Comportamento
Reuniões – Como elas matam as boas ideias
Estudosmostramque reuniõesnãosãoeficientese têmopoderde deixaras p...
livroApplied Imagination,onde apresentou otermobrainstorminge oconceitode reunião
livre,onde todomundopode falar.ParaOsbor...
consultorempresarial ChristianBarbosa,autordolivroEstouemReuniãoe organizadorda
pesquisacom2 mil executivosque citamosnoin...
garçom ia servirocafé,perguntavabaixinhoparacada participante oque ele achavado
assuntoque estavasendodebatido.Eraumamanei...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Reuniões – Como elas matam as boas ideias

14 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reuniões – Como elas matam as boas ideias

  1. 1. Comportamento Reuniões – Como elas matam as boas ideias Estudosmostramque reuniõesnãosãoeficientese têmopoderde deixaras pessoasmais burras.Vejapor que é assim,e o que pode serfeitoparatransformaras reuniõesemalgomais útil - e até divertido. Por Tiago Cordeiro Colegaschatos,discussõesbestas,tempoperdido.Você detestaasreuniõesdoseutrabalho? A maioriadaspessoasodeia.Commotivo:estudosmostramque elasnãosãoeficientese têm o poderde deixaras pessoasmaisburras. Vejaporque é assim, e o que pode serfeitopara transformaras reuniõesemalgomaisútil – e até divertido. Você se prepara,faz a liçãode casa, respirafundoe sentaà mesa.Seuchefe e a equipe já estãolá,mas aquele colegaatrasadinhonão – e o grupo esperameiahorapor ele.Você está irritadoporque desperdiçouumtempoprecioso,massabe que opiorestáapenascomeçando. Um após o outro,os personagenstípicosde reuniãose apresentam.Otagarela,opuxadorde tapetes,odespreparado,ooportunista,oindeciso,obajulador.Todomundofala,fala,falapor horas e horas, batendocabeçae girandoem falsoaté que,pormero cansaço,uma ideia qualqueré eleitaavencedora.Acabouareunião.Evocê,no meiodesse turbilhãode bobagens,nãoconseguiu nemse explicardireito –ou,se conseguiu,ninguémdeumuitabola. A coisaé tão grave que,nas empresasemque aconfirmaçãopor e-mail emumareuniãoinclui automaticamente ohorárionaagendapessoal,muitosfuncionáriosinventamcompromissos nos horáriosemque precisamtrabalharde verdade – e assima agendaficatravada para mais perdasde tempocom conversasde grupoque não levama lugarnenhum.Mas se todo mundo odeiareuniõese sabe que elassãoumproblema,porque fazemostantas?Nãoexiste mesmo uma alternativamelhor,ouumjeitode torná-lasmaisprodutivas? Talvezas reuniõesdasuaempresanãosejamexatamentedessejeito.Masprovavelmente elas têmalgumasemelhançacomo cenáriodescritoacima.Tantoé que,numapesquisafeitacom 2 mil executivosbrasileiros,69%disseramque odeiamreuniões.Eestamosfalandode executivos,que sãoespecialistasemfazerreuniões;entreosdemaiscargos,a ojerizatende a sermaior ainda. “Se você conversarcom qualquerpessoa,aleatoriamente,elavai dizerduas coisas:que ganha mal e perde muitotempoemreunião”,afirmaMarcosMinoruNakatsugawa, professorde administraçãode empresasnaFundaçãoEscolade ComércioÁlvaresPenteado (FECAP). A mesmapesquisaconstatouque 70% das reuniõesnãochegama lugar nenhum, e uma empresamédia,de 100 funcionários,desperdiçaR$500 mil anuaiscomo tempoperdido nelas.Ouseja:alémde você estarsofrendonareunião,oseupatrão está jogandoR$ 5 mil fora. Mas esperaaí. Reunirváriaspessoasparadebaterum problemanãodeveriaseramelhor formade resolvê-lo?Deveria,masnaprática acaba não sendo.E o problemaestájustamente no estilomodernode fazerreunião:ochamadobrainstorming,onde todosospresentes podemopinarsobre todososassuntosemdebate.É a maneiramaisdemocráticade fazer reunião,e a maiscomum hoje emdia.Elafoi inventadapelopublicitárioamericanoAlex Osborn,que passou20 anosestudandoosmecanismosdotrabalhoe,em1953, publicouo
