SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
Cláusula escalonada mediação-arbitragem nos contratos marítimos
Marcelo Silva Moreira Marques1
Cerca de 90% (noventa por cento) do comércio internacional é feito pelo mar, sendo
que 99% (noventa e nove por cento) dos contratos marítimos2
, normalmente
padronizados, já contém a cláusula compromissória fazendo escolha pela arbitragem,
tudo com o objetivo de garantir a segurança jurídica por meio da decisão de especialistas
quando há necessidade de resolução dos conflitos.
O fato de serem contratos padrões, não significa que sejam contratos de adesão,
havendo espaço para negociar inserção da cláusula escalonada mediação-arbitragem,
como defenderemos em seguir.
Como é cediço, o direito marítimo é dotado de uma especificidade tamanha que
passa ao largo, de uma maneira geral, das grades curriculares dos cursos de graduação e
pós-graduação em Direito.
Somado a isso, sabe-se que muitos operadores do direito em atuação, sejam
Advogados, Juízes e membros do Ministério Público são formados nos bancos das
Faculdades de Direito na cultura da litigiosidade, em prejuízo da consensualidade, o que
requer uma mudança cultural e no meio acadêmico pelos motivos que passaremos a
expor.
A morosidade do Poder Judiciário é uma realidade de décadas em todo mundo, bem
como a falta de conhecimento técnico específico dos magistrados no Direito Marítimo,
pelas causas acima apontadas. Isso trouxe como efeito colateral positivo ao longo dos
anos, especialmente no Direito Marítimo, a inserção das cláusulas compromissórias nos
contratos regulados pelo acima mencionado ramo do direito.
Tal fato, permitiu o desenvolvimento da formação de árbitros especializados nos
conflitos marítimos e, consequentemente, o desenvolvimento da arbitragem para solução
1
Marcelo Silva Moreira Marques1
foi Procurador Geral do Município do Rio de Janeiro (2019-2020).
Atualmente, é doutorando pela Universidade de Coimbra em Portugal com tese em elaboração na área de
mediação marítima.
2
PEREIRA, Michele Cristie. Mediação em Contratos Marítimos. Instituto e Câmara de Mediação Aplicada.
Disponível em: < https://imainstituto.com.br/a-aplicacao-da-mediacao-nos-contratos-maritimos-2/ >.
adequada de conflitos daí decorrentes, inclusive “a arbitragem se mostra consolidada no Direito
Marítimo desde o final da década de 1980 e segue sendo prevista nos modelos de contratos mais recentes”.3
Maior margem de acerto da decisão do árbitro, quando em comparação com o juiz
togado normalmente neófito na temática marítima, menor tempo ao menor custo para
solução do conflito, se compararmos com a clássica judicialização do conflito, são
aspectos relevantes que explicam o progresso das cláusulas compromissórias de
arbitragem nos contratos regulados pelo Direito Marítimo.
A partir da década de 1990, câmaras de arbitragem clássicas como o The London
Maritime Arbitrators Association (LMAA) e a Singapore Chamber of Commerce
(SCMA) começam a abrir espaço para a mediação como meio adequado de solução de
conflitos regulados pelo Direito Marítimo.
Como nos lembra Menon, incluiu-se cláusulas de mediação no âmbito da Baltic and
International Maritime Council (BIMCO) Standard Law and Arbitration Clause, assim
como no EUROMED Charter Party, que inclusive prevê o escalonamento da mediação
para arbitragem caso não haja um acordo em 35 dias.4
A Society of Maritime Arbitrators (SMA) também contém previsão de mediação e
conciliação, tanto na câmara quanto no próprio regulamento, sendo a mediação
confidencial e voluntária e, quase sempre, realizada na cidade de Nova Iorque, conforme
se constata da leitura dos artigos 4º e 6º do respectivo regulamento.
Quanto a Singapore International Mediation Centre (SIMC), basta seja
formalizado o pedido de mediação no site da referida instituição, o que poderá redundar
