Baterias Térmicas

2.101 visualizações

Publicada em

Desenvolvimentos sobre pilas/Baterias Térmicas

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.101
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
117
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Baterias Térmicas

  1. 1. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas PilhasTérmicas26-01-2012 Por : Luís Timóteo 1
  2. 2. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): Funcionamento Inventadas pelos alemães na Segunda Guerra e utilizadas nos foguetes das V2’s, consistem de um ânodo de metal alcalino terroso, um sal fusível como electrólito e um sal metálico no cátodo. A fonte pirotécnica é usualmente colocada entre as células numa configuração de pilha. As pilhas térmicas usam um electrólito tal como uma mistura de cloreto de lítio com cloreto de potássio. OPilhas Térmicas: N/Recarregável electrólito é sólido e inerte á temperatura ambiente, mas funde á temperatura de activação. Esta propriedade inerte do electrólito é que permite um longo tempo de armazenamento (cerca de 20 anos) sem deteriorar. O ânodo é actualmente feito de Lítio, substituindo desde a década de 70’s, o Cálcio ou o Magnésio que foram usados durante muitos anos. Em alguns casos, o ânodo de Lítio pode mesmo ser liquido á temperatura de activação mas é mantido numa matriz de ferro por tensão de superfície, caso contrário o Lítio escorreria e curto-circuitava o cátodo. Os cátodos são feitos de cromatos ou sulfetos. 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 2
  3. 3. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): Funcionamento Uma Bateria térmica, é uma pilha não recarregável, á base de sal fundido com activação pirotécnica. O electrólito é um sal não condutor, inorgânico, sólido á temperatura ambiente natural. O electrólito (Cloreto de Lítio/ Potássio) é fundido por uma fonte de calor de pirotecnia que é parte integrante da pilha. A pilha é activada por métodos mecânicos ou eléctricos. São fabricadas de modo a funcionarem em ambientes extremos (>100ºC). É usada especialmente em armas inteligentes. A Pilha térmica é composta por uma série de células, cada uma tendo um ânodo,Pilhas Térmicas: N/Recarregável electrólito, cátodo e uma massa de aquecimento. O electrólito, que funciona como um separador entre o ânodo e o cátodo, permanece sólido até á activação, ao invés das pilhas convencionais em que geralmente é liquido. Todas as células permanecem completamente inertes enquanto a pilha estiver em armazenamento. Cada pilha é composta por um número necessário de células, que são ligadas em série ou em paralelo, ou uma combinação de ambas, a fim de produzir o nível desejado de tensão (s). No momento da activação, o material pirotécnico (fonte de calor) é incendiado e liberta energia para as células. A temperatura aumenta, o electrólito derrete e a troca iónica ocorre: a energia da célula é, assim, libertada. A corrente eléctrica é transmitida através dos terminais externos , para fornecer a energia necessária para a carga. 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 3
  4. 4. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): ComposiçãoPilhas Térmicas: N/Recarregável http://www.asb-group.com/animation.html 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 4
  5. 5. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries):FuncionamentoPilhas Térmicas: N/Recarregável http://www.youtube.com/watch?v=x31_Xfb8-MU 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 5
  6. 6. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): Estrutura Terminal (+) Coluna de activação Ignitor Eléctrico Colector corrente Colector de Corrente Ânodo CélulaPilhas Térmicas: N/Recarregável Electrólito Cátodo Pirotécnico (fonte Calor) Pilha de células Câmara de Ignição Isolamento Térmico 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 6
  7. 7. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries) Composição Fósforo eléctrico IsolamentopPilhas Térmicas: N/Recarregável Pilha de células NAVSO P-3676: Navy Primary and Secondary Batteries 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 7
