SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 51
Baixar para ler offline
• Arquitetura
• Pintura
• Mosaicos
• Escultura
Professora: Maiara Giordani Reffatti
ANTIGUIDADE CLÁSSICA:
ROMANOS
A fundação de Roma está cercada de lendas e mitos.
Tradicionalmente considera-se que ela se deu em 753 a. C. Sabe-
se, porém, que a formação cultural do povo romano sofreu forte
influência de gregos e etruscos, que ocuparam diferentes
regiões da Itália entre os séculos XII e VI a.C. Os romanos
receberam dos etruscos a ideia de que a arte deve expressar a
realidade vivida. Dos gregos, herdaram a visão de que a arte
deve expressar um ideal de beleza.
• ESPÍRITO PRÁTICO
• EMPREGAR FORMAS QUE REVELASSE BELEZA
Arquitetura
• Busca do útil,
realismo (o que é
realmente necessário)
• Grandeza
material, ideia
de força
(a arquitetura era usada
como demonstração de
poder)
Os principais monumentos da ARQUITETURA ROMANA:
• TEMPLOS da mesma maneira que os templos gregos, eram utilizados
para homenagear e rezar aos deuses;
• BASÍLICA destinadas a realização de assembleias;
• TERMAS garantiam a higiene para todo romano;
• AQUEDUTOS tinha por finalidade conduzir a água;
Divertimento: CIRCO, TEATRO, ANFITEATRO
Monumentos decorativos: ARCO DO TRIUNFO, COLUNA TRIUNFAL
Moradia: CASA (ÁTRIO)
TEMPLOS
Panteão
• Diferente dos GREGOS
que construíram um
templo para cada
deus, os ROMANOS
construíam um
templo para todos os
deuses
Inovação: uso
da CÚPULA e
dos ARCOS
Cúpula do Panteão, com óculos zenital
BASÍLICA
Basílica de Magêncio e Constantino
• Foi uma das últimas
basílicas civis
construídas no Fórum
Romano;
• Como outros edifícios
similares, era destinada
para atividades
comerciais e
administrativas.
• Mais tarde, após o
surgimento do
cristianismo foi
adaptado como modelo
para os templos
cristãos.
Basílica de São Pedro –
Vaticano
Basílica de Esztergom –
Hungría
Normalmente os termas romanos eram
constituídos por cômodos ou salas:
Apodyterium – vestiário
Tepidarium – banhos tépidos, banhos
mornos
Praefurnium – local das fornalhas que
aqueciam a água
Caldarium – banhos de água quente
Frigidarium – banhos de água fria
Sudatorium – espécie de sauna
TERMAS
A parte central das Termas
de Caracala
• Locais destinados aos banhos públicos;
• Esses banhos públicos podiam ter
diversas finalidades, entre as quais a
higiene corporal e a terapia pela água
com propriedades medicinais; em geral
as manhãs eram reservadas às
mulheres e as tardes aos homens;
• Homens e mulheres tomavam banhos
separados.
• O desenvolvimento da tecnologia de
construção de aquedutos conduziu a
construção de diversas termas em
vários pontos do território antigamente
ocupado pelo Império Romano.
• Eram onde acontecia a vida social dos
romanos.
Termas romanas em Bath
(palavra inglesa para
banhos), Inglaterra.
Conjunto arquitetônico Inspirado no termas romano
AQUEDUTOS
Na antiguidade, quase todas as
civilizações construíram
aquedutos, como por exemplo a
China, a Caldeia, a Assíria, a
Fenícia, a Grécia e Roma.
Foi com a civilização romana que
os aquedutos tiveram um
desenvolvimento extraordinário.
A cidade de Roma, no século I era
abastecida por onze aquedutos, o
maior deles com 90Km de
extensão.
A soma total dos aquedutos em Roma: 416 km, mas só 47 eram elevados.
A maioria dos aquedutos eram subterrâneos, o que mantinha a água livre
