SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
PETIÇÃO 8.820 DISTRITO FEDERAL
RELATOR : MIN. CELSO DE MELLO
REQTE.(S) :GLEISI HELENA HOFFMANN
ADV.(A/S) :GLEISI HELENA HOFFMANN
DESPACHO: Trata-se de comunicação de delitos (“notitia criminis”)
encaminhada ao Supremo Tribunal Federal, em que se noticia a suposta
prática, pelo Senhor Presidente da República e pelo então Senhor Ministro
da Justiça e Segurança Pública, de crimes perseguíveis mediante ação penal
pública incondicionada.
Embora a noticiante não seja titular do “jus persequendi in judicio”,
pode ela, no entanto, dirigir-se legitimamente ao Poder Público (CPP, art. 5º,
§ 3º), transmitindo-lhe, por intermédio de seus órgãos competentes, a
comunicação de supostas práticas criminosas suscetíveis de persecução
mediante ação penal pública incondicionada, como ocorre na espécie.
Cabe ter presente, neste ponto, por oportuno, que o Ministério Público e
a Polícia Judiciária, sendo destinatários de comunicações ou de revelações de
práticas criminosas, não podem eximir-se de apurar a efetiva ocorrência dos
ilícitos penais noticiados.
É por essa razão que os atos de investigação ou de persecução no
domínio penal traduzirão, em tal situação, incontornável dever jurídico
do Estado e constituirão, por isso mesmo, resposta legítima do Poder Público
ao que se contém na “notitia criminis”.
O significado e a importância da “notitia criminis” vêm ressaltados
no magistério de eminentes doutrinadores, que nela vislumbram
um expressivo meio justificador da instauração da investigação penal, pois,
transmitido às autoridades públicas o conhecimento de suposta prática delituosa
perseguível mediante ação penal pública incondicionada, a elas incumbe, por
dever de ofício, promover a concernente apuração da materialidade e da
autoria dos fatos e eventos alegadamente transgressores do ordenamento
penal (JOSÉ FREDERICO MARQUES, “Elementos de Direito Processual
Supremo Tribunal Federal
Documento assinado digitalmente conforme MP n° 2.200-2/2001 de 24/08/2001. O documento pode ser acessado pelo endereço
http://www.stf.jus.br/portal/autenticacao/autenticarDocumento.asp sob o código 3DD7-670C-CC54-0FB6 e senha 6450-09D4-E4D0-D910
PET 8820 / DF
Penal”, vol. I/107-114, itens ns. 70/74, e vol. II/124, item n. 312,
3ª atualização, 2009, Millennium; EDILSON MOUGENOT BONFIM,
“Código de Processo Penal Anotado”, p. 53/57, 3ª ed., 2010, Saraiva;
EUGÊNIO PACELLI DE OLIVEIRA, “Curso de Processo Penal”, p. 39/42,
item n. 4.1, 9ª ed., 2008, Lumen Juris; DENILSON FEITOZA, “Direito
Processual Penal – Teoria, Crítica e Práxis”, p. 178, item n. 5.7, 6ª ed.,
2009, Impetus; RENATO BRASILEIRO DE LIMA, “Curso de Processo
Penal”, p. 92/93, item n. 8, 2013, Impetus; E. MAGALHÃES NORONHA,
“Curso de Direito Processual Penal”, p. 18/19, item n. 8, 19ª ed., 1989,
Saraiva; FERNANDO CAPEZ e RODRIGO COLNAGO, “Código de
Processo Penal Comentado”, p. 24, 2015, Saraiva; CARLOS FREDERICO
COELHO NOGUEIRA, “Comentários ao Código de Processo Penal”,
vol. 1/187-193, itens ns. 55/58, 2002, Edipro; JULIO FABBRINI MIRABETE,
“Processo Penal”, p. 64/68, item n. 3.3, 18ª ed., 2008, Atlas, v.g.).
O aspecto que venho de ressaltar evidencia, portanto, o dever jurídico do
Estado de promover a apuração da autoria e da materialidade dos fatos
delituosos narrados por “qualquer pessoa do povo”.
A indisponibilidade da pretensão investigatória do Estado impede,
pois, que os órgãos públicos competentes ignorem aquilo que se aponta
na “notitia criminis”, motivo pelo qual se torna imprescindível a apuração
dos fatos delatados, quaisquer que possam ser as pessoas alegadamente
envolvidas, ainda que se trate de alguém investido de autoridade na
hierarquia da República, independentemente do Poder (Legislativo,
Executivo ou Judiciário) a que tal agente se ache vinculado.
Disso tudo resulta, como corretamente assinala RENATO BRASILEIRO
DE LIMA (“Curso de Processo Penal”, p. 86/87, item n. 6.7, 2003, Impetus),
que, “Ao tomar conhecimento de notícia de crime de ação penal pública
incondicionada, a autoridade policial é obrigada a agir de ofício,
independentemente de provocação da vítima e/ou qualquer outra pessoa. Deve, pois,
instaurar o inquérito policial de ofício, nos exatos termos do art. 5º, I, do CPP,
2
Supremo Tribunal Federal
Documento assinado digitalmente conforme MP n° 2.200-2/2001 de 24/08/2001. O documento pode ser acessado pelo endereço
http://www.stf.jus.br/portal/autenticacao/autenticarDocumento.asp sob o código 3DD7-670C-CC54-0FB6 e senha 6450-09D4-E4D0-D910
PET 8820 / DF
procedendo, então, às diligências investigatórias no sentido de obter elementos
de informação quanto à infração penal e sua autoria. Para a instauração do inquérito
policial, basta a notícia de fato formalmente típico (...)” (grifei).
Sendo assim, tratando-se de “notitia criminis” concernente à suposta
prática de delitos perseguíveis mediante ação penal de iniciativa pública,
determino a remessa destes autos, com fundamento no art. 40 do Código
de Processo Penal, ao eminente Senhor Procurador-Geral da República,
pois compete ao Chefe do Ministério Público da União, considerado
o que estabelece o art. 129, inciso I, da Lei Fundamental, formular, ou não,
a pertinente “opinio delicti”.
Publique-se.
Brasília, 20 de maio de 2020.
Ministro CELSO DE MELLO
Relator
3
Supremo Tribunal Federal
Documento assinado digitalmente conforme MP n° 2.200-2/2001 de 24/08/2001. O documento pode ser acessado pelo endereço
http://www.stf.jus.br/portal/autenticacao/autenticarDocumento.asp sob o código 3DD7-670C-CC54-0FB6 e senha 6450-09D4-E4D0-D910

