SlideShare uma empresa Scribd logo

Cópia do Acórdão proferido nos Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002.

Cópia do Acórdão proferido nos Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002. Aécio Neves continua réu na Ação Civil Pública que o acusa de ter desviado R$ 4,3 bilhões de recursos da área de saúde no período que governou Minas Gerais. http://xeque-mate-noticias.blogspot.com/2013/09/corrupcao-juridica-no-tjmg-que-simula.html

1 de 9
Baixar para ler offline
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002
Fl. 1/9
<CABBCABCCBBACADABCCBAADADDBACABCAADAA
DDABCAAD>
EMENTA: EMBARGOS DECLARATÓRIOS. OMISSÃO. CONTRADIÇÃO.
EFEITOS INFRINGENTES.
1. O juiz não está obrigado a rebater todos os argumentos
apresentados pelas partes, basta que apresente fundamento suficiente
para justificar sua decisão, porém constata-se a omissão no sentido
jurídico, quando o argumento não enfrentado é capaz de abalar ou
diminuir o argumento prevalente da decisão, considerando a
dialeticidade inerente aos processos judiciais.
2. A regra do artigo 29, VIII, da Lei 8625/93, confere ao Procurador
Geral de Justiça atribuição exclusiva para promover o inquérito civil
quando o envolvido for o Governador do Estado, o que impede qualquer
outro membro da Instituição de fazê-lo, sob pena de usurpação de
função. Também lhe atribui legitimidade ad processum para a
propositura da ação, não só quando o agente político referenciado
estiver no exercício do mandato, mas, também quando o ato acoimado
de ímprobo tiver sido praticado no exercício da função.
3. A interpretação restritiva da legitimidade processual, com
fundamento na exegese da prerrogativa de foro não pode prevalecer
considerando se tratar de institutos diversos. Aquela é estabelecida por
norma infraconstitucional, que autoriza o órgão de execução do
Ministério Público a promover a ação no juízo competente; essa tem
assento constitucional, que estabelece como juiz natural tribunal
intermediário ou superior, dependendo da autoridade.
4. Acolhem-se os embargos, dando-lhes efeitos infringentes, para
desconstituir a decisão objurgada, a fim de que de que o MM. Juiz de
Direito determine a intimação pessoal do Procurador Geral de Justiça
para que emende a inicial, no prazo de dez dias, regularizando a
legitimatio ad processum, sob pena de extinção do processo sem
julgamento de mérito, ex vi do art. 267, IV, do Código de Processo Civil.
EMBARGOS DE DECLARAÇÃO-CV Nº 1.0024.10.244832-1/002 - COMARCA DE BELO HORIZONTE -
EMBARGANTE(S): MARIA DA CONCEIÇÃO BARROS DE REZENDE PRIMEIRO(A)(S), AÉCIO NEVES DA CUNHA
SEGUNDO(A)(S) - EMBARGADO(A)(S): MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS - INTERESSADO:
COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS, AÉCIO NEVES DA CUNHA, MARIA DA CONCEIÇÃO
BARROS DE REZENDE
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002
Fl. 2/9
A C Ó R D Ã O
Vistos etc., acorda, em Turma, a 8ª CÂMARA CÍVEL do Tribunal de
Justiça do Estado de Minas Gerais, na conformidade da ata dos
julgamentos, à unanimidade, em ACOLHER AMBOS OS EMBARGOS DE
DECLARAÇÃO.
DES. BITENCOURT MARCONDES
RELATOR.
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002
Fl. 3/9
DES. BITENCOURT MARCONDES (RELATOR)
V O T O
Trata-se de Embargos Declaratórios, opostos por MARIA DA
CONCEIÇÃO BARROS DE REZENDE e AÉCIO NEVES DA CUNHA,
sob o argumento de que há omissão e contradição no acórdão, bem
como com a finalidade específica de prequestionamento.
MARIA DA CONCEIÇÃO BARROS DE REZENDE opôs
embargos de declaração às f. 382/385 afirmando que o v. acórdão
padece de omissão, pois não houve o integral enfrentamento da
questão relativa à incompetência do Promotor de Justiça para
ajuizamento de ação em face do Governador de Estado, uma vez que
não rebateu o principal argumento utilizado, relativo à alegação de que
a ação civil pública versa sobre atos praticados à época do exercício
do cargo ocupado pelo agente político e, tão somente, em virtude dos
atos praticados em razão de suas funções, tal qual já se posicionou o
Superior Tribunal de Justiça.
Aduz haver contradição no acórdão, pois não se levou em conta,
à época do julgamento, a superveniência da Lei Complementar nº 141,
de 13 de janeiro de 2012, que veio regulamentar os critérios relativos à
aplicação de recursos em ações e serviços públicos de saúde pelos
entes públicos.
AÉCIO NEVES DA CUNHA opôs embargos de declaração às f.
388/397 alegando haver omissões no acórdão, uma vez que não
consta pronunciamento acerca da aplicação do artigo 129, inciso VIII,
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002
Fl. 4/9
da Lei nº 8.625/1993, sendo que “não se pode reputar válida, legítima e
jurídica a conduta da promotoria no sentido de aguardar a cessação do
exercício do cargo para propor a ação de improbidade, contornando as
atribuições do chefe da instituição”.
Ressalta, na esteira da alegação da embargante, a necessidade
de pronunciamento acerca de fato superveniente, com aptidão para
influir no julgamento do agravo, concretizado na edição da Lei
Complementar nº 141/2012.
Conheço dos embargos, porquanto presentes os
pressupostos de admissibilidade.
Os agravantes já nominados na inicial da ação civil pública
opuseram embargos de declaração, por intermédio de seus respectivos
procuradores, como visto, sob a alegação de omissão e contradição, com
pedido de efeitos infringentes.
Argumentam que a preliminar de incompetência do Promotor de
Justiça (sic) para a propositura da ação contra o Governador do Estado,
com fundamento no art. 29, inciso VIII, da Lei nº 8.625/93 (Lei Orgânica do
Ministério Público Nacional) e do art. 69, da Lei Complementar Estadual nº
34/1994, bem como o entendimento do Superior Tribunal de Justiça sobre
o tema, não fora apreciado em todos os aspectos, limitando-se o acórdão
a afastá-la à alegação de que a ação fora proposta após o término do
mandato.
Apontam contradição em razão da superveniência da Lei
Complementar nº 141/2012, sustentando que somente com a norma
regulamentando os critérios relativos à aplicação de recursos em ações e
serviços públicos de saúde pelos entes públicos, afastaram-se as
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002
Fl. 5/9
incertezas sobre o que deveria ser considerado para atingir o mínimo de
12%, não sendo o caso de Minas Gerais o único, pois a própria União e
Estados como Rio de Janeiro ( 2007/2008), Mato Grosso (2008); Rio
Grande do Sul (2007), Mato Grosso do Sul (2006), Paraná( 2007/2008),
Pará (2008), Piauí (2008) e São Paulo (2008), consideraram recursos não
provenientes da arrecadação de impostos estaduais, para atingir o
percentual de 12. Argumentam que a decisão embargada em nenhum
momento reconheceu qualquer desvio de recursos por parte do segundo
embargado, apenas não aplicação do percentual mencionado. Concluem
que não há como considerar ilegal a inclusão do gasto efetivado pela
COPASA, salvo se se aplicar retroativamente a referida lei complementar
que tipifica como crime o descumprimento da norma constitucional.
Os órgãos de execução do Ministério Público se manifestaram ( 1ª e
2ª instâncias), sendo que a subscritora da ação civil pública o fez
serodiamente, oportunidade em que rebateram as alegações, sustentando
a legitimidade “ad processum” da Promotora de Justiça, mormente porque
a propositura da ação se deu após o término do mandato de Governador,
citando precedentes do Supremo Tribunal Federal a respeito do
cancelamento da Súmula nº 394, bem como na defesa da justa causa da
ação.
Conheço de ambos os embargos de declaração.
O voto condutor do acórdão, de minha lavra, enfrentou a questão da
legitimidade exclusiva do Procurador Geral de Justiça para a propositura
da ação civil, rejeitando-a, ao argumento de que somente se aplicaria a
regra do art. 29, VIII, da Lei nº 8.625/93 se a ação fosse proposta durante o
exercício de seu mandato, fazendo remissão à ADIn nº 2797, que se
refere à impossibilidade de prorrogação de foro especial, por prerrogativa
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS
Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002
Fl. 6/9
de função após a cessação da investidura no cargo, citando o
cancelamento da Súmula 394.
É de se reconhecer, entretanto, que não se enfrentou a questão de
essa legitimidade exclusiva não se limitar ao exercício do mandato, mas,
também, quando os atos acoimados de ímprobos fossem praticados nesse
período, mesmo que a propositura da ação tenha ocorrido em momento
posterior à cessação da investidura no cargo.
O juiz não está obrigado a rebater todos os argumentos
apresentados pelas partes, basta que apresente fundamento suficiente
para justificar sua decisão; porém, é possível constatar-se a omissão no
sentido jurídico, quando o argumento não enfrentado é capaz de abalar ou
diminuir o argumento prevalente da decisão, considerando a dialeticidade
inerente aos processos judiciais.
Isso porque, embora os embargantes não o tenham colocado na
minuta do agravo, nos termos que faço neste voto, o enunciado semântico
da norma inserta no art. 29, inciso VIII, da Lei Federal nº 8.625/93 confere
não só a legitimidade ad processum para a propositura da ação, como
também a atribuição exclusiva do Procurador Geral de Justiça para a
promoção do inquérito civil, nos termos dispostos na norma do art. 129, III,
da Constituição da República.
Sob essa ótica, é de se vislumbrar que o legislador conferiu
exclusividade ao Chefe do Parquet, não só em relação ao processo, mas,
também, na iniciativa da instauração do inquérito civil.
Significa dizer que o argumento utilizado para reconhecer a
limitação da legitimidade exclusiva do Procurador Geral de Justiça, apenas
durante o exercício do mandato, encontra outro tão relevante quanto, no

