SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Psicologia A


                  A Percepção permite dar sentido ao mundo

O que é a percepção
A percepção possui as seguintes características:
● é o conhecimento sensorial de configurações ou de totalidades organizadas e
dotadas de sentido e não uma soma de sensações elementares; sensação e
percepção são a mesma coisa;
● é o conhecimento de um sujeito corporal, isto é, uma vivência corporal, de
modo que a situação de nosso corpo e as condições de nosso corpo são tão
importantes quanto a situação e as condições dos objetos percebidos;
● é sempre uma experiência dotada de significação, isto é, o percebido é
dotado de sentido e tem sentido em nossa história de vida, fazendo parte do
nosso mundo e das nossas vivências;
● o próprio mundo exterior não é uma coleção ou uma soma de coisas
isoladas, mas está organizado em formas e estruturas complexas dotadas de
sentido. Uma paisagem, por exemplo, não é uma soma de coisas que estão
apenas próximas umas das outras, mas é a percepção de coisas que formam
um todo complexo e com sentido: o vale só é vale por causa da montanha, cuja
altura e distância só podem ser avaliadas porque há o céu, as árvores, um rio e
um caminho; o verde do vale só pode ser percebido por contraste com o cinza
ou o dourado da montanha; o azul do céu só pode ser percebido por causa do
verde da vegetação e o castanho da terra; essa paisagem será um espetáculo
de contemplação se o sujeito da percepção estiver repousado, mas será um
objeto digno de ser visto por outros se o sujeito da percepção for um pintor, ou
será um obstáculo, se o sujeito da percepção for um viajante que descobre que
precisa de ultrapassar a montanha. Em resumo: na percepção, o mundo possui
forma e sentido e ambos são inseparáveis do sujeito da percepção;
● a percepção é assim uma relação do sujeito com o mundo exterior e não
uma reação físico-fisiológica de um sujeito físico-fisiológico a um conjunto de
estímulos externos (como suporia o empirista), nem uma ideia formulada pelo
sujeito (como suporia o intelectualista). A relação dá sentido ao percebido e ao
percebedor, e um não existe sem o outro;
● O mundo percebido é qualitativo, significativo, estruturado e estamos nele
como sujeitos activos, isto é, damos às coisas percebidas novos sentidos e
novos valores, pois as coisas fazem parte de nossas vidas e interagimos com o
mundo;
● o mundo percebido é um mundo intercorporal, isto é, as relações
estabelecem-se entre o nosso corpo, os corpos dos outros sujeitos e os corpos


                                                                              1
das coisas, de modo que a percepção é uma forma de comunicação que
estabelecemos com os outros e com as coisas;
● a percepção depende das coisas e de nosso corpo, depende do mundo e dos
nossos sentidos, depende do exterior e do interior, e por isso é mais adequado
falar em campo perceptivo para indicar que se trata de uma relação complexa
entre o corpo-sujeito e os corpos-objectos num campo de significações visuais,
tácteis, olfativas, gustativas, sonoras, motrizes, espaciais, temporais e
lingüísticas. A percepção é uma conduta vital, uma comunicação, uma
interpretação e uma valoração do mundo, a partir da estrutura de relações
entre nosso corpo e o mundo;
● a percepção envolve toda a nossa personalidade, a nossa história pessoal, a
nossa afectividade, os nossos desejos e paixões, isto é, a percepção é uma
maneira fundamental de os seres humanos estarem no mundo. Percebemos as
coisas e os outros de modo positivo ou negativo, percebemos as coisas como
instrumentos ou como valores, reagimos positiva ou negativamente a cores,
odores, sabores, texturas, distâncias, tamanhos. O mundo é percebido
qualitativamente, efectivamente e valorativamente. Quando percebemos uma
outra pessoa, por exemplo, não temos uma coleção de sensações que nos
dariam as partes isoladas de seu corpo, mas percebemo-la como tendo uma
fisionomia (agradável ou desagradável, bela ou feia, serena ou agitada, sadia
ou doentia, sedutora ou repelente) e por essa percepção definimos o nosso
modo de relação com ela;
● a percepção envolve nossa vida social, isto é, os significados e os valores
das coisas percebidas decorrem de nossa sociedade e do modo como nela as
coisas e as pessoas recebem sentido, valor ou função. Assim, objectos que
para nossa sociedade não causam temor, podem causar numa outra
sociedade. Por exemplo, na nossa sociedade, um espelho ou uma fotografia
são objectos funcionais ou artísticos, meios de nos vermos em imagem; no
entanto, para muitas sociedades indígenas, ver a imagem de alguém ou a sua
própria é ver a alma desse alguém e fazê-lo perder a identidade e a vida, de
modo que a percepção de um espelho ou de uma fotografia pode ser uma
percepção apavorante;
● a percepção oferece-nos um acesso ao mundo dos objetos práticos e
instrumentais, isto é, orienta-nos para a acção quotidiana e para as acções
técnicas mais simples;
● a percepção está sujeita a uma forma especial de erro: a ilusão.




