SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
Baixar para ler offline
IMUNO-HEMATOLOGIA
Sistemas de grupos
sanguíneos
Maria Auxiliadora N Ferreira
DEFINIÇÃO
Estudo e classificação dos grupos sanguíneos através de reações
imunológicas entre antígenos e anticorpos.
HISTÓRICO
• Início do século XX – Landsteiner verifica a incompatibilidade
sanguínea entre as pessoas
•Reação de amostras de sangue de diversas pessoas Aglutinação
• Substâncias do plasma X Substâncias presentes na membrana das
hemácias
•1901, Landsteiner descreveu os tipos A, B e O das hemácias,
posteriormente, Decastello e Sturli descreveram o tipo AB.
Importância na Transfusão:
• Definir o fenótipo, sobretudo ABO e RhD dos doadores e receptores de
sangue.
• Pesquisar a presença de anticorpos no plasma do receptor contra antígenos
presentes na hemácias do doador.
• Evitar a reação transfusional, que pode ser leve a grave, podendo ocasionar a
morte do receptor.
ANTÍGENOS
Substâncias reconhecidas pelo organismo como “não-próprias”, podendo
se ligar especificamente a uma molécula de anticorpo ou receptor de célula
T.
• Antígeno completo ou imunógeno: é capaz de ativar uma resposta
imune.
• Antígeno incompleto: não é capaz de ativar uma resposta imune.
• Antígenos Eritrocitários: antígenos de grupos sanguíneos sendo A, B e
D os principais.
ANTICORPOS OU IMUNOGLOBLULINAS
São substâncias produzidas a partir da ativação dos glóbulos brancos do
sangue (linfócitos B), em resposta à introdução de um dado antígeno.
• Funções:
Ligar-se ao antígeno Neutralização do Ag
Opsonização
Ativação dos FC
Pertencem a fração gama(gamaglobulinas), podendo ser classificadas :
IgG, IgM, IgE, IgA, IgD.
IgM
• Molécula pentamérica
• Capaz de ativar o sistema complemento
• Não atravessa a barreira placentária
• São Ac “frios” (a fixação do Ac sobre o Ag é máxima em baixa
temperatura 4 a 18°C)
IgG
• Principal imunoglobulina sérica (75%)
• Molécula monomérica
• Atravessa a barreira placentária
• São produzidas em respostas secundárias
ANTICORPOS OU IMUNOGLOBLULINAS
• Anticorpos naturais: Ac formados contra antígenos não presentes
no organismo, sem necessidade de contato prévio com o Ag.
Surgem em resposta a antígenos presentes em bactérias e alimentos
com estrutura semelhante a dos grupos sanguíneos.
Ex: Ac sistema ABO (em geral da classe IgM)
• Anticorpos adquiridos: Formam-se após a ativação do sistema
imune.
Ex: Ac adquiridos por resposta imune a transfusão e/ou gravidez.
•Anticorpos irregulares: anticorpos formados a partir da exposição a
um antígeno. A ocorrência não é esperada.
Ex: aloimunização pelo sistema Rh
ANTICORPOS OU IMUNOGLOBLULINAS
• Anticorpos completos: promovem aglutinação de hemácias em meio
salino. Ex: IgM
• Anticorpos incompletos: reagem com antígeno mas não promovem
aglutinação de hemácias. Precisam de um meio artificial que promova a
aglutinação para visualização da reação. Ag-Ac. Ex: IgG
Fenômeno da aglutinação de hemácias
(HEMAGLUTINAÇÃO)
• É a técnica que objetiva detectar e quantificar as
reações Ag-Ac
• A aglutinação das hemácias ocorre quando há uma
diminuição das forças de repulsão das hemácias
TESTE DAANTIGLOBULINA HUMANA (TAG)
• Coombs (1945) : Sensibilização de animais com injeções de imunoglobulinas
humanas. Levando a produção de Ac contra a fração Fc das mesmas.
