A influência dos novos media na educação

221 visualizações

Publicada em

Os Media na Educação

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
221
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A influência dos novos media na educação

  1. 1. “A influência dos novos media na educação” Nome: Maria SimõesNome: Maria Simões Email:Email: mluz.univ@gmail.commluz.univ@gmail.com Os Media na Educação 1
  2. 2. Os Media na Educação 2 SumárioSumário
  3. 3. Os Media na Educação 3 Sociedade da InformaçãoSociedade da Informação No Livro Verde para a Sociedade da Informação, este conceito é definido como: “Modo de desenvolvimento social e económico em que a aquisição, armazenamento, processamento, valorização, transmissão, distribuição e disseminação de informação conducente à criação de conhecimento, desempenham um papel central na atividade económica, na criação de riqueza, na definição da qualidade de vida dos cidadãos e das suas práticas culturais.” Sumário
  4. 4. Os Media na Educação 4 A Sociedade da Informação é: Uma sociedade para todos Uma sociedade motivada pelo saber, onde a informação domina. Segundo Tornero (2007), “A transição do século XX para o século XXI, ficará conhecida por marcar a transformação de uma sociedade baseada nas relações materiais numa sociedade assente nas relações virtuais – ou comunicativas…” Assim , a evolução da sociedade atual não se baseia nas relações físicas próximas, mas sim numa comunicação mediática. Será um fenómeno global, complexo e competitivo, com mudanças rápidas e contínuas em todos os setores da sociedade. Desenvolvimento das TIC : internet, multimédia, etc.
  5. 5. Os Media na Educação 5 Algumas transformaçõesAlgumas transformações Século XX Revolução Industrial Produção maciça de bens de consumo Economia Capitalista Modelo fabril As fontes de saber: multiplicam- se, difundem-se e expandem-se. Século XXI A Internet permite tornar os saberes e os documentos acessíveis a todos. É global. Impulso do discurso consumista O conhecimento e os saberes transbordam para as escolas Descentralização do saber Os media ocupam um lugar primordial como agente socializador.
  6. 6. Os Media na Educação 6 A Escola e a Sociedade da InformaçãoA Escola e a Sociedade da Informação Antes da Sociedade da Informação Na Sociedade da Informação
  7. 7. Os Media na Educação 7 A nova competência comunicativaA nova competência comunicativa Sumário Não é possível separar competência comunicativa de uma linguagem oral e de uma linguagem escrita. Mas no cenário em que nos encontramos, é possível e essencial ser referida uma nova competência comunicativa, ligada às imagens, às formas e aos espaços. Os textos não perdem centralidade, eles desde há muito representam nos livros a existência da Humanidade, neste contexto a oralidade perde campo em relação à escrita. Mas neste momento o texto, segundo Tornero (2007), “começa a recuar em termos sociais.”
  8. 8. Os Media na Educação 8 A comunicação e a imaginação do homem baseiam-se em mediações icónicas. Onde o gestual , o visual de outrora volta a ganhar terreno. Tornero (2007) fala-nos de uma “nova escrita – a escrita das imagens.” Através de processos digitais é possível manipular e elaborar imagens, perto ou longe do real, imaginárias e criativas. Estando estas construções ao alcance da grande maioria das pessoas. E no ensino? A comunicação é dinâmica, então é essencial dinamizar todo o processo relativo ao ensino das novas competências comunicativas.
  9. 9. Os Media na Educação 9 As mudanças ao nível tecnológico, nos setores da informação e da comunicação, levam-nos a refletir sobre o agir perante os media. Na opinião de Tornero (2007), “a leitura crítica dos media audiovisuais tem de ser efectuada perante um quadro interdisciplinar.” Não é possível contemplar uma única disciplina para efetuar tal refleção. Vários autores propõem diversas atitudes face aos media. Tornero, refere Masterman (1996), que contempla três paradigmas históricos sobre os audiovisuais. São eles: o modelo protecionista, o modelo avaliador e o modelo representacional.Sumário A leitura crítica dos novos meios audiovisuais
  10. 10. Os Media na Educação 10 Modelo Protecionista O ensino dos media fazia-se contra os media. O aluno tinha que ser protegido. Os media eram vistos como manipuladores. Os media eram considerados contrários a valores como a literatura, a pintura ou a música. Modelo Avaliador Ensino influenciado pela cultura do cinema. O objetivo era munir o aluno de critérios para efetuar a escolha. Modelo Representacional Após o aparecimento de algumas disciplinas, como por exemplo, a semiótica, investigadores lançaram a ideia que os media não retratam a realidade, eles constroem a realidade.
