1
2
3
A grandeza não consiste em receber honras, mas em
merece-las!
Aristóteles
4
Agradecimentos
Nossos agradecimentos são destinados primeiramente a Deus que tanto nos auxiliou neste
trajeto de vida, i...
5
Espaço
6
Índice
7
54
68
69
72
76
80
117
124
126
Introdução
Etapa Informacional
Etapa Conceitual
Etapa Operacional
Manual de Ident...
7
Jntrodução
Apresentamos a nossos leitores este Memorial técnico descritivo que desenvolvemos durante o módulo D do curso...
8
9
A marca
O calor da inspiração,
nostalgia, e aprendizado
10
Etapa
Informacional
11
esde o início de nosso trabalho,
visamos como objetivo
inicial escutar primeiramente o público-alvo
por meio de pergunt...
12
Para que fosse possível conhecer mais profundamente
os detalhes do Espaço Alternativo, realizamos uma
entrevista junto ...
13
Perguntamos ao dono quem são os fornecedores do sebo:
As pessoas que tem produtos em casa mesmo, algumas coisas adquiri...
14
Para que pudéssemos entender o universo do usuário
de maneira mais abrangente, realizamos um questionário
de entrevista...
15
utros aindaafirmamqueofatode
terem sossego na hora da compra é
um dos aspectos que os levam a comprar
em um sebo, poisn...
16
nostalgia impregnada neste ambiente
propicia a alguns consumidores que
sintam-se em um túnel do tempo
onde podem revive...
17
	 Você já teve o dilema de não saber qual seria a diferença
existente entre sebos e livrarias? Quais seriam elas, e com...
18
Um Espaço Nostálgico
Os primeiros sebos surgiram na
Europa do século XVI. De início os
mercadores começaram a realizar
...
19
u i t a s
pessoas procuram
os sebos p a r a
v e n d e r ou trocar
s e u s LPs, em
alguns casos dispondo de altas
rarida...
20
Livrarias
O papel de uma livraria em nossa rotina diária tem
sofrido grandes alterações ao longo do tempo. Podemos
enco...
21
transmissão de dados, aceleração
das comunicações, do comércio,
revolução na imprensa e no mundo
editorial. Essa mudanç...
22
Colecionadores
A década de 1990 foi o
princípio da derrocada dos discos
de vinil devido à popularização dos
CDs. Este f...
23
uando pensamos em uma coleção,
geralmente associamos a
algo muito pessoal, mas
podemos nos surpreender
quando com o com...
24
Quando o assunto é musica, deparamo-nos com um ferrenho debate entre
pessoas que defendem o som digital e as adeptas do...
25
sonoridade que esta mídia concentra é melhor. Ainda há
quem tenha os ouvidos mais apurados e não abrem mão
do CD, mas c...
26
nalisando algumas especificidades percebemos que já existem mídias digitais no mercado que o superam
em sua resolução, ...
27
Lp – 70 anos de História
O disco de vinil, conhecido simplesmente como vinil,
ou ainda Long Play (LP) é uma mídia desen...
28
era o CD. O bom e velho vinil saía das prateleiras do
varejo fonográfico, algo que provocou uma vulgarização
do produto...
29
CD - Uma Antiga Revolução
Seu surgimento se deu em 1 de outubro de 1982,
quando chegava às lojas no Japão o primeiro re...
30
Diagrama de Afinidades
Para que pudéssemos entender o mundo proveniente
dos sebos tivemos que realmente ir a fundo. Rea...
31
Espaço
Tendências
Crescente tendência
do vinil
A volta do Retrô
Sebos migrando para
estante virtual
Espaço para interaç...
32
Análise de Concorrência
ESTABELECIMENTO QUANTIDADE
DE
LOJAS
LOJA
VIRTUAL
TEMPO DE
MERCADO
ENTREGA A
DOMICÍLIO
SOLARIS C...
33
Panorama de Mercado
O Espaço Alternativo enquadra-se no ramo de
sebos, disponibilizando ao seu consumidor produtos
excl...
34
Etapa
Conceitual
35
urante a etapa conceitual procuramos subsídios que nos ajudassem a construir o
conceito d a marca que viríamos a criar....
36
Nem sempre a busca por um conceito é tarefa fácil. Buscar
em inúmeras fontes algo que agregará sentido ao projeto pode
...
37
Assim demos prosseguimento ao trabalho, construímos o conceito e a partir dele
realizamos inúmeros estudos de marca. Ve...
38
Diagrama de Conceito
ESPAÇO ALTERNATIVO
SEBO
DIAGRAMA
DE AFINIDADES
INCORPORAÇÃO:
Nosso conceito será aplicado
na papel...
39
Matriz de Avaliação
Realizamos em equipe essa matriz de avaliação, para decidir na escolha do logotipo do sebo Espaço A...
40
Estudos
Espaço Projeto Integrador - Módulo D 9
1 2 3 4
876
109
5
Estudos
41
42
Painel Semântico
O Sebo Espaço Alternativo proporciona bem estar, conforto, um ambiente de relacionamento social, ambie...
43
44
45
Aconchego Nostálgico
O conceito do Sebo Espaço Alternativo pode ser transcrito através do aconchego. É possível sentir ...
46
Etapa
Operacional
47
urante o desenvolvimento da etapa operacional começamos a dar início a concretização de
n o s s a s ideias para o sebo....
48
Desafios e Oportunidades
Ao analisarmos a fundo o negócio do sebo, nos
deparamos com inúmeros desafios a serem enfrenta...
49
50
O Aplicativo Espaço Alternativo foi desenvolvido para atender ao público do sebo facilitando a busca pelos
produtos mai...
51
Denominada Book lovers, está é a sua interface e foi desenvolvida para clientes associados e que desejam buscar e-books...
52
53
stá interface é a Vinil Lovers e foi pensada para facilitar a busca de
artistas em meio aos LP’s do acervo da loja, ass...
54
Seguindo o movimento BlackBack web Theory (Teoria do fundo preto na internet), onde se afirma que fundos
pretos em site...
55
56
Foi desenvolvido uma plataforma de E-commerce para que o sebo Espaço Alternativo possa disponibilizar vendas
on-line, s...
57
Tanto a plataforma do site, quanto a do E-commerce foram desenvolvidas de forma responsiva. Adaptando-se
assim a qualqu...
58
A fachada do sebo era um desafio a ser solucionado. Desde nossa primeira visita ao local percebemos o
quanto o local pr...
59
Pensando nisso revitalizamos a fachada do sebo de maneira que tivesse um aspecto limpo e que remetesse o
aconchego do l...
60
Foram elaboradas camisetas especiais para os funcionários do Espaço Alternativo. Sendo feminina e masculinas, com
cores...
61
62
63
O kit fornecido aos funcionários contém: Camiseta, bottons personalizados, cartão especial de
desconto para funcionário...
64
A papelaria do sebo Espaço Alternativo contém:
•	 Envelope de uso interno para envio de documentos e correspondências
•...
65
66
67
Através do Folder de divulgação dos eventos do sebo, que fica á
disposição do público na recepção da loja.
Fique Ligado!
68
Marca Olfativa
Para que pudéssemos fazer transparecer nosso conceito de aconchego através de uma marca
olfativa, buscam...
69
Marca Sonora
A música escolhida para representar o sebo não poderia ser escolhida a esmo, visto que os
frequentadores d...
70
Análise SWOT
71
O sebo Espaço Alternativo traz em sua essência a sustentabilidade. Os produtos ofertados, em sua maioria, já foram
util...
72
O Marketing Como Estratégia
O sebo Espaço Alternativo tem como principais diferenciais o conhecimento aprofundado do do...
73
O Plano
O maior volume de vendas dos produtos
provenientes do sebo é feito através das feiras em que
o sebo participa, ...
74
•	 Sugestão de parceria com editoras – através
dessa parceria, haverá a colocação de mobiliários
urbanos e campanha em ...
75
Comunicação do Plano
As pessoas são essenciais para o bom andamento
do negócio, sendo responsáveis pela qualidade do
at...
76
Campanha
Nossa campanha tem como objetivo a divulgação da marca Espaço Alternativo para que mais pessoas conheçam
o seb...
77
78
Mobiliário
Urbano
79
80
Sustentabilidade
• Bicicleta para entregas
• Flayer papel reciclado
• Sacolas de papelão
• Eco bag
• Caneca
• Encontro ...
81
ste é um tema q u e
t e m s i d o muito
discutido
e m n o s s a
sociedade, devemos ser sustentáveis
em todos os ambitos...
82
em um perímetro de 5 km de distância.
Aproveitandoessemeiodetransporte
ainda pouco utilizado, instalamos
uma bandeira d...
83
Eco bag retornável, para clientes mais acíduos
Sacolas de papelão distribuidas a cada compra
84
85
Manual de
Identidade Visual
86
O Espaço Alternativo é um sebo
da cidade de Curitiba, onde se
pode adquirir produtos exclusivos
que em sua maioria não ...
87
Uso preferencial:
Opcional:
Espaço
Espaço
88
As cores utilizadas no símbolo da marca foram
utilizadas de forma com que fosse percebido
um ritmo visual ao se observá...
89
Pantone: 7529 C
CMYK: 26 / 27 / 33 / 0
RGB: 192 / 178 / 165
#C0B2A5
Pantone: 150 C
CMYK: 0 / 40 / 75 /0
RGB: 250 / 167 ...
90
Champagne & Limousinese Bold (para realçar informações importantes)
AaBbCcDdEeFfGgHhIiJjKkLlMmNnOoPpQqRrSsTtUuVvXxYyZz ...
91
Principal Champagne & Limousinese Regular (12pt)
AaBbCcDdEeFfGgHhIiJjKkLlMmNnOoPpQqRrSsTtUuVvXxYyZz 123456789 !@#$%¨&()...
92
Para que fosse possível a representação da marca em um símbolo que demonstrasse
toda a essência do aconchego que trazem...
93
Agulha vitrola
Disco de vinil
Ninho de pássaro
Pássaro
94
É necessária uma área de respiro para que a marca não sofra interferência de outros
elementos. Para que a leitura seja ...
95
Espaço
96
Esta versão deve ser aplicada sobre matrizes mais escuras preferencialmente em preto,
sendo executada quando não houver...
97
Espaço
98
Espaço
Espaço
A versão monocromática deve ser aplicada quando não houver possibilidade de impressão em cores.
Sobre fun...
99
Espaço
Espaço
Sobre fundo branco
Principal
K = 80%
K = 80%
K = 70%
K = 70%
K = 60%
K = 60%
K = 50%
K = 50%
K = 40%
K = ...
100
Versão esta que apenas deve ser usada em último caso, quando existirem restrições cromáticas
e de impressão.
Espaço
Es...
101
Espaço
Espaço
102
A versão em tons de cobre deve ser aplicada sobre tons claros ou escuros, sob forma de
composição para melhor efeito v...
103
Espaço
Espaço
104
A utilização do símbolo sem a tipografia é permitida em algumas situações específicas
no material impresso, tais como ...
105
106
A redução excessiva de uma marca dificulta e pode até impossibilitar sua leitura e seu
reconhecimento. Porém, a determ...
107
Espaço Espaço Espaço Espaço Espaço Espaço
15 mm
30 mm 472 pixels
15 mm 15 mm 236 pixels 236 pixels 236 pixels
Na telaN...
