Filo Uniramia
Classe Insecta
Morfologia
Morfologia
 O corpo dos insetos: divide-
se em 3 partes: cabeça,
tórax e abdome;
• Cabeça: é onde estão
localizados o apa...
Morfologia
 Aparelhos bucais:
• Labro, mandíbulas, maxilas, labium e hipofaringe;
 Pernas:
• As pernas são denominadas a...
Morfologia
Morfologia
 Em alguns insetos há a união das 3
principais divisões do corpo:
• Cefalotórax: cabeça + tórax;
• Tronco: tór...
Exoesqueleto
Exoesqueleto
 O corpo dos insetos é revestido por uma
armadura muito resistente que chamamos de
exoesqueleto. O exoesquel...
Exoesqueleto
Asas
Asas
 Existem ao todo 8 tipos de asas:
• Membranosa: fina com nervuras bem distintas
(borboletas, moscas);
• Tégmina: asp...
Asas
• Balancins/halteres: par posterior atrofiado
servindo para o equilíbrio durante o voo (moscas,
muticas);
• Pseudo-ha...
Asas
Desenvolvimento
Desenvolvimento
 Existem 3 tipos de desenvolvimento:
• (A) Desenvolvimento direto (ametábolo) – neste
grupo de insetos os...
Desenvolvimento
• (C) Desenvolvimento indireto completo
(holometábolos) – insetos cuja metamorfose,
posterior eclosão dos ...
Desenvolvimento
Importâncias
Importâncias
 Importância ecológica:
• Muitas flores dependem dos insetos polinizadores
para sua reprodução (entomoflia);...
Importâncias
 Importância médica:
• Diversos insetos atuam como vetores de agentes
infecciosos, como por exemplo: malária...
Órgãos sensoriais
Órgãos sensoriais
 Visão: composta tanto pelos olhos compostos
como pelos ocelos;
 Tato: percebido através de sensilos o...
Órgãos sensoriais
 Olfato: captado por sensilos que atuam
como receptores químicos, e estão
localizados nas antenas em su...
Digestão
Digestão
 Podemos distinguir três porções do tubo
digestório: anterior, médio e posterior;
 As porções anterior e poster...
Excreção
 Os túbulos de Malpighi se localizam no limite
entre a porção média e a porção posterior do
intestino. Cada túbu...
Circulação
 A circulação é do tipo
lacunar ou aberta;
 Na maioria dos insetos, o
"sangue" é incolor e chamado
de hemolin...
Circulação
Respiração
 Os insetos respiram por traquéias,
pequenos canais que ligam as células do
interior do corpo com o meio ambie...
Respiração
 A respiração é principalmente por
difusão;
 Os insetos podem inclusive controlar sua
respiração. Ele pode ab...
Respiração
 Os espiráculos são os orifícios por onde
entra e sai o ar;
 Um espiráculo aproximado:
Sistema nervoso
Sistema nervoso
 O sistema nervoso dos insetos consiste em
um cérebro localizado na cabeça, e um
cordão nervoso localizad...
Reprodução
Reprodução
 A maioria dos insetos tem reprodução
sexuada e por oviparidade, isto é, com
postura de ovos diretamente no
am...
Reprodução
Reprodução
 Há casos, no entanto, onde podem
ocorrer reproduções assexuadas,
conhecidas como partenogênese;
 De maneira ...
Reprodução
 Situações mais específicas podem ocorrer:
• Em alguns dípteros, formas imaturas podem ter
óvulos desenvolvido...
Adaptações
 Para a vida terrestre:
• Corpo revestido por um exoesqueleto de quitina, que,
além de fornecer proteção mecân...
Adaptações
 Para a vida aquática:
• Dobrar as asas em repouso;
• Passagem de hemimetábolos para
holometábolos;
• Originar...
Classe insecta
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Classe insecta

1.382 visualizações

Publicada em

Classe Insecta

Publicada em: Design
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Classe insecta

