da leitura
Projeto: Despertar o prazer da leitura
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
MODELO DE Projeto literatura na escola
MODELO DE Projeto  literatura na escolaMODELO DE Projeto  literatura na escola
MODELO DE Projeto literatura na escola
 
O patinho feio
O patinho feioO patinho feio
O patinho feio
 
Projeto de leitura para o 3º bimestre
Projeto de leitura para o 3º bimestreProjeto de leitura para o 3º bimestre
Projeto de leitura para o 3º bimestre
 
Projeto Leitura é Fonte de Saber
Projeto Leitura é Fonte de Saber Projeto Leitura é Fonte de Saber
Projeto Leitura é Fonte de Saber
 
Projetos Educação Infantil
Projetos Educação InfantilProjetos Educação Infantil
Projetos Educação Infantil
 
Projeto Conta que eu conto
Projeto Conta que eu contoProjeto Conta que eu conto
Projeto Conta que eu conto
 
Leitura colaborativa
Leitura colaborativaLeitura colaborativa
Leitura colaborativa
 
Ludico como processo de aprendizagem da criança
Ludico como processo de aprendizagem da criança   Ludico como processo de aprendizagem da criança
Ludico como processo de aprendizagem da criança
 
Lúdico na sla de aula
Lúdico na sla de aulaLúdico na sla de aula
Lúdico na sla de aula
 
1ª formação: Currículo no Ciclo de alfabetização
1ª formação: Currículo no Ciclo de alfabetização1ª formação: Currículo no Ciclo de alfabetização
1ª formação: Currículo no Ciclo de alfabetização
 
Planejamento bimestral ed. infantil
Planejamento bimestral ed. infantilPlanejamento bimestral ed. infantil
Planejamento bimestral ed. infantil
 
1ª formação - Leitura e Escrita
1ª formação - Leitura e Escrita1ª formação - Leitura e Escrita
1ª formação - Leitura e Escrita
 
A menina que não gostava de ler
A menina que não gostava de lerA menina que não gostava de ler
A menina que não gostava de ler
 
Leitura na educação infantil slide 2014
Leitura na educação infantil slide 2014Leitura na educação infantil slide 2014
Leitura na educação infantil slide 2014
 
Eu sou assim e vou te mostrar
 Eu sou assim e vou te mostrar Eu sou assim e vou te mostrar
Eu sou assim e vou te mostrar
 
Projeto de Leitura _ História em Quadrinhos
Projeto de Leitura _  História em QuadrinhosProjeto de Leitura _  História em Quadrinhos
Projeto de Leitura _ História em Quadrinhos
 

Destaque

Registo ocorrencias creche
Registo ocorrencias crecheRegisto ocorrencias creche
Registo ocorrencias crecheGuida Sousa
 
A arte de contar
A arte de contarA arte de contar
A arte de contarDalila Melo
 
Conto narrativo
Conto narrativoConto narrativo
Conto narrativoBlairvll
 
Era uma vez - O Conto e a Oralidade
Era uma vez - O Conto e a OralidadeEra uma vez - O Conto e a Oralidade
Era uma vez - O Conto e a OralidadeDenise Oliveira
 
Coração de Mãe
Coração de MãeCoração de Mãe
Coração de MãePedro Moura
 
Gênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoGênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoMyllenne Abreu
 
Gênero de texto conto
Gênero de texto contoGênero de texto conto
Gênero de texto contoguestd9a4ef3c
 
1.conto, características
1.conto, características1.conto, características
1.conto, característicasHelena Coutinho
 
Histórias infantis e contos power point
Histórias infantis e contos power pointHistórias infantis e contos power point
Histórias infantis e contos power pointdione mompean fernandes
 
A princesa baixinha power point
A princesa baixinha   power pointA princesa baixinha   power point
A princesa baixinha power pointlabeques
 
Fortunyt apresentação set_2013_25
Fortunyt apresentação set_2013_25Fortunyt apresentação set_2013_25
Fortunyt apresentação set_2013_25Daniel Souza
 
