GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ       UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ  CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM MATEMÁTICA  MODALIDADE A DI...
AbstractIn this short article we explain briefly the types of assessment known, andprovoking some discussion of this topic...
ResumoNeste pequeno artigo expomos de forma sucinta os tipos de avaliação conhecidas,e provocando certa discussão a cerda ...
Para que possamos avançar no processo de ensino-aprendizagem,devemos constantemente avaliar ações realizadas em um crítico...
ser tomados à avaliação, tornando este procedimento como parte da avaliação dosistema educativo.        Como definição a a...
de tomadas de decisão, por parte dos alunos, professores e de toda a estruturaeducacional.        De acordo com Bloom, Has...
alunos, professores e do corpo técnico pedagógico envolvido. Podemos entenderseu papel como orientado a dois polos princip...
(BLOOM, 1983 apud CERQUEIRA Everaldo, 2008). Logo, define o resultado doaproveitamento   de   apropriação   de   conteúdo ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Avaliação

1.799 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.799
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Avaliação

  1. 1. GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM MATEMÁTICA MODALIDADE A DISTÂNCIA – NÚCLEO DE JACUNDÁ Marcos Ribeiro de AlmeidaCONHECENDO E ANALISANDO O PROCESSO AVALIATIVO Jacundá – PA 2012
  2. 2. AbstractIn this short article we explain briefly the types of assessment known, andprovoking some discussion of this topic to bristle.Several questions about the emphasis on a follow-Evaluative always arise, it is thedialogue with the day to day in the classroom to determine how accurately assessa student. And the weave of assessment that unite all biases discussed in this file.However the biggest challenge would be the current assessment of theeffectiveness and efficiency of the faculty of public educational institutions. This isundoubtedly a great challenge!Keywords: "review", "diagnostic evaluation", "formative assessment", "summative"
  3. 3. ResumoNeste pequeno artigo expomos de forma sucinta os tipos de avaliação conhecidas,e provocando certa discussão a cerda deste tema.Diversas perguntas sobre ênfase em um dos seguimentos avaliativos sempresurgem, cabe o diálogo com o dia-dia na sala de aula para definir como avaliarcorretamente um aluno. E o tecer da avaliação que uni todos os vieses abordadosneste arquivo.Contudo o maior desafio atual seria a avaliação da eficácia e eficiência do corpodocente das instituições de ensino público. Este sem dúvida é um grande desafio!Palavras chave: “avaliação”, “avaliação diagnóstica”, “avaliação formativa”,“avaliação sumativa”
  4. 4. Para que possamos avançar no processo de ensino-aprendizagem,devemos constantemente avaliar ações realizadas em um crítico processo deavaliação de competências. Nossa sociedade atual pouco observa as didáticas de ensino e avaliaçãorealizada no sistema educativo, talvez devido a um acumulativo histórico de baixaqualificação educacional recebida quando outrora foram estudantes neste mesmosistema. Neste sentido Fernandes (2000) afirma: "Na sociedade em que vivemos exige-se que se aprenda ao longo de toda a vida, e é bom que todos estejamos preparados para sermos avaliados em permanência, para podermos evoluir, para que haja justiça nas relações de trabalho, para sermos uma sociedade meritocrática e não uma sociedade clientelar onde uma boa cunha vale mais do que uma competência comprovada” Logo, mais que a mera avaliação quantitativa de resultados, torna-sesumo a verificação do atingimento das metas pré-estabelecidas quer dosParâmetros Curriculares Nacionais, planos de cursos, planos de ensino, planos deaula e até do desempenho do docente neste processo. Duas vias norteiam o ato da avalição focando-se no sujeito e no objeto. Aprimeira refere-se a quem está sendo avaliado, em geral, o aluno. A segundatrata-se das diferentes caraterísticas e particularidades tomadas como objeto deverificação e análise. Quanto ao objeto da avaliação, podem variar e multiplicar, como diversosaspectos no processo, pré-requisitos para as disciplinas, resposta a comunicaçãodo professor, compreendimento significativo dos conteúdos e suas possíveisaplicações, evolução individual de estágio de conhecimento, aproximação damédia entendida como aquisição normal de informações apresentadas peloprofessor, dentre diversas outas. Nevo (1990) relata que múltiplos objetos podem
  5. 5. ser tomados à avaliação, tornando este procedimento como parte da avaliação dosistema educativo. Como definição a avaliação é uma comparação entre resultadosalcançados e objetivos previamente traçados Tyler (1949). “No que se refere às funções da avaliação da aprendizagem, importa ter presente que ela permite o julgamento e a consequente classificação, mas essa não é a sua função constitutiva. É importante estar atento à sua função ontológica (constitutiva), que é de diagnostico, e, opor isso mesmo, a avaliação cria a base para a tomada de decisão, que é o meio de encaminhar os atos subsequentes, na perspectiva de busca de maior satisfatoriedade nos resultados”. (Luckesi 2003, p. 176). Diante do apresentado o ato de avaliar, vai do algoritmo de observação doque se pretendia como resposta ao ofertar um conteúdo, em vista ao que se tevecomo resultado, até a subjetividade no diagnóstico, revisando as técnicas e fatoresque constituem este processo, reestruturando e aperfeiçoando a si mesmo e aométodo de ensino como personagem interacionista e transformador para que seatinja algum avanço do âmbito educacional. Geraldi (1998) reforça o conceito explanando que: “... uma porção importante do conhecimento cotidiano não é claro para os professores e professoras: é tácito, implícito e rotineiro e pode ser trabalhado e vivido sem que sejam compreendidos seus fins e intenções. Porém à medida que o professor reflete sobre a sua prática, vão ocorrendo análises, criticas, reestruturação e incorporação nova de conhecimentos que poderão respaldar o significado das ações posteriores”. (Geraldi et al, 1998, p.256) Assim visto, os autores anteriormente citados, referem-se à avaliaçãocomo uma verificação do desempenho face aos objetivos anteriormente traçados.Sendo de extrema importância para a evolução do ensino, estimulando a criação