numa mediação feita com profissionais internos ou externos, mas sempre a mediação é
realizada na Cidade de Singapura. A LMAA, por sua vez, tem um rol de mediadores em
parceria com o BIMCO.
No contexto da pandemia (COVID-19), ganhou escala a mediação on line (virtual),
tudo em virtude da flexibilidade e celeridade do procedimento, por meio de softwares
modernos de videoconferência que tem a capacidade de simular uma sessão presencial.5
3
PAIVA, Marcella; GUIMARÃES, Marcello; PAUSEIRO, Sérgio Gustavo de Mattos. A cláusula escalonada
nos contratos de afretamento e nas charter-parties. Revista Brasileira de Alternative Dispute Resolution-
RBADR, Belo Horizonte, ano 02, n.04, p.90.
4
MENON, Sundaresh. The Future of Maritime Dispute Arbitration Annual Conference, 2015, p. 27.
5
OWEN, David; PARRY, Angharad. The Go-Between: resolving disputes in uncertain times. A mediator’s
perpective. Arbitration classics, Twenty Essex, boletim, maio de 2020. Disponível em:
Nos termos em que nos ensina Levy, “cláusulas escalonadas são cláusulas que preveem a
utilização sequencial de meios alternativos de soluções de controvérsias, inseridos num contexto de
múltiplas etapas, utilizando dois ou mais mecanismos de solução do conflito como, por exemplo, a
negociação, a mediação e a arbitragem”.6
Ocorre que a mediação tem características que falecem a arbitragem, notadamente
um menor custo7
, e que também podem ser úteis, mediante cláusula de escalonamento, a
contribuir com a solução do conflito através da reconstrução da relação jurídica entre as
partes conflitantes, a um menor tempo e custo que a arbitragem, senão vejamos:
“A experiência tem demonstrado que a utilização simultânea de mediação e
arbitragem através da cláusula escalonada contribui bastante para preservar o bom
entendimento entre os sócios, no ambiente comercial. A cláusula que prevê ambos os
procedimentos mencionados em suas variações- med-arb, arb-med, arb-med-arb – traz
vantagens pelo agrupamento de um método autocompositivo com um
heterocompositivo8
”
Na sessão 73 da Assembleia Geral das Nações Unidas, em dezembro de 2018,
decidiu-se facilitar o comércio internacional por meio da mediação. Em 2019, em
Singapura, assinou-se a Convenção das Nações Unidas sobre Acordos Comerciais
Internacionais Resultante da Mediação, que alterou a Lei Modelo da Comissão das
Nações Unidas para o Direito Comercial Internacional (UNCITRAL) sobre Conciliação
Comercial Internacional de 2002, para o fim de prever o acordo por mediação.
Nos termos em que dispõe o art. 7º da Lei Federal n. 13.140/2015 (Lei de Mediação
Brasileira), não é possível a atuação do mediador como árbitro na solução do conflito em
que já atuara na condição de mediador, nada obstante diversas câmaras de resolução de
controvérsias não prevejam tal restrição. Entretanto, a segurança jurídica está a indicar
que se impeça a acumulação das funções de mediador/árbitro, prevenindo eventuais
nulidades da sentença arbitral.
No Direito Marítimo, tal como leciona Brewer, essa combinação mediação-
arbitragem pode gerar maior efetividade na solução adequada dos conflitos à luz do
https://scma.org.sg/SiteFolders/scma/387/Articles/Arbitration-classics_The-Go-Between.pdf. Acesso
em: 21/07/2022.
6
LEVY, Fernanda Rocha. Cláusula Escalonada: Mediação Comercial no Contexto da Arbitragem. São Paulo.
Saraiva. 2013.
7
PEREIRA, Michele Cristie. Mediação em Contratos Marítimos. Op. Cit.
8
DEASON, Ellen E. Combinations of mediation and arbitration with the same neutral. A framework for
judicial review. Y.B. on arbitration and mediation, v. 5, 2013, p. 224.
princípio jurídico do custo-benefício,9
tanto que a SMA levou a termo uma cláusula
padrão nos seguintes termos:
“Cláusula Modelo de Mediação/Arbitragem: Se surgir uma disputa sob este contrato, as