• Soro de coombs ( Ac contra Ac humanos – antiglobulinas humanas)
Direto- Hemácias sensibilizadas por Ac ou Fc (DHPN)
• Teste da antiglobulina
Indireto- Ac no soro/plasma (identificação de ac irregulares)
Sistema ABO
• Primeiro sistema de grupo sanguíneo a ser descoberto em 1900
• É o principal sistema de grupo sanguíneo
• Os genes ABO localizados no cromossomo 9, tem relação de
codominância. (A1, A2, B,O)
• Gene O é considerado silencioso
• Possui anticorpos de ocorrência “natural”
• Os Ac ABO são dirigidos contra os Ag ausentes nas hemácias do
próprio individuo. São de classe IgM e IgG, ativos a 37oC e
capazes de fixar e ativar o complemento, provocando hemólises
intravasculares severas em casos de incompatibilidades
transfusionais
Antígenos dos sistema ABO
• Presentes na membrana de diversos tecidos
• Encontrados na forma solúvel na saliva, leite, lágrima, urina,
líquido amniótico, etc.
• São produtos secundários dos genes ABO
• Os produtos primários são enzimas (glicosiltransferases) capazes
de adicionar carboidratos sobre uma estrutura precursora na
membrana da hemácia
• A expressão dos genes ABO depende da ação de outro gene, o
gene H (FUT1), localizado no cromossomo 19
Biossíntese dos Ag do sistema ABO
A- Ag H
B- Ag A
C- Ag B
Determinação do fenótipo ABO
• Prova Direta :Detecção de antígenos através do uso de de anti-soros
conhecidos
• Prova Reversa: Detecção de anticorpos através do uso de hemácias
conhecidas
MÉTODOS DE TIPAGEM
TUBOS
GEL CENTRIFUGAÇÃO
MICROPLACAS
Tubo
Mais difundida. Muito utilizada para resolver problemas nos resultados.
Realizada em pipetagem manual e de rotinas pequenas.
Microplaca
Mais utilizada para doadores, pode ser para sistemas automatizados ou
pipetarem manual .
Colunas de aglutinação
Gel centrifugação, para pipetagem manual ou sistema automatizado.
Principais variações das técnicas
TUBOS 15 SEGUNDOS
MICROPLACA 1 a 2 MINUTOS
COLUNA 9 a 10 MINUTOS
Tempo médio de centrifugação
TUBOS 2,5 a 5%
MICROPLACA 1 a 3%
COLUNA 0,8 a 1,2% ou 2,5 a 5%
Concentração da suspensão de hemácias
COMPATIBILIDADE ABO PARA HEMÁCIAS
Sistema Rh
• É o mais complexo sistema de grupos sanguíneos
• Depois do sistema ABO, é o de maior importância clinica
• Sistema composto de aproximadamente 49 antígenos
• Cinco deles (D,E,e,C,c) são responsáveis por 99% dos problemas clínicos
associados ao sistema Rh
• É exclusivamente eritrocitário ( Associado com o citoesqueleto da
membrana pela anquirina e proteína 4.2)
• Produzido a partir 10º semana de vida IU
• Controle da produção das Ptns não glicosadas RH por 2 genes(P34-36)
• O gene RHD codifica a produção da proteína RhD que carreia o antígeno D
• Gene RHCE que possui vários alelos (RHCe, RHcE, RHce, RHCE,) que
codifica a produção da proteína RhCE(CE)
• Indivíduos RhD positivos (genes RHD e RHCE), enquanto os negativos
apresentam somente o gene RHCE
Sistema Rh
HISTÓRICO
•1939 :Levine e Stetson atribuem a causa da eritroblastose fetal de um recém nascido à
atividade de Ac maternos contra suas hemácias;
•1940 : Landsteiner e Wiener produzem por imunização de coelhos com hemácias de
macacos Rhesus , soro Ac capazes de aglutinar 85% das hemácias humanas;
Variantes fenotípicas do Ag D
1)D fraco
• Indivíduos portadores de D fraco apresentam menor expressão de antígenos D
nas hemácias
D normal: 10.000 a 25.000 sítios antigênicos
