Saiba mais sobre vídeo vigilância urbana

158 visualizações

Publicada em

Enquanto espelho de fenómeno sociológico complexo que são os assaltos, a vídeo-vigilância urbana pode trazer uma tranquilidade acrescida quando se trata de prevenir ataques à integridade física de pessoas. Alguns estudos vêm mostrando que a vídeo-vigilância tem-se instalado na direta proporção da percepção do perigo quanto a assaltos e intrusões domiciliárias.

Tal como nas ruas, em nossas casas a vídeo-vigilância também é um adjuvante preciosíssimo na prevenção de assaltos e intrusões. Mas, neste post, falamos-lhe de vídeo-vigilância urbana, isto é, aquela vídeo-vigilância que podemos encontrar nas ruas e que contribuem para aumentar a nossa percepção de segurança.

Soluções de vídeo-vigilância adjuvantes na prevenção de assaltos nos espaços urbanos.

Saiba tudo sobre vídeo vigilância urbana neste artigo do Blog Mais-Seguranca.pt

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
158
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Saiba mais sobre vídeo vigilância urbana

  1. 1.                       Saiba  mais  sobre  vídeo-­‐vigilância  urbana       http://www.mais-­‐seguranca.pt/blog/cctv/video-­‐vigilancia-­‐2/   Enquanto   espelho   de   fenómeno   sociológico   complexo   que   são   os   assaltos,   a   vídeo-­‐vigilância   urbana  pode  trazer  uma  tranquilidade  acrescida  quando  se  trata  de  prevenir  ataques  à  integridade   física  de  pessoas.  Alguns  estudos  vêm  mostrando  que  a  vídeo-­‐vigilância  tem-­‐se  instalado  na  direta   proporção  da  percepção  do  perigo  quanto  a  assaltos  e  intrusões  domiciliárias.   Tal  como  nas  ruas,  em  nossas  casas  a  vídeo-­‐vigilância  também  é  um  adjuvante  preciosíssimo  na   prevenção  de  assaltos  e  intrusões.  Mas,  neste  post,  falamos-­‐lhe  de  vídeo-­‐vigilância  urbana,  isto  é,   aquela  vídeo-­‐vigilância  que  podemos  encontrar  nas  ruas  e  que  contribuem  para  aumentar  a  nossa   percepção  de  segurança.     Soluções   de   vídeo-­‐vigilância   adjuvantes   na   prevenção   de   assaltos  nos  espaços  urbanos   Evite  espaços  urbanos  sem  luz  e  sem  vídeo-­‐vigilância  são  perigosos   Como   fenómeno   complexo,   as   caraterísticas   do   espaço   inter-­‐relacionam-­‐se   usualmente   com   a   incidência   da   criminalidade.   Todos   nós   temos   a   percepção,   embora   não   formalizada,   de   que   existem   espaços   ‘perigosos’   ou,   pelo   menos,   vulneráveis,   a   determinado   tipo   de   criminalidade.   Esta  percepção  está  presente,  por  exemplo,  em  expressões  como  “evite  frequentar  ruas  desertas   e  escuras  à  noite”,  “evite  becos  e  ruelas  mal  frequentadas”  ou  “fuja  de  espaços  mal  iluminados”   Ora,   esta   percepção,   tendo   o   seu   fundo   de   verdade   empírica,   aponta,   de   facto,   para   um   conhecimento  social  do  espaço  urbano,  isto  é,  das  características  que  potencializam  determinado   comportamento  abusivo  e  lesivo  da  nossa  condição  enquanto  cidadãos  e  seres  humanos.   Visite  o  nosso  Blog  em:     http://www.mais-­‐seguranca.pt/blog/  
  2. 2. Mais  vídeo-­‐vigilância,  menos  assaltos   A   vídeo-­‐vigilância,   tratando-­‐se   de   um   expediente   tecnológico,   vê   nas   suas   capacidades   tecnológicas  a  possibilidade  de  tornar  os  espaços  urbanos  mais  seguros,  dissuadindo  o  crime  ou   até  contribuindo    para  a  identificação  e  o  reconhecimento  dos  seus  perpetuadores.   Assim,  a  vídeo-­‐vigilância  a  todos  beneficiará  se  todos  entendermos  a  sua  razão  de  ser  em  termos   de  segurança.  Contudo,  para  melhor  entendermos  a  vídeo-­‐vigilância  enquanto  técnica  do  “olhar”   sobre  o  outro,  deveremos,  primeiro,  tentar  entender  de  que  falamos  quando  falamos  de  espaço   urbano  suscetível  ao  crime.   Sabemos   que   ocorrem   mais   crimes   em   espaços   com   menos   vídeo-­‐vigilância.   