Amor sh

336 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
336
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Amor sh

  1. 1. FUNDAMENTAÇÃO nos estudos:FUNDAMENTAÇÃO nos estudos: ““O Evangelho segundo o Espiritismo”O Evangelho segundo o Espiritismo” Introdução, Cap. XI, XII, XV”Introdução, Cap. XI, XII, XV” e “O Livro dos Espíritos q.887, 888.e “O Livro dos Espíritos q.887, 888. ““AMOR = FORÇA ESPIRITUAL”AMOR = FORÇA ESPIRITUAL”
  2. 2. Objetivo Divulgar o que é o verdadeiro Amor e quais seus benefícios. “AMOR = FORÇA ESPIRITUAL”
  3. 3.  IntroduçãoIntrodução  Conceito de Amor:Conceito de Amor: – Auto amorAuto amor – Amar ao próximo como a si mesmoAmar ao próximo como a si mesmo – Amar aos inimigosAmar aos inimigos  (Por que?)(Por que?)  Benefícios do AmorBenefícios do Amor SumárioSumário
  4. 4.  O MAIOR MANDAMENTO  4. ... O maior mandamento segundo o próprio Mestre “Jesus” é:  “Amareis o Senhor vosso Deus de todo vosso coração, de toda alma e de todo vosso espírito, acima de todas as coisas”.  E o segundo, que é semelhante a este: “Amareis vosso próximo como a vós mesmos.”  Toda a lei e os profetas estão contidos nesses dois mandamentos. (São Mateus, cap. XXII v.34 a 40) Cap. XV – Fora da caridade não há salvaçãoCap. XV – Fora da caridade não há salvação Obs: algumas traduções bíblicas trocam caridade por amor.
  5. 5. 888.Que se deve pensar da esmola?Que se deve pensar da esmola? R: ...R: ... “Amai-vos uns aos outros, eis toda“Amai-vos uns aos outros, eis toda a lei, lei divina, mediante a qual governaa lei, lei divina, mediante a qual governa Deus os mundos. O amor é a lei deDeus os mundos. O amor é a lei de atração para os seres vivos e organizados.atração para os seres vivos e organizados. A atração é a lei de amor para a matériaA atração é a lei de amor para a matéria inorgânica.inorgânica. Do Livro dos espíritos:Do Livro dos espíritos:
  6. 6. IMPORTÂNCIA DO AMOR:IMPORTÂNCIA DO AMOR: Auto amor = Auto curaAuto amor = Auto cura DIVALDO FRANCODIVALDO FRANCO  Vídeo Parte 3 1.3 até +- 2:36...
  7. 7. O mandamento maior.O mandamento maior. 4. “Amar o próximo como a si mesmo: fazer4. “Amar o próximo como a si mesmo: fazer pelos outros o que quereríamos que os outrospelos outros o que quereríamos que os outros fizessem por nós”, é a expressão mais completafizessem por nós”, é a expressão mais completa da caridade, porque resume todos os deveresda caridade, porque resume todos os deveres do homem para com o próximo. ... devemosdo homem para com o próximo. ... devemos fazer aos outros, aquilo que para nósfazer aos outros, aquilo que para nós desejamos.desejamos. A prática dessas máximas tende à destruiçãoA prática dessas máximas tende à destruição do egoísmo.do egoísmo. Capítulo XI – Amar o próximo como a sí mesmoCapítulo XI – Amar o próximo como a sí mesmo
  8. 8.  Instruções dos Espíritos = A lei de amorInstruções dos Espíritos = A lei de amor 8.8. ... o homem sem evolução, só tem instintos;... o homem sem evolução, só tem instintos; só tem sensações...; mas quando instruído esó tem sensações...; mas quando instruído e depurado, temdepurado, tem sentimentossentimentos. E o ponto. E o ponto delicado do sentimento é o amor,delicado do sentimento é o amor, não o amornão o amor no sentido vulgar do termono sentido vulgar do termo, mas esse sol, mas esse sol interior que condensa e reúne em seu ardenteinterior que condensa e reúne em seu ardente foco todas as aspirações e revelações sobre-foco todas as aspirações e revelações sobre- humanas...humanas... Enquanto um nos aproxima do alto, outro nosEnquanto um nos aproxima do alto, outro nos “atrai” para cá ...“atrai” para cá ... O amor resume a doutrina de Jesus inteira,O amor resume a doutrina de Jesus inteira, visto que esse é o sentimento por excelência,visto que esse é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados àe os sentimentos são os instintos elevados à Capítulo XI – Amar o próximo como a sí mesmoCapítulo XI – Amar o próximo como a sí mesmo