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As Recentes Reformas Legislativas Criminais
As Recentes Reformas Legislativas CriminaisAs Recentes Reformas Legislativas Criminais
As Recentes Reformas Legislativas Criminais
Marcelo Gomes Freire
 
Inquérito Policial
Inquérito PolicialInquérito Policial
Inquérito Policial
guest063091
 
01. simulado direitos e garantias - cespe (20 questões).docx
01. simulado   direitos e garantias - cespe (20 questões).docx01. simulado   direitos e garantias - cespe (20 questões).docx
01. simulado direitos e garantias - cespe (20 questões).docx
Antonio Augusto Gomes Paiva
 
A POLICIA MILITAR PODE, SIM, CUMPRIR MANDADO DE BUSCA E APREESÃO DOMICILIAR.
A POLICIA MILITAR PODE, SIM, CUMPRIR MANDADO DE BUSCA E APREESÃO DOMICILIAR.A POLICIA MILITAR PODE, SIM, CUMPRIR MANDADO DE BUSCA E APREESÃO DOMICILIAR.
A POLICIA MILITAR PODE, SIM, CUMPRIR MANDADO DE BUSCA E APREESÃO DOMICILIAR.
mana 5066
 

Mais procurados (18)

Manifesto pela legalidade e pela democracia
Manifesto pela legalidade e pela democraciaManifesto pela legalidade e pela democracia
Manifesto pela legalidade e pela democracia
 