108
Espaço
Distorcer a marca horizontalmente
Espaço
Aumentar e girar o símbolo
Espaço
Diminuir a fonte
Espaço
Colocar o sí...
109
Logo sobre padrões pequenos e de cores fortes
Logo sobre padrões com formas e linhas curvas
Logo sobre padrões com rep...
110
Espaço
Espaço
Aplicar a marca reduzida
no canto inferior esquerdo ou
direito.
Além disso, deve-se analisar
a tonalidad...
111
Padronagens
112
O veículo da Empresa é do tipo furgão.
Na lateral pode-se observar o símbolo aplicado sem a tipografia. Sendo aplicado...
113
O sebo ainda dispõe de uma bicicleta para entregas próximas a região do sebo.
A bicicleta foi personalizada com as cor...
114
Cartão de visita frente 9cm. O cartão de visita possui formato 9x5cm. Na parte da frente, há uma composição com a
logo...
115
O envelope ofício é branco. A marca está reduzida no canto superior esquerdo, tendo a baixo as informações
básicas, há...
116
Folha timbrada possui a marca em baixa
opacidade como fundo e a versão normal reduzida
na lateral superior esquerda. A...
117
Em parceria com o aluno Rafael Amâncio,
do curso de Design de Interiores, buscamos
projetar o ambiente do sebo, para q...
118
119
120
121
122
123
124
Apresentamos aqui o orçamento anual com a estimativa de fatuamento e os investimentos que se fazem
necessários para a ...
125
Estimativa de faturamento
Jan Fev Mar Abri Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
Serviços 2.000 3.000 5.000 4.000 3.000 5.00...
126
A execução do projeto se faz necessário para que o sebo Espaço Alternativo tenha o reconhecimento por parte
dos client...
127
Equipe:
Gabriela Mariah Bemvides
Gustavo Fernando Santana
Marluci Aparecida Scopel
128
†
&
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Memorial Técnico Descritivo - Espaço Alternativo

628 visualizações

Publicada em

O Projeto

O presente trabalho foi elaborado para o Projeto Integrador do Módulo D do curso de Design Gráfico do Centro Universitário Curitiba, tendo como tema “ O Design Como Agente de Mudança”. Assim cada grupo de estudo escolheu uma empresa real para identificar os problemas e propor soluções por meio do design gráfico.

Cliente

O Sebo Espaço Alternativo atua há 6 anos no mercado, mas existe desde 1989 com uma loja especializada em LP’s.
A loja antigamente chamava-se: “Alternativa Records”.

Objetivo

Através das diretrizes apresentadas neste trabalho, o sebo terá toda a base primordial para que através do design, possa alçar voo, tal qual o pássaro que nos inspirou na criação da marca, buscando novos ares e conquistando novos mercados, sempre primando por oferecer a seus consumidores o ninho que os aconchega e faz querer sempre voltar a esse Espaço Alternativo.

Conceito

O conceito do Sebo Espaço Alternativo pode ser transcrito através do aconchego. É possível sentir todo o bem-estar que o ambiente nos proporciona logo que o adentramos. Em um local acolhedor e agradável, os clientes do sebo podem sentir-se a vontade perante a nostalgia inerente ao ambiente.
A palavra “aconchegar” viria de “acalentar”, tendo sua origem do Latim CONSOPIRE, com o sentido de “aproximar-se”.

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
628
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Memorial Técnico Descritivo - Espaço Alternativo

  1. 1. 1
  2. 2. 2
  3. 3. 3 A grandeza não consiste em receber honras, mas em merece-las! Aristóteles
  4. 4. 4 Agradecimentos Nossos agradecimentos são destinados primeiramente a Deus que tanto nos auxiliou neste trajeto de vida, inspirando e nos enviando as pessoas certas para nos instruir. Aos professores devemos o nosso muito obrigado. A todos aqueles que com carinho nos ajudaram nos momentos das mais profundas dúvidas. Devemos a vocês todo o conhecimento que adquirimos durante este projeto e que levaremos por toda a vida, fica em nosso peito o sentimento de gratidão, por nos tornar pessoas iluminadas por seus ensinamentos!
  5. 5. 5 Espaço
  6. 6. 6 Índice 7 54 68 69 72 76 80 117 124 126 Introdução Etapa Informacional Etapa Conceitual Etapa Operacional Manual de Identidade Visual Soluções Web Marca Olfativa Marca Sonora Plano de Marketing Campanha Sustentabilidade Design Interiores Viabilidade Financeira Conclusão 10 34 46 85
  7. 7. 7 Jntrodução Apresentamos a nossos leitores este Memorial técnico descritivo que desenvolvemos durante o módulo D do curso de Design Gráfico do Unicuritiba, onde tivemos que encontrar uma empresa que apresentasse problemas institucionais e que pudessem ser resolvidos através das soluções que o design oferece. Assim sendo, acabamos por encontrar o Espaço Alternativo, um sebo da cidade de Curitiba que fica localizado na região do São Francisco, próximo ao Largo da Ordem, na rua Carlos Cavalcanti nº: 603. Detectamos que o local apresenta problemas organizacionais e institucionais, que os impedem de obter melhores resultados de vendas. Durante o desenvolvimento deste trabalho, mostraremos as mudanças que fizemos em alguns âmbitos da empresa, como em toda a identidade visual que nosso cliente nem sequer dispunha, indicaremos todas as diretrizes para uso da marca, além de mostrarmos passo a passo de nosso processo criativo, através de 3 etapas, sendo elas: informacional, conceitual e operacional. Além de mostrarmos as soluções encontradas para os desafios levantados, desdobramentos para as estratégias de marketing, planejamento de campanha e muito mais. Esperamos que durante a visualização deste Memorial técnico descritivo, você possa imergir e encantar-se com todas as possibilidades que um sebo pode nos oferecer, esperamos ainda que com este trabalho possamos mudar talvez a visão de muitas pessoas que veem os sebos como locais empoeirados e repletos de velharias. Aqui fica nosso convite para que adentre o universo do Espaço Alternativo, acompanhando toda a evolução dos desafios em oportunidades, além de toda essa nossa intensa jornada para que o sebo trilhe novos caminhos rumo ao sucesso.
  8. 8. 8
  9. 9. 9 A marca O calor da inspiração, nostalgia, e aprendizado
  10. 10. 10 Etapa Informacional
  11. 11. 11 esde o início de nosso trabalho, visamos como objetivo inicial escutar primeiramente o público-alvo por meio de perguntas qualitativas, para que pudéssemos entender quais são seus pensamentos a respeito do tema Sebos. Para tanto, realizamos uma pesquisa por meio de questionário enviado a grupos relacionados aos temas do sebo, tais como amantes de leitura, colecionadores de discos de vinil e aqueles que gostam de gibis. Em meio a essa pesquisa de mercado acabamos descobrindo inúmeros insights que nos auxiliaram no desenrolar do projeto. Além disso, realizamos uma entrevista junto ao cliente que se trata do dono do sebo Espaço Alternativo, o senhor Werkley Ramm e Silva, que nos recebeu e concedeu a nossa equipe todos os dados necessários para o trabalho. A partir dessa entrevista, desenvolvemos reportagens sobre temas relevantes para que pudéssemos ter uma base sólida, a qual nos fez perceber o quão rico é o universo de sebos, que apesar de sua fama de local empoeirado, pode conter grandes raridades que ainda cativam as pessoas que acabam estabelecendo vínculo emocional com os produtos. Com o auxílio da ferramenta Design Ethnography, realizamos uma vasta pesquisa de campo, através de fontes secundárias, assim descobrimos como se comporta o mercado de sebos, sua relação entre loja e consumidores, além de muitas informações que foram agregando valor a nosso conhecimento sobre o tema sebos. Ao fim utilizamos a ferramenta de design thinking para que fosse possível a organização dos insights que fomos obtendo em toda a etapa informacional, para tanto o Diagrama de afinidades nos serviu de importante ferramenta fazendo com que pudéssemos reunir ideias por suas afinidades. Isso nos auxiliou para que pudéssemos documentar cada etapa, sendo devidamente registradas, facilitando nossa compreensão.
  12. 12. 12 Para que fosse possível conhecer mais profundamente os detalhes do Espaço Alternativo, realizamos uma entrevista junto ao proprietário, senhor Werkley Ramm e Silva no dia 20/01/2014. Ele nos relatou que o sebo surgiu há cerca de seis anos, mas a loja existe desde 1989 como um negócio especializado em LP’s, chamando-se “Alternativa Records”. Essa transição ocorreu devido à queda nas vendas dos discos de vinil, que perderam espaço para o CD, e mais tarde, por volta de 2004 voltaram a ser tendência. O questionamos a respeito dos diferenciais do sebo, e obtivemos a resposta de que ele trabalha com todos os tipos de produtos, ao contrário de seus concorrentes que trabalham com um estilo especifico de discos, no Espaço Alternativo é possível encontrar grande variedade de LP’s que vão desde sertanejo raiz até clássicos do Rock n’ Rol. Apesar de a loja não ter uma identidade visual definida e a fachada possuir ruído visual gerando baixa pregnância segundo as leis da Gestalt, o proprietário nos relatou que os clientes costumam retornar a loja para efetuar novas compras, devido a seu vinculo emocional com os produtos que o sebo comercializa. Quanto ao perfil de clientes frequentador do sebo, descobrimos que a maioria do público consumidor de discos de vinil é masculino, alguns sendo colecionadores em busca de algumas raridades para complementar suas coleções. As mulheres geralmente seguem em busca de livros, dos quais os romances são os mais procurados. Entrevista
  13. 13. 13 Perguntamos ao dono quem são os fornecedores do sebo: As pessoas que tem produtos em casa mesmo, algumas coisas adquirimos em distribuidoras que são os produtos novos, mas a maioria são pessoas que querem trocar livros, vinis ou vender para o sebo. Já ocorreram casos em que alguns homens que colecionavam por muitos anos discos de rock n’ roll e de repente se tornam evangélicos e aparecem aqui com uma pilha de clássicos para vender, dizendo que não podem mais ficar com LP’s de rock por “ser coisa do demô- nio" Com relação ao mercado de 15 anos atrás, onde se podia comprar LP’s por R$ 1,00 devido à chegada dos CDs, o senhor acredita que o vinil voltou a ser uma tendência? Através da realização desta entrevista obtivemos informações valiosas, que abriram um novo horizonte de possibilidades para o projeto, onde descobrimos os problemas enfrentados pelo negócio, tornando-se desafios a serem solucionados pelo âmbito do design. Acredito que sim, dessa vez o vinil não vai voltar para o esquecimento, até porque o CD já mostrou todos seus pontos negativos. Na época em que surgiram, as mídias vendiam uma falsa propaganda, pois afirmavam que o CD não riscava que poderia pisar em cima que não quebrava e tinha grande durabilidade. O tempo e a experiência das pessoas com o produto provou que o que ocorre é bem o contrario. Um vinil bem guardado fica bem conservado já o CD não.
