SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 143
Conhecendo a Medicina
Tradicional Chinesa (MTC)




         Dra. Mariana Cembranelli Santana
             Fisioterapeuta/ Acupunturista
Introdução

   Quando ouvimos falar em Medicina
    Chinesa, a primeira coisa que vem em nossa
    cabeça é a Acupuntura. Mais o que poucos
    sabem é que na Medicina Tradicional
    Chinesa a acupuntura não é o único método
    de tratamento.

   A Medicina Tradicional Chinesa (MTC)
    conhecida também apenas como Medicina
    Chinesa é um conjunto de técnicas da
    medicina tradicional desenvolvida na China a
    milhares de anos atrás. Podemos dizer que
    essa é a terceira forma de medicina mais
    antiga do mundo.
Introdução
   Principais métodos da MTC:
    ◦   Tuína/ Tui Na
    ◦   Acupuntura
    ◦   Moxabustão
    ◦   Ventosaterapia
    ◦   Fitoterapia Chinesa
    ◦   Terapia Alimentar Chinesa
    ◦   Praticas Físicas( Meditação, Lian Gong,
        Artes Marciais, etc)
Introdução
   Também podemos citar mais duas
    técnicas associadas a esses métodos:

    ◦ Auriculoterapia
    ◦ Gua Sha
Introdução
   O que poucas pessoas sabem é que a
    Medicina Tradicional Chinesa não é apenas
    uma forma de tratamento. Na China essa
    medicina é realizada como forma de
    diagnosticar e também realizada de forma
    preventiva onde assim evitando com que as
    doenças de desenvolva no organismo.

   A MTC trabalha em cima do equilíbrio da
    energia corporal onde se acredita que tendo
    um total equilíbrio dessas energias, o
    organismo funciona corretamente não tendo
    assim o porquê do aparecimento das
    doenças.
Historia da Acupuntura
Historia da Acupuntura
   A acupuntura surgiu inicialmente na China Antiga
    tendo como objetivo principal a prevenção das
    doenças.      Posteriormente        descobriu-se
    que, através da estimulação de pontos
    específicos, a técnica poderia também ser
    utilizada      para         tratamento        de
    patologias, desequilíbrios e desarmonias do
    corpo humano.

   A palavra ―acupuntura‖ origina-se do latim, a
    partir de acus (agulha) e punctura (puncionar). A
    Acupuntura refere-se, portanto, à inserção de
    agulhas através da pele, nos tecidos
    subjacentes, em diferentes profundidades e em
    pontos estratégicos do corpo, para produzir o
    efeito terapêutico desejado.
Historia da Acupuntura
   Esse método terapêutico chinês, originado há
    mais de 3.000 anos, baseia-se na inserção de
    agulhas descartáveis em pontos específicos do
    corpo, chamados pontos de acupuntura, a fim de
    estimular o sistema nervoso central e o periférico
    a liberar neurotransmissores que favoreçam o
    processo de restauração e manutenção da
    saúde. A Medicina Tradicional Chinesa abrange
    vasto campo de conhecimento, envolvendo
    vários setores ligados à saúde. Suas
    concepções são voltadas principalmente ao
    estudo dos fatores causadores da doença, à
    maneira de relata-la conforme os estágios da
    evolução do processo patológico e ao estudo
    das formas de prevenção, na qual reside toda a
    filosofia e a essência da medicina chinesa.
Historia da Acupuntura

   Durante milênios acreditou-se que o
    mecanismo de ação da acupuntura fosse
    puramente energético. No entanto, com a
    difusão da Medicina Tradicional Chinesa
    (MTC) no ocidente, muitos pesquisadores
    começaram       a    questionar    sobre    a
    participação de estruturas orgânicas no
    mecanismo de ação da acupuntura, e o
    desenvolvimento de pesquisas nessa área,
    principalmente     nas   últimas    décadas,
    evidenciou estreita relação entre os efeitos
    da acupuntura e o sistema nervoso central e
    o periférico, bem como vários tipos de neuro-
    hormônios.
Historia da Acupuntura
   A Medicina Chinesa é um vasto de
    conhecimento de origem e de concepção
    filosófica abrangendo vários setores ligados a
    saúde e a doença. Suas concepções são
    voltadas muito mais ao estudo, dos fatores
    causadores da doença, a sua maneira de tratar
    conforme os estágios da evolução do processo
    de adoecer e principalmente aos estudos das
    formas de prevenção na qual reside toda a
    essência da filosofia e da medicina chinesa. A
    acupuntura foi idealizada dentro do contexto
    global da filosofia de TAO e dos concepções
    filosóficas e fisiológicas que nortearam a
    medicina chinesa. A concepção dos canais de
    energia e dos pontos de acupuntura, o
    diagnostico e o tratamento baseiam-se nos
    preceitos do Yang e do Yin dos cincos
Historia da Acupuntura
   A terapia por acupuntura tem como
    meta regular a atividade funcional do
    Qi do sangue do Jing Luo, em vista da
    patologia de tal meridiano ou de tal
    víscera, determinando o ponto a ser
    inserido, próximo do lugar afetado ou
    um ponto afastado, situado no trajeto
    do meridiano.
Qi (Energia)
Qi (Energia)
   O conceito de Qi é absolutamente central ao
    âmago do pensamento medico chinês. A
    natureza mutante do Qi, entre uma
    substancia material e uma força etérea e
    sutil, é central a visão medica chinesa de
    corpo e mente como uma unidade integrada.
    A variedade infinita de fenômenos no
    universo resulta da união e dispersão de Qi
    para formar fenômenos de vários graus de
    materialização. Tal idéia de agregação e
    dispersão de Qi foi discutida por muitos
    filósofos chineses de todas as épocas. O Qi
    é a base das infinitas manifestações da vida
    do universo, inclusive minerais, vegetais e
    animais (incluindo os seres humanos).
Xue (Sangue)
Xue (Sangue)
   A essência dos alimentos ou Qi,
    derivado dos alimentos e das bebidas, é
    transformada e Xue no tórax pela ação
    do coração (Xim) e o pulmão (Fei). O
    aspecto yin do Jing, armazenado nos
    rins (Shen) produz a medula óssea que
    produz o sangue (Xue). Alem disso, o
    aspecto yang do Jing ou yang Qi, ativa
    as transformações executadas pelo
    coração (Xim) e o pulmão (Fei) no
    aquecedor superior e baço/ pâncreas
    (Pi) e pelo estomago (Wei) no
    aquecedor médio.
Jing (Essência)
Jing (Essência)
   O Jing é a essência energética que promove a
    formação, desenvolvimento, manutenção e
    recuperação do individuo. O Jing de origem Pré-
    celestial é formado pela energia que recebemos
    de nossos pais, ele orienta a formação do
    individuo, oferecendo as diretrizes energéticas
    que irão formar e desenvolver o novo ser. O Jing
    Pos- celestial, que se forma após o nascimento
    pela capitação da energia do céu (ar) e da terra
    (alimentos), é responsável pelo desenvolvimento
    da criança até a fase adulta e também por sua
    manutenção e recuperação, pode sofrer a ação
    do meio interno ou externo, causando o
    desequilíbrio energético, e manifestar como
    inúmeras doenças. É notório que esse Jing pode
    ser recuperado ao longo da vida por correções
    nos hábitos, na alimentação e pela ação da
Teoria dos 5 elementos
Teoria dos 5 elementos
   Originalmente, na China, designava-
    se os cincos elementos de Wu- Hsing;
    sendo que Wu significa cinco e o
    Hsing, andar. Os cincos elementos(a
    madeira, o fogo, a terra, o metal,
    água) são, na realidade, os cincos
    elementos básicos que constituem a
    natureza. Existe entre eles uma
    interdependência   e    uma    inter-
    restrição que determinam seus
    estados de constante movimento e
    mutação.
Teoria dos 5 elementos
   A teoria dos cincos elementos ocupam
    lugar     importante    na   medicina
    chinesa, porque todos os fenômenos
    dos tecidos e órgãos, da fisiologia e
    da patologia do corpo humano, estão
    classificados e são interpretados
    pelas      inter-  relações    desses
    elementos. Essa teoria é usada como
    guia na pratica medica.
Teoria dos 5 elementos
Veja o quadro dos 5 elementos:
Teoria Yin e Yang
Teoria Yin e Yang
   Chama-se Yin e Yang, a reunião das
    duas partes opostas que existem em
    todos os fenômenos e objetos em
    relação recíproca no meio natural. Os
    mecanismo de reunião e de oposição
    podem se produzir tanto entre dois
    fenômenos que se deparam como no
    âmago de dois aspectos antitéticos
    coexistindo no mesmo fenômeno. A
    teoria do Yin e Yang considera o mundo
    como um todo e que esse todo é o
    resultado da unidade contraditória dos
    dois princípios, o Yin e o Yang.
Teoria Yin e Yang
   ―O céu é Yang, a terra é Yin‖. O céu
    esta no alto, assim é Yang, a terra
    esta embaixo, assim é Yin.
Meridianos
Meridianos
   O canal de energia percorre todo o
    corpo, da cabeça aos pés, num fluxo
    ininterrupto.  Este  canal    possui
    segmentos que são chamados
    meridianos. Há doze meridianos pares
    existentes simetricamente dos dois
    lados do corpo. Há também dois
    meridianos ímpares que percorrem o
    eixo do corpo e que são conhecidos
    como "artérias".
Meridianos
   Os doze meridianos pares básicos são:
    ◦   Pulmões;
    ◦   Mestre do Coração/Pericárdio/Circulação-Sexo;
    ◦   Coração;
    ◦   Intestino Delgado;
    ◦   Triplo-Aquecedor (corresponde ao tecido abaixo da
        pele e entre os músculos);
    ◦   Intestino Grosso e fino;
    ◦   Baço-Pâncreas;
    ◦   Fígado;
    ◦   Rins;
    ◦   Bexiga;
    ◦   Vesícula Biliar;
    ◦   Estômago;
Meridiano do Pulmão

                Elemento: Metal
                Horário: 03: 00 às 05:00 hs.
                Estação: Outono
                Trajeto: Centrífug
Meridiano do Pulmão
   Função e Características

    ◦ A medicina Tradicional Chinesa diz que os pulmões
      diretamente controlam o processo da respiração e
      indiretamente influenciam o coração e o sistema
      circulatório.
    ◦ Os pulmões absorvem o Chi do ar durante a inspiração,
      que é usado para criar resistência contra as agressões
      externas. E durante a expiração expele gases
      desnecessários ou o chi impuro. Os pulmões regulam o chi
      em toda extensão do peito.
    ◦ Através da respiração, os pulmões são os órgãos mais
      ligados ao meio ambiente externo.
    ◦ E também, os pulmões são os órgãos mais facilmente
      controlados pela vontade.
    ◦ Muitas escolas orientais de pensamento sustentam que
      muitos males podem ser curados pelo hábito da respiração
      controlada e correta.
Meridiano do Pulmão
 ◦ Uma respiração correta é um fator essencial para a boa
   saúde, cada respiração influencia nossa percepção emocional. A
   inspiração pode ser estimulante ou excitante e a expiração pode
   ser relaxante ou depressiva.
 ◦ Quando os pulmões funcionam mal ou quando a respiração é
   muito curta e superficial, fortes emoções negativas se
   manifestam:                                         preocupação
   excessiva, pesar, ansiedade, ressentimento, tristeza e
   melancolia. Sentimentalismo e nostalgia também são emoções
   relacionadas com o par de órgãos pulmões/intestino grosso.
   Cada vez que sentimos alguma dessas emoções, são nossos
   pulmões (ou o intestino grosso) tentando nos dizer que algum
   tipo de desequilíbrio está ocorrendo.
 ◦ Os órgãos têm várias formas de liberar seu stress na tentativa de
   se equilibrar. No caso deste par de órgãos (pulmões e intestino
   grosso) a ―válvula de escape‖ se dá através de
   suspiros, gemidos, lamento, choro, queixume, tosse, o próprio
   falar, etc.
 ◦ E também cada par de órgãos está associado a um sentido. No
   caso dos pulmões e intestino grosso é o olfato. Um sentido de
   olfato mal desenvolvido ou muito desenvolvido (sentindo odores
   que não estão presentes) são sintomas de desequilíbrio neste
   par de órgãos.
Meridiano do Pulmão
 ◦ Um meridiano dos pulmões saudável é
   indicado por um forte instinto animal e de
   sobrevivência,    força     de    vontade,
   percepção rápida e força para lutar pelo
   que acredita, se necessário, bem como
   por uma respiração adequada.
 ◦ Segundo a Medicina Tradicional Chinesa,
   o lar da alma corpórea fica nos pulmões.
   A alma, por natureza, é otimista e aberta
   a novas experiências. A constrição dos
   pulmões e da alma corpórea reduz a
   vitalidade física e a qualidade da
   respiração.
Meridiano do Pulmão
   Trajeto externo

    ◦ Inicia-se na fossa infraclavicular no ponto
      denominado P1.
    ◦ Segue pela margem ântero- lateral do
      antebraço e na altura do cotovelo segue
      para a goteira radial.
    ◦ Continua na região hipotênar até o
      ângulo radial unguel do polegar.
Meridiano do Pulmão
   Trajeto interno

    ◦ Inicia-se no Triplo Aquecedor Médio, na
      região do Estômago e conecta-se com o
    ◦ Intestino Grosso
    ◦ Segue para a região da cárdia e
      mediastino , penetra no Pulmão e emerge
      na garganta.
Meridiano do Pulmão
   Meridianos Secundários:

    ◦ Meridiano Tendinomuscular emerge do polegar, do ponto
      P- 11.
    ◦ Meridiano de Conexão ou Luo: constituídos de um ramo
      transversal e outro longitudinal, emergem no antebraço, no
      ponto P-7.
    ◦ Sintomas do meridiano: dor e contratura muscular no
      trajeto do meridiano (região
    ◦ infraclavicular), ombralgia, braquialgia, dor do cotovelo, do
      polegar, palma da mão quente, garganta inchada e
      dolorida.
    ◦ Sintomas de alteração energética: tosse, dispnéia,
      respiração curta, opressão torácica, secura na garganta,
      escarro hemoptóico, distensão abdominal.
    ◦ É indicado para o tratamento de doenças do tórax,
      garganta, traquéia, nariz e pulmão para
    ◦ harmonizar o Qui.
Meridiano do Intestino Grosso
                 Elemento: Metal
                 Horário: 05:00 às 07:00
                 hs.
                 Estação: Outono
                 Trajeto: Centrípeto o
                 Meridiano do Intestino
                 Grosso
Meridiano do Intestino Grosso
               Função e Características

               • O intestino grosso (cólon)
                 recebe o alimento (sólido e
                 líquido)     do     intestino
                 delgado, absorve os fluidos
                 e os nutrientes e elimina o
                 desnecessário sob a forma
                 de     matéria    fecal.    A
                 eliminação     regular     da
                 material fecal é essencial a
                 boa saúde, evitando assim
                 que se formem as toxinas.
Meridiano do Intestino Grosso
 ◦ Os pulmões têm influência sobre o intestino grosso uma vez que
   são os responsáveis pela passagem descendente do chi - a
   obstipação é o resultado quando o intestino grosso não recebe
   energia suficiente para encorajar a eliminação da matéria fecal.
   Segundo a Medicina Chinesa este fato explica a ocorrência
   comum da obstipação em pessoas idosas uma vez que o chi é
   mais deficiente.

 ◦ Este par de órgãos (intestino grosso e pulmões) está a cargo do
   processo de eliminação em geral – os pulmões eliminam o
   dióxido de carbono e o intestino grosso a matéria fecal. O
   intestino grosso contém aproximadamente 75 trilhões de
   bactérias benéficas.

 ◦ É também no intestino grosso que a maior parte da vitamina B e
   K é produzida.

 ◦ Em termos psicológicos, devido à relação com o elemento
   metal, este par de órgãos é responsável pelo ―soltar, deixar ir o
   desnecessário, gasto ou ultrapassado‖ da mente.
Meridiano do Intestino Grosso
 ◦ A    incapacidade    de   eliminar   pensamentos
   desnecessários ou dispensáveis resulta na
   acumulação de pensamentos e idéias tóxicas e numa
   espécie de ―obstipação mental‖. Como seu
   parceiro, um desequilíbrio no intestino grosso
   também irá se revelar através de problemas de
   pele, excessiva eliminação de muco pelo nariz e
   olhos.

 ◦ No caso deste par de órgãos, existem algumas
   atividades que são a causa e o efeito do mal
   funcionamento: má postura, permanecer deitado
   muito tempo, trabalhar curvado para frente por
   longos períodos, beber líquidos gelados em excesso
   e permanecer em ambientes muito secos também
   por longos períodos.

 ◦ Recebe       energia      do      Meridiano     do
   Pulmão, transmitindo-a ao Meridiano Estômago.
Meridiano do Intestino Grosso
   Trajeto externo

    ◦ Inicia-se na margem ungueal radial do dedo
      indicador.
    ◦ Segue pela face póstero lateral do antebraço até
      o ponto IG11 na extremidade lateral da prega do
      cotovelo.
    ◦ Segue pela margem lateral do braço até o
      ombro, contorna-o anteriormente e segue acima
      da escápula até o pescoço até o VG14.
    ◦ Segue para a fossa supra clavicular e região
      cervical, face, cruza a mandíbula e atinge o
    ◦ sulco nasolabial, terminando lateralmente à asa
      do nariz.
Meridiano do Intestino Grosso
   Trajeto interno

    ◦ Da fossa supraclavicular, interioriza-se,
      atravessa o Pulmão, o diafragma.

    ◦ Liga-se ao Intestino Grosso, desce pela
      face anterior da coxa, perna, ligando-se
      ao ponto E37.
Meridiano do Intestino Grosso
   Meridianos Secundários:
    ◦ Meridiano Tendinomuscular emerge da extremidade do
      dedo indicador, no ponto IG-1. Meridiano Luo ou de
      Conexão Longitudinal e Transversal com origem no ponto
      IG6 situado no antebraço.

    ◦ Sintomas do meridiano: dor no trajeto e dificuldade na
      movimentação dos músculos extensores do braço e do
      ombro, febre, boca seca e sede, odontalgia, garganta
      inchada e dolorosa, epistaxe, olhos amarelos, cervicalgia e
      inchaço, sinusite maxilar.

    ◦ Sintomas       de     alteração      energética:       dor
      abdominal, borborigmos, constipação intestinal, respiração
      curta e eructações.

    ◦ É utilizado para o tratamento de: afecções da
      face, olhos, orelhas, nariz, boca, gengiva, garganta, intesti
Meridiano do Estômago
               Elemento -- Terra Elemento
               Terra
               Horário -- 7:00 às 9:00 hs
               Estação –– 5ª Estação
               Nível Energético: Yang Ming
               da perna
Meridiano do Estômago
            Função e Características

            • Dentro da Medicina Chinesa o
              estômago        é    particularmente
              importante. Sua função primária é
              preparar     os    alimentos     que
              ingerimos para serem refinados
              pelo baço e classificados pelo
              intestino      delgado.      Quando
              pensamos neste par – estômago e
              baço/pâncreas – a primeira
              associação é a sustentação física
              de nutrientes de onde é extraída a
              energia (chi).

            • O Qi retirado dos alimentos vai
              repor as energias que gastamos
              em nosso dia a dia
Meridiano do Estômago
 ◦ O estômago lida com aproximadamente 3 quilos de
   alimentos sólidos e líquidos, diariamente. Junto com
   seu parceiro (baço), o estômago é responsável pela
   distribuição de nutrientes derivados do alimento pelo
   corpo todo, principalmente nos músculos e membros.
   Se o estômago for fraco, é comum sentir cansaço e
   sensação de peso nos membros.

 ◦ O ego também está associado com este par
   estômago/baço; por consequência           problemas
   emocionais     como      vícios,   apego,     rigidez
   mental, teimosia e interesse excessivo por si próprio
   e vaidade exagerada são atribuídos ao desequilíbrio
   nestes órgãos.

 ◦ Como o estômago é o centro da nutrição, de modo
   similar a energia do estômago está relacionada à
   assimilação e digestão de idéias.
Meridiano do Estômago
 ◦ Uma sensação emocional de vazio nascida de um
   desequilíbrio no meridiano do estômago irá resultar em um
   forte desejo por comida, ao nível físico, e muita
   estimulação mental e emocional.

 ◦ Esta é uma visão interessante do frequente desejo de
   comer quando está ―entediado‖ ou da sensação de
   permanente insatisfação ou de nunca sentir-se ―cheio,
   pleno‖.

 ◦ Outros sintomas de desequilíbrio são: ansiedade (em
   combinação com o par pulmões/intestino grosso),
   esquecimento (em combinação com o par fígado/vesícula
   biliar), problemas na boca e forte desejo por ou reação a
   doces.

