Aborto

1.015 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.015
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aborto

  1. 1. Reflexos do AbortoReflexos do Aborto Sobre o Espírito e oSobre o Espírito e o PerispíritoPerispírito
  2. 2. LEI DE CONSERVAÇÃOLEI DE CONSERVAÇÃO todos os seres a tem dentro de si, em diferentes graus As reações do organismo e/ou da natureza, são mecanismos da Lei de Conservação: ciclo de culturas / plantas dor, reflexos dos bebês O homem deve conservar a natureza, utilizando os seus recursos na medida exata do necessário
  3. 3. LEI DE REPRODUÇÃO A reprodução dos seres vivos é uma Lei Natural, que garante a existência do mundo corpóreo Controle e Obstáculos à Reprodução: o homem tem o poder sobre todos os seres vivos, mas ele deve usar isto para o bem geral, e não de uma maneira destrutiva e egoística o uso do controle da natalidade está na dependência direta da maturidade, da responsabilidade e do amor
  4. 4. LEI DE DESTRUIÇÃO  A destruição aparente é na verdade uma renovação, um ciclo de regeneração  Na natureza, o ciclo de destruição-regenera- ção é perfeito, o homem é que o desequili- bra desnecessariamente:  O direito de destruição dos homens sobre os vegetais e animais está restrito as suas reais necessidades, pagando alto preço pelos seus abusos. Destruir significa inter- ferir com a evolução do princípio inteligen- te, por isso deve ser evitado o abuso
  5. 5. A Natureza tem formas de auto-regulação, incluindo-se aí as catástrofes naturais; Paga alto preço de desequilíbrio energético, psíquico e espiritual aquele que se excede na destruição da vida em qualquer nível de manifestação; O aborto é infração a Lei de Destruição, de Reprodução e Conservação, sendo considerada uma destruição abusiva e inadequado manejo da reprodução, afetando o direito a Vida e Conservação.
  6. 6.  O ser humano, sendo esseO ser humano, sendo esse complexo tripartite (espírito,complexo tripartite (espírito, perispírito e corpo físico), tem emperispírito e corpo físico), tem em si um forte componente energético,si um forte componente energético, oriundo do perispírito e dasoriundo do perispírito e das relações deste com o Espírito.relações deste com o Espírito.  O componente energético no serO componente energético no ser humano se reveste de tanta ouhumano se reveste de tanta ou mais importância que omais importância que o componente físico ou material,componente físico ou material, afetando tanto o corpo como oafetando tanto o corpo como o Espírito, pela interface doEspírito, pela interface do
  7. 7. Implicam em registrosImplicam em registros energéticos a nível do perispírito,energéticos a nível do perispírito, com influências decisivas nesta ecom influências decisivas nesta e em outras encarnações.em outras encarnações.  Esses registros são energé-Esses registros são energé- ticos e constituídos de cargasticos e constituídos de cargas negativas ligadas anegativas ligadas a determinados Centros de Força.determinados Centros de Força.  Estão relacionados com a LeiEstão relacionados com a Lei de Causa e Efeito, sendode Causa e Efeito, sendo conseqüência do uso do Livreconseqüência do uso do Livre INFRAÇÕES ÀS LEIS NATURAISINFRAÇÕES ÀS LEIS NATURAIS
  8. 8.  Todo o Universo está interrelacionado eTodo o Universo está interrelacionado e interage, e as ações do Espírito ao transitarinterage, e as ações do Espírito ao transitar nele promovem interações energéticasnele promovem interações energéticas importantesimportantes  As Leis Naturais são harmônicas eAs Leis Naturais são harmônicas e perfeitas, e o Espírito tem o Livre Arbítrio deperfeitas, e o Espírito tem o Livre Arbítrio de transitar em harmonia ou em desajuste comtransitar em harmonia ou em desajuste com relação a elasrelação a elas  De acordo com o seu ajuste ou desajuste noDe acordo com o seu ajuste ou desajuste no trato das Leis Naturais, o Espírito registratrato das Leis Naturais, o Espírito registra no seu perispírito, energicamente, ono seu perispírito, energicamente, o resultado de suas ações, por menor queresultado de suas ações, por menor que sejam, positiva ou negativamente.sejam, positiva ou negativamente.
  9. 9.  O perispírito, ao registrar exatamente asO perispírito, ao registrar exatamente as cargas energéticas advindas de nossacargas energéticas advindas de nossa atuação na senda evolutiva, se constitui ematuação na senda evolutiva, se constitui em instrumento da justiça Divina, poisinstrumento da justiça Divina, pois estabelece o mecanismo de causa e efeito,estabelece o mecanismo de causa e efeito, onde cada um estabelece o seu caminho,onde cada um estabelece o seu caminho, suas conquistas e expiações.suas conquistas e expiações.  A dor sofrida é derivada da dor causada. AA dor sofrida é derivada da dor causada. A energização que emanarmos nos reunirá aoenergização que emanarmos nos reunirá ao meio e as companhias em que merecemos emeio e as companhias em que merecemos e precisamos viver. No entanto, nosso livreprecisamos viver. No entanto, nosso livre arbítrio, se aplicado ao bem e a evoluçãoarbítrio, se aplicado ao bem e a evolução pessoal, pode mudar nosso destino.pessoal, pode mudar nosso destino.