Recomendados

Cópia da decisão proferida anteriormente no agravo de instrumento nº 1.0024.1...
Cópia da decisão proferida anteriormente no agravo de instrumento nº 1.0024.1...Cópia da decisão proferida anteriormente no agravo de instrumento nº 1.0024.1...
Cópia da decisão proferida anteriormente no agravo de instrumento nº 1.0024.1...Marcelo Bancalero
 
Efeito suspensivo obra embargada - vício no processo de licença de construção
Efeito suspensivo   obra embargada - vício no processo de licença de construçãoEfeito suspensivo   obra embargada - vício no processo de licença de construção
Efeito suspensivo obra embargada - vício no processo de licença de construçãoJamildo Melo
 
Multa banco-rural
Multa banco-ruralMulta banco-rural
Multa banco-ruralJoe Carter
 
Decisão do Tribunal de Contas da União - TCU
Decisão do Tribunal de Contas da União - TCUDecisão do Tribunal de Contas da União - TCU
Decisão do Tribunal de Contas da União - TCUAudir Santana
 
Consumidor contra-razões em recurso extraordinario
Consumidor   contra-razões em recurso extraordinarioConsumidor   contra-razões em recurso extraordinario
Consumidor contra-razões em recurso extraordinarioConsultor JRSantana
 
Vejam decisão do tse.docx ipiaú 18.09
Vejam decisão do tse.docx ipiaú 18.09Vejam decisão do tse.docx ipiaú 18.09
Vejam decisão do tse.docx ipiaú 18.09Tiago Simeão
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

MPF quer que STJ analise denúncia contra ex-prefeito de Sanharó
MPF quer que STJ analise denúncia contra ex-prefeito de SanharóMPF quer que STJ analise denúncia contra ex-prefeito de Sanharó
MPF quer que STJ analise denúncia contra ex-prefeito de SanharóPortal NE10
 
Eleição em Catalão: decisão do Ministro Marco Aurélio em favor de Jardel S…
Eleição em Catalão: decisão do Ministro Marco Aurélio em favor de Jardel S…Eleição em Catalão: decisão do Ministro Marco Aurélio em favor de Jardel S…
Eleição em Catalão: decisão do Ministro Marco Aurélio em favor de Jardel S…José Luiz Bittencourt Filho
 