 ◦ Eructação e ânsia de vómito são tentativas do estômago
   para restabelecer seu equilíbrio.
Meridiano do Estômago
   Trajeto externo
    ◦ Inicia-se ao lado da narina indo para o assoalho da
      órbita, ângulo medial do olho, onde se comunica com
      o meridiano da Bexiga no ponto B1.
    ◦ Da margem infra orbital, desce pela face, penetra a
      gengiva, contorna os lábios e vai até o VC24.
    ◦ Segue para a mandíbula onde se bifurca em 2
      ramos: um ascendente, passa em frente à
      orelha, indo até a região frontal no ponto E8.
    ◦ Outro ramo descendente vai para a região
      anterolateral do pescoço até a fossa supra
      clavicular, onde se divide novamente em 2 ramos:
      trajeto interno e externo.
    ◦ - Trajeto externo: segue pela face anterior da
      coluna, passa pelo mamilo, lateral à cicatriz umbelical
      até a região inguinal. Segue pela face anterolateral
      da coxa e perna, dorso do pé , até a margem ungueal
      lateral do 2º dedo do pé.
Meridiano do Estômago
   Trajeto interno

    ◦ Da região supra clavicular, penetra no
      tórax, atravessa o diafragma, penetra no
      Estômago, e depois no Baço-Pâncreas.
Meridiano do Estômago
   Meridianos Secundários:

    ◦ Meridiano Tendinomuscular: origina-se no 2º dedo do
      pé, no ponto E-45 .
    ◦ Meridiano Luo ou de Conexão Longitudinal e
      Transversal do Estômago têm origem na
    ◦ perna, no ponto E-40 .
    ◦ Sintomas de alterações do meridiano: impotência
      funcional dos músculos situados em seu
    ◦ trajeto, dificuldade para flexão e extensão do
      quadril, do joelho e pé, hipossensibilidade
    ◦ do 2º dedo do pé, transpiração excessiva, boca e
      lábios secos, garganta inchada, pescoço
    ◦ doloroso e inchado, desvio da rima bucal, dores
      torácicas, dor nos olhos, sinusite maxilar,
    ◦ conjuntivite.
Meridiano do Estômago
 ◦ Sintomas de alteração energética:
   distensão           e           plenitude
   abdominais,                   desconforto
   abdominal,        convulsões,        fome
   persistente,      gengivite,   alterações
   gengivodentárias.

 ◦ É utilizado para: tratamento das afecções
   da
   face, olhos, nariz, boca, gengivas, alvéolo
   dentário, garganta, estômago, intestinos,
   doenças mentais e febris.
Meridiano do Baço/Pâncreas
                Elemento: Terra
                Hora: 09:00 as 11:00 hs
                Estação: Canícula
Meridiano do Baço/Pâncreas
               Função e Características

               • A     função    primária  do
                 meridiano do baço (que inclui
                 o       pâncreas)     é    o
                 processamento do alimento
                 sólido e líquido em energia
                 (o chi do alimento) e sua
                 distribuição pelo corpo.

               • A energia do baço também é
                 responsável pela elevação
                 do chi, num sentido geral. É
                 através desta ―elevação‖ que
                 os órgãos são mantidos em
                 seus lugares. O desequilíbrio
                 produz    as     hérnias    e
                 prolapsos dos órgãos.
Meridiano do Baço/Pâncreas
 ◦ Um baço saudável garante uma boa digestão e absorção
   dos nutrientes, e um apetite saudável. Também o sistema
   linfático está sobre a direção (e equilíbrio) do
   baço/pâncreas.
 ◦ O baço abriga o pensamento, a análise, a concentração e
   o pensar em geral. Em equilíbrio garante boa memória e
   concentração, bem como um raciocínio claro e construtivo.
 ◦ Um baço com deficiência em chi manifesta-se através de
   pensamentos confusos e falta de concentração. Nestes
   casos muita energia do meridiano do baço é gasta no
   esforço para se chegar a conclusões – e este ―pensar
   demais‖, por sua vez, esvazia o baço de energia criando
   um círculo vicioso.
 ◦ Este meridiano é prejudicado pelo exercício em
   demasia, pelo excesso de comida e pelo hábito de ficar
   muito tempo sentado.
 ◦ A teimosia ou persistência, a lealdade e a rigidez (mental e
   física) são grandemente influenciadas por este meridiano
   do baço.
 ◦ Estes traços também se manifestam como características
Meridiano do Baço/Pâncreas
   Trajeto externo:

    ◦ Inicia-se no ângulo ungueal medial do hálux,
      segue pela margem medial do pé até o
      maléolo medial.

    ◦ Segue pela face medial da perna, do joelho e
      coxa até a extremidade lateral da prega
      inguinal.

    ◦ Passa para o Ren Mai, segue pela parede
      antero- lateral do abdome até o tórax.
Meridiano do Baço/Pâncreas
   Trajeto interno:

    ◦ Do Ren Mai na região do tórax, penetra
      no Baço - Pâncreas, Estômago, atravessa
      o diafragma indo para o Coração onde se
      une com o meridiano do Pericárdio

    ◦ Outro ramo vai para a parede antero
      lateral do tórax até o 2º espaço intercostal
      se dirigindo à faringe e à base da língua.
Meridiano do Baço/Pâncreas
   Meridianos Secundários:

    ◦ Meridiano Tendinomuscular emerge da extremidade
      do hálux, no ponto Ting, BP-1.
    ◦ Meridiano Luo Longitudinal e Transversal: originam-
      se do ponto Luo situado no ponto BP-4 .
    ◦ Grande Luo do Baço-Pâncreas se origina do ponto
      BP-21.
    ◦ Sintomas do meridiano: sensação de peso no corpo
      ou na cabeça, fadiga dos membros superiores e
      inferiores, edema dos músculos.
    ◦ Sintomas      de     alterações     energéticas:   dor
      abdominal, distensão ou sensação de plenitude
    ◦ abdominal,                    diarréia,       digestão
      incompleta, borborigmos, vômitos, anorexia, icterícia,
       constipação intestinal, astenia.
    ◦ É utilizado para tratamento de: afecções do tubo
      digestivo, do Xue (Sangue) e sistema reprodutor
Meridiano do Coração

                Elemento: Fogo
                Horário: 11:00 às 13:00
                hs
                Estação: Verão
Meridiano do Coração
   Função e característica

    ◦ Este    meridiano    é    de    natureza
      Yin, apresenta-se acoplado ao meridiano
      do Intestino Delgado, que é Yang.
      Recebe energia do meridiano do Baço-
      Pâncreas. Comanda o órgão cardíaco e a
      pressão sanguínea. Atua sobre a energia
      psíquica e os distúrbios do coração.
      Relaciona-se com o riso e o prazer.

    ◦ Filtra angústia, mágoa, amargura.
Meridiano do Coração
   Trajeto externo:

    ◦ Inicia-se no Coração e exterioriza-se na
      região axilar, desce pela face medial do
      braço, cotovelo, antebraço Segue para o
      processo estilóide da ulna, região
      hipotênar da palma da mão até o ângulo
      ungueal radial do dedo mínimo.
Meridiano do Coração
   Trajeto interno:

    ◦ Inicia-se no Coração, atravessa o
      diafragma e vai para Intestino Delgado.
      Outro ramo segue para o esôfago, face e
      termina no olho.
Meridiano do Coração
   Meridianos Secundários:
    ◦ Meridiano Luo Longitudinal e Transversal se
      originam no nível do punho, no ponto C-5.
    ◦ Meridiano Tendinomuscular se origina na
      extremidade do 5º dedo da mão, no ponto C-9 .
    ◦ Sintomas do meridiano: impotência funcional dos
      músculos do trajeto do meridiano, dores
      constritivas e espasmos ao longo do trajeto, frio
      na palma da mão e na região plantar dos
      pés, garganta seca, olhos amarelos, dor
      cardíaca, ulcerações na boca e na língua, língua
      grossa, avermelhada e dura, dor nos
      olhos, sede.
    ◦ Sintomas de alterações energéticas: dor ou
      opressão torácica, respiração curta, desconforto
Meridiano do Intestino
Delgado
                   Elemento: Fogo
                   Horário: 13:00 às
                   15:00hs.
                   Estação: Verão
Meridiano do Intestino
Delgado
                  Função e Características

                 • O intestino delgado liga-
                   se ao estômago e
                   termina     na    válvula
                   ileocecal.

                 • Recebe     o    alimento
                   parcialmente digerido do
                   estômago e separa os
                   nutrientes do material
                   inútil.

                 • Considera-se que este é
                   o início do processo da
                   formação do sangue.
Meridiano do Intestino
Delgado
 ◦ Considera-se que este é o início do processo da
   formação do sangue.

 ◦ No plano mental este processo de separação
   entre o que serve e o que pode ser
   dispensado, influencia grandemente o processo
   de cisão e de clareza de pensamento. Como
   parceiro do coração, o intestino delgado assume
   sobre si a carga de abusos antes que afete o
   coração. Atua como um escudo protegendo o
   coração principalmente do calor excessivo que é
   o que mais afeta o coração.

 ◦ Muitos dos sintomas de distúrbios no coração
   também pertencem ao intestino delgado.
Meridiano do Intestino
Delgado
   Trajeto externo:

    ◦ Inicia-se na margem ungueal ulnar do 5º
      dedo da mão emergindo no processo
      estilóide da ulna.

    ◦ Segue pela face medial do antebraço ,
      passando pela goteira ulnar no cotovelo,
      prossegue pela face posterior do braço ,
      até o ombro. Vai para a escápula,
      atingindo a fossa supra clavicular.
Meridiano do Intestino
Delgado
   Trajeto interno:

    ◦ Penetra a cavidade torácica e vai para o
      Coração, até o esôfago, atravessa o diafragma
      e vai para o Estômago e termina no Intestino
      Delgado.

    ◦ Um ramo atravessa o abdome indo para o
      membro inferior até o ponto E-39 .

    ◦ Da fossa supraclavicular sai um ramo
      ascendente para o pescoço e mandíbula
      , seguindo para o ângulo lateral do olho, no
      ponto VB- 1. Então, retorna para a região
      zigomática e penetra a orelha, no ponto ID- 19 .
Meridiano do Intestino
Delgado
   Meridianos Secundários:
    ◦ Meridiano Tendinomuscular: origina-se na
      extremidade do 5º dedo da mão, no ponto ID1.

    ◦ Meridiano Luo ou de Conexão Longitudinal e o
      Transversal: originam-se no antebraço, no ponto
      ID-7.

    ◦ Sintomas do meridiano: impotência funcional dos
      músculos situados em seu trajeto.

    ◦ entumescimento doloroso da mandíbula e do
      pescoço, torcicolo, amortecimento da boca e da
      língua.
Meridiano do Intestino
Delgado
 ◦ Sintomas de alterações energéticas: dor e
   distensão no abdome inferior, às vezes
   com irradiação para a cintura ou para os
   genitais; diarréia, constipação intestinal,
   dor abdominal com fezes secas,
   hematúria, dor Peri umbilical.

 ◦ É utilizado para tratamento das afecções
   de cabeça, olhos, orelhas, garganta,
   pescoço, coluna vertebral, distúrbios
   mentais.
Meridiano da Bexiga
                 Elemento: Agua
                 Horário: 15:00 as 17:00 hs
                 Estação: Inverno
Meridiano da Bexiga
                 Função e Características

                 • O meridiano da bexiga,
                   companheiro dos rins,
                   ajuda a regular a água
                   no corpo. E esta é uma
                   função            muito
                   importante, uma vez
                   que mais de 90% do
                   corpo físico é composto
                   de água.

                 • Quando este par de
                   meridianos está em
                   desequilíbrio    afeta
                   grandemente          a
                   determinação, a força
                   de    vontade  e     a
                   aspiração.
Meridiano da Bexiga

 ◦ No nível físico, a bexiga está cargo de
   armazenar e eliminar o excesso de
   fluidos (como urina). No nível psicológico
   está associada com a retenção. Em
   equilíbrio este meridiano expressa uma
   precaução saudável e avaliação sensata.
   Quando prejudicado por abusos – ficar
   muito tempo em pé, levantar objetos
   excessivamente      pesados,     atividade
   sexual em excesso, etc – manifesta o
   nervosismo, a timidez, o medo e a falta
   de confiança.
Meridiano da Bexiga
   Trajeto externo e interno:
    ◦ Começa no ângulo medial do olho , no ponto B-1
      , onde emite um ramo interno que vai para o encéfalo
      e outro para a orelha, onde comunica-se com a
      Vesícula Biliar. Do ponto VG20 segue para a
      nuca, desce pelo dorso, nádega, coxa até a fossa
      poplítea, face posterior da perna, margem, lateral do
      pé, onde termina no leito ungueal do 5º dedo do pé.
    ◦ Um ramo se comunica com o VB-20, o outro se
      separa em dois ramos: um que segue paralelamente
      à coluna vertebral e, na altura da região
      lombar, penetra no abdome, comunicando-se com o
      Rim e se dispersa na Bexiga.              Da região
      lombar, segue para a região sacral onde se relaciona
      com o meridiano da Vesícula Biliar nos forames
      sacros onde, conjuntamente, penetra a cavidade
      pélvica na qual envolve a Bexiga. Depois reaparece
      na região glútea e segue pela face posterior da
      coxa, indo até a fossa poplítea onde se une com o
Meridiano da Bexiga
   Meridianos Secundários:

    ◦ Meridiano Tendinomuscular tem origem na extremidade do
      quinto dedo do pé, no ponto B-67.
    ◦ Meridiano Luo Longitudinal e o Transversal: originam-se
      na perna, no ponto B-58 .

    ◦ Sintomas do meridiano: sensação de cabeça vazia,
      impotência funcional dos músculos , congestão nasal,
      dores no pescoço, dorso, lombalgia, dor no joelho,
      tornozelo e o 5º dedo do pé, cefaléia no vértex e na região
      frontal, olhos amarelados, epistaxes, hemorroidas.
    ◦ Sintomas de alterações energéticas: dor pélvica, enurese,
      retenção urinária, disúria distúrbios mentais.
    ◦ É utilizado no tratamento das afecções da cabeça, fronte,
      nariz, olhos, região lombar,
    ◦ doenças febris e mentais, distúrbios hídricos e
      imunológicos.
Meridiano do Rim
                   Elemento: Agua
                   Horário: 17:00 as 19:00
                   hs
                   Estação: Inverno
Meridiano do Rim
   Funções e características:

    ◦ A função primária dos rins é armazenar a essência
      vital – esta essência governa os processos de
      nascimento,      crescimento,     reprodução      e
      desenvolvimento.     Os     rins    governam      o
      desenvolvimento de cada indivíduo segundo o chi
      herdado dos pais, o que dá para a pessoa um plano
      único de desenvolvimento mental e físico. Se houver
      um desequilíbrio neste plano, a pessoa pode ter um
      envelhecimento prematuro ou um atraso no
      crescimento, por exemplo.

    ◦ Os rins estão intimamente ligados ao meridiano dos
      pulmões, recebendo o chi enviado por eles durante a
      inspiração.São     responsáveis    também      pelo
      desenvolvimento dos cabelos, ossos e toda estrutura
      óssea.
Meridiano do Rim
 ◦ Estão associados à função sexual, reprodutiva e
   hormonal.

 ◦ O mau funcionamento nos rins é logo visto pela
   coloração mais escura na pele do rosto,
   principalmente, ao redor dos olhos. O medo é a
   emoção primária dos rins. Em equilíbrio se manifesta
   com precaução e boa avaliação. Em desequilíbrio,
   como nervosismo, medo (apreensão excessiva),
   relutância em agir.

 ◦ A válvula de escape dos rins se manifesta como
   gemido, suspiros queixosos, bocejos e vontade de
   cuspir.

 ◦ Os rins são severamente prejudicados pelo excesso
   ou carência de sal, carne (mesmo a de frango),
   açúcar, vinagre, líquidos em excesso, sentar-se na
Meridiano do Rim
   Trajeto Interno e Externo:
    ◦ Começa no 5º dedo do pé e atravessa a região plantar do
      pé , onde se concentra no ponto R- 1, emergindo na face
      medial do pé no ponto R-2 .

    ◦ Vai para a região posterior do maléolo medial, penetra no
      calcâneo e sobe pela face medial da perna , onde cruza
      com os Canais de Energia Principais do Pi
      (Baço/Pâncreas) e do Fígado. No joelho segue pela face
      póstero-medial da coxa indo para o perineo sobe pela
      coxa até o cóccix , onde intercepta o meridiano Curioso Du
      Mai no ponto VG- 1.

    ◦ Segue pela face anterior do osso sacro e das vértebras
      lombares, penetrando o Rim e a Bexiga, atravessa o
      abdome e se conecta com o VC-3 e VC-4 e reaparece
      no ponto R- 11 e depois segue paralelamente à linha
      mediana anterior do abdome, subindo pelo abdome e
      tórax, onde termina na junção esternoclavicular.
Meridiano do Rim
 ◦ Um Canal de Energia Secundário
   profundo sai do Rim, penetra no Fígado
   e atravessa o diafragma, penetrando no
   Pulmão. Nessa região, o meridiano
   bifurca-se em um ramo que vai para o
   Coração e outro segue para a garganta
   até a raiz da língua, onde se concentra no
   ponto VC-23.

 ◦O    meridiano   está   associado  ao
  Rim,         conectando-se        com
  Bexiga, Fígado, Pulmão, Coração e
  garganta.
Meridiano do Rim
   Meridianos secundários:
    ◦ Meridiano Tendinomuscular: origina-se na
      região plantar do 5º dedo do pé, no ponto B-
      67 e se dirige para o R- 1.

    ◦ Meridiano Luo Longitudinal e o Transversal:
      originam-se no tornozelo, no ponto R-4.

    ◦ Sintomas de alterações do meridiano:
      impotência funcional dos músculos            do
      trajeto, atrofia muscular do pé, afonia, dor ao
      longo da coluna vertebral, dor na face medial
      da coxa, perda de força do membro inferior,
      paralisia atrófica, sensação de frio nos pés.
Meridiano do Rim
 ◦ Inflamação da boca, língua seca, garganta
   seca e dolorosa, dor cardíaca, planta dos
   pésquentes.    Sintomas     de     alterações
   energéticas: vertigem, edema facial, visão
   turva, respiração curta, dispnéia, diarréia
   crônica, constipação intestinal, distensão
   abdominal,         vômitos        impotência
   sexual, zumbido, cansaços físico e mental.

 ◦ É utilizado para: das afecções da região
   lombar,    sistema     urogenital,  sistema
   reprodutor         garganta,       doenças
   mentais, doenças cardíacas, doenças
   ósseas, auditivas e cefaléia.
Meridiano do Pericárdio




       Elemento: Fogo
       Horário: 11:00 as 13:00 hs
       Estação: Verão
Meridiano do Pericárdio
   Função e Características
    ◦ Se imaginarmos o corpo e a mente como sendo
      um veículo, como um automóvel fazendo uma
      jornada vital, cada par de órgãos irá ter seu
      papel específico nesta jornada. O coração, e seu
      complementar, o intestino delgado, seriam
      equivalentes ao motor e o combustível deste
      veículo. O coração é lar da energia vital e do
      espírito.

    ◦ Desnecessário dizer que o coração é a fonte da
      bioenergia. Como vimos, de acordo com a
      Medicina Oriental, o ser humano é rodeado por
      uma aura ou campo de energia eletromagnética.
      Esta aura de energia alimenta os órgãos através
      dos    meridianos     para    que    funcionem
      adequadamente.
Meridiano do Pericárdio
 ◦ Dos quatro meridianos que estão sob o controle do
   elemento fogo, o coração é considerado o mais
   importante. Tem duas funções primárias – ―fazer‖ ou
   produzir o sangue e distribui-lo pelos vasos
   sanguíneos, e ser a residência da mente. O coração
   controla a vida e o movimento. É o responsável pela
   qualidade da pulsação. É também o centro da nossa
   existência emocional, por isso fortes emoções
   prejudicam o coração e seu parceiro, bem como
   outros         órgãos/meridianos        associados
   especificamente com a emoção sentida.

 ◦ A fala é governada pelo coração, por isso qualquer
   problema na fala está associado a este meridiano.
   Rir demais sem razão aparente para tanto e falar
   sem parar também são sinais de desequilíbrio na
   energia do coração. Dizemos de uma pessoa de bom
   humor que ela é espirituosa, por isso o mau humor e
   a falta de garra para viver, também são considerados
   com desequilíbrios neste par de órgãos.
Meridiano do Pericárdio
 ◦ Com um coração saudável existe uma profunda
   sensação de prazer por estar vivo. Não apenas
   prazer por conseguir sobreviver, mas um sincero
   prazer por estar vivo. As emoções primárias do
   coração são alegria (em equilíbrio) e tristeza (em
   desequilíbrio).

 ◦ Por isso, a alegria demais sem razão evidente
   (geralmente resultante de um prolongado
   período de depressão ou tristeza) sobrecarrega
   o coração.

 ◦ Sua válvula de escape para alcançar o equilíbrio
   é o riso, o cantar, etc.
Meridiano do Pericárdio
   Trajeto Interno e Externo:

    ◦ Meridiano da Circulação-Sexo inicia-se no
      tórax , desce internamente atravessando o
      diafragma e penetra na cavidade abdominal,
      onde se conecta com o TAS , TAM,TAI
      percorre o tórax e emerge na axila, no ponto
      CS- 1 e desce pela face medial do braço e
      do cotovelo , antebraço, segue pela palma
      da mão e termina na margem ulnar do 3º
      dedo da mão.

    ◦ Da palma da mão, sai um Canal de Energia
      Secundário que vai até a extremidade do 4º
      dedo da mão.
Meridiano do Pericárdio
   Meridianos Secundários:
    ◦ Meridiano Tendinomuscular origina-se na extremidade do
      3º dedo da mão, no ponto CS9.

    ◦ Meidiano Luo Longitudinal e o Transversal: originam-se no
      punho, no ponto CS-6.

