ESCOLA BÁSICA DE LAGARES, FELGUEIRASESCOLA BÁSICA DE LAGARES, FELGUEIRAS
CIÊNCIAS NATURAIS – 9.º ANOCIÊNCIAS NATURAIS – 9....
Digestão química -É provocada pelos sucos digestivos (possuem enzimas) produzidos pelos diferentes órgãos do sistema
diges...
- Descrever a sequência de fenómenos que ocorrem durante a deglutição;
Passagem do bolo alimentar da boca para o esófago a...
Muco
• Substância que lubrifica e protege a parede do estômago, da ação do ácido clorídrico e da pepsina.
- Identificar os...
As vilosidades tratam-se de estruturas em forma de dedo, que revestem a parede interna do intestino delgado. No interior
d...
 Compreender a fisiologia do sistema excretor.
O sistema excretor é formado por um conjunto de órgãos que filtram o sangu...
Há macromoléculas como as proteínas de elevado peso glomerular que não atravessam as paredes dos capilares para a cápsula
...
5ª Lista de Objetivos – Sistema Digestivo e Sistema Excretor
9.ºano
8/1
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Objetivos Ciências Naturais - Teste nº5

370 visualizações

Publicada em

Este trabalho foi feito no âmbito da disciplina de Ciências Naturais, no ano letivo 2013/2014.

É de destacar que estes trabalhos não estão de acordo com o novo acordo ortográfico e podem conter erros ortográficos, pois foram efetuados por alunos.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Objetivos Ciências Naturais - Teste nº5

  1. 1. ESCOLA BÁSICA DE LAGARES, FELGUEIRASESCOLA BÁSICA DE LAGARES, FELGUEIRAS CIÊNCIAS NATURAIS – 9.º ANOCIÊNCIAS NATURAIS – 9.º ANO Lista de Objetivos para o 5.º teste de avaliação Nome: Nº: Turma: Parte I - Sistema Digestivo - Legendar esquemas representativos da morfologia do Sistema Digestivo; - Enumerar os órgãos que constituem o Sistema Digestivo; - Definir digestão; É o conjunto de reações químicas por meio das substâncias complexas macro moleculares são transformadas em outras mais simples, de moléculas menores. O primeiro passo deste complexo ocorre na boca, onde o alimento é triturado pelos dentes na mastigação e humedecido pela saliva. Nesta região inicia-se a digestão, do alimento, processo que continua no estômago e termina no intestino delgado, onde o alimento é transformado em componentes básicos, que são assim absorvidos .No intestino grosso há absolvição de água, e consequentemente as fezes tornam-se semi-sólidas. - Distinguir digestão mecânica de digestão química; Digestão mecânica -É desenvolvida pela língua, pelos dentes e pelos movimentos peristálticos que ocorrem ao longo de todo o tubo digestivo. É a quebra física dos alimentos através da mastigação e dos movimentos peristálticos. Ocorre apenas na mastigação e obviamente é efetuada pelos dentes. É a quebra física dos alimentos através da mastigação e dos movimentos peristálticos. 5ª Lista de Objetivos – Sistema Digestivo e Sistema Excretor 9.ºano 1/1
  2. 2. Digestão química -É provocada pelos sucos digestivos (possuem enzimas) produzidos pelos diferentes órgãos do sistema digestivo. É a transformação das moléculas mais complexas em moléculas mais simples através da ação dos sucos digestivos, que contêm enzimas. Atua em todo o tubo digestório é realizada pelos sucos digestórios. - Enunciar os órgãos onde são produzidas as diferentes secreções digestivas; Secreção: Salivar – Glândulas Salivares Gástrica – Estômago Pancreática – Pâncreas Biliar – Fígado Intestinal Delgado – Intestino Delgado Intestinal Colón – Intestino Grosso - Enunciar a função dos diferentes componentes da boca envolvidos na digestão; Dentes e pela língua - Misturam e transformam os alimentos em bolo alimentar, ao envolvê-los em saliva. Cada dente tem a sua função, os incisivos, cuja missão é cortar os alimentos; os caninos, encarregados de rasgar os alimentos, e os pré-molares e molares, que servem a trituração dos mesmos. A língua é o órgão que recebe os estímulos responsáveis pela sensação do sabor dos alimentos. É na língua que se situam a maioria das papilas gustativas. Ao redor da boca humana existem as glândulas salivares que produzem a saliva. Uma de suas principais funções é a de transformar o amido em produtos mais simples. Depois de formado, o bolo alimentar passa para a faringe (deglutição). - Enunciar algumas regras a cumprir para manter uma boa higiene oral;  Escovar os dentes pelo menos sistematicamente dois minutos após cada refeição.  