SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
FACULDADE DO MEIO NORTE
MAGNO FERNANDO A. NAZARÉ
 É procurar respostas para inquietações, ou para um
problema.
 Atividade básica das ciências na sua indagação e
descoberta da realidade. É uma atitude e uma prática de
constante busca que define um processo intrinsecamente
inacabado e permanente (MINAYO, 1993).
 É um processo formal e sistemático de desenvolvimento
do método científico (GIL, 1999).
O QUE É PESQUISA?
NATUREZA DA PESQUISA
 Pesquisa Básica
Gerar conhecimentos novos úteis para o avanço da ciência
sem aplicação prática prevista. Envolve verdades e
interesses universais.
 Pesquisa Aplicada
Gerar conhecimentos para aplicação prática dirigidos à
solução de problemas específicos. Envolve verdades e
interesses locais.
FORMA DE ABORDAGEM
 Pesquisa Quantitativa
Traduz em números, opiniões e informações para
classificá-los e organizá-los. Utiliza métodos estatísticos.
 Pesquisa Qualitativa
Considera a existência de uma relação dinâmica entre
mundo real e sujeito. É descritiva e utiliza o método
indutivo. O processo é foco principal.
OBJETIVOS
 Pesquisa Exploratória: visa proporcionar maior
familiaridade com o problema com vistas a torná-lo explicito
ou a construir hipóteses. Pesquisas bibliográficas e estudos
de caso.
 Pesquisa Descritiva: envolve técnicas padronizadas de
coleta de dados, como questionários e observação
sistemática. Assume a forma de levantamento.
 Pesquisa Explicativa: explica o porquê das coisas,
visando identificar os fatores que determinam ou
contribuem para a ocorrência dos fenômenos. Assume a
forma de Pesquisa experimental.
DIFERENTES PROCEDIMENTOS
TÉCNICOS
 Pesquisa Bibliográfica: a partir de material já publicado.
 Pesquisa Documental: a partir de material não analisado.
 Pesquisa Experimental: variáveis de controle sobre um
objeto.
Estudo de caso: estudo profundo de um ponto para
detalhamento do conhecimento.
 Pesquisa-ação: resolução de um problema coletivo.
 Pesquisa Participante: interação entre pesquisadores e
membros da situação investigadas.
ETAPAS DA PESQUISA
O projeto de pesquisa deve, fundamentalmente, responder as
seguintes perguntas (Rudio, 1986):
 O que pesquisar?
 Por que pesquisar?
 Para que pesquisar?
 Como pesquisar?
 Quando pesquisar?
 Com que recursos?
 Pesquisado por quem?
• Introdução: presente
O objetivo deste trabalho é apresentar ...
• Revisão da literatura: presente/passado
A estreptomicina é um antibiótico produzido por...
• Ao atribuir a ideia à alguém
Silva (1990) considerou ...
TEMPOS VERBAIS
• Material e método: passado
A altura foi medida com...
• Resultado: passado
Observou-se maior crescimento em...
• Discussão: presente e passado
O crescimento é lento no primeiro período, mas, no
grupo tratado, houve aumento nas medidas de ...
• Não se deve publicar informações que permitam a
identificação do participante da pesquisa (ex. fotos de
pacientes);
• Se essas informações forem imprescindíveis deve ser
fornecido o consentimento informado por escrito para
publicação, pelo paciente (seus pais ou tutores);
• O consentimento informado exige que se mostre ao
paciente o manuscrito a ser publicado.
(VOLPATO; BETINI, 2006)
ARTIGOS QUE RELATAM PESQUISAS COM
SERES HUMANOS
O problema é a mola propulsora de todo o trabalho de
pesquisa. Depois de definido o tema, levanta-se uma
questão pode ser respondida através de uma hipótese,
que será confirmada ou negada através do trabalho de
pesquisa. O problema é criado pelo próprio autor, no
caso criará um questionamento para definir a
abrangência de sua pesquisa. Não há regras para se criar
um problema, mas alguns autores sugerem que eles
sejam expressos em forma de pergunta.
PROBLEMA
A Justificativa num projeto de pesquisa ou artigo,
como o próprio nome indica, é o convencimento de
que o trabalho de pesquisa é fundamental de ser
efetivado. O tema escolhido pelo pesquisador e a
Hipótese levantada são de suma importância, para a
sociedade ou para alguns indivíduos, de ser
comprovada.
JUSTIFICATIVA
DEVE-SE TOMAR O CUIDADO, NA ELABORAÇÃO DA
JUSTIFICATIVA, DE NÃO SE TENTAR JUSTIFICAR A HIPÓTESE
LEVANTADA, OU SEJA, TENTAR RESPONDER OU CONCLUIR O QUE VAI
SER BUSCADO NO TRABALHO DE PESQUISA. A JUSTIFICATIVA
EXALTA A IMPORTÂNCIA DO TEMA A SER ESTUDADO, OU JUSTIFICA A
NECESSIDADE IMPERIOSA DE SE LEVAR A EFEITO TAL
EMPREENDIMENTO.
A definição dos Objetivos determina o que o pesquisador quer
atingir com a realização do trabalho de pesquisa. Objetivo é
sinônimo de meta, fim. Alguns autores separam os Objetivos
em Objetivos Gerais e Objetivos Específicos, mas não há
regra a ser cumprida quanto a isto e outros autores consideram
desnecessário dividir os Objetivos em categorias. Para se
definir os Objetivos é colocá-los começando com o verbo no
infinito: esclarecer tal coisa; definir tal assunto; procurar