    ◦ Sintomas do meridiano incluem: impotência funcional e dor
      nos músculos, espasmos musculares no braço, dor
      ocular, inflamação axilar, calor na palma da mão, face
      avermelhada.

    ◦ Sintomas do Canal de Energia Principal do Xin Bao Luo
      (Circulação-Sexo) associados às alterações de Energia do
      Envoltório Energético do Xin (Coração)               incluem:
      dificuldade para falar, desmaio, irritação, opressão
      torácica,      dificuldade      para       movimentar       a
      língua, palpitações, dor torácica, distúrbios mentais.
Meridiano do Triplo
Aquecedor
                 Elemento: Fogo
                 Horário: 21:00 as 23:00 hs
                 Estação: Verão
Meridiano do Triplo
Aquecedor
                  Função e Características

                 • O triplo aquecedor não
                   corresponde a um órgão. É
                   uma combinação de outros
                   meridianos que produz
                   uma     função  glandular
                   específica.

                 • O triplo aquecedor também
                   é conhecido como ―os três
                   espaços que aquecem‖ as
                   três                 partes
                   (superior, média e inferior)
                   do tronco.
Meridiano do Triplo
Aquecedor
 ◦ A função do pericárdio é controlar as emoções e a
   circulação. A função do triplo aquecedor é criar e manter o
   calor no corpo (e a digestão). O corpo precisa se manter
   dentro de uma faixa de temperatura, caso contrário ocorre
   muitos problemas, e eventualmente até a morte física se a
   temperatura cair demais.

 ◦ Não é possível separar completamente um órgão do seu
   companheiro e é fácil observar como um par de órgãos
   influencia mais um função corpórea que outra. No caso do
   triplo aquecedor, vemos uma interação triangular entre os
   pulmões (e a ―digestão‖ do ar) e o intestino
   grosso, combinada com o par baço/pâncreas e o par
   vesícula biliar/fígado. Cada par de meridianos sendo
   responsável por um terço (superior, média e inferior) de
   área vital no corpo.

 ◦ A outra função do triplo aquecedor é regular o sistema
   linfático e endócrino.
Meridiano do Triplo
Aquecedor
 ◦ No aspecto psicológico, o triplo aquecedor é
   responsável pela expressão social e pelos laços
   de família. Isso significa que um desequilíbrio no
   triplo aquecedor pode aparecer como uma
   negação de contato social (não conseguindo
   lidar bem com isso), ou por uma busca
   desenfreada por aceitação social implicando em
   prejuízos nos laços de família.

 ◦ Enquanto o pericárdio controla a profundidade e
   intensidade dos contatos íntimos ou da vida
   amorosa – sexual e familiar -, o triplo aquecedor
   controla a existência social ―fora do quarto‖ e do
   lar. Este par de meridianos é responsável pelas
   percepções e expressões de humor.
Meridiano do Triplo
Aquecedor
   Trajeto Interno e Externo:
    ◦ Inicia-se na margem ungueal ulnar do 4º
      dedo da mão, sobe pelo dorso da mão entre
      o 4º e o 5º metacarpos, continua pela face
      dorsal entre os ossos rádio e ulna, e segue
      pelo olécrano e pela face póstero-lateral do
      braço até o ombro.

    ◦ Vai até a coluna vertebral da região
      cervicotorácica, onde se encontra com o
      meridiano Curioso Du Mai no ponto VG- 14 .
      Desce pela região supraclavicular.
Meridiano do Triplo
Aquecedor
 ◦ Um ramo sai do VC-17 indo para a fossa
   supraclavicular, para o pescoço e depois para a
   orelha, desce para a mandíbula e sobe para a
   margem infraorbital. Vai, então, para o osso
   zigomático até a região infra-orbitária .

 ◦ Da região auricular, sai um ramo que penetra a
   orelha interna e depois se exterioriza
   anteriormente à orelha externa onde se une ao
   meridiano do Intestino Delgado.

 ◦ Cruza com o meridiano da Vesícula Biliar, no
   ponto VB-3, e atravessa a maxila, para
 ◦ terminar no canto lateral do olho, no ponto TA-
   23. 2.
Meridiano do Triplo
Aquecedor
   Meridianos Secundários:
    ◦ Meridiano Tendinomuscular origina-se na extremidade do 4º dedo
      da mão, no ponto TA-1 .

    ◦ Meridiano Luo Longitudinal e o Transversal: originam-se no
      punho, no ponto Luo TA-5 .

    ◦ Sintomas do meridiano: impotência funcional dos músculos
      situados no trajeto, surdez, tontura, otalgia, dor constritiva do
      ombro, dor e inflamação da garganta, dores maxilar e
      mandibular, olhos avermelhados, cervicalgia,        ombralgia e
      braquialgia.

    ◦ Sintomas       de     alterações      energéticas:      distensão
      abdominal,        sensação          de        plenitude        no
      baixoventre, enurese, polaciúria, edema, poliúria.

    ◦ É utilizado no tratamento: de afecções da região
      temporal, olhos, orelhas, garganta regiões cervical e dorsal, e
      doenças febris.
Meridiano da Vesícula Biliar

                   Elemento: Madeira
                   Horário: 23:00 a 1:00 hs
                   Estação: Primavera
Meridiano da Vesícula Biliar
                  Função e Características

               • A      vesicular     biliar      é
                 responsável                   pelo
                 armazenamento da bílis (que
                 dissolve as graxas), controla
                 o movimento dos intestinos e
                 o    processo      de       tomar
                 decisões.       Como          está
                 intimamente ligado ao seu
                 par, o fígado, qualquer
                 desequilíbrio num deles logo
                 se reflete no outro.

               • O fígado e a vesícula
                 representam a iniciativa e o
                 arrebatamento. Sua energia
                 promove o crescimento.
Meridiano da Vesícula Biliar
 ◦ Quando este par está em desequilíbrio,
   respondem tentando controlar ou dominar a
   situação criando demandas emocionais.

 ◦ Se suas demandas não são satisfeitas, logo
   acontece a depressão ou deflação.

 ◦ A ira é a emoção predominante atribuída à
   vesícula, enquanto a raiva é atribuída ao
   fígado. A raiva é mais dissimulada e se
   apresenta de várias formas, enquanto a ira é
   aberta e furiosa. A ira impede o raciocínio e a
   habilidade de tomar decisões.
Meridiano da Vesícula Biliar
   Trajeto interno e externo:

    ◦ O meridiano começa no ângulo lateral do
      olho e cruza a têmpora . Toma sentido
      ascendente até a fronte, e desce pela região
      posterior da orelha onde no ponto VB-20 .

    ◦ Vai para a região cervical( VG14), segue
      para a região supraclavicular até o
      E12, penetra no tórax, atravessa o
      diafragma, entrando no Fígado e Vesícula
      biliar, segue pelos flancos, contorna os
      genitais e segue para o quadril, região
      sacra, descendo pela face lateral da
      coxa, joelho, perna e termina no 4º dedo do
Meridiano da Vesícula Biliar
   Meridianos Secundários:

    ◦ Meridiano Tendinomuscular: origina-se na extremidade do
      4º dedo do pé, no ponto VB-44 .

    ◦ Meridiano Luo Longitudinal e o Transversal: originam-se
      na perna, no ponto VB-37 .

    ◦ Sintomas do meridiano: impotência funcional e dor
      muscular no trajeto, lombalgia, parestesia na face lateral
      da coxa e da perna.

    ◦ Sintomas de alterações energéticas: dor torácica, vômitos,
      boca amarga, dor nos flancos, discinesia biliar, dor na
      cintura.

    ◦ É utilizado no tratamento: das afecções de orelha, nuca,
      cabeça, nariz, olhos, garganta região costal, Fígado,
      Vesícula Biliar, colédoco e doenças febris.
Meridiano do Fígado
                 Elemento: Madeira
                 Horário: 1:00 as 3:00 hs
                 Estação: Primavera
Meridiano do Fígado
   Função e Características

    ◦ A função do fígado é vital para todo o sistema
      corpo/mente. Este órgão é quase maquiavélico. É um
      poder silencioso por detrás do trono. Embora supervisione
      todas as atividades físicas e mentais, o fígado raramente
      ―fala‖ através da dor e do desconforto como a maioria dos
      órgãos.

    ◦ Mesmo quando adoecemos, o fígado em si não dói, com
      exceção de quando seu par, a vesícula biliar, está
      inflamado.

    ◦ Entretanto é o fígado que ―cria‖ a dor para nos avisar que
      alguma coisa de errada está acontecendo no corpo. A dor
      é maior ou menor segundo o grau de desequilíbrio no
      fígado.

    ◦ Existem cerca de 500 funções e processos – bem como
Meridiano do Fígado
 ◦ Sua função primária é a de assegurar que o chi
   esteja fluindo regularmente por todo o corpo.
   Tensão mental e obstrução no equilíbrio das
   funções físicas aparecerem rapidamente se o
   fígado não for capaz de executar sua função
   primária e essencial.

 ◦ Sua segunda e importante função é de ―formar,
   quebrar e desintoxicar‖ o sangue.

 ◦ Também controla os ligamentos e músculos e é
   responsável pela saúde das unhas. O fígado
   está mais ativo da 1h às 3hs da manhã quando o
   corpo está descansando. É quando o fígado
   recebe uma carga de energia para executar as
   funções digestivas e de limpeza do sangue.
Meridiano do Fígado
 ◦ O fígado é responsável por um bom número de emoções sendo a
   raiva a mais característica.

 ◦ A paciência é controlada pelo fígado e seu par (a vesícula biliar).
   Quando o fígado está em desequilíbrio reage com agressão e
   gritos, insultos e rebeldia, ou com a depressão e um tipo
   particular de choro – aquele choro nascido da frustração quando
   a pessoa não consegue conter as lágrimas e que funciona como
   uma válvula de escape.

 ◦ Como já foi dito anteriormente, gritar é uma expressão do fígado
   em desequilíbrio, mas por sua vez o ato de gritar causa mais
   danos ao fígado, fechando assim um círculo vicioso e
   perpetuando o efeito negativo.

 ◦ Um fígado equilibrado se expressa com ideais superiores sendo
   que a espiritualidade também é uma de suas funções. Para se
   entrar realmente em contato como Eu Superior e/ou ter
   experiências espirituais é preciso que o fígado esteja saudável.
   Quanto mais saudável o fígado mais assertiva a pessoa é sem
   ser agressiva. E de todos os órgãos, o fígado é o que se
   regenera mais facilmente.
Meridiano do Fígado
   Trajeto interno e externo:

    ◦ Meridiano do Gan (Fígado) inicia-se na margem
      ungueal lateral do hálux Dessa região, vai para o
      dorso do pé, segue anteriormente ao maléolo
      medial, indo pela face medial da perna, onde no
      ponto BP-6 cruza com o meridiano do
      Baço/Pâncreas e do Rim.

    ◦ Toma sentido ascendente , cruzando novamente
      com o meridiano do Baço- Pâncreas, segue pela
      face póstero-medial do joelho e coxa, contorna
      os genitais externos, penetra na pelve pelo ponto
      VC-3 e se conecta com o meridiano Ren Mai nos
      pontos VC-2 eVC-3.
Meridiano do Fígado
 ◦ Nesse ponto penetra a cavidade pélvica, envolvendo
   a Bexiga e reaparece no VC-4 .

 ◦ Depois circula junto ao meridiano Estômago e
   penetra o abdome , unindo-se com o Fígado e se
   conectando com a Vesícula Biliar.

 ◦ Continua pelo músculo diafragma e pela região do
   hipocôndrio, indo para o pescoço, na região da
   faringe ; penetra na nasofaringe, emerge no
   olho, seguindo para a cabeça , onde vai cruzar com o
   meridiano Du Mai no vértex, e termina na região
   temporomalar do outro lado.

 ◦ Um ramo secundário sai da região infrapalpebral e
   rodeia a boca . Um outro ramo proveniente do
   Fígado atravessa o diafragma e se une ao Pulmão
   através de Canais deEnergia Secundários profundos.
Meridiano do Fígado
   Meridianos Secundários:
    ◦ Meridiano Tendinomuscular: origina-se na extremidade do
      hálux, no ponto F-1.

    ◦ Meridiano Luo Longitudinal e o Transversal: originam-se na
      perna, no ponto F-5.

    ◦ Sintomas do meridiano: impotência funcional dos músculos
      situados   em     seu   trajeto       vertigem,  fraqueza   no
      joelho, zumbido, abdome doloroso e distendido, dor e edema dos
      genitais externos, pele do testículo retraída, membros
      frios, cefaléia, vertigens, visão turva, febre, cãibras
      musculares, principalmente do hálux, e disúria.

    ◦ Sintomas de alterações energéticas: sensação de plenitude ou
      de dor nos lados e no tórax, edema duro no epigástrio ou no
      trajeto desse meridiano, dor abdominal, vômitos, icterícia, fezes
      duras, dor no abdome inferior, retenção urinária, dores nos
      genitais externos, urina escura.

    ◦ É    utilizado   no      tratamento:    das       afecções     de
      cabeça, hipocôndrio, pelve, sistema urogenital, sistema digestivo
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
   Há conexões estabelecidas entre os órgãos e vísceras,
    entre os tecidos superficiais e sensoriais do corpo
    (olho, nariz, língua, ouvido), de modo que qualquer
    distúrbio naqueles originará sinais reflexos nestes.
    Esse processo cria, no organismo, um desequilíbrio
    que levará à disfunção fisiológica. Portanto, na
    diagnose e no tratamento de uma doença, a medicina
    chinesa observa o corpo como um todo, com seus
    sinais e sintomas. Na análise e classificação das
    doenças, levam-se em consideração os fatores
    etiológicos, a intensidade da reação do organismo, a
    localização das alterações dos sintomas, a alteração do
    pulso, a variação na morfologia da língua etc. Em
    relação à diagnose e ao tratamento, há muitos
    conceitos e princípios na medicina chinesa que são
    semelhantes aos da medicina moderna; outros, no
    entanto, são muito diferentes.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
   Abaixo citaremos alguns deles. Para o que diz
    respeito à diagnose, há quatro procedimentos:

    ◦ a)Inspecionar
    ◦ b)Ouvir as queixas e sentir os odores apresentados
      pelo paciente
    ◦ c)Questionar os dados
    ◦ d)Examinar o físico e a pulsologia

    Na classificação das síndromes, há oito critérios:

    ◦   a)Externo (superficial) e interno (profundo)
    ◦   b)Frio e calor
    ◦   c)Deficiência e excesso
    ◦   d)Yin (negativo) e Yang (positivo)
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa

 ◦ O diagnóstico diferencial é feito através
   de seis fatores etiológicos que são:,
   vento, frio, calor de verão, umidade, seco
   e calor de fogo. Estes fatores se
   relacionam         às       sintomatologias
   decorrentes do desequilíbrio.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
   Inspeção
    Envolve a observação do todo ou de partes específicas
    do corpo do paciente:

    ◦ a)Cor — a cor do rosto é um fator importante para o
      diagnóstico. Caso este se apresente brilhante, o
      estado de saúde do paciente será normal ou terá
      tendência para algum leve desequilíbrio. Ao
      contrário, o fato de estar escura, opaca, indica que a
      doença é crônica, profunda ou grave. Se a coloração
      facial for azulada, trata-se geralmente da Síndrome
      do Vento. Se a coloração facial estiver
      avermelhada, isso indica na maioria das vezes a
      Síndrome do Calor de Fogo. Se a cor estiver
      amarelada, e um sinal indicativo da Síndrome da
      Umidade Se a cor for pálida, estaremos lidando com
      a Síndrome da Deficiência e se for escura, Síndrome
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
•   b) Olhos — No caso da esclerótica se apresentar
    amarelada tratar-se-á, possivelmente, da Síndrome da
    Icterícia. Se estiver congestionada, há uma deficiência de
    Yin ou Síndrome do Calor de Fogo. Se o olho estiver
    dolorido, inchado e avermelhado, caracteriza-se a
    Síndrome do Calor e do Vento do meridiano do fígado.
    Caso a pálpebra esteja edemaciada, estaremos lidando
    com a Síndrome do Edema; se houver midríase, isso
    indicará deficiência de energia no rim, ou então será um
    sinal de morte.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa

 ◦ Nariz — Coriza leve é, geralmente, de
   natureza alérgica e deve-se à fria gemou
   ao vento. Se a coriza for purulenta ou
   espessa, trata-se de problema mais
   profundo, relacionado com a Síndrome do
   Calor e do Vento. Caso esteja num
   estado purulento mais avançado, isso
   indicará deficiência de energia no
   pulmão.
Diagnostico e Tratamento na
 Medicina Tradicional Chinesa

                                       • e) Dentes — Se as gengivas
                                         sangram,      trata-se     da
                                         Síndrome do Calor de Fogo
                                         do estômago; se apenas
                                         doem,      sem       estarem
                                         vermelhas ou inchadas, é
                                         Síndrome do Calor de Fogo
                                         do meridiano dos rins.


• d) Lábios — Se esbranquiçados, deficiência do sistema sanguíneo;
  se a vermelhados, Síndrome do Calor e Excesso Energético, se a cor
  é um vermelho tênue e opaco, Síndrome do Frio e Deficiência
  Energética, se tendem a permanecer          abertos, Síndrome de
  Deficiência Energética; se a tendência for permanecerem fechados,
  Síndrome de Excesso Energético. Caso se apresentem secos e com
  fissuras, isso indica um distúrbio hídrico.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
• F) Língua- Segundo a Medicina Chinesa, a língua mede a nossa
  saúde, mostra-nos a sua relação com o coração, pâncreas, fígado e
  rins. Uma língua considerada normal apresenta uma coloração
  rosada, larga e arredondada, podendo possuir uma capa fina e
  húmida sobre toda a sua superfície. Em caso de padecimento, as
  modificações anormais da cor da língua aparecem, esta torna-se
  pálida branca, vermelha escarlate ou violácea.

   A tradição Ayurvédica divide a língua em três áreas
   que refletem os diferentes órgãos e baseia-se em
   três aspectos fundamentais, são eles:

   - A cor;
   - O formato;
   - O revestimento.
Diagnostico e Tratamento na
  Medicina Tradicional Chinesa
Em termos patológicos, e de uma forma simplificada, os
significados das cores são os seguintes:


• Língua vermelha - é o resultado de
  excesso de calor que provoca uma
  abundância excessiva de energia e de
  sangue. Indica úlceras ou cancro do
  estômago ou intestinos. Quando o vermelho
  é mais acentuado na ponta da língua e a
  ponta do nariz apresentar igualmente uma
  cor avermelhada é sinónimo de um coração
  inchado. Se a língua apresentar grânulos
  em volta, significa excesso de energia nos          Língua
                                                vermelha, Úmida
  pulmões e carência de água no organismo.
                                                    e com uma
                                                fissura no meio e
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
• Língua branca pálida - é uma cor mais pálida que a cor
  normal da língua, significa que esta já não é aquecida e
  nutrida convenientemente e geralmente observa-se durante o
  decurso de síndromes de frio ou de sangue. Indica-nos que
  há excesso de muco no estômago e quando
  simultaneamente não consegue ser puxada para fora, em
  linha reta, ou se mostra trémula, aponta para problemas no
  sistema nervoso. É também indicio de infecção renal.


                 Língua Branca e
                    Pálida com
                   excesso de
                 saburra branca
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa

                             Língua com saburra Amarela
                               , palidez na lateral e uma
                            grande fissura no meio (região
                                      do estomago)




• Língua amarela - indica-nos problemas no fígado,
  vesícula biliar e pâncreas.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ Língua escarlate - é uma cor mais
   vermelha mais acentuada. Geralmente
   observa-se      nas      doenças      de
   tepidez, quando o calor penetrou ao nível
   da camada alimentícia e da camada de
   sangue ou durante as afecções crónicas
   ou graves.

 ◦ Língua violácea- no caso de mulheres
   grávidas, que apresentem esta cor na
   língua, pode ser indicio da morte do feto .
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
   O formato

A observação da morfologia da língua consiste
essencialmente em examinar o aspecto grosso ou afiado
do corpo da língua, a sua aparência (velha ou jovem), se
apresenta fissuras ou aspecto serrilhado e a sua
mobilidade. A língua pode apresentar movimentos ou
atitudes            particulares:         pode       ser
rígida, flácida, ostentada, desviada ou retraída.

    ◦ Língua serrilhada/dentada- língua que apresenta marcas
      dos dentes sobre os bordos, pode ser sintoma de várias
      situações: presença de vermes intestinais, deficiência do
      baço, acumulação excessiva de humidade e de frio.

    ◦ Língua grande- indica-nos que a pessoa sofre de
      hipertrofia cardíaca.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ Língua grossa e redonda- característica de uma pessoa
   que intitulamos que tem ―um coração de boi‖ e ao mesmo
   tempo apresenta problemas nas válvulas cardíacas.

 ◦ Língua afiada e fina- indica-nos insuficiência de líquidos
   fisiológicos e que a pessoa sofre de palpitações e infecção
   do miocárdio.