Trabalho penal
Trabalho penalTrabalho penal
Trabalho penal
 
As Recentes Reformas Legislativas Criminais
As Recentes Reformas Legislativas CriminaisAs Recentes Reformas Legislativas Criminais
As Recentes Reformas Legislativas Criminais
 
Requerimento 2 jungmann caso lula
Requerimento 2 jungmann caso lulaRequerimento 2 jungmann caso lula
Requerimento 2 jungmann caso lula
 
Inquérito Policial
Inquérito PolicialInquérito Policial
Inquérito Policial
 
01. simulado direitos e garantias - cespe (20 questões).docx
01. simulado   direitos e garantias - cespe (20 questões).docx01. simulado   direitos e garantias - cespe (20 questões).docx
01. simulado direitos e garantias - cespe (20 questões).docx
 
CPI
CPICPI
CPI
 
Defensoria Pública da União e seu perfil institucional
Defensoria Pública da União e seu perfil institucionalDefensoria Pública da União e seu perfil institucional
Defensoria Pública da União e seu perfil institucional
 
Interceptação telefônica
Interceptação telefônicaInterceptação telefônica
Interceptação telefônica
 
A fase pré processual
A fase pré processualA fase pré processual
A fase pré processual
 
A POLICIA MILITAR PODE, SIM, CUMPRIR MANDADO DE BUSCA E APREESÃO DOMICILIAR.
A POLICIA MILITAR PODE, SIM, CUMPRIR MANDADO DE BUSCA E APREESÃO DOMICILIAR.A POLICIA MILITAR PODE, SIM, CUMPRIR MANDADO DE BUSCA E APREESÃO DOMICILIAR.
A POLICIA MILITAR PODE, SIM, CUMPRIR MANDADO DE BUSCA E APREESÃO DOMICILIAR.
 
Dpp i inquérito policial
Dpp i   inquérito policialDpp i   inquérito policial
Dpp i inquérito policial
 
2031 - LIBERDADE PROVISORIA
2031 - LIBERDADE PROVISORIA2031 - LIBERDADE PROVISORIA
2031 - LIBERDADE PROVISORIA
 
Inquérito betinho
Inquérito betinhoInquérito betinho
Inquérito betinho
 
12 varafederal
12 varafederal12 varafederal
12 varafederal
 
Corregedoria-Geral da SSP divulga Recomendação com orientações sobre a Lei de...
Corregedoria-Geral da SSP divulga Recomendação com orientações sobre a Lei de...Corregedoria-Geral da SSP divulga Recomendação com orientações sobre a Lei de...
Corregedoria-Geral da SSP divulga Recomendação com orientações sobre a Lei de...
 
Interceptações telefonicas (1)
Interceptações telefonicas (1)Interceptações telefonicas (1)
Interceptações telefonicas (1)
 
Petição Lula
Petição LulaPetição Lula
Petição Lula
 

Semelhante a Despacho de Celso de Mello na Petição 8.820 no INQ. 4831

Semelhante a Despacho de Celso de Mello na Petição 8.820 no INQ. 4831 (20)

Celso de Mello decide divulgar vídeo ministerial que pode comprometer preside...
Celso de Mello decide divulgar vídeo ministerial que pode comprometer preside...Celso de Mello decide divulgar vídeo ministerial que pode comprometer preside...
Celso de Mello decide divulgar vídeo ministerial que pode comprometer preside...
 