  1. 1. Filo Uniramia Classe Insecta
  2. 2. Morfologia
  3. 3. Morfologia  O corpo dos insetos: divide- se em 3 partes: cabeça, tórax e abdome; • Cabeça: é onde estão localizados o aparelho bucal, as antenas e os olhos; • Tórax: Formado por 3 segmentos: o protórax, mesotórax e o metatórax; • Abdome: se compões de vários segmentos, sendo que cada um deles possui um par de espiráculos, que são aberturas que permitem a respiração do inseto;
  4. 4. Morfologia  Aparelhos bucais: • Labro, mandíbulas, maxilas, labium e hipofaringe;  Pernas: • As pernas são denominadas anteriores, medianas e posteriores de acordo com a sua inserção;  Asas: • Existem tipos de asas diferentes, que são importantes na hora de determinar a ordem do inseto: tégminas, élitros, hemiélitros, menbranosas e escamosas;
  5. 5. Morfologia
  6. 6. Morfologia  Em alguns insetos há a união das 3 principais divisões do corpo: • Cefalotórax: cabeça + tórax; • Tronco: tórax + abdome; • Pós-abdome: telso;
  7. 7. Exoesqueleto
  8. 8. Exoesqueleto  O corpo dos insetos é revestido por uma armadura muito resistente que chamamos de exoesqueleto. O exoesqueleto é constituído principalmente por quitina, um carboidrato do grupo dos polissacarídeos;  Como o exoesqueleto é uma estrutura muito rígida, o inseto só consegue crescer após a troca desse exoesqueleto, processo que chamamos muda ou ecdise;
  9. 9. Exoesqueleto
  10. 10. Asas
  11. 11. Asas  Existem ao todo 8 tipos de asas: • Membranosa: fina com nervuras bem distintas (borboletas, moscas); • Tégmina: aspecto coriáceo (gafanhotos, baratas); • Hemiélitro: aspecto coriáceo em sua base e extremidade membranosa (percevejos); • Élitro: asa anterior enrijecida, formando um estojo que recobre o par posterior membranoso (besouros, tesourinhas);
  12. 12. Asas • Balancins/halteres: par posterior atrofiado servindo para o equilíbrio durante o voo (moscas, muticas); • Pseudo-halteres: par anterior atrofiado (macho de Strepsiptera); • Franjada: apresenta pelos nas laterais das asas (tripes); • Lobada: apresentam lobos na região marginal (microlepidópteros);
  13. 13. Asas
  14. 14. Desenvolvimento
  15. 15. Desenvolvimento  Existem 3 tipos de desenvolvimento: • (A) Desenvolvimento direto (ametábolo) – neste grupo de insetos os animais não passam por mudanças (sem metamorfose); Exemplo: traça- de-livro. • (B) Desenvolvimento indireto incompleto (hemimetábolos) – reúne os insetos com desenvolvimento gradativo, passando por etapas de crescimento (metamorfose incompleta); Exemplo: barata.
  16. 16. Desenvolvimento • (C) Desenvolvimento indireto completo (holometábolos) – insetos cuja metamorfose, posterior eclosão dos ovos, apresenta etapa de desenvolvimento larval (anatomicamente diferente do organismo adulto) (metamorfose completa); Exemplo: borboleta.
  17. 17. Desenvolvimento
  18. 18. Importâncias
  19. 19. Importâncias  Importância ecológica: • Muitas flores dependem dos insetos polinizadores para sua reprodução (entomoflia); • Equilíbrio das cadeias alimentares;  Importância econômica: • Produção de seda (bicho-da-seda) para roupas; • Produção de mel (abelhas) para consumo;
  20. 20. Importâncias  Importância médica: • Diversos insetos atuam como vetores de agentes infecciosos, como por exemplo: malária, Doença de Chagas, filarioses;
  21. 21. Órgãos sensoriais
  22. 22. Órgãos sensoriais  Visão: composta tanto pelos olhos compostos como pelos ocelos;  Tato: percebido através de sensilos ou tricógenos, o senso tátil é percebido por essas estruturas que se assemelham à pelos e que atuam amplificando a pressão causada por um contato;  Audição: o som é captado e percebido pelo tímpano que fica nas pernas, e também, em alguns grupos, no órgão de Johnston, localizado nas antenas;
  23. 23. Órgãos sensoriais  Olfato: captado por sensilos que atuam como receptores químicos, e estão localizados nas antenas em sua maioria das vezes, mas também ocorre nas pernas;  Paladar: assim como o olfato, sensilos atuam como receptores químicos, com localização nas antenas;