  14. 14. 14 Para que pudéssemos entender o universo do usuário de maneira mais abrangente, realizamos um questionário de entrevista semi-estruturada, onde mesclamos perguntas quantitativas e qualitativas para descobrirmos os pensamentos dos consumidores sobre o tema sebo. Enviamos nosso questionário para pessoas envolvidas de alguma maneira com o mundo do sebo, então escolhemos usar o Facebook como ferramenta auxiliadora. Encontramos alguns grupos, tais foram: Quadrólatras (grupo de pessoas que amam gibis), Rock Pira (grupo de pessoas que curtem rock clássico obscuro), Amo leitura (grupo de pessoas que adoram ler), e Colecionadores de vinil de Curitiba e região. A respeito das perguntas quantitativas, elaboramos gráficos com os resultados para melhorar o entendimento dos dados. Já com as qualitativas fizemos uma análise embasada em todas as respostas obtidas. Quando questionamos os consumidores a respeito de qual seria a ideia que o remeteria a um sebo, conseguimos identificar que a ideia vigente seria a de livros antigos, seguida pelo mesmo numero de pessoas que remetem sebo a raridades. Ainda associaram sebo a um ambiente no qual poderão encontrar materiais de qualidade, especializado ao seu gosto pessoal. Apenas uma pessoa associou a palavra sebo a gibis. Percebemos que o público que consome os produtos de sebo é dividido entre quem busca um bom preço e quem busca exclusividade nos produtos do acervo, pois a grande maioria já não é encontrada com facilidade por não serem mais produzidos em série, como por exemplo, os LPs. Algumas pessoas citaram ainda que um dos pontos positivos é poder remexer entre os produtos e poder garimpar raridades, as quais muitas vezes são atribuídos valores emocionais. Pesquisa de Mercado
  15. 15. 15 utros aindaafirmamqueofatode terem sossego na hora da compra é um dos aspectos que os levam a comprar em um sebo, poisnão são importunados e podem fazer sua escolha com mais tranquilidade. Um comentário que nos chamou atenção foi o de que um dos consumidores gosta de frequentar sebos por perceber que o público que ali se encontra são pessoas diferenciadas, que não costumamos encontrar e por isso são interessantes e agradáveis de ter uma boa conversa. A respeito dos pontos negativos pudemos notar que foram levantados os mais variados pontos, mas o fator preponderante apontado pelo público foi com relação a má conservação dos produtos, seguido pela falta de higienização dos mesmos, que as vezes estão muito sujos e empoeirados. Tendoemvistaagrandeascendêncianomercadode LPs que voltaram a ser objetos de consumo pelo público, alguns sebos tem praticado uma supervalorização dos preços, por se enquadrarem no quesito de raro, como comentário de nossa pergunta qualitativa. Uma pessoa levantou ainda o problema de pouco espaço de circulação e de acomodação dos produtos. Ainda há os que não apontam problema nenhum em um sebo, os quais podemos notar claramente que consomem emocionalmente pelo vínculo que tem com o ambiente, que acaba sendo idealizado como um lugar onde se pode encontrar produtos exclusivos de valor emocional, muitas vezes ligados ao passado e sua juventude. Os que conseguem libertar-se dessa idealização nostálgica a respeito de sebos, ainda sim afirmam notar poucos pontos negativos, dizendo que alguns levam o termo “sebo” tão a sério que não primam pelo produto ofertado, levando ao consumidor o dever de escolher muito bem o que comprar. Mas ainda sim há as lojas do ramo que trabalham com excelência, levando ao consumidor o prazer de gastar seu dinheiro sabendo da qualidade do produto. O bem-estar gerado pelo ambiente de um sebo foi o ponto mais evidenciado quando questionamos os consumidores a respeito de como se sentem neste ambiente. A satisfação por encontrar produtos exclusivos faz com que descrevam sentirem-se terrivelmente bem, e excitados pelas oportunidades de levar para suas casas inúmeras raridades. Existem ainda os que compram pela razão, desejando apenas consumir o produto que precisam.
  16. 16. 16 nostalgia impregnada neste ambiente propicia a alguns consumidores que sintam-se em um túnel do tempo onde podem reviver os velhos t e m p o s. Tal sentimento nos permite p e r c e b e r o quanto existe uma carência de campanhas que atinjam esse nicho de mercado, que consome por prazer. Como um de nossos consumidores que nos reportou o fato de sentir-se pobre quando está em um sebo, pois seu desejo de comprar as raridades que encontra é muitas vezes maior do que seu poder aquisitivo do momento. Mais uma vez o fator do cheiro de poeira é levantado em nosso questionário, mas dessa vez, nosso entrevistado afirma que pode até parecer estranho, mas o cheiro de poeira o faz sentir-se em um ambiente único, um poço de cultura literária e cultural. Recebemos ainda a sugestão de que um sebo deveria ser transformado em um espaço Cult, onde as pessoas pudessem se sentir aconchegadas e pudessem sentar-se para bater um papo ou debater sobre um livro, tomando um bom café. Você compra em um sebo utilizando qual critério? Emocional Racional
  17. 17. 17 Você já teve o dilema de não saber qual seria a diferença existente entre sebos e livrarias? Quais seriam elas, e como é o comportamento dos seus respectivo consumidores ao adentrarem essas duas realidades, que em alguns aspectos se assemelham e em outro se distanciam. Nossa reportagem tem por objetivo levar a você leitor, o entendimento da distinção entre sebos e livrarias, para que quando chegada a hora da tão esperada compra, você possa fazer a melhor escolha, e também para que você possa entender em qual das duas o seu perfil se encaixa melhor. Livrarias VS Sebos vamos ao embate! Livrarias Sebos VS
  18. 18. 18 Um Espaço Nostálgico Os primeiros sebos surgiram na Europa do século XVI. De início os mercadores começaram a realizar a venda de papiros e alguns documentos importantes da época. Esses mascates eram denominados “alfarrabistas”, palavra proveniente de alfarrábio que significa livro velho e raro. Países como França e Bélgica ainda os denominam assim e os consideram de suma importância para historiadores e pesquisadores em geral. Naquele tempo não existia luz elétrica para que se pudesse ler. As pessoas então utilizavam velas para que pudessem ler. Elas, no entanto eram feitas de gordura, ou mesmo de sebo. Então conforme iam derretendo, acabavam por sujar os livros, que ficavam muito sujos e o termo acabou evoluindo assim para sebo. Quem vendia livros usados aqui no Brasil nessa época, eram chamados de um nome um tanto quanto estranho, caga-sebo. Apesar da vulgarização que seu nome carrega, os sebos são para muitas pessoas um espaço repleto de nostalgia e encanto. Outros ainda encaram esses locais tal qual um santuário. Mas qual seria o motivo que leva os indivíduos a pensarem desta maneira? Talvez a alta concentração de livros usados, gere nas pessoas um certo fascínio. Tanto conhecimento reunido em um mesmo espaço, aliado ao fator de serem produtos usados trazem em si mesmos o poder nostálgico que tanto têm inspirado as pessoas na hora da compra. Mas nem só de livros vivem os sebos. A extensa variedade de produtos que eles oferecem, têm atraído cada vez mais e mais nichos de mercado. Em um sebo é possível encontrar Gibis, e Hqs que não são mais produzidos, mas que são a febre de muitos colecionadores, ainda nos dias de hoje. Sem falar das incríveis bolachas negras, que insistem em manter e agregar cada vez mais e mais apaixonados pelo seu som analógico, estamos falando logicamente dos discos de vinil.
  19. 19. 19 u i t a s pessoas procuram os sebos p a r a v e n d e r ou trocar s e u s LPs, em alguns casos dispondo de altas raridades, fazendo a alegria de muitos colecionadores que vão aos sebos para garimpar clássicos. Outro fato proveniente dos sebos, é o conhecimento aprofundado dos donos em relação aos seus produto, e os temas deles decorrentes. Por exemplo, se você procurar um disco de vinil de uma banda com a qual um sebista conheça e goste, vocês poderão passar longas horas conversando a respeito de infinitas histórias por ele conhecidas, o que transforma uma simples compra em algo muito prazeroso. Todos esses fatores aliados ao preço baixo são determinantes para o sucesso dessas lojas. Visto que além dos fãs de sebos, ainda há as pessoas que lá efetuam suas compras de maneira racional. Como seria isso? Elas estão inerentes ao clima que o local proporciona? O fato é que elas procuram os sebos, para comprar livros usados por necessidade, não se importando por serem velhos, o que importa para elas é o preço. Por disporem de produtos exclusivos, os sebos podem nos reservar boas surpresas. Se dermos a sorte de encontrar uma loja do ramo que vise a qualidade em seus produtos, boas oportunidades podem nos surgir. Muitos sebos levam o nome tão a sério que a poeira se torna parte do ambiente. Produtos como os LPs exigem restauração e cuidado, devem ser higienizados para evitar que a poeira interfira no som, e também as capas devem ser restauradas para que o produto seja valorizado por quem os procura. Colecionadores geralmente exigem um alto nível de qualidade para efetuarem suas compras. Não querem levar para casa produtos que contenham manchas, riscos, para completar sua coleção, mesmo sabendo que se tratam de discos usados. Com a morte de grande parte das livrarias de pequeno porte, e levando em conta a redução drástica no número de livros presente nas prateleiras de muitas livrarias do tipo Megastore, devido a crescente ascensão dos e-books, os sebos parecem que em poucos anos ganharão a simpatia de quem gosta de ler, e se tornará o último dos refúgios dos amantes das páginas amareladas do conhecimento que um livro carrega.
  20. 20. 20 Livrarias O papel de uma livraria em nossa rotina diária tem sofrido grandes alterações ao longo do tempo. Podemos encontrar os mais diversos produtos tais como, DVDs, CDs, games, produtos de papelaria, e em último plano o livro propriamente dito. Segundo dados da pesquisa anual da ANL, Associação Nacional de Livrarias, descobrimos fatos muito interessantes a respeito da situação das livrarias em nosso país. Livrarias de pequeno porte têm um faturamento de 300 mil, apesar deste valor considerado alto por muitos, ele mal cobre os custos de manutenção e compras de livros, o que pode levar ao fechamento de muitas livrarias. Enquanto isso as denominadas megastores estão aumentando seus lucros. Apesar de ainda existirem nichos de mercado a ser explorados pelas livrarias independentes, sua situação não é nem um pouco confortável. Caso sua localidade não seja das melhores e um hábito de leitura dos moradores que a cercam não colabore, dificilmente conseguirá se manter aberta. A comodidade oferecida pelas grandes redes parece estar atraindo cada vez mais pessoas. A maioria das livrarias de grande porte está localizada em Shoppings Certers. Esse fator, aliado a um preço mais baixo, parece estar sendo um ponto crucial para o fechado das pequenas livrarias. O advento da Internet tem sido o que consideramos uma revolução quando se trata de velocidade de
  21. 21. 21 transmissão de dados, aceleração das comunicações, do comércio, revolução na imprensa e no mundo editorial. Essa mudança sofrida pela sociedade alterou também velhos hábitos das pessoas, como por exemplo, a leitura. Hoje podemos ler e-books em qualquer lugar, com preço muito reduzido em comparação ao livro físico, sem falar da facilidade de estar a um clique de distancia, 24 horas por dia. Tomemos como exemplo um estudo realizado pela União Livreira da Rússia, onde se aponta uma imensa queda nas vendas de livros do país. Segundo os dados que foram apresentados pela pesquisa, houve uma redução de 21,6% quando comparado ao mesmo período de 2011. Em contrapartida as pessoas mostram-se muito mais dispostas a comprar livros eletrônicos na Rússia. Uma das maiores empresas de e-books deste país, a Litres, teve um aumento em vendas de quase 100% em relação ao primeiro semestre de 2012. Nos Estados Unidos a contribuição dos livros eletrônicos chega a 25%, e na Grã-Bretanha, a 13%. A busca por conforto, preço baixo, rapidez na entrega, talvez seja o fator mais importante do consumidor ao preferir os livros digitais. Em um sistema que se pode colocar cinco mil livros em um aparelho que pesa 1200 gramas, muitos não conseguem ver vantagens em portar um livro que pesa meio quilo. Sem mencionar no grande espaço ocupado nas prateleiras e apartamentos. Talvez o grande vilão das livrarias não seja a internet e sim o leitor. Essa revolução está apenas começando e só tende a aumentar. Aos amantes de livros, aqueles que só conseguem sentir prazer em ler e folhear livros, para imergir em um novo mundo, a esses cabe uma dura realidade visto que estão cada vez mais encurralados. Com a morte prematura das livrarias de pequeno porte, e a falta de especialização das Megastores livreiras – que reduziram bruscamente o número de livros nas estantes, para dar espaços a outros produtos com venda mais fácil – em nichos de mercado específicos; fará com que as pessoas busquem nos sebos, aquilo que já não encontram com facilidade nas livrarias, e estes ganharam os clientes subjacentes das pequenas livrarias, escondendo verdadeiros tesouros aos olhos entorpecidos dos amantes da leitura.
