SlideShare uma empresa Scribd logo

Camoes

1 de 10
MEDIDA NOVA – CAMÕES
ESCOLA SECUNDÁRIA EMÍDIO NAVARRO
PORTUGUÊS
ANO LECTIVO 2010/2011




                                   Trabalho realizado por : Luís Nº18
                                                             Margarida
                                   Nº19
                                                             Maria Nº20
INTRODUÇÃO
   Foi-nos proposto um trabalho, pela Professora
    Etelvina Milheiro, com o tema “Medida Nova”, no
    âmbito da disciplina de Português.



   Com este trabalho tentaremos aprofundar os
    nossos conhecimentos sobre     Luís Vaz de
    Camões, um dos maiores poetas renascentistas.
    E perceber a estrutura de versificação que
    caracteriza a “Medida Nova”.
LUÍS VAZ DE CAMÕES


    Luís Vaz de Camões, célebre poeta português, um dos
     maiores vultos da literatura portuguesa, nascido por volta de
     1524/1525.
    Pensa-se que estudou Literatura e Filosofia em
     Coimbra, tendo tido como protector o seu tio paterno, D.
     Bento de Camões, frade de Santa Cruz e chanceler da
     Universidade. Tudo parece indicar que pertencia à pequena
     nobreza.
    Morreu a 10 de Junho de 1580, em Lisboa.
RENASCIMENTO
   Movimento cultural que surgiu em Itália, no
    século XV, prolongando-se até ao século
    XVII, e que teve o seu apogeu entre 1495 e
    1520.

   Resultante de um conjunto de transformações
    sociais, culturais económicas.

   Em termos artísticos, o renascimento
    caracteriza-se por uma forte tendência
    naturalista. Os novos conhecimentos da
    anatomia,     fisiologia   são    prontamente
    incorporados, possibilitando, por exemplo, a
    representação do volume no plano

   Caracterizado pela retoma dos valores da
    cultura greco-romana ( Classicismo), visa a
    aceitação das formas artísticas greco-latinas e
    a assimilação do espírito que os anima.
CLASSICISMO
O classicismo/ quinhentismo é um movimento cultural que valoriza
e resgata elementos artísticos da cultura clássica (greco-romana).
Em Portugal , o Quinhentismo) teve início em 1527 , quando do retorno do poeta
Sá de Miranda de Itália. Na bagagem , trazia novas técnicas versificatórias . Além
de introduzir no país o decassílabo ( medida nova ) em oposição à redondilha
medieval ( 5 ou 7 sílabas ) , que passou a ser chamada de medida velha , trouxe
uma nova conceituação artística . Devemos entender , portanto , que Sá de
Miranda não trouxe para Portugal apenas um verso de medida diferente , mas um
gosto poético mais refinado .
Juntamente com o decassílabo , passaram a ser cultivadas novas formas fixas de
poesia , como o soneto ( 2 quadras e tercetos ) , a ode ( poesia de exaltação ) , a
écloga ( que personifica o amor pastoril ) , a elegia ( revelação de sentimentos
tristes) , a epístola ( carta em versos ) . É preciso lembrar que a substituição do
verso redondilha (medida velha ) , característico da Idade Média , pelo
decassílabo          (medida nova ) não se deu de forma imediata , pois ambas as
medidas conviveram por grande parte do século XVI .
CLASSICISMO - MEDIDA NOVA
   O verso de dez sílabas ou decassílabo chama-se também medida nova por
    oposição à medida velha ou verso de redondilha usado na poesia tradicional.
    Camões tanto escreveu com verso de redondilha maior e menor ( medida
    velha) nos seus vilancetes e cantigas, como usou a medida nova nos seus
    sonetos, odes, nas canções e na epopeia “Os Lusíadas”, é escrito em verso
    decassilábico heróico.

