Centro Universitário Padre Anchieta                        A empresa “Foxconn”                                            ...
Centro Universitário Padre AnchietaEuropa (República Checa, Eslováquia, Hungria, Dinamarca, Holanda,Finlândia, Reino Unido...
Centro Universitário Padre Anchietalançar no mercado uma infinidade de produtos, desde baixa tecnologia até asmais sofisti...
Centro Universitário Padre Anchieta     Mas admitiu que existissem incertezas na demanda global decomponentes para celular...
Centro Universitário Padre Anchietachineses sendo constantemente privados por salários dignos quer porbenefícios sociais i...
Centro Universitário Padre AnchietaAs pessoas protestam contra as condições de trabalho da Apple: manifestantes estão exig...
Centro Universitário Padre Anchieta       O Presidente da (Fair Labor Association – FLA) Auret van Heerden,disse à agência...
Centro Universitário Padre Anchietareportagem da INFO (agosto 2012, p.69) “Houve falta de água, alimentaçãodeficiente e pr...
Centro Universitário Padre Anchieta      O plano para instalação divide-se em duas etapas distintas: até 2013será produzid...
Centro Universitário Padre Anchieta       À Foxconn caberiam 10% dos investimentos e a transferência de suatecnologia.”   ...
Centro Universitário Padre Anchietamesmas são feitas de forma educada e é encarada de forma natural peloscolaboradores.3- ...
Centro Universitário Padre AnchietaO que, quem é/são     Terry Gou     Commodities     outsourcing     Just-in-time  ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho de gestão foxconn

2.079 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Trabalho de gestão foxconn

  1. 1. Centro Universitário Padre Anchieta A empresa “Foxconn” Hon Hai Precision IndustryCompany, ou simplesmente Foxconn, criada em 1974 ela é atualmente a maiorfabricante de produtos eletrônicos do mundo. Sua forma de regime de trabalhoé por contratos, o que significa que o volume de negócios se realiza porsubcontratação com terceiros e não pela venda de produtos de marca própria. A empresa garantiu a produção de mais de 50% do valor global emprodutos eletrônicos para a indústria de serviço em 2011. Na ótica de seufundador e atual presidente Terry Gou, a Foxconn denomina-se "o parceiromais confiável e preferido em todos os aspectos de outsourcing global emmaterial eletrônico para ajudar os clientes nos seus negócios". Este sucesso todo tem como base o modelo de crescimento adotadonas exportações da Zona Econômica Especial de Shenzhen, que faz parte dapolítica de abertura da China, conhecido como modelo export-led growth. Em mais de 20 anos desde seu investimento inicial a Foxconn temcrescido em ritmo acelerado de modo a se tornar o maior exportador deprodutos da China. Atualmente conta com uma força de trabalho deaproximadamente 900.000 trabalhadores, sendo que 85% desta força sãoprovenientes das áreas rurais.Foxconn: "A fábrica de material eletrônico do mundo" A subsidiária é produto da empresa-mãe, a Hon Hai, especialista emprodução em massa de material eletrônico desde a década de 80 quando omercado de computadores pessoais ganhou visibilidade.(<http://www.youtube.com/watch?v=Pl-AcmbGYfo&feature=related>) Em 1988, o seu presidente e fundador Terry Gou investiu na produção abaixo custo na China Continental, mantendo as mesmas estruturas deinvestigação e desenvolvimento (I & D) nas suas instalações em Taiwan.Mantendo-se esta tendência também na década de 1990, no qual foraminstalados mais de 40 fábricas e centros de I & D na Ásia (Índia, Vietnã,Tailândia, Malásia, Singapura, Japão, Coreia do Sul e Austrália), Rússia, Marcos Roberto Andreasi MBIT – 2012 marcosrobertoandreasi@gmail.com
