SlideShare uma empresa Scribd logo

Fichamento analítico do livro cultura e democrácia de Marilena Chauí

Um fichamento para disciplina de antropologia.

1 de 5
Baixar para ler offline
FACULDADE DE CIÊNCIAS EDUCACIONAIS CAPIM GROSSO
MARCUS VINICIUS NOVAIS LEAL
CULTURA E DEMOCRACIA DE MARILENA CHAUÍ
MARCUS VINICIUS NOVAIS LEAL
2
Capim Grosso/BA
ABRIL/2014
CULTURA E DEMOCRACIA DE MARILENA CHAUÍ
Trabalho apresentado ao Curso de Administração, da
Faculdade de Ciências Educacionais Capim Grosso, como
avaliação da disciplina ANTROPOLOGIA, sob a orientação da
Prof.ª PAULA ODILON..
3
Capim Grosso/BA
ABRIL/2014
Cultura e Democracia
CHAUÍ, Marilena. Cultura e Democracia.2 ed. Salvador: Secretaria de Cultura,
Fundação Pedro Calmon, 2009.
Em suas primeiras palavras, Marilena trata de buscar a origem, cuidadosamente
demonstrando o surgimento do termo cultura. “Como cultivo, a cultura era concebida
como uma ação que conduz à plena realização das potencialidades de alguma coisa
ou de alguém [...]” (CHAUÍ, 2009. P.24). Caminha ao longo da história retratando os
estágios, os conceitos e os valores atribuídos ao termo. Segundo Chauí, cultura se
torna, ao longo do tempo, critério de avaliação de grau de civilização dentro do
contexto social. É através deste conceito que se hierarquiza o valor de regimes
políticos, no âmbito evolutivo.
CHAUÍ destaca a concepção da Antropologia constituída a partir do XIX, onde os
antropólogos tomam como base inicial o conceito de progresso ou evolução
estabelecendo um padrão para medir a evolução ou progresso de uma cultura,
tomando como base a cultura Europeia capitalista. A presença ou ausência era a
forma de avaliar a falta de cultura ou a evolução da mesma.
A autora destaca que a partir da segunda metade do século XX,
[...] o termo cultura passa a ter uma abrangência que não
possuía antes, sendo agora entendido como produção e
criação da linguagem, da religião, da sexualidade, dos
instrumentos e das formas do trabalho, dos modos de
habitação, do vestuário e da culinária, das expressões de lazer,
da música, da dança, dos sistemas de relações sociais –
particularmente os sistemas de parentesco o a estrutura da
família – das relações de poder, da guerra e da paz, da noção
de vida e morte. (CHAUÍ, 2009. P.28).
Surge dai em diante a compreensão da cultura pelo homem e passa a ser objeto da
criação de regras, práticas, costumes, definições, ética, sendo todos pertinentes ao
sentido da vida até a morte.
Marilena aborda com clareza a diferença entre sociedade e comunidade, onde um
tem características individualistas, capitalistas, cujos interesses estão separados a
cada indivíduo. E o outro estabelece uma unidade, destino comum, é percebido de
4
Capim Grosso/BA
ABRIL/2014
forma natural por seus membros.“O fato de haver divisão de classe institui a divisão
cultural”. (CHAUÍ, 2009. P. 31).Tendo como base as críticas da ideologia e os
estudos, Chauí defende a criação da cultura popular pela classe trabalhadora, pelo
povo humilde.
A autora faz uma reflexão pondo em vista a cultura como não sendo entretenimento.
Esse é um trabalho de experimentação do novo para criação do sentido onde
captura a experiência do mundo interpretando e criticando. É a ação de pensar, ver
e imaginar situações vividas que se transformam em obras que se tornam
conhecidas, profundas e densas, tudo dentro de um contexto social onde a cultura é
um direito do cidadão, que deve ter acesso e fazer as obras culturais.
Seguindo adiante, Marilena Chauí insere uma problemática a cerca da cultura do
ponto de vista da democracia. Este problema é construído em cima de três duplas
inquietações, sendo elas, cultura e estado; cultura e mercado; cultura e criadores.
Chauí associa o fato da cultura, no Brasil, ser antidemocrática por responsabilidade
do Estado. “[...] tradicionalmente, sempre procurou capturar toda a criação social da
cultura sob o pretexto de ampliar o campo cultural público, transformando a criação
social em cultura oficial [...]” (CHAUÍ, 2009. P. 43). Assim o Estado se apresenta
como produtor cultural, e retira das classes sociais o lugar onde a cultura, de fato, é
realizada.
É possível observar a forma que o mercado trata a cultura, como objeto de
consumo, entretenimento e passatempo, levando ao lado oposto do significado
criador e crítico das obras culturais. Neste contexto, o extremismo não pode ser
adotado com rigor, pois existe sim o lado lúdico, o lazer extraído da cultura. O que
deve ser observado é a forma com que direcionam e reduzem a cultura a tais
finalidades. A cultura não pode ser tratada como um direito, desta forma, se
transforma em objeto de venda e serviços para o mercado, privilegiando e
fragmentando em classes.
Do ponto de vista da autora, a democracia se caracteriza como ideal indentitário de
um regime político. Isso envolve questões sociopolíticas, como a igualdade de todos
determinado por lei; depende da forma política, onde o trabalho é feito em cima de
5
Capim Grosso/BA
ABRIL/2014
conflitos considerados necessários; criação dos direitos, onde o novo faz constituir o
seu modo de ser. Desta forma, Chauí completa,
Dizemos, então que uma sociedade - e não um simples regime
de governo – é democrática quando, além de eleições, partidos
políticos, divisão dos três poderes da República, respeito à
vontade da maioria e das minorias, institui algo mais profundo
que é condição do próprio regime político, ou seja quando
institui direito e essa instituição é uma criação social , de tal
maneira que a atividade democrática social se realiza como um
contra poder social que determina, dirige, controla e modifica a
ação material e o poder dos governantes. (CHAUÍ, 2009. P.56)
A respeito da sociedade brasileira, Marilena faz uma análise quanto ao poder
autoritário. Em suma, a autora evidencia diversos pontos relacionados à hierarquia e
também as desigualdades. Ela enfatiza a sociedade que utiliza das leis como armas
para preservar privilégios como instrumento para a repressão e a opressão e jamais
definindo direitos e deveres concretos e compreensíveis para todos (CHAUÍ, 2009.
P. 60). Em outras palavras, quer dizer que as leis estão, para as classes situadas no
pico da pirâmide hierárquica, como privilégio, enquanto para a sociedade, uma
forma de opressão, menosprezo.
Contudo, ao final é possível perceber a clareza e transparência que, tanto a cultura
quanto a democracia, desviam, no Brasil, do contexto natural de seu surgimento
e/ou nascimento, tornando-se ferramentas de utilização do poder publico para
criação de um falso contexto social e democrático em meio a conflitos e privilégios
causando desequilíbrio e divisão de classes sociais.
Anúncio