partes podem concordar em buscar uma solução amigável dessa disputa por mediação sob
as Regras de Mediação da Society of Maritime Arbitrators, Inc. (SMA) de Nova York
então em vigor. Se houver uma mediação, mas não resultar em um acordo, ou se as partes
não concordarem em mediar, a disputa será submetida à arbitragem perante três árbitros
comerciais sob as Regras de Arbitragem da Sociedade de Árbitros Marítimos, Inc. (SMA
), um a ser nomeado por cada uma das partes e o terceiro pelas duas assim escolhidas e a
sua decisão ou a de quaisquer duas delas será final e vinculativa. Alternativamente, as
partes podem submeter a disputa a um árbitro comercial sob as Regras da SMA para
Procedimento de Arbitragem Abreviada (“Regras Abreviadas da SMA”) cuja decisão será
final e vinculativa. Em ambos os casos, o julgamento de tal sentença arbitral pode ser
registrado no Tribunal Distrital Federal dos EUA para o Distrito Sul de Nova York.10
”
Como se pode verificar na cláusula padrão acima, a mediação pode ser anterior ao
procedimento arbitral, ou as partes podem optar por um ou outro método à luz das
circunstâncias do caso concreto conflituoso.
A LMMA, por seu turno, igualmente disponibiliza serviços de mediação por meio
da LMAA Mediation Panel e, também, através da LMAA/Bactic Exchange Mediation
Panel, sendo certo que o item 9.4 do the LMAA Mediaton Terms (2002) possibilita que o
mediador, em havendo consenso entre as partes conflitantes, transforme o termo de
mediação em sentença arbitral, ou mesmo as partes podem submeter a homologação do
tribunal arbitral, na hipótese de a arbitragem ter sido deflagrada anteriormente à
mediação.
O artigo 12 do regulamento LMAA Mediation Terms regula, outrossim, o
procedimento arbitral superveniente à mediação, assim como a viabilidade de início da
arbitragem no curso da mediação, ou seja, concomitantemente, o que incrementa as
possibilidades de solução célere ao conflito.
A cláusula de resolução de conflitos da BIMCO, no mesmo sentido da LMAA,
estabelece a oportunidade de emprego tanto da mediação quanto da arbitragem. De outro
lado, a SIMC, a SCMA e a Singapore International Arbitration Centre (SIAC) se
9
BREWER, Thomas J; MILLS, R. Combining Mediation and Arbitration. Dispute Resolution Journal, v. 4 n.54,
1999, p.34.
10
ARBITRATION, Society of Maritime (SMA). Maritimme and comercial dispute resolution. 8. Edition. NY:
SMA, fev. de 2020.
irmanaram de modo a produzir um protocolo Arb-Med-Arb (AMA), em sede de disputas
marítimas.
Merecem menções honrosas outras relevantes instituições que vem adotando a
cláusula escalonada med-arb, tais como International Chamber of Commerce (ICC),
Hong Kong International Arbitration Centre (HKIAC) e o Centro Brasileiro de Mediação
e Arbitragem (CBMA).
À título de sínteses conclusivas, afirma-se que diante da falta de especialização da
atividade jurisdicional no mercado shipping, somada a morosidade do Poder Judiciário,
a celeridade e eficiência desejadas pelo Direito Marítimo estão mais bem atendidas com
as cláusulas de escalonamento mediação-arbitragem, ou arbitragem-mediação-arbitragem
(AMA).
Decisão mais célere, exarada por experimentados na temática marítima, e que
permita a reconstrução da relação jurídica entres as partes à luz do princípio da
consensualidade, e não da litigiosidade, são grandes legados das cláusulas de
escalonamento mediação-arbitragem, ou arbitragem-mediação-arbitragem (AMA), o que
torna o mercado marítimo mais seguro e rentável;
A mediação, enfim, oferece uma janela de oportunidades para o comércio marítimo
internacional pela sua eficácia, economicidade, celeridade e harmonização das relações
comerciais entre os diversos atores jurídicos envolvidos.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Cláusula escalonada mediação-arbitragem nos contratos marítimos