http://br.geocities.com/mcrost02/convite_a_filosofia_16.htm




                                                                            2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Interação social e papéis sociais
Interação social e papéis sociaisInteração social e papéis sociais
Interação social e papéis sociais
 
Memória - Psicologia
Memória - PsicologiaMemória - Psicologia
Memória - Psicologia
 
Psicologia - a mente, as emoções e a conação
Psicologia - a mente, as emoções e a conaçãoPsicologia - a mente, as emoções e a conação
Psicologia - a mente, as emoções e a conação
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 
Ppt tipos texto[1]
Ppt tipos texto[1]Ppt tipos texto[1]
Ppt tipos texto[1]
 
Psicofísica
Psicofísica  Psicofísica
Psicofísica
 
Psicologia: cérebro
Psicologia: cérebroPsicologia: cérebro
Psicologia: cérebro
 
Cerebro
Cerebro Cerebro
Cerebro
 
CFQ: Massa vs peso
CFQ: Massa vs pesoCFQ: Massa vs peso
CFQ: Massa vs peso
 
Desporto para-o-lazer
Desporto para-o-lazerDesporto para-o-lazer
Desporto para-o-lazer
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 
Actos ilocutorios.ppsx
Actos ilocutorios.ppsxActos ilocutorios.ppsx
Actos ilocutorios.ppsx
 
Tipos de paisagens
Tipos de paisagensTipos de paisagens
Tipos de paisagens
 
Relações Interpessoais 2
Relações Interpessoais 2Relações Interpessoais 2
Relações Interpessoais 2
 
Guerra Colonial Portuguesa
Guerra Colonial PortuguesaGuerra Colonial Portuguesa
Guerra Colonial Portuguesa
 
A CONAÇÃO
A CONAÇÃOA CONAÇÃO
A CONAÇÃO
 
Atitudes - Psicologia
Atitudes - PsicologiaAtitudes - Psicologia
Atitudes - Psicologia
 
Cérebro
CérebroCérebro
Cérebro
 
Piaget e o desenvolvimento cognitivo
Piaget e o desenvolvimento cognitivoPiaget e o desenvolvimento cognitivo
Piaget e o desenvolvimento cognitivo
 

Destaque

Imagem e percepcao de marcas de moda
Imagem e percepcao de marcas de modaImagem e percepcao de marcas de moda
Imagem e percepcao de marcas de modaMarcelo Anjos
 
O modo com as palavras nos afectam
O modo com as palavras nos afectamO modo com as palavras nos afectam
O modo com as palavras nos afectamMarcelo Anjos
 
Definicao de inteligencia
Definicao de inteligenciaDefinicao de inteligencia
Definicao de inteligenciaMarcelo Anjos
 
Tipos e momentos de memoria
Tipos e momentos de memoriaTipos e momentos de memoria
Tipos e momentos de memoriaMarcelo Anjos
 
Teorias da motivação
Teorias da motivaçãoTeorias da motivação
Teorias da motivaçãoMarcelo Anjos
 
Ficha de trabalho [afectos, emocoes e sentimentos]
  Ficha de trabalho  [afectos, emocoes e sentimentos]  Ficha de trabalho  [afectos, emocoes e sentimentos]
Ficha de trabalho [afectos, emocoes e sentimentos]Marcelo Anjos
 