14. do processo da fase de conhecimento - peticao inicial - resposta do reu...
14. do processo   da fase de conhecimento - peticao inicial - resposta do reu...14. do processo   da fase de conhecimento - peticao inicial - resposta do reu...
14. do processo da fase de conhecimento - peticao inicial - resposta do reu...walkir
 
Petição inicial trabalhista
Petição inicial trabalhistaPetição inicial trabalhista
Petição inicial trabalhistaMirtz Correa
 
Caso Diva. Agravo Regimental.[1]
Caso Diva. Agravo Regimental.[1]Caso Diva. Agravo Regimental.[1]
Caso Diva. Agravo Regimental.[1]DimasRoque
 
Vejam decisão do tse
Vejam decisão do tseVejam decisão do tse
Vejam decisão do tseTiago Simeão
 
TJSP determina que construtora devolva 80% das parcelas pagas, 100% da corret...
TJSP determina que construtora devolva 80% das parcelas pagas, 100% da corret...TJSP determina que construtora devolva 80% das parcelas pagas, 100% da corret...
TJSP determina que construtora devolva 80% das parcelas pagas, 100% da corret...Trevizano & Priolli Sociedade de Advogados
 
O mandado de segurança impetrado
O mandado de segurança impetradoO mandado de segurança impetrado
O mandado de segurança impetradoJamildo Melo
 
Apelação cível. ação anulatória. processo
Apelação cível. ação anulatória. processoApelação cível. ação anulatória. processo
Apelação cível. ação anulatória. processoInforma Jurídico
 

Mais procurados (19)

Supremo
SupremoSupremo
Supremo
 
Decisão stj blog
Decisão stj blogDecisão stj blog
Decisão stj blog
 
MPF quer que STJ analise denúncia contra ex-prefeito de Sanharó
MPF quer que STJ analise denúncia contra ex-prefeito de SanharóMPF quer que STJ analise denúncia contra ex-prefeito de Sanharó
MPF quer que STJ analise denúncia contra ex-prefeito de Sanharó
 
Resp 1800277
Resp 1800277Resp 1800277
Resp 1800277
 
Eleição em Catalão: decisão do Ministro Marco Aurélio em favor de Jardel S…
Eleição em Catalão: decisão do Ministro Marco Aurélio em favor de Jardel S…Eleição em Catalão: decisão do Ministro Marco Aurélio em favor de Jardel S…
Eleição em Catalão: decisão do Ministro Marco Aurélio em favor de Jardel S…
 
AGRAVO NOS PROPRIOS AUTOS
AGRAVO NOS PROPRIOS AUTOSAGRAVO NOS PROPRIOS AUTOS
AGRAVO NOS PROPRIOS AUTOS
 
14. do processo da fase de conhecimento - peticao inicial - resposta do reu...
14. do processo   da fase de conhecimento - peticao inicial - resposta do reu...14. do processo   da fase de conhecimento - peticao inicial - resposta do reu...
14. do processo da fase de conhecimento - peticao inicial - resposta do reu...
 
Petição inicial trabalhista
Petição inicial trabalhistaPetição inicial trabalhista
Petição inicial trabalhista
 
Ata
AtaAta
Ata
 
Caso Diva. Agravo Regimental.[1]
Caso Diva. Agravo Regimental.[1]Caso Diva. Agravo Regimental.[1]
Caso Diva. Agravo Regimental.[1]
 
Vejam decisão do tse
Vejam decisão do tseVejam decisão do tse
Vejam decisão do tse
 
Improbidade administrativa - Agravo em Recurso Especial n. 511.182/SC
Improbidade administrativa - Agravo em Recurso Especial n. 511.182/SCImprobidade administrativa - Agravo em Recurso Especial n. 511.182/SC
Improbidade administrativa - Agravo em Recurso Especial n. 511.182/SC
 
Re693456
Re693456Re693456
Re693456
 
Sentenca tce
Sentenca tceSentenca tce
Sentenca tce
 
Recurso Ordinário Trabalhista
Recurso Ordinário TrabalhistaRecurso Ordinário Trabalhista
Recurso Ordinário Trabalhista
 
Recurso Ordinário Trabalhista
Recurso Ordinário TrabalhistaRecurso Ordinário Trabalhista
Recurso Ordinário Trabalhista
 
TJSP determina que construtora devolva 80% das parcelas pagas, 100% da corret...
TJSP determina que construtora devolva 80% das parcelas pagas, 100% da corret...TJSP determina que construtora devolva 80% das parcelas pagas, 100% da corret...
TJSP determina que construtora devolva 80% das parcelas pagas, 100% da corret...
 
O mandado de segurança impetrado
O mandado de segurança impetradoO mandado de segurança impetrado
O mandado de segurança impetrado
 
Apelação cível. ação anulatória. processo
Apelação cível. ação anulatória. processoApelação cível. ação anulatória. processo
Apelação cível. ação anulatória. processo
 

Semelhante a Cópia do Acórdão proferido nos Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002.

Mandado de segurança. 1. procurador geral de justiça. assessores
Mandado de segurança. 1. procurador geral de justiça. assessoresMandado de segurança. 1. procurador geral de justiça. assessores
Mandado de segurança. 1. procurador geral de justiça. assessoresInforma Jurídico
 
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC 2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC Consultor JRSantana
 
Sentença - jornada de 5h para jornalista no serviço público - improcedência
Sentença - jornada de 5h para jornalista no serviço público - improcedênciaSentença - jornada de 5h para jornalista no serviço público - improcedência
Sentença - jornada de 5h para jornalista no serviço público - improcedênciaMurilo Pinto
 
Kiko comemora decisão do STF e confirma pré-candidatura a prefeito de Ribeirã...
Kiko comemora decisão do STF e confirma pré-candidatura a prefeito de Ribeirã...Kiko comemora decisão do STF e confirma pré-candidatura a prefeito de Ribeirã...
Kiko comemora decisão do STF e confirma pré-candidatura a prefeito de Ribeirã...Luís Carlos Nunes
 