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGua
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGuaEra Uma Vez Uma Gotinha De áGua
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGuamaria leite
 

Destaque (16)

Registo ocorrencias creche
Registo ocorrencias crecheRegisto ocorrencias creche
Registo ocorrencias creche
 
Registros em livro e ocorrencia
Registros em livro e ocorrenciaRegistros em livro e ocorrencia
Registros em livro e ocorrencia
 
A arte de contar
A arte de contarA arte de contar
A arte de contar
 
Conto narrativo
Conto narrativoConto narrativo
Conto narrativo
 
Era uma vez - O Conto e a Oralidade
Era uma vez - O Conto e a OralidadeEra uma vez - O Conto e a Oralidade
Era uma vez - O Conto e a Oralidade
 
6 contos curtos
6 contos curtos6 contos curtos
6 contos curtos
 
Contos pdf
Contos pdfContos pdf
Contos pdf
 
Coração de Mãe
Coração de MãeCoração de Mãe
Coração de Mãe
 
Gênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoGênero Textual: Conto
Gênero Textual: Conto
 
Gênero de texto conto
Gênero de texto contoGênero de texto conto
Gênero de texto conto
 
1.conto, características
1.conto, características1.conto, características
1.conto, características
 
Histórias infantis e contos power point
Histórias infantis e contos power pointHistórias infantis e contos power point
Histórias infantis e contos power point
 
A princesa baixinha power point
A princesa baixinha   power pointA princesa baixinha   power point
A princesa baixinha power point
 
Fortunyt apresentação set_2013_25
Fortunyt apresentação set_2013_25Fortunyt apresentação set_2013_25
Fortunyt apresentação set_2013_25
 
O cabelo de lele
O cabelo de leleO cabelo de lele
O cabelo de lele
 
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGua
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGuaEra Uma Vez Uma Gotinha De áGua
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGua
 

Semelhante a O uso dos contos de fadas na aprendizagem

A magia de contar histórias
A magia de contar históriasA magia de contar histórias
A magia de contar históriasPedro da Silva
 
A magia de contar histórias
A magia de contar históriasA magia de contar histórias
A magia de contar históriasRossita Figueira
 
Contos de fadas: uma análise educacional
Contos de fadas: uma análise educacionalContos de fadas: uma análise educacional
Contos de fadas: uma análise educacionalCesar Sinicio
 
Hubia literatura ok
Hubia literatura okHubia literatura ok
Hubia literatura okMarcia Silva
 
Biblioteca boletim nº 8
Biblioteca   boletim nº 8Biblioteca   boletim nº 8
Biblioteca boletim nº 8bibdjosei2006
 
Rita cristina professor inovador
Rita cristina  professor inovadorRita cristina  professor inovador
Rita cristina professor inovadorSimoneHelenDrumond
 
10 rita cristina professor inovador
10 rita cristina  professor inovador10 rita cristina  professor inovador
10 rita cristina professor inovadorSimoneHelenDrumond
 
Oficina educação infantil 12 de maio de 2015
Oficina educação infantil 12 de maio de 2015Oficina educação infantil 12 de maio de 2015
Oficina educação infantil 12 de maio de 2015Fabiana Esteves
 
A importância de contar histórias
A importância de contar históriasA importância de contar histórias
A importância de contar históriasMargarete Tesch
 
Qual a importância das histórias?
Qual a importância das histórias? Qual a importância das histórias?
Qual a importância das histórias? Dayse Valle
 
Contagem de história na educação infantil
Contagem de história na educação infantilContagem de história na educação infantil
Contagem de história na educação infantilcefaprodematupa
 
Na companhia das estórias..
Na companhia das estórias..Na companhia das estórias..
Na companhia das estórias..Pedro França
 
Especificidade do Texto Literário
Especificidade do Texto LiterárioEspecificidade do Texto Literário
Especificidade do Texto LiterárioJoselaine
 
Atps -literatura_infantil
Atps  -literatura_infantilAtps  -literatura_infantil
Atps -literatura_infantilmkbariotto
 
IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...
IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...
IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...guest67b92
 
Sou pequenino, mas já gosto de ler pais
Sou pequenino, mas já gosto de ler paisSou pequenino, mas já gosto de ler pais
Sou pequenino, mas já gosto de ler paisJennifer Silva
 
A galinha dos ovos misteriosos
A galinha dos ovos misteriososA galinha dos ovos misteriosos
A galinha dos ovos misteriososjivermil
 

Semelhante a O uso dos contos de fadas na aprendizagem (20)

A magia de contar histórias
A magia de contar históriasA magia de contar histórias
A magia de contar histórias
 
A magia de contar histórias
A magia de contar históriasA magia de contar histórias
A magia de contar histórias
 
Contos de fadas: uma análise educacional
Contos de fadas: uma análise educacionalContos de fadas: uma análise educacional
Contos de fadas: uma análise educacional
 
Hubia literatura ok
Hubia literatura okHubia literatura ok
Hubia literatura ok
 
Biblioteca boletim nº 8
Biblioteca   boletim nº 8Biblioteca   boletim nº 8
Biblioteca boletim nº 8
 
Rita cristina professor inovador
Rita cristina  professor inovadorRita cristina  professor inovador
Rita cristina professor inovador
 
10 rita cristina professor inovador
10 rita cristina  professor inovador10 rita cristina  professor inovador
10 rita cristina professor inovador
 
Oficina educação infantil 12 de maio de 2015
Oficina educação infantil 12 de maio de 2015Oficina educação infantil 12 de maio de 2015
Oficina educação infantil 12 de maio de 2015
 
A importância de contar histórias
A importância de contar históriasA importância de contar histórias
A importância de contar histórias
 
Qual a importância das histórias?
Qual a importância das histórias? Qual a importância das histórias?
Qual a importância das histórias?
 
Contagem de história na educação infantil
Contagem de história na educação infantilContagem de história na educação infantil
Contagem de história na educação infantil
 
Contos de Fadas em libras.pdf
Contos de Fadas em libras.pdfContos de Fadas em libras.pdf
Contos de Fadas em libras.pdf
 
Na companhia das estórias..
Na companhia das estórias..Na companhia das estórias..
Na companhia das estórias..
 
Especificidade do Texto Literário
Especificidade do Texto LiterárioEspecificidade do Texto Literário
Especificidade do Texto Literário
 
Artigo11
Artigo11Artigo11
Artigo11
 
Sequência literária
Sequência literáriaSequência literária
Sequência literária
 
Atps -literatura_infantil
Atps  -literatura_infantilAtps  -literatura_infantil
Atps -literatura_infantil
 
IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...
IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...
IdéIas Do Livro Narrativas Docentes Capitulo O Jogo Do Faz De Conta Em Sala D...
 
Sou pequenino, mas já gosto de ler pais
Sou pequenino, mas já gosto de ler paisSou pequenino, mas já gosto de ler pais
Sou pequenino, mas já gosto de ler pais
 
A galinha dos ovos misteriosos
A galinha dos ovos misteriososA galinha dos ovos misteriosos
A galinha dos ovos misteriosos
 

Mais de Marlete Outeiro

Mais de Marlete Outeiro (11)

Manual de trabalhos acadêmicos à luz das normas técnicas
Manual de trabalhos acadêmicos à luz das normas técnicasManual de trabalhos acadêmicos à luz das normas técnicas
Manual de trabalhos acadêmicos à luz das normas técnicas
 
Manual sem mater dei
Manual sem mater deiManual sem mater dei
Manual sem mater dei
 
Henri wallon
Henri wallonHenri wallon
Henri wallon
 
Manual marlete a4 (5)
Manual marlete a4 (5)Manual marlete a4 (5)
Manual marlete a4 (5)
 
Pedagogia do amor
Pedagogia do amorPedagogia do amor
Pedagogia do amor
 
Alfabetização e jogos
Alfabetização e jogosAlfabetização e jogos
Alfabetização e jogos
 