  6. 6. de tomadas de decisão, por parte dos alunos, professores e de toda a estruturaeducacional. De acordo com Bloom, Hastings e Madaus (1971) apud ROSADO Antónioe SILVA Catarina (2010), “também relacionam a avaliação com a verificação deobjectivos educacionais. Em função da finalidade da avaliação consideram trêstipos de avaliação: uma preparação inicial para a aprendizagem, uma verificaçãoda existência de dificuldades por parte do aluno durante a aprendizagem e ocontrolo sobre se os alunos atingiram os objectivos fixados previamente. Os tiposde avaliação referidos representam, respectivamente, a avaliação diagnóstica, aavaliação formativa e a avaliação certificativa”. Portanto, avaliações de competências são realizadas geralmente em trêstempos, o diagnóstico, a formação e a soma. O primeiro, onde se diagnostica asituação atual, o contexto vivido pelos alunos, os problemas, que os cercam, assuas necessidades, situação socioeconômica, a deficiência em determinadasáreas do saber. O segundo acompanha o desenvolvimento do aluno ao longo doano, trata-se de uma avaliação continuada, que irá formar um aluno melhorandoos aspectos negativos, diagnosticados anteriormente. E por fim, a tradução doaprendizado em estimativa numérica, onde representará o resultado dacomparação com o modelo do que seria o nível de conhecimento almejado, valelembrar que a avaliação somativa (certificativa), não se trata de apenas doresultado de um teste classificatório, a mesma, percorre por todo o andamento doprocesso de ensino-aprendizagem, desde a fase de diagnóstico ao fim de umandamento anual com colação de nível. AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA Tomada como ponto de partida para o planejamento de ensino, SegundoStufflebeam (1985) apud ROSADO António e SILVA Catarina (2010) é precisoconhecer (diagnosticar) a realidade e as necessidades que alicerçam o processode ensino, para que se aperfeiçoem os pontos devidamente necessários, para quese poça aplicar uma didática para estimular tomadas de decisão por parte dos
  7. 7. alunos, professores e do corpo técnico pedagógico envolvido. Podemos entenderseu papel como orientado a dois polos principais, conhecer a realidade histórico-crítica, ou seja, o contexto em que vive os alunos envolvidos, e conhecerdeficiências de pré-requisitos herdadas ao longo dos anos necessários aodesenvolvimento presente. A avaliação diagnóstica, mesmo sendo ponto de partida para todo otrabalha a ser desenvolvido, não se restringe ao período inicial de um ano letivo,deve ser utilizada no transcorrer de todo o trabalho. AVALIAÇÃO FORMATIVA Nesta avaliação o foco principal são as interrogações que circundam amelhoria da eficácia do trabalho do docente, visualizando as reações dos alunosem face de didática aplicada, contextualizando o método visando provocar feedback como pontos de ancoragem para o aprendizado, provocando constantesmudanças, adaptações à necessidade da classe motivando a formação dediscentes próximo do modelo que julgamos como apropriado de volume deconhecimentos considerados aceitáveis. Visto isso, este procedimento avaliativo “Ë formativo no sentido em queindica como os alunos se modificando em direção aos desejados”. (Bloom, Benjamin1971 apud CERQUEIRA Everaldo 2008). Portanto, esta avaliação deve ser aplicada de maneira contínua, pois trata-sede análise das reações externadas e implicitadas pelos alunos em desempenho aoresultado o qual desejava-se atingir. AVALIAÇÃO SOMATIVA (CERTIFICATÓRIA) Possui aspecto quantitativo onde se expressa em uma quantidade numérica (de 0 a 10) o resultado de todo o processo avaliativo, permitindoou não ao aluno a transferência de nível. “Objetiva avaliar de maneira geral o grauem que os resultados mais amplos têm sido alcançados ao longo e final de um curso”
  8. 8. (BLOOM, 1983 apud CERQUEIRA Everaldo, 2008). Logo, define o resultado doaproveitamento de apropriação de conteúdo adquirida ao fim de ano letivoclassificando ou não os referidos alunos a série consecutiva. Diante do apresentado, Podemos entender em contexto geral, que hajaconflito em método avaliativo qualificativo na formação e quantitativo-qualitativo nocertificado somativo, quando se leva em consideração a formação processual daconstrução do conhecimento como fator classificatório, diferente de práticas antigasque definiam através de provas as quais retornariam o resultado classificatório doaluno, “De acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), édeterminado que a avaliação seja contínua e cumulativa e que os aspectos qualitativosprevaleçam sobre os quantitativos”. (CERQUERA Everaldo, 2008). Desta forma, voltada ao aluno com resultado processual de um trabalhodesenvolvido objetivando a qualidade do ensino.

×