D fraco: 66 a 5.000 sítios antigênicos
• Variação qualitativa do antígeno RhD que produz uma alteração quantitativa
de sítios antigênicos expressos na membrana eritrocitária.
• Indivíduos com esse fenótipo não produzem anti D caso recebam transfusão
de hemácias D normal.
As hemácias D fraco são consideradas como Rh POSITIVO, podendo
provocar aloimunizações transfusional ou feto-materna
2)D Parcial
• Caracterizados pela ausência de um ou mais epítopos do antígeno
D que foram substituídos por epítopos da proteína CcEe
• Alteração qualitativa da proteína RhD na porção extracelular
• Produção de anticorpos anti-D contra as subunidades ausentes.
Anticorpos Rh
• Aloimunização por transfusão sanguínea ou gestação
• Classe IgG
• Responsáveis pela doença hemolítica do recém- nascido
• Clinicamente significativos
• Reagem otimamente a 37°C
• Não fixam complemento
• Hemólise extravascular
• Reação transfusional hemolítica retardada
• Uma vez formados, persistem por vários anos
Doença hemolítica Perinatal(DHPN)
1) Aloimunização materna
2) Incompatibilidade ABO entre Ag ABO fetais e os Ac naturais maternos
Condição: pai Rh+, mãe Rh- e filho Rh+.
1) Mãe Rh- é sensibilizada (exposta ao fator Rh por uma transfusão ou
primeira gestação de filho Rh +)
2) Mãe começa a produzir anti Rh
3) Em uma segunda gestação de filho Rh +, os anti Rh produzidos
passarão através da placenta atingindo o sangue da criança Rh+.
Ocorrerá a destruição das hemácias do feto (icterícia, anemia
hemolítica, insuficiência hepática, hepatoesplenomegalia e liberação
de eritroblastos).
DHPN
Procedimento após o parto
Administração de injeção intravenosa com anticorpos anti-Rh que
provocarão a destruição das hemácias fetais presentes na circulação
sanguínea materna.
Outros sistemas de grupos sanguíneos
de importância transfusional
Sistema Lewis – LE
•Sistema composto por 6 antígenos:
–Lea
–Leb
–Leab
–LebH
–ALeb
–BLeb
Sistema Lewis - LE
•Nome do gene: FUT3 (gene Lewis)
•Gene associado: FUT2 (gene secretor não ativo no eritroblasto )
•Genes herdados independentemente.
•Antígenos presentes nas hemácias e membranas de diversos
tecidos – considerados antígenos de histocompatibilidade
• Os genes FUT2 e FUT3 produzem enzimas
(fucosiltransferases) que atuam sobre a mesma substância de
base , produzindo as Ag Lea e H, respectivamente
Gene FUT 3 produz fucosiltransferase capaz de colocar uma fucose no N-acetil
glucosamina para produção do Ag Lea
Gene FUT 2 (secretor- Se) produz fucosiltransferase capaz de colocar uma fucose
na Galactose para produção do produzindo ag H solúvel
Sistema Lewis - LE
•Anticorpos
–IgM
–Não ocasionam a DHPN
•Hemácias fetais não expressam antígenos Lewis
• São capazes de fixar complemento e causar quadro
hemolítico grave
Sistema MNS
•Sistema formado por 43 antígenos
•Antígenos bem desenvolvidos ao nascimento
•Restritos a linhagem eritróide
•Associados a sialoglicoproteínas de membrana
(SGP)
–GPA e GPB transmembranas
•Função biológica:
–Manutenção do potencial zeta
Sistema MNS
•Anticorpos anti- M e anti-N:
–raramente causam DHPN
•Anticorpos anti-S e anti-s
–clinicamente significativos
–Produzem aloimunizações
OBRIGADA!!
Email:Camila.gil.pat@Hotmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Tipagem sanguinea
Tipagem sanguineaTipagem sanguinea
Tipagem sanguinea
 