0142949 82.2015.8.24.0000 - r esp - moralidade - processual - cabimento resc...
0142949 82.2015.8.24.0000 - r esp - moralidade - processual -  cabimento resc...0142949 82.2015.8.24.0000 - r esp - moralidade - processual -  cabimento resc...
0142949 82.2015.8.24.0000 - r esp - moralidade - processual - cabimento resc...Ministério Público de Santa Catarina
 
Jonas/Comissionados Recurso indeferido 12 /6/20
Jonas/Comissionados Recurso indeferido 12 /6/20Jonas/Comissionados Recurso indeferido 12 /6/20
Jonas/Comissionados Recurso indeferido 12 /6/201962laura
 
Recurso ordinário negado. voto.
Recurso ordinário negado. voto.Recurso ordinário negado. voto.
Recurso ordinário negado. voto.Francisco Brito
 
honorarios TRT jurisprudencia
honorarios TRT jurisprudenciahonorarios TRT jurisprudencia
honorarios TRT jurisprudenciaMarcos Vinicius
 
Agefis decisão STF inspetor fiscal e auditor agefis
Agefis decisão STF inspetor fiscal e auditor agefisAgefis decisão STF inspetor fiscal e auditor agefis
Agefis decisão STF inspetor fiscal e auditor agefisGamalivre
 
A.i. 70004506424
A.i. 70004506424A.i. 70004506424
A.i. 70004506424kduferraro
 
STJ negou liminar a Bruno Pereira para volta ao comando de São Lourenço
STJ negou liminar a Bruno Pereira para volta ao comando de São LourençoSTJ negou liminar a Bruno Pereira para volta ao comando de São Lourenço
STJ negou liminar a Bruno Pereira para volta ao comando de São LourençoJamildo Melo
 
Ação civil pública objetivando o ressarcimento ao erario de valores recebidos
Ação civil pública objetivando o ressarcimento ao erario de valores recebidosAção civil pública objetivando o ressarcimento ao erario de valores recebidos
Ação civil pública objetivando o ressarcimento ao erario de valores recebidosallaymer
 
Decisão liminar no ms nº 0324875 5
Decisão liminar no ms nº 0324875 5Decisão liminar no ms nº 0324875 5
Decisão liminar no ms nº 0324875 5Aninharebeca
 
Decisão liminar no ms nº 0324875 5
Decisão liminar no ms nº 0324875 5Decisão liminar no ms nº 0324875 5
Decisão liminar no ms nº 0324875 5Igor Maciel
 
Decisão liminar no ms nº 0324875 5
Decisão liminar no ms nº 0324875 5Decisão liminar no ms nº 0324875 5
Decisão liminar no ms nº 0324875 5Igor Maciel
 

Semelhante a Cópia do Acórdão proferido nos Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002. (20)

AgRg no Resp - 1485110
AgRg no Resp - 1485110AgRg no Resp - 1485110
AgRg no Resp - 1485110
 
Mandado de segurança. 1. procurador geral de justiça. assessores
Mandado de segurança. 1. procurador geral de justiça. assessoresMandado de segurança. 1. procurador geral de justiça. assessores
Mandado de segurança. 1. procurador geral de justiça. assessores
 
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC 2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
2127 - AGRAVO REGIMENTAL - NOVO CPC
 
STJ - Carlos Keide
STJ - Carlos Keide STJ - Carlos Keide
STJ - Carlos Keide
 
Agravo em recurso especial 531.428. Processo 2011.083371-9
Agravo em recurso especial 531.428. Processo 2011.083371-9Agravo em recurso especial 531.428. Processo 2011.083371-9
Agravo em recurso especial 531.428. Processo 2011.083371-9
 
Sentença - jornada de 5h para jornalista no serviço público - improcedência
Sentença - jornada de 5h para jornalista no serviço público - improcedênciaSentença - jornada de 5h para jornalista no serviço público - improcedência
Sentença - jornada de 5h para jornalista no serviço público - improcedência
 
Kiko comemora decisão do STF e confirma pré-candidatura a prefeito de Ribeirã...
Kiko comemora decisão do STF e confirma pré-candidatura a prefeito de Ribeirã...Kiko comemora decisão do STF e confirma pré-candidatura a prefeito de Ribeirã...
Kiko comemora decisão do STF e confirma pré-candidatura a prefeito de Ribeirã...
 
0142949 82.2015.8.24.0000 - r esp - moralidade - processual - cabimento resc...
0142949 82.2015.8.24.0000 - r esp - moralidade - processual -  cabimento resc...0142949 82.2015.8.24.0000 - r esp - moralidade - processual -  cabimento resc...
0142949 82.2015.8.24.0000 - r esp - moralidade - processual - cabimento resc...
 
Recurso Especial - 1.452.792
Recurso Especial - 1.452.792Recurso Especial - 1.452.792
Recurso Especial - 1.452.792
 
Jonas/Comissionados Recurso indeferido 12 /6/20
Jonas/Comissionados Recurso indeferido 12 /6/20Jonas/Comissionados Recurso indeferido 12 /6/20
Jonas/Comissionados Recurso indeferido 12 /6/20
 
Recurso ordinário negado. voto.
Recurso ordinário negado. voto.Recurso ordinário negado. voto.
Recurso ordinário negado. voto.
 
honorarios TRT jurisprudencia
honorarios TRT jurisprudenciahonorarios TRT jurisprudencia
honorarios TRT jurisprudencia
 
STJ nega recurso a Ivo Cassol em ação popular
STJ nega recurso a Ivo Cassol em ação popular STJ nega recurso a Ivo Cassol em ação popular
STJ nega recurso a Ivo Cassol em ação popular
 
Agefis decisão STF inspetor fiscal e auditor agefis
Agefis decisão STF inspetor fiscal e auditor agefisAgefis decisão STF inspetor fiscal e auditor agefis
Agefis decisão STF inspetor fiscal e auditor agefis
 
A.i. 70004506424
A.i. 70004506424A.i. 70004506424
A.i. 70004506424
 
STJ negou liminar a Bruno Pereira para volta ao comando de São Lourenço
STJ negou liminar a Bruno Pereira para volta ao comando de São LourençoSTJ negou liminar a Bruno Pereira para volta ao comando de São Lourenço
STJ negou liminar a Bruno Pereira para volta ao comando de São Lourenço
 
