SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO – UFOP
DEPARTAMENTO DE QUÍMICA
CURSO ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMACAO
FREDERICO JEHÁR OLIVEIRA QUINTÃO
Alunos (as): Hugo Oliveira Andrade Quinto 14.2.1474
Ketheryn Rocha Fernandes 14.2.1183
PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Ouro Preto
2 de outubro de 2014
Introdução
Na vida laboratorial de um estudante aprende se várias técnicas, uma delas é a titulação.
Para que tal procedimento seja efetuado de maneira correta é necessário que se observe
outros fatores como o ponto de equivalência, que se refere ao momento exato em que o
titulado reagiu completamente com o titulante. Outro fator é a validação de um
resultado analítico, para que ocorra tal validação é necessário que o titulante seja um
reagente puro (99,9%, ou mais) em um volume conhecido de solução, não pode ser
higroscópico e não pode reagir facilmente com as substancias presente no ar, nesse caso
o reagente será chamado de padrão primário. Portanto, após observação desses fatores
pode-se começar o processo de titulação com uma maior segurança de que o resultado
terá uma maior confiabilidade.
Objetivo
Nessa pratica tem se o objetivo de aprender a se fazer uma titulação, aprender a
certificar que o resultado da mesma terá um maior grau de confiabilidade, aumentar as
habilidades laboratoriais como o manuseio de uma bureta.
Parte experimental
Parte A
Foi pipetado 10 mL hidrogenoftalato de potássio num frasco de erlenmeyer de 250 mL.
Após tal procedimento adicionou-se quatro gotas de fenolftaleína e completou o
recipiente com água destilada ate que ele atingi-se 50 mL. Depois a bureta de 25 mL foi
preenchida com uma solução de hidróxido de sódio. Com tudo pronto foi titulado gota a
gota da substância ate o aparecimento da cor rosa claro na solução contida no
erlenmeyer. O processo de titulação foi repetido mais duas vezes, apos tal fato fez-se
media aritmética das três titulações e obteve-se o resultado de 10,6 mL o qual foi dado
como valor final.
Parte B
Foi pipetado 10 mL acido clorídrico num frasco de erlenmeyer de 250 mL. Após tal
procedimento adicionou-se quatro gotas de fenolftaleína e completou o recipiente com
água destilada ate que ele atingi-se 50 mL. Depois a bureta de 25 mL foi preenchida
com uma solução de hidróxido de sódio. Com tudo pronto foi titulado gota a gota da
substância ate o aparecimento da cor rosa claro na solução contida no erlenmeyer. O
processo de titulação foi repetido mais duas vezes, apos tal fato fez-se media aritmética
das três titulações e obteve-se o resultado de 10,7 mL o qual foi dado como valor final.
Conclusão
Diante do que foi apresentado, é possível concluir que quando uma solução é
padronizada, estará se determinando sua concentração real. Infere-se também que a
análise volumétrica, a concentração ou massa da amostra são determinadas a partir do
volume da solução titulante de concentração conhecida. Caso ocorra qualquer tipo de
erro na concentração da solução titulante, é bem provável que também ocorra um erro
na análise.
Exercícios
1) A padronização tem por objetivo indicar a concentração real de determinado
soluto em uma solução. É importantíssimo ter conhecimento sobre a
concentração real quando a solução for usada para fins quantitativos, como por
exemplo, em titulações. [1]
2) Um padrão primário é uma substância empregada como titulante em uma análise
volumétrica, esta deve possuir algumas características indispensáveis: deve ser
de fácil obtenção, purificação, dessecação e conservação; as impurezas devem
ser facilmente identificáveis em ensaios qualitativos conhecidos; o teor de
impurezas não deve ser superior a 0,01 - 0,02%; a substância não deve ser
higroscópica ou eflorescente; a substância deve possuir elevado Kps, de modo a
formar uma solução perfeita; a substância deve possuir elevado peso molecular;
a substância deve ser sólida [2]
3) C(HClO4) = [C(NaOH) x V(NaOH)] / V(HClO4)
0,115mol/L = (0,05L x 0,0875mol/L) / V(HClO4)
V(HClO4) = 0,03804ml
4) Como tem 2 íons OH- no Mg(OH)2, precisa de 2 íons H+ pra neutralizá-los,
então são 2 mols de HCl por mol de Mg(OH)2. Como o Mg(OH)2 tem 58g/mol
(calculando pela tabela), em 2,87g tem aproximadamente 0,05 mols .Então
precisaremos de 0,1mol de HCl. Como em 1L tem 0,128 mol, em 780mL terá
0,1mol
Massa molar Mg(OH)2=58g
2HCl + Mg(OH)2 ---> MgCl2 + 2H2O
Mols Mg(OH)2 2.87/58=0.05mol
2mol HCl-----------1mol Mg(OH)2
x------------------------0.05mol
x=0.1mol
0.128mol--------------1L
0.1mol------------------x
x=0.78L
Resposta: 780mL de HCl
5)
6) A massa necessária de HCl é :
m = MM * M * V
m = 36,45g/mol * 0,108mol/L * 0,0453L
m = 0,18g
Por estequiometria, 36,45g de HCl neutraliza 56g de KOH
36,45g de HCl ------- 56gde KOH
0,18g de HCl --------- x
x = 0,276g

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Calculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Calculo de Concentrações e Preparação de SoluçõesCalculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Calculo de Concentrações e Preparação de SoluçõesFabio Santos Nery
 
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕESQuimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕESJessica Amaral
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de químicathayrinnem
 
Relatorio 3 leite de magnésia
Relatorio 3  leite de magnésiaRelatorio 3  leite de magnésia
Relatorio 3 leite de magnésiaDianna Grandal
 
Lista 4 titulacao_tq
Lista 4 titulacao_tqLista 4 titulacao_tq
Lista 4 titulacao_tqDebora Alvim
 
Preparação e Diluição de Soluções
Preparação e Diluição de SoluçõesPreparação e Diluição de Soluções
Preparação e Diluição de SoluçõesRuben Almeida
 
Aula 1 preparo de soluções
Aula 1   preparo de soluçõesAula 1   preparo de soluções
Aula 1 preparo de soluçõesJosué Fogaça
 
Solução aquosa a partir de um soluto sólido
Solução aquosa a partir de um soluto sólidoSolução aquosa a partir de um soluto sólido
Solução aquosa a partir de um soluto sólidoclaudiapinto7a
 
Relatório prática 1 volumetria de neutralização
Relatório prática 1 volumetria de neutralizaçãoRelatório prática 1 volumetria de neutralização
Relatório prática 1 volumetria de neutralizaçãoAna Morais Nascimento
 
Preparação e Diluição de uma Solução
Preparação e Diluição de uma SoluçãoPreparação e Diluição de uma Solução
Preparação e Diluição de uma Solução713773
 
Titulação potenciométrica
Titulação potenciométricaTitulação potenciométrica
Titulação potenciométricaInstituto Monitor
 
Titulação Potenciométrica
Titulação PotenciométricaTitulação Potenciométrica
Titulação PotenciométricaPriscila Siqueira
 
Química analítica - exercícios (obtido da internet)
Química analítica - exercícios (obtido da internet)Química analítica - exercícios (obtido da internet)
Química analítica - exercícios (obtido da internet)Mauricio Barlera
 
calcular a concentração e preparo de uma solução
calcular a concentração e preparo de uma soluçãocalcular a concentração e preparo de uma solução
calcular a concentração e preparo de uma soluçãoFabio Santos Nery
 
2016 aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite
2016   aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite2016   aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite
2016 aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noitepaulomigoto
 
03.Titulação ácido base
03.Titulação ácido base03.Titulação ácido base
03.Titulação ácido baseDiego Lima
 

Mais procurados (20)

Calculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Calculo de Concentrações e Preparação de SoluçõesCalculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Calculo de Concentrações e Preparação de Soluções
 
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕESQuimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
 
Relatorio analitica ii_04
Relatorio analitica ii_04Relatorio analitica ii_04
Relatorio analitica ii_04
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de química
 
Relatorio 3 leite de magnésia
Relatorio 3  leite de magnésiaRelatorio 3  leite de magnésia
Relatorio 3 leite de magnésia
 
Lista 4 titulacao_tq
Lista 4 titulacao_tqLista 4 titulacao_tq
Lista 4 titulacao_tq
 
Preparação e Diluição de Soluções
Preparação e Diluição de SoluçõesPreparação e Diluição de Soluções
Preparação e Diluição de Soluções
 
Aula 1 preparo de soluções
Aula 1   preparo de soluçõesAula 1   preparo de soluções
Aula 1 preparo de soluções
 
Determinação de-cloretos
Determinação de-cloretosDeterminação de-cloretos
Determinação de-cloretos
 
Solução aquosa a partir de um soluto sólido
Solução aquosa a partir de um soluto sólidoSolução aquosa a partir de um soluto sólido
Solução aquosa a partir de um soluto sólido
 
Relatório prática 1 volumetria de neutralização
Relatório prática 1 volumetria de neutralizaçãoRelatório prática 1 volumetria de neutralização
Relatório prática 1 volumetria de neutralização
 
Preparação e Diluição de uma Solução
Preparação e Diluição de uma SoluçãoPreparação e Diluição de uma Solução
Preparação e Diluição de uma Solução
 
Titulação potenciométrica
Titulação potenciométricaTitulação potenciométrica
Titulação potenciométrica
 
Titulação Potenciométrica
Titulação PotenciométricaTitulação Potenciométrica
Titulação Potenciométrica
 
Química analítica - exercícios (obtido da internet)
Química analítica - exercícios (obtido da internet)Química analítica - exercícios (obtido da internet)
Química analítica - exercícios (obtido da internet)
 
Relatorio 2 de quimica
Relatorio 2 de quimicaRelatorio 2 de quimica
Relatorio 2 de quimica
 
calcular a concentração e preparo de uma solução
calcular a concentração e preparo de uma soluçãocalcular a concentração e preparo de uma solução
calcular a concentração e preparo de uma solução
 
2016 aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite
2016   aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite2016   aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite
2016 aulas 14, 16 e 17 - soluções - progressao ext noite
 
7 titulacoes
7  titulacoes7  titulacoes
7 titulacoes
 
03.Titulação ácido base
03.Titulação ácido base03.Titulação ácido base
03.Titulação ácido base
 

Destaque

Ijpie Technologies
Ijpie TechnologiesIjpie Technologies
Ijpie Technologiesrahul karn
 
Use seus talentos #apcis
Use seus talentos #apcisUse seus talentos #apcis
Use seus talentos #apcisGilda Queiroz
 
Cap 12-prop mag 232-241
Cap 12-prop mag  232-241Cap 12-prop mag  232-241
Cap 12-prop mag 232-241Abel Coro
 
Cap 8-lif 154-171
Cap 8-lif 154-171Cap 8-lif 154-171
Cap 8-lif 154-171Abel Coro
 
Diseno estructural sismo y viento
Diseno estructural  sismo y vientoDiseno estructural  sismo y viento
Diseno estructural sismo y vientoMauricio Moran
 
Моё Отечество
Моё ОтечествоМоё Отечество
Моё Отечествоbduomsk
 
Hoardings in Ghaziabad, Vasundhra, Vaishali, Indirapuram - Advertising in Gha...
Hoardings in Ghaziabad, Vasundhra, Vaishali, Indirapuram - Advertising in Gha...Hoardings in Ghaziabad, Vasundhra, Vaishali, Indirapuram - Advertising in Gha...
Hoardings in Ghaziabad, Vasundhra, Vaishali, Indirapuram - Advertising in Gha...Deepak Khatri
 
Metodologia gran mision vivienda sector universitario
Metodologia gran mision vivienda sector universitarioMetodologia gran mision vivienda sector universitario
Metodologia gran mision vivienda sector universitarioLis Gonzalez
 
לא נצור -- גרסה דיגיטלית -- 1 ינואר 2017
לא נצור -- גרסה דיגיטלית -- 1 ינואר 2017לא נצור -- גרסה דיגיטלית -- 1 ינואר 2017
לא נצור -- גרסה דיגיטלית -- 1 ינואר 2017Moran Greenwald
 
Descon HSE News Letter - UZ750 Project, January - June 2016
Descon HSE News Letter - UZ750 Project, January - June 2016Descon HSE News Letter - UZ750 Project, January - June 2016
Descon HSE News Letter - UZ750 Project, January - June 2016Farooq Liaqat
 
Robotic cars - liability issues
Robotic cars - liability issuesRobotic cars - liability issues
Robotic cars - liability issuesMiklos Klenanc
 
jamel zammali sales cv
jamel zammali sales cvjamel zammali sales cv
jamel zammali sales cvjamel zammali
 
Descentralizacion
Descentralizacion Descentralizacion
Descentralizacion mariale2185
 
Team 8, Final Report Comp 1
Team 8, Final Report Comp 1Team 8, Final Report Comp 1
Team 8, Final Report Comp 1Samuel White
 
Es una adrenalina unica deportes deportes extremos
Es una adrenalina unica deportes deportes extremosEs una adrenalina unica deportes deportes extremos
Es una adrenalina unica deportes deportes extremosJhon Carlos Rivero
 
PalmaActiva Sesión informativa financiación de empresas
PalmaActiva Sesión informativa financiación de empresasPalmaActiva Sesión informativa financiación de empresas
PalmaActiva Sesión informativa financiación de empresasPalmaActiva
 

Destaque (20)

Ijpie Technologies
Ijpie TechnologiesIjpie Technologies
Ijpie Technologies
 
Use seus talentos #apcis
Use seus talentos #apcisUse seus talentos #apcis
Use seus talentos #apcis
 
Cap 12-prop mag 232-241
Cap 12-prop mag  232-241Cap 12-prop mag  232-241
Cap 12-prop mag 232-241
 
Cap 8-lif 154-171
Cap 8-lif 154-171Cap 8-lif 154-171
Cap 8-lif 154-171
 
CV 1
CV 1CV 1
CV 1
 
Diseno estructural sismo y viento
Diseno estructural  sismo y vientoDiseno estructural  sismo y viento
Diseno estructural sismo y viento
 
La familia
La familiaLa familia
La familia
 
Моё Отечество
Моё ОтечествоМоё Отечество
Моё Отечество
 
Hoardings in Ghaziabad, Vasundhra, Vaishali, Indirapuram - Advertising in Gha...
Hoardings in Ghaziabad, Vasundhra, Vaishali, Indirapuram - Advertising in Gha...Hoardings in Ghaziabad, Vasundhra, Vaishali, Indirapuram - Advertising in Gha...
Hoardings in Ghaziabad, Vasundhra, Vaishali, Indirapuram - Advertising in Gha...
 
Grupos
GruposGrupos
Grupos
 
Metodologia gran mision vivienda sector universitario
Metodologia gran mision vivienda sector universitarioMetodologia gran mision vivienda sector universitario
Metodologia gran mision vivienda sector universitario
 
לא נצור -- גרסה דיגיטלית -- 1 ינואר 2017
לא נצור -- גרסה דיגיטלית -- 1 ינואר 2017לא נצור -- גרסה דיגיטלית -- 1 ינואר 2017
לא נצור -- גרסה דיגיטלית -- 1 ינואר 2017
 
3
33
3
 
Descon HSE News Letter - UZ750 Project, January - June 2016
Descon HSE News Letter - UZ750 Project, January - June 2016Descon HSE News Letter - UZ750 Project, January - June 2016
Descon HSE News Letter - UZ750 Project, January - June 2016
 
Robotic cars - liability issues
Robotic cars - liability issuesRobotic cars - liability issues
Robotic cars - liability issues
 
jamel zammali sales cv
jamel zammali sales cvjamel zammali sales cv
jamel zammali sales cv
 
Descentralizacion
Descentralizacion Descentralizacion
Descentralizacion
 
Team 8, Final Report Comp 1
Team 8, Final Report Comp 1Team 8, Final Report Comp 1
Team 8, Final Report Comp 1
 
Es una adrenalina unica deportes deportes extremos
Es una adrenalina unica deportes deportes extremosEs una adrenalina unica deportes deportes extremos
Es una adrenalina unica deportes deportes extremos
 
PalmaActiva Sesión informativa financiación de empresas
PalmaActiva Sesión informativa financiación de empresasPalmaActiva Sesión informativa financiación de empresas
PalmaActiva Sesión informativa financiación de empresas
 

Semelhante a UFOP: Padronização de soluções ácidas e básicas

Padronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagre
Padronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagrePadronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagre
Padronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagreRodrigo Henrique
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃOEzequias Guimaraes
 
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdfRELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdfIarllaSoares
 
Texto nº 2 fundamentos da volumetria
Texto nº 2   fundamentos da volumetriaTexto nº 2   fundamentos da volumetria
Texto nº 2 fundamentos da volumetriaMarta Pinheiro
 
Titulação de ácidos fraco (CH3COOH) e forte (HCl) tratados com base forte Hid...
Titulação de ácidos fraco (CH3COOH) e forte (HCl) tratados com base forte Hid...Titulação de ácidos fraco (CH3COOH) e forte (HCl) tratados com base forte Hid...
Titulação de ácidos fraco (CH3COOH) e forte (HCl) tratados com base forte Hid...ValdoMario
 
Quimica Analitica - Valdo
Quimica Analitica - Valdo Quimica Analitica - Valdo
Quimica Analitica - Valdo Rock Dellura
 
Titulometria ou volumetria de neutralização
Titulometria ou volumetria de neutralizaçãoTitulometria ou volumetria de neutralização
Titulometria ou volumetria de neutralizaçãoClaudiney C. Rodrigues
 
Aula 2-titulação-ácido-base
Aula 2-titulação-ácido-baseAula 2-titulação-ácido-base
Aula 2-titulação-ácido-baseDaiana Ramos
 
Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...
Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...
Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...Claudiney C. Rodrigues
 
Identificação sistematica de compostos orgânicos
Identificação sistematica de compostos orgânicosIdentificação sistematica de compostos orgânicos
Identificação sistematica de compostos orgânicosSayonara Caribé
 
Aula 3_Volumetria.ppt
Aula 3_Volumetria.pptAula 3_Volumetria.ppt
Aula 3_Volumetria.pptSilvaAdrianny
 
76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...
76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...
76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...Emílio Dos Santos
 

Semelhante a UFOP: Padronização de soluções ácidas e básicas (20)

Relatório prática 1 (1)
Relatório prática 1 (1)Relatório prática 1 (1)
Relatório prática 1 (1)
 
Volumetrica
VolumetricaVolumetrica
Volumetrica
 
Padronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagre
Padronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagrePadronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagre
Padronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagre
 
Neutralizacao
NeutralizacaoNeutralizacao
Neutralizacao
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
 
Relatório3
Relatório3Relatório3
Relatório3
 
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdfRELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
 
Texto nº 2 fundamentos da volumetria
Texto nº 2   fundamentos da volumetriaTexto nº 2   fundamentos da volumetria
Texto nº 2 fundamentos da volumetria
 
Titulação de ácidos fraco (CH3COOH) e forte (HCl) tratados com base forte Hid...
Titulação de ácidos fraco (CH3COOH) e forte (HCl) tratados com base forte Hid...Titulação de ácidos fraco (CH3COOH) e forte (HCl) tratados com base forte Hid...
Titulação de ácidos fraco (CH3COOH) e forte (HCl) tratados com base forte Hid...
 
Quimica Analitica - Valdo
Quimica Analitica - Valdo Quimica Analitica - Valdo
Quimica Analitica - Valdo
 
Titulometria ou volumetria de neutralização
Titulometria ou volumetria de neutralizaçãoTitulometria ou volumetria de neutralização
Titulometria ou volumetria de neutralização
 
Aula 2-titulação-ácido-base
Aula 2-titulação-ácido-baseAula 2-titulação-ácido-base
Aula 2-titulação-ácido-base
 
Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...
Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...
Titulometria ou volumetria de complexação: análise da dureza da água potável ...
 
Relatorio 1 va
Relatorio 1 vaRelatorio 1 va
Relatorio 1 va
 
Identificação sistematica de compostos orgânicos
Identificação sistematica de compostos orgânicosIdentificação sistematica de compostos orgânicos
Identificação sistematica de compostos orgânicos
 
Aula 3_Volumetria.ppt
Aula 3_Volumetria.pptAula 3_Volumetria.ppt
Aula 3_Volumetria.ppt
 
Aula 3_Volumetria.ppt
Aula 3_Volumetria.pptAula 3_Volumetria.ppt
Aula 3_Volumetria.ppt
 
5361 13022-1-pb(1)
5361 13022-1-pb(1)5361 13022-1-pb(1)
5361 13022-1-pb(1)
 
5361 13022-1-pb
5361 13022-1-pb5361 13022-1-pb
5361 13022-1-pb
 
76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...
76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...
76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...
 

Último

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 

Último (20)

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 

UFOP: Padronização de soluções ácidas e básicas

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO – UFOP DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CURSO ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMACAO FREDERICO JEHÁR OLIVEIRA QUINTÃO Alunos (as): Hugo Oliveira Andrade Quinto 14.2.1474 Ketheryn Rocha Fernandes 14.2.1183 PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES Ouro Preto 2 de outubro de 2014
  • 2. Introdução Na vida laboratorial de um estudante aprende se várias técnicas, uma delas é a titulação. Para que tal procedimento seja efetuado de maneira correta é necessário que se observe outros fatores como o ponto de equivalência, que se refere ao momento exato em que o titulado reagiu completamente com o titulante. Outro fator é a validação de um resultado analítico, para que ocorra tal validação é necessário que o titulante seja um reagente puro (99,9%, ou mais) em um volume conhecido de solução, não pode ser higroscópico e não pode reagir facilmente com as substancias presente no ar, nesse caso o reagente será chamado de padrão primário. Portanto, após observação desses fatores pode-se começar o processo de titulação com uma maior segurança de que o resultado terá uma maior confiabilidade. Objetivo Nessa pratica tem se o objetivo de aprender a se fazer uma titulação, aprender a certificar que o resultado da mesma terá um maior grau de confiabilidade, aumentar as habilidades laboratoriais como o manuseio de uma bureta. Parte experimental Parte A Foi pipetado 10 mL hidrogenoftalato de potássio num frasco de erlenmeyer de 250 mL. Após tal procedimento adicionou-se quatro gotas de fenolftaleína e completou o recipiente com água destilada ate que ele atingi-se 50 mL. Depois a bureta de 25 mL foi preenchida com uma solução de hidróxido de sódio. Com tudo pronto foi titulado gota a gota da substância ate o aparecimento da cor rosa claro na solução contida no erlenmeyer. O processo de titulação foi repetido mais duas vezes, apos tal fato fez-se media aritmética das três titulações e obteve-se o resultado de 10,6 mL o qual foi dado como valor final. Parte B Foi pipetado 10 mL acido clorídrico num frasco de erlenmeyer de 250 mL. Após tal procedimento adicionou-se quatro gotas de fenolftaleína e completou o recipiente com água destilada ate que ele atingi-se 50 mL. Depois a bureta de 25 mL foi preenchida com uma solução de hidróxido de sódio. Com tudo pronto foi titulado gota a gota da
  • 3. substância ate o aparecimento da cor rosa claro na solução contida no erlenmeyer. O processo de titulação foi repetido mais duas vezes, apos tal fato fez-se media aritmética das três titulações e obteve-se o resultado de 10,7 mL o qual foi dado como valor final. Conclusão Diante do que foi apresentado, é possível concluir que quando uma solução é padronizada, estará se determinando sua concentração real. Infere-se também que a análise volumétrica, a concentração ou massa da amostra são determinadas a partir do volume da solução titulante de concentração conhecida. Caso ocorra qualquer tipo de erro na concentração da solução titulante, é bem provável que também ocorra um erro na análise. Exercícios 1) A padronização tem por objetivo indicar a concentração real de determinado soluto em uma solução. É importantíssimo ter conhecimento sobre a concentração real quando a solução for usada para fins quantitativos, como por exemplo, em titulações. [1] 2) Um padrão primário é uma substância empregada como titulante em uma análise volumétrica, esta deve possuir algumas características indispensáveis: deve ser de fácil obtenção, purificação, dessecação e conservação; as impurezas devem ser facilmente identificáveis em ensaios qualitativos conhecidos; o teor de impurezas não deve ser superior a 0,01 - 0,02%; a substância não deve ser higroscópica ou eflorescente; a substância deve possuir elevado Kps, de modo a formar uma solução perfeita; a substância deve possuir elevado peso molecular; a substância deve ser sólida [2] 3) C(HClO4) = [C(NaOH) x V(NaOH)] / V(HClO4) 0,115mol/L = (0,05L x 0,0875mol/L) / V(HClO4) V(HClO4) = 0,03804ml 4) Como tem 2 íons OH- no Mg(OH)2, precisa de 2 íons H+ pra neutralizá-los, então são 2 mols de HCl por mol de Mg(OH)2. Como o Mg(OH)2 tem 58g/mol (calculando pela tabela), em 2,87g tem aproximadamente 0,05 mols .Então
  • 4. precisaremos de 0,1mol de HCl. Como em 1L tem 0,128 mol, em 780mL terá 0,1mol Massa molar Mg(OH)2=58g 2HCl + Mg(OH)2 ---> MgCl2 + 2H2O Mols Mg(OH)2 2.87/58=0.05mol 2mol HCl-----------1mol Mg(OH)2 x------------------------0.05mol x=0.1mol 0.128mol--------------1L 0.1mol------------------x x=0.78L Resposta: 780mL de HCl 5) 6) A massa necessária de HCl é : m = MM * M * V m = 36,45g/mol * 0,108mol/L * 0,0453L m = 0,18g Por estequiometria, 36,45g de HCl neutraliza 56g de KOH 36,45g de HCl ------- 56gde KOH 0,18g de HCl --------- x x = 0,276g