  2. 2. Centro Universitário Padre AnchietaEuropa (República Checa, Eslováquia, Hungria, Dinamarca, Holanda,Finlândia, Reino Unido e Turquia), e na América. Oferecendo aos seus clientes“a melhor rapidez, qualidade, serviços de engenharia, eficiência e valoragregado”, conhecidos por “as cinco competências fundamentais”. Em 2008, as receitas de Foxconn alcançaram os 61,8 bilhões dedólares, sendo que 55,6 bilhões de dólares foram de exportações, o querepresenta um total de 3,9% de todas as exportações da China. Já em 2009 a receita gerada foi de 59,3 bilhões de dólares com umaligeira queda nas vendas na ordem de 4,1% referente ao ano anterior.(ver gráfico 1) Após a recuperação econômica global, em 2010 as vendas aumentaramem torno de 48% relativo ao ano anterior para 37,43 bilhões de dólares,aumentando o lucro líquido em 22% ou seja, 1,08 bilhões de dólares. O que a torna no mercado da indústria eletrônica cerca de três vezesmaior do que seu principal concorrente a Flextronics, Singapura.Foxconn produtos e serviços Com uma política agressiva referente ao custo de mão-de-obra eredução no tempo de entrega por parte de seus gestores, a Foxconn consegue Marcos Roberto Andreasi MBIT – 2012 marcosrobertoandreasi@gmail.com
  3. 3. Centro Universitário Padre Anchietalançar no mercado uma infinidade de produtos, desde baixa tecnologia até asmais sofisticadas para as principais marcas mundiais. A empresa possuí umleque de opções desde serviços de engenharia de projeto a ferramentasmecânicas. Seu parque tecnológico se expandiu possibilitando oferecer desdecomputadores (desktop, laptop e computadores portáteis), equipamento decomunicações (telefones portáteis e smartphones), e produtos de consumo(players de música digital, câmeras digitais e consoles de jogos), com toda estadiversidade ela se mantém de forma competitiva no mercado com o seusprodutos. Para encurtar a cadeia de fornecimento com a produção dos seuscomponentes internamente o porta-voz Arthur Huang, explicou a estratégia deredução de custos da empresa: “Nós, tanto encomendamos a produção de componentes a outrosfabricantes como podemos conceber e produzir internamente as nossospróprios componentes. Temos até mesmo contratos com outros fabricantesque estão localizados perto das nossas fábricas.” Integração é a base para a expansão do desenvolvimento da Foxconn,sendo que existem duas características de especialidades no qual ela podeoferecer aos seus clientes custo-benefício. A primeira concentra-se no projetode montagem de componentes eletrônicos ex. placas de circuito,armazenamento de dados ou ecrãs. A segunda em fabricar os elementosestruturais dos produtos eletrônicos ex. as caixas para os produtos eletrônicos.A Foxconn integra os dois modelos como forma de atrair um modelo denegócios mais eficientes, possibilitando eliminar a concorrência no preço,rapidez de entrega e qualidade dos seus produtos finais.Os clientes da Foxconn A Foxconn conta hoje com uma equipe grande engenheiros e gestoresde marketing para atender aos seus clientes no mundo inteiro. A empresa é depende das encomendas feitas pelas grandes gigantes doramo de tecnologia de ponta e cada vez mais de marcas do setorautomobilístico. Por isso suas ações variam conforme os pedidos das grandes marcascomo a Nokia, que obteve uma redução dos lucros. Este resultado ocasionoucom que as ações da Foxconn International, uma das principais produtoras decomponentes para aparelhos móveis, recua-se em aproximadamente 8%,depois do anúncio dos piores resultados no primeiro semestre deste ano emtoda a história da companhia. A empresa revela que esta preparada paraenfrentar a desaceleração da economia devido à crise do euro. Marcos Roberto Andreasi MBIT – 2012 marcosrobertoandreasi@gmail.com
  4. 4. Centro Universitário Padre Anchieta Mas admitiu que existissem incertezas na demanda global decomponentes para celulares para o segundo semestre de 2012, este quadroreflete um olhar pessimista para que os rendimentos anuais diminuamdrasticamente. Como estratégia a empresa promete direcionar suas ações emreduzir os custos no setor de aparelhos. Segundo a agência de notícias Reuters, a empresa informou que teveperda líquida de US$ 226,07 milhões no período entre janeiro e junho desteano, muito maior do que a perda registrada no mesmo período em 2011, deUS$17,65 milhões. A companhia, que não divulga seus resultados fiscais trimestrais, obteveo pior resultado desde 2005 e forte queda em seus rendimentos no primeirosemestre pelo quarto ano consecutivo. Os resultados atuais foram muito pioresdo que o estimado por analistas, que acreditavam que a empresa iria registrarperdas na casa dos US$ 38 milhões.