Ação civil pública objetivando o ressarcimento ao erario de valores recebidos
Ação civil pública objetivando o ressarcimento ao erario de valores recebidosAção civil pública objetivando o ressarcimento ao erario de valores recebidos
Ação civil pública objetivando o ressarcimento ao erario de valores recebidos
 
Decisão liminar no ms nº 0324875 5
Decisão liminar no ms nº 0324875 5Decisão liminar no ms nº 0324875 5
Decisão liminar no ms nº 0324875 5
 
Decisão liminar no ms nº 0324875 5
Decisão liminar no ms nº 0324875 5Decisão liminar no ms nº 0324875 5
Decisão liminar no ms nº 0324875 5
 
Decisão liminar no ms nº 0324875 5
Decisão liminar no ms nº 0324875 5Decisão liminar no ms nº 0324875 5
Decisão liminar no ms nº 0324875 5
 

Mais de Marcelo Bancalero

Nova Pesquisa Vox Populi deixa claro... Lula mesmo que fosse ladrão, está no...
Nova Pesquisa Vox Populi deixa claro... Lula mesmo que fosse  ladrão, está no...Nova Pesquisa Vox Populi deixa claro... Lula mesmo que fosse  ladrão, está no...
Nova Pesquisa Vox Populi deixa claro... Lula mesmo que fosse ladrão, está no...Marcelo Bancalero
 
Habeas Corpus Coletivo sobre decisão de Barroso sobre Indulto de Natal
Habeas Corpus Coletivo sobre decisão de Barroso sobre Indulto de NatalHabeas Corpus Coletivo sobre decisão de Barroso sobre Indulto de Natal
Habeas Corpus Coletivo sobre decisão de Barroso sobre Indulto de NatalMarcelo Bancalero
 
Falácias de Moro: entre paralogismos e sofismas
Falácias de Moro: entre paralogismos e sofismasFalácias de Moro: entre paralogismos e sofismas
Falácias de Moro: entre paralogismos e sofismasMarcelo Bancalero
 
Exclusivo: Alvará de Penhora expedido pelo TJDFT pode inocentar ex-presidente...
Exclusivo: Alvará de Penhora expedido pelo TJDFT pode inocentar ex-presidente...Exclusivo: Alvará de Penhora expedido pelo TJDFT pode inocentar ex-presidente...
Exclusivo: Alvará de Penhora expedido pelo TJDFT pode inocentar ex-presidente...Marcelo Bancalero
 
Alegações Finais da Defesa pgs 340-363
Alegações Finais da Defesa pgs 340-363Alegações Finais da Defesa pgs 340-363
Alegações Finais da Defesa pgs 340-363Marcelo Bancalero
 
Alegações Finais da Defesa pgs 112-339
Alegações Finais da Defesa pgs  112-339Alegações Finais da Defesa pgs  112-339
Alegações Finais da Defesa pgs 112-339Marcelo Bancalero
 
Alegações Finais da Defesa pgs 1-111
Alegações Finais da Defesa pgs  1-111Alegações Finais da Defesa pgs  1-111
Alegações Finais da Defesa pgs 1-111Marcelo Bancalero
 
DOCUMENTOS PROVAM CESSÃO DE DIREITOS DO TRIPLEX
DOCUMENTOS PROVAM CESSÃO DE DIREITOS DO TRIPLEXDOCUMENTOS PROVAM CESSÃO DE DIREITOS DO TRIPLEX
DOCUMENTOS PROVAM CESSÃO DE DIREITOS DO TRIPLEXMarcelo Bancalero
 
Frente de Juristas pela Democracia lança Cartilha expondo crimes da Lava Jato...
Frente de Juristas pela Democracia lança Cartilha expondo crimes da Lava Jato...Frente de Juristas pela Democracia lança Cartilha expondo crimes da Lava Jato...
Frente de Juristas pela Democracia lança Cartilha expondo crimes da Lava Jato...Marcelo Bancalero
 
Atriz Tássia Camargo denuncia que prisão de Lula está armada
Atriz Tássia Camargo denuncia que prisão de Lula está armada Atriz Tássia Camargo denuncia que prisão de Lula está armada
Atriz Tássia Camargo denuncia que prisão de Lula está armada Marcelo Bancalero
 
São Paulo não está a venda
São Paulo não está a venda São Paulo não está a venda
São Paulo não está a venda Marcelo Bancalero
 
Campanha SP não está à venda
Campanha SP não está à vendaCampanha SP não está à venda
Campanha SP não está à vendaMarcelo Bancalero
 
Abaixo assinado - Formulário de Coleta de Assinaturas- Pedido de plebiscito s...
Abaixo assinado - Formulário de Coleta de Assinaturas- Pedido de plebiscito s...Abaixo assinado - Formulário de Coleta de Assinaturas- Pedido de plebiscito s...
Abaixo assinado - Formulário de Coleta de Assinaturas- Pedido de plebiscito s...Marcelo Bancalero
 
Despacho de hoje do Moro cerceando defesa de Lula antes de dar a sentença.
Despacho de hoje do Moro cerceando defesa de Lula antes de dar a sentença. Despacho de hoje do Moro cerceando defesa de Lula antes de dar a sentença.
Despacho de hoje do Moro cerceando defesa de Lula antes de dar a sentença. Marcelo Bancalero
 
Íntegra da denúncia contra Temer por corrupção passiva:
Íntegra da denúncia contra Temer por corrupção passiva:Íntegra da denúncia contra Temer por corrupção passiva:
Íntegra da denúncia contra Temer por corrupção passiva:Marcelo Bancalero
 

Mais de Marcelo Bancalero (20)

Nova Pesquisa Vox Populi deixa claro... Lula mesmo que fosse ladrão, está no...
Nova Pesquisa Vox Populi deixa claro... Lula mesmo que fosse  ladrão, está no...Nova Pesquisa Vox Populi deixa claro... Lula mesmo que fosse  ladrão, está no...
Nova Pesquisa Vox Populi deixa claro... Lula mesmo que fosse ladrão, está no...
 