Frustraçao e conflito
Frustraçao e conflitoFrustraçao e conflito
Frustraçao e conflitoMarcelo Anjos
 
Percepção e auto estima
Percepção e auto estimaPercepção e auto estima
Percepção e auto estimaMarcelo Anjos
 
Inteligencia varias concepcoes
Inteligencia   varias concepcoesInteligencia   varias concepcoes
Inteligencia varias concepcoesMarcelo Anjos
 
Inteligência sintese do essencial
Inteligência   sintese do essencialInteligência   sintese do essencial
Inteligência sintese do essencialMarcelo Anjos
 
Inteligência emocional
Inteligência emocionalInteligência emocional
Inteligência emocionalMarcelo Anjos
 
O processo preceptivo e cognitivo esquema
O processo preceptivo e cognitivo   esquemaO processo preceptivo e cognitivo   esquema
O processo preceptivo e cognitivo esquemaMarcelo Anjos
 
Inteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionais
Inteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionaisInteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionais
Inteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionaisCatarinaNeivas
 
Estrutura familiar e dinamica social módulo 3 - psicologia e sociologia
Estrutura familiar e dinamica social   módulo 3 - psicologia e sociologiaEstrutura familiar e dinamica social   módulo 3 - psicologia e sociologia
Estrutura familiar e dinamica social módulo 3 - psicologia e sociologiaArnaldo Parente
 
Conceito motivacional e_ciclo_motivacional
Conceito motivacional e_ciclo_motivacionalConceito motivacional e_ciclo_motivacional
Conceito motivacional e_ciclo_motivacionalLorredana Pereira
 
Apresentação percepção
Apresentação percepçãoApresentação percepção
Apresentação percepçãoMariana Rezende
 

Destaque (20)

Imagem e percepcao de marcas de moda
Imagem e percepcao de marcas de modaImagem e percepcao de marcas de moda
Imagem e percepcao de marcas de moda
 
O modo com as palavras nos afectam
O modo com as palavras nos afectamO modo com as palavras nos afectam
O modo com as palavras nos afectam
 
Definicao de inteligencia
Definicao de inteligenciaDefinicao de inteligencia
Definicao de inteligencia
 
Ilusao de optica
Ilusao de opticaIlusao de optica
Ilusao de optica
 
A memoria
A memoriaA memoria
A memoria
 
Tipos e momentos de memoria
Tipos e momentos de memoriaTipos e momentos de memoria
Tipos e momentos de memoria
 
Teorias da motivação
Teorias da motivaçãoTeorias da motivação
Teorias da motivação
 
Ficha de trabalho [afectos, emocoes e sentimentos]
  Ficha de trabalho  [afectos, emocoes e sentimentos]  Ficha de trabalho  [afectos, emocoes e sentimentos]
Ficha de trabalho [afectos, emocoes e sentimentos]
 
Frustraçao e conflito
Frustraçao e conflitoFrustraçao e conflito
Frustraçao e conflito
 
Percepção e auto estima
Percepção e auto estimaPercepção e auto estima
Percepção e auto estima
 
Inteligencia varias concepcoes
Inteligencia   varias concepcoesInteligencia   varias concepcoes
Inteligencia varias concepcoes
 
Inteligência sintese do essencial
Inteligência   sintese do essencialInteligência   sintese do essencial
Inteligência sintese do essencial
 
Inteligência emocional
Inteligência emocionalInteligência emocional
Inteligência emocional
 
Teste perceptivo
Teste perceptivoTeste perceptivo
Teste perceptivo
 
Conceito motivaçao
Conceito motivaçaoConceito motivaçao
Conceito motivaçao
 
O processo preceptivo e cognitivo esquema
O processo preceptivo e cognitivo   esquemaO processo preceptivo e cognitivo   esquema
O processo preceptivo e cognitivo esquema
 
Inteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionais
Inteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionaisInteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionais
Inteligência - Processos cognitivos, emocionais e motivacionais
 