 ◦ Língua fissurada- a língua apresenta fissuras,
   consequência de uma deficiência dos líquidos orgânicos e
   do sangue que já não a conseguem alimentar, no entanto,
   uma língua fissurada também se pode observar em uma
   pessoa de perfeita saúde. Uma língua com cor escarlate e
   com fissuras indica uma lesão dos líquidos orgânicos
   provocada por excesso de calor. Uma pessoa que
   apresente uma língua branca com fissuras é um sintoma
   de deficiência do sangue. No caso da fissura se encontrar
   no centro da língua, indica-nos problemas de fígado e
   boca, se a fissura for profunda indica ocorrência de
   problemas cardíacos.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ Língua rígida- quando o corpo da língua
   é rígido e não se pode dobrar, alongar ou
   virar. Indica-nos que existe uma
   desnutrição     grave.    Quando     esta
   característica aparece na sucessão de
   uma perturbação interna, constitui
   pródomo de apoplexia, permitindo prever
   o risco de AVC ou paralisia.

 ◦ Língua desviada- o corpo da língua está
   desviado para um dos lados. Observa-se
   em caso de apoplexia ou em seu
   prenúncio.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
   O revestimento lingual

O revestimento lingual é produzido pela energia do estômago.
É normalmente constituído por uma camada fina e branca, nem
muito seca nem muito húmida. A observação do revestimento
consiste essencialmente em examinar a sua cor e o seu
aspecto.

 O revestimento pode apresentar-se principalmente em quatro
cores: branco, amarelo, cinzento e preto. As modificações da
cor, revelam o nível de penetração da energia perversa:
superficial ou profunda; e a sua natureza: fria ou quente.

Quando se trata de uma afecção de origem externa, a cor de
origem externa, a cor do revestimento passa de branco ao
amarelo, depois ao cinzento e finalmente ao preto, isto é, a
energia perversa atinge a profundidade por um processo de
penetração progressiva.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ Revestimento branco - um revestimento
   branco e fino é um revestimento considerado
   normal, mas se o revestimento for branco,
   espesso, pegajoso, liso e opaco está
   relacionado com problemas de estômago,
   intestino grosso e denuncia um intestino
   delgado sem energia e provavelmente
   infecção das vias respiratórias.

 ◦ Revestimento amarelo - um revestimento
   amarelo, seco, acompanhado de mãos
   quentes e pés frios, olhos vermelhos e
   injetados revelam febre intestinal e secura da
   água corporal.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ Revestimento cinzento- revela perda de
   água, mas quando se apresenta cinza escuro
   denuncia inflamação dos rins e debilidade das
   vísceras (os rins são os únicos órgãos que não
   se recompõem). Quando se junta ao
   revestimento     cinzento   a    presença   de
   gases, significa que provavelmente a pessoa
   padeceu de um derrame cerebral.

 ◦ Revestimento preto- o revestimento preto
   provém com frequência da evolução de um
   revestimento cinzento ou amarelo queimado.
   Aparece frequentemente durante um estado
   critico de uma doença pouca mucosidade ou
   muco muito avermelhado indicam febre
   interna, aliada a prisão de ventre e normalmente
   diabetes.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
   Aspecto do revestimento

    O aspecto do revestimento lingual compreende as
    seguintes características:

    ◦ Espesso ou fino- a espessura do revestimento
      permite avaliar a potência da perversidade e apreciar
      o estado do doente. Um revestimento fino, observa-
      se em geral no inicio de uma afecção. A patologia
      localiza-se à superfície e o estado do doente não é
      preocupante. Um revestimento espesso indica a
      progressão no sentido da profundidade e o estado do
      doente é mais sério, havendo sempre progressão da
      doença. Se a espessura do revestimento lingual
      diminuir, a energia perversa evolui da profundidade
      para a superfície, havendo regressão da doença e
      melhoramento do paciente. Pode também indicar
      acumulação de mucosidades húmidas a nível interno.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ Húmido ou seco- o revestimento normal é
   húmido, e indica que os líquidos fisiológicos
   sobem sem dificuldade. O grau de secura ou
   humidade do revestimento lingual revela o
   estado dos líquidos orgânicos. Um revestimento
   seco, que em caso de agravamento, se torna
   rugoso e apresenta espinhas, revela perda de
   líquidos.

 ◦ Turvo (apodrecido) ou gordo- o revestimento
   turvo assemelha-se a restos de queijo de soja, é
   possível retirá-lo limpado a língua. É causado
   pela    subida     de    ―substâncias    pútridas‖
   acumuladas no estômago. O revestimento gordo
   é também viscoso, como se uma camada de
   líquido viscoso recobrisse a superfície da língua,
   só se podendo retirar por fricção.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ Descamado- o revestimento lingual cai
   bruscamente e não é substituído, a
   superfície da língua torna-se limpa e polida
   (como um espelho, designando-se por
   ―língua em espelho‖).

 ◦ Fixo ou flutuante- o revestimento fixo é um
   revestimento    que     não     se     retira
   raspando, parece que está integrado na
   língua, chamando-se também revestimento
   verdadeiro. O revestimento flutuante é um
   revestimento que parece simplesmente
   colocado sobre a língua e que sai
   raspando, chamando-se assim de falso
   revestimento.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
• Pulsologia

                    “O exame do pulso é tão
                importante, revelador e difícil que
                 deveríamos palpar os pulsos ao
                             invés de
                     apertar-nos as mãos. ”

                    Hu HSin Shan - Mestre de
                         Tai-chi-chuan
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ O exame do paciente tem por objetivo
   descobrir e existência de desequilíbrio da
   energia, o que pode ser feito de várias
   maneiras , segundo normas ocidentais e
   orientais.

 ◦ Dentro da medicina tradicional chinesa
   (MTC), a forma mais importante de
   diagnóstico de desequilíbrio energéticos é
   a PULSOLOGIA CHINESA, que é
   feita, desde a antiguidade através da
   palpação de artérias.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ a) Métodos para avaliar o pulso — A mão do paciente
   deve estar com a palma virada para cima em semi-
   extensão, em repouso, sobre a mão do examinador. O
   examinador usará os três dedos (indicador, médio, anular)
   da mão direita para palmar (examinar) o pulso (radial) da
   mão esquerda do paciente, e usará os mesmos três dedos
   da mão esquerda para examinar o pulso da mão direita do
   paciente. O dedo médio deve palpar a artéria radial na
   linha da protuberância do processo estilóide. O dedo
   indicador deve ser colocado distalmente ao dedo
   médio, apalpando a artéria ao nível da prega do
   punho, enquanto o dedo anular sente a artéria
   proximalmente ao dedo médio, cerca de l a 2 cm acima, de
   forma que a distância entre o dedo indicador e o anular
   seja aproximadamente 1,9 tsun (1 tsun é igual à distância
   Inter falangeana distal e medial do dedo médio do
   paciente). Quanto à nomenclatura, a onda do pulso
   palpado sob o dedo indicador é a onda Tsuen. A onda do
   pulso sob o dedo médio é o Quan e, sob o anular, é o Tshi
   . A força com que se apalpa o pulso poderá ter diferentes
   intensidades, isto é: leve, forte ou intermediária. Cada uma
   delas revelará determinados detalhes sobre o estado dos
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
• b) Relação entre a posição do pulso e os diferentes meridianos
  do organismo — Baseados na observação milenar da medicina
  chinesa, sabemos que cada pulso tomado possui características
  próprias e se relaciona com determinado meridiano. Devido a
  divergências de opinião quanto à correlação pulso-meridiano,
  surgiram, ao longo dos anos, diferentes teorias sobre esse assunto.
  No entanto, a maioria dos especialistas em pulsologia concorda
  quanto às seguintes:
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ C) As variações e os significados do pulso — O
   pulso forma-se pelo fluxo sanguíneo ejetado a cada
   sístole ventricular do coração. Ele se produz quando
   esse fluxo passa com velocidade no interior da
   artéria dilatando suas paredes. De acordo com
   velocidade, ritmo, intensidade e características
   ondulatórias desses fluxos sanguíneos definem-se os
   diferentes tipos de pulso. São considerados pulsos
   regulares os que apresentam intensidade e
   velocidade moderada, características nem muito
   duras nem muito moles, e podem variar conforme a
   faixa etária e as alterações climáticas. Em relação à
   velocidade, o pulso pode ser lento ou rápido. Quanto
   ao ritmo, rítmico ou arrítmico. Os pulsos rítmicos
   podem ainda ser regulares ou alternantes. Quanto à
   intensidade,     fortes   ou    fracos.   Quanto    à
   amplitude, superficiais ou profundos. Quanto ao
   aspecto ondulatório, largos ou finos, duros ou moles.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
   Síndromes

    ◦ Síndrome externa (superficial) e interna (profunda) - A
      noção de superficial ou profunda engloba a ideia da
      localização da doença, assim como sua gravidade. As
      síndromes superficiais geralmente têm suas origens em
      fatores externos que atingem o organismo e se agravam à
      medida que se tornam mais profundos Embora estas
      síndromes se manifestem frequentemente acompanhadas
      de febre e calafrios, não costumam apresentar lesões ou
      deficiências funcionais dos órgãos. Como, por exemplo,
      distensão abdominal, vômitos, diarréias etc. Não e
      possível classificar as síndromes superficiais ou profundas
      baseando-se somente na sintomatologia, pois é preciso
      levar em conta também o estado geral do paciente. Na
      síndrome profunda, por haver distúrbios dos órgãos
      internos com alteração de suas funções fisiológicas, os
      sinais e sintomas, assim como o estado geral, são mais
      graves.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ Síndrome do frio e do calor - Sua classificação baseia-se
   nos sinais e sintomas da doença. O mais importante é
   notar a presença de sede, a característica das
   fezes, temperatura do corpo ou dos membros, estado de
   ânimo, a cor da face, morfologia da língua e pulsologia.

    a)Síndrome do Frio: não há sede, nem vontade de ingerir
     líquidos,    há     hipersensibilidade   ao      frio,   membros
     frios, desânimo, urina abundante e de cor clara, fezes amolecidas
     ou malformadas, palidez facial, camada superficial da língua lisa e
     esbranquiçada e pulso mais lento.

    b)Síndrome       do     Calor:   há    sede,    bebe-se    muita
     água, principalmente gelada, corpo quente, irritação com o
     calor, agitação, ansiedade, respiração quente, urina escassa e
     amarelada em pequena quantidade, rubor facial, fezes
     ressecadas, língua amarelada e pulso rápido. Na tabela 3 da
     página seguinte classificamos as Síndromes Superficial -Profunda
     e do Frio-Calor com base no excesso ou na deficiência de energia.
     Este conceito relativo à energia tem na Acupuntura a maior
     importância, pois implica diretamente a escolha dos meridianos
     para a terapia.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ Síndrome de deficiência e excesso- A
   Síndrome de Deficiência indica fraqueza do
   organismo e de seu sistema de defesa ou
   desgaste, decorrente de doença prolongada.
   A Síndrome de Excesso, por sua vez, indica
   que há reação vigorosa do organismo no
   decorrer da doença. As Síndromes de
   Deficiência e Excesso também indicam o
   tempo       da      doença,     longa     e
   curta, respectivamente. Por isso, é possível
   classificar as Síndromes de Deficiência ou
   Excesso energético de acordo com o tempo
   de duração da doença, o estado geral do
   corpo e o pulso forte ou fraco.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ Síndromes de Excesso caracterizam o início da
   doença e seu meio, já as Síndromes de
   Deficiência predominam nas doenças crônicas e
   em seu estágio final. As Síndromes de
   Deficiência podem ainda ser subdivididas em
   quatro categorias.

   1) Deficiência de Yin — Se há deficiência de Yin, há
    excesso de Yang; podemos citar aqui a Síndrome do
    Calor e, por isso, essa Síndrome é muitas vezes
    chamada de Síndrome de Deficiência-Calor. Seus sinais
    e sintomas são: calor, rubor facial, boca seca, palmas
    das mãos e plantas dos pés quentes, ansiedade,
    sudorese, obstipação, urina amarelada e escassa. A
    língua se apresenta avermelhada, com uma camada
    superficial fina e às vezes com fissuras. O pulso é fino,
    rápido e fraco.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
   2) Deficiência de Yang — Indica também excesso de Yin;
    é a Síndrome de Deficiência-Frio. Além dos sinais de
    deficiência acima, há respiração fraca, pulso profundo e
    fino.

   3) Deficiência de Qui (respiração ou energia) — Há uma
    falta de energia, dispnéia aos esforços com taquipnéia
    exercional, tontura, fraqueza até para falar (voz baixa),
    muito suor, maior volume de urina, prolapso anal ou do
    útero. A língua tem cor tênue com pouca camada
    superficial. O pulso é fraco.

   4) Deficiência de Hsue (sangue) — Há tontura e visão
    turva, ansiedade, insônia, sudorese noturna, obstipação,
    palidez facial ou com coloração amarelada, sem brilho. A
    boca se apresenta esbranquiçada. Em mulheres, pode
    ocorrer oligo ou amenorréia e fluxo menstrual de cor
    esmaecida e de pequena quantidade. A língua tem cor
    tênue; o pulso é fino e fraco, ou fino e rápido; a pele
    ressecada, opaca e com perda de carnação.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa
 ◦ As Síndromes de Excesso podem ser
   subdivididas em três categorias:

   1)Síndrome de Excesso-Calor. Há
    febre, sudorese, boca seca, necessidade de ingerir
    líquidos, ansiedade, má concentração, distensão
    torácica e abdominal, obstipação, fezes
    ressecadas; camada superficial da língua
    grossa, amarelada e seca; pulso profundo e
    forte, ou liso e rápido.
   2)Síndrome de Excesso de Qui (energia).Há
    distensão torácica, muito expectoração, esforço
    respiratório, distensão no epigástrio, dor
    abdominal, azia, regurgitação de gases, obstipação
    ou diarreia.
   3)Síndrome de Excesso de Hsue (sangue). Má-
    circulação, como em traumas, edemas, dor
    abdominal com incômodo à compressão.
Diagnostico e Tratamento na
Medicina Tradicional Chinesa

 ◦ Síndrome de Yin-Yang - A Síndrome de
   Yin-Yang é a que incorpora em si todas
   as outras classificações. Isso porque a
   Síndrome de Yin corresponde às
   Síndromes Profundas de deficiência e
   frio, enquanto que a Síndrome de Yang
   compreende as Síndromes Superficiais
   de excesso e calor. Por outro lado,
   baseados      nos    quatro    princípios
   diagnósticos, também é possível dividir as
   Síndromes em Yin e Yang.
Conheça outra Técnicas de
Tratamentos da MTC
   Auriculoterapia ou Acupuntura
    Auricular
                      é um método terapêutico que
                      utiliza a orelha para a avaliação e
                      tratamento         através       da
                      estimulação         de       pontos
                      reflexos, atuando no reequilíbrio
                      da saúde a partir dos mesmos
                      princípios      da      acupuntura.
                      Indicado para casos como:
                      ansiedade, stress, perda de
                      peso,      dores      crônicas    e
                      agudas, vícios e entre outros.
Conheça outra Técnicas de
Tratamentos da MTC
   Moxatbustão
                  A moxabustão é uma técnica
                  terapêutica da Medicina Tradicional
                  Chinesa. Baseia-se nos mesmos
                  princípios e conhecimentos dos
                  meridianos de energia utilizados na
                  acupuntura,     sendo      amplamente
                  utilizada em outros sistemas de
                  Medicina Oriental tradicionais como:
                  Japão, Coreia, Vietname, Tibete e
                  Mongólia.     Esta     prática,     pela
                  documentação       antiga     existente,
                  parece ser anterior á acupuntura.
                  O efeito da moxa é semelhante á
                  acupuncura, que age estimulando os
                  pontos da acupuntura para fortalecer a
                  circulação do Qi (energia) e do
                  sangue, sendo que a moxa estimula
Conheça outra Técnicas de
Tratamentos da MTC
   VentosaterapiaA teoria do uso das ventosas se baseia na
                        ação de sucção que ela provoca quando
                        em contato com a pele: o vácuo formado
                        puxa pele e músculos para dentro do
                        copo, causando uma congestão local que
                        estimula a circulação sanguínea na
                        superfície do corpo. Este aumento do
                        aporte sanguíneo favorece a nutrição de
                        músculos,     dissolvendo     tensões  e
                        aplacando dores musculares e articulares.
                        Além disso, a ventosaterapia atua
                        diretamente     na    desintoxicação  do
                        sangue, melhorando sua qualidade assim
                        como a qualidade do próprio Qi do
                        organismo; o uso de ventosas atua
                        diretamente        no      interior   do
                        corpo, estimulando o próprio metabolismo
                        a separar as toxicinas presentes no
Conheça outra Técnicas de
 Tratamentos da MTC
    Guashá
A técnica do Guasha tem por objetivo cuidar das patologias causadas
pela Invasão de Vento, Frio, Umidade e Calor externo que provocam o
bloqueio do Qi e do Xue nos canais de energia e seus colaterais.
O termo Gua, significa raspar, escovar, arranhar e o Sha significa
areia, sujeir a. É uma técnica simples que consiste em raspar a
superfície      do     corpo       com       o     auxílio   de     uma
espátula, moeda, colher, escova, a fim de retirar a energia perversa que
penetrou no corpo. Na China essa técnica foi muito utilizada pelos
camponeses, por não provocar efeitos colaterais
 A sabedoria chinesa diz que devemos primeiro tratar o
 exterior, para depois tratar o interior. Este principio é
 utilizado na técnica do Guasha pois, tratando o
 exterior pela raspagem, superficializamos a energia
 perversa cada vez mais, favorecendo a sua eliminação
 pelos poros e pelos pontos que são as aberturas dos
 canais                    de                     energia.
Referencias Bibliográficas
Livros:
   ◦ Os Fundamentos da Medicina Chinesa. Autor: Maciocia
   ◦ Acupuntura Clássica Chinesa. Autor: Tom Wen
   ◦ Manual do Herói. Autor: Sonia Hirsch
   ◦ A Arte de Inserir. Autor: Ysao Yamamura

   Sites:
   ◦ http://www.saudeoriental.com
   ◦ http://saudeakira.blogspot.com.br/

   Artigos científicos:

   ◦ Associação da Acupuntura Sistêmica e Auriculoterapia no
     Tratamento de Cefaleia Tensional.
   Autoras: Mariana Cembranelli Santana e Elaine Cristina de Almeida.

   ◦ Acupuntura no Tratamento da Dor Miofacial. Autor: Carneiro NM

   ◦ Acupuntura e Dor Crônica. Autor: Dr. Carlos Daniel Christ

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vasos maravilhosos
Vasos maravilhososVasos maravilhosos
Vasos maravilhososRenata Pudo
 
Apresentação vasos-maravilhosos-delvo
Apresentação vasos-maravilhosos-delvoApresentação vasos-maravilhosos-delvo
Apresentação vasos-maravilhosos-delvoAlexandre de Aguiar
 
MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO NA MTC
MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO NA MTCMÉTODOS DE DIAGNÓSTICO NA MTC
MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO NA MTCElva Judy Nieri
 
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTCConceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTCcomunidadedepraticas
 
5 elementos - Shu Antigos
5 elementos - Shu Antigos5 elementos - Shu Antigos
5 elementos - Shu AntigosFlavia Parente
 
Bian zheng (Diagnóstico pela Diferenciação de Síndromes)
Bian zheng (Diagnóstico pela Diferenciação de Síndromes)Bian zheng (Diagnóstico pela Diferenciação de Síndromes)
Bian zheng (Diagnóstico pela Diferenciação de Síndromes)http://www.saudebio.com Bio
 
Pontos de alarme, vc e shu mo
Pontos de alarme, vc e shu moPontos de alarme, vc e shu mo
Pontos de alarme, vc e shu moFlavia Parente
 
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a BiomedicinaMedicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicinacomunidadedepraticas
 
Vasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinarios
Vasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinariosVasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinarios
Vasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinariosElva Judy Nieri
 
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeacoO diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeacoFisio Júnias
 
Apostila seis sons terapêuticos
Apostila seis sons terapêuticosApostila seis sons terapêuticos
Apostila seis sons terapêuticosRogério Versolatto
 
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...http://www.saudebio.com Bio
 

Mais procurados (20)

Vasos maravilhosos
Vasos maravilhososVasos maravilhosos
Vasos maravilhosos
 
Acupuntura aula
Acupuntura aulaAcupuntura aula
Acupuntura aula
 
37060073 apostila-meridianos-2009
37060073 apostila-meridianos-200937060073 apostila-meridianos-2009
37060073 apostila-meridianos-2009
 
Apresentação vasos-maravilhosos-delvo
Apresentação vasos-maravilhosos-delvoApresentação vasos-maravilhosos-delvo
Apresentação vasos-maravilhosos-delvo
 
Canais unitarios
Canais unitariosCanais unitarios
Canais unitarios
 
MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO NA MTC
MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO NA MTCMÉTODOS DE DIAGNÓSTICO NA MTC
MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO NA MTC
 
Os 6 Estágios na Medicina Tradicional Chinesa
Os 6 Estágios na Medicina Tradicional Chinesa Os 6 Estágios na Medicina Tradicional Chinesa
Os 6 Estágios na Medicina Tradicional Chinesa
 
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTCConceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
Conceitos Fundamentais e diagnóstico em Acupuntura/MTC
 
5 elementos - Shu Antigos
5 elementos - Shu Antigos5 elementos - Shu Antigos
5 elementos - Shu Antigos
 
Meridianos
MeridianosMeridianos
Meridianos
 
Bian zheng (Diagnóstico pela Diferenciação de Síndromes)
Bian zheng (Diagnóstico pela Diferenciação de Síndromes)Bian zheng (Diagnóstico pela Diferenciação de Síndromes)
Bian zheng (Diagnóstico pela Diferenciação de Síndromes)
 
Shumo e assentimento
Shumo e assentimentoShumo e assentimento
Shumo e assentimento
 
Pontos de alarme, vc e shu mo
Pontos de alarme, vc e shu moPontos de alarme, vc e shu mo
Pontos de alarme, vc e shu mo
 
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a BiomedicinaMedicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
 
Vasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinarios
Vasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinariosVasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinarios
Vasos maravilhosos,curiosos, irregulares ou extrordinarios
 
Vaso governador
Vaso governadorVaso governador
Vaso governador
 
Canais unitários
Canais unitáriosCanais unitários
Canais unitários
 
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeacoO diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
 
Apostila seis sons terapêuticos
Apostila seis sons terapêuticosApostila seis sons terapêuticos
Apostila seis sons terapêuticos
 
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
SÍNDROMES NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E PADRÕES DE DESARMONIA E MANIFESTA...
 