Recomendados

Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e chargesAtividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e chargesAtividades Diversas Cláudia
 
ATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé Assunção
ATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé AssunçãoATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé Assunção
ATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Pierre Bourdieu - O Poder Simbólico
Pierre Bourdieu - O Poder SimbólicoPierre Bourdieu - O Poder Simbólico
Pierre Bourdieu - O Poder SimbólicoZeca B.
 
Plano Bimestral de Filosofia 1º, 2º e 3º ano
Plano   Bimestral de Filosofia 1º, 2º e 3º ano Plano   Bimestral de Filosofia 1º, 2º e 3º ano
Plano Bimestral de Filosofia 1º, 2º e 3º ano Mary Alvarenga
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntesedenisecgomes
 
Banco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologiaBanco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologiaJosé Luiz Costa
 
Aulas de sociologia ensino médio para o 3 ano
Aulas de sociologia ensino médio para o 3 anoAulas de sociologia ensino médio para o 3 ano
Aulas de sociologia ensino médio para o 3 anoMARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mapa mental - Augusto Comte, Emile Durkheim e Marx Weber
Mapa mental - Augusto Comte, Emile Durkheim e Marx Weber Mapa mental - Augusto Comte, Emile Durkheim e Marx Weber
Mapa mental - Augusto Comte, Emile Durkheim e Marx Weber Ivanylde Santos
 
Identidade, diferença e cultura
Identidade, diferença e culturaIdentidade, diferença e cultura
Identidade, diferença e culturaComunidados
 
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicasas relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicasDennis De Oliveira Sinnedos
 
Aula 1 A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Aula 1  A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...Aula 1  A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Aula 1 A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...Prof. Noe Assunção
 
Relatorio estagio supervisionado I Historia 52 pag.
Relatorio estagio supervisionado I Historia 52 pag.Relatorio estagio supervisionado I Historia 52 pag.
Relatorio estagio supervisionado I Historia 52 pag.André Fernandes Passos
 
Eletiva jogos e brincadeiras ao longo da história por Pedro Henrique Oliveira...
Eletiva jogos e brincadeiras ao longo da história por Pedro Henrique Oliveira...Eletiva jogos e brincadeiras ao longo da história por Pedro Henrique Oliveira...
Eletiva jogos e brincadeiras ao longo da história por Pedro Henrique Oliveira...Andresa Alves
 
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)Mary Alvarenga
 
Exemplos de Cronogramas de Pesquisa
Exemplos de Cronogramas de PesquisaExemplos de Cronogramas de Pesquisa
Exemplos de Cronogramas de Pesquisarichard_romancini
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisamarildabacana
 
Aula 1 fund ciências sociais 2015.1
Aula 1 fund ciências sociais  2015.1Aula 1 fund ciências sociais  2015.1
Aula 1 fund ciências sociais 2015.1Valber Ribeiro
 
Modelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em wordModelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em wordMister B
 
Sociologia em movimento - Volume único.pdf
Sociologia em movimento - Volume único.pdfSociologia em movimento - Volume único.pdf
Sociologia em movimento - Volume único.pdfVIVIANENASCIMENTOSIL2
 
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Aula - O que é PODER - Michel Foucault
Aula - O que é PODER - Michel FoucaultAula - O que é PODER - Michel Foucault
Aula - O que é PODER - Michel FoucaultProf. Noe Assunção
 
Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)
Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)
Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)Atividades Diversas Cláudia
 

Mais procurados (20)

Mapa mental - Augusto Comte, Emile Durkheim e Marx Weber
Mapa mental - Augusto Comte, Emile Durkheim e Marx Weber Mapa mental - Augusto Comte, Emile Durkheim e Marx Weber
Mapa mental - Augusto Comte, Emile Durkheim e Marx Weber
 
Identidade, diferença e cultura
Identidade, diferença e culturaIdentidade, diferença e cultura
Identidade, diferença e cultura
 
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicasas relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
 
Exercícios juv
Exercícios juvExercícios juv
Exercícios juv
 
Aula 1 A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Aula 1  A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...Aula 1  A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
Aula 1 A nossa identidade brasileira- Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Ass...
 
