HISTÓRIA ( Prof. MÁRIO ROMERO)
GOVERNO DO GENERAL ERNESTO GEISEL ( 1974-1978)
“ DISTENSÃO LENTA, GRADUAL E SEGURA “
Crise mundial do petróleo, fim do “Mi...
NAS URNAS, O POVO DIZ “NÃO” À DITADURA
Nas eleições de 1974, o MDB (Movimento Democrático Brasileiro)
conquista 59% dos vo...
TORTURA E MORTE :
A LINHA DURA DO EXÉRCITO NÃO ACEITA A ABERTURA
Os militares de linha dura, não contentes com os caminhos...
CRISE NO EXÉRCITO:
GEISEL NÃO ACEITA A CONTINUIDADE DA TORTURA
O Presidente Geisel exonera o Comandante do II Exército , G...
LEI FALCÃO: RETROCESSO NA PROPAGANDA ELEITORAL GRATUITA
O ministro da ditadura militar autor da célebre frase “nada a decl...
PACOTE DE ABRIL: CRIAÇÃO DO “SENADOR BIÔNICO”
O Presidente decreta recesso parlamentar e passa a governar
por decretos.
O ...
CONSTITUIÇÃO DE 1988 : COMPLETA-SE A TRANSIÇÃO DEMOCRÁTICA
1989 : ELEIÇÃO DIRETA PARA PRESIDENTE DA REPÚBLICA
30 anos de Democracia no Brasil
30 anos de Democracia no Brasil
30 anos de Democracia no Brasil
30 anos de Democracia no Brasil
30 anos de Democracia no Brasil
30 anos de Democracia no Brasil
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

30 anos de Democracia no Brasil

364 visualizações

Publicada em

Abertura política rumo a Democracia .

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
364
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
127
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

30 anos de Democracia no Brasil

  1. 1. HISTÓRIA ( Prof. MÁRIO ROMERO)
  2. 2. GOVERNO DO GENERAL ERNESTO GEISEL ( 1974-1978) “ DISTENSÃO LENTA, GRADUAL E SEGURA “ Crise mundial do petróleo, fim do “Milagre Econômico”, mobilização da sociedade civil levam os militares a iniciar a abertura política.  Abrandamento da Lei de Segurança Nacional  Fim do AI-5  Reatamento das relações diplomáticas com a China Reconhecimento do governo de Agostinho Neto em Angola
  3. 3. NAS URNAS, O POVO DIZ “NÃO” À DITADURA Nas eleições de 1974, o MDB (Movimento Democrático Brasileiro) conquista 59% dos votos para o Senado , 48% da Câmara dos Deputados e ganha as prefeituras da maioria das grandes cidades.
  4. 4. TORTURA E MORTE : A LINHA DURA DO EXÉRCITO NÃO ACEITA A ABERTURA Os militares de linha dura, não contentes com os caminhos do governo Geisel, começam a promover ataques clandestinos aos membros da esquerda. Em 1975, o jornalista Vladimir Herzog á assassinado nas dependências do DOI-Codi em São Paulo. Em janeiro de 1976, o operário Manuel Fiel Filho aparece morto em situação semelhante.
  5. 5. CRISE NO EXÉRCITO: GEISEL NÃO ACEITA A CONTINUIDADE DA TORTURA O Presidente Geisel exonera o Comandante do II Exército , General Ednardo D’Ávila Mello (1976) e Ministro do Exército, General Silvio Frota (1977 ).
  6. 6. LEI FALCÃO: RETROCESSO NA PROPAGANDA ELEITORAL GRATUITA O ministro da ditadura militar autor da célebre frase “nada a declarar” também ficou famoso pela censura imposta aos partidos políticos e seus candidatos na propaganda eleitoral gratuita, no rádio e na TV. Titular da pasta da Justiça, Armando Falcão, que costumava responder à imprensa com a frase lacônica, deu nome à lei que foi sancionada, em 2 de julho de 1976, pelo presidente Ernesto Geisel (1974-1979). Pela legislação, aos políticos foi permitido apenas divulgar na televisão as suas fotografias, com a leitura dos seus currículos. Nada era permitidas, desde efeitos especiais até a veiculação de discursos, cenas de comícios ou passeatas. Nada era permitidas, desde efeitos especiais até a veiculação de discursos, cenas de comícios ou passeatas. Os candidatos não podiam abrir a boca. Tampouco era possível pôr no ar músicas com letras. Só era permitido divulgar, além da foto e do currículo do candidato, outras informações triviais como o seu nome, a legenda e o número de registro.
  7. 7. PACOTE DE ABRIL: CRIAÇÃO DO “SENADOR BIÔNICO” O Presidente decreta recesso parlamentar e passa a governar por decretos. O mandato presidencial passa a ter duração de 6 anos. As decisões do Congresso passaram a depender apenas de maioria simples. Um terço das cadeiras do Senado passam a ser ocupadas por nomes indicados ( “biônicos”).
  8. 8. CONSTITUIÇÃO DE 1988 : COMPLETA-SE A TRANSIÇÃO DEMOCRÁTICA
  9. 9. 1989 : ELEIÇÃO DIRETA PARA PRESIDENTE DA REPÚBLICA

×