Poesia canção da partida; ó sino da mina aldeia

16.069 visualizações

Publicada em

análise de dos poemas Canção de partida de Camilo Pessanha e Ó sino da minha aldeia de Fernando Pessoa, 9º ano

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Poesia canção da partida; ó sino da mina aldeia

  1. 1. Poesia Plural 9, Raiz Ed CANÇÃO DA PARTIDA Camilo Pessanha, Clepsidra Ó sino da minha aldeia Fernando Pessoa, Poesias
  2. 2.  Ao meu coração um peso de ferro Eu hei de prender na volta do mar. Ao meu coração um peso de ferro... Lançá-lo ao mar Quem vai embarcar, que vai degredado, As penas do amor não queira levar... Marujos, erguei o cofre pesado, Lançai-o ao mar. E hei de mercar um fecho de prata. O meu coração é o cofre selado. A sete chaves: tem dentro uma carta... — A última, de antes do teu noivado. A sete chaves — a carta encantada! E um lenço bordado... Esse hei de o levar, Que é para molhar na água salgada No dia em que enfim deixar de chorar. Camilo Pessanha, Clepsidra, Ática
  3. 3. 1. O sujeito poético quer lançar o seu coração ao mar para se libertar do sofrimento causado pela perda do amor. 2. “O meu coração é um cofre selado” 2.1. O coração é como um cofre que não pode abrir-se, pois guarda a dor provocada pela carta (talvez de despedida) enviada pela amada antes de ficar noiva de outro. 3. O sujeito quer guardar como recordação o lenço oferecido pela amada, para um dia secar as lágrimas. 4. Estrutura formal: o poema é constituído por 4 estrofes de 4 versos; os versos são decassilábicos, exceto o último da 1ª e 2ª estrofes que tem 5 sílabas métricas; o esquema rimático é abab, por isso a rima utilizada é cruzada.
  4. 4. Ó sino da minha aldeia Dolente na tarde calma Cada tua badalada Soa dentro da minha alma E é tão lento o teu soar Tão como triste da vida Que já a primeira pancada Tem o som de repetida Por mais que me tanjas perto Quando passo sempre errante És para mim como um sonho Soas-me na alma distante A cada pancada tua Vibrante no céu aberto Sinto mais longe o passado Sinto a saudade mais perto Fernando Pessoa, Poesias
  5. 5.  1. O poeta dirige-se ao sino.  1.2. A apóstrofe é muito importante no poema, na medida em que aproxima o sujeito poético do sino a quem se dirige.  2. Os 4 adjetivos que caracterizam o sino são dolente, lento, triste e vibrante.
  6. 6.  3. Sensações, sentimentos provocados pelo toque do sino  3.1. O sino “soa dentro da sua alma” porque a sensação auditiva provocada pelo estímulo exterior encontra eco na sua alma.  3.2. “a primeira pancada tem o som de repetida” porque já foi anteriormente ouvida, no passado, por isso é triste, como a tristeza da vida.  3.3. Aquele toque é como um sonho porque é associado ao passado distante, como se não fosse real, mas um sonho.
  7. 7.  4. O toque do sino funciona como um eco do passado, trazendo ao sujeito poético a lembrança desse passado distante.  Na sua dolência triste, o som do sino, longe de alegrar o sujeito poético, fá-lo acordar para a saudade de um tempo irrecuperável, cada vez mais distante.  5. Exemplos de aliteração:  1ª quadra: aliteração do “l” e do “m”;  última quadra: aliteração do som “c” e “s”.

×