Relatorio estagio supervisionado I Historia 52 pag.
Relatorio estagio supervisionado I Historia 52 pag.Relatorio estagio supervisionado I Historia 52 pag.
Relatorio estagio supervisionado I Historia 52 pag.
 
Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)
 
Interdisciplinaridade
InterdisciplinaridadeInterdisciplinaridade
Interdisciplinaridade
 
Eletiva jogos e brincadeiras ao longo da história por Pedro Henrique Oliveira...
Eletiva jogos e brincadeiras ao longo da história por Pedro Henrique Oliveira...Eletiva jogos e brincadeiras ao longo da história por Pedro Henrique Oliveira...
Eletiva jogos e brincadeiras ao longo da história por Pedro Henrique Oliveira...
 
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)Cruzadinha de filosofia  (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
Cruzadinha de filosofia (Ética e moral – O problema da ação e dos valores)
 
Aula 3 - Durkheim
Aula 3 - DurkheimAula 3 - Durkheim
Aula 3 - Durkheim
 
Exemplos de Cronogramas de Pesquisa
Exemplos de Cronogramas de PesquisaExemplos de Cronogramas de Pesquisa
Exemplos de Cronogramas de Pesquisa
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Aula 1 fund ciências sociais 2015.1
Aula 1 fund ciências sociais  2015.1Aula 1 fund ciências sociais  2015.1
Aula 1 fund ciências sociais 2015.1
 
Modelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em wordModelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em word
 
Sociologia em movimento - Volume único.pdf
Sociologia em movimento - Volume único.pdfSociologia em movimento - Volume único.pdf
Sociologia em movimento - Volume único.pdf
 
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
Aula - O que é PODER - Michel Foucault
Aula - O que é PODER - Michel FoucaultAula - O que é PODER - Michel Foucault
Aula - O que é PODER - Michel Foucault
 
Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)
Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)
Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)
 

Destaque

Filosofia da educação semana 6 - Cultura
Filosofia da educação   semana 6 - CulturaFilosofia da educação   semana 6 - Cultura
Filosofia da educação semana 6 - CulturaRoxana Alhadas
 
O que é a natureza humana
O que é a natureza humanaO que é a natureza humana
O que é a natureza humanaItalo Colares
 
Como fazer Fichamento de Texto ou Livro
Como fazer Fichamento de Texto ou LivroComo fazer Fichamento de Texto ou Livro
Como fazer Fichamento de Texto ou LivroINSTITUTO GENS
 
Filosofia e filosofia da educação
Filosofia e filosofia da educaçãoFilosofia e filosofia da educação
Filosofia e filosofia da educaçãoAcsa Naara
 
Fichamento fotografia ( oficial)
Fichamento fotografia ( oficial)Fichamento fotografia ( oficial)
Fichamento fotografia ( oficial)isisnogueira
 
Filosofia da educação marcia tiburi pronto para postar slide
Filosofia da educação   marcia tiburi pronto para postar slideFilosofia da educação   marcia tiburi pronto para postar slide
Filosofia da educação marcia tiburi pronto para postar slideadrianainescenatti
 
Educação, Sociedade e Trabalho
Educação, Sociedade e TrabalhoEducação, Sociedade e Trabalho
Educação, Sociedade e Trabalholucavao2010
 
Cultura: um conceito antropologico - Parte 1
Cultura: um conceito antropologico - Parte 1Cultura: um conceito antropologico - Parte 1
Cultura: um conceito antropologico - Parte 1Leonardo Santos
 
Cultura um conceito antropológico Roque Laraia
Cultura um conceito antropológico  Roque LaraiaCultura um conceito antropológico  Roque Laraia
Cultura um conceito antropológico Roque LaraiaGisele Da Fonseca
 
Cultura e etnocentrismo
Cultura e etnocentrismoCultura e etnocentrismo
Cultura e etnocentrismoRayssa Fonseca
 

Destaque (20)

Filosofia da educação semana 6 - Cultura
Filosofia da educação   semana 6 - CulturaFilosofia da educação   semana 6 - Cultura
Filosofia da educação semana 6 - Cultura
 
Fichamento de Texto
Fichamento de TextoFichamento de Texto
Fichamento de Texto
 
Modelo de Fichamento
Modelo de FichamentoModelo de Fichamento
Modelo de Fichamento
 
O que é a natureza humana
O que é a natureza humanaO que é a natureza humana
O que é a natureza humana
 