  8. 8. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – Materiais do ÂnodoIntroduzido a meio da década de 70’s, o Lítio tornou-se no material mais usado nos ânodos da pilhas térmicas . Há essencialmente duas configurações para os ânodos de Lítio: Liga de Lítio; Lítio metal. …As ligas mais usadas são de Lítio/Alumínio (Li(Al) com cerca de 20% de Lítio, e Lítio Silício (Silicon- Li/Si) com cerca de 44% de Lítio. A liga Lítio/Boro também usada, mas raramente, devido ao seu elevado custo. As ligas Li/Al e Li(Si) são processadas em pó e comprimidas a frio e colocadas no ânodo em lâminas ou aglomerados numa espessura de 0.75 a 2.0 mm. Na célula, o aglomerado da liga é impregnado em colectores de corrente de Ferro, Aço inox ou de Níquel. As ligas de Lítio dos ânodos, nas células activadas funcionam com ânodos sólidos, e devem ser mantidas a temperaturas abaixo, ou parcial, do ponto de fusão. 44% da liga de Li(Si) irá fundir parcialmente a 7090C, enquanto que a liga Li/Al exibirá fusão parcial a 600oC . <se estas temperaturas de fusão são excedidas, o ânodo fundido entrará em contacto com o cátodo, permitindo uma reacção altamente exotérmica e curto circuitando a célula.26-01-2012 Por : Luís Timóteo 8
  9. 9. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – Materiais do Cátodo Uma grande variedade de materiais têm sido usados como material do cátodo das pilhas térmicas. (K2CrO4), Estes incluem o cromato de Cálcio (CaCrO4), o dicromato de potássio (K2Cr2O7), o cromato de potássio (K2CrO4), cromato de chumbo (PbCrO4), óxidos metálicos (V2O5, WO3 ), e sulfetos (CuS, FeS2, CoS2). Os critérios dependem da compatibilidade com o ânodo, alta voltagem , ponto de fusão e estabilidade térmica á volta de 6000C.O cromato de cálcio é o que tem sido mais usado com ânodos de cálcio, devido ao seu potencial mais elevado (2,7V a 5000C) e a sua estabilidade térmica a 6000C.O FeS2 e (mais recentemente) o CoS2 são usados com ânodos mais modernos á base de Lítio (FeS2 a 5500C e CoS2 até 650oC). 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 9
  10. 10. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – ElectrólitosHistoricamente, a maior parte dos projectos de pilhas térmicas têm usado uma mistura de fusão eutética de cloreto de lítio e cloreto de potássio como electrólito (LiCl/ KCl )..Mas as misturas contendo halogeneto de lítio tem sido preferidas por causa de sua alta condutividade e compatibilidade total geral com o ânodo e com o cátodo.Mais recentes variações de electrólitos, contendo brometos, têm sido desenvolvidos para as pilhas térmicas alcançarem um ponto de fusão mais baixo (e, portanto, estender a vida operacional) ou para reduzir a resistência interna (e elevar a capacidade de corrente) das pilhas.Esta variações incluem LiBr-KBr-LiF (mp 320C), LiCl-LiBr-KBr (mp321C), e o electrólito todo lítio LiCl-LiBr-LiF (mp 430C), com os Electrólitos de catiões mistos (por exemplo, Li e K, em vez de todos-Li) estão sujeitos ao estabelecimento de concentração de Lítio gradientes durante a descarga.Estas concentrações de gradientes podem dar origem a congelamento localizado de sais, especialmente durante as descarga de altas correntes.26-01-2012 Por : Luís Timóteo 10
  11. 11. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – Fontes de CalorAs duas principais fontes de calor que têm sido usados ​em pilhas térmicas são: O Papel de Calor (heat paper) e os Aglomerados de calor (heat pellets).Papel de calor é uma composição de aparente papel como de pós de cromato de zircónio e bário apoiado num tapete de fibra inorgânica. Aglomerados de calor são pressionados comprimidos ou pastilhas constituídas por uma mistura de pó de ferro e perclorato de potássio. O papel de Térmico Zr-BaCrO4 é fabricado a partir de zircónio pirotécnico em pó e BaCrO4, ambos com tamanhos de partículas inferiores a 10 micros. Fibras inorgânicas, tais como cerâmica e fibras de vidro, são usadas como uma estrutura para fixação, juntamente com a água, é formada uma pasta tipo papel, com folhas individuais, ou continuamente por meio de um processo de fabricação de papel. As folhas resultantes são cortadas em pedaços e secas. Uma vez secas, o material deve ser manuseado com muito cuidado, pois é muito susceptível à ignição por carga estática e fricção. Papel de calor tem uma taxa de queima de 10 a 300 cm / s e um conteúdo de calor usual de cerca de 1.675 J / g (400 cal / g).Aglomerados de calor( heat pellets) são fabricados por prensagem a frio uma mistura seca de pó de ferro fino (1 a 10 micros) e perclorato de potássio. O ferro varia de conteúdo 80-88% em peso, e é consideravelmente superior a estequiometria. Excesso de ferro fornece a sedimento queimada com condutividade Electrónica suficientes, eliminando a necessidade de separar conectores inter células. O conteúdo de calor de faixas de Fe-KClO4 é de cerca de 920 J / g com ferro a 88% . As taxas de queima são geralmente mais lentos do que os de papel calor, e a energia necessária para acendê-los é maior.26-01-2012 Por : Luís Timóteo 11