  22. 22. 22 Colecionadores A década de 1990 foi o princípio da derrocada dos discos de vinil devido à popularização dos CDs. Este fator levou os discos de vinil a um quase completo ostracismo no mercado da música. A conotação de “ultrapassado” se deve a constante inovação tecnológica e geralmente quando surge uma nova tecnologia, todas as outras caem perdendo totalmente seu prestígio sendo descartadas. Esse foi o duro golpe sofrido pelos discos, que passaram de amados de várias gerações a odiados pelos consumidores. São inegáveis os enormes fatores de importância cultural que nos trouxe o CD, por sua portabilidade e por poder armazenar o dobro de tempo de músicas que um LP. Com a popularização da internet as músicas passaram a ser escutadas em mp3, sem existirem fisicamente. Assim deu-se início a queda dos CDs. Vivemos um momento até mesmo considerado inesperado em suas peculiaridades, visto que possuímos as mais avançadas tecnologias no mundo da música, mesmo assim, atualmente disco de vinil voltou a ser tendência, justamente pela liberdade que as pessoas dispõem em fazer suas próprias escolhas, tendo em vista todas as possibilidades tecnológicas anteriores, sem aquele olhar preconceituoso de décadas anteriores, escolhendo para si aquilo que mais as agrada, seja analógico ou digital. Em uma reportagem publicada pela DELL, em 2008, cita os jovens de hoje como a geração Ipod, e afirma que estão descobrindo a coleção de discos de seus pais ou conhecendo essa mídia através dos amigos e acabam por preferi-la por quatro motivos: (1) este produto está envolto numa aura retrô, muito atraente ao olhar do jovem de hoje; (2) a qualidade sonora, muito superior a do mp3 com o qual estão acostumados; (3) a qualidade gráfica das capas e dos encartes; (4) o fato do vinil ser uma mídia mais propícia a ser escutada em conjunto com amigos.
  23. 23. 23 uando pensamos em uma coleção, geralmente associamos a algo muito pessoal, mas podemos nos surpreender quando com o compartilhamento de som. No próprio site Facebook, são encontrados diversos grupos em que são colocadas a disposição de toda a coletividade álbuns inteiros muitas vezes upados diretamente dos LPs originais. Ainda há os Colecionadores que exibem suas raridades para seus amigos e criam assim, fortes vínculos de amizade. Uma das características de algumas coleções é a presença de raridades. Algumas possuem alto valor financeiro pela dificuldade de serem encontradas. Um dos argumentos utilizados pelos colecionadores na hora compra de algumas raridades, é a de que discos não são um gasto, mas, sim, um investimento. Outros acreditam que o valor pessoal que um vinil carrega é mais importante que seu valor financeiro. Mas a volta do vinil não tem a ver exclusivamente com saudosismo ou militância. Há uma mística em se colocar um LP para tocar e somente quem já teve o prazer de escutar um bom disco em uma vitrola, sabe o prazer que este ritual pode trazer.
  24. 24. 24 Quando o assunto é musica, deparamo-nos com um ferrenho debate entre pessoas que defendem o som digital e as adeptas do som analógico. Se analisarmos do ponto de vista puramente técnico, até a década de 1990 a diferença entre eles era muito grande, hoje diminuíram bastante, dependendo da mídia utilizada. O gosto pessoal do ouvinte, influência e muito na escolha. A diferença na verdade é subjetiva. Assim como há os que gostam do som potente de um carro v8, há também quem prefira optar por carros ultramodernos e silenciosos. Logo notamos que nessa batalha não existe melhor ou pior. Tudo vai depender da percepção do ouvinte ao timbre do som. Existem os que realmente gostam de ouvir música em vinil, por achar que a textura sonora que ele proporciona é mais agradável, ou que os timbres são mais harmoniosos e a Vinil CD VS
  25. 25. 25 sonoridade que esta mídia concentra é melhor. Ainda há quem tenha os ouvidos mais apurados e não abrem mão do CD, mas conseguem perceber que a diferença está no gosto do ouvinte. Se prestarmos atenção aos dados, podemos perceber que alguns hábitos dos consumidores mudaram. Segundo a Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, na sigla em inglês), apesar da progressiva perda de força da música gravada em suporte físico em relação ao formato digital, a venda de vinil registrou uma considerável alta nos últimos anos. Diferentemente do que se presume em senso comum o vinil é o único que apresenta crescimento na categoria de mídias de música físicas. A venda das bolachas, como são chamados os discos de vinil pelos colecionadores, teve um aumento de 101% no Reino Unido, em comparação com 2012, e de 32% nos EUA, em relação ao último ano. Em 2013, por exemplo, 6 milhões de vinis foram vendidos nos EUA, o que representa 2% do total de vendas de álbuns no país. Já aqui no Brasil, continua seguindo a mesma tendência dos mercados internacionais. O site de vendas Mercado livre divulgou aumento de 6% na venda dos discos nos últimos 12 meses, já respondendo por 27% do volume no setor de música do portal. Algumas características marcantes dos LPs (Long Play) o fazem estar sempre em voga. Características como a originalidade do som, capas especialmente projetadas e o status ligado ao poder nostálgico que ele compila em sua essência, são peculiaridades que a tecnologia digital não conseguiu contemplar. Tais diferenciais nos fazem perceber o motivo pelo qual o vinil voltou a ser procurado pelos consumidores. Logicamente devemos entender que hoje a música em formato digital predomina em todos os segmentos. A questão é que a tecnologia levou o som digital a tal patamar que hoje é possível digitalizar um vinil, sem perdas de qualidade e alcançar um resultado exatamente igual à gravação original.
  26. 26. 26 nalisando algumas especificidades percebemos que já existem mídias digitais no mercado que o superam em sua resolução, chegando ao nível dos sentidos humanos. O CD tem uma resolução de áudio de 16 bit com uma frequência de 44,1 quilohertz. Atualmente, arquivo de som digital superior ao CD, alcança 32 bit com frequência de 192 quilohertz. A audição humana é capaz de captar s o n s na faixa de 20 hertz até 20 quilohertz. Fora desses limites, não conseguimos ouvir sons, mas podemos senti-los. Ou seja, a qualidade e resolução dos melhores sons digitais são tão boas que vão além da nossa capacidade auditiva. Esse nível de frequências fazem com que nosso coração bata mais forte à medida que sentimos os agudos ou graves super potentes. Atualmente mais de 99% das gravações do mundo são feitas digitalmente, mas ainda é possível encontrar diversas bandas que ainda preferem gravar em formato analógico; em fitas magnéticas, mas por serem poucas as gravadoras que ainda dispõe desse sistema, isso se torna muito caro. Os melhores estúdios oferecem a possibilidade de gravar de forma analógica e ao mesmo tempo digitalizar esta gravação.
  27. 27. 27 Lp – 70 anos de História O disco de vinil, conhecido simplesmente como vinil, ou ainda Long Play (LP) é uma mídia desenvolvida no final da década de 1940 para a reprodução musical, que usa um material plástico chamado vinil (normalmente feito de PVC), já foi o principal meio de um artista para divulgar seu trabalho ao público. Porém no fim da década de 1980, houve uma queda vertiginosa nas vendas e a ascensão dos CDs. O disco de vinil possui microssulcos ou ranhuras em forma espiralada que conduzem a agulha dos toca-discos da borda externa até o centro no sentido horário. Trata-se de uma gravação analógica, mecânica. Esses sulcos são microscópicos e fazem a agulha vibrar. Essa vibração é transformada em sinal elétrico. Este sinal elétrico é posteriormente amplificado e transformado em som audível (música). O vinil é um tipo de plástico muito delicado e qualquer arranhão pode tornar-se uma falha, a comprometer a qualidade sonora. Os discos precisam constantemente ser limpos e estar sempre livres de poeira, ser guardados sempre na posição vertical e dentro de sua capa e envelope de proteção (conhecidas, vulgarmente, como capa de dentro e de fora). A poeira é um dos piores inimigos do vinil, pois funciona como um abrasivo, a danificar tanto o disco como a agulha.
  28. 28. 28 era o CD. O bom e velho vinil saía das prateleiras do varejo fonográfico, algo que provocou uma vulgarização do produto, e em sebos podia se comprar qualquer disco por R$ 1,00. Apesar dessa onda, alguns “audiófilos” ainda preferiram o vinil, e fizeram desse momento uma excelente oportunidade para se iniciar grandes coleções a um preço ridiculamente baixo. Sua ressureição se deu a partir de 2008, quando os proprietários da Polysom obtiveram informações do volumoso crescimento na venda de vinis nos Estados Unidos e na Europa, depararam-se com a possibilidade de adquirir o maquinário da antiga fábrica e reativá-la. Estabelecendo-se como única fábrica de vinis de toda a América Latina, condição que mantém até hoje. Para que se pudesse ouvir música com o LP, era realizado quase que um ritual. Era preciso tirar o vinil da capa e colocá-lo na vitrola, trocar o lado, pressionar o botão de play e levá-lo até o ponto do em que a agulha era levantada para dar início a música, então a mágica começava a acontecer, então bastava sentar e curtir o som; até que acabava o primeiro lado do disco e No Brasil, o LP começou a perder espaço em 1992. Em 1993 foram vendidos no Brasil 21 milhões de CDs, 17 milhões de LPs e 7 milhões de fitas cassetes. No mercado brasileiro o vinil começou a perder força nasvendasem1995,quandodeclinaramacentuadamente em função da estabilização da moeda provocou uma melhoria do poder aquisitivo da população, que lhes permitiu adquirir a mídia mais moderna do momento, que
  29. 29. 29 CD - Uma Antiga Revolução Seu surgimento se deu em 1 de outubro de 1982, quando chegava às lojas no Japão o primeiro reprodutor de compact discs, que se tornariam o famoso CD. Este produto pode ser considerado o pioneiro em uma das maiores revoluções pelas quais a música já passou. A criação do produto se deu em conjunto entre a Sony e Philips. O objetivo era criar uma nova mídia que fosse de fácil transporte, durabilidade e pudessem atingir os lares de um público maior. O fator determinante para o tamanho do CD foi a fita cassete, e seus 11,5 centímetros. Aparentemente, a Sony pensava que o CD devia ter capacidade de armazenar qualquer peça de música clássica, tendo como referência a nona de Beethoven. Esse formato, no entanto só gravaria uma hora de conteúdo, foi então decidido que se aumentaria em cinco milímetros, passando para os atuais 12 centímetros, o que fez com que suportassem 74 minutos. Foi realizado um estudo a respeito dos bolsos na Ásia, Europa e América para que fosse comprovado que o CD seria fácil de carregar. Os dados obtidos permitiram que em 1984, fosse lançado o primeiro player portátil, o “discman” D-50, pela Sony. Os 100 milhões em vendas, foram atingidos em 1988, praticamente triplicando-se em 1992. Mais de 200 bilhões de CDs foram comercializados em 2007, 25 anos após sua criação. Porém começaram a sentir a pressão dos novos produtos devido ao uso cada vez mais frequente de suportes menores, capazes de armazenarem downloads, se reflete na produção de países como o Japão que sofreram uma grande queda. Em 2011, por exemplo, a produção ficou em 196 milhões, bem menos que os 330 milhões de dez anos antes.