Recomendados

Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesCrónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesGijasilvelitz 2
 
Luís de Camões_Rimas_Síntese_Porto Editora
Luís de Camões_Rimas_Síntese_Porto EditoraLuís de Camões_Rimas_Síntese_Porto Editora
Luís de Camões_Rimas_Síntese_Porto Editoraana salema
 
Mudam-se os tempos
Mudam-se os temposMudam-se os tempos
Mudam-se os temposMaria Góis
 
Frei Luís de Sousa (Almeida Garrett)
Frei Luís de Sousa (Almeida Garrett) Frei Luís de Sousa (Almeida Garrett)
Frei Luís de Sousa (Almeida Garrett) BrunaDinis
 
Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Lurdes Augusto
 
Amor de perdição algumas notas
Amor de perdição   algumas notasAmor de perdição   algumas notas
Amor de perdição algumas notasBruno Duarte
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - MensagemIga Almeida
 
Resumo de matéria de História 10º ano
Resumo de matéria de História 10º anoResumo de matéria de História 10º ano
Resumo de matéria de História 10º anojorgina8
 
Teste fernando pessoa
Teste fernando pessoaTeste fernando pessoa
Teste fernando pessoaAna Acciaioli
 
Uma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição deUma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição deFernanda Pantoja
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousaAnaGomes40
 
Eugénio de Andrade e Augusto de Campos
Eugénio de Andrade e Augusto de CamposEugénio de Andrade e Augusto de Campos
Eugénio de Andrade e Augusto de CamposRosário Cunha
 
Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)
Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)
Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)lurdesmartins
 
Um auto de gil vicente resumo por ato e cena
Um auto de gil vicente   resumo por ato e cenaUm auto de gil vicente   resumo por ato e cena
Um auto de gil vicente resumo por ato e cenaHelena Coutinho
 
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os LusíadasOs Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os LusíadasMaria Gomes
 
Análise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - Ortónimo
Análise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - OrtónimoAnálise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - Ortónimo
Análise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - OrtónimoJoão Barreira
 
Teste de História 10ºano - Grécia Antiga
Teste de História 10ºano - Grécia AntigaTeste de História 10ºano - Grécia Antiga
Teste de História 10ºano - Grécia AntigaZé Mário
 
Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição - Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição - Camilo Castelo BrancoClaudia Ribeiro
 
Sonetos de camões
Sonetos de camões Sonetos de camões
Sonetos de camões TVUERJ
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoRaffaella Ergün
 

Mais procurados (20)

"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem
 
Lusiadas 10º ano
Lusiadas 10º anoLusiadas 10º ano
Lusiadas 10º ano
 
Oracoes subordinadas
Oracoes subordinadasOracoes subordinadas
Oracoes subordinadas
 
Os Planos d'Os Lusíadas
Os Planos d'Os LusíadasOs Planos d'Os Lusíadas
Os Planos d'Os Lusíadas
 
Resumo de matéria de História 10º ano
Resumo de matéria de História 10º anoResumo de matéria de História 10º ano
Resumo de matéria de História 10º ano
 
Teste fernando pessoa
Teste fernando pessoaTeste fernando pessoa
Teste fernando pessoa
 
Uma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição deUma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição de
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 
Eugénio de Andrade e Augusto de Campos
Eugénio de Andrade e Augusto de CamposEugénio de Andrade e Augusto de Campos
Eugénio de Andrade e Augusto de Campos
 
Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)
Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)
Os Lusíadas - epopeia e estrutura (revisões)
 
Os Lusíadas - Canto VII
Os Lusíadas -  Canto VIIOs Lusíadas -  Canto VII
Os Lusíadas - Canto VII
 
Um auto de gil vicente resumo por ato e cena
Um auto de gil vicente   resumo por ato e cenaUm auto de gil vicente   resumo por ato e cena
Um auto de gil vicente resumo por ato e cena
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os LusíadasOs Dez Cantos d´Os Lusíadas
Os Dez Cantos d´Os Lusíadas
 
Análise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - Ortónimo
Análise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - OrtónimoAnálise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - Ortónimo
Análise do poema "O menino de sua mãe", de Fernando Pessoa - Ortónimo
 
Teste de História 10ºano - Grécia Antiga
Teste de História 10ºano - Grécia AntigaTeste de História 10ºano - Grécia Antiga
Teste de História 10ºano - Grécia Antiga
 
Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição - Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco
 
Sonetos de camões
Sonetos de camões Sonetos de camões
Sonetos de camões
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões lírico
 

Destaque (12)

Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Camões lírico: vida obra
Camões lírico: vida obraCamões lírico: vida obra
Camões lírico: vida obra
 
Luís vaz de camões
Luís vaz de camõesLuís vaz de camões
Luís vaz de camões
 
Proposição
ProposiçãoProposição
Proposição
 
Invocação e Dedicarória
Invocação e DedicaróriaInvocação e Dedicarória
Invocação e Dedicarória
 