Destaque

Apostila cinesiologia e biomecânica
Apostila cinesiologia e biomecânicaApostila cinesiologia e biomecânica
Apostila cinesiologia e biomecânicaMarcus Prof
 
Matemática dos Pedreiros
Matemática dos PedreirosMatemática dos Pedreiros
Matemática dos Pedreiroserikacurty
 
Noções Básicas de Acupuntura
Noções Básicas de AcupunturaNoções Básicas de Acupuntura
Noções Básicas de AcupunturaFatima Dinis
 
Educação, o que é?
Educação, o que é?Educação, o que é?
Educação, o que é?Edson Guedes
 
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesablzdeaco
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesablzdeacoApostila+de+auriculoacupuntura+chinesablzdeaco
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesablzdeacoFisio Júnias
 
Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...
Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...
Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...Isa ...
 
Contabilidade fácil de entender
Contabilidade fácil de entenderContabilidade fácil de entender
Contabilidade fácil de entenderRodolfo Avona
 
MTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisado
MTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisadoMTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisado
MTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisadocreito cezares
 
Dear NSA, let me take care of your slides.
Dear NSA, let me take care of your slides.Dear NSA, let me take care of your slides.
Dear NSA, let me take care of your slides.Emiland
 
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...SlideShare
 
The Ultimate Guide to Creating Visually Appealing Content
The Ultimate Guide to Creating Visually Appealing ContentThe Ultimate Guide to Creating Visually Appealing Content
The Ultimate Guide to Creating Visually Appealing ContentNeil Patel
 
What I Carry: 10 Tools for Success
What I Carry: 10 Tools for SuccessWhat I Carry: 10 Tools for Success
What I Carry: 10 Tools for SuccessJonathon Colman
 
Educação física na escola suraya cristina darido
Educação física na escola   suraya cristina daridoEducação física na escola   suraya cristina darido
Educação física na escola suraya cristina daridoDeusliani Nogueira
 
HistóRia Do Futebol
HistóRia Do FutebolHistóRia Do Futebol
HistóRia Do FutebolDanolipe
 

Destaque (20)

Acupuntura
AcupunturaAcupuntura
Acupuntura
 
Apostila cinesiologia e biomecânica
Apostila cinesiologia e biomecânicaApostila cinesiologia e biomecânica
Apostila cinesiologia e biomecânica
 
Matemática dos Pedreiros
Matemática dos PedreirosMatemática dos Pedreiros
Matemática dos Pedreiros
 
Noções Básicas de Acupuntura
Noções Básicas de AcupunturaNoções Básicas de Acupuntura
Noções Básicas de Acupuntura
 
Educação, o que é?
Educação, o que é?Educação, o que é?
Educação, o que é?
 
Apostila de didatica
 Apostila de didatica Apostila de didatica
Apostila de didatica
 
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesablzdeaco
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesablzdeacoApostila+de+auriculoacupuntura+chinesablzdeaco
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesablzdeaco
 
Dinamicas
DinamicasDinamicas
Dinamicas
 
Gestão por Processo
Gestão por ProcessoGestão por Processo
Gestão por Processo
 
Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...
Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...
Materiais produzidos adaptados pela professora da sala de recursos multifunci...
 
Tecnicas de Vendas
Tecnicas de VendasTecnicas de Vendas
Tecnicas de Vendas
 
Contabilidade fácil de entender
Contabilidade fácil de entenderContabilidade fácil de entender
Contabilidade fácil de entender
 
MTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisado
MTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisadoMTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisado
MTS Método CCB exercicios preenchidos, corrigido e revisado
 
Dear NSA, let me take care of your slides.
Dear NSA, let me take care of your slides.Dear NSA, let me take care of your slides.
Dear NSA, let me take care of your slides.
 
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
 
The Ultimate Guide to Creating Visually Appealing Content
The Ultimate Guide to Creating Visually Appealing ContentThe Ultimate Guide to Creating Visually Appealing Content
The Ultimate Guide to Creating Visually Appealing Content
 
What I Carry: 10 Tools for Success
What I Carry: 10 Tools for SuccessWhat I Carry: 10 Tools for Success
What I Carry: 10 Tools for Success
 
Educação física na escola suraya cristina darido
Educação física na escola   suraya cristina daridoEducação física na escola   suraya cristina darido
Educação física na escola suraya cristina darido
 
HistóRia Do Futebol
HistóRia Do FutebolHistóRia Do Futebol
HistóRia Do Futebol
 
Apostila fisioterapia geral
Apostila fisioterapia geralApostila fisioterapia geral
Apostila fisioterapia geral
 

Semelhante a Conhecendo a MTC e seus principais métodos

Cristais em-pontos-ashi
Cristais em-pontos-ashiCristais em-pontos-ashi
Cristais em-pontos-ashiAdriane Cunha
 
Conceitos Básicos MTC parte 6
Conceitos Básicos MTC parte 6Conceitos Básicos MTC parte 6
Conceitos Básicos MTC parte 6Andreia Moreira
 
Apostila massagem tui na - Edduc
Apostila massagem tui na - EdducApostila massagem tui na - Edduc
Apostila massagem tui na - Edducedduc
 
Auriculoterapia Chinesa.pdf
Auriculoterapia Chinesa.pdfAuriculoterapia Chinesa.pdf
Auriculoterapia Chinesa.pdfCacauCrisTorres
 
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesa
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesaApostila+de+auriculoacupuntura+chinesa
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesaCesar Pereira
 
Atlasdemeridianos 100411095421-phpapp02 (1)
Atlasdemeridianos 100411095421-phpapp02 (1)Atlasdemeridianos 100411095421-phpapp02 (1)
Atlasdemeridianos 100411095421-phpapp02 (1)Edson Bispo Palmeira
 
Atlas de acupuntura chinesa (meridianos e colaterais)
Atlas de acupuntura chinesa (meridianos e colaterais)Atlas de acupuntura chinesa (meridianos e colaterais)
Atlas de acupuntura chinesa (meridianos e colaterais)Felippe França
 
Conceitos Básicos MTC parte1
Conceitos Básicos MTC  parte1Conceitos Básicos MTC  parte1
Conceitos Básicos MTC parte1Andreia Moreira
 
Bruno Cuiabano - Acupuntura Integrada
Bruno Cuiabano - Acupuntura IntegradaBruno Cuiabano - Acupuntura Integrada
Bruno Cuiabano - Acupuntura IntegradaBruno Cuiabano
 
Acupuntura bioenergética
Acupuntura bioenergéticaAcupuntura bioenergética
Acupuntura bioenergéticabarrosilson
 
O que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativasO que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativasstcnsaidjv
 
O que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativasO que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativasstcnsaidjv
 
medicina-tradicional-chinesa.pdf
medicina-tradicional-chinesa.pdfmedicina-tradicional-chinesa.pdf
medicina-tradicional-chinesa.pdfFabioAbagabir1
 

Semelhante a Conhecendo a MTC e seus principais métodos (20)

Cristais em-pontos-ashi
Cristais em-pontos-ashiCristais em-pontos-ashi
Cristais em-pontos-ashi
 
Conceitos Básicos MTC parte 6
Conceitos Básicos MTC parte 6Conceitos Básicos MTC parte 6
Conceitos Básicos MTC parte 6
 
Auriculoterapia 001
Auriculoterapia   001Auriculoterapia   001
Auriculoterapia 001
 
Apostila massagem tui na - Edduc
Apostila massagem tui na - EdducApostila massagem tui na - Edduc
Apostila massagem tui na - Edduc
 
Apostila massagem tui na
Apostila massagem tui naApostila massagem tui na
Apostila massagem tui na
 
Auriculoterapia Chinesa.pdf
Auriculoterapia Chinesa.pdfAuriculoterapia Chinesa.pdf
Auriculoterapia Chinesa.pdf
 
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesa
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesaApostila+de+auriculoacupuntura+chinesa
Apostila+de+auriculoacupuntura+chinesa
 
Apostiladeauriculoacupunturachinesa
ApostiladeauriculoacupunturachinesaApostiladeauriculoacupunturachinesa
Apostiladeauriculoacupunturachinesa
 
Atlasdemeridianos 100411095421-phpapp02 (1)
Atlasdemeridianos 100411095421-phpapp02 (1)Atlasdemeridianos 100411095421-phpapp02 (1)
Atlasdemeridianos 100411095421-phpapp02 (1)
 
Auriculoterapia lar 02
Auriculoterapia lar   02Auriculoterapia lar   02
Auriculoterapia lar 02
 
Atlasdemeridianos
Atlasdemeridianos Atlasdemeridianos
Atlasdemeridianos
 
Atlas de acupuntura chinesa (meridianos e colaterais)
Atlas de acupuntura chinesa (meridianos e colaterais)Atlas de acupuntura chinesa (meridianos e colaterais)
Atlas de acupuntura chinesa (meridianos e colaterais)
 
Conceitos Básicos MTC parte1
Conceitos Básicos MTC  parte1Conceitos Básicos MTC  parte1
Conceitos Básicos MTC parte1
 
Bruno Cuiabano - Acupuntura Integrada
Bruno Cuiabano - Acupuntura IntegradaBruno Cuiabano - Acupuntura Integrada
Bruno Cuiabano - Acupuntura Integrada
 
Atlas De Meridianos
Atlas De MeridianosAtlas De Meridianos
Atlas De Meridianos
 
Acupuntura bioenergética
Acupuntura bioenergéticaAcupuntura bioenergética
Acupuntura bioenergética
 
08p reflexologia podal
08p   reflexologia podal08p   reflexologia podal
08p reflexologia podal
 
O que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativasO que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativas
 
O que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativasO que são medicinas alternativas
O que são medicinas alternativas
 
medicina-tradicional-chinesa.pdf
medicina-tradicional-chinesa.pdfmedicina-tradicional-chinesa.pdf
medicina-tradicional-chinesa.pdf
 