  9. 9.  Instruções dos Espíritos = A lei de amorInstruções dos Espíritos = A lei de amor ... A lei de amor substitui a personalidade pela... A lei de amor substitui a personalidade pela fusão dos seres; extingue as misérias sociais.fusão dos seres; extingue as misérias sociais. Ditoso aquele que, ultrapassando a suaDitoso aquele que, ultrapassando a sua humanidade,humanidade, ama com “amplo amor”ama com “amplo amor” os seusos seus irmãos em sofrimento! Ditoso aquele queirmãos em sofrimento! Ditoso aquele que ama, pois não conhece a miséria da alma,ama, pois não conhece a miséria da alma, nem a do corpo. Tem ligeiros os pés e vivenem a do corpo. Tem ligeiros os pés e vive como que transportado, fora de si mesmo. ...como que transportado, fora de si mesmo. ...  9. O amor é de essência divina e todos vós,9. O amor é de essência divina e todos vós, do primeiro ao último, tendes, no fundo dodo primeiro ao último, tendes, no fundo do coração, a centelha desse fogo sagrado.coração, a centelha desse fogo sagrado. Capítulo XI – Amar o próximo como a sí mesmoCapítulo XI – Amar o próximo como a sí mesmo
  10. 10.  Os efeitos da lei de amor são o melhoramentoOs efeitos da lei de amor são o melhoramento moral da raça humana e amoral da raça humana e a felicidade durante afelicidade durante a vida terrestrevida terrestre.. Os mais rebeldes e os maisOs mais rebeldes e os mais viciosos se reformarão, quando observaremviciosos se reformarão, quando observarem os benefícios resultantes da prática desteos benefícios resultantes da prática deste preceitopreceito: Não façais aos outros o que não: Não façais aos outros o que não quiserdes que vos façam; fazei- lhes, aoquiserdes que vos façam; fazei- lhes, ao contrário, todo o bem que vos esteja aocontrário, todo o bem que vos esteja ao Capítulo XI – Amar o próximo como a sí mesmoCapítulo XI – Amar o próximo como a sí mesmo
  11. 11. IMPORTÂNCIA DO AMOR:IMPORTÂNCIA DO AMOR: AMORTERAPIA – DIVALDO FRANCOAMORTERAPIA – DIVALDO FRANCO  Sentindo “Amor”, estimulamos os “linfócitos”, o aparelho imunológico... Realizamos a “Auto cura”... Vídeo Parte 2 1.2 desde 4:45 até 07:.35 e depois de 07:59 até 09:28
  12. 12. Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem 3. Se o3. Se o amor do próximo constitui o princípio daamor do próximo constitui o princípio da caridadecaridade,, amar os inimigos é a mais sublimeamar os inimigos é a mais sublime aplicação desse princípioaplicação desse princípio, porquanto a posse de, porquanto a posse de tal virtude representa uma dastal virtude representa uma das maiores vitóriasmaiores vitórias alcançadas contra o egoísmo e o orgulhoalcançadas contra o egoísmo e o orgulho.. Entretanto, há geralmenteEntretanto, há geralmente equívoco no tocanteequívoco no tocante ao sentido da palavraao sentido da palavra amaramar. Não pretendeu. Não pretendeu Jesus, assim falando, que cada um de nós tenhaJesus, assim falando, que cada um de nós tenha para com o seu inimigo a ternura que dispensa apara com o seu inimigo a ternura que dispensa a um irmão ou amigo.um irmão ou amigo. Capítulo XII – Amai os vossos inimigosCapítulo XII – Amai os vossos inimigos
  13. 13. Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem ... A ternura pressupõe confiança; ora, ninguém... A ternura pressupõe confiança; ora, ninguém pode depositar confiança numa pessoa, sabendopode depositar confiança numa pessoa, sabendo que esta lhe quer mal; ninguém pode ter paraque esta lhe quer mal; ninguém pode ter para com ela expansões de amizade, sabendo-acom ela expansões de amizade, sabendo-a capaz de abusar dessa atitude.capaz de abusar dessa atitude. ... Enfim, ninguém pode sentir, em estar com... Enfim, ninguém pode sentir, em estar com um inimigo, prazer igual ao que sente naum inimigo, prazer igual ao que sente na companhia de um amigo.companhia de um amigo. Capítulo XII – Amai os vossos inimigosCapítulo XII – Amai os vossos inimigos