Decisão do ministro Celso de Mello sobre reunião ministerial
Decisão do ministro Celso de Mello sobre reunião ministerial Decisão do ministro Celso de Mello sobre reunião ministerial
Decisão do ministro Celso de Mello sobre reunião ministerial
 
Decisao celso-mello-inq-4831
Decisao celso-mello-inq-4831Decisao celso-mello-inq-4831
Decisao celso-mello-inq-4831
 
WhatsApp - Bloqueio viola liberdades de expressão e comunicação
WhatsApp - Bloqueio viola liberdades de expressão e comunicaçãoWhatsApp - Bloqueio viola liberdades de expressão e comunicação
WhatsApp - Bloqueio viola liberdades de expressão e comunicação
 
Resposta de Alexandre de Moraes para Raquel Dodge em inquérito aberto pelo STYF
Resposta de Alexandre de Moraes para Raquel Dodge em inquérito aberto pelo STYFResposta de Alexandre de Moraes para Raquel Dodge em inquérito aberto pelo STYF
Resposta de Alexandre de Moraes para Raquel Dodge em inquérito aberto pelo STYF
 
Roberto freire
Roberto freireRoberto freire
Roberto freire
 
Eliseu padilha e moreira franco
Eliseu padilha e moreira francoEliseu padilha e moreira franco
Eliseu padilha e moreira franco
 
Sentença stf vereador robson - bananal - sp
Sentença stf   vereador robson - bananal - spSentença stf   vereador robson - bananal - sp
Sentença stf vereador robson - bananal - sp
 
Jarbas no STF
Jarbas no STFJarbas no STF
Jarbas no STF
 
Exceção de incompetência ação pena contra Lula
Exceção de incompetência ação pena contra Lula Exceção de incompetência ação pena contra Lula
Exceção de incompetência ação pena contra Lula
 
CALDAS Marinha DEFESA apresentada ao STF
CALDAS Marinha DEFESA apresentada ao STFCALDAS Marinha DEFESA apresentada ao STF
CALDAS Marinha DEFESA apresentada ao STF
 
Decisão de Celso de Mello na Reclamação feita pela Jovem Pan
Decisão de Celso de Mello na Reclamação feita pela Jovem PanDecisão de Celso de Mello na Reclamação feita pela Jovem Pan
Decisão de Celso de Mello na Reclamação feita pela Jovem Pan
 
Lula HC
Lula HCLula HC
Lula HC
 
X
XX
X
 
Marta suplicy
Marta suplicyMarta suplicy
Marta suplicy
 
Leia o voto de Alexandre de Moraes no julgamento do habeas corpus de Lula
Leia o voto de Alexandre de Moraes no julgamento do habeas corpus de LulaLeia o voto de Alexandre de Moraes no julgamento do habeas corpus de Lula
Leia o voto de Alexandre de Moraes no julgamento do habeas corpus de Lula
 
Rcl 43007-350-manif-17022021105512205
Rcl 43007-350-manif-17022021105512205Rcl 43007-350-manif-17022021105512205
Rcl 43007-350-manif-17022021105512205
 
Rcl 43007-350-manif-17022021105512205
Rcl 43007-350-manif-17022021105512205Rcl 43007-350-manif-17022021105512205
Rcl 43007-350-manif-17022021105512205
 
As mensagens da Lava Jato protocoladas pela defesa de Lula no STF
As mensagens da Lava Jato protocoladas pela defesa de Lula no STFAs mensagens da Lava Jato protocoladas pela defesa de Lula no STF
As mensagens da Lava Jato protocoladas pela defesa de Lula no STF
 
Jose agripino maia
Jose agripino maiaJose agripino maia
Jose agripino maia
 

Mais de Marcelo Auler

Mais de Marcelo Auler (20)

Despacho Alexandre de. Moraes Pet. 10810 -DF.pdf
Despacho Alexandre de. Moraes Pet. 10810 -DF.pdfDespacho Alexandre de. Moraes Pet. 10810 -DF.pdf
Despacho Alexandre de. Moraes Pet. 10810 -DF.pdf
 
Representação da DPU ao Procurador Eleitoral contra Bolsonaro
Representação da DPU ao Procurador Eleitoral contra Bolsonaro Representação da DPU ao Procurador Eleitoral contra Bolsonaro
Representação da DPU ao Procurador Eleitoral contra Bolsonaro
 
Representação contra Aras no CSMPF
Representação contra Aras no CSMPFRepresentação contra Aras no CSMPF
Representação contra Aras no CSMPF
 