de doenças e ajudavam a manter os aquedutos longe dos ataques
inimigos. Os aquedutos eram rebaixados apenas 17 cm verticalmente para
cada 50 km de comprimento.
TEATROS
TEATRO GREGO –
semicírculo ou ¾ de círculo
• A concepção arquitetônica romana de teatro é diferente da grega, que preferia o
modelo circular ao invés de semicircular.
TEATRO ROMANO –
circular (elíptico)
ANFITEATROS
• Foram adaptados dos teatros
gregos para servirem aos
combates de gladiadores, de
animais selvagens e demais
diversões públicas.
• Podiam ser até cheios de água
(alguns deles) para espetáculos
de combates navais.
• Alguns anfiteatros acomodavam
até 47.000 pessoas.
Anfiteatro de Nimes - França
Coliseu - Roma
O coliseu
• Localizado no centro de Roma, é o monumento mais famoso da
Roma Antiga.
• Foi construído por ordem dos imperadores Vespasiano e Tito no
século I a.C.
• Sua construção levou cerca de 10 anos
• Ornamentado com arcos, colunas e esculturas, abrigava até 47.000
espectadores.
• Suas arquibancadas desenvolvem-se em três pavimentos e são
sustentadas por uma série de abóbodas, cujos arcos permitem a
ventilação.
• Foi utilizado durante cerca de 400 anos
Antes (maquete) Hoje (interior)
• Uma tenda de tecido era estendida para proteger os
espectadores do sol.
• A estrutura dos estádios de futebol tem sua origem no Coliseu.
• Atualmente encontra-se em ruínas mas ainda são permitidas
visitas.
O Coliseu tem 524 metros de circunferência, foi feito com concreto reforçado, a
partir de uma mistura de lama de cinzas vulcânicas, areia e água, com reforços de
barras de aço.
Hipogeu
Arena
(com areia)
A planta é elíptica (oval), medindo
cada um dos dois eixos, 190
metros, o maior e 155 metros, o
menor.
A fachada apresenta colunas das
três ordens arquitetônicas gregas
(dórica, jônica e coríntia)
Os assentos eram de mármore e a
escadaria dividia-se em três partes: o
podium para a classe mais elevada,
onde se localizava a tribuna imperial,
ladeada pelos lugares dos senadores
e dos magistrados; a maeniana, para
a classe média, e o portici, em
madeira, para os pobres.
Afrescos romanos representando os gladiadores famosos da época.
• As famosas batalhas sangrentas entre gladiadores
eram realizadas mesmo antes do Coliseu ser
construído. Mas foi lá que ganhou maior interesse do
público. Além dessas lutas entre homens, havia batalha
entre barcos, as batalhas navais, e entre homens e
animais.
Coluna de Trajano
A coluna ergue-se sobre um
embasamento (onde se
encontram depositadas as
cinzas do imperador) no qual
se segue um pelinto decorado
com louros, depois um fuste e
um capitel numa altura total
de 38 metros. Foi construída
com 20 blocos de mármore ,
cada um pesando 40
toneladas e um diâmetro de 4
metros. No seu interior existe
uma escada, em espiral, com
185 degraus, que permite o
acesso á plataforma no topo.
Foi um monumento inovador, com funções funerárias e
comemorativas. Foi usada como propaganda, glorificando a
capacidade dos governantes.
ARCO DE TITO
Totalmente construído em mármore, medindo de altura 15,4 metros, de largura 13,5 metros e
de profundidade 4,75. Com ornamentações, podem ver-se, num baixo-relevo. Talhados de um
dos lados, soldados romanos a segurar lanças sem pontas e transportando símbolos do
judaísmo.
ARCO DE CONSTANTINO
ARCO DO TRIUNFO - Napoleão
PINTURA
Mosaico e Pintura
MOSAICO
• O mosaico foi muito