01 pedagogia empresarial
01 pedagogia empresarial01 pedagogia empresarial
01 pedagogia empresarial
 
Projeto jogos e_leitura
Projeto jogos  e_leituraProjeto jogos  e_leitura
Projeto jogos e_leitura
 
Festa junina origem crachá
Festa junina   origem cracháFesta junina   origem crachá
Festa junina origem crachá
 
Diretriz formacao docentes
Diretriz formacao docentesDiretriz formacao docentes
Diretriz formacao docentes
 
Jogos
JogosJogos
Jogos
 

O uso dos contos de fadas na aprendizagem

  • 1. OFICINA: O uso dos contos de fadas na aprendizagem Luciana Bem Psicopedagoga e Arte-terapeuta lucianabem@gmail.com
  • 2. Literatura Infantil A literatura infantil contribui para o crescimento emocional,cognitivo e para a identificação pessoal da criança, propiciando a percepção de diferentes resoluções de problemas, despertando a criatividade, a autonomia, a criticidade, que são elementos necessários na formação da criança de nossa sociedade atual. As situações de interação, contato e manuseio de diferentes materiais escritos são importantes para a aprendizagem da leitura e da escrita.
  • 3. Literatura Infantil Inserir a literatura no dia a dia das crianças é o primeiro passo para que elas sejam convidadas a entrar do mundo da linguagem escrita. É essencial , porém que o trabalho seja pensado, planejado e estruturado de forma intencional. É preciso ler os livros para as crianças e convidá-las a ler também. A criança aprende através do exemplo! Ao ver um adulto lendo ela se sentirá motivada a ler também.
  • 4. Literatura Infantil Ao desmontar um texto, pode-se criar situações em torno da leitura e do livro para se conhecer as diferentes dimensões que compõem uma história: Como a história é contada? Que recurso o autor utiliza na forma de escrever? Como a história é apresentada graficamente? (letras , ilustrações e recursos gráficos utilizados)
  • 5. Literatura Infantil O que fazer com o livro? Conhecer o livro Falar sobre o livro Ordenar as ilustrações da história Relacionar os personagens e suas ações Localizar nome no texto Escrever os nomes dos personagens da história Ler os trechos da história
  • 6. Os contos de fadas são uma variação do conto popular ou fábula. Partilham com estes o fato de serem uma narrativa curta cuja história se reproduz a partir de um motivo principal e transmite conhecimento e valores culturais de geração para geração, transmitida oralmente, e onde o herói ou heroína tem de enfrentar grandes obstáculos antes de triunfar contra o mal.
  • 7. O significado oculto dos contos de fadas Nos contos, que muitas vezes começam pelo "Era uma vez" são para salientar que os temas não se referem apenas ao presente tempo e espaço, o leitor encontra personagens e situações que fazem parte do seu cotidiano e do seu universo individual, com conflitos, medos e sonhos. As etapas da vida (nascimento, amadurecimento, velhice e morte), bem como sentimentos que fazem parte de cada um (amor, ódio, inveja e amizade) são apresentados para oferecer uma explicação do mundo que nos rodeia e nos permite criar formas de lidar com isso.
  • 8. O significado oculto dos contos de fadas “O modo pelo qual os contos de fadas resolvem esses conflitos é oferecendo às crianças um palco onde elas podem representar seus conflitos interiores. As crianças, quando ouvem um conto de fada, projetam inconscientemente partes delas mesmas em vários personagens da história, usando-os como repositórios psicológicos para elementos contraditórios do eu.” Cashdan -2000
