SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Reflexões preliminares sobre o estruturalismo em
linguística. In: BORGES NETO, J. Ensaios de filosofia da linguística. São Paulo: Parábola, 2004.
Teorias Linguísticas - Prof. Rove Chishman
Slides by Raquel Salcedo Gomes
18 abr. 2011
Seminário
“Perguntava-se outrora: ‘Que é o existencialismo?’Agora:
que é o estruturalismo?” (p. 95, apud Deleuze, 1973)
Conceituar estruturalismo tarefa inglória
“método”
“atitude”
explicação científica em termos
de estruturas LINGUAGEM
outras ciências
“Seja porque seu objeto é a própria linguagem, seja
porque o tratamento ‘estrutural’ é inevitável, a linguística
não poderia ser senão estruturalista.” (p. 98)
1. O ESTRUTURALISMO EM LINGUÍSTICA
“...conjunto de teorias da linguagem humana que
compartilham, em maior ou menor grau, alguns
pressupostos.” (p. 98)
Manuais e dicionários
de linguística
Apresentação das ideias de
“estruturalistas” de renome
Saussure
Bloomfield
Sapir
Hjelmslev
Conjunto de “estruturalismos”,
rótulo, sem explicações
ESTRUTURALISMO EUROPEU
ESTRUTURALISMO AMERICANO
1.1 O estruturalismo europeu
Princípio da estrutura Princípio da autonomia
“As várias teorias estruturalistas europeias distinguem-se em vários
aspectos; numa coisa, porém, todas estão de acordo: só é possível
fazer ciência da linguagem postulando estruturas sistemáticas
subjacentes aos enunciados linguísticos e atendo-se ao estudo
delas.” (p. 98)
Os elementos da língua se
caracterizam a partir da
organização global em que se
integram - sistemicidade
Sistema autônomo: definido
exclusivamente por suas
relações internas - autocontido
Ruptura com a
linguística do passado
1.2 O estruturalismo americano
Handbook of American Indian
Languages - Franz Boas, 1911
Línguas indígenas
L. Bloomfield
Níveis estruturais:
✏ Fonológico
✏ Morfológico
Unidades
de forma
Classificação de material
de fala obtido pelo
registro de um corpus
Procedimentos de
descoberta
Paradigma
positivista de
cientificidade
MecanicismoDescritivismo
1.2 O estruturalismo americano
Princípio do
indivíduo
Princípio da
substância
Princípio da
distribuição
Mera taxionomia de fatos linguísticos
Quanto maior o corpus (amostra de fala),
mais seguro o conhecimento obtido
Os fenômenos devem ser considerados
enquanto materialidade, identificados
pelas propriedades que apresentam à
nossa experiência imediata
O estudo das relações distribucionais que
compõem a língua é suficiente para
estabelecer as regularidades que expõem
a estrutura
1.3 Estruturalismo europeu X estruturalismo americano
Partir da falaPartir da língua
Dados observáveis
Objetividade
Sistema, estrutura
Formalidade
2. UM ESTRUTURALISMO UNIFICADO?
O estruturalismo
fragmentado
O estruturalismo
unificado
NÃO SIM
2.1 O estruturalismo fragmentado
Lyons (1973)
Escola estruturalista pós-Bloomfield,
EUA, anos 1940 e 1950
Estruturalismo saussuriano - o
mais legítimo
Ducrot (1970)
Língua: sistema autônomo
imanente
O distribucionalismo dos americanos
contraria esse princípio, portanto não é
estruturalista
2.2 O estruturalismo unificado
Linguistas
soviéticos
Apresjan
Shaumyan
Atitude
“integracionista”
Linguística estrutural estática → estruturalismo
Linguística estrutural dinâmica → gerativismo
“É importante deixarmos claro, então, que a delimitação das
fronteiras entre as várias escolas ditas ‘estruturalistas’, e mesmo
entre o estruturalismo e o gerativismo, pode sofrer interferência
de fatores históricos e ideológicos em geral.” (p. 115)
AS FRONTEIRAS NÃO SÃO NEUTRAS, MAS CONSTRUÍDAS
OBRIGADA
Hjelmslev Sapir Saussure Jakobson
BoasBloomfield

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
 
Lingua e fala
Lingua e falaLingua e fala
Lingua e fala
 
Introdução à linguística - linguagem, língua e linguística
Introdução à linguística - linguagem, língua e linguísticaIntrodução à linguística - linguagem, língua e linguística
Introdução à linguística - linguagem, língua e linguística
 