Quais   as   razões   sociológicas  desta  coincidência?  Sabemos  que,  de  facto,  os  becos,  por  exemplo,  são  espaços  de   baixa  conectividade,  isto  é,  ligados  somente  a  uma  rua,  podem  ser  espaços  de  maior  risco  uma  vez   que  a  sua  função  de  passagem  ou  caminho  se  torna  mais  exígua.  Num  beco,  há  menos  pessoas  a   movimentarem-­‐se,  logo,  existem  menos  “olhares”  e,  consequentemente,  menor  vigilância.   Nestas  circunstâncias,  a  vídeo-­‐vigilância  como  que  complementa  um  deficit  de  olhar  do  próprio   espaço.  Não  é  à  toa  que  os  espaços  mais  modernos  do  tecido  urbano  concebem  um  design  amplo,   mas   não   demasiado,   tendo   em   conta   factores   como   a   densidade   residencial,   ruas   bem   ligadas   entre  si  e  integradas  no  conjunto  habitacional,  com  presença  de  comércio  e  a  presença  de  alguns   serviços,  bem  como  da  vídeo-­‐vigilância,  evitando  assim  os  chamados  “hot-­‐spots”  de  ocorrência  de   criminalidade  urbana.     O  que  são  os  “hot-­‐spots”  de  ocorrência  da  criminalidade  urbana?     Os  estudiosos  destas  questões  têm  distinguido  entre  “risco”  e  “ocorrência”,  sobretudo  “hot-­‐spots   de  ocorrências”.  Quer  dizer,  ruas  muito  movimentadas  oferecem  uma  “oferta”  maior  de  vítimas   em   potencial,   e,   portanto,   podem   aparecer   estatisticamente   como   hot-­‐spots,   ainda   que   proporcionalmente  tenhamos  maior  risco  de  sermos  escolhidos  como  vítima  em  espaços  pouco   movimentados  (Hillier  2007).    
  3. 3. Nem   sempre   “hot-­‐spots”   de   ocorrências   apresentam   maior   risco   que   espaços   que   podem,   por   vezes,  passar  despercebidos  nas  análises  espaciais  de  dados.  Temos  que  incluir  outro  nível  além   dos   “hot-­‐spots”   de   ocorrência   no   geo-­‐processamento:   o   nível   dos   “hot-­‐spots”   de   risco,   provavelmente  bem  mais  numerosos.       Assim,  a  par  de  uma  vídeo-­‐vigilância  nos  nossos  espaços  urbanos,  que  tornem  mais  segura  a  nossa   presença,  tal  como  nas  nossas  casas,  também  as  ruas  devem  ser  desenhadas  de  modo  a  prevenir  a   criminalidade.   Se   tiver   um   espaço   comercial   virado   para   o   exterior,   pense   na   vídeo-­‐vigilância   como  uma  mais-­‐valia  que  a  todos  beneficiará...  excepto  a  assaltantes.   Vídeo-­‐vigilância  nas  nossas  ruas  é  um  benefício   As  ruas  devem  possuir  boas  ligações  entre  si  e  também  boas  acessibilidades,  pois  acessibilidade  e   densidade  geram  movimento  pedestre  e  automobilístico,  aumentando  assim  a  segurança.   Prédios   com   grande   número   de   janelas   e   portas   viradas   para   a   rua   aumentam   igualmente   a   segurança   nas   ruas.   Por   seu   turno,   a   presença   de   espaços   comerciais,   ao   contrário   do   que   se   pensa,  afirmam  os  especialistas,  aumentam  a  segurança,  sobretudo  quando  ligados  aos  tecidos   residenciais  com  vídeo-­‐vigilância.   Por   último,   condomínios   fechados   e   redes   de   segurança   aumentam   a   segurança   interna   do   espaço,  mas  podem  diminuir  a  segurança  externa,  por  exemplo,  por  não  oferecerem  razões  para  a   instalação  de  redes  de  comércio,  sempre  tão  desejáveis.     Neste  post,  procurámos  alertar  para  a  necessidade  de  procurar  espaços  urbanos  em  que  a  vídeo-­‐ vigilância  constitua,  tal  como  no  interior  das  nossas  casas,  uma  mais-­‐valia  na  prevenção  da  nossa   segurança  enquanto  cidadãos.     Não  deixe  de  consultar  a  nossa  loja  online  onde  encontrará  muitos  produtos  de  segurança.  Leia   também  os  nossos  posts  com  conselhos  úteis  como  este  “Saiba  mais  sobre  alarmes  residenciais”   Palavras-­‐chave:  vídeo-­‐vigilância     Palavras-­‐chave  secundárias:  ruas,  espaços  urbanos,  criminalidade,  redes  de  segurança,  redes  de   comércio          

×