  30. 30. 30 Diagrama de Afinidades Para que pudéssemos entender o mundo proveniente dos sebos tivemos que realmente ir a fundo. Realizamos pesquisas diretamente ao consumidor para que fosse possível o entendimento de seus, anseios, necessidades e aspirações a respeito de sebos. Foi elaborada uma pesquisa Junto ao nosso cliente, no caso o dono do Sebo Espaço Alternativo, que nos abriu um grande panorama de possibilidades. Aprofundamo-nos também em toda a pesquisa realizada por todos os membros da equipe, onde desvendamos um mundo de informações e novas possibilidades de aplicação em nosso trabalho. Como o tempo urge, e foram muitas as informações que obtivemos neste período foram demasiadas, tivemos que encontrar uma maneira de sintetizar e facilitar o entendimento de tantos insights que tivemos durante todo o processo. Foi então que nos deparamos com uma das ferramentas do Design Thinking ideal para o que almejávamos: o diagrama de afinidades. Essa ferramenta consiste em uma organização e agrupamento dos de Insights com base em afinidade, similaridade que gerará um diagrama contendo as principais áreas que delimitam o tema além de subdivisões. Desta maneira agrupamos nossos principais temas da seguinte maneira: tendências, comportamento dos clientes, forças da loja e seus problemas Acreditamos que o principal intuito de fazermos uso dessa ferramenta será fazer com que cada etapa seja devidamente registrada para assim nos auxiliar na compreensão dos dados por nós obtidos, desta forma contribuindo para um resultado final de muito sucesso, tanto para nós profissionais, quanto para nosso cliente.
  31. 31. 31 Espaço Tendências Crescente tendência do vinil A volta do Retrô Sebos migrando para estante virtual Espaço para interação Vínculo emocional com o produto Sentem-se em um ambiente nostálgico Clientes não circulam em toda a loja Colecionadores exigem produtos de alta qualidade para a coleção Colecionáveis estão em voga Comportamentos Clientes Os clientes sentem nostalgia ao adentrar o sebo Conhecimento aprofundado do dono Restauração dos produtos Espaço agradável que faz com que o cliente sinta-se à vontade Especializado em vinil Preço Justo Não tem identidade visual A loja é mal sinalizada Loja mal divulgada Os clientes não circulam pela loja Produtos antigos que às vezes apresentam defeitos Má conservação dos produtos por serem usados Produtos Exclusivos Forças Loja Desafios
  32. 32. 32 Análise de Concorrência ESTABELECIMENTO QUANTIDADE DE LOJAS LOJA VIRTUAL TEMPO DE MERCADO ENTREGA A DOMICÍLIO SOLARIS CULTURA 1 NÃO 3 ANOS NÃO DISCOS RAROS 1 SIM 20 ANOS SIM ACERVO ALMON 1 SIM 3 ANOS SIM SUKATA SOM 1 NÃO 5 ANOS NÃO CAÇADORES DE RELIQUIAS 1 SIM 5 ANOS SIM VINIL VELHO 1 SIM 4 ANOS SIM VINYL CLUB 1 SIM 3 ANOS SIM HI - FI SEBO 1 NÃO 4 ANOS NÃO LADO A SEBO 1 SIM 3 ANOS SIM ESPECIARIÁS SONORAS 1 SIM 14 ANOS SIM
  33. 33. 33 Panorama de Mercado O Espaço Alternativo enquadra-se no ramo de sebos, disponibilizando ao seu consumidor produtos exclusivos. Em sua maioria são livros e LP’s usados, Gibis e CD’s. A empresa possui uma loja física e um site para venda dos produtos. Por se tratar de um negócio familiar, a loja não possui funcionários, sendo o proprietário e sua filha que se revezam no atendimento da loja. Os principais diferenciais do Espaço Alternativo é que possui LP’s de alta qualidade para os colecionadores que lá fazem suas buscas, podendo dispor ainda do auxílio do dono, que é especialista no assunto. O proprietário também possui grande conhecimento sobre os livros do acervo, podendo fornecer grande ajuda a quem precisar. Caso não seja possível encontrar o produto na data específica da visita do cliente, é possível que o mesmo solicite encomenda ao dono, que possui inúmeros contatos podendo assim conseguir com que o pedido seja encontrado e chegue ao seu consumidor. Buscando atingir seu público-alvo, a empresa participa de feiras relacionadas a seus produtos. O sebo se faz presente em feiras de livros, porém seu maior faturamento é obtido quando participa da Feira do Vinil de Curitiba, realizada a cada 3 meses no Canal da Música. Para que as vendas da loja física sejam elevadas, a solução seria buscar embasamento em um projeto de marketing, para que seguindo as estratégias possam ter as diretrizes para que esse negócio seja alavancado.
  34. 34. 34 Etapa Conceitual
  35. 35. 35 urante a etapa conceitual procuramos subsídios que nos ajudassem a construir o conceito d a marca que viríamos a criar. Analisamos a empresa através de seus ambientes interno e externo, além de criarmos um conteúdo temático. Assim criamos um diagrama para a construção do conceito, neste diagrama levamos em conta aspectos como os objetivos da empresa, seus diferenciais, os valores da empresa, os comportamentos dos consumidores e os insights que havíamos agrupado anteriormente. Após a criação de nosso conceito começamos nossas rafes para a marca que iria compor toda a identidade visual do Espaço Alternativo. Das 10 opções apresentadas, as 5 melhores foram vetorizadas e aplicadas a matriz de avaliação, a qual nos auxiliou a escolher a logo vencedora, com base em critérios além de nossos gostos pessoais.
  36. 36. 36 Nem sempre a busca por um conceito é tarefa fácil. Buscar em inúmeras fontes algo que agregará sentido ao projeto pode ser algo que requer paciência, inspiração e pode acontecer a qualquer momento, necessitando apenas estarmos preparados para tal. De início pensamos em conjunto simbolizar o sebo Espaço Alternativo através do diamante, por ser algo precioso e raro, além de trazer em si suas múltiplas facetas que representariam a variedade do público frequentador. o Início
  37. 37. 37 Assim demos prosseguimento ao trabalho, construímos o conceito e a partir dele realizamos inúmeros estudos de marca. Vetorizamos as melhores dando predominância à cor azul, representante da seriedade. Porém em nosso âmago trazíamos incertezas e um sentimento de que esta não era a melhor solução. Estávamos tão envolvidos no processo criativo que não conseguíamos vislumbrar outros horizontes que nos proporcionassem outras perspectivas. A partir da banca da etapa conceitual, obtivemos o feedback dos professores que nos relataram críticas construtivas que muito nos auxiliaram. Percebemos então que o design é um processo iterativo, onde podemos retornar à etapas anteriores, para avançar com mais confiança no processo. Assim mudamos todo o conceito, painel semântico, realizamos novos estudos de marca, e aplicamos as melhores a uma nova matriz de avaliação, chegando ao resultado apresentado neste trabalho.
  38. 38. 38 Diagrama de Conceito ESPAÇO ALTERNATIVO SEBO DIAGRAMA DE AFINIDADES INCORPORAÇÃO: Nosso conceito será aplicado na papelaria, site, memorial descritivo, onde buscaremos expressar o aconchego. CLIENTES COMPORTAMENTOS: .Vinculo Emocional. .Colecionadors exigem produtos de alta qualidade. VALORES: Respeitar o cliente deixando-o a vontade na hora da compra. Preço dos produtos é justo. TRADIÇÃO: Marca existente no mercado desde 1989, nasceu como Alternativa Records, loja especializada em lps. CLIENTES: As pessoas que frequentam o Sebo Espaço Alternativo são colecionadores de discos de vinil que buscam raridades, artistas em busca de discos da promoção para fazer artesanato, apreciadores de livros e pessoas que gostam de histórias em quadrinhos. OBJETIVOS: Melhorar a sinalização da loja, aumentar as vendas através do site e da loja física. Melhorar a divulgação do sebo. Criação de toda identidade visual para melhor aceitação do publico.Melhor circulação de clientes pela loja. DIFERENCIAIS : - Conhecimento aprofundado dos donos em relação á seus produtos, e os temas deles decorrentes. - Preço Justo CONTEÚDO TEMÁTICO O sebo é um local para se encontrar produtos antigos que geram vínculo emocional com os consumidores por lembrar velhos tempos. Por esses e outros fatores que usaremos como conteúdo temático o ninho, além de uma representação gráfica mostrando o cuidado com o cliente, a liberdade e inspiração que o público sente ao circular folhear seus livros e ouvir os vinis do sebo.
  39. 39. 39 Matriz de Avaliação Realizamos em equipe essa matriz de avaliação, para decidir na escolha do logotipo do sebo Espaço Alterativo Critérios Peso 01 02 03 04 05 Conceito 3 4 12 5 15 2 6 4 12 3 9 Potencial de Aplicação 3 4 12 4 12 2 6 1 3 2 6 Memorização 2 3 6 4 8 3 6 3 6 2 4 Confiança 1 3 3 3 3 4 4 4 4 3 3 Harmonia Visual 2 2 4 5 10 3 6 4 8 3 6 Padronagem 3 3 6 4 12 4 12 1 3 1 3 Total 43 60 40 36 31 Opções
  40. 40. 40 Estudos Espaço Projeto Integrador - Módulo D 9 1 2 3 4 876 109 5 Estudos
  41. 41. 41
  42. 42. 42 Painel Semântico O Sebo Espaço Alternativo proporciona bem estar, conforto, um ambiente de relacionamento social, ambiente aconchegante como um lar, um espaço aconchegante onde o visitante se sente acolhido, música de qualidade e variedade que cada uma dessas imagens está representando.
  43. 43. 43
  44. 44. 44
  45. 45. 45 Aconchego Nostálgico O conceito do Sebo Espaço Alternativo pode ser transcrito através do aconchego. É possível sentir todo o bem- estar que o ambiente nos proporciona logo que o adentramos. Em um local acolhedor e agradável, os clientes do sebo podem sentir-se a vontade perante a nostalgia inerente ao ambiente. A palavra “aconchegar” viria de “acalentar”, tendo sua origem do Latim CONSOPIRE, com o sentido de “aproximar- se”. Sendo justamente este sentido que pode ser notado junto aos frequentadores do sebo, que lá encontram um recanto onde podem encontrar produtos antigos que ainda geram vínculo emocional com os consumidores, fazendo-os sentir como se pudessem voltar aos velhos tempos que tanto lhe inspiram. Buscaremos expressar este aconchego através do ninho de passarinho. Olhando pelo ponto de vista de que o Sebo Espaço Alternativo representa um refúgio aos amantes de preciosidades. Tornando o local como referência e destino certo de quem gosta de boa música, ou ainda leitores em busca da experiência da cultura. Este envolvimento que a marca do sebo nos proporciona através do acolhimento, se assemelha ao ninho, que nos faz ter a certeza da melhor escolha tornando-se especial a todos os nossos sentidos.