Conhecendo a MTC e seus principais métodos

  • 1. Conhecendo a Medicina Tradicional Chinesa (MTC) Dra. Mariana Cembranelli Santana Fisioterapeuta/ Acupunturista
  • 2. Introdução  Quando ouvimos falar em Medicina Chinesa, a primeira coisa que vem em nossa cabeça é a Acupuntura. Mais o que poucos sabem é que na Medicina Tradicional Chinesa a acupuntura não é o único método de tratamento.  A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) conhecida também apenas como Medicina Chinesa é um conjunto de técnicas da medicina tradicional desenvolvida na China a milhares de anos atrás. Podemos dizer que essa é a terceira forma de medicina mais antiga do mundo.
  • 3. Introdução  Principais métodos da MTC: ◦ Tuína/ Tui Na ◦ Acupuntura ◦ Moxabustão ◦ Ventosaterapia ◦ Fitoterapia Chinesa ◦ Terapia Alimentar Chinesa ◦ Praticas Físicas( Meditação, Lian Gong, Artes Marciais, etc)
  • 4. Introdução  Também podemos citar mais duas técnicas associadas a esses métodos: ◦ Auriculoterapia ◦ Gua Sha
  • 5. Introdução  O que poucas pessoas sabem é que a Medicina Tradicional Chinesa não é apenas uma forma de tratamento. Na China essa medicina é realizada como forma de diagnosticar e também realizada de forma preventiva onde assim evitando com que as doenças de desenvolva no organismo.  A MTC trabalha em cima do equilíbrio da energia corporal onde se acredita que tendo um total equilíbrio dessas energias, o organismo funciona corretamente não tendo assim o porquê do aparecimento das doenças.
  • 7. Historia da Acupuntura  A acupuntura surgiu inicialmente na China Antiga tendo como objetivo principal a prevenção das doenças. Posteriormente descobriu-se que, através da estimulação de pontos específicos, a técnica poderia também ser utilizada para tratamento de patologias, desequilíbrios e desarmonias do corpo humano.  A palavra ―acupuntura‖ origina-se do latim, a partir de acus (agulha) e punctura (puncionar). A Acupuntura refere-se, portanto, à inserção de agulhas através da pele, nos tecidos subjacentes, em diferentes profundidades e em pontos estratégicos do corpo, para produzir o efeito terapêutico desejado.
  • 8. Historia da Acupuntura  Esse método terapêutico chinês, originado há mais de 3.000 anos, baseia-se na inserção de agulhas descartáveis em pontos específicos do corpo, chamados pontos de acupuntura, a fim de estimular o sistema nervoso central e o periférico a liberar neurotransmissores que favoreçam o processo de restauração e manutenção da saúde. A Medicina Tradicional Chinesa abrange vasto campo de conhecimento, envolvendo vários setores ligados à saúde. Suas concepções são voltadas principalmente ao estudo dos fatores causadores da doença, à maneira de relata-la conforme os estágios da evolução do processo patológico e ao estudo das formas de prevenção, na qual reside toda a filosofia e a essência da medicina chinesa.
  • 9. Historia da Acupuntura  Durante milênios acreditou-se que o mecanismo de ação da acupuntura fosse puramente energético. No entanto, com a difusão da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) no ocidente, muitos pesquisadores começaram a questionar sobre a participação de estruturas orgânicas no mecanismo de ação da acupuntura, e o desenvolvimento de pesquisas nessa área, principalmente nas últimas décadas, evidenciou estreita relação entre os efeitos da acupuntura e o sistema nervoso central e o periférico, bem como vários tipos de neuro- hormônios.
  • 10. Historia da Acupuntura  A Medicina Chinesa é um vasto de conhecimento de origem e de concepção filosófica abrangendo vários setores ligados a saúde e a doença. Suas concepções são voltadas muito mais ao estudo, dos fatores causadores da doença, a sua maneira de tratar conforme os estágios da evolução do processo de adoecer e principalmente aos estudos das formas de prevenção na qual reside toda a essência da filosofia e da medicina chinesa. A acupuntura foi idealizada dentro do contexto global da filosofia de TAO e dos concepções filosóficas e fisiológicas que nortearam a medicina chinesa. A concepção dos canais de energia e dos pontos de acupuntura, o diagnostico e o tratamento baseiam-se nos preceitos do Yang e do Yin dos cincos
  • 11. Historia da Acupuntura  A terapia por acupuntura tem como meta regular a atividade funcional do Qi do sangue do Jing Luo, em vista da patologia de tal meridiano ou de tal víscera, determinando o ponto a ser inserido, próximo do lugar afetado ou um ponto afastado, situado no trajeto do meridiano.
  • 13. Qi (Energia)  O conceito de Qi é absolutamente central ao âmago do pensamento medico chinês. A natureza mutante do Qi, entre uma substancia material e uma força etérea e sutil, é central a visão medica chinesa de corpo e mente como uma unidade integrada. A variedade infinita de fenômenos no universo resulta da união e dispersão de Qi para formar fenômenos de vários graus de materialização. Tal idéia de agregação e dispersão de Qi foi discutida por muitos filósofos chineses de todas as épocas. O Qi é a base das infinitas manifestações da vida do universo, inclusive minerais, vegetais e animais (incluindo os seres humanos).
  • 15. Xue (Sangue)  A essência dos alimentos ou Qi, derivado dos alimentos e das bebidas, é transformada e Xue no tórax pela ação do coração (Xim) e o pulmão (Fei). O aspecto yin do Jing, armazenado nos rins (Shen) produz a medula óssea que produz o sangue (Xue). Alem disso, o aspecto yang do Jing ou yang Qi, ativa as transformações executadas pelo coração (Xim) e o pulmão (Fei) no aquecedor superior e baço/ pâncreas (Pi) e pelo estomago (Wei) no aquecedor médio.
  • 17. Jing (Essência)  O Jing é a essência energética que promove a formação, desenvolvimento, manutenção e recuperação do individuo. O Jing de origem Pré- celestial é formado pela energia que recebemos de nossos pais, ele orienta a formação do individuo, oferecendo as diretrizes energéticas que irão formar e desenvolver o novo ser. O Jing Pos- celestial, que se forma após o nascimento pela capitação da energia do céu (ar) e da terra (alimentos), é responsável pelo desenvolvimento da criança até a fase adulta e também por sua manutenção e recuperação, pode sofrer a ação do meio interno ou externo, causando o desequilíbrio energético, e manifestar como inúmeras doenças. É notório que esse Jing pode ser recuperado ao longo da vida por correções nos hábitos, na alimentação e pela ação da
  • 18. Teoria dos 5 elementos
  • 19. Teoria dos 5 elementos  Originalmente, na China, designava- se os cincos elementos de Wu- Hsing; sendo que Wu significa cinco e o Hsing, andar. Os cincos elementos(a madeira, o fogo, a terra, o metal, água) são, na realidade, os cincos elementos básicos que constituem a natureza. Existe entre eles uma interdependência e uma inter- restrição que determinam seus estados de constante movimento e mutação.
  • 20. Teoria dos 5 elementos  A teoria dos cincos elementos ocupam lugar importante na medicina chinesa, porque todos os fenômenos dos tecidos e órgãos, da fisiologia e da patologia do corpo humano, estão classificados e são interpretados pelas inter- relações desses elementos. Essa teoria é usada como guia na pratica medica.
  • 21. Teoria dos 5 elementos Veja o quadro dos 5 elementos:
  • 22. Teoria Yin e Yang
  • 23. Teoria Yin e Yang  Chama-se Yin e Yang, a reunião das duas partes opostas que existem em todos os fenômenos e objetos em relação recíproca no meio natural. Os mecanismo de reunião e de oposição podem se produzir tanto entre dois fenômenos que se deparam como no âmago de dois aspectos antitéticos coexistindo no mesmo fenômeno. A teoria do Yin e Yang considera o mundo como um todo e que esse todo é o resultado da unidade contraditória dos dois princípios, o Yin e o Yang.
  • 24. Teoria Yin e Yang  ―O céu é Yang, a terra é Yin‖. O céu esta no alto, assim é Yang, a terra esta embaixo, assim é Yin.
  • 26. Meridianos  O canal de energia percorre todo o corpo, da cabeça aos pés, num fluxo ininterrupto. Este canal possui segmentos que são chamados meridianos. Há doze meridianos pares existentes simetricamente dos dois lados do corpo. Há também dois meridianos ímpares que percorrem o eixo do corpo e que são conhecidos como "artérias".
  • 27. Meridianos  Os doze meridianos pares básicos são: ◦ Pulmões; ◦ Mestre do Coração/Pericárdio/Circulação-Sexo; ◦ Coração; ◦ Intestino Delgado; ◦ Triplo-Aquecedor (corresponde ao tecido abaixo da pele e entre os músculos); ◦ Intestino Grosso e fino; ◦ Baço-Pâncreas; ◦ Fígado; ◦ Rins; ◦ Bexiga; ◦ Vesícula Biliar; ◦ Estômago;
  • 28. Meridiano do Pulmão Elemento: Metal Horário: 03: 00 às 05:00 hs. Estação: Outono Trajeto: Centrífug
  • 29. Meridiano do Pulmão  Função e Características ◦ A medicina Tradicional Chinesa diz que os pulmões diretamente controlam o processo da respiração e indiretamente influenciam o coração e o sistema circulatório. ◦ Os pulmões absorvem o Chi do ar durante a inspiração, que é usado para criar resistência contra as agressões externas. E durante a expiração expele gases desnecessários ou o chi impuro. Os pulmões regulam o chi em toda extensão do peito. ◦ Através da respiração, os pulmões são os órgãos mais ligados ao meio ambiente externo. ◦ E também, os pulmões são os órgãos mais facilmente controlados pela vontade. ◦ Muitas escolas orientais de pensamento sustentam que muitos males podem ser curados pelo hábito da respiração controlada e correta.
  • 30. Meridiano do Pulmão ◦ Uma respiração correta é um fator essencial para a boa saúde, cada respiração influencia nossa percepção emocional. A inspiração pode ser estimulante ou excitante e a expiração pode ser relaxante ou depressiva. ◦ Quando os pulmões funcionam mal ou quando a respiração é muito curta e superficial, fortes emoções negativas se manifestam: preocupação excessiva, pesar, ansiedade, ressentimento, tristeza e melancolia. Sentimentalismo e nostalgia também são emoções relacionadas com o par de órgãos pulmões/intestino grosso. Cada vez que sentimos alguma dessas emoções, são nossos pulmões (ou o intestino grosso) tentando nos dizer que algum tipo de desequilíbrio está ocorrendo. ◦ Os órgãos têm várias formas de liberar seu stress na tentativa de se equilibrar. No caso deste par de órgãos (pulmões e intestino grosso) a ―válvula de escape‖ se dá através de suspiros, gemidos, lamento, choro, queixume, tosse, o próprio falar, etc. ◦ E também cada par de órgãos está associado a um sentido. No caso dos pulmões e intestino grosso é o olfato. Um sentido de olfato mal desenvolvido ou muito desenvolvido (sentindo odores que não estão presentes) são sintomas de desequilíbrio neste par de órgãos.
  • 31. Meridiano do Pulmão ◦ Um meridiano dos pulmões saudável é indicado por um forte instinto animal e de sobrevivência, força de vontade, percepção rápida e força para lutar pelo que acredita, se necessário, bem como por uma respiração adequada. ◦ Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, o lar da alma corpórea fica nos pulmões. A alma, por natureza, é otimista e aberta a novas experiências. A constrição dos pulmões e da alma corpórea reduz a vitalidade física e a qualidade da respiração.
  • 32. Meridiano do Pulmão  Trajeto externo ◦ Inicia-se na fossa infraclavicular no ponto denominado P1. ◦ Segue pela margem ântero- lateral do antebraço e na altura do cotovelo segue para a goteira radial. ◦ Continua na região hipotênar até o ângulo radial unguel do polegar.
  • 33. Meridiano do Pulmão  Trajeto interno ◦ Inicia-se no Triplo Aquecedor Médio, na região do Estômago e conecta-se com o ◦ Intestino Grosso ◦ Segue para a região da cárdia e mediastino , penetra no Pulmão e emerge na garganta.
  • 34. Meridiano do Pulmão  Meridianos Secundários: ◦ Meridiano Tendinomuscular emerge do polegar, do ponto P- 11. ◦ Meridiano de Conexão ou Luo: constituídos de um ramo transversal e outro longitudinal, emergem no antebraço, no ponto P-7. ◦ Sintomas do meridiano: dor e contratura muscular no trajeto do meridiano (região ◦ infraclavicular), ombralgia, braquialgia, dor do cotovelo, do polegar, palma da mão quente, garganta inchada e dolorida. ◦ Sintomas de alteração energética: tosse, dispnéia, respiração curta, opressão torácica, secura na garganta, escarro hemoptóico, distensão abdominal. ◦ É indicado para o tratamento de doenças do tórax, garganta, traquéia, nariz e pulmão para ◦ harmonizar o Qui.
  • 35. Meridiano do Intestino Grosso Elemento: Metal Horário: 05:00 às 07:00 hs. Estação: Outono Trajeto: Centrípeto o Meridiano do Intestino Grosso
  • 36. Meridiano do Intestino Grosso Função e Características • O intestino grosso (cólon) recebe o alimento (sólido e líquido) do intestino delgado, absorve os fluidos e os nutrientes e elimina o desnecessário sob a forma de matéria fecal. A eliminação regular da material fecal é essencial a boa saúde, evitando assim que se formem as toxinas.
  • 37. Meridiano do Intestino Grosso ◦ Os pulmões têm influência sobre o intestino grosso uma vez que são os responsáveis pela passagem descendente do chi - a obstipação é o resultado quando o intestino grosso não recebe energia suficiente para encorajar a eliminação da matéria fecal. Segundo a Medicina Chinesa este fato explica a ocorrência comum da obstipação em pessoas idosas uma vez que o chi é mais deficiente. ◦ Este par de órgãos (intestino grosso e pulmões) está a cargo do processo de eliminação em geral – os pulmões eliminam o dióxido de carbono e o intestino grosso a matéria fecal. O intestino grosso contém aproximadamente 75 trilhões de bactérias benéficas. ◦ É também no intestino grosso que a maior parte da vitamina B e K é produzida. ◦ Em termos psicológicos, devido à relação com o elemento metal, este par de órgãos é responsável pelo ―soltar, deixar ir o desnecessário, gasto ou ultrapassado‖ da mente.
  • 38. Meridiano do Intestino Grosso ◦ A incapacidade de eliminar pensamentos desnecessários ou dispensáveis resulta na acumulação de pensamentos e idéias tóxicas e numa espécie de ―obstipação mental‖. Como seu parceiro, um desequilíbrio no intestino grosso também irá se revelar através de problemas de pele, excessiva eliminação de muco pelo nariz e olhos. ◦ No caso deste par de órgãos, existem algumas atividades que são a causa e o efeito do mal funcionamento: má postura, permanecer deitado muito tempo, trabalhar curvado para frente por longos períodos, beber líquidos gelados em excesso e permanecer em ambientes muito secos também por longos períodos. ◦ Recebe energia do Meridiano do Pulmão, transmitindo-a ao Meridiano Estômago.
  • 39. Meridiano do Intestino Grosso  Trajeto externo ◦ Inicia-se na margem ungueal radial do dedo indicador. ◦ Segue pela face póstero lateral do antebraço até o ponto IG11 na extremidade lateral da prega do cotovelo. ◦ Segue pela margem lateral do braço até o ombro, contorna-o anteriormente e segue acima da escápula até o pescoço até o VG14. ◦ Segue para a fossa supra clavicular e região cervical, face, cruza a mandíbula e atinge o ◦ sulco nasolabial, terminando lateralmente à asa do nariz.
  • 40. Meridiano do Intestino Grosso  Trajeto interno ◦ Da fossa supraclavicular, interioriza-se, atravessa o Pulmão, o diafragma. ◦ Liga-se ao Intestino Grosso, desce pela face anterior da coxa, perna, ligando-se ao ponto E37.
  • 41. Meridiano do Intestino Grosso  Meridianos Secundários: ◦ Meridiano Tendinomuscular emerge da extremidade do dedo indicador, no ponto IG-1. Meridiano Luo ou de Conexão Longitudinal e Transversal com origem no ponto IG6 situado no antebraço. ◦ Sintomas do meridiano: dor no trajeto e dificuldade na movimentação dos músculos extensores do braço e do ombro, febre, boca seca e sede, odontalgia, garganta inchada e dolorosa, epistaxe, olhos amarelos, cervicalgia e inchaço, sinusite maxilar. ◦ Sintomas de alteração energética: dor abdominal, borborigmos, constipação intestinal, respiração curta e eructações. ◦ É utilizado para o tratamento de: afecções da face, olhos, orelhas, nariz, boca, gengiva, garganta, intesti
  • 42. Meridiano do Estômago Elemento -- Terra Elemento Terra Horário -- 7:00 às 9:00 hs Estação –– 5ª Estação Nível Energético: Yang Ming da perna
  • 43. Meridiano do Estômago Função e Características • Dentro da Medicina Chinesa o estômago é particularmente importante. Sua função primária é preparar os alimentos que ingerimos para serem refinados pelo baço e classificados pelo intestino delgado. Quando pensamos neste par – estômago e baço/pâncreas – a primeira associação é a sustentação física de nutrientes de onde é extraída a energia (chi). • O Qi retirado dos alimentos vai repor as energias que gastamos em nosso dia a dia
  • 44. Meridiano do Estômago ◦ O estômago lida com aproximadamente 3 quilos de alimentos sólidos e líquidos, diariamente. Junto com seu parceiro (baço), o estômago é responsável pela distribuição de nutrientes derivados do alimento pelo corpo todo, principalmente nos músculos e membros. Se o estômago for fraco, é comum sentir cansaço e sensação de peso nos membros. ◦ O ego também está associado com este par estômago/baço; por consequência problemas emocionais como vícios, apego, rigidez mental, teimosia e interesse excessivo por si próprio e vaidade exagerada são atribuídos ao desequilíbrio nestes órgãos. ◦ Como o estômago é o centro da nutrição, de modo similar a energia do estômago está relacionada à assimilação e digestão de idéias.
  • 45. Meridiano do Estômago ◦ Uma sensação emocional de vazio nascida de um desequilíbrio no meridiano do estômago irá resultar em um forte desejo por comida, ao nível físico, e muita estimulação mental e emocional. ◦ Esta é uma visão interessante do frequente desejo de comer quando está ―entediado‖ ou da sensação de permanente insatisfação ou de nunca sentir-se ―cheio, pleno‖. ◦ Outros sintomas de desequilíbrio são: ansiedade (em combinação com o par pulmões/intestino grosso), esquecimento (em combinação com o par fígado/vesícula biliar), problemas na boca e forte desejo por ou reação a doces. ◦ Eructação e ânsia de vómito são tentativas do estômago para restabelecer seu equilíbrio.
  • 46. Meridiano do Estômago  Trajeto externo ◦ Inicia-se ao lado da narina indo para o assoalho da órbita, ângulo medial do olho, onde se comunica com o meridiano da Bexiga no ponto B1. ◦ Da margem infra orbital, desce pela face, penetra a gengiva, contorna os lábios e vai até o VC24. ◦ Segue para a mandíbula onde se bifurca em 2 ramos: um ascendente, passa em frente à orelha, indo até a região frontal no ponto E8. ◦ Outro ramo descendente vai para a região anterolateral do pescoço até a fossa supra clavicular, onde se divide novamente em 2 ramos: trajeto interno e externo. ◦ - Trajeto externo: segue pela face anterior da coluna, passa pelo mamilo, lateral à cicatriz umbelical até a região inguinal. Segue pela face anterolateral da coxa e perna, dorso do pé , até a margem ungueal lateral do 2º dedo do pé.
  • 47. Meridiano do Estômago  Trajeto interno ◦ Da região supra clavicular, penetra no tórax, atravessa o diafragma, penetra no Estômago, e depois no Baço-Pâncreas.
  • 48. Meridiano do Estômago  Meridianos Secundários: ◦ Meridiano Tendinomuscular: origina-se no 2º dedo do pé, no ponto E-45 . ◦ Meridiano Luo ou de Conexão Longitudinal e Transversal do Estômago têm origem na ◦ perna, no ponto E-40 . ◦ Sintomas de alterações do meridiano: impotência funcional dos músculos situados em seu ◦ trajeto, dificuldade para flexão e extensão do quadril, do joelho e pé, hipossensibilidade ◦ do 2º dedo do pé, transpiração excessiva, boca e lábios secos, garganta inchada, pescoço ◦ doloroso e inchado, desvio da rima bucal, dores torácicas, dor nos olhos, sinusite maxilar, ◦ conjuntivite.
  • 49. Meridiano do Estômago ◦ Sintomas de alteração energética: distensão e plenitude abdominais, desconforto abdominal, convulsões, fome persistente, gengivite, alterações gengivodentárias. ◦ É utilizado para: tratamento das afecções da face, olhos, nariz, boca, gengivas, alvéolo dentário, garganta, estômago, intestinos, doenças mentais e febris.
  • 50. Meridiano do Baço/Pâncreas Elemento: Terra Hora: 09:00 as 11:00 hs Estação: Canícula
  • 51. Meridiano do Baço/Pâncreas Função e Características • A função primária do meridiano do baço (que inclui o pâncreas) é o processamento do alimento sólido e líquido em energia (o chi do alimento) e sua distribuição pelo corpo. • A energia do baço também é responsável pela elevação do chi, num sentido geral. É através desta ―elevação‖ que os órgãos são mantidos em seus lugares. O desequilíbrio produz as hérnias e prolapsos dos órgãos.
  • 52. Meridiano do Baço/Pâncreas ◦ Um baço saudável garante uma boa digestão e absorção dos nutrientes, e um apetite saudável. Também o sistema linfático está sobre a direção (e equilíbrio) do baço/pâncreas. ◦ O baço abriga o pensamento, a análise, a concentração e o pensar em geral. Em equilíbrio garante boa memória e concentração, bem como um raciocínio claro e construtivo. ◦ Um baço com deficiência em chi manifesta-se através de pensamentos confusos e falta de concentração. Nestes casos muita energia do meridiano do baço é gasta no esforço para se chegar a conclusões – e este ―pensar demais‖, por sua vez, esvazia o baço de energia criando um círculo vicioso. ◦ Este meridiano é prejudicado pelo exercício em demasia, pelo excesso de comida e pelo hábito de ficar muito tempo sentado. ◦ A teimosia ou persistência, a lealdade e a rigidez (mental e física) são grandemente influenciadas por este meridiano do baço. ◦ Estes traços também se manifestam como características
  • 53. Meridiano do Baço/Pâncreas  Trajeto externo: ◦ Inicia-se no ângulo ungueal medial do hálux, segue pela margem medial do pé até o maléolo medial. ◦ Segue pela face medial da perna, do joelho e coxa até a extremidade lateral da prega inguinal. ◦ Passa para o Ren Mai, segue pela parede antero- lateral do abdome até o tórax.
  • 54. Meridiano do Baço/Pâncreas  Trajeto interno: ◦ Do Ren Mai na região do tórax, penetra no Baço - Pâncreas, Estômago, atravessa o diafragma indo para o Coração onde se une com o meridiano do Pericárdio ◦ Outro ramo vai para a parede antero lateral do tórax até o 2º espaço intercostal se dirigindo à faringe e à base da língua.
  • 55. Meridiano do Baço/Pâncreas  Meridianos Secundários: ◦ Meridiano Tendinomuscular emerge da extremidade do hálux, no ponto Ting, BP-1. ◦ Meridiano Luo Longitudinal e Transversal: originam- se do ponto Luo situado no ponto BP-4 . ◦ Grande Luo do Baço-Pâncreas se origina do ponto BP-21. ◦ Sintomas do meridiano: sensação de peso no corpo ou na cabeça, fadiga dos membros superiores e inferiores, edema dos músculos. ◦ Sintomas de alterações energéticas: dor abdominal, distensão ou sensação de plenitude ◦ abdominal, diarréia, digestão incompleta, borborigmos, vômitos, anorexia, icterícia, constipação intestinal, astenia. ◦ É utilizado para tratamento de: afecções do tubo digestivo, do Xue (Sangue) e sistema reprodutor
  • 56. Meridiano do Coração Elemento: Fogo Horário: 11:00 às 13:00 hs Estação: Verão
  • 57. Meridiano do Coração  Função e característica ◦ Este meridiano é de natureza Yin, apresenta-se acoplado ao meridiano do Intestino Delgado, que é Yang. Recebe energia do meridiano do Baço- Pâncreas. Comanda o órgão cardíaco e a pressão sanguínea. Atua sobre a energia psíquica e os distúrbios do coração. Relaciona-se com o riso e o prazer. ◦ Filtra angústia, mágoa, amargura.
  • 58. Meridiano do Coração  Trajeto externo: ◦ Inicia-se no Coração e exterioriza-se na região axilar, desce pela face medial do braço, cotovelo, antebraço Segue para o processo estilóide da ulna, região hipotênar da palma da mão até o ângulo ungueal radial do dedo mínimo.
  • 59. Meridiano do Coração  Trajeto interno: ◦ Inicia-se no Coração, atravessa o diafragma e vai para Intestino Delgado. Outro ramo segue para o esôfago, face e termina no olho.
  • 60. Meridiano do Coração  Meridianos Secundários: ◦ Meridiano Luo Longitudinal e Transversal se originam no nível do punho, no ponto C-5. ◦ Meridiano Tendinomuscular se origina na extremidade do 5º dedo da mão, no ponto C-9 . ◦ Sintomas do meridiano: impotência funcional dos músculos do trajeto do meridiano, dores constritivas e espasmos ao longo do trajeto, frio na palma da mão e na região plantar dos pés, garganta seca, olhos amarelos, dor cardíaca, ulcerações na boca e na língua, língua grossa, avermelhada e dura, dor nos olhos, sede. ◦ Sintomas de alterações energéticas: dor ou opressão torácica, respiração curta, desconforto
