Teoria das Relações Humanas

60.605 visualizações

Publicada em

Publicada em: Estilo de vida
0 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
60.605
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.254
Comentários
0
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teoria das Relações Humanas

  1. 1. INTRODUÇÃO Á TEORIADAS RELAÇÕES HUMANAS Guidson Coelho Joslaine Cristina Mara Izidoro
  2. 2. INTRODUÇÃO Á TEORIA DASRELAÇÕES HUMANAS• Introdução • Abordagem Humanística • Objetivos • Autores influentes • Principais Origens da Teoria • Transição da Teoria Clássica para a Teoria Humanista• Desenvolvimento • Experiência de Hawthorne: Fases e Conclusões• Conclusão• Referências Bibliográficas
  3. 3. ABORDAGEM HUMANÍSTICAObjetivos de aprendizagem:Identificar as origens e o contexto no qual surgiu a Teoriadas Relações Humanas, deslocando a ênfase na estruturae nas tarefas para a ênfase nas pessoas.Mostrar a Experiência de Hawthorne e suas conclusões;Mostrar a preocupação psicológica e sociológica quantoà influência massificante da civilização industrial sobre oser humano e o papel da administração nesse aspecto.Identificar a concepção de Administração a partir de umanova concepção da natureza do ser humano: o homemsocial.
  4. 4. ABORDAGEM HUMANÍSTICA• É uma corrente administrativa que enfatiza as pessoas, os grupos e a organização informal e os grupos espontâneos existentes na organização.• Revolucionou a Teoria Administrativa.• Há uma migração dos aspectos técnicos e formais para os aspectos psicológicos e sociológicos.• Surgiu nos Estados Unidos na década de 1930, com o desenvolvimento das ciências sociais e em decorrência da Grande Depressão Econômica ocorrida nos anos de 1929, onde a busca da eficiência nas organizações, passou a ser intensificada.
  5. 5. PSICOLOGIA DO TRABALHO OU PSICOLOGIA INDUSTRIAL.Desenvolveu-se em duas etapas:•A análise do trabalho e adaptação do trabalhador aotrabalho (aspectos produtivos); Temas predominantes: seleção de pessoal, orientação profissional, treinamento e métodos de aprendizagem, fisiologia do trabalho e estudo dos acidentes e da fadiga.•A adaptação do trabalho ao trabalhador (aspectosindividuais e sociais); Temas predominantes: estudo da personalidade do trabalhador e do gerente, motivação e incentivos do trabalho, liderança, comunicações e relações interpessoais e sociais dentro da organização.
  6. 6. AUTORES INFLUENTES• Psicologia aplicada nas organizações e uso de testes de seleção de pessoal.• Obra: Psychologie und Wirtshatleben. Hugo Munsterberg (1863 - 1913)• Ordway Tead (1860 - 1933) – Liderança democrática na administração.• Obra: Human Nature and Management.
  7. 7. AUTORES INFLUENTESCorrente psicológica - Rejeição a qualquer fórmulauniversal ou única. Lei da situação que determina ocerto e o errado, promovendo a decisão em umprocesso com conhecimento de contexto desseprocesso. Obra: The New State. Mary Parker Follet (1868 - 1933)
  8. 8. AUTORES INFLUENTES Teoria da cooperação na organização. Superação das limitações pessoais através do trabalho conjunto. Obra: “As Funções do Executivo Chester Barnard (1886 - 1961)
  9. 9. PRECURSOR DA TEORIA DAS RELAÇÕESHUMANAS Elton George Mayo (1880 - 1949)Psicólogo industrial, australiano;Como resultados das pesquisas, desloca o foco deinteresse da administração da organização formalpara os grupos informais e suas inter-relações, com avalorização de incentivos não monetários(psicossociais).Obra: “The Social Problems of IndustrialCivilization” .
  10. 10. PRECURSOR DA TEORIA DAS RELAÇÕESHUMANAS• 1923 – realizou estudos sobre as causas da alta rotatividade de pessoal do departamento de fiação de uma empresa têxtil localizada perto de Filadélfia , acreditava que a solução dos problemas estava na mente e no corpo, que o aborrecimento conduz a pensamentos depressivos e a monotonia à fadiga.• Coordenou a experiência na fábrica de Hawthorne, da Western Eletric Company, realizada entre 1927 e 1932, que puseram em cheque os princípios postulados da Teoria Clássica da Administração .