  46. 46. 46 Etapa Operacional
  47. 47. 47 urante o desenvolvimento da etapa operacional começamos a dar início a concretização de n o s s a s ideias para o sebo. Criamos mock-ups virtuais para que nosso cliente possa ver nosso trabalho aplicado a uma realidade simulada. Iniciamos a aplicação da marca em na papelaria corporativa do Espaço Alternativo, além de criarmos novas soluções de web para que o sebo possa dispor de e-commerce para venda de e-books, livros usados, gibis e os discos de vinil. Ainda criamos a frota do sebo, dispondo de uma bicicleta para entregas próximas a região da loja, inovando na forma de entrega do sebo, que se preocupa em ter atitudes sustentáveis e ainda aproveita desse meio para fazer uma propaganda fazendo com que as pessoas visualizem o nome do sebo através de uma bandeira disposta atrás da bicicleta.
  48. 48. 48 Desafios e Oportunidades Ao analisarmos a fundo o negócio do sebo, nos deparamos com inúmeros desafios a serem enfrentados. A empresa não possui identidade visual, a poluição de informações na frente da loja dificulta o interesse de novos clientes em adentrar ao local, sendo que os consumidores que vão à loja não costumam circular por todo o ambiente. Após o fechamento de um hotel que existia na frente do sebo, as vendas caíram muito. A localização da loja interfere na saída dos produtos, pois a rua onde o sebo está, não há grande fluxo de pessoas. Outro desafio é o fator de que devido à popularização dos e-books e facilidade de encontrá-los na internet, o sebo sofre com a baixa venda dos livros físicos. Para que seja possível a transformação desses desafios em oportunidades são propostas algumas iniciativas. Fazendo com que o cliente possa sentir-se aconchegado no ambiente do sebo, iremos proporcionar experimentação com a marca. Será reservado um local para que o consumidor possa, por exemplo, ouvir um disco em vitrola com headphone, ou sentar-se para ler um livro em um puff especialmente reservado a isso. Isso irá melhorar a circulação de clientes pela loja, além de fazer com que as pessoas associem inconscientemente o conceito do Espaço Alternativo. Faremos ainda com que o e-book seja um aliado e não um problema na queda das venda, disponibilizando- os em seu e-commerce. O objetivo desde projeto será desmistificar a ideia que inúmeras pessoas ainda têm de que sebos são locais empoeirados e escuros, subvertendo esse pensamento no sentido de que o sebo pode ser um local agradável e aconchegante. Essas e outras estratégias servirão de base para que possamos indicar as diretrizes de Marketing para que a empresa possa alavancar o sucesso do negócio.
  49. 49. 49
  50. 50. 50 O Aplicativo Espaço Alternativo foi desenvolvido para atender ao público do sebo facilitando a busca pelos produtos mais procurados na loja que são os livros, os LP’s e mais recentemente o e-book. Na página principal é possível ter acesso a duas interfaces, Vinil Lovers a quem ama os discos de vinil, e Book Lovers para os apaixonados por livros.
  51. 51. 51 Denominada Book lovers, está é a sua interface e foi desenvolvida para clientes associados e que desejam buscar e-books ou consultar o acervo do sebo.
  52. 52. 52
  53. 53. 53 stá interface é a Vinil Lovers e foi pensada para facilitar a busca de artistas em meio aos LP’s do acervo da loja, assim os colecionadores p o d e m consultar onde estiverem se aquela raridade tão dese- jada já está disponível.
  54. 54. 54 Seguindo o movimento BlackBack web Theory (Teoria do fundo preto na internet), onde se afirma que fundos pretos em sites economizam energia, elaboramos o site em tons de preto para transparecer a essência do sebo. Soluções Web
  55. 55. 55
  56. 56. 56 Foi desenvolvido uma plataforma de E-commerce para que o sebo Espaço Alternativo possa disponibilizar vendas on-line, seguindo a tendência mundial, onde cada vez mais pessoas realizam compras através da internet.
  57. 57. 57 Tanto a plataforma do site, quanto a do E-commerce foram desenvolvidas de forma responsiva. Adaptando-se assim a qualquer forma de acesso que o consumidor esteja utilizando.
  58. 58. 58 A fachada do sebo era um desafio a ser solucionado. Desde nossa primeira visita ao local percebemos o quanto o local precisava de uma revitalização para atrair o público. Suas paredes externas estavam pixadas, além de toda poluição visual gerada pelo excesso de informações geravam má impressão ao sebo.
  59. 59. 59 Pensando nisso revitalizamos a fachada do sebo de maneira que tivesse um aspecto limpo e que remetesse o aconchego do lugar através da madeira da placa que foi instalada acima da porta. A marca está gravada na madeira, e a noite possui uma iluminação especial para que se sobressaia as demais.
  60. 60. 60 Foram elaboradas camisetas especiais para os funcionários do Espaço Alternativo. Sendo feminina e masculinas, com cores diferêntes: a vermelha para a funcionária que arruma as estantes e auxilia o público, a preta para a recepcionista e caixa, e a masculina para o entregador da loja.
  61. 61. 61
  62. 62. 62
  63. 63. 63 O kit fornecido aos funcionários contém: Camiseta, bottons personalizados, cartão especial de desconto para funcionário, crachá e acesso especial aos aplicativos do sebo. Kit Exclusivo
  64. 64. 64 A papelaria do sebo Espaço Alternativo contém: • Envelope de uso interno para envio de documentos e correspondências • Cartões institucionais. • Carimbo do sebo Espaço Alternativo. • Folha timbrada para impressão de documentos importantes. • Pasta organizadora de documentos. • Tablet e Smat phone para clientes antenados à tecnologia. • Com o auxilio do tablet poderão realizar pesquisas rápidas de produtos do sebo. Papelaria
  65. 65. 65
  66. 66. 66
  67. 67. 67 Através do Folder de divulgação dos eventos do sebo, que fica á disposição do público na recepção da loja. Fique Ligado!
  68. 68. 68 Marca Olfativa Para que pudéssemos fazer transparecer nosso conceito de aconchego através de uma marca olfativa, buscamos em um produto tátil inspiração para fazer com que ao passar nas mãos o creme de hidratação para mãos da Vasenol, a pessoa possa sentir o aroma aconchegante do sebo, ao mesmo tempo em que tem suas mãos hidratadas após manusear os livros da loja, levando consigo uma sensação agradável, fazendo com que o cliente associe o cheiro ao bem estar que encontra no Espaço Alternativo.
  69. 69. 69 Marca Sonora A música escolhida para representar o sebo não poderia ser escolhida a esmo, visto que os frequentadores da loja que lá vão fazer sua caçada por raridades são profundos conhecedores de boa música. Fomos a fundo ao Classic Rock anos 70 e enfim chegamos ao Southern Rock da desconhecida banda americana Marshall Tucker Band. Lançada em 1973, Can’t You See reflete todo o aconchego do sebo, associando ainda a qualidade sonora que o vinil proporciona aos ouvidos dos conhecedores do assunto. Com seu início calmo, a música cresce com flautas e guitarras que tocam nossa alma, fazendo com que ao ouvir essa música associemos inconscientemente o conceito da marca.
  70. 70. 70 Análise SWOT
  71. 71. 71 O sebo Espaço Alternativo traz em sua essência a sustentabilidade. Os produtos ofertados, em sua maioria, já foram utilizados, porém por gerarem alto vínculo emocional com os clientes, voltam às prateleiras, após restauração, para fazerem palpitar o coração de apaixonados pelo ambiente nostálgico do sebo. Buscamos constantemente aprimorar nosso atendimento, para melhor auxiliar na busca por livros ou LPs. Assim nossa relação para com os clientes busca aliar respeito e excelência, promovendo a melhor experiência ao variado público frequentador desse Espaço Alternativo. Assegurar a nossos clientes a excelência através de nosso assessoramento na busca pelos produtos disponíveis no sebo, promovendo a experiência da cultura, agregando novos valores e superando expectativas. Temos paixão pelos produtos que disponibilizamos, procurando sempre restaurá-los com todo o carinho que uma raridade merece. Respeitamos sempre nossa postura ética de forma transparente, buscamos garantir aos clientes a certeza de que ao adentrar o Espaço Alternativo, estão fazendo a melhor escolha. Missão Visão
  72. 72. 72 O Marketing Como Estratégia O sebo Espaço Alternativo tem como principais diferenciais o conhecimento aprofundado do dono com relação ao vinil, um dos principais produtos comercializados na loja, pois a loja nasceu como uma loja especializada em Lp’s, passando posteriormente a sebo, há cerca de seis anos. Interligando os diferenciais ao conceito proposto que traduz o aconchego que o sebo proporciona, o objetivo é mostrar aos consumidores que o Espaço Alternativo é a melhor escolha devido à qualidade dos produtos que oferece. São necessárias que sejam implementadas medidas internas para um melhor andamento da gestão do proprietário em relação ao próprio sebo. Como se trata de um negócio familiar somente o dono e sua filha se revezam no atendimento da loja, não sobrando tempo para pensar nas estratégias vitais para o futuro do negócio. Apresentamos aqui o plano de marketing para o Espaço Alternativo, um pequeno negócio do mercado de sebos. Com o plano pretendemos fazer com que a empresa cresça e se desenvolva a tal ponto que se torne referência no ramo em que atua. Para isso, faz-se necessário a criação de uma nova identidade visual e o respectivo reforço da marca.
  73. 73. 73 O Plano O maior volume de vendas dos produtos provenientes do sebo é feito através das feiras em que o sebo participa, como a feira do vinil de Curitiba. Assim sendo, objetivo é fazer com que as vendas da loja aumentem promovendo um encontro quinzenal para os amantes do sebo. Esse encontro é destinado para que as pessoas visitem o sebo para realizar trocas, compras e interação com o ambiente da loja. A experiência a ser encontrada no sebo se traduz por: Preço • Clientes ganham 10% de desconto no cartão fidelidade quando trouxer um amigo e este efetivar uma compra. Produto • Parcerias estratégicas com editoras - para que disponibilizem vendas de livros no sebo. • Procura de livros - poderá ser realizada através do tablet que ficará a disposição do cliente nas estantes para facilitar essa interação. • Em parceria com escritores que escrevem e-books, iremos disponibilizar vendas de livros virtuais através do e-commerce, podendo ser consultado no aplicativo do Espaço Alternativo. Promoção • Através das mídias sociais a marca será promovida. O encontro quinzenal do sebo será marcado por eventos no Facebook para atrair maior público.