A natureza humana.
A natureza humana. A natureza humana.
A natureza humana.
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Como fazer Fichamento de Texto ou Livro
Como fazer Fichamento de Texto ou LivroComo fazer Fichamento de Texto ou Livro
Como fazer Fichamento de Texto ou Livro
 
Natureza e cultura
Natureza e culturaNatureza e cultura
Natureza e cultura
 
Filosofia e filosofia da educação
Filosofia e filosofia da educaçãoFilosofia e filosofia da educação
Filosofia e filosofia da educação
 
Fichamento fotografia ( oficial)
Fichamento fotografia ( oficial)Fichamento fotografia ( oficial)
Fichamento fotografia ( oficial)
 
O que é cultura
O que é culturaO que é cultura
O que é cultura
 
Filosofia intro
Filosofia introFilosofia intro
Filosofia intro
 
Cultura ppt
Cultura pptCultura ppt
Cultura ppt
 
Filosofia da educação marcia tiburi pronto para postar slide
Filosofia da educação   marcia tiburi pronto para postar slideFilosofia da educação   marcia tiburi pronto para postar slide
Filosofia da educação marcia tiburi pronto para postar slide
 
Educação, Sociedade e Trabalho
Educação, Sociedade e TrabalhoEducação, Sociedade e Trabalho
Educação, Sociedade e Trabalho
 
Arte, cultura e filosofia
Arte, cultura e filosofiaArte, cultura e filosofia
Arte, cultura e filosofia
 
Cultura um conceito antropológico
Cultura  um conceito antropológicoCultura  um conceito antropológico
Cultura um conceito antropológico
 
Cultura: um conceito antropologico - Parte 1
Cultura: um conceito antropologico - Parte 1Cultura: um conceito antropologico - Parte 1
Cultura: um conceito antropologico - Parte 1
 
Cultura um conceito antropológico Roque Laraia
Cultura um conceito antropológico  Roque LaraiaCultura um conceito antropológico  Roque Laraia
Cultura um conceito antropológico Roque Laraia
 
Cultura e etnocentrismo
Cultura e etnocentrismoCultura e etnocentrismo
Cultura e etnocentrismo
 

Semelhante a Fichamento analítico do livro cultura e democrácia de Marilena Chauí

Antropologia contemporânea
Antropologia contemporânea Antropologia contemporânea
Antropologia contemporânea mundica broda
 
Texto 2 etnocentrismo
Texto 2   etnocentrismoTexto 2   etnocentrismo
Texto 2 etnocentrismoLuciana Melo
 
Texto 2 etnocentrismo
Texto 2   etnocentrismoTexto 2   etnocentrismo
Texto 2 etnocentrismoLuciana Melo
 
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno CarrascoO uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno CarrascoBruno Carrasco
 
Conhecimentos específicos sociologia 1 fase
Conhecimentos específicos sociologia 1 faseConhecimentos específicos sociologia 1 fase
Conhecimentos específicos sociologia 1 fasepascoalnaib
 
Gênero e outras formas de classificação social.
Gênero e outras formas de classificação social.Gênero e outras formas de classificação social.
Gênero e outras formas de classificação social.Fábio Fernandes
 
Fichamento patrícia
Fichamento patríciaFichamento patrícia
Fichamento patríciaManu Dias
 
Dos meios às mediações - Jesús Martin-Barbeiro
Dos meios às mediações - Jesús Martin-BarbeiroDos meios às mediações - Jesús Martin-Barbeiro
Dos meios às mediações - Jesús Martin-BarbeiroAndréia Pisco
 
Estudos culturais - teorias da comunicação
Estudos culturais - teorias da comunicaçãoEstudos culturais - teorias da comunicação
Estudos culturais - teorias da comunicaçãoLaércio Góes
 
1.-A-educacao-como-objeto-de-estudo-sociologico.ppt
1.-A-educacao-como-objeto-de-estudo-sociologico.ppt1.-A-educacao-como-objeto-de-estudo-sociologico.ppt
1.-A-educacao-como-objeto-de-estudo-sociologico.pptMARIADAASSUNOSIMOESF
 
Concepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos Humanos
Concepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos HumanosConcepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos Humanos
Concepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos HumanosKarla Amaral
 
Controle social na saúde
Controle social na saúdeControle social na saúde
Controle social na saúdeIsabel Amaral
 
Thinking about civilizations
Thinking about civilizationsThinking about civilizations
Thinking about civilizationsRafael Pinto
 

Semelhante a Fichamento analítico do livro cultura e democrácia de Marilena Chauí (20)

Antropologia contemporânea
Antropologia contemporânea Antropologia contemporânea
Antropologia contemporânea
 
Cultura e vida social
Cultura e vida socialCultura e vida social
Cultura e vida social
 
Texto 2 etnocentrismo
Texto 2   etnocentrismoTexto 2   etnocentrismo
Texto 2 etnocentrismo
 
Texto 2 etnocentrismo
Texto 2   etnocentrismoTexto 2   etnocentrismo
Texto 2 etnocentrismo
 
CULTURA, DOMINAÇÃO E IDEOLOGIA
CULTURA, DOMINAÇÃO E IDEOLOGIACULTURA, DOMINAÇÃO E IDEOLOGIA
CULTURA, DOMINAÇÃO E IDEOLOGIA
 
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno CarrascoO uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
 
Conceitocultura
ConceitoculturaConceitocultura
Conceitocultura
 
Antrop. contêmp
Antrop. contêmpAntrop. contêmp
Antrop. contêmp
 
Conhecimentos específicos sociologia 1 fase
Conhecimentos específicos sociologia 1 faseConhecimentos específicos sociologia 1 fase
Conhecimentos específicos sociologia 1 fase
 
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIA
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIARevisão Conceitual de SOCIOLOGIA
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIA
 
Gênero e outras formas de classificação social.
Gênero e outras formas de classificação social.Gênero e outras formas de classificação social.
Gênero e outras formas de classificação social.
 