Teorias da enunciação
Teorias da enunciaçãoTeorias da enunciação
Teorias da enunciação
 
Linguística como ciência
Linguística como ciênciaLinguística como ciência
Linguística como ciência
 
Linguística textual
Linguística textualLinguística textual
Linguística textual
 
Morfologia
MorfologiaMorfologia
Morfologia
 
O funcionalismo linguistico
O funcionalismo linguisticoO funcionalismo linguistico
O funcionalismo linguistico
 
Análise do discurso anita
Análise do discurso   anitaAnálise do discurso   anita
Análise do discurso anita
 
Sociolinguística
SociolinguísticaSociolinguística
Sociolinguística
 
Conceitos da semiótica
Conceitos da semióticaConceitos da semiótica
Conceitos da semiótica
 
Linguística i gerativismo
Linguística i   gerativismoLinguística i   gerativismo
Linguística i gerativismo
 
LÍNGUA & LINGUAGEM
LÍNGUA & LINGUAGEMLÍNGUA & LINGUAGEM
LÍNGUA & LINGUAGEM
 
Gramatica
GramaticaGramatica
Gramatica
 
Pragmática
PragmáticaPragmática
Pragmática
 
Introdução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
Introdução a alguns conceitos da Teoria GerativaIntrodução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
Introdução a alguns conceitos da Teoria Gerativa
 
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Parte 1   linguística geral  apresentação 2012Parte 1   linguística geral  apresentação 2012
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
 
Funcionalismo
FuncionalismoFuncionalismo
Funcionalismo
 
3.2 Funcionalismo (Martelotta).pdf
3.2 Funcionalismo (Martelotta).pdf3.2 Funcionalismo (Martelotta).pdf
3.2 Funcionalismo (Martelotta).pdf
 
Fonética & fonologia
Fonética & fonologiaFonética & fonologia
Fonética & fonologia
 

Destaque

Estruturalismo
EstruturalismoEstruturalismo
Estruturalismomundissa
 
Estruturalismo xpós estruturalismo
Estruturalismo xpós estruturalismoEstruturalismo xpós estruturalismo
Estruturalismo xpós estruturalismoAparecida Mallagoli
 
Tga teoria estruturalista
Tga teoria estruturalistaTga teoria estruturalista
Tga teoria estruturalistaEdivan Barreto
 
Formalismo Russo
Formalismo RussoFormalismo Russo
Formalismo RussoVeamanda
 
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia OrganizacionalResenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacionaladmetz01
 
Pós estruturalismo e a filosofia da diferença
Pós estruturalismo e a filosofia da diferençaPós estruturalismo e a filosofia da diferença
Pós estruturalismo e a filosofia da diferençaLeila Cristina Moraes
 
Semiótica de Saussure e Peirce
Semiótica de Saussure e PeirceSemiótica de Saussure e Peirce
Semiótica de Saussure e Peircekalledonian
 
Corrente pedagógica pós-moderna : Pós-estruturalismo e Neo-pragnatismo.
Corrente pedagógica pós-moderna : Pós-estruturalismo e Neo-pragnatismo.Corrente pedagógica pós-moderna : Pós-estruturalismo e Neo-pragnatismo.
Corrente pedagógica pós-moderna : Pós-estruturalismo e Neo-pragnatismo.rosimoura02
 
Antropologia contemporânea
Antropologia contemporânea Antropologia contemporânea
Antropologia contemporânea Edenilson Morais
 
Estudo para a segunda prova de linguistica 09 11-14 estruturalismo e gerativismo
Estudo para a segunda prova de linguistica 09 11-14 estruturalismo e gerativismoEstudo para a segunda prova de linguistica 09 11-14 estruturalismo e gerativismo
Estudo para a segunda prova de linguistica 09 11-14 estruturalismo e gerativismoIvana Botelho
 
Pensar e agir com a cultura: Desafios da gestão cultural
Pensar e agir com a cultura: Desafios da gestão culturalPensar e agir com a cultura: Desafios da gestão cultural
Pensar e agir com a cultura: Desafios da gestão culturalMais Por Arte
 

Destaque (20)

Teoria estruturalista
Teoria estruturalistaTeoria estruturalista
Teoria estruturalista
 