Usar sempre o fio dentário após a escovagem dos dentes para remover restos de alimentos nos espaços interdentários.  Usar todos os dias um elixir bucal que ajuda a criar uma barreira de protecção contra germes e bactérias;  Seguir uma dieta equilibrada, com baixo teor de açúcar, rica em frutas e legumes, alimentos que contenham vitaminas C, A e D e minerais essenciais, como o cálcio, fósforo e potássio. - Explicar a acção da amilase salivar sobre o amido; Saliva – Amilase Salivar (enzima que intervém na digestão química do amido – transformando-o em maltose). a Amílase Salivar é uma enzima presente na saliva que já de inicio digere os alimentos no qual ela fica encarregada que no caso é o amido, o transformando em açúcar simples, ficando assim mais fácil para o sistema digestivo digeri-lo. - Explicar a formação do bolo alimentar; Quando o alimento é mastigado pelos dentes, e misturado com a saliva pela acção da língua, fica reduzido a uma pasta mole, à qual se dá o nome de bolo alimentar. Depois de formado o bolo alimentar, este passa da boca para a faringe, e daí para o esófago. A esta passagem dá-se o nome de deglutição. 5ª Lista de Objetivos – Sistema Digestivo e Sistema Excretor 9.ºano 2/1
  3. 3. - Descrever a sequência de fenómenos que ocorrem durante a deglutição; Passagem do bolo alimentar da boca para o esófago através da faringe. • O bolo alimentar é empurrado pela língua em direção à faringe. •A úvula distende-se e tapa as fossas nasais, sendo o bolo alimentar empurrado para a faringe. Na faringe a epiglote tapa o acesso às vias respiratórias, seguindo o bolo alimentar para o esófago. • Esta passagem do bolo alimentar da boca para a faringe e esófago dá-se o nome de deglutição. O bolo alimentar desce até ao estômago com a ajuda dos movimentos peristálticos (acção mecânica) - Explicar a função da epiglote; A epiglote é uma espécie de lâmina que se encontra por detrás da língua e que serve para fechar a ligação da faringe com a glote durante a deglutição. Essa cartilagem evita a comunicação entre os aparelhos respiratório e digestivo. A epiglote funciona como uma espécie de válvula da laringe, que é um dos órgãos do aparelho respiratório. Permite controlar a passagem do bolo alimentar para o esófago e evitar que a comida entre no sistema respiratório. - Identificar os movimentos peristálticos como responsáveis pela progressão do bolo alimentar; Movimentos peristálticos são movimentos involuntários que empurram o alimento (também denominado bolo alimentar, quimo ou quilo, de acordo com a fase da digestão) ao longo do tubo digestivo, para que ocorra sua digestão ao nível devido. Esse movimento é impulsionado pela musculatura lisa e coordenado pelo sistema nervoso autónomo, por todo o tubo digestivo, iniciando-se no esófago e terminando no reto. O movimento peristáltico é o movimento que o intestino faz para empurrar o bolo alimentar. - Localizar e referir a importância dos dois esfíncteres do estômago; Para impedir o refluxo do alimento para o esófago, existe uma válvula (orifício de entrada do estômago - óstio cárdico ou orifício esofágico inferior), a cárdia, situada logo acima da curvatura menor do estômago. É assim denominada por estar próximo ao coração. Para impedir que o bolo alimentar passe ao intestino delgado prematuramente, o estômago é dotado de uma poderosa válvula muscular, um esfíncter chamado piloro (orifício de saída do estômago - óstio pilórico). - Relacionar digestão mecânica no estômago com movimentos peristálticos e digestão química com suco gástrico; Digestão Mecânica - Os movimentos peristálticos permitem misturar os alimentos com o suco gástrico, originando uma mistura líquida – o quimo. - Referir a função de cada constituinte do suco gástrico; Pepsina- enzima que actua sobre as proteínas. Ácido Clorídrico -permite meio ácido favorável à acção da enzima; -mata as bactérias presentes nos alimentos; -torna inactiva a acção da amilase salivar. 5ª Lista de Objetivos – Sistema Digestivo e Sistema Excretor 9.ºano 3/1