Coleta, transporte e conservação de amostras em
Coleta, transporte e conservação de amostras emColeta, transporte e conservação de amostras em
Coleta, transporte e conservação de amostras em
 
07 coleta de materiais.
07 coleta de materiais.07 coleta de materiais.
07 coleta de materiais.
 
1. coleta de sangue
1. coleta de sangue1. coleta de sangue
1. coleta de sangue
 
Sistema abo e fator rh
Sistema abo e fator rhSistema abo e fator rh
Sistema abo e fator rh
 
Aula de Instrumentação Biomédica sobre Coleta e Amostras
Aula de Instrumentação Biomédica sobre Coleta e AmostrasAula de Instrumentação Biomédica sobre Coleta e Amostras
Aula de Instrumentação Biomédica sobre Coleta e Amostras
 
Imunologia - Casos Clínicos
Imunologia - Casos ClínicosImunologia - Casos Clínicos
Imunologia - Casos Clínicos
 
Disfunções hematológicas - anemias - leucemia - homofilia
Disfunções hematológicas - anemias - leucemia - homofiliaDisfunções hematológicas - anemias - leucemia - homofilia
Disfunções hematológicas - anemias - leucemia - homofilia
 
Slide 1 Aula 1 Hematologia
Slide 1   Aula 1 HematologiaSlide 1   Aula 1 Hematologia
Slide 1 Aula 1 Hematologia
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
 
Introdução a análises clínicas
Introdução a análises clínicasIntrodução a análises clínicas
Introdução a análises clínicas
 
Princípios do diagnóstico microbiológico
Princípios do diagnóstico microbiológicoPrincípios do diagnóstico microbiológico
Princípios do diagnóstico microbiológico
 
Sistema ABO
Sistema ABOSistema ABO
Sistema ABO
 
Hemotransfusão
Hemotransfusão Hemotransfusão
Hemotransfusão
 
Apresentação anemia
Apresentação anemiaApresentação anemia
Apresentação anemia
 
Sistema abo e fator rh
Sistema abo e fator rhSistema abo e fator rh
Sistema abo e fator rh
 
Talassemia Alfa
Talassemia AlfaTalassemia Alfa
Talassemia Alfa
 
Hemoglobinopatias
HemoglobinopatiasHemoglobinopatias
Hemoglobinopatias
 
Sistema hematológico
Sistema hematológicoSistema hematológico
Sistema hematológico
 
Sistema abo --
Sistema abo --Sistema abo --
Sistema abo --
 

Semelhante a Sistemas de Grupos Sanguíneos: ABO, Rh e Outros

Sangue e Sistema abo
Sangue e Sistema aboSangue e Sistema abo
Sangue e Sistema aboaferna
 
Adaptações Pedagógicas - Biologia - Deficientes Visuais
Adaptações Pedagógicas - Biologia - Deficientes VisuaisAdaptações Pedagógicas - Biologia - Deficientes Visuais
Adaptações Pedagógicas - Biologia - Deficientes VisuaisGlauber Eduardo Aragon Pereira
 
3S alelos múltiplos e Sistemas sanguineos abril 2015
3S alelos múltiplos e Sistemas sanguineos  abril 20153S alelos múltiplos e Sistemas sanguineos  abril 2015
3S alelos múltiplos e Sistemas sanguineos abril 2015Ionara Urrutia Moura
 
PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013
PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013
PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013Ionara Urrutia Moura
 
3 s alelos múltiplos e tipagem sanguinea_15_abril_2013
3 s alelos múltiplos e tipagem sanguinea_15_abril_20133 s alelos múltiplos e tipagem sanguinea_15_abril_2013
3 s alelos múltiplos e tipagem sanguinea_15_abril_2013CotucaAmbiental
 
Sistema abo
Sistema aboSistema abo
Sistema aboletyap
 
Imunohematologia e-sistema-abo-731041
Imunohematologia e-sistema-abo-731041Imunohematologia e-sistema-abo-731041
Imunohematologia e-sistema-abo-731041Jhon Almeida
 
