"Descalça vai para a fonte", de Camões

355 visualizações

Publicada em

síntese do poema

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
355
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

"Descalça vai para a fonte", de Camões

  1. 1. Esquemas-síntese do poema «Descalça vai para a fonte» (p. 141)
  2. 2. Situação apresentada no poema: cenário bucólico — «verdura» (v. 2). Vilancete: mote de três versos e duas voltas de sete versos (sétimas); redondilha maior. Jovem mulher Fonte Intensificação da beleza da jovem através da descrição da roupa Água
  3. 3. «descalça» (v. 1) «mãos de prata» (v. 5) «cabelos de ouro» (v. 12) Caracterização de Leonor: Leonor «linda» (v. 14) «fermosa» (v. 3) «não segura» (v. 3) Insegurança Pureza Beleza
  4. 4. Roupa e adereços de Leonor (enumeração que traça o retrato da jovem): Branco = Pureza Encarnado/escarlate = Sensualidade Cores • «na cabeça o pote» (v. 4) • «o testo nas mãos de prata» (v. 5) Elementos do quotidiano de trabalho da jovem • «cinta de fina escarlata» (v. 6) • «sainho de chamalote» (v. 7) • «vasquinha de cote mais branca que a neve pura» (v. 8) • «a touca» (v. 11) • «o trançado» (v. 12) • «fita» (v. 13) Elementos do vestuário da jovem Hipérbole
  5. 5. O ideal de mulher petrarquista: Leonor A beleza de Leonor espanta o mundo Perfeita • A mulher como fonte de poder sobre o que a rodeia • A mulher como causa de modificação no mundo que a observa Fisicamente = noção de beleza que «dá graça à fermosura» (v. 16) Moralmente = noção de pureza, prudência e pudor expressa ao longo do poema

×