  4. 4. Muco • Substância que lubrifica e protege a parede do estômago, da ação do ácido clorídrico e da pepsina. - Identificar os produtos finais da digestão no estômago; • O produto final da digestão do amido é a glicose ou glucose. • Os produtos finais da digestão dos lípidos são os ácidos gordos e o glicerol. • Os produtos finais da digestão das proteínas são os aminoácidos. - Definir quimo; Quimo é o bolo alimentar que resulta da transformação dos alimentos no estômago. O quimo é digerido devido à ação da saliva, das enzimas e dos ácidos segregados pelo estômago. Nessa etapa da digestão, o bolo alimentar está pronto para passar para o intestino delgado e continuar o processo de digestão. O alimento pode permanecer no estômago por até 4 horas ou mais. - Prever a importância da digestão no intestino; - Identificar as substâncias produzidas pelo fígado, pâncreas e intestino delgado, que estão envolvidas na digestão; - Explicar a função da bílis, suco pancreático e suco intestinal; • Fígado – Bílis é um fluido produzido pelo fígado, e armazenado na vesícula biliar, e atua na digestão de gorduras. • Pâncreas - O pâncreas produz o hormónio insulina, que regula o nível de glicose no sangue e o suco pancreático, que serve para digerir os alimentos e que é lançado no duodeno por um ducto que percorre o pâncreas em toda a sua extensão. • Intestino Delgado - SUCO ENTÉRICO (suco intestinal) é produzido pelo epitélio, contém muco, cuja função é proteger a parede intestinal contra uma autodigestão e as eximas - Referir a constituição do quilo; Quilo - Líquido esbranquiçado a que ficam reduzidos os alimentos na última fase da digestão nos intestinos. [Compõe-se de linfas e de triglicerídeos.] O quilo forma-se no final da digestão intestinal, essencialmente, ao nível do duodeno. Celulose, Água, vitaminas e minerais • glucose e outras oses (galactose e frutose) – monossacáridos; • Ácidos gordos e glicerol; • Aminoácidos: - Distinguir válvulas coniventes de vilosidades intestinais e microvilosidades; Após a digestão, os nutrientes simples que constituem o quilo atravessam as paredes do intestino delgado e passam para o sangue e para a linfa - absorção. Esta passagem faz-se através das vilosidades intestinais que se localizam nas válvulas coniventes. A existência destas estruturas torna a superfície interna do intestino delgado extraordinariamente maior do que as suas dimensões aparentam, facilitando assim a passagem de uma maior quantidade de nutrientes para o sangue. 5ª Lista de Objetivos – Sistema Digestivo e Sistema Excretor 9.ºano 4/1
  5. 5. As vilosidades tratam-se de estruturas em forma de dedo, que revestem a parede interna do intestino delgado. No interior destas vilosidades encontram-se vários capilares sanguíneos, bem como vasos quilíferos (vasos linfáticos). O seu exterior é revestido apenas por uma camada de células revestidas por microvilosidades. - Explicar a importância e função da estrutura interna do intestino delgado; O intestino delgado, desempenha funções digestivas, de absorção de nutrientes e de condução de material não digerido para o intestino grosso. A sua porção inicial é denominada de duodeno, sendo este o local que recebe o quimo, proveniente do estômago e onde o canal colédoco liberta o seu conteúdo - suco pancreático e bílis -, importante na simplificação molecular dos alimentos. Ao duodeno segue-se o jejuno-íleo, onde continuam os processos de absorção e de digestão química e mecânica dos alimentos. A parede interna do intestino delgado apresenta um aspeto ondulado, com várias pregas, denominadas de válvulas coniventes. Cada uma destas válvulas apresenta-se recoberta por inúmeras projeções, as vilosidades intestinais, s permitem aumentar enormemente a superfície total do intestino delgado, facilitando e acelerando a absorção dos nutrientes. No interior de cada vilosidade, existe um vaso linfático, e vasos capilares sanguíneos, para o interior dos quais são absorvidos os nutrientes. - Explicar o facto de a celulose, a água, os sais minerais e as vitaminas não sofrerem alterações ao longo do tubo digestivo; • Água, vitaminas e minerais que ao longo do tubo digestivo, não sofrem alterações porque já são moléculas relativamente simples. • Celulose, constituinte essencial das fibras vegetais apesar de complexos, não são digeridos porque o organismo humano não possui enzimas capazes de os desdobrar. - Identificar as diferentes partes que constituem o intestino grosso; Apêndice vermiforme, Ceco, Cólon Ascendente ,Cólon Transverso , Cólon Descendente , Cólon Sigmoide , Re.to - Identificar as substâncias que são absorvidas no intestino grosso; No intestino grosso, são absorvidos a água e os minerais e armazenadas as fezes antes de serem defecadas. - Descrever o modo pelo qual são eliminadas as substâncias residuais da digestão; Quando o quimo permanece no intestino grosso torna-se sólido ou semi-sólido, devido à absorção de água, e origina fezes são eliminadas para o exterior, pelo ânus, com a contracção voluntária dos músculos de recto e do abdómen. A este último acto digestivo dá-se o nome de defecação. Parte II - Sistema Excretor  Legendar esquemas do sistema excretor. 5ª Lista de Objetivos – Sistema Digestivo e Sistema Excretor 9.ºano 5/1