Traduções literais de cláusulas de resseguro podem provocar impasses
Traduções literais de cláusulas de resseguro podem provocar impassesTraduções literais de cláusulas de resseguro podem provocar impasses
Traduções literais de cláusulas de resseguro podem provocar impassesEditora Roncarati
 
A Arbitragem e a Mediação na Solução de Conflitos Societários
A Arbitragem e a Mediação na Solução de Conflitos SocietáriosA Arbitragem e a Mediação na Solução de Conflitos Societários
A Arbitragem e a Mediação na Solução de Conflitos SocietáriosCRA-BA
 
Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...
Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...
Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...A. Rui Teixeira Santos
 
A arbitragem como_meio_de_resolver_conflitos_societarios
A arbitragem como_meio_de_resolver_conflitos_societariosA arbitragem como_meio_de_resolver_conflitos_societarios
A arbitragem como_meio_de_resolver_conflitos_societariosFlávio Jardim
 
Manual de Mediação de Conflito para advogados
Manual de Mediação de Conflito para advogados Manual de Mediação de Conflito para advogados
Manual de Mediação de Conflito para advogados Ministério da Justiça
 
Manual mediação para advogados
Manual mediação para advogadosManual mediação para advogados
Manual mediação para advogadosCristiane Lara
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1CAMCPE
 
Reformando o RDC - Regime Diferenciado de Contratação para publicacao - ver...
Reformando o RDC - Regime Diferenciado de Contratação   para publicacao - ver...Reformando o RDC - Regime Diferenciado de Contratação   para publicacao - ver...
Reformando o RDC - Regime Diferenciado de Contratação para publicacao - ver...Mauricio Portugal Ribeiro
 
Aarbitragemcomomeioderesolverconflitossocietarios 111104142533-phpapp02
Aarbitragemcomomeioderesolverconflitossocietarios 111104142533-phpapp02Aarbitragemcomomeioderesolverconflitossocietarios 111104142533-phpapp02
Aarbitragemcomomeioderesolverconflitossocietarios 111104142533-phpapp02EsdrasArthurPessoa
 
Cartilha de arbitragem_230609
Cartilha de arbitragem_230609Cartilha de arbitragem_230609
Cartilha de arbitragem_230609Rosangela Costa
 
resolução alternativa de conflitos de consumo
   resolução alternativa de conflitos de consumo   resolução alternativa de conflitos de consumo
resolução alternativa de conflitos de consumosammaxmax
 
Locação de imóveis e as dúvidas mais comuns
Locação de imóveis e as dúvidas mais comunsLocação de imóveis e as dúvidas mais comuns
Locação de imóveis e as dúvidas mais comunsOlinda Caetano
 
COMO VIABILIZAR O USO DE ATERROS SANITARIOS OBJETO DE CONCESSAO OU PPP E REGU...
COMO VIABILIZAR O USO DE ATERROS SANITARIOS OBJETO DE CONCESSAO OU PPP E REGU...COMO VIABILIZAR O USO DE ATERROS SANITARIOS OBJETO DE CONCESSAO OU PPP E REGU...
COMO VIABILIZAR O USO DE ATERROS SANITARIOS OBJETO DE CONCESSAO OU PPP E REGU...Mauricio Portugal Ribeiro
 
57685220-CONTRATOS-COMERCIAIS franquia franchising.pptx
57685220-CONTRATOS-COMERCIAIS franquia franchising.pptx57685220-CONTRATOS-COMERCIAIS franquia franchising.pptx
57685220-CONTRATOS-COMERCIAIS franquia franchising.pptxAlexandra Roldão
 
A Viga Mestra Dos Contratos De Engenharia
A Viga Mestra Dos Contratos De EngenhariaA Viga Mestra Dos Contratos De Engenharia
A Viga Mestra Dos Contratos De EngenhariaFernando Henrique Cunha
 
A viga mestra dos contratos de engenharia
A viga mestra dos contratos de engenhariaA viga mestra dos contratos de engenharia
A viga mestra dos contratos de engenhariaVIEX americas
 