Estruturalismo
EstruturalismoEstruturalismo
Estruturalismo
 
Estruturalismo
EstruturalismoEstruturalismo
Estruturalismo
 
Estruturalismo xpós estruturalismo
Estruturalismo xpós estruturalismoEstruturalismo xpós estruturalismo
Estruturalismo xpós estruturalismo
 
Teoria estruturalista
Teoria estruturalistaTeoria estruturalista
Teoria estruturalista
 
Tga teoria estruturalista
Tga teoria estruturalistaTga teoria estruturalista
Tga teoria estruturalista
 
Formalismo Russo
Formalismo RussoFormalismo Russo
Formalismo Russo
 
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia OrganizacionalResenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
Resenha - Teoria Estruturalista: Estratégia Organizacional
 
Pós estruturalismo e a filosofia da diferença
Pós estruturalismo e a filosofia da diferençaPós estruturalismo e a filosofia da diferença
Pós estruturalismo e a filosofia da diferença
 
Semiótica de Saussure e Peirce
Semiótica de Saussure e PeirceSemiótica de Saussure e Peirce
Semiótica de Saussure e Peirce
 
Corrente pedagógica pós-moderna : Pós-estruturalismo e Neo-pragnatismo.
Corrente pedagógica pós-moderna : Pós-estruturalismo e Neo-pragnatismo.Corrente pedagógica pós-moderna : Pós-estruturalismo e Neo-pragnatismo.
Corrente pedagógica pós-moderna : Pós-estruturalismo e Neo-pragnatismo.
 
Antropologia contemporânea
Antropologia contemporânea Antropologia contemporânea
Antropologia contemporânea
 
Saussure
SaussureSaussure
Saussure
 
Estudo para a segunda prova de linguistica 09 11-14 estruturalismo e gerativismo
Estudo para a segunda prova de linguistica 09 11-14 estruturalismo e gerativismoEstudo para a segunda prova de linguistica 09 11-14 estruturalismo e gerativismo
Estudo para a segunda prova de linguistica 09 11-14 estruturalismo e gerativismo
 
Cinema
CinemaCinema
Cinema
 
Critica textual
Critica textualCritica textual
Critica textual
 
Algumas reflexões
Algumas reflexõesAlgumas reflexões
Algumas reflexões
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Curso Gestão Cultural - Aula 01/01
Curso Gestão Cultural - Aula 01/01Curso Gestão Cultural - Aula 01/01
Curso Gestão Cultural - Aula 01/01
 
Pensar e agir com a cultura: Desafios da gestão cultural
Pensar e agir com a cultura: Desafios da gestão culturalPensar e agir com a cultura: Desafios da gestão cultural
Pensar e agir com a cultura: Desafios da gestão cultural
 

Semelhante a Reflexões sobre o estruturalismo na linguística

linguistica.ppt
linguistica.pptlinguistica.ppt
linguistica.pptlucasicm
 
AULA- Análises de Discurso em Ciências Sociais
AULA- Análises de Discurso em Ciências SociaisAULA- Análises de Discurso em Ciências Sociais
AULA- Análises de Discurso em Ciências SociaisCleide Magáli dos Santos
 
generos_textuais.ppt
generos_textuais.pptgeneros_textuais.ppt
generos_textuais.pptcaetano31
 
Teoria inatista
Teoria inatistaTeoria inatista
Teoria inatistaLLAndrade
 
A ordem do expor em géneros académicos...
A ordem do expor em géneros académicos...A ordem do expor em géneros académicos...
A ordem do expor em géneros académicos...Marisa Paço
 
ANÁLISE DO DISCURSO: UM ITINERÁRIO HISTÓRICO
ANÁLISE DO DISCURSO: UM ITINERÁRIO HISTÓRICOANÁLISE DO DISCURSO: UM ITINERÁRIO HISTÓRICO
ANÁLISE DO DISCURSO: UM ITINERÁRIO HISTÓRICOFrancis Mary Rosa
 
Aula dra. clarice von oertzen 30-09-14
Aula dra. clarice von oertzen   30-09-14Aula dra. clarice von oertzen   30-09-14
Aula dra. clarice von oertzen 30-09-14Fernanda Moreira
 
Gêneros textuais marcuschi
Gêneros textuais   marcuschiGêneros textuais   marcuschi
Gêneros textuais marcuschiSonia Nudelman
 