aquilo; permitir aquilo outro, demonstrar alguma coisa etc..
OBJETIVOS
A Metodologia é a explicação minuciosa,
detalhada, rigorosa e exata de toda ação
desenvolvida no método ( caminho) do trabalho
de pesquisa.
É a explicação do tipo de pesquisa, do
instrumental utilizado (questionário, entrevista
etc.), do tempo previsto, da equipe de
pesquisadores e da divisão do trabalho, das
formas de tabulação dos dados, enfim, de tudo
aquilo que se utilizou no trabalho de pesquisa.
METODOLOGIA
DICAS DE INÍCIO DE FRASES PARA
A PRODUÇÃO DO ARTIGO
 Frases para iniciar a introdução: Muito se tem discutido,
recentemente, acerca de...; Muito se debate, hoje em dia...; O ... é
de fundamental importância em...; É de fundamental importância
o (a)...; É indiscutível que...; É inegável que...; Muito se discute a
importância de...; comenta-se, com freqüência a respeito de...;
Não raro, toma-se conhecimento, por meio de...; Apesar de
muitos acreditarem que...; Ao contrário do que muitos
acreditam...; Ao fazer uma análise da sociedade, busca-se
descobrir as causas de...
INTRODUÇÃO
 Frases para iniciar o desenvolvimento: Ao
se examinarem alguns...; verifica-se que... Pode-
se mencionar o exemplo...; Em consequência
disso, vê-se, a todo instante...; Alguns
argumentam que... Além disso... Isso se contar
que...; Outros, porém...; Há registros históricos
de... que...; Dentre os inúmeros motivos que
levaram o ... é incontestável que...; A observação
crítica de fatos históricos revela o porquê de...;
Fazendo um estudo de..., perceber-se por meio
de...
DESENVOLVIMENTO
 Frases para iniciar a conclusão: Em virtude dos
fatos mencionados...; Por isso tudo...; Levando-se em
consideração esses aspectos...; Dessa forma...; Em vista
dos argumentos apresentados...; Dado o exposto...;
Tendo em vista os aspectos observados...; Levando-se
em conta o que foi observado...; Em virtude do que foi
mencionado...; Por todos esses aspectos ...; Pela
observação dos aspectos analisados...; Entende-se que
...; Entende-se que...; É-se levando a acreditar que...;
Conclui-se que...; Percebe-se que...; É imprescindível
que se conscientizem de que...; É preciso que...; Faz-se
necessário que...
CONCLUSÃO
CITAÇÃO
CITAÇÃO DIRETA CURTA
CITAÇÃO DIRETA LONGA
CITAÇÃO DE CITAÇÃO
CITAÇÃOINDIRETA
CITAÇÃO DIRETA CURTA
Texto idêntico ao do livro
Informar página é obrigatório
Entre aspas no máximo 3 linhas
Autor FORA do parêntese em MINÚSCULA
• Esse tipo de citação com autor FORA do parênteses
pode está em um contexto maior
• Tem que ter um ponto final após parênteses
• Citação autor data e página vem ANTES das aspas
INÍCIO DE FRASE
CITAÇÃO DIRETA CURTA
Texto idêntico ao do livro
Informar página é obrigatório
Entre aspas no máximo 3 linhas
Autor DENTRO do parêntese em MAIÚSCULA
• Esse tipo de citação com autor dentro do parênteses
sempre vem ao final de uma frase
• Tem que ter um ponto final após parênteses
• Citação autor data e página vem após a aspas
ENCERRAA FRASE
Conforme Santos (2017, p. 18) “o importante da educação
é ver sonhos sendo realizados no olhar de cada criança no
futuro, onde todas serão protagonista da sua historia”.
“O importante de tudo na vida é ser feliz não importa o restante,
lute pelos seus objetivos e breve será seu” (NAZARÉ,2017, p.21).
CITAÇÃO CURTA NO INÍCIO DE FRASE
CITAÇÃO CURTA NO FINAL DE FRASE
 Apud significa “Citado por”
 Autor do texto à esquerda, quem citou a direita
 Quadros fez um artigo e citou Almeida e você teve acesso ao
artigo de Quadros, mas não tem acesso ao livro de Almeida e
quer usar a mesma citação, então ficaria: ( ALMEIDA apud
QUADROS, 2017)
 Traduzindo para facilitar o entendimento: (ALMEIDA citado por
QUADROS, 2017)
CITAÇÃO DE CITAÇÃO
Citação indireta é aquela em que você diz o que autor escreveu
com suas palavras, sem tanta regra de descrição como a direta.
Nesse tipo de citação não se usa as aspas duplas. Olha como é
simples:
CITAÇÃO INDIRETA
CITAÇÃO DIRETA LONGA
• Texto idêntico ao do livro;
• Informar página é obrigatório;
• Sem aspas com mais de 3 linhas;
• Recomendado o máximo de 8 linhas;
• Autor fora do parênteses em minúsculo;
• Esse tipo de citação autor, data e página com o autor fora do
parênteses normalmente faz a citação um parágrafo acima;
• Recuo de 4 cm; tamanho fonte Arial 10.
Sonia (2017, p.11) define a educação secundaria
(...) xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx.
Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx(BENEDITA, 2017, p.13)
INÍCIO DE FRASE
FINAL DE FRASE
Obs: Escrever sem interpretar o texto original do autor, apenas
trocando as palavras do autor por sinônimo, enquadra em plágio.
Ninguém escreve sem ler.
Ninguém deve ser discípulo perene. “Lemos
pois, autores, para nos tornarmos autores,
não discípulos”. (DEMO, 2000, P.11)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoMagda Marques
 