Aula 6
Aula 6Aula 6
Aula 6CAMCPE
 

Semelhante a Cláusula escalonada mediação-arbitragem nos contratos marítimos (20)

Traduções literais de cláusulas de resseguro podem provocar impasses
Traduções literais de cláusulas de resseguro podem provocar impassesTraduções literais de cláusulas de resseguro podem provocar impasses
Traduções literais de cláusulas de resseguro podem provocar impasses
 
A Arbitragem e a Mediação na Solução de Conflitos Societários
A Arbitragem e a Mediação na Solução de Conflitos SocietáriosA Arbitragem e a Mediação na Solução de Conflitos Societários
A Arbitragem e a Mediação na Solução de Conflitos Societários
 
Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...
Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...
Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...
 
A arbitragem como_meio_de_resolver_conflitos_societarios
A arbitragem como_meio_de_resolver_conflitos_societariosA arbitragem como_meio_de_resolver_conflitos_societarios
A arbitragem como_meio_de_resolver_conflitos_societarios
 
TEEMA-Tribunal Elesiastico Extrajudicial de Mediação Arbitral Autad
TEEMA-Tribunal Elesiastico Extrajudicial de Mediação Arbitral AutadTEEMA-Tribunal Elesiastico Extrajudicial de Mediação Arbitral Autad
TEEMA-Tribunal Elesiastico Extrajudicial de Mediação Arbitral Autad
 
Manual de Mediação de Conflito para advogados
Manual de Mediação de Conflito para advogados Manual de Mediação de Conflito para advogados
Manual de Mediação de Conflito para advogados
 
Manual mediação para advogados
Manual mediação para advogadosManual mediação para advogados
Manual mediação para advogados
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Reformando o RDC - Regime Diferenciado de Contratação para publicacao - ver...
Reformando o RDC - Regime Diferenciado de Contratação   para publicacao - ver...Reformando o RDC - Regime Diferenciado de Contratação   para publicacao - ver...
Reformando o RDC - Regime Diferenciado de Contratação para publicacao - ver...
 
Aarbitragemcomomeioderesolverconflitossocietarios 111104142533-phpapp02
Aarbitragemcomomeioderesolverconflitossocietarios 111104142533-phpapp02Aarbitragemcomomeioderesolverconflitossocietarios 111104142533-phpapp02
Aarbitragemcomomeioderesolverconflitossocietarios 111104142533-phpapp02
 
Mediacao copy
Mediacao   copyMediacao   copy
Mediacao copy
 
Cartilha de arbitragem_230609
Cartilha de arbitragem_230609Cartilha de arbitragem_230609
Cartilha de arbitragem_230609
 
resolução alternativa de conflitos de consumo
   resolução alternativa de conflitos de consumo   resolução alternativa de conflitos de consumo
resolução alternativa de conflitos de consumo
 
Locação de imóveis e as dúvidas mais comuns
Locação de imóveis e as dúvidas mais comunsLocação de imóveis e as dúvidas mais comuns
Locação de imóveis e as dúvidas mais comuns
 
COMO VIABILIZAR O USO DE ATERROS SANITARIOS OBJETO DE CONCESSAO OU PPP E REGU...
COMO VIABILIZAR O USO DE ATERROS SANITARIOS OBJETO DE CONCESSAO OU PPP E REGU...COMO VIABILIZAR O USO DE ATERROS SANITARIOS OBJETO DE CONCESSAO OU PPP E REGU...
COMO VIABILIZAR O USO DE ATERROS SANITARIOS OBJETO DE CONCESSAO OU PPP E REGU...
 
