SlideShare uma empresa Scribd logo

Fonemas.pdf

Fonemas

1 de 19
Baixar para ler offline
ESTUDO DOS FONEMAS
• É o ramo da Linguística que estuda o
sistema sonoro de um idioma. Ao estudar
a maneira como os fones (sons) se
organizam dentro de uma língua,
classifica-os em unidades capazes de
distinguir significados, chamadas
fonemas.
FONOLOGIA
FONEMA
Fonemas são as entidades capazes de estabelecer
distinção entre as palavras.
Exemplos: casa/capa, muro/mudo, dia/tia
A troca de um único fonema determina o surgimento de
outra palavra ou um som sem sentido. O fonema se
manifesta no som produzido, sendo registrado pela letra e
representado graficamente por ela.
Atenção:
Os fonemas são representados entre barras. Exemplos:
/m/, /o/.
FONEMA E LETRA
Às vezes, o mesmo fonema pode ser representado por
mais de uma letra do alfabeto. É o caso do fonema /z/,
que pode ser representado pelas letras z, s, x:
Exemplos:
zebra
casamento
exílio
FONEMA E LETRA
Em alguns casos, a mesma letra pode representar mais
de um fonema. A letra x, por exemplo, pode representar:
o fonema sê: texto
o fonema zê: exibir
o fonema chê: enxame
o grupo de sons ks: táxi
FONEMA E LETRA
O número de letras nem sempre coincide com o número
de fonemas.
Exemplos:
fonemas: /t/ó/k/s/i/c/o/
Tóxico 1 2 3 4 5 6 7
letras: t ó x i c o
12 34 5 6
fonemas: /g/a/l/h/o/
galho 1 2 3 4 5
letras: g a l h o
1 2 3 4 5

Recomendados

fonetica e fonologia da LP.pptx
fonetica e fonologia da LP.pptxfonetica e fonologia da LP.pptx
fonetica e fonologia da LP.pptxLeniomarMorais
 
MODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdf
MODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdfMODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdf
MODULO-01-FONOLOGIA-FONEMAS-VOGAIS-E-CONSOANTES-SLIDES-DA-AULA.pdfMyllenaRodrigues6
 
Os fonemas são os sons produzidos pelos falantes e representam as unidades so...
Os fonemas são os sons produzidos pelos falantes e representam as unidades so...Os fonemas são os sons produzidos pelos falantes e representam as unidades so...
Os fonemas são os sons produzidos pelos falantes e representam as unidades so...WellingtondeJesus12
 

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Fonemas.pdf (20)

Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
FONÉTICA E FONOLOGIA
FONÉTICA E FONOLOGIAFONÉTICA E FONOLOGIA
FONÉTICA E FONOLOGIA
 
Fonologia 10 28 2008
Fonologia 10 28 2008Fonologia 10 28 2008
Fonologia 10 28 2008
 
Metodo Fonico
Metodo FonicoMetodo Fonico
Metodo Fonico
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
Apostila de-portugues-
Apostila de-portugues- Apostila de-portugues-
Apostila de-portugues-
 
Sons e letras
Sons e letrasSons e letras
Sons e letras
 
Sons e letras
Sons e letrasSons e letras
Sons e letras
 
Sons e letras
Sons e letrasSons e letras
Sons e letras
 
Fonética e fonologia
Fonética e fonologiaFonética e fonologia
Fonética e fonologia
 
Da fonética até à sintaxe1
Da fonética até à sintaxe1Da fonética até à sintaxe1
Da fonética até à sintaxe1
 
FONÉTICA.pptx
FONÉTICA.pptxFONÉTICA.pptx
FONÉTICA.pptx
 
1ª série E. M. - Letra e Alfabeto, Fonemas, Vogais, Consoantes e Semivogais, ...
1ª série E. M. - Letra e Alfabeto, Fonemas, Vogais, Consoantes e Semivogais, ...1ª série E. M. - Letra e Alfabeto, Fonemas, Vogais, Consoantes e Semivogais, ...
1ª série E. M. - Letra e Alfabeto, Fonemas, Vogais, Consoantes e Semivogais, ...
 
FONOLOGIA
FONOLOGIAFONOLOGIA
FONOLOGIA
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 
Trabalho 0207
Trabalho 0207Trabalho 0207
Trabalho 0207
 
Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]
Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]
Sons fonemas e letras [modo de compatibilidade]
 
Sons e letras 2
Sons e letras 2Sons e letras 2
Sons e letras 2
 
Fonologia
FonologiaFonologia
Fonologia
 

Mais de Marcos895089

A importancia dos fatos e opniões no ensino.
A importancia dos fatos e opniões no ensino.A importancia dos fatos e opniões no ensino.
A importancia dos fatos e opniões no ensino.Marcos895089
 
DESCRITORES CRÍTICOS.pptx
DESCRITORES CRÍTICOS.pptxDESCRITORES CRÍTICOS.pptx
DESCRITORES CRÍTICOS.pptxMarcos895089
 
