Brecha digital 17 ed

299 visualizações

Publicada em

Através do Índice Marco de Inclusão Digital são comparadas as possibilidades reais para acessar a um determinado produto IT nos principais países de América Latina: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru. E por sua vez comparando-os com os Estados Unidos.
Dado que a tecnologia se renova constantemente, os produtos selecionados para realizar o estudo vão sendo modificados. Nesta edição as possibilidades de produtos está composta por AIO, Tablets e Smartphones. Para os notebooks foram escolhidos três tipos diferentes: os mais potentes, que não estão disponíveis em todos os países no Retail, pelo qual os teve que buscar em canais alternativos, como Mercado Livre; notebooks intermediários e, por último, os Mac Book Pro.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
299
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • CHEQUEAR!
  • CHEQUEAR!
  • CHEQUEAR!
  • Brecha digital 17 ed

    1. 1. 17ª. EDIÇÃO ÍNDICE MARCO DE INCLUSÃO DIGITAL ESPECIAL 10 ANOS Setembro 2014
    2. 2. Introdução Através do Índice Marco de Inclusão Digital são comparadas as possibilidades reais para acessar a um determinado produto IT nos principais países de América Latina: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru. E por sua vez comparando-os com os Estados Unidos. Dado que a tecnologia se renova constantemente, os produtos selecionados para realizar o estudo vão sendo modificados. Nesta edição as possibilidades de produtos está composta por AIO, Tablets e Smartphones. Para os notebooks foram escolhidos três tipos diferentes: os mais potentes, que não estão disponíveis em todos os países no Retail, pelo qual os teve que buscar em canais alternativos, como Mercado Livre; notebooks intermediários e, por último, os Mac Book Pro.
    3. 3. Conclusões • Nesta nova edição, o número 17 do Índice Marco de Inclusão Digital, foram detectadas importantes mudanças em relação à edição anterior. • Somente foi melhorado o acesso nos Notebooks Intermediários (os quais vínhamos medindo em todas as edições). Em todos os países hoje necessitam a mesma quantia de salários médios ou menos que há seis meses. • Por outro lado, para adquirir AIO, Tablets e Smartphones em todos os países hoje necessitam mais salários médios que na edição anterior. • Isso quer dizer que a tecnologia está renovando-se mais rápido que as atualizações salariais. • Como já acontece desde o ano de 2010, o Chile segue sendo o país mais acessível da região, dado que tem os salários em dólares mais altos (excetuando os Estados Unidos) e preços muito competitivos, ainda que nem sempre os mais baixos. • Também, como vem acontecendo há 10 anos, a Argentina é o país com pior acesso de todos, não tanto pelos baixos salários, mas sim pelo custo dos produtos. • Desde que incluímos o Peru à medição, a Argentina comparte o pior posto com este país.
    4. 4. Conclusões 10 anos • Se realizarmos uma análise destes 10 anos do Índice Marco de Inclusão Digital, observamos importantes mudanças de tendência. • Por um lado, os produtos foram sendo renovados constantemente: em 2004 começamos mudando os Computadores de Escritório, que com os anos foram substituídos pelos All In One, e ambos perderam todo protagonismo em relação aos Notebooks. • Para 2010 os portáteis ganharam a batalha do preço, deixando de lado seu perfil de público de altas rendas, para tornar-se um produto massivo. • Desapareceram os produtos montados, para ser substituídos por produtos de marcas locais, que em muitos casos tem preços similares às marcas com presença em todos os países. • Quando começamos o estudo, os produtos IT se centravam em Desktops e Notebooks (montados vs. marcas internacionais para ambos os casos). • Hoje a oferta de produtos é muito mais vasta: tablets, AIO, notebooks, ultrabooks, Smartphones, Conversíveis 2 em 1.
