O slideshow foi denunciado.

Produção do Papel e seus Impactos Ambientais

111.134 visualizações

Publicada em

Produção do Papel e seus Impactos Ambientais

  1. 1. A Produção de Papel e seus Impactos Ambientais Grupo: Felipe Batista Hawad Marina Godoy Dezonne Motta Raísa Costa Paiva Vinícius Junger Dos Santos http://letraslivroseafins.blogspot.com/2007/06/papel-inveno-do-papel-como-muitos.html
  2. 2. Produção <ul><li>O processo de produção de papel tem início na plantação de árvores destinadas a este fim. </li></ul><ul><li>No Brasil, cerca de 98% da produção de papel tem como matéria prima madeira originária destas florestas plantadas, principalmente de pinus e eucaliptos ¹. </li></ul>http://ptcarlosbarbosa.blogspot.com/ http://domatoaoprato.blogspot.com/2009/03/qual-o-nosso-papel.html
  3. 3. Produção <ul><li>Após o cultivo, crescimento e colheita das florestas plantadas, a madeira é descascada e picada em pequenos pedaços, chamados cavacos.  </li></ul><ul><li>Estes cavacos passam por processos físicos ou químicos para separar a lignina, a celulose e a hemicelulose que constituem a madeira. </li></ul>http://www.tanac.com.br/PT/institucional. php ? codCategoriaMenu =150& nomArea =Unidade%20Cavacos& codDado =6&menu=138
  4. 4. Produção – Extração de Celulose <ul><li>Os processos mecânicos basicamente trituram a madeira, separando apenas a hemicelulose. Apesar do alto rendimento, produz-se assim uma polpa de menor qualidade, de fibras curtas e amarelado. </li></ul>
  5. 5. Produção – Extração de Celulose <ul><li>Outro tipo de processo é o termomecânico, no qual a madeira é submetida a vapores em torno de 140º C, seguindo então para o desfibrilamento. </li></ul><ul><li>Tem rendimento menor do que o processo mecânico, porém produz polpa de melhor qualidade. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Já o principal processo químico trata a madeira em um digestor, com hidróxido de sódio e sulfeto de sódio, que dissolvem a lignina e liberam a celulose como polpa de maior qualidade. </li></ul><ul><li>Este processo, denominado Kraft, libera o chamado “licor negro”, que contém compostos tóxicos de enxofre e grande carga orgânica </li></ul>http://www.knowpulp.com/spanish/demo/spanish/pulping/cooking/1_process/1_principle/mustalip_koost.html Produção – Extração de Celulose
  7. 7. Produção – Branqueamento <ul><li>É um processo que tem como objetivo remover da polpa celulósica impurezas de lignina que lhe conferem tonalidade escura, obtendo assim maior qualidade. </li></ul><ul><li>No branqueamento tradicional, é usado o cloro elementar, o que gera grande quantidade de dioxinas, um forte cancerígeno. </li></ul>Unidade de branqueamento em fábrica de papel http://www.paranasa.com.br/Paginas/T%C3% AAxtil %20Celulose%20e%20Papel. aspx Estrutura da dioxina http://www.apacame.org.br/mensagemdoce/86/artigo.htm
  8. 8. Produção – Branqueamento <ul><li>Já o processo mais comum de branqueamento substitui o cloro elementar pelo dióxido de cloro, o que reduz, porém não impede a formação das dioxinas. </li></ul><ul><li>Outro processo, o Totally Chlorine Free utiliza oxigênio, peróxido de hidrogênio e ozônio, o que o torna livre da produção de dioxinas. </li></ul>Efluentes da produção de papel http://www.escolaviva.com.br/7serie/papel9a.htm http://www.bestplaceshawaii.com/news/2008_02_05.html http://www.kwdoggett.com.au/environment/environmental-accreditations/
  9. 9. Produção <ul><li>Após estes processos, a celulose obtida já pode ser bombeada para uma máquina de papel, de onde sai na forma de bobinas. </li></ul><ul><li>No entanto, um outro destino muito comum para a celulose é a exportação. </li></ul>http://www.metalservice.ind.br/? pg =produtos
  10. 10. Produção – Impactos Ambientais <ul><li>A produção de papel é uma atividade com elevados níveis de consumo de recursos: </li></ul><ul><li>É a quinta atividade industrial em consumo de energia. </li></ul><ul><li>Consome-se em média 100.000 litros de água por tonelada de papel fabricado. </li></ul><ul><li>A monocultura de eucaliptos e pinus leva à degradação do solo e desertificação. </li></ul>http://comitecaatingape.blogspot.com/2009/06/dia-mundial-de-combate-desertificacao.html