(<http://canaltech.com.br/noticia/bolsa-de-valores/Acoes-da-Foxconn-recuam-depois-do-anuncio-do-seu-baixo-rendimento-no-1o-semestre/#ixzz25dMxvdA8>)Regime de Trabalho Global A China, atualmente é conhecida por suas características sociais nãoliberais, sendo um caso típico da reprodução flexível do capital deste século.Não obstante a China enfrentou a sua pior crise econômica do pós-guerra quea tornaram em contra partida a segunda economia do mundo, ultrapassandoinclusive o Japão. Com a vinda de capital transacional e privado proveniente das indústriascosteiras e em algumas cidades e vilas do interior que elas se instalaram aChina obteve o mais rápido crescimento a nível mundial referente às suasimportações e exportações. Devido à política de reforma e de portas abertas, proporcionou que suaeconomia fosse orientada para a exportação. Garantindo seu crescimentoeconômico. As empresas logo fizeram seus investimentos na Ásia, enquanto que osfabricantes nacionais por sua vez decidiram pela China Continental. Cresceramrapidamente e tornaram-se fornecedores e subcontratados de empresasmultinacionais ocidentais, tomando como base na exploração dos baixossalários dos trabalhadores migrantes. Em seu ambiente fabril, o stressassociado com a concorrência acelerada e os métodos de gestão da produçãoJust-in-time, é intenso. Um fator que vale ser ressaltado, é que ostrabalhadores da China não têm estruturas sindicais que façam valer os seusdireitos. Em seu nível mais baixo na cadeia de fornecimento de mercadorias,estão às commodities, e por detrás delas milhões de trabalhadores migrantes Marcos Roberto Andreasi MBIT – 2012 marcosrobertoandreasi@gmail.com
  5. 5. Centro Universitário Padre Anchietachineses sendo constantemente privados por salários dignos quer porbenefícios sociais igualitários. Em contra partida os jovens migrantes estão cada vez mais conscientessobre seus direitos, e almejam possibilidades de conseguir boas oportunidadesde trabalho justo, bem estar social e serviços públicos básicos. Isto se deve aofato da formação educacional mais elevada. Segundo dados da China National Bureau of Statistics (NBS), dos145.330 mil trabalhadores migrantes com base nos dados do inquérito de 2009quase um terço 31,1% têm entre 21 e 25 anos de idade e são titulares dediplomas do ensino médio ou superior. Enquanto isso, governo eempregadores divergem sobre estas questões, aja visto que dependem detrabalhadores disciplinados e ganhando baixos salários para poder crescer nasexportações. Só que esta estratégia não esta funcionando, à medida queaumenta as explorações deflagra-se fortes protestos locais.(<http://exame.abril.com.br/tecnologia/iphone/noticias/rede-de-tv-visita-fabrica-da-foxconn-na-china>) SuicídiosDe acordo com a IstoÉ Dinheiro, Economia, “Em 2010, cerca de 30funcionários da empresa se suicidaram ou tentaram suicídio. Nove delesmorreram ao se jogar dos dormitórios. Eles tinham cerca de 25 anos etrabalharam na Foxconn por pouco tempo.”(<http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/54329_QUEM+E+A+FOXCONN+A+GIGANTE+DO+HARDWARE+QUE+VAI+MONTAR+IPAD+NO+BRASIL>) A imprensa internacional relacionou o problema aos salários baixos, ejornada de trabalho excessiva. A empresa se comprometeu a aumentar ossalários de seus trabalhadores nas unidades chinesas. Em reportagem para o jornal “O Washington Post”, “O movimento pelaApple e sua fornecedora Foxconn, maior fabricante mundial de produtoseletrônicos, a revisão das condições de trabalho nas fábricas no exterior, écolocar um holofote sobre as práticas de trabalho da indústria da tecnologiados EUA e aumentando a pressão sobre as maiores rivais da Apple pararesponder em espécie.” (Sarah Halzack e Ariana Eunjung Cha, 2012). Algumas das principais empresas de tecnologia analisam o cenário eestão preocupados quanto à possibilidade dos custos serem repassados àsempresas americanas. Especialistas no assunto advertem que poderá haverpressão referente a questões globais de trabalho.(<http://veja.abril.com.br/multimidia/video/made-in-china>) Marcos Roberto Andreasi MBIT – 2012 marcosrobertoandreasi@gmail.com