  74. 74. 74 • Sugestão de parceria com editoras – através dessa parceria, haverá a colocação de mobiliários urbanos e campanha em cartazes, que serão distribuídos por toda a cidade para atrair maior volume de clientes para o sebo. • Apoiando a cena das bandas de Curitiba o sebo irá fazer parceria com empresas que fabricam LP’s para que as bandas que tocam covers dos clássicos do rock n roll, possam gravar músicas no LP do sebo. Ponto de Venda • Ambiente - a iluminação será melhorada para que o público possa sentir o aconchego do sebo. • Nova fachada - é necessário a implementação de uma iluminação especial do lado de fora, para que ela possa ser melhor vista à noite, quando a rua toda estiver escura, a marca do sebo sobressairá. • Recepção - um funcionário do sebo ficará a disposição para ajudar pessoas que tiverem dúvidas, deficientes ou idosos com dificuldade de leitura a encontrarem o que desejam. • Aos amantes de LP’s - promoveremos a experiência para que se possa ouvir o disco de vinil em uma vitrola que será disponibilizada na parte de trás da loja. • Colocação de puffs para que o cliente possa se sentir a vontade para ler ou ouvir um LP, mesmo que não haja a efetivação da compra o intuito desse espaço na loja é a experiência com a marca para fidelizar o cliente. • Parceria estratégica com Vasenol - colocação de display próximo à porta para que ao sair do sebo o cliente possa ter suas mãos hidratadas após manusear livros ou discos, levando consigo a agradável sensação da experiência que obteve no Espaço Alternativo.
  75. 75. 75 Comunicação do Plano As pessoas são essenciais para o bom andamento do negócio, sendo responsáveis pela qualidade do atendimento e dos serviços prestados. É essencial que os colaboradores tenham total conhecimento do posicionamento da empresa, dos objetivos e metas. Tendo assim participação ativa nos processos internos da empresa, é necessário que estejam motivados e compreendam que um bom atendimento aos clientes, irá gerar maior satisfação, refletindo assim nas vendas do sebo. Atualmente, o sebo conta apenas com o proprietário como único funcionário, dispondo eventualmente da ajuda de sua filha para revezamento no caixa. Para uma melhor gestão de negócio, a loja precisa realizar a contratação de funcionários. Sendo eles: recepcionista e caixa, repositor de livros e entregador. O plano deverá ser comunicado aos novos colaboradores do Espaço Alternativo, já em seu treinamento, para que desde seu ingresso na empresa não hajam falhas de comunicação. Assim, potencializaremos as pessoas como importantes ferramentas de divulgação da empresa, que podem tanto gerar uma boa ou má influência no posicionamento de mercado do sebo.
  76. 76. 76 Campanha Nossa campanha tem como objetivo a divulgação da marca Espaço Alternativo para que mais pessoas conheçam o sebo e venham a se tornar clientes posteriormente. Em parceria estratégica com editoras que patrocinarão a campanha do sebo, também disponibilizando títulos a venda na loja, iremos alavancar o volume de vendas através de cartazes que serão colocados por toda a cidade, em locais de grande fluxo de pessoas como: em terminais, em faculdades, em áreas do centro, etc. Será realizada ainda a implementação da campanha em mobiliários urbanos. Tendo unidade visual com os cartazes, os MUB estarão em pontos de ônibus e em shoppings, para que ao se deparar com uma iniciativa do Espaço Alternativo, as pessoas sintam-se aguçadas a irem conhecer e apaixonar-se por este local aconchegante. O tema da campanha será enfocado nas experiências que cada pessoa tem em relação aos produtos do sebo. Visto que a maioria do público tem vinculo emocional com itens específicos da loja, nosso slogan de campanha será “Venha apaixonar-se no Espaço Alternativo”.
  77. 77. 77
  78. 78. 78 Mobiliário Urbano
  79. 79. 79
  80. 80. 80 Sustentabilidade • Bicicleta para entregas • Flayer papel reciclado • Sacolas de papelão • Eco bag • Caneca • Encontro quinzenal para compra e troca de livros, LP’s e Gibis. • Jovem Aprendiz para entregas. • Gravação de LP com as melhores músicas de todos os tempos. • Discos de vinil em pro- moção para artistas. Ambiental Ambiental Social Cultural Social Cultural Ações que visam redu- zir o impacto ao meio ambiente Ações que visam Promover a sociedade e o ser humano com um todo. Ações que visam Promo- ver o aspecto da cultura como fundamento da sociedade Sustentabilidade
  81. 81. 81 ste é um tema q u e t e m s i d o muito discutido e m n o s s a sociedade, devemos ser sustentáveis em todos os ambitos é o que se debate, porém poucas são as empresas que realmente buscam a sustentabilidade como princípio básico de sua gestão. Nosso cliente, o sebo Espaço Alternativo é por si só um negóicio que tem fundamentos na sustentabilidade, pois as pessoas vendem ao sebo por exemplo um livro, que não seria mais utilizado e provavelmente seria descartado no meio ambiente. O mesmo acontece com os discos de vinil, que mesmo não sendo mais ouvido pode virar arte em mãos habilidosas de artistas que buscam no sebo a matéria prima para suas obras. Porém ao falarmos de sustentabilidade, por vezes só observamos um único viés desse tema: o aspecto ambiental, esquecendo- nos que há também seu lado cultural e social. Para que o sebo seja reconhecido por sua preocupação sustentavel, serão propostas algumas medidas nesse sentido. Para o aspecto ambiental, a proposta é de que o sebo irá oferecer a seus clientes sacolas de papelão, já com a aplicação da marca para maior reconhecimento dos consumidores, ela possui o tamanho exato para que a pessoa que compra o disco de vinil, possa carregá-lo sem que este dobre as pontas como acontece quando o transportamos em sacolas plásticas, que acabam rasgando e danificando o produto, além de poluirem o meio ambiente. Para os clientes mais fiéis, criamos uma eco bag para venda no sebo, assim as pessoas que retornarem já podem trazer sua sacola para carregar suas compras, levando sempre a marca Espaço Alternativo por onde forem. Como medida interna, o sebo adotará a medida do uso de canecas para os funcionários, evitando assim uma grande quantidade de copos plásticos que são utilizados apenas uma vez e jogados fora. A frota do Espaço Alternativo, conta com uma bicicleta para que as entregas em domicílio sejam feitas com maior agilidade,
  82. 82. 82 em um perímetro de 5 km de distância. Aproveitandoessemeiodetransporte ainda pouco utilizado, instalamos uma bandeira do sebo para que as pessoas fiquem instigadas a descobrirem este local que realmente se preocupa com o meio ambiente. O sebo promove ainda ações que se preocupam com o âmbito social, pois um lugar que tem como conceito fundamental o aconchego, não deve deixar de promover a sociedade. Quinzenalmente a loja realiza encontros de compra, venda e troca de livros, LP’s e gibis. Este encontro se destina a toda a família, pois é realizado nos sábados pela manhã com o intuito de que as pessoas que gostam de discos ou de livros possam trazer seus filhos e passar a essa nova geração o gosto pelo conhecimento, ou ainda promover a sensação de volta aos bons tempos para os amantes de boa música. O Espaço Alternativo demonstra ainda que é ambiente para todas as tribos, promovendo a cena cultural de curitiba. Em conjunto com bandas que tocam músicas das décadas de 1960, 1970 e 1980, em parceria com a polisom; empresa que voltou a fabricar discos de vinil no Brasil, o sebo irá aproveitar a crescente tendência dos artistas que gravam seus albuns em discos, para gravar uma compilação com os melhores covers das bandas curitibanas, tornando-se pioneiro nesse sentido. Uma empresa não deve endender a sustentabilidade por apenas um único ponto de vista. É preciso que a sua visão seja ampla e voltada para ações de curto, médio e longo prazo. . Assim um local que deseja promover a experiência da cultura, poderá ser vista como um local que acolhe a todos e se preocupa com a qualidade de vida das pessoas que adentram ao universo do Espaço Alternativo.
  83. 83. 83 Eco bag retornável, para clientes mais acíduos Sacolas de papelão distribuidas a cada compra
  84. 84. 84
  85. 85. 85 Manual de Identidade Visual
  86. 86. 86 O Espaço Alternativo é um sebo da cidade de Curitiba, onde se pode adquirir produtos exclusivos que em sua maioria não são mais produzidos em série. A marca existente no mercado desde 1989 era chamada Alternativa Records e se tratava de uma loja especializada em discos de vinil. Posteriormente com a queda nas vendas de discos, passou a Sebo há cerca de 6 anos, assumindo o nome de Espaço Alternativo. O sebo é especialista quando se trata da venda de Lp’s justamente por ter nascido como uma loja deste ramo, porém não deixa a desejar em nenhum aspecto quando falamos em livros novos e usados. O nome Espaço Alternativo, reflete perfei- tamente o intuito do sebo, que é de ser um espaço destinado a um público amplo, mas que podem coexistir neste ambiente agradável e aconchegante. O logotipo tem como principal função refletir o am- biente acolhedor que o sebo nos remete, transformando-o em um ni- nho de passarinho. Procuramos unir em um só símbolo 4 formas: o ninho, o pássaro, a agulha da vitrola e o vinil. Assim transmitimos através das próprias formas de um pássaro en- volvendo seu ninho, aproximando-se com o bico do seu ovo. A marca pode ser utilizada de duas maneiras: na vertical (principal) e na horizontal (opcional). O uso da marca na horizontal ocorre quando a forma principal não se adapta ao contexto onde será inserido. Apresentação
  87. 87. 87 Uso preferencial: Opcional: Espaço Espaço
  88. 88. 88 As cores utilizadas no símbolo da marca foram utilizadas de forma com que fosse percebido um ritmo visual ao se observá-la. Elas variam do vermelho escuro, passando pelos tons alegres da cor laranja até chegarem a um tom aconchegante de bege. As cores também remetem a uma uma chama, sendo esta encarada do ponto de vista de que o conhecimento que adquirimos no sebo é a chama que aquece nossa alma, ainda podendo ser a mesma que a enaltece nosso coração quando ouvimos o chiadinho típico do vinil na vitrola. Para a reprodução das cores institucionais é de suma importância que se siga os padrões de cores para garantir a consistência da identidade corporativa. Dependendo da natureza da peça a ser trabalhada, outras referências de cores serão necessárias. Tomando-se o PANTONE como base para comparação, caso não existam especificações estabelecidas, deve se partir do princípio da aproximação. A seguir estão as referências usadas mais frequentemente: Paleta de Cores