Fichamento patrícia
Fichamento patríciaFichamento patrícia
Fichamento patrícia
 
Dos meios às mediações - Jesús Martin-Barbeiro
Dos meios às mediações - Jesús Martin-BarbeiroDos meios às mediações - Jesús Martin-Barbeiro
Dos meios às mediações - Jesús Martin-Barbeiro
 
Estudos culturais - teorias da comunicação
Estudos culturais - teorias da comunicaçãoEstudos culturais - teorias da comunicação
Estudos culturais - teorias da comunicação
 
1.-A-educacao-como-objeto-de-estudo-sociologico.ppt
1.-A-educacao-como-objeto-de-estudo-sociologico.ppt1.-A-educacao-como-objeto-de-estudo-sociologico.ppt
1.-A-educacao-como-objeto-de-estudo-sociologico.ppt
 
Concepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos Humanos
Concepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos HumanosConcepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos Humanos
Concepções e reflexões sobre o Multiculturalismo e Direitos Humanos
 
2 ARTIGO ANA LUIZA.pdf
2 ARTIGO ANA LUIZA.pdf2 ARTIGO ANA LUIZA.pdf
2 ARTIGO ANA LUIZA.pdf
 
Educação politécnica
Educação politécnicaEducação politécnica
Educação politécnica
 
Controle social na saúde
Controle social na saúdeControle social na saúde
Controle social na saúde
 
Thinking about civilizations
Thinking about civilizationsThinking about civilizations
Thinking about civilizations
 

Mais de Marcus Leal

Planejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produçãoPlanejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produçãoMarcus Leal
 
Resumo do filme invictus
Resumo do filme invictusResumo do filme invictus
Resumo do filme invictusMarcus Leal
 
Atributos de produtos e serviços
Atributos de produtos e serviçosAtributos de produtos e serviços
Atributos de produtos e serviçosMarcus Leal
 
Aula de adm de materiais alunos
Aula de adm de materiais alunosAula de adm de materiais alunos
Aula de adm de materiais alunosMarcus Leal
 
Imposto sobre operações de crédito
Imposto sobre operações de créditoImposto sobre operações de crédito
Imposto sobre operações de créditoMarcus Leal
 
Imposto s. operacoes de credito
Imposto s. operacoes de creditoImposto s. operacoes de credito
Imposto s. operacoes de creditoMarcus Leal
 
O discurso do rei
O discurso do reiO discurso do rei
O discurso do reiMarcus Leal
 
Distúrbios identitários em tempos de globalização
Distúrbios identitários em tempos de globalizaçãoDistúrbios identitários em tempos de globalização
Distúrbios identitários em tempos de globalizaçãoMarcus Leal
 
Resenha crítica do filme - Ágora
Resenha crítica do filme - ÁgoraResenha crítica do filme - Ágora
Resenha crítica do filme - ÁgoraMarcus Leal
 
Mesa redonda filosofia herança
Mesa redonda  filosofia   herançaMesa redonda  filosofia   herança
Mesa redonda filosofia herançaMarcus Leal
 
Apresentação liderança autocrática
Apresentação liderança autocráticaApresentação liderança autocrática
Apresentação liderança autocráticaMarcus Leal
 
Processos e critérios recrutamento e seleção de pessoal
Processos e critérios recrutamento e seleção de pessoalProcessos e critérios recrutamento e seleção de pessoal
Processos e critérios recrutamento e seleção de pessoalMarcus Leal
 
Resenha do filme virando o jogo
Resenha do filme   virando o jogoResenha do filme   virando o jogo
Resenha do filme virando o jogoMarcus Leal
 
Resumo do filme forrest gump
Resumo do filme forrest gumpResumo do filme forrest gump
Resumo do filme forrest gumpMarcus Leal
 
A organização dos bichos
A organização dos bichosA organização dos bichos
A organização dos bichosMarcus Leal
 

Mais de Marcus Leal (16)

Planejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produçãoPlanejamento e controle da produção
Planejamento e controle da produção
 
Resumo do filme invictus
Resumo do filme invictusResumo do filme invictus
Resumo do filme invictus
 
Atributos de produtos e serviços
Atributos de produtos e serviçosAtributos de produtos e serviços
Atributos de produtos e serviços
 
Aula de adm de materiais alunos
Aula de adm de materiais alunosAula de adm de materiais alunos
Aula de adm de materiais alunos
 
Imposto sobre operações de crédito
Imposto sobre operações de créditoImposto sobre operações de crédito
Imposto sobre operações de crédito
 