Carta das entidades ao PGR e PGJ
Carta das entidades ao PGR e PGJCarta das entidades ao PGR e PGJ
Carta das entidades ao PGR e PGJ
 
Relatório da Repressão mostra que Lula foi seguido
Relatório da Repressão mostra que Lula foi seguidoRelatório da Repressão mostra que Lula foi seguido
Relatório da Repressão mostra que Lula foi seguido
 
O País Exige Respeito; a Vida Necessita da Ciência e do Bom Governo
O País Exige Respeito; a Vida Necessita da Ciência e do Bom GovernoO País Exige Respeito; a Vida Necessita da Ciência e do Bom Governo
O País Exige Respeito; a Vida Necessita da Ciência e do Bom Governo
 
OAB vai ao STF por vacinas que Bolsonaro rejeita
OAB vai ao STF por vacinas que Bolsonaro rejeitaOAB vai ao STF por vacinas que Bolsonaro rejeita
OAB vai ao STF por vacinas que Bolsonaro rejeita
 
Delegados da Polícia Federal entregam cargos de chefia
Delegados da Polícia Federal entregam cargos de chefiaDelegados da Polícia Federal entregam cargos de chefia
Delegados da Polícia Federal entregam cargos de chefia
 
Mp apoiando lula
Mp apoiando lulaMp apoiando lula
Mp apoiando lula
 
Depoimento de Meire Poza ao procurador regional Osório Barbosa
Depoimento de Meire Poza ao procurador regional Osório BarbosaDepoimento de Meire Poza ao procurador regional Osório Barbosa
Depoimento de Meire Poza ao procurador regional Osório Barbosa
 
Procurador da República questionou competência de Moro
Procurador da República questionou competência de MoroProcurador da República questionou competência de Moro
Procurador da República questionou competência de Moro
 
Nota Pública dos ex-presidentes da ANPR
Nota Pública dos ex-presidentes da ANPRNota Pública dos ex-presidentes da ANPR
Nota Pública dos ex-presidentes da ANPR
 
Bolsonaro disseminou pandemia, dizem subprocuradores aposentados
Bolsonaro disseminou pandemia, dizem subprocuradores aposentadosBolsonaro disseminou pandemia, dizem subprocuradores aposentados
Bolsonaro disseminou pandemia, dizem subprocuradores aposentados
 
Manifestação do MPF pelo arquivamento do Inquérito contra Feller
Manifestação do MPF pelo arquivamento do Inquérito contra FellerManifestação do MPF pelo arquivamento do Inquérito contra Feller
Manifestação do MPF pelo arquivamento do Inquérito contra Feller
 
Nota dos Subprocuradores em repúdio a Augusto Aras
Nota dos Subprocuradores em repúdio a Augusto ArasNota dos Subprocuradores em repúdio a Augusto Aras
Nota dos Subprocuradores em repúdio a Augusto Aras
 
Oficio da Subseção da OAB quer apuração das agressões em Palmares (PE)
Oficio da Subseção da OAB quer apuração das agressões em Palmares (PE)Oficio da Subseção da OAB quer apuração das agressões em Palmares (PE)
Oficio da Subseção da OAB quer apuração das agressões em Palmares (PE)
 
Vacina é direito de todos e obrigação dos três Poderes
Vacina é direito de todos e obrigação dos três PoderesVacina é direito de todos e obrigação dos três Poderes
Vacina é direito de todos e obrigação dos três Poderes
 
Relatório e Voto no TJ-ES
Relatório e Voto no TJ-ESRelatório e Voto no TJ-ES
Relatório e Voto no TJ-ES
 
Relatório de Missão no Ceará - MNPCT
Relatório de Missão no Ceará - MNPCTRelatório de Missão no Ceará - MNPCT
Relatório de Missão no Ceará - MNPCT
 
Reclamação (RCL) 43.131
Reclamação (RCL) 43.131Reclamação (RCL) 43.131
Reclamação (RCL) 43.131
 

Último (7)

MAPA MENTAL Oab 40 DIREITO FILOSOFIA DO DIREITO
MAPA MENTAL Oab 40 DIREITO FILOSOFIA DO DIREITOMAPA MENTAL Oab 40 DIREITO FILOSOFIA DO DIREITO
MAPA MENTAL Oab 40 DIREITO FILOSOFIA DO DIREITO
 
Modelo de Avaliação da Deficiência no Brasil
Modelo de Avaliação da Deficiência no BrasilModelo de Avaliação da Deficiência no Brasil
Modelo de Avaliação da Deficiência no Brasil
 
[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...
[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...
[Modelo] Igreja Evangélica - Ata de fundação, aprovação de estatuto e eleição...
 