Baladão dos Descritores PASSADO.pptx
Baladão dos Descritores PASSADO.pptxBaladão dos Descritores PASSADO.pptx
Baladão dos Descritores PASSADO.pptxMarcos895089
 
A importância do português.pptx
A importância do português.pptxA importância do português.pptx
A importância do português.pptxMarcos895089
 
Baladão dos Descritores PASSADO.pptx
Baladão dos Descritores PASSADO.pptxBaladão dos Descritores PASSADO.pptx
Baladão dos Descritores PASSADO.pptxMarcos895089
 
Revoada de Língua Portuguesa.pdf
Revoada de Língua Portuguesa.pdfRevoada de Língua Portuguesa.pdf
Revoada de Língua Portuguesa.pdfMarcos895089
 
DINÂMICA VERDADEIRO OU FALSO.ppsx
DINÂMICA VERDADEIRO OU FALSO.ppsxDINÂMICA VERDADEIRO OU FALSO.ppsx
DINÂMICA VERDADEIRO OU FALSO.ppsxMarcos895089
 
GINCANA DOS GÊNEROS TEXTUAIS.ppsx
GINCANA DOS GÊNEROS TEXTUAIS.ppsxGINCANA DOS GÊNEROS TEXTUAIS.ppsx
GINCANA DOS GÊNEROS TEXTUAIS.ppsxMarcos895089
 
SIMULADO SLIDE CORREÇÃO.ppsx
SIMULADO SLIDE CORREÇÃO.ppsxSIMULADO SLIDE CORREÇÃO.ppsx
SIMULADO SLIDE CORREÇÃO.ppsxMarcos895089
 

Mais de Marcos895089 (12)

A importancia dos fatos e opniões no ensino.
A importancia dos fatos e opniões no ensino.A importancia dos fatos e opniões no ensino.
A importancia dos fatos e opniões no ensino.
 
D6.pptx
D6.pptxD6.pptx
D6.pptx
 
DESCRITORES CRÍTICOS.pptx
DESCRITORES CRÍTICOS.pptxDESCRITORES CRÍTICOS.pptx
DESCRITORES CRÍTICOS.pptx
 
Baladão dos Descritores PASSADO.pptx
Baladão dos Descritores PASSADO.pptxBaladão dos Descritores PASSADO.pptx
Baladão dos Descritores PASSADO.pptx
 
A importância do português.pptx
A importância do português.pptxA importância do português.pptx
A importância do português.pptx
 
Baladão dos Descritores PASSADO.pptx
Baladão dos Descritores PASSADO.pptxBaladão dos Descritores PASSADO.pptx
Baladão dos Descritores PASSADO.pptx
 
Revoada de Língua Portuguesa.pdf
Revoada de Língua Portuguesa.pdfRevoada de Língua Portuguesa.pdf
Revoada de Língua Portuguesa.pdf
 
DINÂMICA VERDADEIRO OU FALSO.ppsx
DINÂMICA VERDADEIRO OU FALSO.ppsxDINÂMICA VERDADEIRO OU FALSO.ppsx
DINÂMICA VERDADEIRO OU FALSO.ppsx
 
GINCANA DOS GÊNEROS TEXTUAIS.ppsx
GINCANA DOS GÊNEROS TEXTUAIS.ppsxGINCANA DOS GÊNEROS TEXTUAIS.ppsx
GINCANA DOS GÊNEROS TEXTUAIS.ppsx
 
Descritor 15.ppsx
Descritor 15.ppsxDescritor 15.ppsx
Descritor 15.ppsx
 
Descritor 02.ppsx
Descritor 02.ppsxDescritor 02.ppsx
Descritor 02.ppsx
 
SIMULADO SLIDE CORREÇÃO.ppsx
SIMULADO SLIDE CORREÇÃO.ppsxSIMULADO SLIDE CORREÇÃO.ppsx
SIMULADO SLIDE CORREÇÃO.ppsx
 

Último

Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioIsabelPereira2010
 
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...azulassessoriaacadem3
 
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...Prime Assessoria
 
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Prime Assessoria
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Mary Alvarenga
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Prime Assessoria
 
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioElementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioProfessor Belinaso
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...excellenceeducaciona
 
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...azulassessoriaacadem3
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...excellenceeducaciona
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...excellenceeducaciona
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...azulassessoriaacadem3
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdfCludiaFrancklim
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...apoioacademicoead
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da MulherMary Alvarenga
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Prime Assessoria
 

Último (20)

Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
 
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
 
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
 
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
 
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioElementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdfPlanejamento Anual Matemática para o ENEM -  1º ano 1, 2 e 3  anos-.pdf
Planejamento Anual Matemática para o ENEM - 1º ano 1, 2 e 3 anos-.pdf
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
 