  12. 12. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – Métodos de Activação As Pilhas térmicas são activadas pela aplicação de um sinal externo a um dispositivo de activação que é incorporado no interior da pilha.Existem quatro métodos geralmente usados ​para activação: Sinal eléctrico para um dispositivo de ignição eléctrico;  Impulso mecânico a uma escorva; Choque mecânico a um activador de inércia  Energia do sinal óptico (laser) para um material pirotécnico.Ignitores eléctricos: Normalmente contêm um ou mais fios de ponte e um material pirotécnico sensível ao calor. Após a aplicação de uma corrente eléctrica, o fio de ponte inflama o pirotécnico, que por sua vez inflama a fonte de calor na pilha térmica. Os Ignitores eléctricos estão divididos em duas categorias: Squibs (fulminante) Fósforos eléctricos (electric matches)Um fulminante (squib): é um dispositivo em miniatura altamente explosivo, fechado numa caixa demetal lacrada ou cerâmica e contém um ou dois fios. Os tipos mais comuns ​requerem uma activação decorrente mínima de 3,5 A e tem um limite de não-fogo máximo de 1 A.Fósforos eléctricos: não tem uma caixa selada e geralmente contêm apenas um fio de ponte. Exigem umacorrente de activação de 500 mA a 5A e não deve ser submetido a um teste não-fogo de mais de 20 mA.Squibs são 4-10 vezes mais caros do que os fósforos eléctricos, mas são necessárias para aplicações emambientes com radiação electromagnética26-01-2012 Por : Luís Timóteo 12
  13. 13. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – Métodos de Activação Escorvas de percussão (Percussion primers ); são os dispositivos pirotécnicos que são activados pelo impacto de um dispositivo mecânico impressionante. Tipicamente, uma escorva é activada por um impacto de 2.016 a 2.880 g/cm num percussor com um raio esférico de 0,6-1,1 milímetros. As escorvas são instaladas em suportes que são partes integrantes do invólucro da pilha térmica. Activadores de inércia (Inertial or setback activators) são dispositivos que são activados por um choque de grande magnitude ou aceleração rápida, como é gerado após disparo de um morteiro ou de artilharia. Eles são projectados para reagir a uma combinação pré-determinada de força G e sua duração. Activadores de inércia são tipicamente firmemente montado dentro da estrutura da pilha térmica, a fim de suportar severos ambientes dinâmicos. Activadores a laser A activação das pilhas térmicas baterias térmica é realizada pelo “disparo” de um feixe de laser através de uma janelaópticainstalada no recinto exterior da pilha e acender um material pirotécnico dentro da unidade. Este método tem encontrado utilidade em aplicações onde a interferência electromagnética grave, seria perturbador para um método de descarga eléctrica.As Pilhas térmicas podem ser equipadas com mais de um dispositivo de activação. Os activadores múltiplos podem ser do mesmo tipo ou de qualquer combinação conforme for conveniente.26-01-2012 Por : Luís Timóteo 13
  14. 14. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – Materiais isolantesAs pilhas térmicas são desenhadas de modo a matarem-se hermeticamente fechadas durante a sua vida útil, mesmo quando a sua temperatura interna atinge ou ultrapassa os 600oC. O isolamento térmico é usado para retardar perdas de calor das células, do resto da pilha, para minimizar picos de temperatura e aumentar a estabilidade térmica.Fibras cerâmicas, fibras de vidro e certos polímeros de altas temperaturas, e outro combinações podem ser usadas como isoladores térmicos.O design das pilhas mais antigas podem ainda ter isolamentos de amianto, que era muito usado antes da década de 80’s.O isolamento eléctrico de materiais condutores, iniciadores, e outros componentes eléctrico condutores, são geralmente feitos de mica, vidro os tecidos cerâmicos, e polímeros resistentes a altas temperaturas.26-01-2012 Por : Luís Timóteo 14
  15. 15. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): Composição Pilha Térmica de Lítio/ dissulfeto de Ferro. Fósforo Eléctrico Mica Zirconium/barium chromate Isolamento Térmico (Min-K TE1400)Pilhas Térmicas: N/Recarregável Mica Isolamento Colector do ânodo Ânodo Electrólito Cátodo Colector do Cátodo Fonte de calor (Percloreto Ferro/Potássio 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 15