Efeito doença nas férias na Administração Pública
Efeito doença nas férias na Administração PúblicaEfeito doença nas férias na Administração Pública
Efeito doença nas férias na Administração Pública
 
PARTE 1 2024 Artigo Exploração sexual de crianças e adolescentes no mundo vir...
PARTE 1 2024 Artigo Exploração sexual de crianças e adolescentes no mundo vir...PARTE 1 2024 Artigo Exploração sexual de crianças e adolescentes no mundo vir...
PARTE 1 2024 Artigo Exploração sexual de crianças e adolescentes no mundo vir...
 
Direito tributário.pdf para alunos do curso de Direito
Direito tributário.pdf para alunos do curso de DireitoDireito tributário.pdf para alunos do curso de Direito
Direito tributário.pdf para alunos do curso de Direito
 
[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva
[Modelo] Regimento Interno de Igreja - Fábio Peres da Silva
 

Despacho de Celso de Mello na Petição 8.820 no INQ. 4831

  • 1. PETIÇÃO 8.820 DISTRITO FEDERAL RELATOR : MIN. CELSO DE MELLO REQTE.(S) :GLEISI HELENA HOFFMANN ADV.(A/S) :GLEISI HELENA HOFFMANN DESPACHO: Trata-se de comunicação de delitos (“notitia criminis”) encaminhada ao Supremo Tribunal Federal, em que se noticia a suposta prática, pelo Senhor Presidente da República e pelo então Senhor Ministro da Justiça e Segurança Pública, de crimes perseguíveis mediante ação penal pública incondicionada. Embora a noticiante não seja titular do “jus persequendi in judicio”, pode ela, no entanto, dirigir-se legitimamente ao Poder Público (CPP, art. 5º, § 3º), transmitindo-lhe, por intermédio de seus órgãos competentes, a comunicação de supostas práticas criminosas suscetíveis de persecução mediante ação penal pública incondicionada, como ocorre na espécie. Cabe ter presente, neste ponto, por oportuno, que o Ministério Público e a Polícia Judiciária, sendo destinatários de comunicações ou de revelações de práticas criminosas, não podem eximir-se de apurar a efetiva ocorrência dos ilícitos penais noticiados. É por essa razão que os atos de investigação ou de persecução no domínio penal traduzirão, em tal situação, incontornável dever jurídico do Estado e constituirão, por isso mesmo, resposta legítima do Poder Público ao que se contém na “notitia criminis”. O significado e a importância da “notitia criminis” vêm ressaltados no magistério de eminentes doutrinadores, que nela vislumbram um expressivo meio justificador da instauração da investigação penal, pois, transmitido às autoridades públicas o conhecimento de suposta prática delituosa perseguível mediante ação penal pública incondicionada, a elas incumbe, por dever de ofício, promover a concernente apuração da materialidade e da autoria dos fatos e eventos alegadamente transgressores do ordenamento penal (JOSÉ FREDERICO MARQUES, “Elementos de Direito Processual Supremo Tribunal Federal Documento assinado digitalmente conforme MP n° 2.200-2/2001 de 24/08/2001. O documento pode ser acessado pelo endereço http://www.stf.jus.br/portal/autenticacao/autenticarDocumento.asp sob o código 3DD7-670C-CC54-0FB6 e senha 6450-09D4-E4D0-D910