Roteiros para o ensino e a pesquisa de gêneros textuais e hipertextuais
Roteiros para o ensino e a pesquisa de gêneros textuais e hipertextuaisRoteiros para o ensino e a pesquisa de gêneros textuais e hipertextuais
Roteiros para o ensino e a pesquisa de gêneros textuais e hipertextuaisThiago Eugênio Loredo Betta
 
Aula roteiro 2011.1 - 1o.per. - 2a.parte (alunos)
Aula roteiro   2011.1 - 1o.per. - 2a.parte (alunos)Aula roteiro   2011.1 - 1o.per. - 2a.parte (alunos)
Aula roteiro 2011.1 - 1o.per. - 2a.parte (alunos)informaticafdv
 
Sobre o lugar do pensamento na teoria de chomsk
Sobre o lugar do pensamento na teoria de chomskSobre o lugar do pensamento na teoria de chomsk
Sobre o lugar do pensamento na teoria de chomskJanete Nascimento
 
Artigo Conceito de enunciado por Focault
Artigo Conceito de enunciado por  FocaultArtigo Conceito de enunciado por  Focault
Artigo Conceito de enunciado por FocaultCarlos Alberto Monteiro
 
A diminuição da maioridade penal discursivizada em cartuns de Angeli
A diminuição da maioridade penal discursivizada em cartuns de AngeliA diminuição da maioridade penal discursivizada em cartuns de Angeli
A diminuição da maioridade penal discursivizada em cartuns de AngeliVidioas
 

Semelhante a Reflexões sobre o estruturalismo na linguística (20)

Linguagem e pensamento
Linguagem e pensamentoLinguagem e pensamento
Linguagem e pensamento
 
Sintaxe
SintaxeSintaxe
Sintaxe
 
linguistica.ppt
linguistica.pptlinguistica.ppt
linguistica.ppt
 
AULA- Análises de Discurso em Ciências Sociais
AULA- Análises de Discurso em Ciências SociaisAULA- Análises de Discurso em Ciências Sociais
AULA- Análises de Discurso em Ciências Sociais
 
generos_textuais.ppt
generos_textuais.pptgeneros_textuais.ppt
generos_textuais.ppt
 
generos_textuais.ppt
generos_textuais.pptgeneros_textuais.ppt
generos_textuais.ppt
 
Teoria inatista
Teoria inatistaTeoria inatista
Teoria inatista
 
A ordem do expor em géneros académicos...
A ordem do expor em géneros académicos...A ordem do expor em géneros académicos...
A ordem do expor em géneros académicos...
 
Noam Chomisky
Noam ChomiskyNoam Chomisky
Noam Chomisky
 
ANÁLISE DO DISCURSO: UM ITINERÁRIO HISTÓRICO
ANÁLISE DO DISCURSO: UM ITINERÁRIO HISTÓRICOANÁLISE DO DISCURSO: UM ITINERÁRIO HISTÓRICO
ANÁLISE DO DISCURSO: UM ITINERÁRIO HISTÓRICO
 
Aula dra. clarice von oertzen 30-09-14
Aula dra. clarice von oertzen   30-09-14Aula dra. clarice von oertzen   30-09-14
Aula dra. clarice von oertzen 30-09-14
 
Gêneros textuais marcuschi
Gêneros textuais   marcuschiGêneros textuais   marcuschi
Gêneros textuais marcuschi
 
Roteiros para o ensino e a pesquisa de gêneros textuais e hipertextuais
Roteiros para o ensino e a pesquisa de gêneros textuais e hipertextuaisRoteiros para o ensino e a pesquisa de gêneros textuais e hipertextuais
Roteiros para o ensino e a pesquisa de gêneros textuais e hipertextuais
 
Generos Textuais
Generos TextuaisGeneros Textuais
Generos Textuais
 
Analise do discurso
Analise do discursoAnalise do discurso
Analise do discurso
 
Aula roteiro 2011.1 - 1o.per. - 2a.parte (alunos)
Aula roteiro   2011.1 - 1o.per. - 2a.parte (alunos)Aula roteiro   2011.1 - 1o.per. - 2a.parte (alunos)
Aula roteiro 2011.1 - 1o.per. - 2a.parte (alunos)
 
Sobre o lugar do pensamento na teoria de chomsk
Sobre o lugar do pensamento na teoria de chomskSobre o lugar do pensamento na teoria de chomsk
Sobre o lugar do pensamento na teoria de chomsk
 