Habeas Corpus Coletivo sobre decisão de Barroso sobre Indulto de Natal
Habeas Corpus Coletivo sobre decisão de Barroso sobre Indulto de NatalHabeas Corpus Coletivo sobre decisão de Barroso sobre Indulto de Natal
Habeas Corpus Coletivo sobre decisão de Barroso sobre Indulto de Natal
 
Falácias de Moro: entre paralogismos e sofismas
Falácias de Moro: entre paralogismos e sofismasFalácias de Moro: entre paralogismos e sofismas
Falácias de Moro: entre paralogismos e sofismas
 
Exclusivo: Alvará de Penhora expedido pelo TJDFT pode inocentar ex-presidente...
Exclusivo: Alvará de Penhora expedido pelo TJDFT pode inocentar ex-presidente...Exclusivo: Alvará de Penhora expedido pelo TJDFT pode inocentar ex-presidente...
Exclusivo: Alvará de Penhora expedido pelo TJDFT pode inocentar ex-presidente...
 
Alegações Finais da Defesa pgs 340-363
Alegações Finais da Defesa pgs 340-363Alegações Finais da Defesa pgs 340-363
Alegações Finais da Defesa pgs 340-363
 
Alegações Finais da Defesa pgs 112-339
Alegações Finais da Defesa pgs  112-339Alegações Finais da Defesa pgs  112-339
Alegações Finais da Defesa pgs 112-339
 
Alegações Finais da Defesa pgs 1-111
Alegações Finais da Defesa pgs  1-111Alegações Finais da Defesa pgs  1-111
Alegações Finais da Defesa pgs 1-111
 
Embargos do Juiz Moro
 Embargos do Juiz Moro Embargos do Juiz Moro
Embargos do Juiz Moro
 
Apelacaotriplex pgs 303-491
Apelacaotriplex pgs 303-491Apelacaotriplex pgs 303-491
Apelacaotriplex pgs 303-491
 
Apelacaotriplex pgs 217-302
Apelacaotriplex pgs  217-302Apelacaotriplex pgs  217-302
Apelacaotriplex pgs 217-302
 
Apelacaotriplex pgs 112-216
Apelacaotriplex pgs  112-216Apelacaotriplex pgs  112-216
Apelacaotriplex pgs 112-216
 
Apelacaotriplex pgs 1-111
Apelacaotriplex pgs 1-111Apelacaotriplex pgs 1-111
Apelacaotriplex pgs 1-111
 
DOCUMENTOS PROVAM CESSÃO DE DIREITOS DO TRIPLEX
DOCUMENTOS PROVAM CESSÃO DE DIREITOS DO TRIPLEXDOCUMENTOS PROVAM CESSÃO DE DIREITOS DO TRIPLEX
DOCUMENTOS PROVAM CESSÃO DE DIREITOS DO TRIPLEX
 
Frente de Juristas pela Democracia lança Cartilha expondo crimes da Lava Jato...
Frente de Juristas pela Democracia lança Cartilha expondo crimes da Lava Jato...Frente de Juristas pela Democracia lança Cartilha expondo crimes da Lava Jato...
Frente de Juristas pela Democracia lança Cartilha expondo crimes da Lava Jato...
 
Atriz Tássia Camargo denuncia que prisão de Lula está armada
Atriz Tássia Camargo denuncia que prisão de Lula está armada Atriz Tássia Camargo denuncia que prisão de Lula está armada
Atriz Tássia Camargo denuncia que prisão de Lula está armada
 
São Paulo não está a venda
São Paulo não está a venda São Paulo não está a venda
São Paulo não está a venda
 
Campanha SP não está à venda
Campanha SP não está à vendaCampanha SP não está à venda
Campanha SP não está à venda
 
Abaixo assinado - Formulário de Coleta de Assinaturas- Pedido de plebiscito s...
Abaixo assinado - Formulário de Coleta de Assinaturas- Pedido de plebiscito s...Abaixo assinado - Formulário de Coleta de Assinaturas- Pedido de plebiscito s...
Abaixo assinado - Formulário de Coleta de Assinaturas- Pedido de plebiscito s...
 
Despacho de hoje do Moro cerceando defesa de Lula antes de dar a sentença.
Despacho de hoje do Moro cerceando defesa de Lula antes de dar a sentença. Despacho de hoje do Moro cerceando defesa de Lula antes de dar a sentença.
Despacho de hoje do Moro cerceando defesa de Lula antes de dar a sentença.
 
Íntegra da denúncia contra Temer por corrupção passiva:
Íntegra da denúncia contra Temer por corrupção passiva:Íntegra da denúncia contra Temer por corrupção passiva:
Íntegra da denúncia contra Temer por corrupção passiva:
 

Cópia do Acórdão proferido nos Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002.