Tudo sobre "Os lusíadas"
Tudo sobre "Os lusíadas"Tudo sobre "Os lusíadas"
Tudo sobre "Os lusíadas"
 
Os Lusíadas: sistematização dos Cantos
Os Lusíadas: sistematização dos CantosOs Lusíadas: sistematização dos Cantos
Os Lusíadas: sistematização dos Cantos
 
Lírica camoniana
Lírica camonianaLírica camoniana
Lírica camoniana
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
 
O Principezinho
O PrincipezinhoO Principezinho
O Principezinho
 
Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas
 
Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)
 

Semelhante a Camoes

Liricacamoniana (1)
Liricacamoniana (1)Liricacamoniana (1)
Liricacamoniana (1)ritaamelo21
 
O classicismo em portugal
O classicismo em portugalO classicismo em portugal
O classicismo em portugalma.no.el.ne.ves
 
A literatura romântica.
A literatura romântica.A literatura romântica.
A literatura romântica.Vanuza Duarte
 
Quinhentismo-Lista-de-Exercicios-Literatura-ENEM (1).pdf
Quinhentismo-Lista-de-Exercicios-Literatura-ENEM (1).pdfQuinhentismo-Lista-de-Exercicios-Literatura-ENEM (1).pdf
Quinhentismo-Lista-de-Exercicios-Literatura-ENEM (1).pdfCyntiaJorge
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana SofiaJoana Azevedo
 
Cesario e-pessoa-a-caracter-deambulatorio-das-respetivas-obras-poeticas-e-cen...
Cesario e-pessoa-a-caracter-deambulatorio-das-respetivas-obras-poeticas-e-cen...Cesario e-pessoa-a-caracter-deambulatorio-das-respetivas-obras-poeticas-e-cen...
Cesario e-pessoa-a-caracter-deambulatorio-das-respetivas-obras-poeticas-e-cen...sandraguerin6
 
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portuguesesHerança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portuguesesCiceroMarcosSantos1
 
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo CompletoRomantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo CompletoFaell Vasconcelos
 

Semelhante a Camoes (20)

Liricacamoniana
LiricacamonianaLiricacamoniana
Liricacamoniana
 
Liricacamoniana (1)
Liricacamoniana (1)Liricacamoniana (1)
Liricacamoniana (1)
 
Eugênio de castro
Eugênio de castroEugênio de castro
Eugênio de castro
 
Vida de camões
Vida de camõesVida de camões
Vida de camões
 
O classicismo em portugal
O classicismo em portugalO classicismo em portugal
O classicismo em portugal
 
Aula 03 classicismo
Aula 03   classicismoAula 03   classicismo
Aula 03 classicismo
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
A literatura romântica..ppt
A literatura romântica..pptA literatura romântica..ppt
A literatura romântica..ppt
 
A literatura romântica.
A literatura romântica.A literatura romântica.
A literatura romântica.
 
A literatura romântica..ppt
A literatura romântica..pptA literatura romântica..ppt
A literatura romântica..ppt
 
Trovadorismo (2)
Trovadorismo (2)Trovadorismo (2)
Trovadorismo (2)
 
Quinhentismo-Lista-de-Exercicios-Literatura-ENEM (1).pdf
Quinhentismo-Lista-de-Exercicios-Literatura-ENEM (1).pdfQuinhentismo-Lista-de-Exercicios-Literatura-ENEM (1).pdf
Quinhentismo-Lista-de-Exercicios-Literatura-ENEM (1).pdf
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
 
Cesario e-pessoa-a-caracter-deambulatorio-das-respetivas-obras-poeticas-e-cen...
Cesario e-pessoa-a-caracter-deambulatorio-das-respetivas-obras-poeticas-e-cen...Cesario e-pessoa-a-caracter-deambulatorio-das-respetivas-obras-poeticas-e-cen...
Cesario e-pessoa-a-caracter-deambulatorio-das-respetivas-obras-poeticas-e-cen...
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
Luís Vaz de Camões
Luís Vaz de CamõesLuís Vaz de Camões
Luís Vaz de Camões
 
Classicismo
Classicismo Classicismo
Classicismo
 
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portuguesesHerança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
 
Barroco 2.0
Barroco 2.0Barroco 2.0
Barroco 2.0
 
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo CompletoRomantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
 

Mais de Margarida Rodrigues (20)