  16. 16. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): Composição Pilha Térmica de Lítio/ dissulfeto de Ferro.Há três configurações possíveis para os ânodos de Lítio:  Liga Li(Si) ;  Liga LiAl ;  Lítio metal em matriz, Li(M). Onde a matriz é geralmente pó de ferro. Com a diferença de que as ligas de materiais dos ânodos permanecem sólidas e o Lítio na mistura Li(Fe) é fundido na célula activada, todas as três configurações reagem de similarmente. Todas podem ser usadas com cátodo FeS2 e com os mesmo electrólitos Estes electrólitos devem ser básicos LiCl-KCl, electrólitos eutécticos LiCl-LiBr-LiF, ou electrólito para melhor condutividade iónica , ou ponto de fusão mais baixo e maior tempo de activação como LiBr-KBr-LiF . Uma vez que FeS2 é um bom condutor electrónico, a camada de electrólito é necessária de modo a evitar contacto directo Ânodo – Cátodo e causar um curto circuito na célula. Quando fundido, o electrólito entre o Ânodo e o cátodo é mantido no lugar pela acção capilar através do uso de um material de ligação quimicamente compatível (inerte). MgO é o material preferido para esta aplicação.26-01-2012 Por : Luís Timóteo 16
  17. 17. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): Composição Pilha Térmica de Lítio/ dissulfeto de Ferro.O sistema electroquímico Li/FeS2 tornou-se o sistema, porque não contém qualquer reacção química parasita. A longa durabilidade da bateria depende do tipo de electrólito e da temperatura da célula.As reacções de descarga do cátodos mais predominantes são: 3Li 2FeS2 → Li3 Fe2S4 (2.1 V) Li 3Fe2S4 + Li → 2Li2FeS2 (1.9 V) Li 2FeS2 + 2Li → Fe + 2Li2 S (1.6 V)A maior parte das pilhas térmicas são desenhadas para evitarem alterações nas voltagens das células. As transições que ocorrem no ânodo dependem da liga usada.Para Lítio/Alumínio (LiAl) são: β-LiAl (ca. 20 wt % Li) → α -Al (solução sólida)26-01-2012 Por : Luís Timóteo 17
  18. 18. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): DesempenhoPilhas Térmicas: N/Recarregável A distinção geral de tecnologias da pilha térmica está relacionada com o tipo de ânodos. Do ponto de vista electroquímico, o lítio é o elemento mais valioso devido ao seu alto potencial de redução e a sua capacidade específica de alta coulômbica. Como o seu ponto de fusão é menor do que a temperatura de funcionamento da pilha térmica, são usadas ligas de lítio ​como LiAl (Lithium alumínio) ou LiSi (Lithium -Silicio). Existe também a mistura de lítio-ferro que resulta em maior tensão de célula, maior potência e maior segurança. Para aplicações muito específicas, ânodos de cálcio também podem ser usados. NAVSO P-3676: Navy Primary and Secondary Batteries 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 18
  19. 19. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): Diversidade As Pilhas térmicas, especialmente as de cromato de cálcio/cálcio, Cálcio/dicromato de potássio e cálcio /cromato de chumbo , dependem de propriedades químicas muito diferentes. A pilha de dissulfeto de lítio / ferro tem várias vantagens sobre os outros tipos, incluindo a tolerância das condições de descarga de circuito aberto para altas densidades de corrente, aPilhas Térmicas: N/Recarregável grande capacidade actual, alto desempenho, uma construção simples, tolerância a variações de processamento, e estabilidade em ambientes dinâmicos extremos. Portanto, este tipo de bateria térmica é o mais utilizado. A pilha de lítio / bissulfeto de cobalto produz uma melhor estabilidade em altas temperaturas devido ao dissulfeto de cobalto ser estável a 650 ºC. Na pilha de Cálcio/Cromato de cálcio, tem lugar tanto a uma reacção química com eletroquímica. Esta bateria é utilizada cada vez menos, sendo substituída por pilhas termicas mais estáveis ​… 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 19
  20. 20. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): Diversidadepilhas Térmicas: N/Recarregável 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 20