  • 2. PET 8820 / DF Penal”, vol. I/107-114, itens ns. 70/74, e vol. II/124, item n. 312, 3ª atualização, 2009, Millennium; EDILSON MOUGENOT BONFIM, “Código de Processo Penal Anotado”, p. 53/57, 3ª ed., 2010, Saraiva; EUGÊNIO PACELLI DE OLIVEIRA, “Curso de Processo Penal”, p. 39/42, item n. 4.1, 9ª ed., 2008, Lumen Juris; DENILSON FEITOZA, “Direito Processual Penal – Teoria, Crítica e Práxis”, p. 178, item n. 5.7, 6ª ed., 2009, Impetus; RENATO BRASILEIRO DE LIMA, “Curso de Processo Penal”, p. 92/93, item n. 8, 2013, Impetus; E. MAGALHÃES NORONHA, “Curso de Direito Processual Penal”, p. 18/19, item n. 8, 19ª ed., 1989, Saraiva; FERNANDO CAPEZ e RODRIGO COLNAGO, “Código de Processo Penal Comentado”, p. 24, 2015, Saraiva; CARLOS FREDERICO COELHO NOGUEIRA, “Comentários ao Código de Processo Penal”, vol. 1/187-193, itens ns. 55/58, 2002, Edipro; JULIO FABBRINI MIRABETE, “Processo Penal”, p. 64/68, item n. 3.3, 18ª ed., 2008, Atlas, v.g.). O aspecto que venho de ressaltar evidencia, portanto, o dever jurídico do Estado de promover a apuração da autoria e da materialidade dos fatos delituosos narrados por “qualquer pessoa do povo”. A indisponibilidade da pretensão investigatória do Estado impede, pois, que os órgãos públicos competentes ignorem aquilo que se aponta na “notitia criminis”, motivo pelo qual se torna imprescindível a apuração dos fatos delatados, quaisquer que possam ser as pessoas alegadamente envolvidas, ainda que se trate de alguém investido de autoridade na hierarquia da República, independentemente do Poder (Legislativo, Executivo ou Judiciário) a que tal agente se ache vinculado. Disso tudo resulta, como corretamente assinala RENATO BRASILEIRO DE LIMA (“Curso de Processo Penal”, p. 86/87, item n. 6.7, 2003, Impetus), que, “Ao tomar conhecimento de notícia de crime de ação penal pública incondicionada, a autoridade policial é obrigada a agir de ofício, independentemente de provocação da vítima e/ou qualquer outra pessoa. Deve, pois, instaurar o inquérito policial de ofício, nos exatos termos do art. 5º, I, do CPP, 2 Supremo Tribunal Federal Documento assinado digitalmente conforme MP n° 2.200-2/2001 de 24/08/2001. O documento pode ser acessado pelo endereço http://www.stf.jus.br/portal/autenticacao/autenticarDocumento.asp sob o código 3DD7-670C-CC54-0FB6 e senha 6450-09D4-E4D0-D910
  • 3. PET 8820 / DF procedendo, então, às diligências investigatórias no sentido de obter elementos de informação quanto à infração penal e sua autoria. Para a instauração do inquérito policial, basta a notícia de fato formalmente típico (...)” (grifei). Sendo assim, tratando-se de “notitia criminis” concernente à suposta prática de delitos perseguíveis mediante ação penal de iniciativa pública, determino a remessa destes autos, com fundamento no art. 40 do Código de Processo Penal, ao eminente Senhor Procurador-Geral da República, pois compete ao Chefe do Ministério Público da União, considerado o que estabelece o art. 129, inciso I, da Lei Fundamental, formular, ou não, a pertinente “opinio delicti”. Publique-se. Brasília, 20 de maio de 2020. Ministro CELSO DE MELLO Relator 3 Supremo Tribunal Federal Documento assinado digitalmente conforme MP n° 2.200-2/2001 de 24/08/2001. O documento pode ser acessado pelo endereço http://www.stf.jus.br/portal/autenticacao/autenticarDocumento.asp sob o código 3DD7-670C-CC54-0FB6 e senha 6450-09D4-E4D0-D910