  • 9. Caminho da autodescoberta TRAVESSIA: "leva o herói ou heroína a uma terra diferente, marcada por acontecimentos mágicos e criaturas estranhas". ENCONTRO: "com uma presença diabólica –uma madrasta malévola, um ogro assassino, um mago ameaçador ou outra figura com características de feiticeiro". CONQUISTA: "o herói ou heroína mergulha numa luta de vida ou morte com a bruxa, que leva inevitavelmente à morte desta última". CELEBRAÇÃO: "um casamento de gala ou uma reunião de família, em que a vitória sobre a bruxa é enaltecida e todos vivem felizes para sempre". Pelo seu núcleo problemático ser existencial, os contos de fadas podem também ser encarados como "uma jornada em quatro etapas:
  • 10. Entre os grandes autores, além do irmãos Grimm, encontram-se o francês Charles Perrault, que deu vida à Chapeuzinho Vermelho, Bela Adormecida, Pequeno Polegar e Gato de Botas; Andersen, que nos presenteou com a história do Patinho Feio; Gabrielle- Suzanne Barbot, a Dama de Villeneuvee com a Bela e a Fera e Charles Dickens, com o Conto de Natal e a história de Oliver Twist. No Brasil, a maior conquista foi Monteiro Lobato, cuja a obra ainda hoje serve de base ao início literário de muitas crianças. UMA CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO
  • 12. Jornal Falado Objetivos: 1- Organizar informações sobre um determinado conto. 2- Desenvolver a expressão oral, a interpretação, o raciocínio, o espírito de cooperação e socialização. 3- Sintetizar ideias e fatos. Passos: 1- Formar pequenos grupos. 2- O coordenador apresenta o tema para pesquisa. 3- Cada grupo pesquisa e apresenta o conto de forma lúdica e criativa. 4- Os demais grupos sintetiza as idéias . 5- Elaboração das notícias para apresentação, de forma bastante criativa. 6- Apresentação do jornal ao grupão. Avaliação 1- Quais os momentos que mais nos agradaram? 2- Que ensinamentos podemos tirar para o grupo? Dinâmicas - CONTOS DE FADAS
  • 13. Objetivos: 1- Estudar e debater um conto, levando todos os participantes do grupo se envolverem e tomar uma posição. Participantes:Juiz,Advogado de acusação,Advogado de defesa,Testemunhas,Corpo de Jurados e Público. Passos: 1- Coordenador apresenta o assunto e a questão a ser trabalhada. 2- Orientação para os participantes. 3- Preparação para o júri. Juiz abre a sessão. 4- Advogado de acusação (promotor) acusa o réu ou ré (a questão em pauta). 5- Advogado de defesa, defende o réu ou a ré. Advogado de acusação toma a palavra e continua a acusação. 6- Intervenção de testemunhas, uma de acusação. Advogado de defesa, retoma a defesa. Intervenção da testemunha de defesa. 7- Jurados decidem a sentença, junto com o juiz. 8- O público, avalia o debate entre os advogados, destacando o que foi bom, o que faltou. Leitura e justificativa da sentença pelo juiz. Avaliação: - Que proveito tiramos da dinâmica? - O que mais nos agradou? - Como nos sentimos? - O que podemos melhorar? Júri Simulado Dinâmicas - CONTOS DE FADAS
  • 14. Tirinha - Contos de Fadas • Quem são os personagens dessa tirinha? • O que eles estão fazendo? • A expressão OBA!! no primeiro quadrinho significa o quê? • No último quadrinho, qual a reação da mãe com a resposta dada?Por que ?
  • 15. 1.Quem são os personagens da tirinha ? 2.Quem é o principal personagem ? 3. Qual é a principal característica desse personagem? 4.Onde está o humor da tirinha? 5. Que sentimento demonstra ? Como você reagiria nessa situação?