  11. 11. COLABORADORES DE MAYO• John Dewey (1859- 1952) - filósofo,educador e psicólogo, criador de umapedagogia baseada no instrumentalismo,variedade do pragmatismo, que renovou o método de ensino nos EUA.• Kurt Lewin (1890 - 1947) –Aborda aspectos da Psicologia Dinâmica,tais como: problemas de interação social,papel de minorias sociais, estudos sobredinâmica de grupo, entre outros.
  12. 12. TEORIA DAS RELAÇÕES HUMANASTem suas origens nos seguintes fatos:•Necessidade de corrigir a desumanização dotrabalho com a aplicação de métodos científicos eprecisos.•Desenvolvimento das Ciências Sociais,principalmente a Psicologia, com o reconhecimentoda importância de revisar, criticar e reformular asbases da Teoria Clássica.•As ideias da filosofia pragmática de John Dewey eda psicologia dinâmica de Kurt Lewin.• A experiência de Hawthorne.
  13. 13. TRANSIÇÃO DA TEORIA CLÁSSICAPARA A TEORIA DAS RELAÇÕESHUMANAS
  14. 14. DESENVOLVIMENTO• A Experiência de Hawthorne
  15. 15. A EXPERIÊNCIA DE HAWTHORNE• Foi realizada no período de 1927 a 1932, em uma fábrica de telefones da empresa Western Electric Company, situada no bairro de Hawthorne, na cidade de Chicago.• A empresa queria identificar a influência dos fatores físicos/ambientais sobre a produtividade de seus trabalhadores;• A pesquisa foi conduzida por uma equipe da universidade de Harvard, chefiada por George Elton Mayo e patrocinada pelo Conselho Nacional de Pesquisas dos EUA.
  16. 16. PRIMEIRA FASE DA PESQUISA• Objetivo: • Identificar de que forma fatores ambientais influenciavam a produtividade do trabalhador; • Aspectos como luminosidade, temperatura, ventilação, cores, e outros, seriam minuciosamente pesquisados . • O primeiro fator estudado foi a iluminação, fazendo-se várias mudanças de intensidade de luz no ambiente de trabalho
  17. 17. PRIMEIRA FASE DA PESQUISA
  18. 18. PRIMEIRA FASE DA PESQUISA• Resultados • A cada modificação os trabalhadores respondiam positivamente com aumento de produtividade; • Desconfiados de interferências de natureza psicológica os pesquisadores decidiram reduzir a intensidade de luz, dando a impressão de que haviam aumentado; • Verificou-se a existência da influência do fator psicológico na produção, devido ao aumento da produção ser diretamente proporcional a intensidade da iluminação. • Convictos de que estava ocorrendo influência psicológica, os pesquisadores decidiram mudar os objetivos da pesquisa para estudar influências desse novo fator, e partiram para uma segunda fase de investigação, abandonando a ideia inicial
  19. 19. SEGUNDA FASE DA PESQUISA• Início em 1927, com o objetivo de estudar de que forma fatores psicológicos influenciavam a produtividade dos operários• Foi criado um grupo experimental composto por seis moças (cinco montadoras e uma fornecedora de material), que ficavam em uma sala de provas separada do departamento.• O grupo convidado para pesquisa possuía um supervisor, que permanecia na sala e observava o trabalho. As funcionárias foram esclarecidas dos objetivos de avaliar as mudanças nas condições de trabalho, e também eram informadas sobre os resultados, e as modificações eram submetidas a aprovação das mesmas.
  20. 20. SEGUNDA FASE DA PESQUISA
  21. 21. SEGUNDA FASE DA PESQUISA• Esta fase foi dividida em 12 períodos onde sofreram várias mudanças nas condições de trabalho, como melhorias na forma de pagamento, estabelecimento de pequenos intervalos de descanso e distribuíam lanches leves nesses intervalos.• Os resultados obtidos foram o aumento da produção e a percepção da falta de conhecimento dos fatores determinantes nas atitudes das operárias em relação á supervisão, ao trabalho e á própria organização.