  11. 11. Consumo de energia elétrica por atividade industrial no Estado do Paraná em 2003 Produção – Impactos Ambientais Consumo de energia por atividade industrial no Paraná em 2003 http://www.fiepr.org.br/fiepr/energia/eficientizacao/FreeComponent671content2657.shtml
  12. 12. Produção – Impactos Ambientais <ul><li>Outro impacto ambiental do processo de produção de papel é a potencial poluição gerada. </li></ul><ul><li>Um efluente que pode oferecer riscos é o licor negro. Porém, se tratado adeuadamente, é possível tornar este impacto quase nulo, possibilitando ainda a produção de energia. </li></ul>http://html.rincondelvago.com/contaminacion-del-rio-mataquito.html
  13. 13. Tabela indicativa das matrizes energéticas em uma empresa da área de produção de papel. http://www.klabin.com.br/(S(n5hpdr3yjqvntz45c15rap45))/rs2009/ pt /meio-ambiente.shtml Produção – Impactos Ambientais
  14. 14. Produção – Impactos Ambientais <ul><li>O efluente gerado no processo de branqueamento é de grande preocupação, visto que possui alto teor de dioxinas originadas do cloro usado. </li></ul><ul><li>Mesmo quando tratados, os efluentes não ficam livres deste cancerígeno. </li></ul><ul><li>Porém, métodos que já são usados na Europa não utilizam cloro, logo não produzem dioxinas, sendo a melhor solução para este problema. </li></ul>http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb/exemplar4.html http://www.med.govt.nz/templates/EcoLabel____41334. aspx
  15. 15. Produção – Impactos Ambientais http://igrejadorelogio3.blogspot.com/2010_11_01_archive.html Em 2003, um acidente envolvendo tanques de tratamento de efluentes da Indústria Cataguazes de Papel Ltda. contaminou o rio Pomba e o Paraíba do Sul com mais de 1,2 bilhão de litros de resíduos tóxicos.
  16. 16. Produção – Impactos Ambientais <ul><li>As florestas plantadas do setor de papel e celulose absorvem anualmente 64 milhões de toneladas de gás carbônico, enquanto o processo de manufatura libera 21 milhões de toneladas. ¹ </li></ul><ul><li>Nos últimos anos, o consumo sustentável de energia e de água, no processo de produção da celulose, tem alcançado conquistas significativas. </li></ul>
  17. 17. Descarte do Papel <ul><li>O papel é um material biodegradável e orgânico, o que leva de 3 a 6 meses para se decompor. </li></ul><ul><li>Em caso de aterros com pouca umidade o processo de degradação se torna lento, chegando a 100 anos. </li></ul><ul><li>A população brasileira produz diariamente mais de 240 mil toneladas de lixo. Por pessoa, de 0,5 a 1 kg por dia. 25% é papel. </li></ul>
  18. 18. Descarte de Papel <ul><li>Cidade da Horta: O papel coletado em ecopontos é enviado para o processo de triagem e fardamento. </li></ul><ul><li>Também ocorre uma coleta de porta-a-porta nos estabelecimentos comerciais e instituições públicas. </li></ul>
  19. 19. Descarte do Papel <ul><li>A cada 50 kg de papel usado, transformado em papel novo, evita que uma árvore seja cortada. </li></ul><ul><li>A quantidade de papel que os americanos jogam fora todos os anos, só no escritório, dava para construir um muro de 3,60 m de altura e 4500 km de comprimento. </li></ul><ul><li>O destino correto do papel higiênico sujo é o aterro sanitário. Ele vai direto para lá, sem nenhuma etapa antecedente. O comum mesmo é que este tipo de resíduo seja armazenado em uma cesta de lixo, separado dos demais (seco e orgânico). </li></ul>
  20. 20. Assim que chega na fábrica o papel passa por um processo de seleção para ver se está qualificado ou não para a reciclagem. Os lotes qualificados vão para o estoque, de onde os lotes mais antigos são utilizados para a fabricação do papel reciclado. Reciclagem
  21. 21. Primeiramente estes papéis são lançados no ‘Hidrapulper’, um liquidificador gigante onde o papel é bombeado com água industrial, para que seja possível separar as fibras de celulose que serão utilizadas no novo papel. Após isso , a massa úmida vai para o turbo tiraplástico que tem o nome auto explicativo. Reciclagem