  • 1. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002 Fl. 1/9 <CABBCABCCBBACADABCCBAADADDBACABCAADAA DDABCAAD> EMENTA: EMBARGOS DECLARATÓRIOS. OMISSÃO. CONTRADIÇÃO. EFEITOS INFRINGENTES. 1. O juiz não está obrigado a rebater todos os argumentos apresentados pelas partes, basta que apresente fundamento suficiente para justificar sua decisão, porém constata-se a omissão no sentido jurídico, quando o argumento não enfrentado é capaz de abalar ou diminuir o argumento prevalente da decisão, considerando a dialeticidade inerente aos processos judiciais. 2. A regra do artigo 29, VIII, da Lei 8625/93, confere ao Procurador Geral de Justiça atribuição exclusiva para promover o inquérito civil quando o envolvido for o Governador do Estado, o que impede qualquer outro membro da Instituição de fazê-lo, sob pena de usurpação de função. Também lhe atribui legitimidade ad processum para a propositura da ação, não só quando o agente político referenciado estiver no exercício do mandato, mas, também quando o ato acoimado de ímprobo tiver sido praticado no exercício da função. 3. A interpretação restritiva da legitimidade processual, com fundamento na exegese da prerrogativa de foro não pode prevalecer considerando se tratar de institutos diversos. Aquela é estabelecida por norma infraconstitucional, que autoriza o órgão de execução do Ministério Público a promover a ação no juízo competente; essa tem assento constitucional, que estabelece como juiz natural tribunal intermediário ou superior, dependendo da autoridade. 4. Acolhem-se os embargos, dando-lhes efeitos infringentes, para desconstituir a decisão objurgada, a fim de que de que o MM. Juiz de Direito determine a intimação pessoal do Procurador Geral de Justiça para que emende a inicial, no prazo de dez dias, regularizando a legitimatio ad processum, sob pena de extinção do processo sem julgamento de mérito, ex vi do art. 267, IV, do Código de Processo Civil. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO-CV Nº 1.0024.10.244832-1/002 - COMARCA DE BELO HORIZONTE - EMBARGANTE(S): MARIA DA CONCEIÇÃO BARROS DE REZENDE PRIMEIRO(A)(S), AÉCIO NEVES DA CUNHA SEGUNDO(A)(S) - EMBARGADO(A)(S): MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS - INTERESSADO: COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS, AÉCIO NEVES DA CUNHA, MARIA DA CONCEIÇÃO BARROS DE REZENDE
  • 2. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002 Fl. 2/9 A C Ó R D Ã O Vistos etc., acorda, em Turma, a 8ª CÂMARA CÍVEL do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, na conformidade da ata dos julgamentos, à unanimidade, em ACOLHER AMBOS OS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. DES. BITENCOURT MARCONDES RELATOR.
  • 3. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002 Fl. 3/9 DES. BITENCOURT MARCONDES (RELATOR) V O T O Trata-se de Embargos Declaratórios, opostos por MARIA DA CONCEIÇÃO BARROS DE REZENDE e AÉCIO NEVES DA CUNHA, sob o argumento de que há omissão e contradição no acórdão, bem como com a finalidade específica de prequestionamento. MARIA DA CONCEIÇÃO BARROS DE REZENDE opôs embargos de declaração às f. 382/385 afirmando que o v. acórdão padece de omissão, pois não houve o integral enfrentamento da questão relativa à incompetência do Promotor de Justiça para ajuizamento de ação em face do Governador de Estado, uma vez que não rebateu o principal argumento utilizado, relativo à alegação de que a ação civil pública versa sobre atos praticados à época do exercício do cargo ocupado pelo agente político e, tão somente, em virtude dos atos praticados em razão de suas funções, tal qual já se posicionou o Superior Tribunal de Justiça. Aduz haver contradição no acórdão, pois não se levou em conta, à época do julgamento, a superveniência da Lei Complementar nº 141, de 13 de janeiro de 2012, que veio regulamentar os critérios relativos à aplicação de recursos em ações e serviços públicos de saúde pelos entes públicos. AÉCIO NEVES DA CUNHA opôs embargos de declaração às f. 388/397 alegando haver omissões no acórdão, uma vez que não consta pronunciamento acerca da aplicação do artigo 129, inciso VIII,
  • 4. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002 Fl. 4/9 da Lei nº 8.625/1993, sendo que “não se pode reputar válida, legítima e jurídica a conduta da promotoria no sentido de aguardar a cessação do exercício do cargo para propor a ação de improbidade, contornando as atribuições do chefe da instituição”. Ressalta, na esteira da alegação da embargante, a necessidade de pronunciamento acerca de fato superveniente, com aptidão para influir no julgamento do agravo, concretizado na edição da Lei Complementar nº 141/2012. Conheço dos embargos, porquanto presentes os pressupostos de admissibilidade. Os agravantes já nominados na inicial da ação civil pública opuseram embargos de declaração, por intermédio de seus respectivos procuradores, como visto, sob a alegação de omissão e contradição, com pedido de efeitos infringentes. Argumentam que a preliminar de incompetência do Promotor de Justiça (sic) para a propositura da ação contra o Governador do Estado, com fundamento no art. 29, inciso VIII, da Lei nº 8.625/93 (Lei Orgânica do Ministério Público Nacional) e do art. 69, da Lei Complementar Estadual nº 34/1994, bem como o entendimento do Superior Tribunal de Justiça sobre o tema, não fora apreciado em todos os aspectos, limitando-se o acórdão a afastá-la à alegação de que a ação fora proposta após o término do mandato. Apontam contradição em razão da superveniência da Lei Complementar nº 141/2012, sustentando que somente com a norma regulamentando os critérios relativos à aplicação de recursos em ações e serviços públicos de saúde pelos entes públicos, afastaram-se as
  • 5. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002 Fl. 5/9 incertezas sobre o que deveria ser considerado para atingir o mínimo de 12%, não sendo o caso de Minas Gerais o único, pois a própria União e Estados como Rio de Janeiro ( 2007/2008), Mato Grosso (2008); Rio Grande do Sul (2007), Mato Grosso do Sul (2006), Paraná( 2007/2008), Pará (2008), Piauí (2008) e São Paulo (2008), consideraram recursos não provenientes da arrecadação de impostos estaduais, para atingir o percentual de 12. Argumentam que a decisão embargada em nenhum momento reconheceu qualquer desvio de recursos por parte do segundo embargado, apenas não aplicação do percentual mencionado. Concluem que não há como considerar ilegal a inclusão do gasto efetivado pela COPASA, salvo se se aplicar retroativamente a referida lei complementar que tipifica como crime o descumprimento da norma constitucional. Os órgãos de execução do Ministério Público se manifestaram ( 1ª e 2ª instâncias), sendo que a subscritora da ação civil pública o fez serodiamente, oportunidade em que rebateram as alegações, sustentando a legitimidade “ad processum” da Promotora de Justiça, mormente porque a propositura da ação se deu após o término do mandato de Governador, citando precedentes do Supremo Tribunal Federal a respeito do cancelamento da Súmula nº 394, bem como na defesa da justa causa da ação. Conheço de ambos os embargos de declaração. O voto condutor do acórdão, de minha lavra, enfrentou a questão da legitimidade exclusiva do Procurador Geral de Justiça para a propositura da ação civil, rejeitando-a, ao argumento de que somente se aplicaria a regra do art. 29, VIII, da Lei nº 8.625/93 se a ação fosse proposta durante o exercício de seu mandato, fazendo remissão à ADIn nº 2797, que se refere à impossibilidade de prorrogação de foro especial, por prerrogativa