utilizado na decoração
de muros e pisos da
arquitetura em geral.
• Apresenta um
tratamento de
profundidade muito
expressivo e valorizava
os ambientes
• O mosaico de Alexandre é feito de cerca de
um milhão e meio de azulejos coloridos
minúsculos chamados tesselas, dispostos
em curvas graduais chamados opus
vermiculatum, (literalmente, "obra de
minhoca“)
O original:
feito em 150 a.C.,
representa Alexandre, à
esquerda, lutando
contra o rei persa Dario
III, ao centro.
Mosaico da Idade Média
PINTURA
• Utilizava a técnica do afresco:
método de pintura mural que
consiste em aplicar cores diluídas
em água sobre um revestimento
de argamassa ainda fresco, de
modo a facilitar o embebimento
da tinta.
• A pintura mural recorreu ao efeito
da tridimensionalidade e ao uso
de cores bastante saturadas.
• Os afrescos da cidade de Pompéia
(soterrada pelo vulcão Vesúvio em
I a.C.) são representativos deste
período.
• Cenas do cotidiano, figuras
mitológicas, religiosas e
conquistas militares foram temas
das pinturas romanas.
Pintura
A maior parte das pinturas romanas que conhecemos hoje provém
das cidades da Pompéia e Herculano que foram soterradas pelo
Vesúvio. Os estudiosos da pintura existente em Pompéia, classificam
a decoração das paredes internas dos edifícios em quatro estilos.
Primeiro estilo: recobrir as paredes de uma sala com uma camada de
gesso pintado; que dava impressão de placas de mármore.
Segundo estilo: Os artistas começaram a pintar painéis que criavam a
ilusão de janelas abertas por onde eram vistas paisagens com
animais, aves e pessoas, formando um grande mural.
Terceiro estilo: Representações fiéis da realidade e valorização da
delicadeza dos pequenos detalhes.
Quarto estilo: Um painel de fundo vermelho, tendo ao centro uma
pintura, geralmente cópia de obra grega, imitando um cenário teatral.
ESCULTURA
• Representação fiel
• Retratos
Brutus Hadrianus Octavius
Embora fossem grandes admiradores da arte grega, os romanos, por
temperamento, eram muito diferentes dos gregos. Por serem realistas e
práticos, suas esculturas são em geral uma representação das pessoas, e
não a de um ideal de beleza humana, como fizeram os gregos.
Não obstante, ao entrar em contato com os gregos, os escultores
romanos sofreram forte influência das concepções helenísticas de arte,
mesmo não abdicando de um interesse muito próprio: representar os
traços característicos do retratado. O resultado desse contato foi uma
acomodação entre a concepção artística romana e a grega.
A preocupação romana com representações bastante realistas pode ser
observada não só nas estátuas de imperadores, mas também nos relevos
esculpidos em monumentos que celebram feitos importantes do Império
Romano.
Estamos tão habituados a ver as esculturas romanas na cor original do
mármore, que pensamos que sempre foi assim, mas um dia elas foram
coloridas, entretanto seus pigmentos não resistiram ao tempo.
Relevos esculpidos
Soldado grego Soldado romano
• As classes dominantes
utilizavam a escultura como
manifestação da sua elevada
posição social e política com
caráter propagandístico.
• Ao longo do tempo, essa
tendência evoluiu para
bustos.
• Baseava-se em dois materiais:
o mármore e o bronze.
As estátuas gregas antigas eram
originalmente pintadas com cores
berrantes, mas após milhares de anos
esta tinta saiu.
Bustos
Máscara dos Gladiadores