  • 16. 1. Quem é o principal personagem dessa tira ? Descreva -o . 2.Contextualize o conto de fada. 3.O que está acontecendo na ultima cena?O que a personagem quer dizer com a sua fala? 4.Que emoção expressou na cena final? Como você reagiria em seu lugar?
  • 17. O LOBO, CANSADO DE SOPRAR, RESOLVEU ARMAR UMA CILADA DIFERENTE PARA OS TRÊS PORQUINHOS. MANDOU UM BILHETE PARA ELES, QUE DIZIA: QUERIDOS PORQUINHOS, ESTOU CANSADO DE TANTA BRIGA, POR ISSO PENSEI EM FAZER UM BANQUETE EM SINAL DE AMIZADE. SERÁ HOJE, À NOITE, EM MINHA CASA. ESPERO ANSIOSO POR VOCÊS. UM ABRAÇO CALOROSO DE SEU AMIGO. ASS. LOBO OS PORQUINHOS DESCONFIADOS, RESOLVERAM NÃO IR, POIS SENTIRAM QUE HAVIA ALGO DE MUITO ESTRANHO. COMO SÃO EDUCADOS, PENSARAM EM RESPONDER O BILHETE. AJUDE-OS A ESCREVER EXPLICANDO O MOTIVO DA AUSÊNCIA. Bilhete Atividades - CONTOS DE FADAS
  • 18. JOÃO E MARIA FORAM ABANDONADOS NA FLORESTA E, COMO ESTAVAM PERDIDOS, CAMINHARAM SEM RUMO. AO LONGE AVISTARAM UM CASINHA TODA FEITA DE DOCES. O QUE ELES NÃO SABIAM É QUE ELA ERA DE UMA TERRÍVEL VELHA MÁ ! FAÇA UMA LISTA DOS DOCES QUE VOCÊ IMAGINA QUE A VELHA MÁ COLOCOU NA CASA PARA DEIXAR AS CRIANÇAS COM ÁGUA NA BOCA. Listas Atividades - CONTOS DE FADAS
  • 19. O desafio do jogo Lince é encontrar as imagens que se tem no meio de um grande tabuleiro cheio de imagens, como as cores, cenas e formas se misturam a nossa visão tem dificuldade no foco. As regras podem variar de acordo com a maneira que se quer jogar colocando mais limite de tempo, jogadores procurando simultaneamente ou não, numero de imagens escolhidas, a regra do Lince é sempre uma, mas algumas alterações são sugeridas para deixar a brincadeira mais divertida e o desafio maior. Lince Atividades - CONTOS DE FADAS
  • 22.  ...nenhuma outra será minha esposa senão aquela que couber nesse sapatinho de cristal.  … quando chegaram perto viram que a casinha era feita de pão e coberta de bolo e as janelas cobertas de açúcar transparente.  ...a filha do rei começou a chorar,pois tinha medo do sapo frio que ela iria tocar e que agora iria dormir na sua cama de lençóis de seda.  ...o primeiro porquinho o seguiu pela estrada , não tinha a intenção de andar muito e só de pensar.  ...em construir uma casa já estava cansado. Qual é o Conto?
  • 23. “Salada de contos”  A chapeuzinho vermelho encontra o Pinóquio na floresta.  O príncipe que acordou a branca de neve com o beijo casou com a gata borralheira no dia anterior.
  • 24. “Contos ao avesso”  A chapeuzinho vermelho é mau e o lobo é bom.  A branca de neve não encontra 7 anões e sim 7 gigantes que devoram todas as frutas da floresta. (RE) CONTEXTUALIZANDO CONTOS
  • 25. “Contos insólitos”  Chapeuzinho vermelho foi visitar a vovozinha de helicóptero.  A branca de neve fez uma viagem espacial com o príncipe e resolveu ficar hospedada em marte. (RE) CONTEXTUALIZANDO CONTOS
  • 26. “Finais diferenciados”  O sapato de cristal da gata borralheira parte-se.  A bela adormecida só acorda 500 anos depois no século XXI. (RE) CONTEXTUALIZANDO CONTOS
  • 27.  Escolha um instrumento... Elabore uma atividade para ser utilizada no processo de avaliação psicopedagógica. E, uma atividade para ser utilizada no processo de intervenção psicopedagógica. Leve em consideração a situação: Criança de 8 anos de idade com dificuldade na lecto-escrita e na aprendizagem matemática. ESTUDO DE CASO
  • 28. “Há maior significado profundo nos contos de fadas que me contaram na infância do que na verdade que a vida ensina” (Schiller) Meu agradecimento especial á Luciara Gomes, monitora da oficina e parceira nos trabalhos da ABPp-Ce. Luciana Bem Fortaleza, 09/11/2012