Estrutura familiar e dinamica social módulo 3 - psicologia e sociologia
Estrutura familiar e dinamica social   módulo 3 - psicologia e sociologiaEstrutura familiar e dinamica social   módulo 3 - psicologia e sociologia
Estrutura familiar e dinamica social módulo 3 - psicologia e sociologia
 
Conceito motivacional e_ciclo_motivacional
Conceito motivacional e_ciclo_motivacionalConceito motivacional e_ciclo_motivacional
Conceito motivacional e_ciclo_motivacional
 
Apresentação percepção
Apresentação percepçãoApresentação percepção
Apresentação percepção
 

Semelhante a O processo perceptivo caracteristicas principais

A percepção da paisagem
A percepção da paisagemA percepção da paisagem
A percepção da paisagemMatheus Acosta
 
Elementos para uma_teoria_da_paisagem[1]
Elementos para uma_teoria_da_paisagem[1]Elementos para uma_teoria_da_paisagem[1]
Elementos para uma_teoria_da_paisagem[1]Miguel Reis
 
A Abordagem Integral
A Abordagem IntegralA Abordagem Integral
A Abordagem IntegralGuga Casari
 
Cap 14 homem-animal
Cap 14  homem-animalCap 14  homem-animal
Cap 14 homem-animalJoao Balbi
 
Afetividade e desempenho acadêmico
Afetividade e desempenho acadêmicoAfetividade e desempenho acadêmico
Afetividade e desempenho acadêmicoUNICEP
 
Dimensão da Práxis, as dimensões da vida humana
Dimensão da Práxis, as dimensões da vida humanaDimensão da Práxis, as dimensões da vida humana
Dimensão da Práxis, as dimensões da vida humanaEulerLousada1
 
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDODESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDOFlávia Gonzales Correia
 
O que é a "Consciência"?
O que é a "Consciência"?O que é a "Consciência"?
O que é a "Consciência"?Layanne Dias
 
Seminário percepção
Seminário   percepçãoSeminário   percepção
Seminário percepçãoItala Daniella
 
Curso introdu o_educa_o__77366 (1)
Curso introdu o_educa_o__77366 (1)Curso introdu o_educa_o__77366 (1)
Curso introdu o_educa_o__77366 (1)julianabtu2017
 
LeandroFerreiraBarbosa Ser-no-mundo
LeandroFerreiraBarbosa Ser-no-mundoLeandroFerreiraBarbosa Ser-no-mundo
LeandroFerreiraBarbosa Ser-no-mundoLeandro Barbosa
 
Jiddu Krishnamurti - A Luz Que Não se Apaga.pdf
Jiddu Krishnamurti - A Luz Que Não se Apaga.pdfJiddu Krishnamurti - A Luz Que Não se Apaga.pdf
Jiddu Krishnamurti - A Luz Que Não se Apaga.pdfHubertoRohden2
 
O trabalho psicopedagógico à luz da psicomotricidade
O trabalho psicopedagógico à luz da psicomotricidadeO trabalho psicopedagógico à luz da psicomotricidade
O trabalho psicopedagógico à luz da psicomotricidadeCaminhos do Autismo
 
Apostila de filosofia senac 2012
Apostila de filosofia senac 2012Apostila de filosofia senac 2012
Apostila de filosofia senac 2012LuizfmRamos
 

Semelhante a O processo perceptivo caracteristicas principais (20)

Pa
PaPa
Pa
 
A percepção da paisagem
A percepção da paisagemA percepção da paisagem
A percepção da paisagem
 
Elementos para uma_teoria_da_paisagem[1]
Elementos para uma_teoria_da_paisagem[1]Elementos para uma_teoria_da_paisagem[1]
Elementos para uma_teoria_da_paisagem[1]
 
A Abordagem Integral
A Abordagem IntegralA Abordagem Integral
A Abordagem Integral
 
Cap 14 homem-animal
Cap 14  homem-animalCap 14  homem-animal
Cap 14 homem-animal
 
Afetividade e desempenho acadêmico
Afetividade e desempenho acadêmicoAfetividade e desempenho acadêmico
Afetividade e desempenho acadêmico
 
Dimensão da Práxis, as dimensões da vida humana
Dimensão da Práxis, as dimensões da vida humanaDimensão da Práxis, as dimensões da vida humana
Dimensão da Práxis, as dimensões da vida humana
 
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDODESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
 
Filosofia123455677
Filosofia123455677Filosofia123455677
Filosofia123455677
 
O que é a "Consciência"?
O que é a "Consciência"?O que é a "Consciência"?
O que é a "Consciência"?
 