  24. 24. Digestão
  25. 25. Digestão  Podemos distinguir três porções do tubo digestório: anterior, médio e posterior;  As porções anterior e posterior são revestidas internamente por quitina. A porção anterior é responsável principalmente pelo tratamento mecânico dos alimentos;  É na porção média que acontece a digestão química;  A porção posterior é responsável pela reabsorção de água e elaboração das fezes;
  26. 26. Excreção  Os túbulos de Malpighi se localizam no limite entre a porção média e a porção posterior do intestino. Cada túbulo possui fundo cego e mergulha nas lacunas do corpo, de onde retira as impurezas e as descarrega no intestino para serem eliminadas com as fezes;  O produto de excreção nitrogenada dos insetos é o ácido úrico, substância que requer pequeníssima quantidade de água para a sua eliminação;
  27. 27. Circulação  A circulação é do tipo lacunar ou aberta;  Na maioria dos insetos, o "sangue" é incolor e chamado de hemolinfa;  O coração é dorsal e bombeia a hemolinfa para a extremidade anterior, fazendo- a atingir lacunas corporais ou hemocelas onde, lentamente, ocorrem as trocas (nutrientes por excretas) nos tecidos;
  28. 28. Circulação
  29. 29. Respiração  Os insetos respiram por traquéias, pequenos canais que ligam as células do interior do corpo com o meio ambiente;  O movimento de contração dos músculos abdominais renovam continuamente o ar das traqueias, de modo semelhante a um “fole”;
  30. 30. Respiração  A respiração é principalmente por difusão;  Os insetos podem inclusive controlar sua respiração. Ele pode abrir e fechar os espiráculos com contrações musculares. Um inseto que vive em um ambiente seco vai manter as válvulas espiráculo fechada para evitar a perda de umidade;
  31. 31. Respiração  Os espiráculos são os orifícios por onde entra e sai o ar;  Um espiráculo aproximado:
  32. 32. Sistema nervoso
  33. 33. Sistema nervoso  O sistema nervoso dos insetos consiste em um cérebro localizado na cabeça, e um cordão nervoso localizado ventralmente, com gânglios em cada segmento;  As células nervosas se comunicam através das sinapses com ação de neurotransmissores, como a acetilcolina, e os impulsos são transmitidos através de mudanças na carga elétrica nas sinapses;
  34. 34. Reprodução
  35. 35. Reprodução  A maioria dos insetos tem reprodução sexuada e por oviparidade, isto é, com postura de ovos diretamente no ambiente;
  36. 36. Reprodução
  37. 37. Reprodução  Há casos, no entanto, onde podem ocorrer reproduções assexuadas, conhecidas como partenogênese;  De maneira menos comum, pode ocorrer a viviparidade;
  38. 38. Reprodução  Situações mais específicas podem ocorrer: • Em alguns dípteros, formas imaturas podem ter óvulos desenvolvidos por partenogênese, caracterizando um reprodução do tipo pedogênese; • Quando há presença de caracteres imaturos em fases adultas, denomina-se neotenia; • A produção de dois ou mais embriões em um único ovo também pode ocorrer, ainda que raramente, sendo chamado de poliembrionia; • Situações de hermafroditismo são ainda mais raras;
  39. 39. Adaptações  Para a vida terrestre: • Corpo revestido por um exoesqueleto de quitina, que, além de fornecer proteção mecânica, evita o ressecamento do corpo; • A respiração aérea é traqueal, que permite que o ar penetre no corpo pelos espiráculos e alcance todos os tecidos do corpo através das traquéias, levando o oxigênio a todas as células; • Na grande maioria dos insetos, a fecundação é interna (o macho deposita os espermatozóides diretamente no corpo da fêmea); • A excreção de ácido úrico que precise de pouquíssima água para a eliminação;
  40. 40. Adaptações  Para a vida aquática: • Dobrar as asas em repouso; • Passagem de hemimetábolos para holometábolos; • Originaram-se de formas terrestres, portanto, a qualidade da adaptação (locomoção, respiração, mecanismos de nutrição e ciclo de vida) não é boa, explorando melhor ou pior o ambiente;

×