  14. 14. Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem AA diversidade na maneira de sentirdiversidade na maneira de sentir, nessas, nessas duas circunstâncias diferentes, resulta mesmoduas circunstâncias diferentes, resulta mesmo de umade uma lei físicalei física: a da assimilação e da repulsão: a da assimilação e da repulsão dos fluidos.dos fluidos. O pensamento malévolo determina umaO pensamento malévolo determina uma corrente fluídica que impressiona penosamente.corrente fluídica que impressiona penosamente. O pensamento benévolo nos envolve numO pensamento benévolo nos envolve num agradável eflúvio.agradável eflúvio. Daí a diferença das sensaçõesDaí a diferença das sensações que se experimenta à aproximação de um amigoque se experimenta à aproximação de um amigo ou de um inimigoou de um inimigo.. Capítulo XII – Amai os vossos inimigosCapítulo XII – Amai os vossos inimigos
  15. 15.  Uma vez que a pobreza da linguagemUma vez que a pobreza da linguagem humana obriga a que nos sirvamos do mesmohumana obriga a que nos sirvamos do mesmo termo para exprimir matizes diversos de umtermo para exprimir matizes diversos de um sentimento, à razão cabe estabelecer assentimento, à razão cabe estabelecer as diferenças, conforme os casos.diferenças, conforme os casos.  Amar os inimigos não é, portanto, ter-lhesAmar os inimigos não é, portanto, ter-lhes uma afeição que não está na natureza, ...uma afeição que não está na natureza, ... Capítulo XII – Amai os vossos inimigosCapítulo XII – Amai os vossos inimigos
  16. 16.  ...... Amar os inimigos éAmar os inimigos é não lhes guardarnão lhes guardar ódio, nem rancor, nem desejos de vingança; éódio, nem rancor, nem desejos de vingança; é perdoar-lhes,perdoar-lhes, sem pensamento oculto e semsem pensamento oculto e sem condiçõescondições, o mal que nos causem; é não opor, o mal que nos causem; é não opor nenhum obstáculo à reconciliação com eles; énenhum obstáculo à reconciliação com eles; é desejar-lhes o bem; é socorrê-los,desejar-lhes o bem; é socorrê-los, apresentando-se ocasião; é abster-se,apresentando-se ocasião; é abster-se, querquer por palavras, quer por atospor palavras, quer por atos, de tudo o que os, de tudo o que os possa prejudicar;possa prejudicar; é, finalmente, retribuir-lhesé, finalmente, retribuir-lhes sempre o mal com o bemsempre o mal com o bem...... Capítulo XII – Amai os vossos inimigosCapítulo XII – Amai os vossos inimigos
  17. 17. Mas por que amar os inimigos ???Mas por que amar os inimigos ??? 4. Amar os inimigos é, para o incrédulo, um4. Amar os inimigos é, para o incrédulo, um contrassenso, aquele para quem a vidacontrassenso, aquele para quem a vida presente é tudo, vê no seu inimigo um serpresente é tudo, vê no seu inimigo um ser nocivo, que lhe perturba o repouso e do qualnocivo, que lhe perturba o repouso e do qual unicamente a morte, pensa ele, o pode livrar.unicamente a morte, pensa ele, o pode livrar. Daí, o desejo de vingar-se. Nenhum interesseDaí, o desejo de vingar-se. Nenhum interesse tem em perdoar, senão para satisfazer o seutem em perdoar, senão para satisfazer o seu orgulho perante o mundo. Em certos casos,orgulho perante o mundo. Em certos casos, perdoar- lhe parece mesmo uma fraqueza.perdoar- lhe parece mesmo uma fraqueza. ... Enquanto que o ódio e a vingança nos torna... Enquanto que o ódio e a vingança nos torna reféns daqueles a quem perseguimos ...reféns daqueles a quem perseguimos ... Capítulo XII – Amai os vossos inimigosCapítulo XII – Amai os vossos inimigos
  18. 18. Mas por que amar os inimigos ???Mas por que amar os inimigos ??? Para o crente e, sobretudo, para o espírita, muitoPara o crente e, sobretudo, para o espírita, muito diversa é a maneira de ver, porque suas vistas sediversa é a maneira de ver, porque suas vistas se lançam sobre o passado e sobre o futuro, entre osançam sobre o passado e sobre o futuro, entre os quais a vida atual não passa de um simples ponto.quais a vida atual não passa de um simples ponto. Sabe ele que, pela mesma destinação da Terra,Sabe ele que, pela mesma destinação da Terra, deve esperar topar aí com homens maus edeve esperar topar aí com homens maus e perversos; que as maldades com que se defrontaperversos; que as maldades com que se defronta fazem parte das provas que lhe cumpre suportar efazem parte das provas que lhe cumpre suportar e o elevado ponto de vista em que se coloca lheo elevado ponto de vista em que se coloca lhe torna menos amargas as vicissitudes, quertorna menos amargas as vicissitudes, quer advenham dos homens, quer das coisas.advenham dos homens, quer das coisas. Capítulo XII – Amai os vossos inimigosCapítulo XII – Amai os vossos inimigos