  6. 6. Centro Universitário Padre AnchietaAs pessoas protestam contra as condições de trabalho da Apple: manifestantes estão exigindomelhores condições de trabalho nas instalações de produção da Apple na China. Michael Gartenberg, analista da Stamford Connecticut comentou “Com otempo isso vai se tornar um problema para outras empresas. Estamos vendo oque a Apple está fazendo, o que você está fazendo?” A Amazon e a Microsoft quando questionada não responderam ou nãoquiseram comentar. Já a Dell e Hewlett-Packard ressaltaram o seu apoio acondições humanas de trabalho. Essas empresas utilizam Foxconn parafabricar seus dispositivos populares. O porta-voz da Dell David Frink, disse "Estamos satisfeitos que aFoxconn está tomando medidas para melhorar as condições de trabalho, comum aumento de salário para os funcionários. Nós vamos continuar a ajudar aempresa nesta transição”. Por sua vez um porta-voz da HP disse que a empresa tem sido aauditoria de seus fornecedores, desde 2004, e "leva a sério o desafio de elevara responsabilidade social e ambiental em sua cadeia de fornecimento.” A Fair Labor Association, uma associação sem fins lucrativos, foicontratada pela Apple depois que os rumores em certas unidades se tornaramfoco de ativistas que reivindicavam melhores condições de trabalho vazarampara os meios de comunicação. Foram investigadas três instalações gigantes,o relatório menciona que mais da metade de seus trabalhadores excederam olimite permitido de 60 horas semanais de trabalho. Este também mencionacondições de trabalho que possam colocar os trabalhadores em risco. Marcos Roberto Andreasi MBIT – 2012 marcosrobertoandreasi@gmail.com
  7. 7. Centro Universitário Padre Anchieta O Presidente da (Fair Labor Association – FLA) Auret van Heerden,disse à agência de notícias Reuters que acredita que o compromisso firmadoentre a Foxconn e Apple irá agitar toda a indústria. "Apple e Foxconn são, obviamente, os dois maiores protagonistas dosetor, e uma vez que está se unindo para conduzir esta mudança, eu realmenteacho que a fagulha para o resto do setor", Heerden. Andy Cruz, diretor de investimentos no Motley Fool, vê mudança políticada Foxconn como um ponto de virada. "É um momento decisivo para asindústrias e como isso afeta os preços para o usuário final", comentou. A maioria dos especialistas está unânime quanto ao fato de que a Apple,com o seu enorme poder de caixa e margens de lucros impressionantesobtidos pelas vendas de produtos como o iPhone e iPad, está em melhorposição para suportar custos mais elevados de trabalho no exterior. "Certamente, uma empresa que está vendendo um monte de coisas emuma margem muito, muito alto o seu impacto vai ser menor do que umaempresa que vende menos produtos com margens mais baixas" opinouGartenberg. Os mais céticos concordam quanto ao fato de que se as outrasempresas não se dispuserem a aderir ao mesmo movimento, esta mudançapoderá ser muito pequena. O principal analista do (Enderle Group) Rob Enderle, disse "Este é umproblema a nível governamental, e até mesmo a Apple não tem o nível deinfluência para realmente corrigir isso”.(<http://www.washingtonpost.com/business/economy/apple-foxconn-labor-pact-awaits-industry-reaction/2012/03/30/gIQAj859lS_story.html>) Não obstante, a cultura militar adotada por Terry Gou como ele mesmomencionou “Um líder deve ter a coragem suficiente para ser um ditador para obem comum". É posto a prova em sua unidade em Jundiaí – SP na fábrica daFoxconn II. Como revela a reportagem da INFO (agosto 2012, p.68) “O acessoé restrito e o esforço para preservar os segredos industriais são imenso. Quemtrabalha no galpão A não pode frequentar o B e cada componente é embaladoem plástico opaco, de forma que um funcionário nunca sabe o que estátransportando. Toda movimentação de entrada dos funcionários à circulaçãodos caminhões de distribuição peças, é acompanhada por uma dezena deseguranças”. O início das operações da fábrica em Jundiaí, também foi marcado porinúmeras irregularidades como relatou o sindicalista Evandro Santos à Marcos Roberto Andreasi MBIT – 2012 marcosrobertoandreasi@gmail.com