Analise Semiotica
Analise SemioticaAnalise Semiotica
Analise Semiotica
 
Seminário percepção
Seminário   percepçãoSeminário   percepção
Seminário percepção
 
Curso introdu o_educa_o__77366 (1)
Curso introdu o_educa_o__77366 (1)Curso introdu o_educa_o__77366 (1)
Curso introdu o_educa_o__77366 (1)
 
LeandroFerreiraBarbosa Ser-no-mundo
LeandroFerreiraBarbosa Ser-no-mundoLeandroFerreiraBarbosa Ser-no-mundo
LeandroFerreiraBarbosa Ser-no-mundo
 
Entendendo a arte
Entendendo a arteEntendendo a arte
Entendendo a arte
 
Jiddu Krishnamurti - A Luz Que Não se Apaga.pdf
Jiddu Krishnamurti - A Luz Que Não se Apaga.pdfJiddu Krishnamurti - A Luz Que Não se Apaga.pdf
Jiddu Krishnamurti - A Luz Que Não se Apaga.pdf
 
Personalidade
PersonalidadePersonalidade
Personalidade
 
Aula conceitos 2011
Aula conceitos   2011Aula conceitos   2011
Aula conceitos 2011
 
O trabalho psicopedagógico à luz da psicomotricidade
O trabalho psicopedagógico à luz da psicomotricidadeO trabalho psicopedagógico à luz da psicomotricidade
O trabalho psicopedagógico à luz da psicomotricidade
 
Apostila de filosofia senac 2012
Apostila de filosofia senac 2012Apostila de filosofia senac 2012
Apostila de filosofia senac 2012
 

Mais de Marcelo Anjos

Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoaisMarcelo Anjos
 
Processos relacionais e grupais roteiro
Processos relacionais e grupais   roteiroProcessos relacionais e grupais   roteiro
Processos relacionais e grupais roteiroMarcelo Anjos
 
Os processos fundamentais de cognição social
Os processos fundamentais de cognição socialOs processos fundamentais de cognição social
Os processos fundamentais de cognição socialMarcelo Anjos
 
O que é a inteligência emocional
O que é a inteligência emocionalO que é a inteligência emocional
O que é a inteligência emocionalMarcelo Anjos
 
Formação e mudança de atitudes
Formação e mudança de atitudesFormação e mudança de atitudes
Formação e mudança de atitudesMarcelo Anjos
 
Dossier interactivo inovação e desenvolvimento organizacional
Dossier interactivo   inovação e desenvolvimento organizacionalDossier interactivo   inovação e desenvolvimento organizacional
Dossier interactivo inovação e desenvolvimento organizacionalMarcelo Anjos
 
Competências e princípios de desempenho profissional
Competências e princípios de desempenho profissionalCompetências e princípios de desempenho profissional
Competências e princípios de desempenho profissionalMarcelo Anjos
 
Como se constrói e desenvolve a identidade social
Como se constrói e desenvolve a identidade socialComo se constrói e desenvolve a identidade social
Como se constrói e desenvolve a identidade socialMarcelo Anjos
 
Atitudes e comportamentos (ficha)
Atitudes e comportamentos (ficha)Atitudes e comportamentos (ficha)
Atitudes e comportamentos (ficha)Marcelo Anjos
 
As relações interpessoais questões chave
As relações interpessoais   questões chaveAs relações interpessoais   questões chave
As relações interpessoais questões chaveMarcelo Anjos
 
Aptidões e capaciades (ficha)
Aptidões e capaciades (ficha)Aptidões e capaciades (ficha)
Aptidões e capaciades (ficha)Marcelo Anjos
 