Seminário_CETAM.pptx
Seminário_CETAM.pptxSeminário_CETAM.pptx
Seminário_CETAM.pptxkawannycastro
 
SLAID SOBRE GRUPOS SANGUINES E SISTEMA ABO.pptx
SLAID SOBRE GRUPOS SANGUINES E SISTEMA ABO.pptxSLAID SOBRE GRUPOS SANGUINES E SISTEMA ABO.pptx
SLAID SOBRE GRUPOS SANGUINES E SISTEMA ABO.pptxcristinanatasha
 
Polialelia e herança dos grupos sanguíneos
Polialelia e herança dos grupos sanguíneosPolialelia e herança dos grupos sanguíneos
Polialelia e herança dos grupos sanguíneosIsaque Marques Pascoal
 

Semelhante a Sistemas de Grupos Sanguíneos: ABO, Rh e Outros (20)

Sangue e Sistema abo
Sangue e Sistema aboSangue e Sistema abo
Sangue e Sistema abo
 
Adaptações Pedagógicas - Biologia - Deficientes Visuais
Adaptações Pedagógicas - Biologia - Deficientes VisuaisAdaptações Pedagógicas - Biologia - Deficientes Visuais
Adaptações Pedagógicas - Biologia - Deficientes Visuais
 
3S alelos múltiplos e Sistemas sanguineos abril 2015
3S alelos múltiplos e Sistemas sanguineos  abril 20153S alelos múltiplos e Sistemas sanguineos  abril 2015
3S alelos múltiplos e Sistemas sanguineos abril 2015
 
PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013
PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013
PARA 3S _ AULA 1 DO SEGUNDO BIMESTRE alelos múltiplos e abo abril 2013
 
3 s alelos múltiplos e tipagem sanguinea_15_abril_2013
3 s alelos múltiplos e tipagem sanguinea_15_abril_20133 s alelos múltiplos e tipagem sanguinea_15_abril_2013
3 s alelos múltiplos e tipagem sanguinea_15_abril_2013
 
Aula 14 sistema abo
Aula 14   sistema aboAula 14   sistema abo
Aula 14 sistema abo
 
Grupos sanguineos
Grupos sanguineosGrupos sanguineos
Grupos sanguineos
 
Codominancia
CodominanciaCodominancia
Codominancia
 
Sistema abo
Sistema aboSistema abo
Sistema abo
 
Alelos múltiplos
Alelos múltiplosAlelos múltiplos
Alelos múltiplos
 
Sistema ABO e Fator Rh.pdf
Sistema ABO e Fator Rh.pdfSistema ABO e Fator Rh.pdf
Sistema ABO e Fator Rh.pdf
 
Grupos sanguíneos
Grupos sanguíneosGrupos sanguíneos
Grupos sanguíneos
 
Imunohematologia e-sistema-abo-731041
Imunohematologia e-sistema-abo-731041Imunohematologia e-sistema-abo-731041
Imunohematologia e-sistema-abo-731041
 
Seminário_CETAM.pptx
Seminário_CETAM.pptxSeminário_CETAM.pptx
Seminário_CETAM.pptx
 
SLAID SOBRE GRUPOS SANGUINES E SISTEMA ABO.pptx
SLAID SOBRE GRUPOS SANGUINES E SISTEMA ABO.pptxSLAID SOBRE GRUPOS SANGUINES E SISTEMA ABO.pptx
SLAID SOBRE GRUPOS SANGUINES E SISTEMA ABO.pptx
 
sistema.pptx
sistema.pptxsistema.pptx
sistema.pptx
 
Genética 2 aula
Genética 2 aulaGenética 2 aula
Genética 2 aula
 
Hemoterapia no Ensino de Ciências
Hemoterapia no Ensino de CiênciasHemoterapia no Ensino de Ciências
Hemoterapia no Ensino de Ciências
 
