ATIVIDADES DO FINAL DO SEMESTRE
Dia 18/11 – Teorias comportamentais
Dia 25/11 – Estudo de caso
Dia 29/11 – Teorias comport...
TEORIAS DE ADMINISTRAÇÃO
COM FOCO NAS PESSOAS
Capítulo 13
Prof. Dr. Welington
ABORDAGEM HUMANISTA DA
ADMINISTRAÇÃO
TEORIA COMPORTAMENTAL
DA ADMINISTRAÇÃO
CAPÍTULO 13
Aulas de TA I - Unidade VI
Prof. D...
ORIGENS
•Oposição cerrada entre a Teoria Clássica e a TRH
•Desdobramento da TRH (necessidade de continuar os
estudos sobre...
HIERARQUIA DAS NECESSIDADES HUMANAS
Desenvolvida pelo psicólogo Norte-Americano
Abraham Maslow
•Todo comportamento é motiv...
HIERARQUIA DAS NECESSIDADES HUMANAS
Necessidades Fisiológicas
Necessidades de Segurança
Necessidades Sociais
Necessidades ...
HIERARQUIA DAS NECESSIDADES HUMANAS
Necessidades Fisiológicas
Necessidades de Segurança
Necessidades Sociais
Nessicidades ...
HIERARQUIA DAS NECESSIDADES HUMANAS
Mecanismo de motivação de um indivíduo
Indivíduo
Necessidades
Individuais
Estímulos Co...
TEORIA DOS DOIS FATORES
Desenvolvida pelo Psicólogo Norte-Americano
Frederick Herzberg
•Existem dois grupos de fatores rel...
Correspondência entre a Teoria dos Dois Fatores e a
Teoria da Hierarquia das Necessidades Humanas
Necessidades Fisiológica...
FATORES
MOTIVACIONAIS
(Satisfacientes)
Não satisfação
(não motivação)
Satisfação
(motivação)
FATORES
HIGIÊNICOS
(Insatisfa...
O PAPEL DO ADMINISTRADOR
CONFORME AS TEORIAS DE
HIERARQUIA DAS NECESSIDADES E
DOS DOIS FATORES
•Conhecer bem o perfil dos ...
O PAPEL DO ADMINISTRADOR
CONFORME AS TEORIAS DE
HIERARQUIA DAS NECESSIDADES E
DOS DOIS FATORES
•Estimular necessidades dos...
Teoria X e Y
•Desenvolvida por Douglas McGregor, essa teoria
analisa dois estilos diferentes de administração.
•Segundo Mc...
Os Pressupostos Da Teoria X
Segundo Douglas McGregor,
os administradores da teoria têm um estilo duro
e controlador, devid...
No estilo da Teoria x, compete à
administração:
• Organizar os recursos da empresa no interesse
exclusivo de seus objetivo...
Os pressupostos da Teoria Y
segundo Mc Gregor a Teoria Y se fundamenta
nas seguintes concepções sobre as pessoas:
• As pes...
Segundo a Teoria Y a
administração deve desempenhar
os seguintes papéis
• Proporcionar condições para que as pessoas
recon...
O estilo de Administração da
Teoria Y apresenta as seguintes
características:
• Descentralização das decisões e distribuiç...
Os Sistemas Administrativos de
Rensis Likert
• Pressupõe que a administração é diferente de uma
situação para outra, não e...
Características dos 4 Sistemas
Variáveis
principais
Autoritário
Coercitivo
Autoritário
benevolente Consultivo Participativ...
TEORIA DAS DECISÕES
• Visualiza as organizações como um sistema de decisões
• A organização está permeada de decisões e de...
“Decisão é o processo de análise e
escolha entre alternativas disponíveis
do curso de ação que a pessoa deverá
seguir”
ELE...
ETAPAS DO PROCESSO
DECISORIAL
• Percepção da situação que envolve um problema
• Análise e definição do problema
•Definição...
DECORÊNCIAS DA TEORIA DAS DECISÕES
• Racionalidade limitada
• Imperfeição das decisões
• Relatividade das decisões
• Hiera...
TEORIA DO EQUILÍBRIO
ORGANIZACIONAL
 Uma organização é um sistema de
comportamentos sociais inter-relacionados
dos seus p...
TEORIA DO EQUILÍBRIO
ORGANIZACIONAL
As contribuições recebidas dos
participantes são a fonte de suprimento e de
alimentaç...