  2. 2. livroApplied Imagination,onde apresentou otermobrainstorminge oconceitode reunião livre,onde todomundopode falar.ParaOsborn,o importante eracriarum ambiente descontraído,que gerasse muitasideias.Emmeioaoturbilhãode ideiasbestas,fatalmente surgiriamalgumasgeniais.A quantidade levariaàqualidade.“Erauma tentativade acabar com os bloqueiospsicológicosque poderiambarraraapresentaçãode sugestões”,dizapsicóloga americanaLindaSpears-Bunton.Eas reuniõesdemocráticasganharamomundo.Mas não deramcerto.“Hoje sabemosque apenasumaemcada quatro reuniõesde brainstorminggera resultadoconcreto”,afirmaLinda. Comosabemos?É que um estudopublicadonesteanoapontaque as pessoassãomais inteligentes,e tomammelhoresdecisões,quandoestãosozinhas.PsicólogosdaUniversidade de Haifa,em Israel,apresentaramumabateriade perguntase problemasparaque voluntários resolvessem.Metade dosvoluntáriostrabalhavasozinha.A outrametade se reuniaemgrupos. Resultado?Ossolitáriossempre forammelhordoque osgrupos.Acertarammais respostase propuseramsoluçõesmaispertinentes.“Nãohádúvidade que o pensamentosolitárioé mais produtivo”,dizopsicólogoAsherKoriat,autordapesquisa.Segundoele,issoacontece por doismotivos.Oprimeiroé que,durante asreuniões,osindivíduosmaisextrovertidossempre acabam dominandoodebate – e colocandoos maistímidospara escanteio.Eos extrovertidos não são necessariamentemaiscompetentes.Massão maispersuasivos,e conseguem convencerogrupo das maiores bobagens.Ooutromotivoé que,quandoumapessoapensa sozinha,consegue exercermaissensocríticoe nãose distrai coma interaçãosocial. Issosignificaque devemosacabarcom as reuniões,então?Não.Koriatpropõe ummeiotermo. “O intercâmbiode ideiasdeveriaenvolvermenospessoas,e sóacontecerdepoisque cada profissionaltivesse feitoarespectivaliçãode casa”,afirma.“Quandoo brainstormingacontece no começode um projeto,achance de uma bobagemditacom estilose tornarregra,e atrapalhartodo o processodali paraa frente,é muitogrande.” Como na escolinha A faltade objetividade nasreuniõesde trabalhoé cultural.Lembradosseustrabalhosde escola?A professorapassavaumatarefa emgrupoe um dosalunosconvidavaosoutrospara se reunirna casa dele.Cadaum chegavanumahora, a maioriadoscolegasnão estavaa fimde nada,e sempre apareciaa mãe do dono(oudona) da casa para conferirse todomundoestava se comportandoou oferecerumlanche.Alguémsempre sugeriadeixarpara depoise aproveitara tarde para jogar bola.Claroque todo mundovoltavaparacasa semque o trabalhoestivessepronto.“Se você abordaumdesconhecidonarua,é porque queruma informaçãoobjetiva,comoadireçãode uma rua ou que horassão. Mas organizamosreuniões semsaberexatamente qual problemaqueremossolucionar.Écomose o simplesfatode todos sentaremaoredor de uma mesafosse resolvertudo”,dizAdrianFurnham, psicólogo especializadoemgestãoempresariale professorda University CollegeLondon.“Parece que muitasvezesasala onde a conversavai acontecere a comidaque vai ser servidaé mais importante doque o assuntoque vai sertratado”. Vai dizerque você nunca sugeriuque o trabalhoda escolafosse feitonacasaonde o lanche era maisgostoso?“Fazemosamesma coisana fase adulta,só que com ternoe gravata e ganhandodinheiroparaisso”,afirmao