  6. 6.  Compreender a fisiologia do sistema excretor. O sistema excretor é formado por um conjunto de órgãos que filtram o sangue, produzem e excretam a urina - o principal líquido de excreção do organismo. É constituído por um par de rins, um par de ureteres, pela bexiga urinária e pela uretra. Os rins situam-se na parte dorsal do abdomen, logo abaixo do diafragma, um de cada lado da coluna vertebral, nessa posição estão protegidos pelas últimas costelas e também por uma camada de gordura. Têm a forma de um grão de feijão enorme e possuem uma cápsula fibrosa, que protege o córtex - mais externo, e a medula - mais interna. Cada rim é formado de tecido conjuntivo, que sustenta e dá forma ao órgão, e por milhares ou milhões de unidades filtradoras, os néfrons, localizados na região renal. O néfron é uma longa estrutura tubular microscópica que possui, em uma das extremidades, uma expansão em forma de taça, denominada cápsula de Bowman, que se conecta com o túbulo contorcido proximal, que continua pela alça de Henle e pelo túbulo contorcido distal; este desemboca em um tubo coletor. São responsáveis pela filtração do sangue e remoção das excreções.  Conhecer a unidade funcional do rim. O néfron é a unidade básica do rim. É um tubo longo e fino fechado em uma ponta, tem duas regiões entrelaçadas e interespaçadas com uma longa alça em forma de forquilha, terminando em uma porção longa e reta, e é cercado de capilares.  Explicar o processo de formação da urina (4 etapas). 1ª Fase – Filtração O sangue entra no glomérulo de Malpighi através da arteríola aferente a alta pressão. A maior parte das substâncias constituintes do sangue atravessa a parede dos capilares para a cápsula de Bowman. A partir do sangue filtrado forma-se na cápsula de Bowman o filtrado glomerular,– água, produtos resultantes da digestão, como a glicose, os aminoácidos, os ácidos gordos e sais minerais, e produtos resultantes do metabolismo, como a ureia, o ácido gordo e a creatinina. 5ª Lista de Objetivos – Sistema Digestivo e Sistema Excretor 9.ºano 6/1
  7. 7. Há macromoléculas como as proteínas de elevado peso glomerular que não atravessam as paredes dos capilares para a cápsula de Bowman, também não fazem parte do filtrado alguns lípidos e os glóbulos vermelhos. Esta fase denomina-se de filtração, e caracteriza-se pela formação do filtrado glomerular que vai continuar a ser filtrado há medida que percorre o tubo urinífero. 2ªFase - Reabsorção O sangue sai do glomérulo pela arteríola eferente que se ramifica ao longo do tubo urinífero. Há medida que o filtrado glomerular passa no tubo urinífero as substâncias úteis como a glicose, a água, os sais minerais, os aminoácidos, as vitaminas e as hormonas, passam para o sangue, denominando-se de reabsorção. Permanecem no filtrado alguns sais minerais, água e todos os produtos azotados, isto é, a ureia e o ácido úrico. 3ªFase-Secreção Existem células da parede dos tubos uriníferos que elaboram algumas substâncias tóxicas a partir de componentes do plasma – secreção. 4ªFase-Secreção Ao longo do tubo urinífero a concentração de substâncias azotadas aumenta até que se forma um líquido amarelado – a urina, que passa para o tubo colector e deste para os ureteres e bexiga. Finalmente a urina é enviada para o exterior ocorrendo a excreção.  Conhecer algumas doenças associadas ao Sistema Urinário que afetam o organismo, bem como algumas técnicas de diagnóstico e/ou tratamento. Doenças:  Cálculo renal;  Gota;  Incontinência urinária;  Cancro renal;  Insuficiência renal;  Falência renal Diagnóstico:  Raio X (serve para diagnosticar presença de cálculos renais)  Antibióticos (servem para combater infeções da bexiga)  Transplante renal (permite melhorar a qualidade de vida de alguns doentes pois 1/3 do rim é suficiente para manter o equilíbrio do organismo ); Tratamento:  Beber água  Praticar dieta com pouco sal  Ter uma correta higiene individual 5ª Lista de Objetivos – Sistema Digestivo e Sistema Excretor 9.ºano 7/1
  8. 8. 5ª Lista de Objetivos – Sistema Digestivo e Sistema Excretor 9.ºano 8/1

×