Década de 60

5.494 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Década de 60

  1. 1. 60 ’s brasil
  2. 2. “um pequeno passo para o homem, um grande passo para a humanidade”
  3. 3. O que aconteceu no mundo:>>as fotografias ganham seu espaço na midia>>fotos do mundo visto do espaço são tiradaspela primeira vez. “a terra é azul”>>também pela primeira vez é visto um fetodentro do útero>>o astronauta americano Neil Armistrong pisana lua “um pequeno passo para o homem, umgrande passo para a humanidade”
  4. 4. O que aconteceu no mundo:>>protestos estudantis de 1968 na França e nomundo>>Che Guevara como herói na américa latina>>guerra do Vietnã>>movimento feminista, queima de sutiãs e acriação da pílula anticoncepcional>>protesto contra o racismo nas olimpíadas doMéxico, movimento black power
  5. 5. O que aconteceu no brasil:>>protestos relacionadps as questões políticas,principalmente a partir de 1964 com o golpemilitar(1964-1989).>>passeata dos Cem mil em 1968.>>cinema novo>>tropicália>>peça Roda Viva e O Rei da Vela>>criação da Escola Superior de DesenhoIndustrial
  6. 6. O que aconteceu no mundo:>>a volta de ornamentos>>cartazes psicodélicos>>Push Pin Studios de Milton Glaser e SaymourChwast>>cartazes produzidos com poucos recursospara protestos quase diariamente no AtelierPopulaire
  7. 7. O que aconteceu no brasil: cesar vilela>>mesmo com a censura, jornais com o Pasquime o Jornal da Tarde foram lançados>>capas de disco da Bossa Nova, mpb,tropicalismo>>influência das capas de discos estrangeiras rubens gerchman>>jovem guarda “carrão na contra mão”considera por muitos como difuzora da alienação,vendida ao imperialismo,a jovem guarda na verdade é criada pelopublicitário Carlito Maia, esquerdista que baseia-se em uma frase vinda de Lênin, líder darevolução russa, “o futuro pertence a jovemguarda, pois a velha está ultrapassada”Com ícones como o “carrão” norte-americano e aguitarra símbolo do rock,fortemente contestadapelos músicos da mpb que julgavam perder comela as características da música brasileira, aJovem Guarda estabeleceu o rock no Brasil
  8. 8. eugenio hirsch, 1963Os livros da década de 60>>mudanças significativas na criação ediagramação das capas de livros(até o final da década de 50 a criação de livrosseguia rigorosamente uma grade específicadeterminada pelas editoras. A partir da década de60 as editoras abrem espaço para os designerscriarem. O que acontece é uma descontrução dopadrão - autor, título, ilustração e editora.Embora nas revistas e discos da década a fotografiajá tivesse ganhado seu espaço nos livros ailustração continua bastante usada e a fotografia sóganha força nessa área nas próximas décadas. Issose dá exatamente pelo carater conservador dopróprio livro, porém as formas são nessa décadabem menos realistas e passam a ser maisgeométricas ou de gestos soltos. Odesenvolvimento da produção gráfica de livros deve-se ao aumento no número de leitores, bem como noaumento de universitários no país e também noaperfeiçoamento das técnicas de sedução atravésda capa, é nessa década que o marketing passa afazer parte do design do livro)
  9. 9. eugenio hirsch, 1963 eugenio hirsch, 1963
  10. 10. alceu s. coutinho 1966
  11. 11. marianne peretti, 1966 marianne peretti, 1966
  12. 12. clara pechansky, 1969 joão azevedo braga, 1961
  13. 13. ernst zeuner, 1960 marius lauritzen bern 1967
  14. 14. As revistas da década de 60>>ordenação de fotos e textos, criação da profissãode direção de arte dentro das editoras.(Até a década de 60 revistas como Cruzeiro emborapublicadas em grandes tiragens não possuiam umapreocupação de organização entre texto e imagem.Mesmo assim revistas como esta e revistas detelenovela são referências indispensáveis para aspróximas revistas.Na década de 60 há uma segmentação de assuntose surgem diversas revistas. As mais inovadorasforam a revista Senhor, carioca e voltada à cultura,com diagramação sofisticada e fazendo um maioruso da ilustração e a revista Realidade, paulista,voltada para o jornalismo e usando maior número defotografias. Enquanto a primeira era publica em umamodesta tiragem de 40mil exemplares por CarlosScliar e Glauco Rodrigues e sobrevive de 1959 a1964, a segunda era publicada em uma tiragem de450mil exemplares pela editora Abril, que já nestaépoca era uma das maiores editoras do Brasil e épublicada de 1966 a 1976.
  15. 15. Referencias bibliográficas:>>MELO, Chico Homem. O design gráfico brasileiro.Anos 60. São Paulo: Cosac Naify, 2006.>>WOLLNER, Alexandre. Design Visual. 50 anos.São Paulo: Cosac Naify, 2003.>>FOLHA ONLINE. “Maio de 68 foi auge da décadaem que jovens "aceleraram" a história.” Disponívelem: http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u39547.shtml. Acesso em: 7 maio 2010.) mariana weber cultura brasileira - ufpel 2010

×