  • 61. Meridiano do Intestino Delgado Elemento: Fogo Horário: 13:00 às 15:00hs. Estação: Verão
  • 62. Meridiano do Intestino Delgado Função e Características • O intestino delgado liga- se ao estômago e termina na válvula ileocecal. • Recebe o alimento parcialmente digerido do estômago e separa os nutrientes do material inútil. • Considera-se que este é o início do processo da formação do sangue.
  • 63. Meridiano do Intestino Delgado ◦ Considera-se que este é o início do processo da formação do sangue. ◦ No plano mental este processo de separação entre o que serve e o que pode ser dispensado, influencia grandemente o processo de cisão e de clareza de pensamento. Como parceiro do coração, o intestino delgado assume sobre si a carga de abusos antes que afete o coração. Atua como um escudo protegendo o coração principalmente do calor excessivo que é o que mais afeta o coração. ◦ Muitos dos sintomas de distúrbios no coração também pertencem ao intestino delgado.
  • 64. Meridiano do Intestino Delgado  Trajeto externo: ◦ Inicia-se na margem ungueal ulnar do 5º dedo da mão emergindo no processo estilóide da ulna. ◦ Segue pela face medial do antebraço , passando pela goteira ulnar no cotovelo, prossegue pela face posterior do braço , até o ombro. Vai para a escápula, atingindo a fossa supra clavicular.
  • 65. Meridiano do Intestino Delgado  Trajeto interno: ◦ Penetra a cavidade torácica e vai para o Coração, até o esôfago, atravessa o diafragma e vai para o Estômago e termina no Intestino Delgado. ◦ Um ramo atravessa o abdome indo para o membro inferior até o ponto E-39 . ◦ Da fossa supraclavicular sai um ramo ascendente para o pescoço e mandíbula , seguindo para o ângulo lateral do olho, no ponto VB- 1. Então, retorna para a região zigomática e penetra a orelha, no ponto ID- 19 .
  • 66. Meridiano do Intestino Delgado  Meridianos Secundários: ◦ Meridiano Tendinomuscular: origina-se na extremidade do 5º dedo da mão, no ponto ID1. ◦ Meridiano Luo ou de Conexão Longitudinal e o Transversal: originam-se no antebraço, no ponto ID-7. ◦ Sintomas do meridiano: impotência funcional dos músculos situados em seu trajeto. ◦ entumescimento doloroso da mandíbula e do pescoço, torcicolo, amortecimento da boca e da língua.
  • 67. Meridiano do Intestino Delgado ◦ Sintomas de alterações energéticas: dor e distensão no abdome inferior, às vezes com irradiação para a cintura ou para os genitais; diarréia, constipação intestinal, dor abdominal com fezes secas, hematúria, dor Peri umbilical. ◦ É utilizado para tratamento das afecções de cabeça, olhos, orelhas, garganta, pescoço, coluna vertebral, distúrbios mentais.
  • 68. Meridiano da Bexiga Elemento: Agua Horário: 15:00 as 17:00 hs Estação: Inverno
  • 69. Meridiano da Bexiga Função e Características • O meridiano da bexiga, companheiro dos rins, ajuda a regular a água no corpo. E esta é uma função muito importante, uma vez que mais de 90% do corpo físico é composto de água. • Quando este par de meridianos está em desequilíbrio afeta grandemente a determinação, a força de vontade e a aspiração.
  • 70. Meridiano da Bexiga ◦ No nível físico, a bexiga está cargo de armazenar e eliminar o excesso de fluidos (como urina). No nível psicológico está associada com a retenção. Em equilíbrio este meridiano expressa uma precaução saudável e avaliação sensata. Quando prejudicado por abusos – ficar muito tempo em pé, levantar objetos excessivamente pesados, atividade sexual em excesso, etc – manifesta o nervosismo, a timidez, o medo e a falta de confiança.
  • 71. Meridiano da Bexiga  Trajeto externo e interno: ◦ Começa no ângulo medial do olho , no ponto B-1 , onde emite um ramo interno que vai para o encéfalo e outro para a orelha, onde comunica-se com a Vesícula Biliar. Do ponto VG20 segue para a nuca, desce pelo dorso, nádega, coxa até a fossa poplítea, face posterior da perna, margem, lateral do pé, onde termina no leito ungueal do 5º dedo do pé. ◦ Um ramo se comunica com o VB-20, o outro se separa em dois ramos: um que segue paralelamente à coluna vertebral e, na altura da região lombar, penetra no abdome, comunicando-se com o Rim e se dispersa na Bexiga. Da região lombar, segue para a região sacral onde se relaciona com o meridiano da Vesícula Biliar nos forames sacros onde, conjuntamente, penetra a cavidade pélvica na qual envolve a Bexiga. Depois reaparece na região glútea e segue pela face posterior da coxa, indo até a fossa poplítea onde se une com o
  • 72. Meridiano da Bexiga  Meridianos Secundários: ◦ Meridiano Tendinomuscular tem origem na extremidade do quinto dedo do pé, no ponto B-67. ◦ Meridiano Luo Longitudinal e o Transversal: originam-se na perna, no ponto B-58 . ◦ Sintomas do meridiano: sensação de cabeça vazia, impotência funcional dos músculos , congestão nasal, dores no pescoço, dorso, lombalgia, dor no joelho, tornozelo e o 5º dedo do pé, cefaléia no vértex e na região frontal, olhos amarelados, epistaxes, hemorroidas. ◦ Sintomas de alterações energéticas: dor pélvica, enurese, retenção urinária, disúria distúrbios mentais. ◦ É utilizado no tratamento das afecções da cabeça, fronte, nariz, olhos, região lombar, ◦ doenças febris e mentais, distúrbios hídricos e imunológicos.
  • 73. Meridiano do Rim Elemento: Agua Horário: 17:00 as 19:00 hs Estação: Inverno
  • 74. Meridiano do Rim  Funções e características: ◦ A função primária dos rins é armazenar a essência vital – esta essência governa os processos de nascimento, crescimento, reprodução e desenvolvimento. Os rins governam o desenvolvimento de cada indivíduo segundo o chi herdado dos pais, o que dá para a pessoa um plano único de desenvolvimento mental e físico. Se houver um desequilíbrio neste plano, a pessoa pode ter um envelhecimento prematuro ou um atraso no crescimento, por exemplo. ◦ Os rins estão intimamente ligados ao meridiano dos pulmões, recebendo o chi enviado por eles durante a inspiração.São responsáveis também pelo desenvolvimento dos cabelos, ossos e toda estrutura óssea.
  • 75. Meridiano do Rim ◦ Estão associados à função sexual, reprodutiva e hormonal. ◦ O mau funcionamento nos rins é logo visto pela coloração mais escura na pele do rosto, principalmente, ao redor dos olhos. O medo é a emoção primária dos rins. Em equilíbrio se manifesta com precaução e boa avaliação. Em desequilíbrio, como nervosismo, medo (apreensão excessiva), relutância em agir. ◦ A válvula de escape dos rins se manifesta como gemido, suspiros queixosos, bocejos e vontade de cuspir. ◦ Os rins são severamente prejudicados pelo excesso ou carência de sal, carne (mesmo a de frango), açúcar, vinagre, líquidos em excesso, sentar-se na
  • 76. Meridiano do Rim  Trajeto Interno e Externo: ◦ Começa no 5º dedo do pé e atravessa a região plantar do pé , onde se concentra no ponto R- 1, emergindo na face medial do pé no ponto R-2 . ◦ Vai para a região posterior do maléolo medial, penetra no calcâneo e sobe pela face medial da perna , onde cruza com os Canais de Energia Principais do Pi (Baço/Pâncreas) e do Fígado. No joelho segue pela face póstero-medial da coxa indo para o perineo sobe pela coxa até o cóccix , onde intercepta o meridiano Curioso Du Mai no ponto VG- 1. ◦ Segue pela face anterior do osso sacro e das vértebras lombares, penetrando o Rim e a Bexiga, atravessa o abdome e se conecta com o VC-3 e VC-4 e reaparece no ponto R- 11 e depois segue paralelamente à linha mediana anterior do abdome, subindo pelo abdome e tórax, onde termina na junção esternoclavicular.
  • 77. Meridiano do Rim ◦ Um Canal de Energia Secundário profundo sai do Rim, penetra no Fígado e atravessa o diafragma, penetrando no Pulmão. Nessa região, o meridiano bifurca-se em um ramo que vai para o Coração e outro segue para a garganta até a raiz da língua, onde se concentra no ponto VC-23. ◦O meridiano está associado ao Rim, conectando-se com Bexiga, Fígado, Pulmão, Coração e garganta.
  • 78. Meridiano do Rim  Meridianos secundários: ◦ Meridiano Tendinomuscular: origina-se na região plantar do 5º dedo do pé, no ponto B- 67 e se dirige para o R- 1. ◦ Meridiano Luo Longitudinal e o Transversal: originam-se no tornozelo, no ponto R-4. ◦ Sintomas de alterações do meridiano: impotência funcional dos músculos do trajeto, atrofia muscular do pé, afonia, dor ao longo da coluna vertebral, dor na face medial da coxa, perda de força do membro inferior, paralisia atrófica, sensação de frio nos pés.
  • 79. Meridiano do Rim ◦ Inflamação da boca, língua seca, garganta seca e dolorosa, dor cardíaca, planta dos pésquentes. Sintomas de alterações energéticas: vertigem, edema facial, visão turva, respiração curta, dispnéia, diarréia crônica, constipação intestinal, distensão abdominal, vômitos impotência sexual, zumbido, cansaços físico e mental. ◦ É utilizado para: das afecções da região lombar, sistema urogenital, sistema reprodutor garganta, doenças mentais, doenças cardíacas, doenças ósseas, auditivas e cefaléia.
  • 80. Meridiano do Pericárdio Elemento: Fogo Horário: 11:00 as 13:00 hs Estação: Verão
  • 81. Meridiano do Pericárdio  Função e Características ◦ Se imaginarmos o corpo e a mente como sendo um veículo, como um automóvel fazendo uma jornada vital, cada par de órgãos irá ter seu papel específico nesta jornada. O coração, e seu complementar, o intestino delgado, seriam equivalentes ao motor e o combustível deste veículo. O coração é lar da energia vital e do espírito. ◦ Desnecessário dizer que o coração é a fonte da bioenergia. Como vimos, de acordo com a Medicina Oriental, o ser humano é rodeado por uma aura ou campo de energia eletromagnética. Esta aura de energia alimenta os órgãos através dos meridianos para que funcionem adequadamente.
  • 82. Meridiano do Pericárdio ◦ Dos quatro meridianos que estão sob o controle do elemento fogo, o coração é considerado o mais importante. Tem duas funções primárias – ―fazer‖ ou produzir o sangue e distribui-lo pelos vasos sanguíneos, e ser a residência da mente. O coração controla a vida e o movimento. É o responsável pela qualidade da pulsação. É também o centro da nossa existência emocional, por isso fortes emoções prejudicam o coração e seu parceiro, bem como outros órgãos/meridianos associados especificamente com a emoção sentida. ◦ A fala é governada pelo coração, por isso qualquer problema na fala está associado a este meridiano. Rir demais sem razão aparente para tanto e falar sem parar também são sinais de desequilíbrio na energia do coração. Dizemos de uma pessoa de bom humor que ela é espirituosa, por isso o mau humor e a falta de garra para viver, também são considerados com desequilíbrios neste par de órgãos.
  • 83. Meridiano do Pericárdio ◦ Com um coração saudável existe uma profunda sensação de prazer por estar vivo. Não apenas prazer por conseguir sobreviver, mas um sincero prazer por estar vivo. As emoções primárias do coração são alegria (em equilíbrio) e tristeza (em desequilíbrio). ◦ Por isso, a alegria demais sem razão evidente (geralmente resultante de um prolongado período de depressão ou tristeza) sobrecarrega o coração. ◦ Sua válvula de escape para alcançar o equilíbrio é o riso, o cantar, etc.
  • 84. Meridiano do Pericárdio  Trajeto Interno e Externo: ◦ Meridiano da Circulação-Sexo inicia-se no tórax , desce internamente atravessando o diafragma e penetra na cavidade abdominal, onde se conecta com o TAS , TAM,TAI percorre o tórax e emerge na axila, no ponto CS- 1 e desce pela face medial do braço e do cotovelo , antebraço, segue pela palma da mão e termina na margem ulnar do 3º dedo da mão. ◦ Da palma da mão, sai um Canal de Energia Secundário que vai até a extremidade do 4º dedo da mão.
  • 85. Meridiano do Pericárdio  Meridianos Secundários: ◦ Meridiano Tendinomuscular origina-se na extremidade do 3º dedo da mão, no ponto CS9. ◦ Meidiano Luo Longitudinal e o Transversal: originam-se no punho, no ponto CS-6. ◦ Sintomas do meridiano incluem: impotência funcional e dor nos músculos, espasmos musculares no braço, dor ocular, inflamação axilar, calor na palma da mão, face avermelhada. ◦ Sintomas do Canal de Energia Principal do Xin Bao Luo (Circulação-Sexo) associados às alterações de Energia do Envoltório Energético do Xin (Coração) incluem: dificuldade para falar, desmaio, irritação, opressão torácica, dificuldade para movimentar a língua, palpitações, dor torácica, distúrbios mentais.
  • 86. Meridiano do Triplo Aquecedor Elemento: Fogo Horário: 21:00 as 23:00 hs Estação: Verão
  • 87. Meridiano do Triplo Aquecedor Função e Características • O triplo aquecedor não corresponde a um órgão. É uma combinação de outros meridianos que produz uma função glandular específica. • O triplo aquecedor também é conhecido como ―os três espaços que aquecem‖ as três partes (superior, média e inferior) do tronco.
  • 88. Meridiano do Triplo Aquecedor ◦ A função do pericárdio é controlar as emoções e a circulação. A função do triplo aquecedor é criar e manter o calor no corpo (e a digestão). O corpo precisa se manter dentro de uma faixa de temperatura, caso contrário ocorre muitos problemas, e eventualmente até a morte física se a temperatura cair demais. ◦ Não é possível separar completamente um órgão do seu companheiro e é fácil observar como um par de órgãos influencia mais um função corpórea que outra. No caso do triplo aquecedor, vemos uma interação triangular entre os pulmões (e a ―digestão‖ do ar) e o intestino grosso, combinada com o par baço/pâncreas e o par vesícula biliar/fígado. Cada par de meridianos sendo responsável por um terço (superior, média e inferior) de área vital no corpo. ◦ A outra função do triplo aquecedor é regular o sistema linfático e endócrino.
  • 89. Meridiano do Triplo Aquecedor ◦ No aspecto psicológico, o triplo aquecedor é responsável pela expressão social e pelos laços de família. Isso significa que um desequilíbrio no triplo aquecedor pode aparecer como uma negação de contato social (não conseguindo lidar bem com isso), ou por uma busca desenfreada por aceitação social implicando em prejuízos nos laços de família. ◦ Enquanto o pericárdio controla a profundidade e intensidade dos contatos íntimos ou da vida amorosa – sexual e familiar -, o triplo aquecedor controla a existência social ―fora do quarto‖ e do lar. Este par de meridianos é responsável pelas percepções e expressões de humor.
  • 90. Meridiano do Triplo Aquecedor  Trajeto Interno e Externo: ◦ Inicia-se na margem ungueal ulnar do 4º dedo da mão, sobe pelo dorso da mão entre o 4º e o 5º metacarpos, continua pela face dorsal entre os ossos rádio e ulna, e segue pelo olécrano e pela face póstero-lateral do braço até o ombro. ◦ Vai até a coluna vertebral da região cervicotorácica, onde se encontra com o meridiano Curioso Du Mai no ponto VG- 14 . Desce pela região supraclavicular.
  • 91. Meridiano do Triplo Aquecedor ◦ Um ramo sai do VC-17 indo para a fossa supraclavicular, para o pescoço e depois para a orelha, desce para a mandíbula e sobe para a margem infraorbital. Vai, então, para o osso zigomático até a região infra-orbitária . ◦ Da região auricular, sai um ramo que penetra a orelha interna e depois se exterioriza anteriormente à orelha externa onde se une ao meridiano do Intestino Delgado. ◦ Cruza com o meridiano da Vesícula Biliar, no ponto VB-3, e atravessa a maxila, para ◦ terminar no canto lateral do olho, no ponto TA- 23. 2.
  • 92. Meridiano do Triplo Aquecedor  Meridianos Secundários: ◦ Meridiano Tendinomuscular origina-se na extremidade do 4º dedo da mão, no ponto TA-1 . ◦ Meridiano Luo Longitudinal e o Transversal: originam-se no punho, no ponto Luo TA-5 . ◦ Sintomas do meridiano: impotência funcional dos músculos situados no trajeto, surdez, tontura, otalgia, dor constritiva do ombro, dor e inflamação da garganta, dores maxilar e mandibular, olhos avermelhados, cervicalgia, ombralgia e braquialgia. ◦ Sintomas de alterações energéticas: distensão abdominal, sensação de plenitude no baixoventre, enurese, polaciúria, edema, poliúria. ◦ É utilizado no tratamento: de afecções da região temporal, olhos, orelhas, garganta regiões cervical e dorsal, e doenças febris.
  • 93. Meridiano da Vesícula Biliar Elemento: Madeira Horário: 23:00 a 1:00 hs Estação: Primavera
  • 94. Meridiano da Vesícula Biliar Função e Características • A vesicular biliar é responsável pelo armazenamento da bílis (que dissolve as graxas), controla o movimento dos intestinos e o processo de tomar decisões. Como está intimamente ligado ao seu par, o fígado, qualquer desequilíbrio num deles logo se reflete no outro. • O fígado e a vesícula representam a iniciativa e o arrebatamento. Sua energia promove o crescimento.
  • 95. Meridiano da Vesícula Biliar ◦ Quando este par está em desequilíbrio, respondem tentando controlar ou dominar a situação criando demandas emocionais. ◦ Se suas demandas não são satisfeitas, logo acontece a depressão ou deflação. ◦ A ira é a emoção predominante atribuída à vesícula, enquanto a raiva é atribuída ao fígado. A raiva é mais dissimulada e se apresenta de várias formas, enquanto a ira é aberta e furiosa. A ira impede o raciocínio e a habilidade de tomar decisões.
  • 96. Meridiano da Vesícula Biliar  Trajeto interno e externo: ◦ O meridiano começa no ângulo lateral do olho e cruza a têmpora . Toma sentido ascendente até a fronte, e desce pela região posterior da orelha onde no ponto VB-20 . ◦ Vai para a região cervical( VG14), segue para a região supraclavicular até o E12, penetra no tórax, atravessa o diafragma, entrando no Fígado e Vesícula biliar, segue pelos flancos, contorna os genitais e segue para o quadril, região sacra, descendo pela face lateral da coxa, joelho, perna e termina no 4º dedo do
  • 97. Meridiano da Vesícula Biliar  Meridianos Secundários: ◦ Meridiano Tendinomuscular: origina-se na extremidade do 4º dedo do pé, no ponto VB-44 . ◦ Meridiano Luo Longitudinal e o Transversal: originam-se na perna, no ponto VB-37 . ◦ Sintomas do meridiano: impotência funcional e dor muscular no trajeto, lombalgia, parestesia na face lateral da coxa e da perna. ◦ Sintomas de alterações energéticas: dor torácica, vômitos, boca amarga, dor nos flancos, discinesia biliar, dor na cintura. ◦ É utilizado no tratamento: das afecções de orelha, nuca, cabeça, nariz, olhos, garganta região costal, Fígado, Vesícula Biliar, colédoco e doenças febris.
  • 98. Meridiano do Fígado Elemento: Madeira Horário: 1:00 as 3:00 hs Estação: Primavera
  • 99. Meridiano do Fígado  Função e Características ◦ A função do fígado é vital para todo o sistema corpo/mente. Este órgão é quase maquiavélico. É um poder silencioso por detrás do trono. Embora supervisione todas as atividades físicas e mentais, o fígado raramente ―fala‖ através da dor e do desconforto como a maioria dos órgãos. ◦ Mesmo quando adoecemos, o fígado em si não dói, com exceção de quando seu par, a vesícula biliar, está inflamado. ◦ Entretanto é o fígado que ―cria‖ a dor para nos avisar que alguma coisa de errada está acontecendo no corpo. A dor é maior ou menor segundo o grau de desequilíbrio no fígado. ◦ Existem cerca de 500 funções e processos – bem como
  • 100. Meridiano do Fígado ◦ Sua função primária é a de assegurar que o chi esteja fluindo regularmente por todo o corpo. Tensão mental e obstrução no equilíbrio das funções físicas aparecerem rapidamente se o fígado não for capaz de executar sua função primária e essencial. ◦ Sua segunda e importante função é de ―formar, quebrar e desintoxicar‖ o sangue. ◦ Também controla os ligamentos e músculos e é responsável pela saúde das unhas. O fígado está mais ativo da 1h às 3hs da manhã quando o corpo está descansando. É quando o fígado recebe uma carga de energia para executar as funções digestivas e de limpeza do sangue.
  • 101. Meridiano do Fígado ◦ O fígado é responsável por um bom número de emoções sendo a raiva a mais característica. ◦ A paciência é controlada pelo fígado e seu par (a vesícula biliar). Quando o fígado está em desequilíbrio reage com agressão e gritos, insultos e rebeldia, ou com a depressão e um tipo particular de choro – aquele choro nascido da frustração quando a pessoa não consegue conter as lágrimas e que funciona como uma válvula de escape. ◦ Como já foi dito anteriormente, gritar é uma expressão do fígado em desequilíbrio, mas por sua vez o ato de gritar causa mais danos ao fígado, fechando assim um círculo vicioso e perpetuando o efeito negativo. ◦ Um fígado equilibrado se expressa com ideais superiores sendo que a espiritualidade também é uma de suas funções. Para se entrar realmente em contato como Eu Superior e/ou ter experiências espirituais é preciso que o fígado esteja saudável. Quanto mais saudável o fígado mais assertiva a pessoa é sem ser agressiva. E de todos os órgãos, o fígado é o que se regenera mais facilmente.
  • 102. Meridiano do Fígado  Trajeto interno e externo: ◦ Meridiano do Gan (Fígado) inicia-se na margem ungueal lateral do hálux Dessa região, vai para o dorso do pé, segue anteriormente ao maléolo medial, indo pela face medial da perna, onde no ponto BP-6 cruza com o meridiano do Baço/Pâncreas e do Rim. ◦ Toma sentido ascendente , cruzando novamente com o meridiano do Baço- Pâncreas, segue pela face póstero-medial do joelho e coxa, contorna os genitais externos, penetra na pelve pelo ponto VC-3 e se conecta com o meridiano Ren Mai nos pontos VC-2 eVC-3.
  • 103. Meridiano do Fígado ◦ Nesse ponto penetra a cavidade pélvica, envolvendo a Bexiga e reaparece no VC-4 . ◦ Depois circula junto ao meridiano Estômago e penetra o abdome , unindo-se com o Fígado e se conectando com a Vesícula Biliar. ◦ Continua pelo músculo diafragma e pela região do hipocôndrio, indo para o pescoço, na região da faringe ; penetra na nasofaringe, emerge no olho, seguindo para a cabeça , onde vai cruzar com o meridiano Du Mai no vértex, e termina na região temporomalar do outro lado. ◦ Um ramo secundário sai da região infrapalpebral e rodeia a boca . Um outro ramo proveniente do Fígado atravessa o diafragma e se une ao Pulmão através de Canais deEnergia Secundários profundos.
  • 104. Meridiano do Fígado  Meridianos Secundários: ◦ Meridiano Tendinomuscular: origina-se na extremidade do hálux, no ponto F-1. ◦ Meridiano Luo Longitudinal e o Transversal: originam-se na perna, no ponto F-5. ◦ Sintomas do meridiano: impotência funcional dos músculos situados em seu trajeto vertigem, fraqueza no joelho, zumbido, abdome doloroso e distendido, dor e edema dos genitais externos, pele do testículo retraída, membros frios, cefaléia, vertigens, visão turva, febre, cãibras musculares, principalmente do hálux, e disúria. ◦ Sintomas de alterações energéticas: sensação de plenitude ou de dor nos lados e no tórax, edema duro no epigástrio ou no trajeto desse meridiano, dor abdominal, vômitos, icterícia, fezes duras, dor no abdome inferior, retenção urinária, dores nos genitais externos, urina escura. ◦ É utilizado no tratamento: das afecções de cabeça, hipocôndrio, pelve, sistema urogenital, sistema digestivo
  • 105. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa
  • 106. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa  Há conexões estabelecidas entre os órgãos e vísceras, entre os tecidos superficiais e sensoriais do corpo (olho, nariz, língua, ouvido), de modo que qualquer distúrbio naqueles originará sinais reflexos nestes. Esse processo cria, no organismo, um desequilíbrio que levará à disfunção fisiológica. Portanto, na diagnose e no tratamento de uma doença, a medicina chinesa observa o corpo como um todo, com seus sinais e sintomas. Na análise e classificação das doenças, levam-se em consideração os fatores etiológicos, a intensidade da reação do organismo, a localização das alterações dos sintomas, a alteração do pulso, a variação na morfologia da língua etc. Em relação à diagnose e ao tratamento, há muitos conceitos e princípios na medicina chinesa que são semelhantes aos da medicina moderna; outros, no entanto, são muito diferentes.
  • 107. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa  Abaixo citaremos alguns deles. Para o que diz respeito à diagnose, há quatro procedimentos: ◦ a)Inspecionar ◦ b)Ouvir as queixas e sentir os odores apresentados pelo paciente ◦ c)Questionar os dados ◦ d)Examinar o físico e a pulsologia Na classificação das síndromes, há oito critérios: ◦ a)Externo (superficial) e interno (profundo) ◦ b)Frio e calor ◦ c)Deficiência e excesso ◦ d)Yin (negativo) e Yang (positivo)
  • 108. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ O diagnóstico diferencial é feito através de seis fatores etiológicos que são:, vento, frio, calor de verão, umidade, seco e calor de fogo. Estes fatores se relacionam às sintomatologias decorrentes do desequilíbrio.
  • 109. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa  Inspeção Envolve a observação do todo ou de partes específicas do corpo do paciente: ◦ a)Cor — a cor do rosto é um fator importante para o diagnóstico. Caso este se apresente brilhante, o estado de saúde do paciente será normal ou terá tendência para algum leve desequilíbrio. Ao contrário, o fato de estar escura, opaca, indica que a doença é crônica, profunda ou grave. Se a coloração facial for azulada, trata-se geralmente da Síndrome do Vento. Se a coloração facial estiver avermelhada, isso indica na maioria das vezes a Síndrome do Calor de Fogo. Se a cor estiver amarelada, e um sinal indicativo da Síndrome da Umidade Se a cor for pálida, estaremos lidando com a Síndrome da Deficiência e se for escura, Síndrome
  • 110. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa • b) Olhos — No caso da esclerótica se apresentar amarelada tratar-se-á, possivelmente, da Síndrome da Icterícia. Se estiver congestionada, há uma deficiência de Yin ou Síndrome do Calor de Fogo. Se o olho estiver dolorido, inchado e avermelhado, caracteriza-se a Síndrome do Calor e do Vento do meridiano do fígado. Caso a pálpebra esteja edemaciada, estaremos lidando com a Síndrome do Edema; se houver midríase, isso indicará deficiência de energia no rim, ou então será um sinal de morte.
  • 111. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ Nariz — Coriza leve é, geralmente, de natureza alérgica e deve-se à fria gemou ao vento. Se a coriza for purulenta ou espessa, trata-se de problema mais profundo, relacionado com a Síndrome do Calor e do Vento. Caso esteja num estado purulento mais avançado, isso indicará deficiência de energia no pulmão.
  • 112. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa • e) Dentes — Se as gengivas sangram, trata-se da Síndrome do Calor de Fogo do estômago; se apenas doem, sem estarem vermelhas ou inchadas, é Síndrome do Calor de Fogo do meridiano dos rins. • d) Lábios — Se esbranquiçados, deficiência do sistema sanguíneo; se a vermelhados, Síndrome do Calor e Excesso Energético, se a cor é um vermelho tênue e opaco, Síndrome do Frio e Deficiência Energética, se tendem a permanecer abertos, Síndrome de Deficiência Energética; se a tendência for permanecerem fechados, Síndrome de Excesso Energético. Caso se apresentem secos e com fissuras, isso indica um distúrbio hídrico.
  • 113. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa • F) Língua- Segundo a Medicina Chinesa, a língua mede a nossa saúde, mostra-nos a sua relação com o coração, pâncreas, fígado e rins. Uma língua considerada normal apresenta uma coloração rosada, larga e arredondada, podendo possuir uma capa fina e húmida sobre toda a sua superfície. Em caso de padecimento, as modificações anormais da cor da língua aparecem, esta torna-se pálida branca, vermelha escarlate ou violácea. A tradição Ayurvédica divide a língua em três áreas que refletem os diferentes órgãos e baseia-se em três aspectos fundamentais, são eles: - A cor; - O formato; - O revestimento.
  • 114. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa Em termos patológicos, e de uma forma simplificada, os significados das cores são os seguintes: • Língua vermelha - é o resultado de excesso de calor que provoca uma abundância excessiva de energia e de sangue. Indica úlceras ou cancro do estômago ou intestinos. Quando o vermelho é mais acentuado na ponta da língua e a ponta do nariz apresentar igualmente uma cor avermelhada é sinónimo de um coração inchado. Se a língua apresentar grânulos em volta, significa excesso de energia nos Língua vermelha, Úmida pulmões e carência de água no organismo. e com uma fissura no meio e
  • 115. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa • Língua branca pálida - é uma cor mais pálida que a cor normal da língua, significa que esta já não é aquecida e nutrida convenientemente e geralmente observa-se durante o decurso de síndromes de frio ou de sangue. Indica-nos que há excesso de muco no estômago e quando simultaneamente não consegue ser puxada para fora, em linha reta, ou se mostra trémula, aponta para problemas no sistema nervoso. É também indicio de infecção renal. Língua Branca e Pálida com excesso de saburra branca
  • 116. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa Língua com saburra Amarela , palidez na lateral e uma grande fissura no meio (região do estomago) • Língua amarela - indica-nos problemas no fígado, vesícula biliar e pâncreas.
  • 117. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ Língua escarlate - é uma cor mais vermelha mais acentuada. Geralmente observa-se nas doenças de tepidez, quando o calor penetrou ao nível da camada alimentícia e da camada de sangue ou durante as afecções crónicas ou graves. ◦ Língua violácea- no caso de mulheres grávidas, que apresentem esta cor na língua, pode ser indicio da morte do feto .
  • 118. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa  O formato A observação da morfologia da língua consiste essencialmente em examinar o aspecto grosso ou afiado do corpo da língua, a sua aparência (velha ou jovem), se apresenta fissuras ou aspecto serrilhado e a sua mobilidade. A língua pode apresentar movimentos ou atitudes particulares: pode ser rígida, flácida, ostentada, desviada ou retraída. ◦ Língua serrilhada/dentada- língua que apresenta marcas dos dentes sobre os bordos, pode ser sintoma de várias situações: presença de vermes intestinais, deficiência do baço, acumulação excessiva de humidade e de frio. ◦ Língua grande- indica-nos que a pessoa sofre de hipertrofia cardíaca.
  • 119. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ Língua grossa e redonda- característica de uma pessoa que intitulamos que tem ―um coração de boi‖ e ao mesmo tempo apresenta problemas nas válvulas cardíacas. ◦ Língua afiada e fina- indica-nos insuficiência de líquidos fisiológicos e que a pessoa sofre de palpitações e infecção do miocárdio. ◦ Língua fissurada- a língua apresenta fissuras, consequência de uma deficiência dos líquidos orgânicos e do sangue que já não a conseguem alimentar, no entanto, uma língua fissurada também se pode observar em uma pessoa de perfeita saúde. Uma língua com cor escarlate e com fissuras indica uma lesão dos líquidos orgânicos provocada por excesso de calor. Uma pessoa que apresente uma língua branca com fissuras é um sintoma de deficiência do sangue. No caso da fissura se encontrar no centro da língua, indica-nos problemas de fígado e boca, se a fissura for profunda indica ocorrência de problemas cardíacos.
  • 120. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ Língua rígida- quando o corpo da língua é rígido e não se pode dobrar, alongar ou virar. Indica-nos que existe uma desnutrição grave. Quando esta característica aparece na sucessão de uma perturbação interna, constitui pródomo de apoplexia, permitindo prever o risco de AVC ou paralisia. ◦ Língua desviada- o corpo da língua está desviado para um dos lados. Observa-se em caso de apoplexia ou em seu prenúncio.
  • 121. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa  O revestimento lingual O revestimento lingual é produzido pela energia do estômago. É normalmente constituído por uma camada fina e branca, nem muito seca nem muito húmida. A observação do revestimento consiste essencialmente em examinar a sua cor e o seu aspecto. O revestimento pode apresentar-se principalmente em quatro cores: branco, amarelo, cinzento e preto. As modificações da cor, revelam o nível de penetração da energia perversa: superficial ou profunda; e a sua natureza: fria ou quente. Quando se trata de uma afecção de origem externa, a cor de origem externa, a cor do revestimento passa de branco ao amarelo, depois ao cinzento e finalmente ao preto, isto é, a energia perversa atinge a profundidade por um processo de penetração progressiva.
  • 122. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ Revestimento branco - um revestimento branco e fino é um revestimento considerado normal, mas se o revestimento for branco, espesso, pegajoso, liso e opaco está relacionado com problemas de estômago, intestino grosso e denuncia um intestino delgado sem energia e provavelmente infecção das vias respiratórias. ◦ Revestimento amarelo - um revestimento amarelo, seco, acompanhado de mãos quentes e pés frios, olhos vermelhos e injetados revelam febre intestinal e secura da água corporal.
  • 123. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ Revestimento cinzento- revela perda de água, mas quando se apresenta cinza escuro denuncia inflamação dos rins e debilidade das vísceras (os rins são os únicos órgãos que não se recompõem). Quando se junta ao revestimento cinzento a presença de gases, significa que provavelmente a pessoa padeceu de um derrame cerebral. ◦ Revestimento preto- o revestimento preto provém com frequência da evolução de um revestimento cinzento ou amarelo queimado. Aparece frequentemente durante um estado critico de uma doença pouca mucosidade ou muco muito avermelhado indicam febre interna, aliada a prisão de ventre e normalmente diabetes.
  • 124. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa  Aspecto do revestimento O aspecto do revestimento lingual compreende as seguintes características: ◦ Espesso ou fino- a espessura do revestimento permite avaliar a potência da perversidade e apreciar o estado do doente. Um revestimento fino, observa- se em geral no inicio de uma afecção. A patologia localiza-se à superfície e o estado do doente não é preocupante. Um revestimento espesso indica a progressão no sentido da profundidade e o estado do doente é mais sério, havendo sempre progressão da doença. Se a espessura do revestimento lingual diminuir, a energia perversa evolui da profundidade para a superfície, havendo regressão da doença e melhoramento do paciente. Pode também indicar acumulação de mucosidades húmidas a nível interno.
  • 125. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ Húmido ou seco- o revestimento normal é húmido, e indica que os líquidos fisiológicos sobem sem dificuldade. O grau de secura ou humidade do revestimento lingual revela o estado dos líquidos orgânicos. Um revestimento seco, que em caso de agravamento, se torna rugoso e apresenta espinhas, revela perda de líquidos. ◦ Turvo (apodrecido) ou gordo- o revestimento turvo assemelha-se a restos de queijo de soja, é possível retirá-lo limpado a língua. É causado pela subida de ―substâncias pútridas‖ acumuladas no estômago. O revestimento gordo é também viscoso, como se uma camada de líquido viscoso recobrisse a superfície da língua, só se podendo retirar por fricção.
  • 126. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ Descamado- o revestimento lingual cai bruscamente e não é substituído, a superfície da língua torna-se limpa e polida (como um espelho, designando-se por ―língua em espelho‖). ◦ Fixo ou flutuante- o revestimento fixo é um revestimento que não se retira raspando, parece que está integrado na língua, chamando-se também revestimento verdadeiro. O revestimento flutuante é um revestimento que parece simplesmente colocado sobre a língua e que sai raspando, chamando-se assim de falso revestimento.
  • 127. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa • Pulsologia “O exame do pulso é tão importante, revelador e difícil que deveríamos palpar os pulsos ao invés de apertar-nos as mãos. ” Hu HSin Shan - Mestre de Tai-chi-chuan
  • 128. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ O exame do paciente tem por objetivo descobrir e existência de desequilíbrio da energia, o que pode ser feito de várias maneiras , segundo normas ocidentais e orientais. ◦ Dentro da medicina tradicional chinesa (MTC), a forma mais importante de diagnóstico de desequilíbrio energéticos é a PULSOLOGIA CHINESA, que é feita, desde a antiguidade através da palpação de artérias.
  • 129. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ a) Métodos para avaliar o pulso — A mão do paciente deve estar com a palma virada para cima em semi- extensão, em repouso, sobre a mão do examinador. O examinador usará os três dedos (indicador, médio, anular) da mão direita para palmar (examinar) o pulso (radial) da mão esquerda do paciente, e usará os mesmos três dedos da mão esquerda para examinar o pulso da mão direita do paciente. O dedo médio deve palpar a artéria radial na linha da protuberância do processo estilóide. O dedo indicador deve ser colocado distalmente ao dedo médio, apalpando a artéria ao nível da prega do punho, enquanto o dedo anular sente a artéria proximalmente ao dedo médio, cerca de l a 2 cm acima, de forma que a distância entre o dedo indicador e o anular seja aproximadamente 1,9 tsun (1 tsun é igual à distância Inter falangeana distal e medial do dedo médio do paciente). Quanto à nomenclatura, a onda do pulso palpado sob o dedo indicador é a onda Tsuen. A onda do pulso sob o dedo médio é o Quan e, sob o anular, é o Tshi . A força com que se apalpa o pulso poderá ter diferentes intensidades, isto é: leve, forte ou intermediária. Cada uma delas revelará determinados detalhes sobre o estado dos
  • 130. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa • b) Relação entre a posição do pulso e os diferentes meridianos do organismo — Baseados na observação milenar da medicina chinesa, sabemos que cada pulso tomado possui características próprias e se relaciona com determinado meridiano. Devido a divergências de opinião quanto à correlação pulso-meridiano, surgiram, ao longo dos anos, diferentes teorias sobre esse assunto. No entanto, a maioria dos especialistas em pulsologia concorda quanto às seguintes:
  • 131. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ C) As variações e os significados do pulso — O pulso forma-se pelo fluxo sanguíneo ejetado a cada sístole ventricular do coração. Ele se produz quando esse fluxo passa com velocidade no interior da artéria dilatando suas paredes. De acordo com velocidade, ritmo, intensidade e características ondulatórias desses fluxos sanguíneos definem-se os diferentes tipos de pulso. São considerados pulsos regulares os que apresentam intensidade e velocidade moderada, características nem muito duras nem muito moles, e podem variar conforme a faixa etária e as alterações climáticas. Em relação à velocidade, o pulso pode ser lento ou rápido. Quanto ao ritmo, rítmico ou arrítmico. Os pulsos rítmicos podem ainda ser regulares ou alternantes. Quanto à intensidade, fortes ou fracos. Quanto à amplitude, superficiais ou profundos. Quanto ao aspecto ondulatório, largos ou finos, duros ou moles.
  • 132. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa  Síndromes ◦ Síndrome externa (superficial) e interna (profunda) - A noção de superficial ou profunda engloba a ideia da localização da doença, assim como sua gravidade. As síndromes superficiais geralmente têm suas origens em fatores externos que atingem o organismo e se agravam à medida que se tornam mais profundos Embora estas síndromes se manifestem frequentemente acompanhadas de febre e calafrios, não costumam apresentar lesões ou deficiências funcionais dos órgãos. Como, por exemplo, distensão abdominal, vômitos, diarréias etc. Não e possível classificar as síndromes superficiais ou profundas baseando-se somente na sintomatologia, pois é preciso levar em conta também o estado geral do paciente. Na síndrome profunda, por haver distúrbios dos órgãos internos com alteração de suas funções fisiológicas, os sinais e sintomas, assim como o estado geral, são mais graves.
  • 133. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ Síndrome do frio e do calor - Sua classificação baseia-se nos sinais e sintomas da doença. O mais importante é notar a presença de sede, a característica das fezes, temperatura do corpo ou dos membros, estado de ânimo, a cor da face, morfologia da língua e pulsologia.  a)Síndrome do Frio: não há sede, nem vontade de ingerir líquidos, há hipersensibilidade ao frio, membros frios, desânimo, urina abundante e de cor clara, fezes amolecidas ou malformadas, palidez facial, camada superficial da língua lisa e esbranquiçada e pulso mais lento.  b)Síndrome do Calor: há sede, bebe-se muita água, principalmente gelada, corpo quente, irritação com o calor, agitação, ansiedade, respiração quente, urina escassa e amarelada em pequena quantidade, rubor facial, fezes ressecadas, língua amarelada e pulso rápido. Na tabela 3 da página seguinte classificamos as Síndromes Superficial -Profunda e do Frio-Calor com base no excesso ou na deficiência de energia. Este conceito relativo à energia tem na Acupuntura a maior importância, pois implica diretamente a escolha dos meridianos para a terapia.
  • 134. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ Síndrome de deficiência e excesso- A Síndrome de Deficiência indica fraqueza do organismo e de seu sistema de defesa ou desgaste, decorrente de doença prolongada. A Síndrome de Excesso, por sua vez, indica que há reação vigorosa do organismo no decorrer da doença. As Síndromes de Deficiência e Excesso também indicam o tempo da doença, longa e curta, respectivamente. Por isso, é possível classificar as Síndromes de Deficiência ou Excesso energético de acordo com o tempo de duração da doença, o estado geral do corpo e o pulso forte ou fraco.
  • 135. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ Síndromes de Excesso caracterizam o início da doença e seu meio, já as Síndromes de Deficiência predominam nas doenças crônicas e em seu estágio final. As Síndromes de Deficiência podem ainda ser subdivididas em quatro categorias.  1) Deficiência de Yin — Se há deficiência de Yin, há excesso de Yang; podemos citar aqui a Síndrome do Calor e, por isso, essa Síndrome é muitas vezes chamada de Síndrome de Deficiência-Calor. Seus sinais e sintomas são: calor, rubor facial, boca seca, palmas das mãos e plantas dos pés quentes, ansiedade, sudorese, obstipação, urina amarelada e escassa. A língua se apresenta avermelhada, com uma camada superficial fina e às vezes com fissuras. O pulso é fino, rápido e fraco.
  • 136. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa  2) Deficiência de Yang — Indica também excesso de Yin; é a Síndrome de Deficiência-Frio. Além dos sinais de deficiência acima, há respiração fraca, pulso profundo e fino.  3) Deficiência de Qui (respiração ou energia) — Há uma falta de energia, dispnéia aos esforços com taquipnéia exercional, tontura, fraqueza até para falar (voz baixa), muito suor, maior volume de urina, prolapso anal ou do útero. A língua tem cor tênue com pouca camada superficial. O pulso é fraco.  4) Deficiência de Hsue (sangue) — Há tontura e visão turva, ansiedade, insônia, sudorese noturna, obstipação, palidez facial ou com coloração amarelada, sem brilho. A boca se apresenta esbranquiçada. Em mulheres, pode ocorrer oligo ou amenorréia e fluxo menstrual de cor esmaecida e de pequena quantidade. A língua tem cor tênue; o pulso é fino e fraco, ou fino e rápido; a pele ressecada, opaca e com perda de carnação.
  • 137. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ As Síndromes de Excesso podem ser subdivididas em três categorias:  1)Síndrome de Excesso-Calor. Há febre, sudorese, boca seca, necessidade de ingerir líquidos, ansiedade, má concentração, distensão torácica e abdominal, obstipação, fezes ressecadas; camada superficial da língua grossa, amarelada e seca; pulso profundo e forte, ou liso e rápido.  2)Síndrome de Excesso de Qui (energia).Há distensão torácica, muito expectoração, esforço respiratório, distensão no epigástrio, dor abdominal, azia, regurgitação de gases, obstipação ou diarreia.  3)Síndrome de Excesso de Hsue (sangue). Má- circulação, como em traumas, edemas, dor abdominal com incômodo à compressão.
  • 138. Diagnostico e Tratamento na Medicina Tradicional Chinesa ◦ Síndrome de Yin-Yang - A Síndrome de Yin-Yang é a que incorpora em si todas as outras classificações. Isso porque a Síndrome de Yin corresponde às Síndromes Profundas de deficiência e frio, enquanto que a Síndrome de Yang compreende as Síndromes Superficiais de excesso e calor. Por outro lado, baseados nos quatro princípios diagnósticos, também é possível dividir as Síndromes em Yin e Yang.
  • 139. Conheça outra Técnicas de Tratamentos da MTC  Auriculoterapia ou Acupuntura Auricular é um método terapêutico que utiliza a orelha para a avaliação e tratamento através da estimulação de pontos reflexos, atuando no reequilíbrio da saúde a partir dos mesmos princípios da acupuntura. Indicado para casos como: ansiedade, stress, perda de peso, dores crônicas e agudas, vícios e entre outros.
  • 140. Conheça outra Técnicas de Tratamentos da MTC  Moxatbustão A moxabustão é uma técnica terapêutica da Medicina Tradicional Chinesa. Baseia-se nos mesmos princípios e conhecimentos dos meridianos de energia utilizados na acupuntura, sendo amplamente utilizada em outros sistemas de Medicina Oriental tradicionais como: Japão, Coreia, Vietname, Tibete e Mongólia. Esta prática, pela documentação antiga existente, parece ser anterior á acupuntura. O efeito da moxa é semelhante á acupuncura, que age estimulando os pontos da acupuntura para fortalecer a circulação do Qi (energia) e do sangue, sendo que a moxa estimula
  • 141. Conheça outra Técnicas de Tratamentos da MTC  VentosaterapiaA teoria do uso das ventosas se baseia na ação de sucção que ela provoca quando em contato com a pele: o vácuo formado puxa pele e músculos para dentro do copo, causando uma congestão local que estimula a circulação sanguínea na superfície do corpo. Este aumento do aporte sanguíneo favorece a nutrição de músculos, dissolvendo tensões e aplacando dores musculares e articulares. Além disso, a ventosaterapia atua diretamente na desintoxicação do sangue, melhorando sua qualidade assim como a qualidade do próprio Qi do organismo; o uso de ventosas atua diretamente no interior do corpo, estimulando o próprio metabolismo a separar as toxicinas presentes no
  • 142. Conheça outra Técnicas de Tratamentos da MTC  Guashá A técnica do Guasha tem por objetivo cuidar das patologias causadas pela Invasão de Vento, Frio, Umidade e Calor externo que provocam o bloqueio do Qi e do Xue nos canais de energia e seus colaterais. O termo Gua, significa raspar, escovar, arranhar e o Sha significa areia, sujeir a. É uma técnica simples que consiste em raspar a superfície do corpo com o auxílio de uma espátula, moeda, colher, escova, a fim de retirar a energia perversa que penetrou no corpo. Na China essa técnica foi muito utilizada pelos camponeses, por não provocar efeitos colaterais A sabedoria chinesa diz que devemos primeiro tratar o exterior, para depois tratar o interior. Este principio é utilizado na técnica do Guasha pois, tratando o exterior pela raspagem, superficializamos a energia perversa cada vez mais, favorecendo a sua eliminação pelos poros e pelos pontos que são as aberturas dos canais de energia.
  • 143. Referencias Bibliográficas Livros: ◦ Os Fundamentos da Medicina Chinesa. Autor: Maciocia ◦ Acupuntura Clássica Chinesa. Autor: Tom Wen ◦ Manual do Herói. Autor: Sonia Hirsch ◦ A Arte de Inserir. Autor: Ysao Yamamura Sites: ◦ http://www.saudeoriental.com ◦ http://saudeakira.blogspot.com.br/ Artigos científicos: ◦ Associação da Acupuntura Sistêmica e Auriculoterapia no Tratamento de Cefaleia Tensional. Autoras: Mariana Cembranelli Santana e Elaine Cristina de Almeida. ◦ Acupuntura no Tratamento da Dor Miofacial. Autor: Carneiro NM ◦ Acupuntura e Dor Crônica. Autor: Dr. Carlos Daniel Christ