• Os incentivos são “pagamentos”, feitos pela
organização aos participantes, tais como:
salários, benefícios, elogios, opo...
•A utilidade das contribuições representa o valor
que aquela contribuição tem para a organização
• Contribuições Investime...
TEORIA DA ACEITAÇÃO DA
AUTORIDADE
•Desenvolvida por Chester Barnard, essa teoria afirma
que a autoridade não repousa no po...
 o subordinado pode entender ou compreender a
ordem
 ele não a julga incompatível com os objetivos da
organização
 não ...
Apreciação crítica do
Comportamentalismo
• Ênfase nas pessoas
• Abordagem mais descritiva que prescritiva
• Profunda refor...
Apreciação crítica do
Comportamentalismo
 Os principais instrumentos da administração para
criar condições satisfacientes...
Apreciação crítica do
Comportamentalismo
• Análise em Dimensões Bipolares
 Análise Teórica x Empírica
 Análise Macro x M...
Apreciação crítica do
Comportamentalismo
• O Homem Administrativo
 É apenas satisfaciente
 Não busca o ótimo, mas o sati...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ta i ud vi

417 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
417
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ta i ud vi

  1. 1. ATIVIDADES DO FINAL DO SEMESTRE Dia 18/11 – Teorias comportamentais Dia 25/11 – Estudo de caso Dia 29/11 – Teorias comportamentais Dia 02/12 – Teorias comportamentais Dia 06/12 – Prova final Dia 09/12 – Técnicas contemporâneas de administração - Prova substitutiva Dia 13/12 - Entrega de notas finais - Encerramento do semestre
  2. 2. TEORIAS DE ADMINISTRAÇÃO COM FOCO NAS PESSOAS Capítulo 13 Prof. Dr. Welington
  3. 3. ABORDAGEM HUMANISTA DA ADMINISTRAÇÃO TEORIA COMPORTAMENTAL DA ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO 13 Aulas de TA I - Unidade VI Prof. Dr. Welington
  4. 4. ORIGENS •Oposição cerrada entre a Teoria Clássica e a TRH •Desdobramento da TRH (necessidade de continuar os estudos sobre o fator humano nas organizações) •Crítica veemente às posições clássicas e humanistas •Questionamento à Teoria da Burocracia •Lançamento da obra “O Comportamento Administrativo”de Herbert Simon Prof. Dr. Welington
  5. 5. HIERARQUIA DAS NECESSIDADES HUMANAS Desenvolvida pelo psicólogo Norte-Americano Abraham Maslow •Todo comportamento é motivado por necessidades •As necessidades são variadas e podem ser classificadas em cinco grupos, dispostos em forma de pirâmide •Na base da pirâmide estão as necessidades Fisiológicas, e no seu topo as de Auto-Realização; nem todas as pessoas chegam ao topo •As necessidades se manifestam a partir do nível mais baixo •Um nível superior de necessidades só será alcançado se o imediatamente inferior estiver razoavelmente satisfeito •Cada pessoa possui sempre mais de uma motivação •Uma pessoa pode regridir na escala hierárquica de necessidades •Necessidades satisfeitas deixam de estimular motivação Prof. Dr. Welington
  6. 6. HIERARQUIA DAS NECESSIDADES HUMANAS Necessidades Fisiológicas Necessidades de Segurança Necessidades Sociais Necessidades de Estima Nec. de Auto-Realização Necessidades Primárias Necessidades Secundárias Fonte: Chiavenato, 5ª ed. p.533 Prof. Dr. Welington
  7. 7. HIERARQUIA DAS NECESSIDADES HUMANAS Necessidades Fisiológicas Necessidades de Segurança Necessidades Sociais Nessicidades de Estima Nec. de Auto-Realização Fonte: Chiavenato, 5ª ed. p.534 Fatores de satisfação de necessidades no trabalho Intervalos de descanso; Conforto físico; Horário de trabalho razoável Condições seguras de trabalho; Remuneração e benefícios; Estabilidade no emprego Amizade dos colegas; interação com clientes; gerente amigável Responsabilidade por resultados; Orgulho e reconhecimento; Promoções Trabalho criativo e desafiador; Diversidade e autonomia de trabalho; Participação nas decisões Prof. Dr. Welington
  8. 8. HIERARQUIA DAS NECESSIDADES HUMANAS Mecanismo de motivação de um indivíduo Indivíduo Necessidades Individuais Estímulos Comportamento Fonte: Chiavenato, 5ª ed. p.535 Prof. Dr. Welington