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Módulo 2 escultura romana
Módulo 2   escultura romanaMódulo 2   escultura romana
Módulo 2 escultura romanaCarla Freitas
 
Módulo 1 escultura grega regular
Módulo 1   escultura grega regularMódulo 1   escultura grega regular
Módulo 1 escultura grega regularCarla Freitas
 
As fases da escultura grega
As fases da escultura gregaAs fases da escultura grega
As fases da escultura gregaFlávia Marques
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte gregacattonia
 
Arte Grega e Romana
Arte Grega e RomanaArte Grega e Romana
Arte Grega e Romanacarollynha
 
Arte classica
Arte classicaArte classica
Arte classicafrazao
 
Módulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraMódulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraTLopes
 
Arquitetura romana i
Arquitetura romana iArquitetura romana i
Arquitetura romana iAna Barreiros
 
Arte da Antiguidade Clássica - Grécia e Roma
Arte da Antiguidade Clássica - Grécia e RomaArte da Antiguidade Clássica - Grécia e Roma
Arte da Antiguidade Clássica - Grécia e RomaLuan Lucena
 
Ordens Arquitetônicas - Colunas e Capiteis da Grécia Antiga.
Ordens Arquitetônicas - Colunas e Capiteis da Grécia Antiga.Ordens Arquitetônicas - Colunas e Capiteis da Grécia Antiga.
Ordens Arquitetônicas - Colunas e Capiteis da Grécia Antiga.Guilherme Calixto Vicente
 

Mais procurados (20)

Módulo 2 escultura romana
Módulo 2   escultura romanaMódulo 2   escultura romana
Módulo 2 escultura romana
 
Arte Romana
Arte RomanaArte Romana
Arte Romana
 
Pintura romana
Pintura romanaPintura romana
Pintura romana
 
Escultura romana
Escultura romanaEscultura romana
Escultura romana
 
Módulo 1 escultura grega regular
Módulo 1   escultura grega regularMódulo 1   escultura grega regular
Módulo 1 escultura grega regular
 
As fases da escultura grega
As fases da escultura gregaAs fases da escultura grega
As fases da escultura grega
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Ceramica grega
Ceramica gregaCeramica grega
Ceramica grega
 
Arte Grega e Romana
Arte Grega e RomanaArte Grega e Romana
Arte Grega e Romana
 
Arte classica
Arte classicaArte classica
Arte classica
 
Módulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraMódulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágora
 
Arquitetura romana i
Arquitetura romana iArquitetura romana i
Arquitetura romana i
 
Arte Grega
Arte GregaArte Grega
Arte Grega
 
Arte da Antiguidade Clássica - Grécia e Roma
Arte da Antiguidade Clássica - Grécia e RomaArte da Antiguidade Clássica - Grécia e Roma
Arte da Antiguidade Clássica - Grécia e Roma
 
Arte gótica
Arte góticaArte gótica
Arte gótica
 
Arte Romana
Arte RomanaArte Romana
Arte Romana
 
Arte Grega
Arte GregaArte Grega
Arte Grega
 
Teatro grego
Teatro gregoTeatro grego
Teatro grego
 
Parthenon
ParthenonParthenon
Parthenon
 
Ordens Arquitetônicas - Colunas e Capiteis da Grécia Antiga.
Ordens Arquitetônicas - Colunas e Capiteis da Grécia Antiga.Ordens Arquitetônicas - Colunas e Capiteis da Grécia Antiga.
Ordens Arquitetônicas - Colunas e Capiteis da Grécia Antiga.
 

Destaque

Final da Idade Média - Renascimento
Final da Idade Média - Renascimento Final da Idade Média - Renascimento
Final da Idade Média - Renascimento Maiara Giordani
 
Arquitetura e engenharia Roma Antiga
Arquitetura e engenharia Roma AntigaArquitetura e engenharia Roma Antiga
Arquitetura e engenharia Roma AntigaAmanda Barp
 
Revisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade Média
Revisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade MédiaRevisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade Média
Revisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade MédiaMaiara Giordani
 
6o. ano a arte romana
6o. ano   a arte romana6o. ano   a arte romana
6o. ano a arte romanaArtesElisa
 
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e PontilhismoHISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e PontilhismoMaiara Giordani
 
História da Arte - Impressionismo
História da Arte - ImpressionismoHistória da Arte - Impressionismo
História da Arte - ImpressionismoMaiara Giordani
 