  19. 19. Mas por que amar os inimigos ???Mas por que amar os inimigos ??? Se não se queixa das provas, tampouco deveSe não se queixa das provas, tampouco deve queixar-se dos que lhe servem de instrumentoqueixar-se dos que lhe servem de instrumento.. Se, em vez de se queixar, agradece a Deus oSe, em vez de se queixar, agradece a Deus o experimentá-lo,experimentá-lo, deve também agradecer a mãodeve também agradecer a mão que lhe dá ensejo de demonstrar a suaque lhe dá ensejo de demonstrar a sua paciência e a sua resignaçãopaciência e a sua resignação. Esta ideia o. Esta ideia o dispõe naturalmente ao perdão.dispõe naturalmente ao perdão. Sente, que quanto mais generoso for, mais seSente, que quanto mais generoso for, mais se põe fora do alcance dos dardos do seu inimigo.põe fora do alcance dos dardos do seu inimigo. Capítulo XII – Amai os vossos inimigosCapítulo XII – Amai os vossos inimigos
  20. 20. Lembre-se:Lembre-se: O maior beneficiado com o amor é você mesmo !!!O maior beneficiado com o amor é você mesmo !!! Obrigado !!!Obrigado !!! Fiquem com DeusFiquem com Deus
  21. 21.  Nunca se buscou tanto sexo como na atualidade. São os jovens na constante troca de parceiros e são os casais na infidelidade conjugal. Perguntamos: o ser humano necessita tanto assim de amor? O sexo é realmente amor?  Divaldo: Não, o sexo é um fenômeno biológico de atração magnética, porque os animais o praticam e não se amam. O amor é um sentimento, o sexo é um veículo de sensações. Quando irrigado pelas superiores emoções do amor, ele ilumina a alma, sem o condimento santificante desta emoção, ele atormenta o Ser. SEXO É AMOR? - Divaldo Franco responde
  22. 22.  Ocorre que as grandes indústrias do sexo, a grande mídia, estimulam as sensações mais primitivas, para poderem vender prazer, atrapalhando de conduzi-lo às expressões superiores da vida. Mas, é natural.  Não está distante o dia que, o homem, saturado das sensações, buscará encontrar-se consigo mesmo, através das emoções superiores, nas quais o sexo tem um papel muito importante a desempenhar: a permuta (troca) de hormônios e o equilíbrio da vida.  E o adultério é coabitar (viver) com alguém e aventurar- se simultaneamente (ao mesmo tempo) com outrem. Não nos parece legal nem moral esse comportamento. SEXO É AMOR? - Divaldo Franco responde
  23. 23.  O divórcioO divórcio  5. O divórcio é lei humana que tem por objeto5. O divórcio é lei humana que tem por objeto separar legalmente o que já, de fato, está separado.separar legalmente o que já, de fato, está separado. Não é contrário à Lei de Deus, pois que apenasNão é contrário à Lei de Deus, pois que apenas reforma o que os homens hão feito e só é aplicávelreforma o que os homens hão feito e só é aplicável nos casos em que não se levou em conta a Leinos casos em que não se levou em conta a Lei divina. Se fosse contrário a essa lei, a própria Igrejadivina. Se fosse contrário a essa lei, a própria Igreja seria obrigada a considerar prevaricadores aquelesseria obrigada a considerar prevaricadores aqueles de seus chefes que, por autoridade própria e emde seus chefes que, por autoridade própria e em nome da religião, hão imposto o divórcio em mais denome da religião, hão imposto o divórcio em mais de uma ocasião. E dupla seria aí a prevaricação,uma ocasião. E dupla seria aí a prevaricação, porque, nesses casos, o divórcio há objetivadoporque, nesses casos, o divórcio há objetivado unicamente interesses materiais, e não a satisfaçãounicamente interesses materiais, e não a satisfação Capítulo XXII – Não separeis o que Deus juntouCapítulo XXII – Não separeis o que Deus juntou
  24. 24.  Saber ser surdoSaber ser surdo quando uma palavraquando uma palavra zombeteira se escapa de uma boca habituadazombeteira se escapa de uma boca habituada a escarnecer, também ea escarnecer, também e caridade moralcaridade moral;;

×