O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Anemia Ferropriva

261 visualizações

Publicada em

Anemia Ferropriva - definição, fisiologia, fatores determinantes, fases, manifestações clínicas, exames complementares, tratamento, profilaxia.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Anemia Ferropriva

  1. 1. ANEMIA FERROPRIVA
  2. 2. DEFINIÇÃO A definição baseia-se nos níveis de hemoglobina (Hb) NÍVEIS DE Hb PARA A CARACTERIZAÇÃO DA ANEMIA IDADE VALORES 6 a 59 meses < 11 g/dl 5 a 11 anos < 11,5 g/dl 12 a 14 anos < 12 g/dl Adolescentes gestantes < 11 g/dl
  3. 3. FISIOLOGIA Ocorre anemia fisiológica do lactente entre 2 e 3 meses de vida. Ocorre supressão da eritropoese pelo aumento importante da oxigenação sanguínea e tecidual, com o início da respiração pulmonar. As reservas de ferro serão adequadas até os 6 meses de vida. Parece haver redução inicial da oferta de oxigênio para a demanda tecidual. Os sensores hepáticos e renais são ativados fazendo com que a eritropoetina seja produzida novamente.
  4. 4. FATORES DETERMINANTES Entre 6-24 meses, os principais fatores que determinam a anemia ferropriva: → Ocorre o pico de crescimento da criança necessitando de mais ferro; → Esgotamento dos estoques do nascimento; → Desmame sem suplemento de ferro e sem fórmulas ou alimentos enriquecidos. → Perdas sanguíneas gastrintestinais crônicas (ex: ingestão de leite de vaca, parasitoses intestinais, doenças diarreicas agudas e refluxo gastrintestinal). Na adolescência está relacionado à fase do estirão, aumento da massa muscular nos homens e perdas menstruais nas mulheres.
  5. 5. FASES → Depleção de estoque. Observa-se depleção de ferro com níveis normais de ferro sérico e diminuição da ferritina. → Deficiência de ferro, sem anemia. As reservas de ferro estão diminuídas e a capacitade de ligação do ferro aumentada. Hematócrito e Hb estão normais. → Deficiência de ferro, com anemia. Diminuição ou ausência das reservas de ferro, baixa concentração férrica no soro, fraca saturação de transferrina, concentração baixa de Hb e diminuição do hematócrito.
  6. 6. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS A doença é de instalação insidiosa. Sintomas gerais inespecíficos. Anorexia, palidez, perversão do apetite, geofagia, apatia, adinamia, irritabilidade, cansaço, fraqueza muscular e dificuldade na realização de atividade física. Pele e mucosas. Palidez, glossite, queilite angular, candidíase, coiloníquia. Alterações gastrintestinais. Estomatite, disfagia. Sintomas gerais moderados. Fadiga, fraqueza, palpitação, redução da função cognitiva, do crescimento e do desenvolvimento. Sintomas graves. Insuficiência cardíaca, dilatação cardíaca.
  7. 7. EXAMES COMPLEMENTARES É considerada microcítica (↓VCM), hipocrômica (↓HCM e ↓CHCM) e com elevado índice de anisocitose (↑RDW). Cada estágio da doença possui um achado laboratorial característico. Depleção de reserva Depleção de ferro sem anemia Depleção de ferro com anemia Hb Normal Normal Reduzido VCM Normal Normal Reduzido RDW Normal Normal Aumentado Ferro sérico Normal Reduzido Reduzido Ferritina Reduzido Aumentado Reduzido Capacidade total de ligação do ferro Normal --- Aumentado Protoporfirina eritrocitária livre Normal Aumentado Aumentado
  8. 8. TRATAMENTO Tratamento alimentar. Estimular oferta de carnes vermelhas (ferro mais bem absorvido). Estimular aleitamento materno. Estimular ingestão de frutas cítricas, feijão e temperos que contêm ferro (salsa, coentro, cheiro-verde. Não oferecer chá preto, mater ou café. Tratamento farmacológico. Dose de 4 a 6mg de ferro elementar por kg/dia, dividida em duas tomadas, até no máximo 200mg. O tratamento deve ser mantido até a normalização da ferritina ou, no mínimo, de 2 a 3 meses de desaparecimento da anemia. O medicamento deve ser ingerido com suco rico em vitamina C e não deve ser administrado com suplementos polivitamínicos.
  9. 9. PROFILAXIA PROFILAXIA CONTRA ANEMIA FERROPRIVA Situação Recomendação da SBP e MS Lactentes a termo, adequados para idade gestacional e que estiveram em AME de 0 a 6 meses, A PARTIR DE 6 MESES 1 mg/kg/dia de Fe elementar de 6 meses até 24 meses. Lactentes a termo, de peso adequado para idade gestacional, em uso de no mínimo 500 ml de fórmula láctea/dia Não recomendado Lactentes que foram prematuros ou baixo peso (2.500 g até 1.500 g) 2 mg/kg/dia de Fe elementar a partir do 30º dia de vida até 12 meses; 1 mg/kg/dia de Fe elementar de 12 meses até 24 meses. Lactentes que foram prematuros com peso entre 1.000-1.500 g 3 mg/kg/dia de Fe elementar a partir do 30º dia até o 12 meses; 1 mg/kg/dia de Fe elementar de 12 meses até 24 meses. Lactentes que foram prematuros com peso menor que 1.000 g 4 mg/kg/dia de Fe elementar a partir do 30º dia até o 12 meses; 1 mg/kg/dia de Fe elementar de 12 meses até 24 meses.

×