Hemoterapia no Ensino de Ciências
Hemoterapia no Ensino de CiênciasHemoterapia no Ensino de Ciências
Hemoterapia no Ensino de Ciências
 
Polialelia e herança dos grupos sanguíneos
Polialelia e herança dos grupos sanguíneosPolialelia e herança dos grupos sanguíneos
Polialelia e herança dos grupos sanguíneos
 

Último

Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 

Último (20)

Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 

Sistemas de Grupos Sanguíneos: ABO, Rh e Outros

  • 2. DEFINIÇÃO Estudo e classificação dos grupos sanguíneos através de reações imunológicas entre antígenos e anticorpos.
  • 3. HISTÓRICO • Início do século XX – Landsteiner verifica a incompatibilidade sanguínea entre as pessoas •Reação de amostras de sangue de diversas pessoas Aglutinação • Substâncias do plasma X Substâncias presentes na membrana das hemácias •1901, Landsteiner descreveu os tipos A, B e O das hemácias, posteriormente, Decastello e Sturli descreveram o tipo AB.
  • 4. Importância na Transfusão: • Definir o fenótipo, sobretudo ABO e RhD dos doadores e receptores de sangue. • Pesquisar a presença de anticorpos no plasma do receptor contra antígenos presentes na hemácias do doador. • Evitar a reação transfusional, que pode ser leve a grave, podendo ocasionar a morte do receptor.
  • 5. ANTÍGENOS Substâncias reconhecidas pelo organismo como “não-próprias”, podendo se ligar especificamente a uma molécula de anticorpo ou receptor de célula T. • Antígeno completo ou imunógeno: é capaz de ativar uma resposta imune. • Antígeno incompleto: não é capaz de ativar uma resposta imune. • Antígenos Eritrocitários: antígenos de grupos sanguíneos sendo A, B e D os principais.
  • 6. ANTICORPOS OU IMUNOGLOBLULINAS São substâncias produzidas a partir da ativação dos glóbulos brancos do sangue (linfócitos B), em resposta à introdução de um dado antígeno. • Funções: Ligar-se ao antígeno Neutralização do Ag Opsonização Ativação dos FC
  • 7. Pertencem a fração gama(gamaglobulinas), podendo ser classificadas : IgG, IgM, IgE, IgA, IgD. IgM • Molécula pentamérica • Capaz de ativar o sistema complemento • Não atravessa a barreira placentária • São Ac “frios” (a fixação do Ac sobre o Ag é máxima em baixa temperatura 4 a 18°C) IgG • Principal imunoglobulina sérica (75%) • Molécula monomérica • Atravessa a barreira placentária • São produzidas em respostas secundárias
  • 8. ANTICORPOS OU IMUNOGLOBLULINAS • Anticorpos naturais: Ac formados contra antígenos não presentes no organismo, sem necessidade de contato prévio com o Ag. Surgem em resposta a antígenos presentes em bactérias e alimentos com estrutura semelhante a dos grupos sanguíneos. Ex: Ac sistema ABO (em geral da classe IgM) • Anticorpos adquiridos: Formam-se após a ativação do sistema imune. Ex: Ac adquiridos por resposta imune a transfusão e/ou gravidez. •Anticorpos irregulares: anticorpos formados a partir da exposição a um antígeno. A ocorrência não é esperada. Ex: aloimunização pelo sistema Rh
  • 9. ANTICORPOS OU IMUNOGLOBLULINAS • Anticorpos completos: promovem aglutinação de hemácias em meio salino. Ex: IgM • Anticorpos incompletos: reagem com antígeno mas não promovem aglutinação de hemácias. Precisam de um meio artificial que promova a aglutinação para visualização da reação. Ag-Ac. Ex: IgG
  • 10. Fenômeno da aglutinação de hemácias (HEMAGLUTINAÇÃO) • É a técnica que objetiva detectar e quantificar as reações Ag-Ac • A aglutinação das hemácias ocorre quando há uma diminuição das forças de repulsão das hemácias