  3. 3. consultorempresarial ChristianBarbosa,autordolivroEstouemReuniãoe organizadorda pesquisacom2 mil executivosque citamosnoiníciodestareportagem.Ouseja:nasreuniões, agimoscomo crianças. E, sempre é bomlembrar,como bichostambém.Nofundo,avidaprofissionalnãoé assimtão diferente dadinâmicasocial enfrentadaporlobose macacos,com disputase demonstrações de poder.“Da mesmaforma que os lobosarrepiamospelose arreganhamosdentespara mostrar força,os executivosconvocamreuniõesparareforçarsua posiçãode poder”,dizLinda Spears-Bunton.Presteatençãoàquelechefeque vive marcandoreuniões:nofundo,ele precisadessasdemonstraçõespúblicasde controle sobreogrupo.Nãoé uma falhade caráter. É uma tendêncianatural.Maspode ser contornada. Scott Snair,autor de livrosde negócioscomoChegade Reunião,sugere que cadaproblema sejadelegadoaumaúnica pessoa,e elarespondaaum só chefe.“Pormaisantiquadaque possaparecer,a hierarquiatemsuasvantagens.A pessoasabe claramente aquemse reporta, e o chefe se dedicaaavaliarpropostasconcretas,sema necessidade de ficarfazendo questionamentossóparamanterseustatus”,dizSnair.Algoparecidocomissoacontece na Apple,porexemplo,onde cadaquestãoé atribuídaa um Directly ResponsibleIndividual (IndivíduoDiretamenteResponsável),que temapalavrafinal sobre adiscussão. Até pelavelocidadecomque têmde desenvolvernovosprodutos,sãojustamente asempresas de tecnologiaasmaisempenhadasemacabarcom as reuniõeschatas.E a primeiraestratégia é fazerreuniõesmaiscurtas – e mais frequentes.Umapesquisafeitaem6mil empresasde tecnologiaconstatouque,emquase 80% delas,asreuniõessãodiáriase duramno máximo15 minutos.“Assimconseguimosidentificaros“enrolões”.Ogrupose automonitorae ninguém ficaparado”, dizHeberMantovani,diretordaempresade software e-comBR.Tambémvirou moda usarobjetospara evitarque aspessoasfalemdemais.NumadivisãodaMicrosoft,por exemplo,asreuniõescontamcoma participaçãode Ralph – umagalinhade borracha que a pessoaprecisasegurarenquantoestáfalando.Ealgumasreuniõessãopropositalmente agendadasnasescadariasda empresa,onde nãoháaquecimento(calefação).A ideiaé que, como estãocom frio,as pessoassejamobjetivas.Dáresultado:asreuniõesnaescadaria costumamdurar no máximodezminutos. No Facebook,otruque é marcar as reuniõeslogoantesdahora doalmoço.“Isso motivaas pessoasa falarmenos”,disse oengenheiroMarkTonkelowitzaojornal americanoThe Wall StreetJournal.Naempresade softwaresHashrocket,nosEUA,asreuniõesusamumabolade cinco quilos –quemfaladeve seguraro objeto.NaempresabrasileiraLocaweb,que presta serviçosde tecnologia,asreuniõesdiáriassãofeitascomaequipe empé.Quemestáfalando segurauma bolade basquete,e a duração doencontroé cronometrada.“Comessasreuniões rápidas,conseguimosencurtarem30% o tempode desenvolvimentode umsoftware”,dizLuis Carlosdos Anjos,gerente de marketingdaempresa. Vale tudopara mantero foco.Até apelarpara pequenostruques.“Certavez,emuma empresa,opresidentecontratouumgarçom para entrarna sala durante umareunião importante”,dizSérgioCoffoni,daconsultoriade recursoshumanos Hay Group.Quandoo
  4. 4. garçom ia servirocafé,perguntavabaixinhoparacada participante oque ele achavado assuntoque estavasendodebatido.Eraumamaneirade fazeras pessoaspararemde viajare prestarematençãoà reunião. Mas e se tudoissofalhar,e você perceberque estápresoemmaisuma reuniãotorturante e interminável?“Dê umjeitode se ocupar,semparecerque estádistraído,ouparticipe ativamente”,dizopsicólogoalemãoUlrikeNett,autorde estudossobre tédioemreuniões. Segundoele,você pode se distraire viajaràvontade quantoo assuntonãofor da sua alçada. Basta fazercara de quemestáprestandoatenção – e ouvirpor altoo que estásendodito,para não serpegode surpresa.A outra estratégiaé se engajar:porque se você participa,areunião passa mais rápido,e você pode apresentarinformaçõese opiniõescoerentespararesolvero debate e encerrara reunião.Ou,no mínimo,se divertircomela. Fonte:http://super.abril.com.br/comportamento/reunioes-como-elas-matam-as-boas-ideias/

×