O OrvalhoVem Caindo
Noel Rosa
O orvalho vem caindo, vai molhar o meu chapéu
e também vão sumindo, as estrelas lá do céu
Te...
Juízo Final
Nelson Cavaquinho
O sol....há de brilhar mais uma vez
A luz....há de chegar aos corações
Do mal....será queima...
Zeca Pagodinho
Precisei de roupa nova
Mas sem prova de salário
Combinamos, eu pagava
Você fez o crediário
Nosso caso foi p...
Mexeu com a moral
De um homem
Vou me vingar de você
Porque!
Eu vou sujar!
Seu nome no seu SPC
Eu vou sujar!
Seu nome no SP...
Eu vou sujar!
Seu nome no SPC
Eu vou sujar!
Seu nome no SPC...
Olha, eu já disse a você
Que vou sujar!
Seu nome no SPC
Tu ...
Noel Rosa
Quando eu morrer, não quero choro nem vela
Quero uma fita amarela gravada com o nome dela
Se existe alma, se há ...
E às vezes me levam de mal a pior
Pergunto quem
Não sabe disso
Os momentos em que a vida não tem dó
Solto meus bichos
Pela...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O orvalho vem caindo

365 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
365
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O orvalho vem caindo

  1. 1. O OrvalhoVem Caindo Noel Rosa O orvalho vem caindo, vai molhar o meu chapéu e também vão sumindo, as estrelas lá do céu Tenho passado tão mal A minha cama é uma folha de jornal O orvalho vem caindo, vai molhar o meu chapéu e também vão sumindo, as estrelas lá do céu Tenho passado tão mal A minha cama é uma folha de jornal Meu cortinado é um vasto céu de anil E o meu despertador é o guarda civil (Que o dinheiro ainda não viu!) O orvalho vem caindo, vai molhar o meu chapéu e também vão sumindo, as estrelas lá do céu Tenho passado tão mal A minha cama é uma folha de jornal A minha terra dá banana e aipim Meu trabalho é achar quem descasque por mim (Vivo triste mesmo assim!) O orvalho vem caindo, vai molhar o meu chapéu e também vão sumindo, as estrelas lá do céu Tenho passado tão mal A minha cama é uma folha de jornal A minha sopa não tem osso e nem tem sal Se um dia passo bem, dois e três passo mal (Isso é muito natural!)
  2. 2. Juízo Final Nelson Cavaquinho O sol....há de brilhar mais uma vez A luz....há de chegar aos corações Do mal....será queimada a semente O amor...será eterno novamente É o Juízo Final, a história do bem e do mal Quero ter olhos pra ver, a maldade desaparecer Repete a música 2 vezes: O amor...será eterno novamente ____________________________________________________________________ Palpite Infeliz Noel Rosa Quem é você que não sabe o que diz? Meu Deus do Céu, que palpite infeliz! Salve Estácio, Salgueiro, Mangueira, Oswaldo Cruz e Matriz Que sempre souberam muito bem Que a Vila Não quer abafar ninguém, Só quer mostrar que faz samba também Fazer poema lá na Vila é um brinquedo Ao som do samba dança até o arvoredo Eu já chamei você pra ver Você não viu porque não quis Quem é você que não sabe o que diz? A Vila é uma cidade independente Que tira samba mas não quer tirar patente Pra que ligar a quem não sabe Aonde tem o seu nariz? Quem é você que não sabe o que diz? Spc
  3. 3. Zeca Pagodinho Precisei de roupa nova Mas sem prova de salário Combinamos, eu pagava Você fez o crediário Nosso caso foi pra cova E a roupa pro armário Nosso caso foi pra cova E a roupa pro armário... E depois você quis Manchar meu nome Dentro do meu metiêr Mexeu com a moral De um homem Vou me vingar de você Porque! Eu vou sujar! Seu nome no seu SPC Tu vai vê! Eu vou sujar! Seu nome no SPC... Quis me fazer de otário Mas o crediário Já está pra vencer Sei que eu não sou Salafrário Mas o numerário Você não vai ver Porque! Eu vou sujar! Seu nome no SPC Eu vou sujar! Seu nome no SPC... Precisei de roupa nova Mas sem prova de salário Combinamos, eu pagava Você fez o crediário Nosso caso foi pra cova E a roupa pro armário Nosso caso foi pra cova E a roupa pro armário... E depois você quis Manchar meu nome Dentro do meu metiêr
  4. 4. Mexeu com a moral De um homem Vou me vingar de você Porque! Eu vou sujar! Seu nome no seu SPC Eu vou sujar! Seu nome no SPC... Tens um emprego de elite Eu tenho um palpite Que tu vais perder É necessário estar quite O patrão não permite Que fique a dever Porque! Eu vou sujar! Seu nome no SPC Eu vou sujar! Seu nome no SPC... Precisei de roupa nova Mas sem prova de salário Combinamos, eu pagava Você fez o crediário Nosso caso foi pra cova E a roupa pro armário Nosso caso foi pra cova E a roupa pro armário... E depois você quis Manchar meu nome Dentro do meu metiêr Mexeu com a moral De um homem Vou me vingar de você Porque! Eu vou sujar! Seu nome no seu SPC Eu vou sujar! Seu nome no SPC... Com o aumento dos juros Você em apuro Pra mim vai correr Pra me vingar dos teus furos Juro que tô duro E não pago o carnê Porque!
  5. 5. Eu vou sujar! Seu nome no SPC Eu vou sujar! Seu nome no SPC... Olha, eu já disse a você Que vou sujar! Seu nome no SPC Tu vai vê! Eu vou sujar! Seu nome no SPC (Eu vou sujar!) Eu vou sujar! Seu nome no SPC (Eu vou sujar!) Eu vou sujar! Seu nome no SPC... Comprei camisa de sêda De cetim e de lamê Eu vou sujar! Seu nome no SPC Já disse a você Eu vou sujar! Seu nome no SPC... FitaAmarela
  6. 6. Noel Rosa Quando eu morrer, não quero choro nem vela Quero uma fita amarela gravada com o nome dela Se existe alma, se há outra encarnação Eu queria que a mulata sapateasse no meu caixão Não quero flores nem coroa com espinho Só quero choro de flauta, violão e cavaquinho Estou contente, consolado por saber Que as morenas tão formosas a terra um dia vai comer. Não tenho herdeiros, não possuo um só vintém Eu vivi devendo a todos mas não paguei a ninguém Meus inimigos que hoje falam mal de mim Vão dizer que nunca viram uma pessoa tão boa assim. ____________________________________________________________________________ Maiúsculo Sérgio Sampaio Como é maiúsculo O artista e a sua canção Relação entre Deus e o músculo Que faz poderosa a sua criação Pensando bem É um mistério Como é misterioso o coração Como é minúsculo O olhar de quem vive no escuro Um sujeito malvado e burro Alguém machucado como não ter um bem Não tem porém Mas tem um tédio Não ser vítima do assédio de ninguém Quase não dorme Vive ao avesso Medo conhece bem Sem endereço Como é que pode Não fazer mal também Tenho meus vícios Vivem dentro de mim esses bichos São o pai e a mãe dos meus lixos
  7. 7. E às vezes me levam de mal a pior Pergunto quem Não sabe disso Os momentos em que a vida não tem dó Solto meus bichos Pelas músicas quando me aflijo Mas um homem sem esse feitiço E sem um carinho a que recorrer Pode matar Querer correr Pois perdeu todo sentido de viver

×