    5. 5. Conclusões 10 anos • Em relação à análise por país, notamos importantes mudanças: • Nas primeiras edições, os países mais acessíveis eram México e Chile. O Brasil tinha uma situação intermediária. E a Argentina era até 3 vezes mais “inacessível” que o resto. • Com o decorrer das edições, a situação do México foi piorando, diante da crise mundial, que afetou os Estados Unidos, e que começou em 2008. • O Brasil foi tomando o lugar do México, e melhorando notoriamente sua situação. • Desde 2010 o Chile se consolida como o país com melhor acesso e consegue se separar do resto. • A diferença que marca o melhor acesso está, principalmente, no salário médio em dólares que recebem os trabalhadores. • O preço é um fator chave também, mas não é determinante. Por exemplo, na Colômbia os preços são bem acessíveis, mas o salário é muito baixo. • Em todos os países é hoje mais acessível a tecnologia, pela baixa dos preços, pela variedade de produtos, de marcas, pelo posicionamento. • Quando começamos o índice estava vigente o conceito “computador doméstico”, hoje os produtos são de nível pessoal.
    6. 6. Salários por produto Quantia Média de Salários necessários para adquirir cada tipo de produto Produto / País Notebook1 : Potentes* Notebook 2: Intermerdiários * Notebook 3: MAC AIO Tablet Smartphone Argentina 3,67 2,20 6,14 3,87 2,75 2,28 Brasil 1,42 1,23 4,45 1,66 1,15 1,07 Chile 1,38 0,96 2,61 1,65 0,90 0,89 Colômbia 1,98 1,03 3,30 1,68 1,20 1,20 México 2,16 1,56 2,79 2,04 1,36 1,40 Peru 2,55 1,68 6,45 3,08 1,82 1,29 USA 0,23 0,14 0,46 0,20 0,16 0,14 Definimos Notebooks potentes, como os portáteis mais avançados que se encontram em todos os países. Notebooks intermediários, são notebooks de alta gama também, mas com menores prestações.
    7. 7. Preço dos produtos Preço médio, em dólares, de cada tipo de produto, por país Produto / País Notebook1 : Potentes Notebook 2: Intermediários Os Preços estão expressos em Dólares (USD) * Destacamos os preços de Smartphones liberados, sem planos Notebook 3: MAC AIO Tablet Smartphone* Argentina $ 2.248 $ 1.348 $ 3.760 $ 2.372 $ 1.684 $ 1.393 Brasil $ 1.265 $ 1.096 $ 3.974 $ 1.481 $ 1.026 $ 959 Chile $ 1.290 $ 895 $ 2.441 $ 1.545 $ 845 $ 836 Colômbia $ 1.262 $ 653 $ 2.103 $ 1.070 $ 764 $ 761 México $ 1.451 $ 1.048 $ 1.873 $ 1.373 $ 917 $ 941 Peru $ 1.312 $ 866 $ 3.321 $ 1.584 $ 937 $ 666 USA $ 967 $ 606 $ 1.950 $ 845 $ 677 $ 568
    8. 8. Evolução Notebooks Intermediários Quantia Média de Salários necessários para adquirir um Notebook Intermediário 2.8 1.8 1.1 2.9 1.6 2.3 1.5 1.2 1.7 1.7 1.9 1.3 0.8 1.8 1.9 0.2 2.5 1.4 1.3 2.3 0.2 2.2 1.5 1.3 1.3 1.8 2.2 0.2 2.2 1.2 1.0 1.0 1.6 1.7 0.1 Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru USA ago-10 abr-11 abr-12 mai/13 mar-14 set/14
    9. 9. Evolução Notebooks Intermediários 2.80 2.30 1.90 2.50 2.20 2.20 1.80 1.50 1.30 1.40 1.50 1.20 1.10 1.20 0.80 1.30 1.30 1.00 2.90 1.70 1.80 1.00 1.60 2.30 1.80 1.60 3.50 3.00 2.50 2.00 1.50 1.00 0.50 0.00 ago-10 abr-11 abr-12 mai/13 mar-142 set/14 Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru USA Quantia Média de Salários necessários para adquirir um Notebook Intermediário
    10. 10. Comparativo dos três tipos de Notebooks Quantia Média de Salários necessários para adquirir cada tipo de Notebook 3.67 1.42 1.38 1.98 2.16 2.55 0.23 2.2 1.23 0.96 1.03 1.56 1.68 0.14 6.14 4.45 2.61 3.3 2.79 6.45 0.46 Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru USA Notebooks Potentes Notebooks Intermediários MAC
    11. 11. Conclusões Notebooks • Se analisarmos os três tipos de Notebooks que destacamos notamos importantes diferentes entre os países. • Os notebooks intermediários, são produtos de alta gama, que se encontram no Retail de todos os países, não chegam a ser produtos exclusivos. • Este tipo de Notebooks, que são os que viemos destacando em todas as edições, vêm melhorando ou mantendo o acesso em todos os países. • Se buscamos os notebooks mais potentes do mercado, assim como também os MAC Book Pro, nos encontramos frente a um grave problema: na Argentina não estão disponíveis nos Pontos de Venda. Somente podemos levantar os preços em lojas online especializadas e em sites de compra e venda como Mercado Livre.