  • 11. TESTE DAANTIGLOBULINA HUMANA (TAG) • Coombs (1945) : Sensibilização de animais com injeções de imunoglobulinas humanas. Levando a produção de Ac contra a fração Fc das mesmas. • Soro de coombs ( Ac contra Ac humanos – antiglobulinas humanas) Direto- Hemácias sensibilizadas por Ac ou Fc (DHPN) • Teste da antiglobulina Indireto- Ac no soro/plasma (identificação de ac irregulares)
  • 12. Sistema ABO • Primeiro sistema de grupo sanguíneo a ser descoberto em 1900 • É o principal sistema de grupo sanguíneo • Os genes ABO localizados no cromossomo 9, tem relação de codominância. (A1, A2, B,O) • Gene O é considerado silencioso • Possui anticorpos de ocorrência “natural” • Os Ac ABO são dirigidos contra os Ag ausentes nas hemácias do próprio individuo. São de classe IgM e IgG, ativos a 37oC e capazes de fixar e ativar o complemento, provocando hemólises intravasculares severas em casos de incompatibilidades transfusionais
  • 13. Antígenos dos sistema ABO • Presentes na membrana de diversos tecidos • Encontrados na forma solúvel na saliva, leite, lágrima, urina, líquido amniótico, etc. • São produtos secundários dos genes ABO • Os produtos primários são enzimas (glicosiltransferases) capazes de adicionar carboidratos sobre uma estrutura precursora na membrana da hemácia • A expressão dos genes ABO depende da ação de outro gene, o gene H (FUT1), localizado no cromossomo 19
  • 14. Biossíntese dos Ag do sistema ABO A- Ag H B- Ag A C- Ag B
  • 15.
  • 16. Determinação do fenótipo ABO • Prova Direta :Detecção de antígenos através do uso de de anti-soros conhecidos • Prova Reversa: Detecção de anticorpos através do uso de hemácias conhecidas
  • 17. MÉTODOS DE TIPAGEM TUBOS GEL CENTRIFUGAÇÃO MICROPLACAS
  • 18. Tubo Mais difundida. Muito utilizada para resolver problemas nos resultados. Realizada em pipetagem manual e de rotinas pequenas.
  • 19. Microplaca Mais utilizada para doadores, pode ser para sistemas automatizados ou pipetarem manual .
  • 20. Colunas de aglutinação Gel centrifugação, para pipetagem manual ou sistema automatizado.
  • 21. Principais variações das técnicas TUBOS 15 SEGUNDOS MICROPLACA 1 a 2 MINUTOS COLUNA 9 a 10 MINUTOS Tempo médio de centrifugação TUBOS 2,5 a 5% MICROPLACA 1 a 3% COLUNA 0,8 a 1,2% ou 2,5 a 5% Concentração da suspensão de hemácias
  • 23. Sistema Rh • É o mais complexo sistema de grupos sanguíneos • Depois do sistema ABO, é o de maior importância clinica • Sistema composto de aproximadamente 49 antígenos • Cinco deles (D,E,e,C,c) são responsáveis por 99% dos problemas clínicos associados ao sistema Rh • É exclusivamente eritrocitário ( Associado com o citoesqueleto da membrana pela anquirina e proteína 4.2) • Produzido a partir 10º semana de vida IU
  • 24. • Controle da produção das Ptns não glicosadas RH por 2 genes(P34-36) • O gene RHD codifica a produção da proteína RhD que carreia o antígeno D • Gene RHCE que possui vários alelos (RHCe, RHcE, RHce, RHCE,) que codifica a produção da proteína RhCE(CE) • Indivíduos RhD positivos (genes RHD e RHCE), enquanto os negativos apresentam somente o gene RHCE Sistema Rh
  • 25. HISTÓRICO •1939 :Levine e Stetson atribuem a causa da eritroblastose fetal de um recém nascido à atividade de Ac maternos contra suas hemácias; •1940 : Landsteiner e Wiener produzem por imunização de coelhos com hemácias de macacos Rhesus , soro Ac capazes de aglutinar 85% das hemácias humanas;