História da Arte - Barroco
História da Arte - BarrocoHistória da Arte - Barroco
História da Arte - BarrocoMaiara Giordani
 
Acanto (Acanthus mollis)
Acanto (Acanthus mollis)Acanto (Acanthus mollis)
Acanto (Acanthus mollis)JOSE OLMO
 
Cultura do Senado
Cultura do SenadoCultura do Senado
Cultura do SenadoTiago Silva
 

Destaque (20)

Arte na grécia
Arte na gréciaArte na grécia
Arte na grécia
 
Final da Idade Média - Renascimento
Final da Idade Média - Renascimento Final da Idade Média - Renascimento
Final da Idade Média - Renascimento
 
Arquitetura Romana
Arquitetura RomanaArquitetura Romana
Arquitetura Romana
 
Arquitetura e engenharia Roma Antiga
Arquitetura e engenharia Roma AntigaArquitetura e engenharia Roma Antiga
Arquitetura e engenharia Roma Antiga
 
Arte românica
Arte românicaArte românica
Arte românica
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
 
Revisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade Média
Revisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade MédiaRevisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade Média
Revisão - Arte Medieval, Antiguidade clássica e Idade Média
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
 
Arte - Romantismo
Arte - RomantismoArte - Romantismo
Arte - Romantismo
 
Arte - Neoclassicismo
Arte - NeoclassicismoArte - Neoclassicismo
Arte - Neoclassicismo
 
6o. ano a arte romana
6o. ano   a arte romana6o. ano   a arte romana
6o. ano a arte romana
 
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e PontilhismoHISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
 
História da Arte - Impressionismo
História da Arte - ImpressionismoHistória da Arte - Impressionismo
História da Arte - Impressionismo
 
História da Arte - Barroco
História da Arte - BarrocoHistória da Arte - Barroco
História da Arte - Barroco
 
Curso de historia da arte
Curso de historia da arteCurso de historia da arte
Curso de historia da arte
 
A r t e r o m a
A r t e   r o m aA r t e   r o m a
A r t e r o m a
 
Acanto (Acanthus mollis)
Acanto (Acanthus mollis)Acanto (Acanthus mollis)
Acanto (Acanthus mollis)
 
2.arte romano
2.arte romano2.arte romano
2.arte romano
 
Cultura do Senado
Cultura do SenadoCultura do Senado
Cultura do Senado
 
Antiguidade e idade média
Antiguidade e idade médiaAntiguidade e idade média
Antiguidade e idade média
 

Semelhante a Arquitetura Romana: Templos, Basílicas e Termas

Semelhante a Arquitetura Romana: Templos, Basílicas e Termas (20)

A arte romana
A arte romana A arte romana
A arte romana
 
A arte romana
A arte romanaA arte romana
A arte romana
 
A arte romana
A arte romanaA arte romana
A arte romana
 
Arte romana para blog
Arte romana para blogArte romana para blog
Arte romana para blog
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
A Arte em Roma
A Arte em RomaA Arte em Roma
A Arte em Roma
 
2c14 Arte Romana e Museu do Louvre 2012
2c14 Arte Romana e Museu do Louvre 20122c14 Arte Romana e Museu do Louvre 2012
2c14 Arte Romana e Museu do Louvre 2012
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
A arte em roma
A arte em romaA arte em roma
A arte em roma
 
A Arte Em Roma Laysa
A Arte Em Roma   LaysaA Arte Em Roma   Laysa
A Arte Em Roma Laysa
 
História da arte grega e romana
História da arte grega e romanaHistória da arte grega e romana
História da arte grega e romana
 
4 arte romana 2020
4 arte romana 20204 arte romana 2020
4 arte romana 2020
 
A Arte De Roma CláSsica
A Arte De Roma CláSsicaA Arte De Roma CláSsica
A Arte De Roma CláSsica
 
Arte Romana (3).pdf
Arte Romana (3).pdfArte Romana (3).pdf
Arte Romana (3).pdf
 
Arte romana , 1º ano Novo Colégio.
Arte romana , 1º ano Novo Colégio.Arte romana , 1º ano Novo Colégio.
Arte romana , 1º ano Novo Colégio.
 