  8. 8. Centro Universitário Padre Anchietareportagem da INFO (agosto 2012, p.69) “Houve falta de água, alimentaçãodeficiente e problemas com transporte.” Fato este que quase resultou em uma possível paralização da fábricapor partes dos funcionários. No qual foi descartada assim que a empresadecidiu por atender as reivindicações da classe.Foxconn no BrasilFábrica em Jundiaí - SP A vinda da empresa Foxconn para ao Brasil só foi possível em 2011,após uma série de negociações entre a presidente Dilma Rousseff e taiwanêsTerry Gou, fundador da companhia. Com base na promessa de investimento naordem de US$ 12 bilhões, divididos em cinco anos o governo foi pressionado adar uma resposta rápida. (<http://www.youtube.com/watch?v=b-MwtQbwRnc>) O projeto estabelece uma série de exigências entre elasinfraestrutura para ser montada uma cidade inteligente, garantia de incentivos emudança na legislação fiscal. O governo temendo a ida da empresa para países vizinhos comoArgentina e México devido a questões burocráticas prometeu a Terry Gou umainfinidade de incentivos fiscais entre eles a permissão de fabricar iPads noBrasil com redução de 80% dos impostos, se comparado com os importados.Diante deste anúncio Gou disse que investiria os 12 bilhões de dólares até2015, geraria postos de trabalho em torno de 100 mil empregos diretos, sendo20 mil postos destinados para engenheiros. Além de que iria transferirtecnologia e abrir sua primeira fábrica de telas de cristal líquido das Américas. Porém engana-se quem acha que este investimento todo partirá apenasda companhia Terry, deixa claro que parte deste montante virá de sóciosminoritários e conta com a ajuda do governo para encontrá-los, além dosincentivos fiscais e de financiamentos o que reduz esta cifra bilionária. Marcos Roberto Andreasi MBIT – 2012 marcosrobertoandreasi@gmail.com
  9. 9. Centro Universitário Padre Anchieta O plano para instalação divide-se em duas etapas distintas: até 2013será produzidos smartphones, tablets, e monitores de até 32 polegadas. Até2016, TVs full HD de LCD de até 60 polegadas. Enquanto que para a cidade inteligente “o problema envolve umainfraestrutura que comporte cabeamento de fibra ótica e uma malha detransporte que garanta escoamento rápido da produção. O terreno deve sergrande para abrigar um "cluster" industrial (conglomerado de empresas queusam a mesma estrutura), que, além dos componentes eletrônicos, deveráproduzir equipamentos médicos e de automação e abrigar uma usina deprodução de energia fotovoltaica.” (Folha de São Paulo, 2011) A empresa também reivindica regime alfandegário diferenciado paraseus produtos e terminais dedicados em portos e aeroportos. A Foxconn está no Brasil desde 2003. E conta com aproximadamente5.860 trabalhadores em suas quatro plantas no Brasil. A partir de novembro docorrente ano, a montagem do iPad começou ser feita na unidade de Jundiaíinterior de São Paulo.(<http://www.pibernat.com.br/index.php/noticias/1653-foxconn-faz-pacote-de-exigencias-a-dilma.html>) Apesar de serem fabricado com incentivos fiscais, novo iPad brasileiro évendido pelo mesmo preço que o importado. A empresa Apple já comercializa em território brasileiro o iPad 2 e oNovo iPad de fabricação nacional. Estes dois modelos podem ser encontradostanto na loja da empresa na internet, como também em grandes varejistascomo a Wal-Mart e Americanas.com. Contudo, a produção era voltada paraexportação aos países do MERCOSUL. Apenas no final de junho, lotescomeçaram a ser fabricados para a venda no varejo nacional.Nota: Incentivo fiscal – A Foxconn obteve no início deste ano a autorização doMinistério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) para enquadrar os tabletsna Lei de Informática (nº 8.248) e na Lei do Bem (nº 11.196), que concedemincentivo fiscal a empresas que produzem eletrônicos com um porcentual deconteúdo nacional. O enquadramento pode reduzir em até 30% o custo defabricação do tablet. Vamos aguardar! Um dos pontos mais delicados entre o acordo com a Foxconn e ogoverno, é quanto à fabricação de telas sensíveis. Conforme matéria da revistaINFO (agosto 2012, p.71) “A empresa taiwanesa exige incentivos fiscais dogoverno federal, menor ICMS no estado em que se instalar e impõe à prefeiturada cidade condições como cessão do terreno, desconto no IPTU e ajuda paratratar o lixo tóxico gerado por esse tipo de operação. Além disso, a Foxconnquer um parceiro brasileiro para arcar com 60% dos investimentos, estimadoem 4 bilhões de dólares. Os outros 30% viriam de um empréstimo do BNDES. Marcos Roberto Andreasi MBIT – 2012 marcosrobertoandreasi@gmail.com