  22. 22. Depois o papel moído e molhado vai para a centrifugação, onde por força centrífuga, são retiradas as impurezas de maior densidade como pregos, grampos e areia. Após isso, o papel sofre acréscimos de produtos químicos que eliminam resíduos pequenos no mesmo, retiram as tintas destes papéis e clareiam os mesmos. Reciclagem
  23. 23. Agora a pasta de papel já está pronta, pode-se adicionar fibras virgens de celulose para melhorar a qualidade do papel dependendo de que papel queira ser produzido ao final do processo. Esta pasta preparada retorna ao processo na etapa da prensagem. Reciclagem
  24. 24. <ul><li>O processo para fazer papel reciclado, por pular diversas etapas iniciais, torna-se muito ecológico: </li></ul><ul><li>Uma vez que não necessita de tantas retiradas de árvores para celulose virgem; </li></ul><ul><li>Gasta muito menos água pois não passa precisa separar a celulose da madeira e sim de outro papel nem precisa passar pelo digestor já que a celulose já vem processada; </li></ul><ul><li>Gasta-se menos energia no processo geral. </li></ul>Reciclagem
  25. 25. <ul><li>A cada 28 toneladas de papel reciclado evita-se o corte de 1 hectare de floresta, ou seja, 1 tonelada evita o corte de aproximadamente 30 árvores. </li></ul><ul><li>Para produzir 1 tonelada de papel novo são necessários de 50 a 60 eucaliptos, 100 mil litros de água e 5 mil KW/h de energia </li></ul><ul><li>Para produzir 1 tonelada de papel reciclado precisa-se de 1.200 Kg de papel velho, 2 mil litros de água e 1.000 a 2.500 KW/h de energia. </li></ul><ul><li>Com a produção de papel reciclado evita-se a utilização de processos químicos evitando-se a poluição ambiental: reduz em 74% os poluentes liberados no ar e em 35% os despejados na água. </li></ul>Reciclagem
  26. 26. Além de incentivar financeiramente o processo da reciclagem, uma vez que o mesmo pode ser aplicado em indústrias e movimentar a economia local das mesmas. O papel reciclado é uma alternativa até mais barata em países da Europa uma vez que gasta-se menos recursos em sua produção, os países não tem grandes áreas verdes e o sistema de coleta é eficiente. Reciclagem
  27. 27. <ul><li>No Brasil o papel reciclado torna-se mais caro que o normal por dois simples motivos: </li></ul><ul><li>Já há muito investimento na produção de papel normal e seria prejuízo abandonar mesmo que por um papel mais limpo </li></ul><ul><li>A demanda é bem maior que a oferta já que nosso sistema de coleta é fraco , o que torna os preços do mesmo mais altos pela competição do mercado </li></ul>Reciclagem
  28. 28. Bibliografia <ul><li>http://www.bracelpa.org.br/bra2/?q= node /180 ; acessado em 17/3/2011, às 22:15 horas. </li></ul><ul><li>http://www.eu-energystar.org/pt/pt_032.shtml ; acessado em 18/03/2011, às 8:40 horas. </li></ul><ul><li>http://www.reviverde.org.br/papel.htm ; acessado em 16/03/2011, às 9:00 horas. </li></ul><ul><li>Reinvidicação de créditos de carbono . Diário do Aço, 07/12/2009. </li></ul><ul><li>http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meio-ambiente-reciclagem/beneficios. php ; acessado em 16/03/2011, às 10:40 horas. </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Reciclagem_de_papel ; acessado em 16/03/2011, às 10:30 horas. </li></ul><ul><li>http://www.ecolnews.com.br/papel.htm; acessado em 16/03/2011, às 19:05 horas. </li></ul><ul><li>NAVARRO, Roberta Maria Salvador; NAVARRO, Fabiana Maria Salvador; TAMBOURGI, Elias Basile. Estudo de diferentes processos de obtenção da pasta celulósica para fabricação do papel . Revista Ciências & Tecnologias, Ano1, n° 1, 2007. </li></ul><ul><li>MELO, Joana Ribeiro de; MEDEIROS, Janaína Fernandes; MARQUES, Rubiana Ganascim; ANDRADE, Alexandre Augusto de. Estudo das características do licor negro . 2010 </li></ul><ul><li>http://www.patentesonline.com.br/processo-para-recuperar-compostos-quimicos-e-energia-a-partir-de-licores-de-disperdicio-160950.html; acessado em 17/03/2011, às 22:40 horas. </li></ul><ul><li>http://www.infoescola.com/ecologia/reciclagem-de-papel/; acessado em 16/03/2011, às 11:00. </li></ul><ul><li>http://www.ecolnews.com.br/papel.htm </li></ul>

×