    12. 12. Conclusões Notebooks • Ao contrário da situação na Argentina, encontramos o Chile, que é o país com melhor acesso em todos os produtos substituídos, tirando da análise os Estados Unidos que parece impossível de alcançar. • Desde que começamos a elaborar o Índice Marco de Inclusão Digital, há 10 anos, observamos que o diferencial mais importante não estava no preço, mas sim no salário médio em dólares. • A quantia média de salários necessários para acessar a um determinado produto estava definido, principalmente, pelo nível de salários, já que os preços dos produtos se mantinham estáveis em todos os países. • Nesta edição, de forma mais contundente que em outras, por que estamos escolhendo produtos mais exclusivos, observamos que os preços também estão sendo um importante diferencial, sobre tudo na Argentina. • Nos três tipos de Notebooks na Argentina estão os preços mais altos da região: – No caso dos Notebooks Intermediários, observamos que no Chile, Peru e Colômbia têm os melhores preços, e Argentina os piores. – Se analisamos Notebooks mais potentes, observamos que todos os países têm preços similares, menos Argentina que até duplica o custo dos mesmos. – Por último, os MAC são os mais caros em todas partes, e os que maior diferença de preço têm, sendo novamente a Argentina o país com os preços mais caros de todos.
    13. 13. Evolução Notebooks – 10 anos Quantia Média de Salários necessários para adquirir um Notebook Intermediário – De Outubro de 2005 a Agosto de 2014 7.4 4.9 3.0 3.8 6.9 4.9 2.8 2.8 2.5 2.1 5.5 3.3 2.4 2.2 4.9 3.5 2.3 1.8 4.1 2.6 2.0 2.2 3.2 2.0 1.4 2.6 3.3 2.4 2.0 2.3 2.8 1.8 2.0 1.8 1.1 1.6 1.8 1.3 0.8 1.9 2.5 1.4 1.3 2.3 2.1 1.5 1.3 1.8 2.2 1.2 1.0 1.6 Argentina Brasil Chile México out/05 fev/06 set/06 mar/07 mar/08 jul/08 jan/09 mai/09 fev/10 ago/10 abr/11 mar/12 abr/13 fev/14 ago/14
    14. 14. Evolução Notebooks – 10 anos Quantia Média de Salários necessários para adquirir um Notebook Intermediário – De Outubro de 2005 a Agosto de 2014 7.4 6.9 5.5 4.9 4.1 3.2 3.3 3.2 2.8 2.8 2.3 1.8 2.5 2.1 2.2 4.9 4.9 3.3 3.5 2.6 2.0 2.4 1.9 1.8 1.8 1.5 1.3 1.4 1.5 1.2 3.0 2.5 2.4 2.3 2.0 1.4 2.0 2.2 2.0 1.1 1.2 0.8 1.3 1.3 1.0 3.8 2.1 2.2 1.8 2.2 2.6 2.3 2.4 2.8 1.6 1.7 1.9 2.3 1.8 1.6 Oct-05 Feb-06 Jun-06 Oct-06 Feb-07 Jun-07 Oct-07 Feb-08 Jun-08 Oct-08 Feb-09 Jun-09 Oct-09 Feb-10 Jun-10 Oct-10 Feb-11 Jun-11 Oct-11 Feb-12 Jun-12 Oct-12 Feb-13 Jun-13 Oct-13 Feb-14 Jun-14 Argentina Brasil Chile México