  9. 9. TEORIA DOS DOIS FATORES Desenvolvida pelo Psicólogo Norte-Americano Frederick Herzberg •Existem dois grupos de fatores relacionados com o comportamento de um indivíduo •Os fatores Higiênicos são relacionados com a insatisfação •Os fatores Motivacionais, relacionados com a satisfação •O contrário da satisfação não é a insatisfação, mas a não satisfação •Da mesma forma, o contrário da insatisfação não é a satisfação, mas a não insatisfação •Os fatores higiênicos estão relacionados com as necessidades fisiológicas, de segurança e sociais •Os fatores motivacionais relacionam-se com necessidades de estima e auto-realização Prof. Dr. Welington
  10. 10. Correspondência entre a Teoria dos Dois Fatores e a Teoria da Hierarquia das Necessidades Humanas Necessidades Fisiológicas Necessidades de Segurança Necessidades Sociais Necessidades de Estima Nec. de Auto-Realização Fatores Motivacional Fatores Higiênicos Prof. Dr. Welington
  11. 11. FATORES MOTIVACIONAIS (Satisfacientes) Não satisfação (não motivação) Satisfação (motivação) FATORES HIGIÊNICOS (Insatisfacientes) Insatisfação (desmotivação) Não insatisfação (não desmotivação) AUSENTES PRESENTES AUSENTES PRESENTES Prof. Dr. Welington
  12. 12. O PAPEL DO ADMINISTRADOR CONFORME AS TEORIAS DE HIERARQUIA DAS NECESSIDADES E DOS DOIS FATORES •Conhecer bem o perfil dos seus colaboradores •Identificar necessidades que possam ser utilizadas para desenvolver comportamentos desejados •Suprir as necessidades primárias, ou os fatores higiênicos, como pré-condição para prevenir insatisfação Prof. Dr. Welington
  13. 13. O PAPEL DO ADMINISTRADOR CONFORME AS TEORIAS DE HIERARQUIA DAS NECESSIDADES E DOS DOIS FATORES •Estimular necessidades dos níveis mais elevados (Fatores motivacionais) •Focar a motivação em fatores como: reconhecimento, perspectiva de carreira, status, maior delegação de autoridade, atribuição de trabalho interessante e desafiador para os colaboradores, maior liberdade no trabalho, fornecimento de feedback (avaliações freqüentes e sinceras de desempenho), dentre outros; mas tudo isso após satisfazer as necessidades básicas Prof. Dr. Welington
  14. 14. Teoria X e Y •Desenvolvida por Douglas McGregor, essa teoria analisa dois estilos diferentes de administração. •Segundo McGregor, o comportamento dos administradores está diretamente relacionado à maneira como estes vêem e interpretam o perfil dos seus colaboradores •A Teoria X representa o pensamento da Administração Clássica, e é controladora e diretiva da ação das pessoas •A Teoria Y corresponde à Teoria das Relações Humanas e é democrática e participativa Prof. Dr. Welington
  15. 15. Os Pressupostos Da Teoria X Segundo Douglas McGregor, os administradores da teoria têm um estilo duro e controlador, devido à imagem errônea que fazem de seus subordinados: •As pessoas são preguiçosas e indolentes •As pessoas evitam o trabalho •As pessoas evitam a responsabilidade, para se sentirem mais seguras •As pessoas precisam ser controladas e dirigidas •As pessoas são ingênuas e sem iniciativaProf. Dr. Welington
  16. 16. No estilo da Teoria x, compete à administração: • Organizar os recursos da empresa no interesse exclusivo de seus objetivos econômicos • Dirigir os esforços das pessoas, incentivá-las e controlá-las para atender as necessidades da empresa • As pessoas devem ser persuadidas, recompensadas, punidas, coagidas e controladas pela administração • O meio de recompensa ou de punição deve ser a remuneração, uma vez que as pessoas são primariamente motivadas por interesses econômicos Prof. Dr. Welington
  17. 17. Os pressupostos da Teoria Y segundo Mc Gregor a Teoria Y se fundamenta nas seguintes concepções sobre as pessoas: • As pessoas são esforçadas e gostam de ter o que fazer •O trabalho é uma atividade tão natural como brincar ou descansar •As pessoas procuram e aceitam responsabilidades e desafios •As pessoas podem ser automotivadas e autodirigidas •As pessoas são criativas e competentes Prof. Dr. Welington
  18. 18. Segundo a Teoria Y a administração deve desempenhar os seguintes papéis • Proporcionar condições para que as pessoas reconheçam e desenvolvam, por si próprias, seu potencial de desnvolvimento, capacidade de assumir responsabilidades, direção de esforços para os objetivos da empresa •A tarefa essencial da administração é criar as condições organizacionais e métodos operacionais que possibilitem às pessoas atingir melhor seus objetivos pessoais, dirigindo seus esforços para os objetivos organizacionais Prof. Dr. Welington