Imposto s. operacoes de credito
Imposto s. operacoes de creditoImposto s. operacoes de credito
Imposto s. operacoes de credito
 
O discurso do rei
O discurso do reiO discurso do rei
O discurso do rei
 
Intranet
IntranetIntranet
Intranet
 
Distúrbios identitários em tempos de globalização
Distúrbios identitários em tempos de globalizaçãoDistúrbios identitários em tempos de globalização
Distúrbios identitários em tempos de globalização
 
Resenha crítica do filme - Ágora
Resenha crítica do filme - ÁgoraResenha crítica do filme - Ágora
Resenha crítica do filme - Ágora
 
Mesa redonda filosofia herança
Mesa redonda  filosofia   herançaMesa redonda  filosofia   herança
Mesa redonda filosofia herança
 
Apresentação liderança autocrática
Apresentação liderança autocráticaApresentação liderança autocrática
Apresentação liderança autocrática
 
Processos e critérios recrutamento e seleção de pessoal
Processos e critérios recrutamento e seleção de pessoalProcessos e critérios recrutamento e seleção de pessoal
Processos e critérios recrutamento e seleção de pessoal
 
Resenha do filme virando o jogo
Resenha do filme   virando o jogoResenha do filme   virando o jogo
Resenha do filme virando o jogo
 
Resumo do filme forrest gump
Resumo do filme forrest gumpResumo do filme forrest gump
Resumo do filme forrest gump
 
A organização dos bichos
A organização dos bichosA organização dos bichos
A organização dos bichos
 

Último

ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024.
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024.ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024.
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024.Unicesumar
 
Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...
Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...
Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...sdl192405
 
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024dlp391622
 
"Guia Completo: Tipos de Cortes de Cabelo Fade e Como Fazer"
"Guia Completo: Tipos de Cortes de Cabelo Fade e Como Fazer""Guia Completo: Tipos de Cortes de Cabelo Fade e Como Fazer"
"Guia Completo: Tipos de Cortes de Cabelo Fade e Como Fazer"josianispflia
 
Coloque-se na seguinte situação hipotética. Você, além professor(a) de Língua...
Coloque-se na seguinte situação hipotética. Você, além professor(a) de Língua...Coloque-se na seguinte situação hipotética. Você, além professor(a) de Língua...
Coloque-se na seguinte situação hipotética. Você, além professor(a) de Língua...dll878820
 
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024dlkauana81
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024leonardodl361
 
Antes de tudo, pesquise, levante informações para elaborar a sua resposta - F...
Antes de tudo, pesquise, levante informações para elaborar a sua resposta - F...Antes de tudo, pesquise, levante informações para elaborar a sua resposta - F...
Antes de tudo, pesquise, levante informações para elaborar a sua resposta - F...Unicesumar
 
ATIVIDADE 1 - PRÁTICA DE ENSINO: ETNOMATEMÁTICA E HISTÓRIA DA MATEMÁTICA - 51...
ATIVIDADE 1 - PRÁTICA DE ENSINO: ETNOMATEMÁTICA E HISTÓRIA DA MATEMÁTICA - 51...ATIVIDADE 1 - PRÁTICA DE ENSINO: ETNOMATEMÁTICA E HISTÓRIA DA MATEMÁTICA - 51...
ATIVIDADE 1 - PRÁTICA DE ENSINO: ETNOMATEMÁTICA E HISTÓRIA DA MATEMÁTICA - 51...taynaradl79
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024taynaradl79
 
ATIVIDADE 1 - IFPC - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - IFPC - TEORIA DO DIREITO - 51/2024ATIVIDADE 1 - IFPC - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - IFPC - TEORIA DO DIREITO - 51/2024dlalicia08
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...Unicesumar
 
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...assessoriaeliana9
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024leonardodl361
 
ATIVIDADE 1 - PRÁTICA PEDAGÓGICA: SABERES DIGITAIS - 51/2024
ATIVIDADE 1 - PRÁTICA PEDAGÓGICA: SABERES DIGITAIS - 51/2024ATIVIDADE 1 - PRÁTICA PEDAGÓGICA: SABERES DIGITAIS - 51/2024
ATIVIDADE 1 - PRÁTICA PEDAGÓGICA: SABERES DIGITAIS - 51/2024taynaradl79
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024dlalicia08
 
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024dlp391622
 
Bolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.br
Bolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.brBolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.br
Bolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.brPatriciagomes889620
 
CONHEÇA 7 SUPER DICAS DE GERENCIAMENTO DO TEMPO
CONHEÇA 7 SUPER DICAS DE GERENCIAMENTO DO TEMPOCONHEÇA 7 SUPER DICAS DE GERENCIAMENTO DO TEMPO
CONHEÇA 7 SUPER DICAS DE GERENCIAMENTO DO TEMPOAnderson Souza
 
ATIVIDADE 1 - GAMB - ADMINISTRAÇÃO EMPREENDEDORA E QUALIDADE - 51/2024
ATIVIDADE 1 - GAMB - ADMINISTRAÇÃO EMPREENDEDORA E QUALIDADE - 51/2024ATIVIDADE 1 - GAMB - ADMINISTRAÇÃO EMPREENDEDORA E QUALIDADE - 51/2024
ATIVIDADE 1 - GAMB - ADMINISTRAÇÃO EMPREENDEDORA E QUALIDADE - 51/2024dlkauana81
 

Último (20)

ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024.
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024.ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024.
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51 2024.
 
Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...
Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...
Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...
 
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
 
"Guia Completo: Tipos de Cortes de Cabelo Fade e Como Fazer"
"Guia Completo: Tipos de Cortes de Cabelo Fade e Como Fazer""Guia Completo: Tipos de Cortes de Cabelo Fade e Como Fazer"
"Guia Completo: Tipos de Cortes de Cabelo Fade e Como Fazer"
 
Coloque-se na seguinte situação hipotética. Você, além professor(a) de Língua...
Coloque-se na seguinte situação hipotética. Você, além professor(a) de Língua...Coloque-se na seguinte situação hipotética. Você, além professor(a) de Língua...
Coloque-se na seguinte situação hipotética. Você, além professor(a) de Língua...
 
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024
 
Antes de tudo, pesquise, levante informações para elaborar a sua resposta - F...
Antes de tudo, pesquise, levante informações para elaborar a sua resposta - F...Antes de tudo, pesquise, levante informações para elaborar a sua resposta - F...
Antes de tudo, pesquise, levante informações para elaborar a sua resposta - F...
 
ATIVIDADE 1 - PRÁTICA DE ENSINO: ETNOMATEMÁTICA E HISTÓRIA DA MATEMÁTICA - 51...
ATIVIDADE 1 - PRÁTICA DE ENSINO: ETNOMATEMÁTICA E HISTÓRIA DA MATEMÁTICA - 51...ATIVIDADE 1 - PRÁTICA DE ENSINO: ETNOMATEMÁTICA E HISTÓRIA DA MATEMÁTICA - 51...
ATIVIDADE 1 - PRÁTICA DE ENSINO: ETNOMATEMÁTICA E HISTÓRIA DA MATEMÁTICA - 51...
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
ATIVIDADE 1 - IFPC - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - IFPC - TEORIA DO DIREITO - 51/2024ATIVIDADE 1 - IFPC - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - IFPC - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - BIOLOGIA E BIOQUÍMICA HUMANA - 51/2024
 
ATIVIDADE 1 - PRÁTICA PEDAGÓGICA: SABERES DIGITAIS - 51/2024
ATIVIDADE 1 - PRÁTICA PEDAGÓGICA: SABERES DIGITAIS - 51/2024ATIVIDADE 1 - PRÁTICA PEDAGÓGICA: SABERES DIGITAIS - 51/2024
ATIVIDADE 1 - PRÁTICA PEDAGÓGICA: SABERES DIGITAIS - 51/2024
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
 
Bolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.br
Bolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.brBolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.br
Bolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.br
 
CONHEÇA 7 SUPER DICAS DE GERENCIAMENTO DO TEMPO
CONHEÇA 7 SUPER DICAS DE GERENCIAMENTO DO TEMPOCONHEÇA 7 SUPER DICAS DE GERENCIAMENTO DO TEMPO
CONHEÇA 7 SUPER DICAS DE GERENCIAMENTO DO TEMPO
 
ATIVIDADE 1 - GAMB - ADMINISTRAÇÃO EMPREENDEDORA E QUALIDADE - 51/2024
ATIVIDADE 1 - GAMB - ADMINISTRAÇÃO EMPREENDEDORA E QUALIDADE - 51/2024ATIVIDADE 1 - GAMB - ADMINISTRAÇÃO EMPREENDEDORA E QUALIDADE - 51/2024
ATIVIDADE 1 - GAMB - ADMINISTRAÇÃO EMPREENDEDORA E QUALIDADE - 51/2024
 