    15. 15. Conclusões 10 anos - Notebooks • Em Outubro de 2005, quando incluímos os Notebooks na medição de Inclusão Digital, havia uma maior dispersão na quantia média de salários necessários para adquirir este tipo de produto, que nesse momento era o mais exclusivo que havia no mercado. • Hoje, nove anos mais tarde, além de baixaram os salários necessários para adquirir um laptop, estão todos mais próximos, oscilando entre os 2,2 e um único salário. • Entre cada há alguns casos de retrocesso, mas em linhas gerais a melhora foi sendo constante. • Evolução de cada país: • Na Argentina, hoje necessitam 70% menos de salários médios que em 2005, e o melhor momento para adquirir um notebook foi em março de 2012 • No Brasil, hoje necessitam 75% menos de salários, sendo o país com maior evolução de todos, e sendo este o melhor momento de todos para comprar o notebook. • No Chile, hoje é necessário 68% menos de salários, sendo este junto a março de 2012 o melhor momento, necessitando menos de um salário para adquirir o laptop. • O México foi o país mais “errático” de todos, não obtendo uma melhora contínua. Entre 2008 e 2009 se viu um importante retrocesso no acesso. Entre Outubro de 2005 e atualmente a evolução foi de 59%.
    16. 16. Evolução Desktops e All In One Quantia Média de Salários necessários para adquirir um PC de Escritório (até agosto de 2010) | All in One desde a edição de abril de 2011 2.7 1.3 1.2 2.9 1.9 1.1 1.1 1.5 1.3 3.5 1.8 1.8 3.3 2.6 0.3 3.5 2.2 1.6 2.5 0.3 2.7 1.6 1.1 2.0 1.9 2.6 0.2 3.9 1.7 1.7 1.7 2.0 3.1 0.2 Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru USA ago-10 abr-11 abr-12 mai/13 mar-14 sep-14
    17. 17. Evolução Desktops e All In One Quantia Média de Salários necessários para adquirir um PC de Escritório (até agosto de 2010) | All in One desde a edição de abril de 2011 2.7 1.9 3.5 3.5 2.7 3.9 1.3 1.1 1.8 2.2 1.6 1.7 1.2 1.6 1.1 1.5 3.3 2.0 2.9 1.3 2.6 2.5 1.9 2.0 4.5 4.0 3.5 3.0 2.5 2.0 1.5 1.0 0.5 0.0 ago-10 abr-11 abr-12 mai/13 mar-14 set/14 Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru USA
    18. 18. Evolução Desktops e AIO – 10 anos Quantia Média de Salários necessários para adquirir um Desktop (até Agosto de 2010) e um AIO (a partir de Abril de 2011) 6.1 2.8 2.2 2.2 5.9 3.1 1.8 1.4 5.8 2.2 1.7 2.4 5.4 2.5 1.3 1.5 6.2 1.9 1.2 1.5 3.9 2.2 1.5 1.5 3.5 1.5 1.5 2.4 3.6 1.9 1.6 2.0 2.7 1.3 1.2 2.9 1.9 1.1 1.1 1.3 3.5 1.8 1.8 2.6 3.5 2.2 1.6 2.5 3.9 1.7 1.6 2.0 Argentina Brasil Chile México ago/04 fev/05 out/05 fev/06 set/06 mar/07 mar/08 jul/08 jan/09 mai/09 fev/10 ago/10 abr/11 mar/12 abr/13 fev/14
    19. 19. Evolução Desktops e AIO – 10 anos Quantia Média de Salários necessários para adquirir um Desktop (até Agosto de 2010) e um AIO (a partir de Abril de 2011) 6.1 5.9 5.8 5.4 6.2 3.9 3.0 2.2 3.5 3.6 2.2 2.7 1.9 3.5 3.5 2.7 3.9 2.8 3.1 2.2 2.5 1.9 2.2 1.7 1.6 1.5 1.9 1.4 1.3 1.1 1.8 2.2 1.6 1.7 2.2 1.8 1.7 1.3 1.2 1.5 1.6 1.7 1.5 1.6 1.6 1.2 1.8 1.6 1.0 1.6 1.4 2.4 1.5 1.5 1.5 1.8 2.1 2.4 2.0 2.7 2.9 1.3 2.6 2.5 1.9 2.0 Aug-04 Jan-05 Jun-05 Nov-05 Apr-06 Sep-06 Feb-07 Jul-07 Dec-07 May-08 Oct-08 Mar-09 Aug-09 Jan-10 Jun-10 Nov-10 Apr-11 Sep-11 Feb-12 Jul-12 Dec-12 May-13 Oct-13 Mar-14 Aug-14 Argentina Brasil Chile México