  19. 19. O estilo de Administração da Teoria Y apresenta as seguintes características: • Descentralização das decisões e distribuição das responsabilidades entre as pessoas • Ampliação do cargo, criando maior significado para o trabalho • Participação nas decisões, com a prática de uma administração consultiva •Auto-avaliação de desempenho • Encorajamento das pessoas para planejar e avaliar suas contribuições para os objetivos empresariais e assumir maiores responsabilidades Prof. Dr. Welington
  20. 20. Os Sistemas Administrativos de Rensis Likert • Pressupõe que a administração é diferente de uma situação para outra, não existindo normas e princípios de aplicação universal • Os sistemas administrativos dependem das condições internas e externas •Os modelos gerenciais podem ser classificados em quatro diferentes sistemas, a saber:  Sistema 1: Autoritário coercitivo  Sistema 2: Autoritário benevolente Sistema 3: Consultivo  Sistema 4: Participativo Prof. Dr. Welington
  21. 21. Características dos 4 Sistemas Variáveis principais Autoritário Coercitivo Autoritário benevolente Consultivo Participativo Processo Decisorial Sistema de Comunicação Relações Interpessoais Sistemas de Recompensas e Punições Totalmente centralizado Precário. Apenas vertical - descendente Desconfiança Confinamento Organização informal não permitida Regras Punições Regulamentos Natureza material Centralizado na cúpula, com pe- quena delegação de coisas rotineiras Relativamente precário Fluxo facilitado Comunicação livre e eficiente Consulta aos níveis inferiores Delegação Delegado. Participativo. Descentralizado. Dec. em grupo. Toleradas. Existe condescendência. Organiz. Informal incipiente e indesejada Confiança nas pessoas. Facilita o desen- volvimento da Org. Informal Trabalho em equipe. Grupos Confiança e participação Punições e Disci- plina com menos arbitrariedade. Recompensas sociais raras Punições e castigos raros. Recompensas materiais. Rec. sociais ocasionais Recompensas sociais e materiais frequentes. Punições raras aplicadas pelo
  22. 22. TEORIA DAS DECISÕES • Visualiza as organizações como um sistema de decisões • A organização está permeada de decisões e de ações • Cada pessoa participa da organização racional e conscientemente, tomando decisões sobre alternativas de ação • Em uma organização, todas as pessoas em todos os níveis tomam decisões relacionadas com o seu trabalho • “Os processos de percepção das situações e o raciocínio são importantes para explicar o comportamento humano nas organizações” • “O que uma pessoa aprecia e deseja influencia aquilo que vê e interpreta, assim como o que ela vê e interpreta influencia o que aprecia e deseja” •As pessoas são processadores de informações e tomadores de decisões Prof. Dr. Welington
  23. 23. “Decisão é o processo de análise e escolha entre alternativas disponíveis do curso de ação que a pessoa deverá seguir” ELEMENTOS DO PROCESSO DECISÓRIO • Situação •Objetivos •Tomador de decisão •Preferências •Estratégia •Resultado Prof. Dr. Welington
  24. 24. ETAPAS DO PROCESSO DECISORIAL • Percepção da situação que envolve um problema • Análise e definição do problema •Definição dos objetivos •Procura de alternativas de solução ou de cursos de ação •Avaliação e comparação das alternativas •Escolha da alternativa mais adequada •Implementação da alternativa escolhida Prof. Dr. Welington
  25. 25. DECORÊNCIAS DA TEORIA DAS DECISÕES • Racionalidade limitada • Imperfeição das decisões • Relatividade das decisões • Hierarquização das decisões • Racionalidade Administrativa • Influência organizacional • Divisão de tarefas • Padrões de desempenho • Sistemas de autoridade • Canais de comunicação • Treinamento e doutrinação Prof. Dr. Welington
  26. 26. TEORIA DO EQUILÍBRIO ORGANIZACIONAL  Uma organização é um sistema de comportamentos sociais inter-relacionados dos seus participantes  Cada participante e cada grupo de partcipante recebe incentivos em troca de contribuições à organização  Cada participante somente manterá sua participação se os incentivos oferecidos forem maiores (para ele) do que as contribuições que lhe são exigidas Prof. Dr. Welington