A arte em roma
A arte em romaA arte em roma
A arte em roma
 
Arte na antiguidade 1ºs anos s.l
Arte na antiguidade 1ºs anos s.lArte na antiguidade 1ºs anos s.l
Arte na antiguidade 1ºs anos s.l
 
Arte romana e grega.pptx
Arte romana e grega.pptxArte romana e grega.pptx
Arte romana e grega.pptx
 
Arte na antiguidade
Arte na antiguidadeArte na antiguidade
Arte na antiguidade
 
Módulo 2 a arte
Módulo 2   a arteMódulo 2   a arte
Módulo 2 a arte
 

Arquitetura Romana: Templos, Basílicas e Termas

  • 1. • Arquitetura • Pintura • Mosaicos • Escultura Professora: Maiara Giordani Reffatti ANTIGUIDADE CLÁSSICA: ROMANOS
  • 2. A fundação de Roma está cercada de lendas e mitos. Tradicionalmente considera-se que ela se deu em 753 a. C. Sabe- se, porém, que a formação cultural do povo romano sofreu forte influência de gregos e etruscos, que ocuparam diferentes regiões da Itália entre os séculos XII e VI a.C. Os romanos receberam dos etruscos a ideia de que a arte deve expressar a realidade vivida. Dos gregos, herdaram a visão de que a arte deve expressar um ideal de beleza. • ESPÍRITO PRÁTICO • EMPREGAR FORMAS QUE REVELASSE BELEZA
  • 3. Arquitetura • Busca do útil, realismo (o que é realmente necessário) • Grandeza material, ideia de força (a arquitetura era usada como demonstração de poder)
  • 4. Os principais monumentos da ARQUITETURA ROMANA: • TEMPLOS da mesma maneira que os templos gregos, eram utilizados para homenagear e rezar aos deuses; • BASÍLICA destinadas a realização de assembleias; • TERMAS garantiam a higiene para todo romano; • AQUEDUTOS tinha por finalidade conduzir a água; Divertimento: CIRCO, TEATRO, ANFITEATRO Monumentos decorativos: ARCO DO TRIUNFO, COLUNA TRIUNFAL Moradia: CASA (ÁTRIO)
  • 5. TEMPLOS Panteão • Diferente dos GREGOS que construíram um templo para cada deus, os ROMANOS construíam um templo para todos os deuses Inovação: uso da CÚPULA e dos ARCOS
  • 6. Cúpula do Panteão, com óculos zenital
  • 7.
  • 8. BASÍLICA Basílica de Magêncio e Constantino • Foi uma das últimas basílicas civis construídas no Fórum Romano; • Como outros edifícios similares, era destinada para atividades comerciais e administrativas. • Mais tarde, após o surgimento do cristianismo foi adaptado como modelo para os templos cristãos.
  • 9. Basílica de São Pedro – Vaticano
  • 10. Basílica de Esztergom – Hungría
  • 11. Normalmente os termas romanos eram constituídos por cômodos ou salas: Apodyterium – vestiário Tepidarium – banhos tépidos, banhos mornos Praefurnium – local das fornalhas que aqueciam a água Caldarium – banhos de água quente Frigidarium – banhos de água fria Sudatorium – espécie de sauna TERMAS
  • 12. A parte central das Termas de Caracala • Locais destinados aos banhos públicos; • Esses banhos públicos podiam ter diversas finalidades, entre as quais a higiene corporal e a terapia pela água com propriedades medicinais; em geral as manhãs eram reservadas às mulheres e as tardes aos homens; • Homens e mulheres tomavam banhos separados. • O desenvolvimento da tecnologia de construção de aquedutos conduziu a construção de diversas termas em vários pontos do território antigamente ocupado pelo Império Romano. • Eram onde acontecia a vida social dos romanos.
  • 13. Termas romanas em Bath (palavra inglesa para banhos), Inglaterra.
  • 15. AQUEDUTOS Na antiguidade, quase todas as civilizações construíram aquedutos, como por exemplo a China, a Caldeia, a Assíria, a Fenícia, a Grécia e Roma. Foi com a civilização romana que os aquedutos tiveram um desenvolvimento extraordinário. A cidade de Roma, no século I era abastecida por onze aquedutos, o maior deles com 90Km de extensão.