A comunicação interpessoal
A comunicação interpessoalA comunicação interpessoal
A comunicação interpessoalMarcelo Anjos
 
A categorização impressões, expectativas, estereótipos
A  categorização   impressões, expectativas, estereótiposA  categorização   impressões, expectativas, estereótipos
A categorização impressões, expectativas, estereótiposMarcelo Anjos
 
Maslow e teoria da auto realização
Maslow e teoria da auto realizaçãoMaslow e teoria da auto realização
Maslow e teoria da auto realizaçãoMarcelo Anjos
 

Mais de Marcelo Anjos (18)

Relações interpessoais
Relações interpessoaisRelações interpessoais
Relações interpessoais
 
Processos relacionais e grupais roteiro
Processos relacionais e grupais   roteiroProcessos relacionais e grupais   roteiro
Processos relacionais e grupais roteiro
 
Qualidades pessoais
Qualidades pessoaisQualidades pessoais
Qualidades pessoais
 
Os processos fundamentais de cognição social
Os processos fundamentais de cognição socialOs processos fundamentais de cognição social
Os processos fundamentais de cognição social
 
O que é a inteligência emocional
O que é a inteligência emocionalO que é a inteligência emocional
O que é a inteligência emocional
 
Influência social
Influência socialInfluência social
Influência social
 
Formação e mudança de atitudes
Formação e mudança de atitudesFormação e mudança de atitudes
Formação e mudança de atitudes
 
Dossier interactivo inovação e desenvolvimento organizacional
Dossier interactivo   inovação e desenvolvimento organizacionalDossier interactivo   inovação e desenvolvimento organizacional
Dossier interactivo inovação e desenvolvimento organizacional
 
Competências e princípios de desempenho profissional
Competências e princípios de desempenho profissionalCompetências e princípios de desempenho profissional
Competências e princípios de desempenho profissional
 
Como se constrói e desenvolve a identidade social
Como se constrói e desenvolve a identidade socialComo se constrói e desenvolve a identidade social
Como se constrói e desenvolve a identidade social
 
Cognição social
Cognição socialCognição social
Cognição social
 
Atitudes e comportamentos (ficha)
Atitudes e comportamentos (ficha)Atitudes e comportamentos (ficha)
Atitudes e comportamentos (ficha)
 
As relações interpessoais questões chave
As relações interpessoais   questões chaveAs relações interpessoais   questões chave
As relações interpessoais questões chave
 
Aptidões e capaciades (ficha)
Aptidões e capaciades (ficha)Aptidões e capaciades (ficha)
Aptidões e capaciades (ficha)
 
A comunicação interpessoal
A comunicação interpessoalA comunicação interpessoal
A comunicação interpessoal
 
A categorização impressões, expectativas, estereótipos
A  categorização   impressões, expectativas, estereótiposA  categorização   impressões, expectativas, estereótipos
A categorização impressões, expectativas, estereótipos
 
1.assertividade
1.assertividade1.assertividade
1.assertividade
 
Maslow e teoria da auto realização
Maslow e teoria da auto realizaçãoMaslow e teoria da auto realização
Maslow e teoria da auto realização
 