3D bioprinting
3D bioprinting3D bioprinting
3D bioprinting
 
Microbial Production of 1,3-Propanediol
Microbial Production of 1,3-PropanediolMicrobial Production of 1,3-Propanediol
Microbial Production of 1,3-Propanediol
 
DNA fingerprint
DNA fingerprintDNA fingerprint
DNA fingerprint
 
Produção microbiana de óleos e gorduras
Produção microbiana de óleos e gordurasProdução microbiana de óleos e gorduras
Produção microbiana de óleos e gorduras
 
Produção de óleos e gorduras via microbiana
Produção de óleos e gorduras via microbianaProdução de óleos e gorduras via microbiana
Produção de óleos e gorduras via microbiana
 
Manipulação de DNA
Manipulação de DNAManipulação de DNA
Manipulação de DNA
 
Doenças auto-imunes
Doenças auto-imunes Doenças auto-imunes
Doenças auto-imunes
 
Educação Física
Educação FísicaEducação Física
Educação Física
 
Os Lusíadas
Os Lusíadas Os Lusíadas
Os Lusíadas
 
Fernando Pessoa e heterónimos
Fernando Pessoa e heterónimosFernando Pessoa e heterónimos
Fernando Pessoa e heterónimos
 
Análise de poemas de Fernando Pessoa
Análise de poemas de Fernando PessoaAnálise de poemas de Fernando Pessoa
Análise de poemas de Fernando Pessoa
 
Fernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-OrtónimoFernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-Ortónimo
 
combustíveis fosséis
combustíveis fosséiscombustíveis fosséis
combustíveis fosséis
 
Ciência com consciencia
Ciência com conscienciaCiência com consciencia
Ciência com consciencia
 
Conceito de base
Conceito de baseConceito de base
Conceito de base
 
Processo de haber
Processo de haberProcesso de haber
Processo de haber
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 
Cenáculo
CenáculoCenáculo
Cenáculo
 