  • 26. Variantes fenotípicas do Ag D 1)D fraco • Indivíduos portadores de D fraco apresentam menor expressão de antígenos D nas hemácias D normal: 10.000 a 25.000 sítios antigênicos D fraco: 66 a 5.000 sítios antigênicos • Variação qualitativa do antígeno RhD que produz uma alteração quantitativa de sítios antigênicos expressos na membrana eritrocitária. • Indivíduos com esse fenótipo não produzem anti D caso recebam transfusão de hemácias D normal. As hemácias D fraco são consideradas como Rh POSITIVO, podendo provocar aloimunizações transfusional ou feto-materna
  • 27. 2)D Parcial • Caracterizados pela ausência de um ou mais epítopos do antígeno D que foram substituídos por epítopos da proteína CcEe • Alteração qualitativa da proteína RhD na porção extracelular • Produção de anticorpos anti-D contra as subunidades ausentes.
  • 28. Anticorpos Rh • Aloimunização por transfusão sanguínea ou gestação • Classe IgG • Responsáveis pela doença hemolítica do recém- nascido • Clinicamente significativos • Reagem otimamente a 37°C • Não fixam complemento • Hemólise extravascular • Reação transfusional hemolítica retardada • Uma vez formados, persistem por vários anos
  • 29. Doença hemolítica Perinatal(DHPN) 1) Aloimunização materna 2) Incompatibilidade ABO entre Ag ABO fetais e os Ac naturais maternos
  • 30. Condição: pai Rh+, mãe Rh- e filho Rh+. 1) Mãe Rh- é sensibilizada (exposta ao fator Rh por uma transfusão ou primeira gestação de filho Rh +) 2) Mãe começa a produzir anti Rh 3) Em uma segunda gestação de filho Rh +, os anti Rh produzidos passarão através da placenta atingindo o sangue da criança Rh+. Ocorrerá a destruição das hemácias do feto (icterícia, anemia hemolítica, insuficiência hepática, hepatoesplenomegalia e liberação de eritroblastos). DHPN
  • 31.
  • 32. Procedimento após o parto Administração de injeção intravenosa com anticorpos anti-Rh que provocarão a destruição das hemácias fetais presentes na circulação sanguínea materna.
  • 33. Outros sistemas de grupos sanguíneos de importância transfusional
  • 34. Sistema Lewis – LE •Sistema composto por 6 antígenos: –Lea –Leb –Leab –LebH –ALeb –BLeb
  • 35. Sistema Lewis - LE •Nome do gene: FUT3 (gene Lewis) •Gene associado: FUT2 (gene secretor não ativo no eritroblasto ) •Genes herdados independentemente. •Antígenos presentes nas hemácias e membranas de diversos tecidos – considerados antígenos de histocompatibilidade • Os genes FUT2 e FUT3 produzem enzimas (fucosiltransferases) que atuam sobre a mesma substância de base , produzindo as Ag Lea e H, respectivamente
  • 36. Gene FUT 3 produz fucosiltransferase capaz de colocar uma fucose no N-acetil glucosamina para produção do Ag Lea Gene FUT 2 (secretor- Se) produz fucosiltransferase capaz de colocar uma fucose na Galactose para produção do produzindo ag H solúvel
  • 37. Sistema Lewis - LE •Anticorpos –IgM –Não ocasionam a DHPN •Hemácias fetais não expressam antígenos Lewis • São capazes de fixar complemento e causar quadro hemolítico grave
  • 38. Sistema MNS •Sistema formado por 43 antígenos •Antígenos bem desenvolvidos ao nascimento •Restritos a linhagem eritróide •Associados a sialoglicoproteínas de membrana (SGP) –GPA e GPB transmembranas •Função biológica: –Manutenção do potencial zeta
  • 39. Sistema MNS •Anticorpos anti- M e anti-N: –raramente causam DHPN •Anticorpos anti-S e anti-s –clinicamente significativos –Produzem aloimunizações