Artigo Conceito de enunciado por Focault
Artigo Conceito de enunciado por  FocaultArtigo Conceito de enunciado por  Focault
Artigo Conceito de enunciado por Focault
 
Resumão linguagem
Resumão linguagemResumão linguagem
Resumão linguagem
 
A diminuição da maioridade penal discursivizada em cartuns de Angeli
A diminuição da maioridade penal discursivizada em cartuns de AngeliA diminuição da maioridade penal discursivizada em cartuns de Angeli
A diminuição da maioridade penal discursivizada em cartuns de Angeli
 

Mais de Raquel Salcedo Gomes

Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdfTrajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdfRaquel Salcedo Gomes
 
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente InformatizadoTrajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente InformatizadoRaquel Salcedo Gomes
 
Cultura digital ou digitalização da cultura
Cultura digital ou digitalização da culturaCultura digital ou digitalização da cultura
Cultura digital ou digitalização da culturaRaquel Salcedo Gomes
 
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...Raquel Salcedo Gomes
 
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionaisHistória das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionaisRaquel Salcedo Gomes
 
Desafios da educação na pandemia
Desafios da educação na pandemiaDesafios da educação na pandemia
Desafios da educação na pandemiaRaquel Salcedo Gomes
 
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?Raquel Salcedo Gomes
 
Cognição 4E - Evolução da cognição
Cognição 4E - Evolução da cogniçãoCognição 4E - Evolução da cognição
Cognição 4E - Evolução da cogniçãoRaquel Salcedo Gomes
 
Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais
Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos EducacionaisBenjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais
Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos EducacionaisRaquel Salcedo Gomes
 
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivasPesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivasRaquel Salcedo Gomes
 
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?Raquel Salcedo Gomes
 
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy Raquel Salcedo Gomes
 
Pierre Lévy e as humanidades digitais
Pierre Lévy e as humanidades digitaisPierre Lévy e as humanidades digitais
Pierre Lévy e as humanidades digitaisRaquel Salcedo Gomes
 
Informática na educação baseada em evidências
Informática na educação baseada em evidênciasInformática na educação baseada em evidências
Informática na educação baseada em evidênciasRaquel Salcedo Gomes
 
Pervasive Computing: Vision and Challenges
Pervasive Computing: Vision and ChallengesPervasive Computing: Vision and Challenges
Pervasive Computing: Vision and ChallengesRaquel Salcedo Gomes
 

Mais de Raquel Salcedo Gomes (20)

Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdfTrajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
 
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente InformatizadoTrajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
 
Cultura digital ou digitalização da cultura
Cultura digital ou digitalização da culturaCultura digital ou digitalização da cultura
Cultura digital ou digitalização da cultura
 
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
 
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionaisHistória das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
 
Desafios da educação na pandemia
Desafios da educação na pandemiaDesafios da educação na pandemia
Desafios da educação na pandemia
 
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
 
Cognição 4E - Evolução da cognição
Cognição 4E - Evolução da cogniçãoCognição 4E - Evolução da cognição
Cognição 4E - Evolução da cognição
 
Cognição enativa e linguagem
Cognição enativa e linguagemCognição enativa e linguagem
Cognição enativa e linguagem
 
Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais
Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos EducacionaisBenjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais
Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais
 
Educação na cultura digital
Educação na cultura digitalEducação na cultura digital
Educação na cultura digital
 
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivasPesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
 
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
 
O que é o virtual? Pierre Lévy
O que é o virtual? Pierre LévyO que é o virtual? Pierre Lévy
O que é o virtual? Pierre Lévy
 
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
 
Pierre Lévy e as humanidades digitais
Pierre Lévy e as humanidades digitaisPierre Lévy e as humanidades digitais
Pierre Lévy e as humanidades digitais
 
Informática na educação baseada em evidências
Informática na educação baseada em evidênciasInformática na educação baseada em evidências
Informática na educação baseada em evidências
 
Pervasive Computing: Vision and Challenges
Pervasive Computing: Vision and ChallengesPervasive Computing: Vision and Challenges
Pervasive Computing: Vision and Challenges
 
Bergson e Maturana em minha tese
Bergson e Maturana em minha teseBergson e Maturana em minha tese
Bergson e Maturana em minha tese
 