  22. 22. TERCEIRA FASE DA PESQUISA• Preocupados com as relações entre funcionários, em 1928 os pesquisadores iniciaram um programa de entrevistas afim de avaliar as atitudes e os sentimentos dos operários quanto ao tratamento dos supervisores.• O programa foi muito bem sucedido e posteriormente foi modificado para a técnica de entrevista não-diretiva (aberta), para que os operários pudessem falar livremente sobre seus sentimentos em relação ao trabalho.• Descobriram uma espécie de organização informal dentro da organização que se manifestava por padrões formados pelos próprios trabalhadores.
  23. 23. CONCLUSÕES DA EXPERIÊNCIA• Exerceu influência fundamental sobre a Teoria Administrativa, abalando os princípios básicos da Teoria Clássica.• Definição dos aspectos básicos da Escola das Relações Humanas. • O nível de produção é resultante da integração social; • O Comportamento social dos funcionários; • Recompensas e sanções sociais; • Grupos informais; • Relações humanas; • Importância do conteúdo do cargo; • Ênfase nos aspectos emocionais.
  24. 24. CONCLUSÃO• A Teoria das Relações Humanas como o homem é explorado no ambiente industrial. Essa nova teoria administrativa vem mostrar o quanto é importante valorizar as pessoas e suas relações dentro do ambiente de trabalho. Entre as ideias principais dessa teoria podemos concluir.
  25. 25. CONCLUSÃO• O trabalho é uma atividade tipicamente grupal, pois a produção é influenciada mais pelas normas do grupo do que pelos incentivos salariais e materiais de produção.
  26. 26. CONCLUSÃO• O operário não reage como indivíduo isolado, mas como membro de um grupo social.• A tarefa básica da administração é formar uma elite capaz de compreender e comunicar, com chefes democráticos, persuasivos e simpáticos a todo o pessoal. Os administradores devem perceber a lógica dos trabalhadores e suas limitações.
  27. 27. CONCLUSÃO• O ser humano é motivado pela necessidade de estar junto e ser reconhecido e receber adequada comunicação.• A civilização industrializada trás como consequência a desintegração dos grupos primários da sociedade, como família, os grupos informais e a religião, enquanto a fabrica surgirá como uma nova unidade social que proporcionará um novo lar, um local de compreensão e de segurança emocional para os indivíduos.
  28. 28. CONCLUSÃO• A civilização industrializada trás como consequência a desintegração dos grupos primários da sociedade, como família, os grupos informais e a religião, enquanto a fabrica surgirá como uma nova unidade social que proporcionará um novo lar, um local de compreensão e de segurança emocional para os indivíduos.• As relações humanas e a cooperação constituem a chave para evitar o conflito social.
  29. 29. CONCLUSÃO• As funções básicas da organização: • O ambiente de trabalho passa a ser encarado com um sistema social. Segundo Roethlisberger e Dickson A organização industrial tem duas funções principais: Função econômica: Equilíbrio Produzir bens ou serviços. Externo Organização Industrial Função Social: Equilíbrio Satisfazer seus Interno participantes
  30. 30. COMPARAÇÃOTeoria Clássica Teoria das Relações HumanasTrata a organização como máquina Trata a organização como grupo de pessoasEnfatiza as tarefas ou a tecnologia Enfatiza as pessoasInspiram em sistemas de engenharia Inspirada em sistemas de psicologiaAutoridade centralizada Delegação de autoridadeLinhas claras de autoridade Autonomia do empregadoEspecialização e competência técnica Confiança e aberturaAcentuada divisão do trabalho Ênfase nas relações entre as pessoasConfiança nas regras e nos Confiança nas pessoasregulamentosClara separação entre linha e staft Dinâmica grupal e interpessoal
  31. 31. Vídeo• Empresas ti 2.wmv
  32. 32. Referências Bibliográficas• CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração• http:// www.senado.gov.br/ead/Conteudo/DGERENCIAL/pdf/aula12.pdf• http://www.uniriotec.br/~simone/Analise%20Empresarial/Parte%201%20-%• http://www.aedb.br/seget/artigos10/289_Artigo%20Seget%20TO.• http ://www.spiner.com.br/modules.php?file=viewtopic&name=Forums&t=402• http ://ecoturismologa.blogspot.com/2008/04/abordagem-humanstica-da-admini

×