  10. 10. CONSEQÜÊNCIAS DO REGISTROCONSEQÜÊNCIAS DO REGISTRO  O registro energético em nosso perispíritoO registro energético em nosso perispírito pode ter conseqüências físicas, psíquicas epode ter conseqüências físicas, psíquicas e espirituais, dependendo da “qualidade” e daespirituais, dependendo da “qualidade” e da “intensidade” de registro (cargas energé-“intensidade” de registro (cargas energé- ticas). Isso pode ocorrer de imediato e atéticas). Isso pode ocorrer de imediato e até prolongar-se para encarnações futuras.prolongar-se para encarnações futuras.  A presença de energias desequilibradas emA presença de energias desequilibradas em nosso organismo físico-perispiritual podenosso organismo físico-perispiritual pode nos levar a uma afinidade maior comnos levar a uma afinidade maior com energias desse tipo, o que nos leva a umenergias desse tipo, o que nos leva a um reforço na causa de nosso desequilíbrio.reforço na causa de nosso desequilíbrio.
  11. 11. Para quem realiza o aborto, infracionandoPara quem realiza o aborto, infracionando as leis naturais, existem uma série deas leis naturais, existem uma série de conseqüências decorrentes;conseqüências decorrentes; a primeira é de ordem moral. Ao perceber,a primeira é de ordem moral. Ao perceber, em sua volta ao plano espiritual, e mesmo,em sua volta ao plano espiritual, e mesmo, muitas vezes, ainda no plano material, amuitas vezes, ainda no plano material, a gravidade da ação que executou, o espíritogravidade da ação que executou, o espírito é acometido de remorsos, de dores moraisé acometido de remorsos, de dores morais muito intensas, que o perturbammuito intensas, que o perturbam enormemente;enormemente;
  12. 12.  da mesma forma, o espírito que realizou talda mesma forma, o espírito que realizou tal ato sujeita-se a uma ligação energéticaato sujeita-se a uma ligação energética muito intensa com o espírito que estavamuito intensa com o espírito que estava ligado ao feto que foi abortado,ligado ao feto que foi abortado, estabelecendo todas as condições para umestabelecendo todas as condições para um eventual processo obsessivo;eventual processo obsessivo;  no campo do perispírito de quem realizou ono campo do perispírito de quem realizou o aborto, os campos energéticos registram asaborto, os campos energéticos registram as energias extremamente negativas eenergias extremamente negativas e dolorosas do processo de aborto, comdolorosas do processo de aborto, com conseqüências em muitos centros de força;conseqüências em muitos centros de força;
  13. 13. Em decorrência do registro energético, doEm decorrência do registro energético, do desequilíbrio na estrutura perispiritual,desequilíbrio na estrutura perispiritual, passa o espírito a apresentar distúrbiospassa o espírito a apresentar distúrbios funcionais em seu perispírito, cuja magni-funcionais em seu perispírito, cuja magni- tude pode levá-lo a problemas ainda notude pode levá-lo a problemas ainda no plano espiritual e com seqüelas orgânicasplano espiritual e com seqüelas orgânicas no próximo processo encarnatório;no próximo processo encarnatório; é importante lembrar que se na mãe asé importante lembrar que se na mãe as conseqüências são mais sérias em funçãoconseqüências são mais sérias em função das alterações perispirituais da gestação,das alterações perispirituais da gestação, em todos os que estão envolvidos asem todos os que estão envolvidos as energias negativas se manifestam, com oenergias negativas se manifestam, com o correspondente registro energético;
  14. 14. É necessário lembrar que o registroÉ necessário lembrar que o registro energético é proporcional ao conhecimento,energético é proporcional ao conhecimento, a intencionalidade, ao grau de consciência;a intencionalidade, ao grau de consciência; assim sendo, é lógico deduzir que o perispí-assim sendo, é lógico deduzir que o perispí- rito do espírito abortado, embora registrerito do espírito abortado, embora registre momentaneamente o desequilíbrio decor-momentaneamente o desequilíbrio decor- rente do aborto, não manterá esse registrorente do aborto, não manterá esse registro nos seus centros de força, que utilizarános seus centros de força, que utilizará seus mecanismos naturais para reestabe-seus mecanismos naturais para reestabe- lecer o equilíbrio energético.lecer o equilíbrio energético. No entanto, no campo moral e de sentimen-No entanto, no campo moral e de sentimen- tos, isso dependerá da compreensão e grautos, isso dependerá da compreensão e grau de evolução desse espírito, levando-ode evolução desse espírito, levando-o desde nenhuma até grande perturbaçãodesde nenhuma até grande perturbação
  15. 15. Roteiro de Palestra de Carlos Augusto P. ParchenRoteiro de Palestra de Carlos Augusto P. Parchen www.carlosparchen.net www.cele.org.br

×