  27. 27. TEORIA DO EQUILÍBRIO ORGANIZACIONAL As contribuições recebidas dos participantes são a fonte de suprimento e de alimentação da organização para manter os incentivos que oferece a esses participantes  A organização só continuará existindo se as contribuições recebidas forem suficientes para proporcionar incentivos bastantes para induzir os participantes a prestar contribuições Prof. Dr. Welington
  28. 28. • Os incentivos são “pagamentos”, feitos pela organização aos participantes, tais como: salários, benefícios, elogios, oportunidades de crescimento, promoções, etc • A organização faz investimentos em incentivos ou alicientes aos participantes, em troca de retornos ou contribuições • Cada incentivo possui um valor ou utilidade variável para cada indivíduo • As contribuições são “pagamentos” que os participantes fazem à organização, tais como: trabalho, dedicação, lealdade, assiduidade, esforço, etc Prof. Dr. Welington
  29. 29. •A utilidade das contribuições representa o valor que aquela contribuição tem para a organização • Contribuições Investimento feito pelos participantes • Incentivos Retorno esperado pelos participantes • Existem quatro classes básicas de participantes  Empregados  Investidores  Fornecedores  Clientes Prof. Dr. Welington
  30. 30. TEORIA DA ACEITAÇÃO DA AUTORIDADE •Desenvolvida por Chester Barnard, essa teoria afirma que a autoridade não repousa no poder de quem a possui, ou seja não vem simplesmente de cima para baixo, conforme afirmavam os clássicos • A autoridade se fundamenta na aceitação ou no consentimento dos subordinados • Os indivíduos tomam a decisão de obedecer, ou não, uma ordem superior, conforme as conseqüências desejáveis ou indesejáveis que podem advir • A autoridade é um fenômeno psicológico •Segundo Barnard, um indivíduo aceita uma ordem, quando ocorrem as seguintes condições: Prof. Dr. Welington
  31. 31.  o subordinado pode entender ou compreender a ordem  ele não a julga incompatível com os objetivos da organização  não a julga incompatível com os objetivos pessoais  é mental e fisicamente capaz de cumprí-la Neste contexto, a comunicação e a persusãoNeste contexto, a comunicação e a persusão assumem papel relevante na função gerencial,assumem papel relevante na função gerencial, pois do sucesso do chefe em se fazer entenderpois do sucesso do chefe em se fazer entender e em persuadir depende a decisão doe em persuadir depende a decisão do subordinado em cumprir as decisões ou assubordinado em cumprir as decisões ou as ordens dadasordens dadas. Prof. Dr. Welington
  32. 32. Apreciação crítica do Comportamentalismo • Ênfase nas pessoas • Abordagem mais descritiva que prescritiva • Profunda reformulação na filosofia da Administração  Novo Conceito do Homem Novo conceito de poder  Novo conceito de valores organizacionais Prof. Dr. Welington
  33. 33. Apreciação crítica do Comportamentalismo  Os principais instrumentos da administração para criar condições satisfacientes de trabalho são: Delegação real de autoridade para objetivos comuns Utilização de grupos de trabalho semi-autônomos Ampliação do cargo – Enriquecimento das tarefas Retroação (feedback): elogios, críticas construtivas Possibilidade de carreira para pessoal não gerencial Treinamento mais amplo no cargo Simplificação do cargo pelo próprio ocupante Prof. Dr. Welington
  34. 34. Apreciação crítica do Comportamentalismo • Análise em Dimensões Bipolares  Análise Teórica x Empírica  Análise Macro x Micro  Organização Formal x Informal  Análise Cognitiva x Afetiva • Relatividade (limitações) das Teorias de Motivação • Influência das Ciências do Comportamento • A organização como um sistema de decisões • Análise organizacional a partir do comportamento Prof. Dr. Welington
  35. 35. Apreciação crítica do Comportamentalismo • O Homem Administrativo  É apenas satisfaciente  Não busca o ótimo, mas o satisfatório Age racionalmente  É influenciado pelos incentivos oferecidos pela organização  Evita incertezas  Mantém as regras e só as redefine sob pressão Não precisa do máximo absoluto para se satisfazer Prof. Dr. Welington

×