57685220-CONTRATOS-COMERCIAIS franquia franchising.pptx
57685220-CONTRATOS-COMERCIAIS franquia franchising.pptx57685220-CONTRATOS-COMERCIAIS franquia franchising.pptx
57685220-CONTRATOS-COMERCIAIS franquia franchising.pptx
 
Palestra arbitragem
Palestra arbitragemPalestra arbitragem
Palestra arbitragem
 
A Viga Mestra Dos Contratos De Engenharia
A Viga Mestra Dos Contratos De EngenhariaA Viga Mestra Dos Contratos De Engenharia
A Viga Mestra Dos Contratos De Engenharia
 
A viga mestra dos contratos de engenharia
A viga mestra dos contratos de engenhariaA viga mestra dos contratos de engenharia
A viga mestra dos contratos de engenharia
 
Aula 6
Aula 6Aula 6
Aula 6
 

Cláusula escalonada mediação-arbitragem nos contratos marítimos

  • 1. Cláusula escalonada mediação-arbitragem nos contratos marítimos Marcelo Silva Moreira Marques1 Cerca de 90% (noventa por cento) do comércio internacional é feito pelo mar, sendo que 99% (noventa e nove por cento) dos contratos marítimos2 , normalmente padronizados, já contém a cláusula compromissória fazendo escolha pela arbitragem, tudo com o objetivo de garantir a segurança jurídica por meio da decisão de especialistas quando há necessidade de resolução dos conflitos. O fato de serem contratos padrões, não significa que sejam contratos de adesão, havendo espaço para negociar inserção da cláusula escalonada mediação-arbitragem, como defenderemos em seguir. Como é cediço, o direito marítimo é dotado de uma especificidade tamanha que passa ao largo, de uma maneira geral, das grades curriculares dos cursos de graduação e pós-graduação em Direito. Somado a isso, sabe-se que muitos operadores do direito em atuação, sejam Advogados, Juízes e membros do Ministério Público são formados nos bancos das Faculdades de Direito na cultura da litigiosidade, em prejuízo da consensualidade, o que requer uma mudança cultural e no meio acadêmico pelos motivos que passaremos a expor. A morosidade do Poder Judiciário é uma realidade de décadas em todo mundo, bem como a falta de conhecimento técnico específico dos magistrados no Direito Marítimo, pelas causas acima apontadas. Isso trouxe como efeito colateral positivo ao longo dos anos, especialmente no Direito Marítimo, a inserção das cláusulas compromissórias nos contratos regulados pelo acima mencionado ramo do direito. Tal fato, permitiu o desenvolvimento da formação de árbitros especializados nos conflitos marítimos e, consequentemente, o desenvolvimento da arbitragem para solução 1 Marcelo Silva Moreira Marques1 foi Procurador Geral do Município do Rio de Janeiro (2019-2020). Atualmente, é doutorando pela Universidade de Coimbra em Portugal com tese em elaboração na área de mediação marítima. 2 PEREIRA, Michele Cristie. Mediação em Contratos Marítimos. Instituto e Câmara de Mediação Aplicada. Disponível em: < https://imainstituto.com.br/a-aplicacao-da-mediacao-nos-contratos-maritimos-2/ >.
  • 2. adequada de conflitos daí decorrentes, inclusive “a arbitragem se mostra consolidada no Direito Marítimo desde o final da década de 1980 e segue sendo prevista nos modelos de contratos mais recentes”.3 Maior margem de acerto da decisão do árbitro, quando em comparação com o juiz togado normalmente neófito na temática marítima, menor tempo ao menor custo para solução do conflito, se compararmos com a clássica judicialização do conflito, são aspectos relevantes que explicam o progresso das cláusulas compromissórias de arbitragem nos contratos regulados pelo Direito Marítimo. A partir da década de 1990, câmaras de arbitragem clássicas como o The London Maritime Arbitrators Association (LMAA) e a Singapore Chamber of Commerce (SCMA) começam a abrir espaço para a mediação como meio adequado de solução de conflitos regulados pelo Direito Marítimo. Como nos lembra Menon, incluiu-se cláusulas de mediação no âmbito da Baltic and International Maritime Council (BIMCO) Standard Law and Arbitration Clause, assim como no EUROMED Charter Party, que inclusive prevê o escalonamento da mediação