  21. 21. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): Características As pilhas térmicas são pilhas primárias de lítio, que são totalmente inertes antes da activação. Elas são, portanto, completamente livres de manutenção ao longo de um armazenamento muito longo da vida, e são as únicas fontes de energia capaz de operar de forma confiável em ambientes muito agressivos. Isto inclui a temperaturas extremamente baixas e altas (elas têm uma gama de mais de 100 °C), extremos de pressão, EMI, aceleração, etc. . As pilhas térmicas representam a fonte ideal de energia para sistemas electronicamente operadospilhas Térmicas: N/Recarregável orientados em mísseis, embarcações submarinas, sistemas de defesa ar-mar etc. As pilhas térmicas pode fornecer tensões de saída diversas a partir de uma pilha. Elas são compatíveis com o regime de impulsos, bem como de carga constante. Elas podem facilmente substituir várias fontes com um ganho considerável de peso, volume e fiabilidade, tornando-se a única fonte de energia a bordo para electrónica e actuadores. Capazes de ser em personalizadas, com suporte adequado e configurações de conector, as pilhas térmicas são a solução ideal para o fornecimento de energia em todas as gamas de mísseis, foguetes guiados e kits de bombas, bem como assentos ejectáveis, devido à sua capacidade de fornecimento instantaneamente energia eléctrica. 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 21
  22. 22. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): AplicaçõesAs pilhas térmicas são tipicamente instaladas como componentes permanentes do sistemade dispositivos ou sistemas seguintes: Mísseis. Aplicações espaciais Artilharia guiada. Telemetria e distância de segurança. Torpedos. Dispositivos de contramedidas. Tipicamente as pilhas térmicas fornecem Sistema de ejecção de emergência de energia a: aviões de combate.  Circuitos electrónicos. Bombas guiadas.  Sistemas electromecânicos. Espoletas – circuitos de segurança e  Aquecimento. armamento.  Ignição de pirotécnicos. Minas – submarinas e terrestres  Carga de condensadores.  Motores.As pilhas térmicas são usadas em aplicações onde os seguintes requisitos são críticos:Circuitos de alta potencia especifica. isenção de descarga própria.Ausência de manutenção.Ciclos longos de armazenamento.Construção robusta. NAVSO P-3676: Navy Primary and Secondary Batteries26-01-2012 Por : Luís Timóteo 22
  23. 23. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): Vantagens Pilhas térmicas têm várias vantagens sobre outras pilhas. Sua vida útil é de mais de 10 anos sem degradação no desempenho. Elas podem ser activadas imediatamente para fornecer energia em fracções de segundo, e sua densidade de pico de potência superior a 10 watts por centímetro quadrado. São resistentes a ambientes agressivos, operam em temperaturas muito variadas, são confiáveis ​após armazenamento a longo prazo, e não requerem manutenção.São hermeticamente fechadas, pelo que não libertam gases, e o mais importante, eles são personalizadas para tensão aguda, hora de início e os requisitos de configuração. Suas desvantagens incluem uma vida muito curta depois de activada (geralmente menos de 10 minutos), baixa densidade energética, uma temperatura de superfície de 230 ºC ou mais quando activada, a tensão não linear, e um uso de uma só vez.26-01-2012 Por : Luís Timóteo 23
  24. 24. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Pilhas Térmicas – (Thermal batteries): Tipos ELECTROCHEMICAL SYSTEM TYPICAL CELL VOLTAGE CELL CHARACTERISTICS AND APPLICATIONS anode / electrolyte / cathode) (volts) New Designs: Li(M) / LiCl-KCl / FeS2(1) 1.6 - 2.2 Highest capacity thermal cell, low electrical noise, can operate in severe dynamic environments, long service life (up to 1 hour) Ca / LiCl-KCl / K2Cr2O7 3.3 Used in applications requiring short activation timepilhas Térmicas: N/Recarregável and short activated life Old Designs Ca / LiCl-KCl / WO3 2.4 - 2.6 Used principally for fuze applications where a low level of electrical noise is essential and where dynamic environments are not severe Ca / LiCl-KCl / CaCrO4 2.2 - 2.6 Used in applications requiring short term operation in severe dynamic environments Mg / LiCl-KCl / V2O5 2.2 - 2.7 Used in applications requiring short-term operation in severe dynamic environments (1) M refers to metal/alloy NAVSO P-3676: Navy Primary and Secondary Batteries 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 24
  25. 25. Pilhas Térmicas: N/Recarregável Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Dúvidas? 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 25
  26. 26. Mobilidade Eléctrica: Pilhas Térmicas Bibliografias http://www.asb-group.com/uk/piles-main.asp http://www.asb-group.com/uk/piles-comment.asp#Pilhas Térmicas: N/Recarregável http://www.accessengineeringlibrary.com/mghpdf/0071449345_ar021.pdf http://www.frost.com/prod/servlet/market-insight-top.pag?docid=10370700 http://www.dtic.mil/ndia/2006fuze/kelly.pdf http://www.bmpcoe.org/library/books/navso%20p-3676/831.html 26-01-2012 Por : Luís Timóteo 26

×