  • 16.
  • 17. A soma total dos aquedutos em Roma: 416 km, mas só 47 eram elevados. A maioria dos aquedutos eram subterrâneos, o que mantinha a água livre de doenças e ajudavam a manter os aquedutos longe dos ataques inimigos. Os aquedutos eram rebaixados apenas 17 cm verticalmente para cada 50 km de comprimento.
  • 18. TEATROS TEATRO GREGO – semicírculo ou ¾ de círculo • A concepção arquitetônica romana de teatro é diferente da grega, que preferia o modelo circular ao invés de semicircular. TEATRO ROMANO – circular (elíptico)
  • 19. ANFITEATROS • Foram adaptados dos teatros gregos para servirem aos combates de gladiadores, de animais selvagens e demais diversões públicas. • Podiam ser até cheios de água (alguns deles) para espetáculos de combates navais. • Alguns anfiteatros acomodavam até 47.000 pessoas. Anfiteatro de Nimes - França
  • 20.
  • 22. O coliseu • Localizado no centro de Roma, é o monumento mais famoso da Roma Antiga. • Foi construído por ordem dos imperadores Vespasiano e Tito no século I a.C. • Sua construção levou cerca de 10 anos • Ornamentado com arcos, colunas e esculturas, abrigava até 47.000 espectadores. • Suas arquibancadas desenvolvem-se em três pavimentos e são sustentadas por uma série de abóbodas, cujos arcos permitem a ventilação. • Foi utilizado durante cerca de 400 anos
  • 23. Antes (maquete) Hoje (interior) • Uma tenda de tecido era estendida para proteger os espectadores do sol. • A estrutura dos estádios de futebol tem sua origem no Coliseu. • Atualmente encontra-se em ruínas mas ainda são permitidas visitas.
  • 24. O Coliseu tem 524 metros de circunferência, foi feito com concreto reforçado, a partir de uma mistura de lama de cinzas vulcânicas, areia e água, com reforços de barras de aço. Hipogeu Arena (com areia)
  • 25. A planta é elíptica (oval), medindo cada um dos dois eixos, 190 metros, o maior e 155 metros, o menor. A fachada apresenta colunas das três ordens arquitetônicas gregas (dórica, jônica e coríntia) Os assentos eram de mármore e a escadaria dividia-se em três partes: o podium para a classe mais elevada, onde se localizava a tribuna imperial, ladeada pelos lugares dos senadores e dos magistrados; a maeniana, para a classe média, e o portici, em madeira, para os pobres.
  • 26. Afrescos romanos representando os gladiadores famosos da época. • As famosas batalhas sangrentas entre gladiadores eram realizadas mesmo antes do Coliseu ser construído. Mas foi lá que ganhou maior interesse do público. Além dessas lutas entre homens, havia batalha entre barcos, as batalhas navais, e entre homens e animais.
  • 27. Coluna de Trajano A coluna ergue-se sobre um embasamento (onde se encontram depositadas as cinzas do imperador) no qual se segue um pelinto decorado com louros, depois um fuste e um capitel numa altura total de 38 metros. Foi construída com 20 blocos de mármore , cada um pesando 40 toneladas e um diâmetro de 4 metros. No seu interior existe uma escada, em espiral, com 185 degraus, que permite o acesso á plataforma no topo.
  • 28. Foi um monumento inovador, com funções funerárias e comemorativas. Foi usada como propaganda, glorificando a capacidade dos governantes.
  • 29. ARCO DE TITO Totalmente construído em mármore, medindo de altura 15,4 metros, de largura 13,5 metros e de profundidade 4,75. Com ornamentações, podem ver-se, num baixo-relevo. Talhados de um dos lados, soldados romanos a segurar lanças sem pontas e transportando símbolos do judaísmo.