para arbitragem caso não haja um acordo em 35 dias.4 A Society of Maritime Arbitrators (SMA) também contém previsão de mediação e conciliação, tanto na câmara quanto no próprio regulamento, sendo a mediação confidencial e voluntária e, quase sempre, realizada na cidade de Nova Iorque, conforme se constata da leitura dos artigos 4º e 6º do respectivo regulamento. Quanto a Singapore International Mediation Centre (SIMC), basta seja formalizado o pedido de mediação no site da referida instituição, o que poderá redundar numa mediação feita com profissionais internos ou externos, mas sempre a mediação é realizada na Cidade de Singapura. A LMAA, por sua vez, tem um rol de mediadores em parceria com o BIMCO. No contexto da pandemia (COVID-19), ganhou escala a mediação on line (virtual), tudo em virtude da flexibilidade e celeridade do procedimento, por meio de softwares modernos de videoconferência que tem a capacidade de simular uma sessão presencial.5 3 PAIVA, Marcella; GUIMARÃES, Marcello; PAUSEIRO, Sérgio Gustavo de Mattos. A cláusula escalonada nos contratos de afretamento e nas charter-parties. Revista Brasileira de Alternative Dispute Resolution- RBADR, Belo Horizonte, ano 02, n.04, p.90. 4 MENON, Sundaresh. The Future of Maritime Dispute Arbitration Annual Conference, 2015, p. 27. 5 OWEN, David; PARRY, Angharad. The Go-Between: resolving disputes in uncertain times. A mediator’s perpective. Arbitration classics, Twenty Essex, boletim, maio de 2020. Disponível em:
  • 3. Nos termos em que nos ensina Levy, “cláusulas escalonadas são cláusulas que preveem a utilização sequencial de meios alternativos de soluções de controvérsias, inseridos num contexto de múltiplas etapas, utilizando dois ou mais mecanismos de solução do conflito como, por exemplo, a negociação, a mediação e a arbitragem”.6 Ocorre que a mediação tem características que falecem a arbitragem, notadamente um menor custo7 , e que também podem ser úteis, mediante cláusula de escalonamento, a contribuir com a solução do conflito através da reconstrução da relação jurídica entre as partes conflitantes, a um menor tempo e custo que a arbitragem, senão vejamos: “A experiência tem demonstrado que a utilização simultânea de mediação e arbitragem através da cláusula escalonada contribui bastante para preservar o bom entendimento entre os sócios, no ambiente comercial. A cláusula que prevê ambos os procedimentos mencionados em suas variações- med-arb, arb-med, arb-med-arb – traz vantagens pelo agrupamento de um método autocompositivo com um heterocompositivo8 ” Na sessão 73 da Assembleia Geral das Nações Unidas, em dezembro de 2018, decidiu-se facilitar o comércio internacional por meio da mediação. Em 2019, em Singapura, assinou-se a Convenção das Nações Unidas sobre Acordos Comerciais Internacionais Resultante da Mediação, que alterou a Lei Modelo da Comissão das Nações Unidas para o Direito Comercial Internacional (UNCITRAL) sobre Conciliação Comercial Internacional de 2002, para o fim de prever o acordo por mediação. Nos termos em que dispõe o art. 7º da Lei Federal n. 13.140/2015 (Lei de Mediação Brasileira), não é possível a atuação do mediador como árbitro na solução do conflito em que já atuara na condição de mediador, nada obstante diversas câmaras de resolução de controvérsias não prevejam tal restrição. Entretanto, a segurança jurídica está a indicar que se impeça a acumulação das funções de mediador/árbitro, prevenindo eventuais nulidades da sentença arbitral. No Direito Marítimo, tal como leciona Brewer, essa combinação mediação- arbitragem pode gerar maior efetividade na solução adequada dos conflitos à luz do https://scma.org.sg/SiteFolders/scma/387/Articles/Arbitration-classics_The-Go-Between.pdf. Acesso em: 21/07/2022. 6 LEVY, Fernanda Rocha. Cláusula Escalonada: Mediação Comercial no Contexto da Arbitragem. São Paulo. Saraiva. 2013. 7 PEREIRA, Michele Cristie. Mediação em Contratos Marítimos. Op. Cit. 8 DEASON, Ellen E. Combinations of mediation and arbitration with the same neutral. A framework for judicial review. Y.B. on arbitration and mediation, v. 5, 2013, p. 224.