Gymmmm
GymmmmGymmmm
Gymmmm
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 

Camoes

  • 1. MEDIDA NOVA – CAMÕES ESCOLA SECUNDÁRIA EMÍDIO NAVARRO PORTUGUÊS ANO LECTIVO 2010/2011 Trabalho realizado por : Luís Nº18 Margarida Nº19 Maria Nº20
  • 2. INTRODUÇÃO  Foi-nos proposto um trabalho, pela Professora Etelvina Milheiro, com o tema “Medida Nova”, no âmbito da disciplina de Português.  Com este trabalho tentaremos aprofundar os nossos conhecimentos sobre Luís Vaz de Camões, um dos maiores poetas renascentistas. E perceber a estrutura de versificação que caracteriza a “Medida Nova”.
  • 3. LUÍS VAZ DE CAMÕES  Luís Vaz de Camões, célebre poeta português, um dos maiores vultos da literatura portuguesa, nascido por volta de 1524/1525.  Pensa-se que estudou Literatura e Filosofia em Coimbra, tendo tido como protector o seu tio paterno, D. Bento de Camões, frade de Santa Cruz e chanceler da Universidade. Tudo parece indicar que pertencia à pequena nobreza.  Morreu a 10 de Junho de 1580, em Lisboa.
  • 4. RENASCIMENTO  Movimento cultural que surgiu em Itália, no século XV, prolongando-se até ao século XVII, e que teve o seu apogeu entre 1495 e 1520.  Resultante de um conjunto de transformações sociais, culturais económicas.  Em termos artísticos, o renascimento caracteriza-se por uma forte tendência naturalista. Os novos conhecimentos da anatomia, fisiologia são prontamente incorporados, possibilitando, por exemplo, a representação do volume no plano  Caracterizado pela retoma dos valores da cultura greco-romana ( Classicismo), visa a aceitação das formas artísticas greco-latinas e a assimilação do espírito que os anima.
  • 5. CLASSICISMO O classicismo/ quinhentismo é um movimento cultural que valoriza e resgata elementos artísticos da cultura clássica (greco-romana). Em Portugal , o Quinhentismo) teve início em 1527 , quando do retorno do poeta Sá de Miranda de Itália. Na bagagem , trazia novas técnicas versificatórias . Além de introduzir no país o decassílabo ( medida nova ) em oposição à redondilha medieval ( 5 ou 7 sílabas ) , que passou a ser chamada de medida velha , trouxe uma nova conceituação artística . Devemos entender , portanto , que Sá de Miranda não trouxe para Portugal apenas um verso de medida diferente , mas um gosto poético mais refinado . Juntamente com o decassílabo , passaram a ser cultivadas novas formas fixas de poesia , como o soneto ( 2 quadras e tercetos ) , a ode ( poesia de exaltação ) , a écloga ( que personifica o amor pastoril ) , a elegia ( revelação de sentimentos tristes) , a epístola ( carta em versos ) . É preciso lembrar que a substituição do verso redondilha (medida velha ) , característico da Idade Média , pelo decassílabo (medida nova ) não se deu de forma imediata , pois ambas as medidas conviveram por grande parte do século XVI .
  • 6. CLASSICISMO - MEDIDA NOVA  O verso de dez sílabas ou decassílabo chama-se também medida nova por oposição à medida velha ou verso de redondilha usado na poesia tradicional. Camões tanto escreveu com verso de redondilha maior e menor ( medida velha) nos seus vilancetes e cantigas, como usou a medida nova nos seus sonetos, odes, nas canções e na epopeia “Os Lusíadas”, é escrito em verso decassilábico heróico.
  • 7. Busque Amor novas artes, novo engenho 4 versos para matar-me, e novas esquivanças; que não pode tirar-me as esperanças, que mal me tirará o que eu não tenho Medida Nova: Olhai de que esperanças me mantenho 4 versos 2 quadras ! 2 tercetos Vede que perigosas esperanças! Que não temo contrastes nem mudanças, andando em bravo mar, perdido o lenho. 3 versos Mas, conquanto não pode haver desgosto onde esperança falta, lá me esconde 3 versos Amor um mal, que mata e não se vê Que dias há que n’alma me tem posto Luís de Camões Um nao sei quê, que nasce não sei onde,
  • 8. Eu cantarei de amor tão docemente Eu cantarei de amor tão docemente, Por uns termos em si tão concertados, Que dois mil acidentes namorados Faça sentir ao peito que não sente. Farei que amor a todos avivente, Pintando mil segredos delicados, Brandas iras, suspiros magoados, Temerosa ousadia e pena ausente. Também, Senhora, do desprezo honesto De vossa vista branda e rigorosa, Contentar-me-ei dizendo a menor parte. Porém, pera cantar de vosso gesto A composição alta e milagrosa Aqui falta saber, engenho e arte. Luís de Camões
  • 9. CONCLUSÃO  Após a elaboração deste trabalho, concluímos a importância que Camões teve, no enriquecimento da nossa literatura e cultura. Assim como personificou bem o uso da medida nova, e a evolução dos tempos.  É com muito gosto que o imortalizamos , nestes pequenos trabalhos que o glorificam. Tendo muito orgulho nos nossos poetas, que tanto contribuíram para o nosso país.
  • 10. BIBLIOGRAFIA  http://daliedaqui.blogspot.com/2010/04/poesia-de-sa-de-miranda.html  http://resumosdeliteratura.blogspot.com/2007/06/classicismo-1527-1580.html  http://www.google.pt/imgres?imgurl=http://stelladauer.files.wordpress.com/2006/10/schoolofathe ns.jpg&imgrefurl=http://stelladauer.wordpress.com/2006/10/27/renascimento-e-outros- movimentos- classicismo/&usg=__rqTiyzbtzScW28WsGdAyJ4jdsWA=&h=768&w=1024&sz=133&hl=pt- pt&start=0&zoom=1&tbnid=0dnWiPNp2- 4u1M:&tbnh=143&tbnw=205&ei=hKBATYNNypiFB5zGoKYD&prev=/images%3Fq%3Dclassicis mo%26um%3D1%26hl%3Dpt-pt%26s  *http://www.slideshare.net/nerynas/classicismo1?src=related_normal&rel=2534750  *http://www.google.pt/imgres?imgurl=http://blogdelacoesdoego.files.wordpress.com/2009/06/ca moes1.jpg&imgrefurl=http://portelaribeirao.blogspot.com/2010/06/dia-de-portugal-de-camoes-e- das.html&usg=__7-ds8pIIp-GwAGMpPp3nfEq07Do=&h=1639&w=1530&sz=539&hl=pt- pt&start=24&zoom=1&tbnid=bfApgkxgDtQHxM:&tbnh=151&tbnw=126&ei=naxATYT2ONSxhQex oKSpCA&prev=/images%3Fq%3Dcamoes%26um%3D1%26hl%3Dpt-pt%26sa%3DN%26biw