  • 31. ARCO DO TRIUNFO - Napoleão
  • 33. MOSAICO • O mosaico foi muito utilizado na decoração de muros e pisos da arquitetura em geral. • Apresenta um tratamento de profundidade muito expressivo e valorizava os ambientes
  • 34.
  • 35. • O mosaico de Alexandre é feito de cerca de um milhão e meio de azulejos coloridos minúsculos chamados tesselas, dispostos em curvas graduais chamados opus vermiculatum, (literalmente, "obra de minhoca“) O original: feito em 150 a.C., representa Alexandre, à esquerda, lutando contra o rei persa Dario III, ao centro.
  • 36.
  • 37.
  • 39. PINTURA • Utilizava a técnica do afresco: método de pintura mural que consiste em aplicar cores diluídas em água sobre um revestimento de argamassa ainda fresco, de modo a facilitar o embebimento da tinta. • A pintura mural recorreu ao efeito da tridimensionalidade e ao uso de cores bastante saturadas. • Os afrescos da cidade de Pompéia (soterrada pelo vulcão Vesúvio em I a.C.) são representativos deste período. • Cenas do cotidiano, figuras mitológicas, religiosas e conquistas militares foram temas das pinturas romanas.
  • 40. Pintura A maior parte das pinturas romanas que conhecemos hoje provém das cidades da Pompéia e Herculano que foram soterradas pelo Vesúvio. Os estudiosos da pintura existente em Pompéia, classificam a decoração das paredes internas dos edifícios em quatro estilos. Primeiro estilo: recobrir as paredes de uma sala com uma camada de gesso pintado; que dava impressão de placas de mármore. Segundo estilo: Os artistas começaram a pintar painéis que criavam a ilusão de janelas abertas por onde eram vistas paisagens com animais, aves e pessoas, formando um grande mural. Terceiro estilo: Representações fiéis da realidade e valorização da delicadeza dos pequenos detalhes. Quarto estilo: Um painel de fundo vermelho, tendo ao centro uma pintura, geralmente cópia de obra grega, imitando um cenário teatral.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44. ESCULTURA • Representação fiel • Retratos Brutus Hadrianus Octavius
  • 45. Embora fossem grandes admiradores da arte grega, os romanos, por temperamento, eram muito diferentes dos gregos. Por serem realistas e práticos, suas esculturas são em geral uma representação das pessoas, e não a de um ideal de beleza humana, como fizeram os gregos. Não obstante, ao entrar em contato com os gregos, os escultores romanos sofreram forte influência das concepções helenísticas de arte, mesmo não abdicando de um interesse muito próprio: representar os traços característicos do retratado. O resultado desse contato foi uma acomodação entre a concepção artística romana e a grega. A preocupação romana com representações bastante realistas pode ser observada não só nas estátuas de imperadores, mas também nos relevos esculpidos em monumentos que celebram feitos importantes do Império Romano. Estamos tão habituados a ver as esculturas romanas na cor original do mármore, que pensamos que sempre foi assim, mas um dia elas foram coloridas, entretanto seus pigmentos não resistiram ao tempo.
  • 48. • As classes dominantes utilizavam a escultura como manifestação da sua elevada posição social e política com caráter propagandístico. • Ao longo do tempo, essa tendência evoluiu para bustos. • Baseava-se em dois materiais: o mármore e o bronze.
  • 49. As estátuas gregas antigas eram originalmente pintadas com cores berrantes, mas após milhares de anos esta tinta saiu.