  • 6. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002 Fl. 6/9 de função após a cessação da investidura no cargo, citando o cancelamento da Súmula 394. É de se reconhecer, entretanto, que não se enfrentou a questão de essa legitimidade exclusiva não se limitar ao exercício do mandato, mas, também, quando os atos acoimados de ímprobos fossem praticados nesse período, mesmo que a propositura da ação tenha ocorrido em momento posterior à cessação da investidura no cargo. O juiz não está obrigado a rebater todos os argumentos apresentados pelas partes, basta que apresente fundamento suficiente para justificar sua decisão; porém, é possível constatar-se a omissão no sentido jurídico, quando o argumento não enfrentado é capaz de abalar ou diminuir o argumento prevalente da decisão, considerando a dialeticidade inerente aos processos judiciais. Isso porque, embora os embargantes não o tenham colocado na minuta do agravo, nos termos que faço neste voto, o enunciado semântico da norma inserta no art. 29, inciso VIII, da Lei Federal nº 8.625/93 confere não só a legitimidade ad processum para a propositura da ação, como também a atribuição exclusiva do Procurador Geral de Justiça para a promoção do inquérito civil, nos termos dispostos na norma do art. 129, III, da Constituição da República. Sob essa ótica, é de se vislumbrar que o legislador conferiu exclusividade ao Chefe do Parquet, não só em relação ao processo, mas, também, na iniciativa da instauração do inquérito civil. Significa dizer que o argumento utilizado para reconhecer a limitação da legitimidade exclusiva do Procurador Geral de Justiça, apenas durante o exercício do mandato, encontra outro tão relevante quanto, no
  • 7. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002 Fl. 7/9 sentido de que a legitimatio ad processum não pode ser encarada como figura análoga à prerrogativa de foro, que tem assento em norma constitucional e, por isso, restrita aos casos previstos na Carta Magna. Essa associação não subsiste ao fato de que a capacidade processual que se comenta está alicerçada na norma infraconstitucional, que confere a determinado órgão de execução do Ministério Público essa habilitação para a propositura da ação junto ao juiz competente, que é o da primeira instância devido à natureza civil da ação. Em outros termos, pedindo escusas pela tautologia, utilizar-se dos argumentos restritivos existentes na doutrina e jurisprudência em torno do foro privilegiado, para justificar a limitação temporal da legitimidade do Procurador Geral de Justiça ao exercício do mandato, sem considerar que a prática do ato somente foi possível em razão do exercício da função, é equiparar institutos completamente diferentes, ou afirmar que o Chefe do Parquet não possui capacidade processual junto à primeira instância. É afirmar que a unidade e indivisibilidade não têm mão dupla, apenas uma via, e que as normas que conferem atribuições aos órgãos de execução do Ministério Público só são absolutas para o Procurador Geral, podendo ser relativizadas pelos demais membros da Instituição. Reconheço a controvérsia na interpretação da norma, no que se refere à sua extensão ou restrição, mas, como bem expôs o filosofo do Direito, recentemente falecido, Ronald Dworkin, mesmo reconhecendo a natureza controvertida da interpretação jurídica, é possível encontrar a melhor resposta ou a resposta certa, com argumentos jurídicos e não políticos. Como já constatado, a regra confere ao Procurador Geral de Justiça atribuição exclusiva para promover o inquérito civil quando o envolvido for
  • 8. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002 Fl. 8/9 o Governador do Estado, o que impede qualquer outro membro da instituição de fazê-lo, sob pena de usurpação de função. Referida premissa leva à conclusão de que a transgressão dessa norma sujeita o infrator às sanções administrativas de natureza grave e tornam imprestáveis – a não ser que sejam convalidadas por quem de direito – as provas para justificarem a ação civil pública, mormente a de improbidade que possui rito diferenciado. É possível ocorrer que, diante dessa limitação, do vício já mencionado, de forma sub-reptícia, o inquérito civil seja aberto para apuração de fato que não envolva a figura do Governador do Estado, sequer faça menção a sua pessoa, ou ato que lhe possa comprometer, porém, ao término de seu mandato, utilize-se o procedimento para servir de prova a justificar a justa causa da ação de improbidade. A manobra, em termos de Administração Pública, configura verdadeiro desvio de finalidade e, a toda evidência, o fim do mandato não pode servir de fato a convalidar o ato praticado em desvio de finalidade. Essa convalidação agride princípios axiológicos de Direito. Os precedentes do Superior Tribunal de Justiça (Resp nº 851.635/AC, Resp 851.148) e do Tribunal de Justiça do Acre ( Agravo Regimental AC 13231), cujo acórdão fora confirmado por aquele, tratam de caso semelhante ao presente, de modo a corroborar a tese da legitimação ad processum do Procurador Geral de Justiça para a propositura da ação civil durante e após o mandato do Governador do Estado. Entretanto, não há que se falar em extinção do processo sem julgamento de mérito, porque se trata de pressuposto processual de validade, não de condição de ação, devendo ser anulados todos os atos decisórios, a partir do recebimento da inicial, para que o Juiz de Direito
  • 9. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS Embargos de Declaração-Cv Nº 1.0024.10.244832-1/002 Fl. 9/9 determine a intimação pessoal do Procurador Geral de Justiça, para emendar a inicial, a fim de regularizar a legitimatio ad processum, no prazo de dez dias, sob pena de extinção do processo sem julgamento de mérito. Saliento que a conexão fática que justificou o litisconsorte passivo macula, por arrastamento, a decisão do recebimento da ação em relação à embargante. - CONCLUSÃO Ante o exposto, acolho ambos os embargos e lhes confiro efeitos infringentes, para desconstituir a decisão objurgada (recebimento da inicial), a fim de que o MM. Juiz de Direito determine a intimação pessoal do Procurador Geral de Justiça para, se quiser, emendar a inicial, no prazo de dez dias, regularizando a legitimatio ad processum, sob pena de extinção do processo sem julgamento de mérito, ex vi do art. 267, IV, do Código de Processo Civil. É como voto. DES. ALYRIO RAMOS - De acordo com o(a) Relator(a). DES. EDGARD PENNA AMORIM - De acordo com o(a) Relator(a). SÚMULA: "ACOLHERAM AMBOS OS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO."