Exercício de revisão comunicação empresarial

2.642 visualizações

Publicada em

Comunicação Empresarial
Exercício de revisão

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.642
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
48
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exercício de revisão comunicação empresarial

  1. 1. Comunicação Empresarial Exercício de revisão 1) Só existe organização quando existe comunicação 2) Fonte: Nascente de mensagens e iniciadora do ciclo da comunicação (pessoa, máquina, organização e instituição); de onde provém a mensagem, no processo comunicacional; 3) Canal (meios de comunicação): Todo suporte material que veicula uma mensagem de um emissor a um receptor, pelo espaço e o tempo. Meio pelo qual a mensagem, já codificada pelo emissor, atinge o receptor, que a recebe (em código) e a interpreta (decodifica); 4) Função emotiva (ou expressiva): Ocorre quando o emissor é posto em destaque, revelando sua emoção, sua opinião. É a linguagem dos livros autobiográficos, de memória, poemas líricos, bilhetes e cartas de amor. 5) Função referencial (ou denotativa): Ocorre quando o referente é posto em destaque. O emissor procura oferecer informações; é a linguagem das notícias de jornal, dos textos científicos, uma vez que o importante é traduzir a realidade. Objetiva, direta e denotativa, nela prevalece a 3ª pessoa do singular. 6) Função metalingüística: Ocorre quando o código é posto em destaque. É o uso da linguagem para falar dela própria. O melhor exemplo da função metalingüística da linguagem são as aulas, os livros de gramática e os dicionários de língua. 7) Função fática: Ocorre quando o canal é posto em destaque. É o estabelecimento do contato, cujo objetivo é prolongar ou não o contato com o receptor, ou testar a eficiência do canal. É a linguagem das falas telefônicas e dos prefixos radiofônicos. Linguagem carregada de expressões, como: alô, então, entende? aí então, está-me ouvindo?, então tchau, aqui é a Rádio... Pronto! Oi, Tudo bem? Boa-tarde! 8) Função conativa (ou apelativa): Ocorre quando o receptor é posto em destaque. O emissor procura influenciar o comportamento do receptor. É a linguagem de discursos, sermões, propagandas que se dirigem diretamente ao consumidor. Como o emissor se dirige ao receptor, é comum o uso dos pronomes você e tu, ou o nome da pessoa, além de vocativos e imperativos. Ex.: Crianças, fiquem quietas! 9) Função poética: Ocorre quando a mensagem é posta em destaque; é a valorização da mensagem em si mesma por recursos estilísticos, bem-elaborada. É a linguagem figurada presente em obras literárias tanto em prosa, como em verso, letras de músicas, algumas propagandas, a fala fantasiosa de crianças. Ex.: “A vida é pra valer / A vida é pra levar.” (Vinícius de Moraes)
  2. 2. 10) Diferencie texto narrativo, descrito e dissertativo: A narração consiste em arranjar uma sequência de fatos na qual os personagens se movimentam num determinado espaço à medida que o tempo passa. O texto narrativo é baseado na ação que envolve personagens, tempo, espaço e conflito. Seus elementos são: narrador, enredo, personagens, espaço e tempo. Descrição é a representação verbal de um objeto sensível (ser, coisa, paisagem), através da indicação dos seus aspectos mais característicos, dos pormenores que o individualizam, que o distinguem. Diferentemente da narração, que faz uma história progredir, a descrição faz interrupções na história, para apresentar melhor um personagem, um lugar, um objeto, enfim, o que o autor julgar necessário para dar mais consistência ao texto. Texto descritivo é, então, desenhar, pintar, usando palavras em vez de tintas. Dissertar é o mesmo que desenvolver ou explicar um assunto, discorrer sobre ele. Assim, o texto dissertativo pertence ao grupo dos textos expositivos, juntamente com o texto de apresentação científica, o relatório, o texto didático, o artigo enciclopédico. Em princípio, o texto dissertativo não está preocupado com a persuasão e sim, com a transmissão de conhecimento, sendo, portanto, um texto informativo. 11) Conceitue carta, memorando, oficio, ata, circular e requerimento: Carta: correspondência utilizada para: informar aprovação em concurso; tratar de assuntos gerais com variadas instituições; solicitar ou agradecer colaboração; justificar atos ou atitudes; homenagear, censurar, advertir, entre outros. Componentes: cabeçalho, data, destinatário, assunto, vocativo, contexto, fecho, nome, cargo e assinatura (do emitente) e anexo (opcional). Memorando: correspondência interna para comunicações breves e menos solenes: avisos, consultas, entre outros. Componentes: cabeçalho, número de ordem, data, vocativo, assunto, contexto, fecho, nome, cargo e assinatura (do emitente). Ofício: comunicação oficial expedida por autoridades da administração ou dirigida a particulares. Componentes: número do expediente e sigla do órgão ou departamento que o expede, local e data, vocativo, contexto, fecho, assinatura, nome e cargo do emitente. Ata: documento de registro do desenvolvimento de uma reunião, assembleia ou sessão. Deve ser escrita com clareza, resumidamente. Os numerais (datas, entre outros) devem ser grafados por extenso. Circular: correspondência, produzida em várias vias, tratando de interesse amplo e dirigida a multidestinatários. Cada via deve ser assinada ou autenticada, para ter um caráter original. Seu conteúdo, em geral, é composto por orientações e recomendações. Componentes: cabeçalho, data, vocativo, contexto, fecho, nome, cargo e assinatura (do emitente).
  3. 3. Requerimento: documento que serve para fazer solicitações a uma autoridade. Também chamado de petição. Componentes: vocativo, contexto, fecho, data e assinatura.

×