O processo perceptivo caracteristicas principais

  • 1. Psicologia A A Percepção permite dar sentido ao mundo O que é a percepção A percepção possui as seguintes características: ● é o conhecimento sensorial de configurações ou de totalidades organizadas e dotadas de sentido e não uma soma de sensações elementares; sensação e percepção são a mesma coisa; ● é o conhecimento de um sujeito corporal, isto é, uma vivência corporal, de modo que a situação de nosso corpo e as condições de nosso corpo são tão importantes quanto a situação e as condições dos objetos percebidos; ● é sempre uma experiência dotada de significação, isto é, o percebido é dotado de sentido e tem sentido em nossa história de vida, fazendo parte do nosso mundo e das nossas vivências; ● o próprio mundo exterior não é uma coleção ou uma soma de coisas isoladas, mas está organizado em formas e estruturas complexas dotadas de sentido. Uma paisagem, por exemplo, não é uma soma de coisas que estão apenas próximas umas das outras, mas é a percepção de coisas que formam um todo complexo e com sentido: o vale só é vale por causa da montanha, cuja altura e distância só podem ser avaliadas porque há o céu, as árvores, um rio e um caminho; o verde do vale só pode ser percebido por contraste com o cinza ou o dourado da montanha; o azul do céu só pode ser percebido por causa do verde da vegetação e o castanho da terra; essa paisagem será um espetáculo de contemplação se o sujeito da percepção estiver repousado, mas será um objeto digno de ser visto por outros se o sujeito da percepção for um pintor, ou será um obstáculo, se o sujeito da percepção for um viajante que descobre que precisa de ultrapassar a montanha. Em resumo: na percepção, o mundo possui forma e sentido e ambos são inseparáveis do sujeito da percepção; ● a percepção é assim uma relação do sujeito com o mundo exterior e não uma reação físico-fisiológica de um sujeito físico-fisiológico a um conjunto de estímulos externos (como suporia o empirista), nem uma ideia formulada pelo sujeito (como suporia o intelectualista). A relação dá sentido ao percebido e ao percebedor, e um não existe sem o outro; ● O mundo percebido é qualitativo, significativo, estruturado e estamos nele como sujeitos activos, isto é, damos às coisas percebidas novos sentidos e novos valores, pois as coisas fazem parte de nossas vidas e interagimos com o mundo; ● o mundo percebido é um mundo intercorporal, isto é, as relações estabelecem-se entre o nosso corpo, os corpos dos outros sujeitos e os corpos 1
  • 2. das coisas, de modo que a percepção é uma forma de comunicação que estabelecemos com os outros e com as coisas; ● a percepção depende das coisas e de nosso corpo, depende do mundo e dos nossos sentidos, depende do exterior e do interior, e por isso é mais adequado falar em campo perceptivo para indicar que se trata de uma relação complexa entre o corpo-sujeito e os corpos-objectos num campo de significações visuais, tácteis, olfativas, gustativas, sonoras, motrizes, espaciais, temporais e lingüísticas. A percepção é uma conduta vital, uma comunicação, uma interpretação e uma valoração do mundo, a partir da estrutura de relações entre nosso corpo e o mundo; ● a percepção envolve toda a nossa personalidade, a nossa história pessoal, a nossa afectividade, os nossos desejos e paixões, isto é, a percepção é uma maneira fundamental de os seres humanos estarem no mundo. Percebemos as coisas e os outros de modo positivo ou negativo, percebemos as coisas como instrumentos ou como valores, reagimos positiva ou negativamente a cores, odores, sabores, texturas, distâncias, tamanhos. O mundo é percebido qualitativamente, efectivamente e valorativamente. Quando percebemos uma outra pessoa, por exemplo, não temos uma coleção de sensações que nos dariam as partes isoladas de seu corpo, mas percebemo-la como tendo uma fisionomia (agradável ou desagradável, bela ou feia, serena ou agitada, sadia ou doentia, sedutora ou repelente) e por essa percepção definimos o nosso modo de relação com ela; ● a percepção envolve nossa vida social, isto é, os significados e os valores das coisas percebidas decorrem de nossa sociedade e do modo como nela as coisas e as pessoas recebem sentido, valor ou função. Assim, objectos que para nossa sociedade não causam temor, podem causar numa outra sociedade. Por exemplo, na nossa sociedade, um espelho ou uma fotografia são objectos funcionais ou artísticos, meios de nos vermos em imagem; no entanto, para muitas sociedades indígenas, ver a imagem de alguém ou a sua própria é ver a alma desse alguém e fazê-lo perder a identidade e a vida, de modo que a percepção de um espelho ou de uma fotografia pode ser uma percepção apavorante; ● a percepção oferece-nos um acesso ao mundo dos objetos práticos e instrumentais, isto é, orienta-nos para a acção quotidiana e para as acções técnicas mais simples; ● a percepção está sujeita a uma forma especial de erro: a ilusão. http://br.geocities.com/mcrost02/convite_a_filosofia_16.htm 2