Fichamento analítico do livro cultura e democrácia de Marilena Chauí

  • 1. FACULDADE DE CIÊNCIAS EDUCACIONAIS CAPIM GROSSO MARCUS VINICIUS NOVAIS LEAL CULTURA E DEMOCRACIA DE MARILENA CHAUÍ MARCUS VINICIUS NOVAIS LEAL
  • 2. 2 Capim Grosso/BA ABRIL/2014 CULTURA E DEMOCRACIA DE MARILENA CHAUÍ Trabalho apresentado ao Curso de Administração, da Faculdade de Ciências Educacionais Capim Grosso, como avaliação da disciplina ANTROPOLOGIA, sob a orientação da Prof.ª PAULA ODILON..
  • 3. 3 Capim Grosso/BA ABRIL/2014 Cultura e Democracia CHAUÍ, Marilena. Cultura e Democracia.2 ed. Salvador: Secretaria de Cultura, Fundação Pedro Calmon, 2009. Em suas primeiras palavras, Marilena trata de buscar a origem, cuidadosamente demonstrando o surgimento do termo cultura. “Como cultivo, a cultura era concebida como uma ação que conduz à plena realização das potencialidades de alguma coisa ou de alguém [...]” (CHAUÍ, 2009. P.24). Caminha ao longo da história retratando os estágios, os conceitos e os valores atribuídos ao termo. Segundo Chauí, cultura se torna, ao longo do tempo, critério de avaliação de grau de civilização dentro do contexto social. É através deste conceito que se hierarquiza o valor de regimes políticos, no âmbito evolutivo. CHAUÍ destaca a concepção da Antropologia constituída a partir do XIX, onde os antropólogos tomam como base inicial o conceito de progresso ou evolução estabelecendo um padrão para medir a evolução ou progresso de uma cultura, tomando como base a cultura Europeia capitalista. A presença ou ausência era a forma de avaliar a falta de cultura ou a evolução da mesma. A autora destaca que a partir da segunda metade do século XX, [...] o termo cultura passa a ter uma abrangência que não possuía antes, sendo agora entendido como produção e criação da linguagem, da religião, da sexualidade, dos instrumentos e das formas do trabalho, dos modos de habitação, do vestuário e da culinária, das expressões de lazer, da música, da dança, dos sistemas de relações sociais – particularmente os sistemas de parentesco o a estrutura da família – das relações de poder, da guerra e da paz, da noção de vida e morte. (CHAUÍ, 2009. P.28). Surge dai em diante a compreensão da cultura pelo homem e passa a ser objeto da criação de regras, práticas, costumes, definições, ética, sendo todos pertinentes ao sentido da vida até a morte. Marilena aborda com clareza a diferença entre sociedade e comunidade, onde um tem características individualistas, capitalistas, cujos interesses estão separados a cada indivíduo. E o outro estabelece uma unidade, destino comum, é percebido de
  • 4. 4 Capim Grosso/BA ABRIL/2014 forma natural por seus membros.“O fato de haver divisão de classe institui a divisão cultural”. (CHAUÍ, 2009. P. 31).Tendo como base as críticas da ideologia e os estudos, Chauí defende a criação da cultura popular pela classe trabalhadora, pelo povo humilde. A autora faz uma reflexão pondo em vista a cultura como não sendo entretenimento. Esse é um trabalho de experimentação do novo para criação do sentido onde captura a experiência do mundo interpretando e criticando. É a ação de pensar, ver e imaginar situações vividas que se transformam em obras que se tornam conhecidas, profundas e densas, tudo dentro de um contexto social onde a cultura é um direito do cidadão, que deve ter acesso e fazer as obras culturais. Seguindo adiante, Marilena Chauí insere uma problemática a cerca da cultura do ponto de vista da democracia. Este problema é construído em cima de três duplas inquietações, sendo elas, cultura e estado; cultura e mercado; cultura e criadores. Chauí associa o fato da cultura, no Brasil, ser antidemocrática por responsabilidade do Estado. “[...] tradicionalmente, sempre procurou capturar toda a criação social da cultura sob o pretexto de ampliar o campo cultural público, transformando a criação social em cultura oficial [...]” (CHAUÍ, 2009. P. 43). Assim o Estado se apresenta como produtor cultural, e retira das classes sociais o lugar onde a cultura, de fato, é realizada. É possível observar a forma que o mercado trata a cultura, como objeto de consumo, entretenimento e passatempo, levando ao lado oposto do significado criador e crítico das obras culturais. Neste contexto, o extremismo não pode ser adotado com rigor, pois existe sim o lado lúdico, o lazer extraído da cultura. O que deve ser observado é a forma com que direcionam e reduzem a cultura a tais finalidades. A cultura não pode ser tratada como um direito, desta forma, se transforma em objeto de venda e serviços para o mercado, privilegiando e fragmentando em classes. Do ponto de vista da autora, a democracia se caracteriza como ideal indentitário de um regime político. Isso envolve questões sociopolíticas, como a igualdade de todos determinado por lei; depende da forma política, onde o trabalho é feito em cima de
  • 5. 5 Capim Grosso/BA ABRIL/2014 conflitos considerados necessários; criação dos direitos, onde o novo faz constituir o seu modo de ser. Desta forma, Chauí completa, Dizemos, então que uma sociedade - e não um simples regime de governo – é democrática quando, além de eleições, partidos políticos, divisão dos três poderes da República, respeito à vontade da maioria e das minorias, institui algo mais profundo que é condição do próprio regime político, ou seja quando institui direito e essa instituição é uma criação social , de tal maneira que a atividade democrática social se realiza como um contra poder social que determina, dirige, controla e modifica a ação material e o poder dos governantes. (CHAUÍ, 2009. P.56) A respeito da sociedade brasileira, Marilena faz uma análise quanto ao poder autoritário. Em suma, a autora evidencia diversos pontos relacionados à hierarquia e também as desigualdades. Ela enfatiza a sociedade que utiliza das leis como armas para preservar privilégios como instrumento para a repressão e a opressão e jamais definindo direitos e deveres concretos e compreensíveis para todos (CHAUÍ, 2009. P. 60). Em outras palavras, quer dizer que as leis estão, para as classes situadas no pico da pirâmide hierárquica, como privilégio, enquanto para a sociedade, uma forma de opressão, menosprezo. Contudo, ao final é possível perceber a clareza e transparência que, tanto a cultura quanto a democracia, desviam, no Brasil, do contexto natural de seu surgimento e/ou nascimento, tornando-se ferramentas de utilização do poder publico para criação de um falso contexto social e democrático em meio a conflitos e privilégios causando desequilíbrio e divisão de classes sociais.