Memória Primária

2.569 visualizações

Publicada em

Circuitos Digitais, 2012.1

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Memória Primária

  1. 1. Faculdade de Ciências Humanas, Saúde, Exatas e Jurídicas de Teresina Turma: Ciência da Computação Período: 2º - Manhã Docente: Francisco José Discentes: Marcelo Kelle Luís Fellipe Gleykyson Lucas João Batista
  2. 2. I. Introdução;II. Utilização;III. Classificação das Memórias;IV. Estrutura Geral e Organização;V. Tipos de Memórias. Junho de 2012
  3. 3.  São dispositivos que armazenam informações codificadas digitalmente que podem representar números, letras, caracteres quaisquer, comando de operações, endereço ou ainda qualquer outro tipo de dado. As memorias encontram seu grande emprego no campo da informática, sendo utilizada principalmente em computadores e periféricos. Junho de 2012
  4. 4. 1. Acesso:  O Tempo de Acesso de uma memoria é o tempo necessário desde a entrada de um endereço até o momento em que a informação apareça na saída.  Temos duas maneiras diferentes de acesso:  Acesso sequencia: passam por todas as localidades de endereços intermediárias. Ex.: Fitas magnéticas.  Acesso aleatório: permite que chegue diretamente até o endereço. Ex.: Memória RAM. Junho de 2012
  5. 5. 2. Volatilidade:  Voláteis: são aquelas que ao ser cortada a alimentação perdem as informações armazenadas. Ex.: Memória RAM.  Não-voláteis: são aquelas que mesmo sem alimentação, continuam com as informações armazenadas. Ex.: Memórias magnéticas e as eletrônicas: ROM, EPROM. Junho de 2012
  6. 6. 3. Troca de Dados:  Escrita/Leitura: permitem acesso para armazenar e ler uma informação desejada. Ex.: Memória RAM.  Leitura: a informação é fixa, só podendo efetuar-se a leitura. Ex.: Memórias ROM (Read-Only Memory). Junho de 2012
  7. 7. 4. Tipos de Armazenamento:  Estáticas: uma vez inserido um dado numa dada localidade, este lá permanece.  Dinâmicas: necessitamos inserir a informação de tempo em tempo, pois de acordo com as características de seus elementos internos, perdem essas informações após um determinado tempo. Junho de 2012
  8. 8. 1. Barramento:  Barra de Endereços (Address Bus): responsável pelo endereçamento de um sistema típico com microprocessador.  Barra de Dados (Data Bus): entrada e saída de dados.  Barra de Controle (Control Bus): terminais de controle. Junho de 2012
  9. 9. Referente a quantidade de dados, as memórias sãoespecificas pela notação N x m, onde:N – indica o número de localidades da memória;M – indica o número de bits da informação armazenadapor localidade.n - número de fios/terminais.Exemplo: Junho de 2012
  10. 10. 2. Capacidade de Memória:  Significa o número total de bits que podem ser armazenados em uma memoria.  Para o seu cálculo, basta efetuarmos o produto N x m (nº de localidades x nº de bits). Exemplo: 1 K x 4 = 1 x 1024 x 4 1 K x 4 = 4096 bits de capacidade. Junho de 2012
  11. 11. 3. Palavra de Endereço: conjunto de níveis lógicos ou bits necessários para o “endereçamento” de uma determinada localidade de memória para o acesso ao dado.4. Mapeamento de Memória: Junho de 2012
  12. 12.  Junho de 2012
  13. 13. 1. Memória ROM  Característica principal: permitir somente a leitura dos dados;  ROM (Ready-Only Memory): Memória apenas de leitura;  Acesso: aleatório;  Volatilidade: não-volátil (não perdem seus dados com o desligamento da alimentação);  Aplicalões: armazenamento de programas de sistemas operacionais em computadores e outros sistemas digitais. Junho de 2012
  14. 14. 2. Memória PROM  Característica principal: permite o armazenamento dos dados pelo próprio usuário, porem feito de modo definitivo;  PROM (Programmable Ready-Only Memory): Memória apenas de leitura programável;  Acesso: aleatório;  Volatilidade: não-volátil (não perdem seus dados com o desligamento da alimentação);  Após a programação a PROM torna-se ROM. Junho de 2012
  15. 15. 3. Memória EPROM  Característica principal: permite a programação de modo semelhante à das PROMs;  EPROM (Erasable Programmable Ready-Only Memory): Memória apenas de leitura programável e apagável;  Vantagem: podem ser normalmente apagadas,mediante banho de luz ultra violeta (15 a 50 minutos);  Após a programação torna-se ROM, recebendo os mesmos itens de classificação;  Também conhecidas com UVPROM (Ultraviolet PROM). Junho de 2012
  16. 16. 4. Memória EEPROM  Avanço tecnológico em relação a EPROM;  Característica principal: permite que o apagamento dos dados seja feito “eletricamente”, isoladamente por palavra de dados, sem necessidade de reprogramação total;  EEPROM ou E²PROM (Eletrically Erasable Programmable Ready-Only Memory): Memória apenas de leitura programável e apagável eletricamente. Junho de 2012
  17. 17. 5. Memória RAM  Característica principal: tempo de acesso muito reduzido;  RAM (Radom-Access Memory): Memória de Acesso Randômico;  Acesso: aleatório;  Volatilidade: volátil (perdem seus dados com o desligamento da alimentação);  Aplicações: utilizado em equipamentos principalmente como memória de programas e dados para armazenamento de forma temporária. Junho de 2012
  18. 18. 5. Memória RAM  Tipos de Memória RAM:  SRAM (Static Radom-Access Memory): utiliza como célula básica de memória o flip-flop;  DRAM (Dynamic Radom-Access Memory): Dinâmicas, possuem circuitos mais simples, porém necessitam de refresh (reinserção de dados periódica). O armazenamento dos dados é por efeito capacitativo. Junho de 2012
  19. 19. 5. Memória RAM  Expansão da capacidade da Memória RAM  Formação de uma memória RAM 256 x 8, a partir de dois blocos de estrutura 256x4. Junho de 2012
  20. 20. Faculdade de Ciências Humanas, Saúde, Exatas e Jurídicas de TeresinaTurma: Ciência da ComputaçãoPeríodo: 2º - ManhãDocente: Francisco JoséDiscentes: Marcelo Kelle Luís Felipe Gleykyson Lucas João Batista

×