    20. 20. Conclusões All In One • No Brasil, Chile e Colômbia é necessário exatamente a mesma quantia média de salários necessários para adquirir um computador All In One (1,7), enquanto que no México a cifra é um pouquinho superior (2). • Por outro lado, na Argentina e no Peru a quantia de salários é elevada até 3,9 e 3,1 respectivamente. • No Peru, o acesso é dificultado pelo baixo salário médio que se registra, enquanto que na Argentina, novamente o problema está nos altos preços dos equipamentos.
    21. 21. Evolução dos Tablets Quantia Média de Salários necessários para adquirir um Tablet 1.9 1.1 0.9 1.6 1.7 2.0 1.4 1.0 1.6 1.6 0.2 2.3 1.3 0.8 1.5 0.2 1.4 0.7 0.4 0.9 0.8 1.1 0.1 2.8 1.2 0.9 1.2 1.4 1.8 0.2 3.0 2.5 2.0 1.5 1.0 0.5 0.0 Argentina Brasil Chile Colômbia México Perú USA abr-11 abr-12 mai/13 mar-14 set/14
    22. 22. Evolução dos Tablets Quantia Média de Salários necessários para adquirir um Tablet 1.9 2.0 2.3 1.4 2.7 1.1 1.4 1.3 1.1 0.7 1.2 0.9 1.0 0.8 0.4 0.9 1.6 1.6 0.9 1.8 3.0 2.5 2.0 1.5 1.0 0.5 0.0 Apr-11 Apr-12 May-13 Mar-14 Sep-14 Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru USA
    23. 23. Conclusões Tablets • Nesta edição foram escolhidos dois modelos de Tablets dos mais caros do mercado, o Ipad Air de 64 gb e a Samsung Galaxy Note Pro de 32 gb. • O objetivo do Índice sempre foi e é medir produtos de alta gama, que neste caso se renovaram mais rápido que a atualização de salários, por este motivo, o acesso para este tipo de tablets é hoje mais difícil que há 6 meses. • Em todos os países analisados são necessários mais quantia de salários médios para acessar um Tablet de última geração que em março. • Como em todos os setores analisados a Argentina é o país menos acessível de todos.
    24. 24. Evolução Smartphones Quantia Média de Salários necessários para adquirir um Smartphone 1.2 1.0 0.6 1.4 0.1 1.7 0.9 0.7 1.1 1.1 1.7 0.1 2.3 1.1 0.9 1.2 1.4 1.3 0.1 2.5 2.0 1.5 1.0 0.5 0.0 Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru USA mai/13 mar-14 set/14
    25. 25. Conclusões Smartphones • Embora seja um produto Móvel, os Smartphones estão incluídos no Índice por que muitas vezes compete contra outros produtos IT ao ter certas funcionalidades similares, ou que se complementam. • Para poder realizar o comparativo entre países se tomaram os preços de telefones liberados. • Salvo no Peru, no resto dos países hoje é mais difícil acessar um telefone inteligente que há 6 meses, e como em todos os casos analisados a Argentina é o país menos acessível e com os preços em dólares mais caro.

    ×