  89. 89. 89 Pantone: 7529 C CMYK: 26 / 27 / 33 / 0 RGB: 192 / 178 / 165 #C0B2A5 Pantone: 150 C CMYK: 0 / 40 / 75 /0 RGB: 250 / 167 / 85 #FAA755 Pantone: 156 C CMYK: 3 / 69 / 99 / 0 RGB: 225 / 113 / 36 #EB7124 Pantone: 7417 C CMYK: 5 / 85 / 88 / 0 RGB: 228 / 77 / 52 #E44D34 Pantone: 1797 C CMYK: 14 / 99 / 94 / 4 RGB: 202 / 37 /44 #CA252C Pantone: 201 C CMYK: 25 / 100 / 80 / 20 RGB: 160 / 28 / 51 #A01C33
  90. 90. 90 Champagne & Limousinese Bold (para realçar informações importantes) AaBbCcDdEeFfGgHhIiJjKkLlMmNnOoPpQqRrSsTtUuVvXxYyZz 123456789 !@#$%¨&()-_=+`´[]{}^~<>,:;“” Champagne & Limousinese Regular (para subtítulos) AaBbCcDdEeFfGgHhIiJjKkLlMmNnOoPpQqRrSsTtUuVvXxYyZz 123456789 !@#$%¨&()-_=+`´[]{}^~<>,:;“” Champagne & Limousinese italic (para legendas ou informações menos importan- tes) AaBbCcDdEeFfGgHhIiJjKkLlMmNnOoPpQqRrSsTtUuVvXxYyZz 123456789 !@#$%¨&()-_=+`´[]{}^~<>,:;“” Para títulos e legendas Tipografia
  91. 91. 91 Principal Champagne & Limousinese Regular (12pt) AaBbCcDdEeFfGgHhIiJjKkLlMmNnOoPpQqRrSsTtUuVvXxYyZz 123456789 !@#$%¨&()-_=+`´[] {}^~<>,:;“” Secundária Century Gothic regular (9pt) AaBbCcDdEeFfGgHhIiJjKkLlMmNnOoPpQqRrSsTtUuVvXxYyZz 123456789 !@#$%¨&()-_=+`´[]{}^~<>,:;“” Verdana regular (12pt) AaBbCcDdEeFfGgHhIiJjKkLlMmNnOoPpQqRrSsTtUuVvXxYyZz 123456789 !@#$%¨&()-_=+`´[]{}^~<>,:;“” Para textos impressos Para uso exclusivo em e-mails
  92. 92. 92 Para que fosse possível a representação da marca em um símbolo que demonstrasse toda a essência do aconchego que trazemos em nosso conceito, foram incorporados 4 elementos básicos: o disco de vinil, a agulha, o ninho e o pássaro. Neste contexto o vinil representa o ninho, seguido pela cabeça (agulha) da ave que aproxima-se. O corpo do pássaro envolve todo o ninho, fazendo transparecer todo o aconchego que encontramos ao adentrar o universo que o Sebo Espaço Alternativo nos proporciona. Elementos da Marca
  93. 93. 93 Agulha vitrola Disco de vinil Ninho de pássaro Pássaro
  94. 94. 94 É necessária uma área de respiro para que a marca não sofra interferência de outros elementos. Para que a leitura seja facilitada há uma região de proteção relativa ao tamanho do vinil que o pássaro segura com o bico. Grid
  95. 95. 95 Espaço
  96. 96. 96 Esta versão deve ser aplicada sobre matrizes mais escuras preferencialmente em preto, sendo executada quando não houver alternativas de cor. Versão Negativa
  97. 97. 97 Espaço
  98. 98. 98 Espaço Espaço A versão monocromática deve ser aplicada quando não houver possibilidade de impressão em cores. Sobre fundo branco K = 50% K = 50% K = 40% K = 40% K = 30% K = 30% K = 20% K = 20% K = 10% K = 10% K = 0% K = 0% Secundária Principal K = 0 % K = 0 %
  99. 99. 99 Espaço Espaço Sobre fundo branco Principal K = 80% K = 80% K = 70% K = 70% K = 60% K = 60% K = 50% K = 50% K = 40% K = 40% K = 30% K = 30% K = 20% K = 20% Secundária
  100. 100. 100 Versão esta que apenas deve ser usada em último caso, quando existirem restrições cromáticas e de impressão. Espaço Espaço
  101. 101. 101 Espaço Espaço
  102. 102. 102 A versão em tons de cobre deve ser aplicada sobre tons claros ou escuros, sob forma de composição para melhor efeito visual ou quando o contexto melhor se aplicar a está versão. Pode ser aplicada nas sacolas de papelão do sebo, com a opacidade reduzida. Versão Tons de Cobre
  103. 103. 103 Espaço Espaço
  104. 104. 104 A utilização do símbolo sem a tipografia é permitida em algumas situações específicas no material impresso, tais como no cartão, envelope, sacola, ou ainda quando convém ao contexto. Uso do Símbolo
  105. 105. 105
  106. 106. 106 A redução excessiva de uma marca dificulta e pode até impossibilitar sua leitura e seu reconhecimento. Porém, a determinação destes limites dependerá do processo que será empregado, a qualidade do arquivo original e a qualidade da reprodução resultante. Recomendamos a redução da marca Espaço Alternativo, baseando-se no processo de impressão offset, de acordo com as medidas especificadas ao lado. Reduções além deste limite estabelecido comprometerão a leitura da marca. Redução Mínima
  107. 107. 107 Espaço Espaço Espaço Espaço Espaço Espaço 15 mm 30 mm 472 pixels 15 mm 15 mm 236 pixels 236 pixels 236 pixels Na telaNo papel Espaço Espaço Espaço Espaço Espaço Espaço
  108. 108. 108 Espaço Distorcer a marca horizontalmente Espaço Aumentar e girar o símbolo Espaço Diminuir a fonte Espaço Colocar o símbolo em cima da letra O Espaço Colocar o símbolo em cima da letra A Espaço Distorcer a marca verticalmente Espaço Inclinar o marca para a direita Espaço Inclinar o marca para a esquerda Usos Incorretos
  109. 109. 109 Logo sobre padrões pequenos e de cores fortes Logo sobre padrões com formas e linhas curvas Logo sobre padrões com repetições excessivas Logo sobre padrões com excesso de linhas Aplicar a marca sobre granulados Aplicar a marca sobre degradê Aplicar a marca sobre degrade
  110. 110. 110 Espaço Espaço Aplicar a marca reduzida no canto inferior esquerdo ou direito. Além disso, deve-se analisar a tonalidade do local (clara ou escura) para escolher a versão correta da marca a ser utilizada. Nunca colocar o símbolo sobre o rosto de modelos e também jamais aplicar a marca em tamanho grande no centro da fotografia. O logo quando aplicado sobre figuras deve assumir a função de assinatura. Não aplicar a Marca sobre peças de design, pois o símbolo chama mais a atenção do que o produto anunciado. Somado a isso, não colocar a marca em tamanho grande e nem no centro do projeto. Aplicações Sobre Imagens
  111. 111. 111 Padronagens
  112. 112. 112 O veículo da Empresa é do tipo furgão. Na lateral pode-se observar o símbolo aplicado sem a tipografia. Sendo aplicado na porta para melhor reconhecimento da marca. Acima do capo frontal também há a aplicação do símbolo. Já na parte traseira apenas a tipografia foi colocada. A cor original do carro foi preservada para que fosse dado total enfoque na marca e em seu símbolo que por sinal é bem forte. Frota
  113. 113. 113 O sebo ainda dispõe de uma bicicleta para entregas próximas a região do sebo. A bicicleta foi personalizada com as cores do símbolo em contraste com o branco original. Aproveitando este veículo, colocamos uma bandeira com a marca do sebo para que o Espaço Alternativo seja reconhecido.
  114. 114. 114 Cartão de visita frente 9cm. O cartão de visita possui formato 9x5cm. Na parte da frente, há uma composição com a logo em tons de cobre como plano de fundo, além das informações básicas para contato. Papelaria
  115. 115. 115 O envelope ofício é branco. A marca está reduzida no canto superior esquerdo, tendo a baixo as informações básicas, há uma composição com a marca em tons de cobre com baixa opacidade para melhor efeito visual.
  116. 116. 116 Folha timbrada possui a marca em baixa opacidade como fundo e a versão normal reduzida na lateral superior esquerda. A assinatura do proprietário é feita no canto inferior direito, seguida pelas informações básicas alinhadas à esquerda.
  117. 117. 117 Em parceria com o aluno Rafael Amâncio, do curso de Design de Interiores, buscamos projetar o ambiente do sebo, para que este transmita em seu interior todo o aconchego a que se propõe. Os livros foram dispostos em mesas circulares no centro da loja de modo a facilitar o fluxo de pessoas pelo ambiente, quebrando os velhos paradigmas de que sebos são lugares desorganizados com pilhas de livros amontoados. As paredes receberam um papel de parede especial com o tema de ninho, para remeter ao conceito proposto. Para que as pessoas sintam- se aconchegadas neste ambiente, o teto foi rebaixado, a iluminação melhorada, além do uso da madeira em alguns detalhes para que o local fique especialmente agradável aos frequentadores do Espaço Alternativo. Design Interiores
  118. 118. 118
  119. 119. 119
  120. 120. 120
  121. 121. 121
  122. 122. 122
  123. 123. 123
  124. 124. 124 Apresentamos aqui o orçamento anual com a estimativa de fatuamento e os investimentos que se fazem necessários para a implementação do projeto. Viabilidade Financeira
  125. 125. 125 Estimativa de faturamento Jan Fev Mar Abri Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Serviços 2.000 3.000 5.000 4.000 3.000 5.000 4.000 6.000 7.000 7.000 8.000 10.000 Produtos 8.000 10.000 7.000 11.000 15.000 16.000 18.000 17.000 18.000 20.000 19.000 23,000 Total 10.000 13.000 12.000 15.000 18.000 21.000 22.000 23.000 25.000 27.000 27.000 33.000 Investimento Jan Fev Mar Abri Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Serviços Web 3.000 2.000 2.000 3.000 4.000 3.000 2.000 4.000 5.000 3.000 3.000 4.000 Aplicativos 1.000 2.000 1.000 3.000 2.000 4.000 3.000 5.000 4.000 2.000 3.000 5.000 Mídias sociais 1.000 2.000 2.000 2.000 3.000 1.000 2.000 3.000 3.000 2.000 3.000 4.000 Cartazes* 500,00 400,00 300,00 300,00 500,00 600,00 800,00 700,00 600,00 800,00 900,00 1.000 MUB* 2.000 3.000 3.000 2.000 5.000 7.000 7.000 8.000 10.000 11.000 11.000 12.000 Serviços Desigin* Total 7,500,00 9.400,00 8.300,00 10.300,00 14.500,00 15.600,00 14.800,00 20.700,00 22.600,00 18.800 20,900 26.000 Cartazes e MUBs: valor excedente pago pelas editoras parceiras. Serviços Design: não será cobrado quando realizado pelos designers da equipe.
  126. 126. 126 A execução do projeto se faz necessário para que o sebo Espaço Alternativo tenha o reconhecimento por parte dos clientes e para que ao conquistar novos possa conseguir fidelizá-los, agradando ao gosto de pessoas que buscam neste espaço um recanto nostálgico. A crescente tendência do aumento das vendas de produtos como os discos de vinil, faz com que o Espaço Alternativo seja ainda mais valorizado, visando a tradição que a loja dispõe, pois nasceu em 1989 como uma loja especializada em Lp’s. Porém é de vital importância que o sebo diferencie-se de tantos outros que são encontrados por toda a cidade, fazendo com que as pessoas ao pensarem em sebo já de início pensem no Espaço Alternativo para efetuarem suas compras. Essa valorização das pessoas que frequentam o sebo fará com que aquele lugar torne-se não apenas um local para compra, mas sim um ambiente que exala conhecimento e nostalgia em toda sua essência. Através da conduta sustentável que a empresa irá tomar, poderemos resolver problemas como a queda das vendas de livros, através da venda de e-books no site do sebo, intercalando a inovação e a praticidade que a sociedade necessita, e logicamente aumentando a rentabilidade negócio. Através das diretrizes apresentadas neste trabalho, o sebo terá toda a base primordial para que através do design, possa alçar voo, tal qual o pássaro que nos inspirou na criação da marca, buscando novos ares e conquistando novos mercados, sempre primando por oferecer a seus consumidores o ninho que os aconchega e faz querer sempre voltar a esse Espaço Alternativo. Conclusão
  127. 127. 127 Equipe: Gabriela Mariah Bemvides Gustavo Fernando Santana Marluci Aparecida Scopel
  128. 128. 128 † &

×