Semijoias

49 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
49
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Semijoias

  1. 1. RESPOSTA TÉCNICA – Semijoias Março/2006 Edição atualizada em: 14/2/2013 Semijoias Informações sobre processo de fabricação de semijoia com ligas metálicas. Instituto de Tecnologia do Paraná – TECPAR
  2. 2. RESPOSTA TÉCNICA – Semijoias O Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas – SBRT fornece soluções de informação tecnológica sob medida, relacionadas aos processos produtivos das Micro e Pequenas Empresas. Ele é estruturado em rede, sendo operacionalizado por centros de pesquisa, universidades, centros de educação profissional e tecnologias industriais, bem como associações que promovam a interface entre a oferta e a demanda tecnológica. O SBRT é apoiado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE e pelo Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação – MCTI e de seus institutos: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq e Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – IBICT. Resposta Técnica UCHIMURA, Marcelo Shiniti Semijoias Instituto de Tecnologia do Paraná - TECPAR 02/03/2006 Informações sobre processo de fabricação de semijoia com ligas metálicas. Demanda Com o alto custo do ouro, pretendemos apresentar ao grande público uma aliança dourada feita de uma liga de cobre naval e que a prata substitua o estanho, sem onerar muito o custo. Como fazer essa substituição? Assunto Fabricação de artefatos de joalheria e ourivesaria Palavras-chave Bijuteria; bronze; cobre; latão; liga metálica; metal; semijoia; zinco Atualização Em: 14/2/2013 Por: Neusa de Vasconcelos Salvo indicação contrária, este conteúdo está licenciado sob a proteção da Licença de Atribuição 3.0 da Creative Commons. É permitida a cópia, distribuição e execução desta obra - bem como as obras derivadas criadas a partir dela - desde que dado os créditos ao autor, com menção ao: Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas - http://www.respostatecnica.org.br Para os termos desta licença, visite: http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/
  3. 3. RESPOSTA TÉCNICA – Semijoias 2012 c Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas – SBRT http://www.respostatecnica.org.br 1 Solução apresentada Segundo o engenheiro químico e especialista em metais, Ladislau Nelson Zempulski, não existe cobre naval. Existem latão e bronze naval que são ligas utilizadas para a fabricação de peças técnicas (Informação verbal em 02/03/2006). O metal cobre pode ser utilizado na sua forma pura ou misturado com outros metais na forma de ligas metálicas. Dependendo do elemento químico a ser adicionado ao cobre podem ser obtidas ligas de diferentes propriedades como: maior dureza, resistência à corrosão, resistência mecânica, usinabilidade e coloração (CANATA JÚNIOR, [200-?]). Figura 1 – Tipos de liga de cobre Fonte: (CANATA JÚNIOR, [200-?]) A liga contendo cobre e zinco denominada de latão pode ser constituída de zinco na proporção de 5 a 45%. Este tipo de liga é muito utilizado na fabricação de bijuterias, moedas e medalhas (CANATA JÚNIOR, [200-?]). Dependendo da quantidade de zinco presente na liga, o latão pode apresentar diferentes cores, segundo mostra o quadro a seguir: Percentual de Zinco 2 10 15 a 20 30 a 35 40 Coloração Cobre Ouro Avermelhado (latão vermelho) Amarelo brilhante Amarelo Claro (latão amarelo) Quadro 1 – Diferentes colorações que o latão pode apresentar Fonte: (MELHORANDO..., [200-?]) Processo de fabricação O latão é obtido pelo aquecimento, num cadinho, de uma mistura do mineral calamina (minério de zinco) com o cobre (KLEIN; HURLBUT JUNIOR, 1997). O latão obtido é posteriormente fundido ou forjado para fabricar objetos (FUNDIÇÃO ESTILO, [200-?]). Segundo informações do projeto Emprega Brasil ([200-?]) para a fabricação de semijoias de forma artesanal utiliza-se os seguintes equipamentos:
  4. 4. RESPOSTA TÉCNICA – Semijoias 2012 c Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas – SBRT http://www.respostatecnica.org.br 2 • Maçarico para fundição com gás de cozinha e compressor sem reservatório; • Laminador elétrico com rolos com os perfis necessários; • Morsa de bancada para trifilamento; • Matrizes para trifilamento; • Maçarico para solda e recozimento; • Politriz. Para se produzir joias em maior escala do mesmo formato e tamanho podem ser utilizados os seguintes processos: fundição, rebarbação, banhagem (quando a liga for latão), polimento e soldagem: • Rebarbação - se constitui de abrasão, corte e serramento. As joias após saírem do processo de fundição são cortadas e as aparas reaproveitadas em futuras fundições. Depois de cortados os canais de fundição, as joias passam por um processo de lixamento; • Banhagem – a joia é mergulhada em uma liga de metais (latão) para que fique com aspecto de ouro; • Polimento – o polimento só é feito em peças que não foram banhadas; • Soldagem – em joias banhadas devem ser soldadas antes do banho (EMPREGA BRASIL, [200-?]). Conclusões e recomendações A adição de elementos ligantes ao cobre puro, como o zinco, para conferir a cor dourada da liga e a prata, para enobrecê-la, aumentam sua resistência mecânica e sua dureza. A fase latão gama, porém, é especialmente dura e frágil e, por isso, deve ser evitada. Recomenda- se manter o teor de zinco abaixo dos 40%. A 500º C há a formação de uma solução sólida de cobre-prata-zinco com cobre entre 60 - 97%, o zinco entre 13 - 30% e a prata entre 0 - 3%. O teor correto depende, no caso de joias e adereços, da aparência desejada. A inclusão de prata na peça também pode ser feita por galvanização e posterior tratamento térmico para a formação de uma solução sólida. A inclusão de prata em uma liga pode ser feita por fundição. O Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas - SBRT informa que já existem, no banco de informação, Respostas Técnicas que tratam a respeito de semijoias e podem complementar as informações aqui prestadas. Para visualizar esses arquivos, acesse o menu esquerdo na página inicial e clique em Busca. Escolha a opção Busca Avançada e utilize o código da resposta para encontrar os arquivos recomendados para leitura: SERVIÇO BRASILEIRO DE RESPOSTAS TÉCNICAS. Esmaltação de joias e bijuterias. Resposta elaborada por: Natalia Luiza Sartorelli. Araraquara: SIRT/UNESP, 2012. (Código da resposta: 20464). SERVIÇO BRASILEIRO DE RESPOSTAS TÉCNICAS. Fabricação de semijoias pelo processo de fundição a baixa fusão. Resposta elaborada por: Cíntia Cristiane Schnorr. Porto Alegre: SENAI-RS, 2010. (Código da resposta: 17288). SERVIÇO BRASILEIRO DE RESPOSTAS TÉCNICAS. Processo de estamparia e polimento em joias de prata. Resposta elaborada por: Claudinei Rempel; Raquel Stumpf. Porto Alegre: SENAI-RS, 2008. (Código da resposta: 12641).
  5. 5. RESPOSTA TÉCNICA – Semijoias 2012 c Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas – SBRT http://www.respostatecnica.org.br 3 Fontes consultadas CANATA JÚNIOR, César Luiz. Cobre e suas ligas. Curitiba, [200-?]. Disponível em: <http://www.eletrica.ufpr.br/piazza/materiais/CesarCanata.pdf>. Acesso em: 08 fev. 2013. EMPREGA BRASIL. Processo de fabricação de jóias. [S.l.], [200-?]. Disponível em: <http://empregabrasil.org.br/zbt/como%20abrir%20processo%20de%20fabricacao%20de%2 0joias.htm>. Acesso em: 08 fev. 2013. FUNDIÇÃO ESTILO. Conhecendo a matéria-prima: o latão. São João de Meriti, [200-?]. Disponível em: <http://www.fundestilo.com.br/dicas-curiosidades.php#>. Acesso em: 08 fev. 2013. KLEIN, Cornelis; HURLBUT JUNIOR, Cornelius S. Manual de Mineralogia. 4. ed. Barcelona, 1997. Disponível em: <http://books.google.com/books?id=ol2xn_6jgn0C&pg=PA456&lpg=PA456&dq=%22mineral +calamina%22&source=bl&ots=N5- p6d03Ac&sig=RrU6VTdcUKKAibAnA0mIz4SDptw&hl=en&ei=whuCTcWBDIWbtweyw_jEBA &sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=10&ved=0CFUQ6AEwCQ#v=onepage&q=%22mi neral%20calamina%22&f=false>. Acesso em: 08 fev. 2013. MELHORANDO as propriedades do cobre. [S.l.], [200-?]. Disponível em: <http://wiki.ifsc.edu.br/mediawiki/images/9/94/Aula_14.pdf>. Acesso em: 08 fev. 2013. ZEMPULSKI, L. N. Entrevista concedida a Marcelo S. Uchimura. Curitiba, 02 mar. 2006.

×