  • 4. princípio jurídico do custo-benefício,9 tanto que a SMA levou a termo uma cláusula padrão nos seguintes termos: “Cláusula Modelo de Mediação/Arbitragem: Se surgir uma disputa sob este contrato, as partes podem concordar em buscar uma solução amigável dessa disputa por mediação sob as Regras de Mediação da Society of Maritime Arbitrators, Inc. (SMA) de Nova York então em vigor. Se houver uma mediação, mas não resultar em um acordo, ou se as partes não concordarem em mediar, a disputa será submetida à arbitragem perante três árbitros comerciais sob as Regras de Arbitragem da Sociedade de Árbitros Marítimos, Inc. (SMA ), um a ser nomeado por cada uma das partes e o terceiro pelas duas assim escolhidas e a sua decisão ou a de quaisquer duas delas será final e vinculativa. Alternativamente, as partes podem submeter a disputa a um árbitro comercial sob as Regras da SMA para Procedimento de Arbitragem Abreviada (“Regras Abreviadas da SMA”) cuja decisão será final e vinculativa. Em ambos os casos, o julgamento de tal sentença arbitral pode ser registrado no Tribunal Distrital Federal dos EUA para o Distrito Sul de Nova York.10 ” Como se pode verificar na cláusula padrão acima, a mediação pode ser anterior ao procedimento arbitral, ou as partes podem optar por um ou outro método à luz das circunstâncias do caso concreto conflituoso. A LMMA, por seu turno, igualmente disponibiliza serviços de mediação por meio da LMAA Mediation Panel e, também, através da LMAA/Bactic Exchange Mediation Panel, sendo certo que o item 9.4 do the LMAA Mediaton Terms (2002) possibilita que o mediador, em havendo consenso entre as partes conflitantes, transforme o termo de mediação em sentença arbitral, ou mesmo as partes podem submeter a homologação do tribunal arbitral, na hipótese de a arbitragem ter sido deflagrada anteriormente à mediação. O artigo 12 do regulamento LMAA Mediation Terms regula, outrossim, o procedimento arbitral superveniente à mediação, assim como a viabilidade de início da arbitragem no curso da mediação, ou seja, concomitantemente, o que incrementa as possibilidades de solução célere ao conflito. A cláusula de resolução de conflitos da BIMCO, no mesmo sentido da LMAA, estabelece a oportunidade de emprego tanto da mediação quanto da arbitragem. De outro lado, a SIMC, a SCMA e a Singapore International Arbitration Centre (SIAC) se 9 BREWER, Thomas J; MILLS, R. Combining Mediation and Arbitration. Dispute Resolution Journal, v. 4 n.54, 1999, p.34. 10 ARBITRATION, Society of Maritime (SMA). Maritimme and comercial dispute resolution. 8. Edition. NY: SMA, fev. de 2020.
  • 5. irmanaram de modo a produzir um protocolo Arb-Med-Arb (AMA), em sede de disputas marítimas. Merecem menções honrosas outras relevantes instituições que vem adotando a cláusula escalonada med-arb, tais como International Chamber of Commerce (ICC), Hong Kong International Arbitration Centre (HKIAC) e o Centro Brasileiro de Mediação e Arbitragem (CBMA). À título de sínteses conclusivas, afirma-se que diante da falta de especialização da atividade jurisdicional no mercado shipping, somada a morosidade do Poder Judiciário, a celeridade e eficiência desejadas pelo Direito Marítimo estão mais bem atendidas com as cláusulas de escalonamento mediação-arbitragem, ou arbitragem-mediação-arbitragem (AMA). Decisão mais célere, exarada por experimentados na temática marítima, e que permita a reconstrução da relação jurídica entres as partes à luz do princípio da consensualidade, e não da litigiosidade, são grandes legados das cláusulas de escalonamento mediação-arbitragem, ou arbitragem-mediação-arbitragem (AMA), o que torna o mercado marítimo mais seguro e rentável; A mediação, enfim, oferece uma janela de oportunidades para o comércio marítimo internacional pela sua eficácia, economicidade, celeridade e harmonização das relações comerciais entre os diversos atores jurídicos envolvidos.