Fonemas.pdf

  • 2. • É o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Ao estudar a maneira como os fones (sons) se organizam dentro de uma língua, classifica-os em unidades capazes de distinguir significados, chamadas fonemas. FONOLOGIA
  • 3. FONEMA Fonemas são as entidades capazes de estabelecer distinção entre as palavras. Exemplos: casa/capa, muro/mudo, dia/tia A troca de um único fonema determina o surgimento de outra palavra ou um som sem sentido. O fonema se manifesta no som produzido, sendo registrado pela letra e representado graficamente por ela. Atenção: Os fonemas são representados entre barras. Exemplos: /m/, /o/.
  • 4. FONEMA E LETRA Às vezes, o mesmo fonema pode ser representado por mais de uma letra do alfabeto. É o caso do fonema /z/, que pode ser representado pelas letras z, s, x: Exemplos: zebra casamento exílio
  • 5. FONEMA E LETRA Em alguns casos, a mesma letra pode representar mais de um fonema. A letra x, por exemplo, pode representar: o fonema sê: texto o fonema zê: exibir o fonema chê: enxame o grupo de sons ks: táxi
  • 6. FONEMA E LETRA O número de letras nem sempre coincide com o número de fonemas. Exemplos: fonemas: /t/ó/k/s/i/c/o/ Tóxico 1 2 3 4 5 6 7 letras: t ó x i c o 12 34 5 6 fonemas: /g/a/l/h/o/ galho 1 2 3 4 5 letras: g a l h o 1 2 3 4 5
  • 7. FONEMA E LETRA As letras m e n, em determinadas palavras, não representam fonemas. Observe os exemplos: compra conta Nessas palavras, m e n indicam a nasalização das vogais que as antecedem. Veja ainda: nave: o /n/ é um fonema; dança: o n não é um fonema; o fonema é /ã/, representado na escrita pelas letras a e n.
  • 8. FONEMA E LETRA A letra h, ao iniciar uma palavra, não representa fonema. Exemplos: fonemas: / ho / j / e / hoje 1 2 3 letras: h o j e 1 2 3 4
  • 9. CLASSIFICAÇÃO DOS FONEMAS Os fonemas da língua portuguesa são classificados em:
  • 10. VOGAIS São os fonemas sonoros produzidos por uma corrente de ar que passa livremente pela boca. Em nossa língua, desempenham o papel de núcleo das sílabas. Isso significa que em toda sílaba há necessariamente uma única vogal. Na produção de vogais, a boca fica aberta ou entreaberta.
  • 11. As vogais podem ser: Orais: quando o ar sai apenas pela boca. Por Exemplo: /a/, /e/, /i/, /o/, /u/. Nasais: quando o ar sai pela boca e pelas fossas nasais. Por Exemplo: /ã/:fã, canto, tampa / /: dente, tempero / /: lindo, mim; /õ/: bonde, tombo / / nunca, algum
  • 12. As vogais podem ser: Átonas: pronunciadas com menor intensidade. Por Exemplo: até, bola Tônicas: pronunciadas com maior intensidade. Por Exemplo: até, bola
  • 13. SEMIVOGAIS Semivogais são fonemas que se apoiam em uma vogal para formar sílaba. Em síntese: a semivogal está sempre ao lado da vogal na mesma sílaba, formando ditongo ou tritongo. Na escrita, as semivogais são: e, i, o e u. Na pronúncia, as semivogais são: /y/ e /w/. a. Letra e = mãe (/mãy/), bem (/b y/), também (/tãb y/). b. Letra i = pai (/pay/), feito (/feytu/), peito (/peytu/). c. Letra o = nódoa (/nodwa/), mágoa (/magwa/). d. Letra u = pau (/paw/), mingau (/mgaw/).
  • 14. CONSOANTES As consoantes são fonemas que não podem sozinhos formar sílabas, ou seja, eles são fonemas que não podem agir sozinhos, diferentemente das vogais, que podem formar sílabas. Exemplos: /b/, /t/, /d/, /v/, /l/, /m/, etc.
  • 16. dígrafo É a união de duas letras representando um só fonema. Observe que no caso dos dígrafos não há correspondência direta entre o número de letras e o número de fonemas. Dígrafos que desempenham a função de consoantes: ch (chuva), lh (molho), nh (unha), rr (carro) e outros. Dígrafos que desempenham a função de vogais nasais: am (campo), en (bento), om (tombo) e outros.
  • 18. Encontros consonantais Quando existe uma sequência de duas ou mais consoantes em uma mesma palavra, denominamos essa sequência de encontro consonantal. O encontro pode ocorrer: - na mesma sílaba: cla-ri-da-de, fri-tu-ra, am-plo - em sílabas diferentes: af-ta, com-pul-só-rio
  • 19. ENCONTROS VOCÁLICOS Há três tipos de encontros vocálicos: ditongo, hiato e tritongo. Ditongo: é a junção de uma vogal + uma semivogal (ditongo decrescente), ou vice-versa (ditongo crescente), na mesma sílaba. Ex.: noite (ditongo decrescente), quase (ditongo crescente). Hiato: é a junção de duas vogais pronunciadas separadamente, formando sílabas distintas. Ex.: saída, coelho Tritongo: é a junção de semivogal + vogal + semivogal, formando uma só sílaba. Ex.: Paraguai, arguiu. ATENÇÃO: Não se esqueça de que só as vogais /i/ e /u/ podem funcionar como semivogais. Quando semivogais, serão representadas por /y/ e /w/, respectivamente.