  11. 11. Os Media na Educação 11 As diversas atitudes perante os media correspondem a diferentes métodos de ensino sobre esses mesmos media. Cabe referir três conceções: A tecnicista – a refleção não recai sobre o ensino, mas sim sobre como utilizar. Dos efeitos – parte-se do princípio que a introdução dos media audiovisuais na sala de aula trás benefício para os alunos. Crítica – importa que os alunos saibam decifrar as mensagens dos media e que os compreendam de vários ângulos. Segundo Tornero (2007) a leitura crítica dos meios audiovisuais é baseada em dois eixos: - A ideia de transparência - O conceito de representação
  12. 12. Os Media na Educação 12 A televisão educa? A televisão pode educar, depende da utilização que dela se fizer. Sabemos que o consumo exagerado dos novos media é hoje uma realidade. É de extrema importância que o consumidor seja responsável e que possua uma formação para compreender o media televisivo. Estará a escola preparada para adotar programas de alfabetização e leitura de imagens em televisão? A resposta é negativa. A escola está, como refere Tornero (2007) “desfasada quando se tem de adaptar a uma sociedade em transformação.” Sumário
  13. 13. Os Media na Educação 13 As mensagens e as imagens na televisão possuem códigos completamente desconhecidos dos espetadores, por sua vez estes não são passivos e a possibilidade de manipulação é grande. Por exemplo, a televisão além de um objeto de consumo, serve de veículo a outros consumos, o apelo é elevado.
  14. 14. Os Media na Educação 14 Alguns autores debruçaram-se sobre o facto da televisão possuir ou não uma função didática e como adequa-la ao ensino. Incorporando-a na sala de aula? Sim alguns são a favor, pois consideram que a televisão pode favorecer o processo ensino-aprendizagem. Essa integração supõe uma “educação na televisão” e “uma educação com a televisão”.
  15. 15. Os Media na Educação 15 Tornero (2007), considera que “a educação sobre a televisão tem que se distanciar da própria televisão, para se poder confirmar a prepotência da televisão, a falta de sentido crítico e o caráter ideológico.” Para este autor educar em televisão significa : A compreensão inteletual dos media A leitura crítica das suas mensagens Capacitação para a sua utilização livre e criativa
  16. 16. Os Media na Educação 16 Eduardo Marçal Grilo, da Fundação Calouste Gulbekian, em 2001 traçou um “panorama desolador” da televisão. Considerou que a televisão é um instrumento com uma grande importância e uma grande influência na vida de uma grande parte da população. Evidenciou que muitos entrevistados têm como único objetivo “aparecer” na televisão, independentemente das razões. Colocou em causa a seriedade de muitos programas de televisão, pois eles têm que contribuir para o debate das ideias. Referiu os quatro canais generalistas e a televisão por cabo ou satélite. Sendo que a televisão favorece a discriminação e aumenta as desigualdades.
  17. 17. Os Media na Educação 17 Sumário As características da mediação na sociedade multimédia: computadores e internet A Sociedade da Informação ou Sociedade do Conhecimento é um facto do qual não nos podemos alienar. Vivemos numa Sociedade em Rede. Vivemos como que entrelaçados em teias de informação, mediados por instrumentos e dispositivos que nos permitem interagir. Computadores e Internet.
  18. 18. Os Media na Educação 18 A Sociedade da Informação é caracterizada pelo uso intensivo das TIC, em especial do computador e da internet. As interações entre os indivíduos e as organizações processam-se em formato digital. Podemos afirmar que a forma como trabalhamos, como nos divertimos, como pensamos e como convivemos uns com os outros alterou-se, pois os computadores e a internet são os mediadores da informação, da aquisição dos conhecimentos e também dos relacionamentos. Vários conceitos mudaram e caracterizam estas mediações, são eles: o espaço, o tempo, distanciamento e a consciência.
  19. 19. Os Media na Educação 19 A interação entre os indivíduos e/ou as organizações ganham um alcance global, pois o imediato e o presencial perdem sentido. Com estes mediadores temos o “domínio do tempo”, não precisamos de estar presentes uns dos outros para que o ato comunicativo se processe. Mas por outro lado, promove o distanciamento, a “fisicidade” perde sentido e o ato comunicativo efetua-se independentemente da distância. Como o imediato perde terreno, o sujeito torna-se mais consciente da sua linguagem, pois os gestos e a expressão já não estão presentes. Autónomos? Sim. Isolados? Sim, também.
  20. 20. Os Media na Educação 20 Bibliografia Tornero, J.M.P. (2007). Comunicação e Educação na Sociedade da Informação. Porto. Porto Editora. Remy, R (2003).Sociologia dos Media. Porto. Porto Editora. Coelho, J.D. & at al. (1997). Livro Verde para a sociedade da informação em Portugal. Missão para Sociedade da Informação. Ministério da Ciência e Tecnologia. Disponível em: http://www.acesso.umic.pt/docs/lverde.htm. Acedido a 20/12/2011 às 19 horas. Gonçalves, V.B. (2000). O professor da (na) Sociedade da Informação. Escola Superior de Educação. Instituto Politécnico de Bragança. Disponível em: http://www.ipb.pt/~deptegiese/vg.pdf. Acedido a 20/12/2011 às 20 horas. Webgrafia

×