Poesia - Modernistas (1945-1960)
Poesia - Modernistas (1945-1960)Poesia - Modernistas (1945-1960)
Poesia - Modernistas (1945-1960)
 

Último

Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 

Último (20)

Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 

Reflexões sobre o estruturalismo na linguística

  • 1. Reflexões preliminares sobre o estruturalismo em linguística. In: BORGES NETO, J. Ensaios de filosofia da linguística. São Paulo: Parábola, 2004. Teorias Linguísticas - Prof. Rove Chishman Slides by Raquel Salcedo Gomes 18 abr. 2011 Seminário
  • 2. “Perguntava-se outrora: ‘Que é o existencialismo?’Agora: que é o estruturalismo?” (p. 95, apud Deleuze, 1973) Conceituar estruturalismo tarefa inglória “método” “atitude” explicação científica em termos de estruturas LINGUAGEM outras ciências “Seja porque seu objeto é a própria linguagem, seja porque o tratamento ‘estrutural’ é inevitável, a linguística não poderia ser senão estruturalista.” (p. 98)
  • 3. 1. O ESTRUTURALISMO EM LINGUÍSTICA “...conjunto de teorias da linguagem humana que compartilham, em maior ou menor grau, alguns pressupostos.” (p. 98) Manuais e dicionários de linguística Apresentação das ideias de “estruturalistas” de renome Saussure Bloomfield Sapir Hjelmslev Conjunto de “estruturalismos”, rótulo, sem explicações ESTRUTURALISMO EUROPEU ESTRUTURALISMO AMERICANO
  • 4. 1.1 O estruturalismo europeu Princípio da estrutura Princípio da autonomia “As várias teorias estruturalistas europeias distinguem-se em vários aspectos; numa coisa, porém, todas estão de acordo: só é possível fazer ciência da linguagem postulando estruturas sistemáticas subjacentes aos enunciados linguísticos e atendo-se ao estudo delas.” (p. 98) Os elementos da língua se caracterizam a partir da organização global em que se integram - sistemicidade Sistema autônomo: definido exclusivamente por suas relações internas - autocontido Ruptura com a linguística do passado
  • 5. 1.2 O estruturalismo americano Handbook of American Indian Languages - Franz Boas, 1911 Línguas indígenas L. Bloomfield Níveis estruturais: ✏ Fonológico ✏ Morfológico Unidades de forma Classificação de material de fala obtido pelo registro de um corpus Procedimentos de descoberta Paradigma positivista de cientificidade MecanicismoDescritivismo
  • 6. 1.2 O estruturalismo americano Princípio do indivíduo Princípio da substância Princípio da distribuição Mera taxionomia de fatos linguísticos Quanto maior o corpus (amostra de fala), mais seguro o conhecimento obtido Os fenômenos devem ser considerados enquanto materialidade, identificados pelas propriedades que apresentam à nossa experiência imediata O estudo das relações distribucionais que compõem a língua é suficiente para estabelecer as regularidades que expõem a estrutura
  • 7. 1.3 Estruturalismo europeu X estruturalismo americano Partir da falaPartir da língua Dados observáveis Objetividade Sistema, estrutura Formalidade
  • 8. 2. UM ESTRUTURALISMO UNIFICADO? O estruturalismo fragmentado O estruturalismo unificado NÃO SIM
  • 9. 2.1 O estruturalismo fragmentado Lyons (1973) Escola estruturalista pós-Bloomfield, EUA, anos 1940 e 1950 Estruturalismo saussuriano - o mais legítimo Ducrot (1970) Língua: sistema autônomo imanente O distribucionalismo dos americanos contraria esse princípio, portanto não é estruturalista
  • 10. 2.2 O estruturalismo unificado Linguistas soviéticos Apresjan Shaumyan Atitude “integracionista” Linguística estrutural estática → estruturalismo Linguística estrutural dinâmica → gerativismo “É importante deixarmos claro, então, que a delimitação das fronteiras entre as várias escolas ditas ‘estruturalistas’, e mesmo entre o estruturalismo e o gerativismo, pode sofrer interferência de fatores históricos e ideológicos em geral.” (p. 115) AS FRONTEIRAS NÃO SÃO NEUTRAS, MAS CONSTRUÍDAS
  • 11. OBRIGADA Hjelmslev Sapir Saussure Jakobson BoasBloomfield