  10. 10. Centro Universitário Padre Anchieta À Foxconn caberiam 10% dos investimentos e a transferência de suatecnologia.” Quanto à questão da liberação do empréstimo o BNDES e a Foxconndivergem de opiniões referentes fabricação entre telas de OLED (Amoled) eLCD/LED no Brasil. O BNDES promete liberar o investimento se a empresaconcordar em fabricar telas de OLED, uma tecnologia mais avançada emrelação às de LCD convencionais. Mais a Foxconn insiste pelas telas de LCD,e não as de OLED por representar atualmente um custo muito elevado parasua produção. Além da Foxconn II e da unidade de armazenamento da Apple,localizado na Rodovia Anhanguera, contam também com uma fábrica de peçaspara notebooks Dell na Rodovia dos Bandeirantes, também em Jundiaí – SP,uma integradora de computadores em Manaus (AM) e uma fábrica de peçaspara celulares em Itaquaquecetuba, na grande São Paulo. Juntas estas fábricas representam menos de 10.000 empregos no Brasil.Índice muito baixo em relação ao prometido à presidente Dilma. Para cumprir apromessa seria preciso criar cerca de mais de 90.000 postos de trabalho.Um olhar diferente da empresa FoxconnEntrevista com um colaborador da área técnica do “Setor de Projetos”:1- Quando no início da operação da empresa em Jundiaí os problemas quequase levaram a greve foram totalmente resolvidos nos dias de hoje como:transportes, alimentação e falta de água e principalmente houve algum tipo deaumento significativo de salário para os funcionários?R: Acredito que problemas existem em todas as empresas em geral. Os citadosatualmente foram resolvidos, o nível de salário oferecido na Foxconncomparado a de empresas de mesmo porte na região é superior, está sendoimplantada a gestão de cargos e salários. A questão da alimentação estásendo resolvida com a construção de um novo restaurante.2- Assim como na fábrica chinesa, o esquema de segurança é altamentemilitarizado e ocorre de forma independente do que acontece do lado de forada empresa, não havendo nenhuma forma de colaboração com a polícia local.Esta situação é encarada pelos colaboradores como normal e até que pontoela é abusiva?R: Sim, a segurança existe mas é somente voltada para a proteção dotransporte dos equipamentos, não há abusos na segurança, o que existem sãorevistas ao entrar e sair da empresa e nos portais de acesso a fábrica, as Marcos Roberto Andreasi MBIT – 2012 marcosrobertoandreasi@gmail.com
  11. 11. Centro Universitário Padre Anchietamesmas são feitas de forma educada e é encarada de forma natural peloscolaboradores.3- A situação referente ao impasse sobre a criação de uma nova unidade parase produzir telas de LCD/LED ou Oled, onde o Banco BNDES iria liberarinvestimento foi resolvida?R: Esta não tenho informações.....4- Com o novo enquadramento da “Lei de Informática" criado pelo governobrasileiro, você acha que os produtos produzidos pela empresa poderão custarmais baratos que os importados?R: Acredito que no decorrer da produção a tendência é que os preços dosprodutos brasileiros saiam mais barato para o mercado de consumo.5- Com o lançamento do novo Iphone 5, anunciado no último dia 12 desetembro, o ritmo de trabalho aumentou também na fábrica de Jundiaí parasuprir a demanda de mercado ou não houve mudança na rotina nas unidadesbrasileiras?R: Até o momento não há mudanças na linha de produção do Iphone.ROTEIRO PARA PESQUISAVisite o site da Foxconn International Holdings em <http://www.fih-foxconn.com/about/default.aspx> e <http://www.foxconn.com/>Comente sobre:  A lista de exigências da Foxconn, e as questões fiscais, legais e de infraestrutura quanto ao cumprimento destas pelo governo brasileiro.  Quanto a questões globais de trabalho, poderá haver aumento do preço final dos produtos fabricados aos consumidores. Opine?  Porque os produtos fabricados no Brasil ainda tem o mesmo preço dos importados? Marcos Roberto Andreasi MBIT – 2012 marcosrobertoandreasi@gmail.com
  12. 12. Centro Universitário Padre AnchietaO que, quem é/são  Terry Gou  Commodities  outsourcing  Just-in-time  LCD/LED  OLED (Amoled)  China National Bureau of Statistics (NBS)  Fair Labor Association – FLA  Incentivo fiscal  Lei da Informática (nº 8.248)  Lei do Bem (nº 11.196)  as cinco competências fundamentais  cluster  energia fotovoltaica Marcos Roberto Andreasi MBIT – 2012 marcosrobertoandreasi@gmail.com

×