Resumo do tcc modelo
Resumo do tcc modeloResumo do tcc modelo
Resumo do tcc modeloElys Regina
 
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slideSlide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slideVera Moreira Matos
 
Apresentacao de-tcc
Apresentacao de-tccApresentacao de-tcc
Apresentacao de-tccUnisinos
 
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva MuñozTCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva MuñozRilva Lopes de Sousa Muñoz
 
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãOTéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãOMessias Matusse
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemploFelipe Pereira
 
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicosNormas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicosPatrícia Éderson Dias
 
Elaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisaElaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisaSandra Pereira
 
Da orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tccDa orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tccprofguilhermeterra
 
Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)
Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)
Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)Biblioteca FEAUSP
 

Mais procurados (20)

Aula de metodologia, monografia e tcc
Aula de metodologia, monografia e tccAula de metodologia, monografia e tcc
Aula de metodologia, monografia e tcc
 
Metodologias Ativas
Metodologias AtivasMetodologias Ativas
Metodologias Ativas
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Resumo do tcc modelo
Resumo do tcc modeloResumo do tcc modelo
Resumo do tcc modelo
 
Aula 1 - TCC
Aula 1 -  TCCAula 1 -  TCC
Aula 1 - TCC
 
Apresentacao Seminario
Apresentacao SeminarioApresentacao Seminario
Apresentacao Seminario
 
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slideSlide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
 
Guia para Construção de Projeto TCC
Guia para Construção de Projeto TCCGuia para Construção de Projeto TCC
Guia para Construção de Projeto TCC
 
Apresentacao de-tcc
Apresentacao de-tccApresentacao de-tcc
Apresentacao de-tcc
 
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva MuñozTCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Discussão e Conclusões - Profa. Rilva Muñoz
 
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãOTéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
 
Tcc exemplo - Esqueleto
Tcc   exemplo - EsqueletoTcc   exemplo - Esqueleto
Tcc exemplo - Esqueleto
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemplo
 
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicosNormas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
 
Elaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisaElaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisa
 
Da orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tccDa orientação à apresentação do tcc
Da orientação à apresentação do tcc
 
Normas da abnt
Normas da abntNormas da abnt
Normas da abnt
 
Modelo pre projeto- tcc-
Modelo pre projeto- tcc-Modelo pre projeto- tcc-
Modelo pre projeto- tcc-
 
Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)
Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)
Elaboração de trabalhos acadêmicos APA 6ª edição (atualizado 2015)
 
Apresentação TCC
Apresentação TCCApresentação TCC
Apresentação TCC
 

Semelhante a Pesquisa acadêmica: conceitos e etapas

Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UABApresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UABRenata Aquino
 
APRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptx
APRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptxAPRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptx
APRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptxGermirDias1
 
Etapas importantes na elabora+º+úo do Projeto de Pesquisa.pptx
Etapas importantes na elabora+º+úo do Projeto de Pesquisa.pptxEtapas importantes na elabora+º+úo do Projeto de Pesquisa.pptx
Etapas importantes na elabora+º+úo do Projeto de Pesquisa.pptxLarissaSilvaOliveira4
 
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisaAlvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisaAndré de Oliveira
 
A construção do projeto de pesquisa- COMO FAZER?
A construção do projeto de pesquisa- COMO FAZER?A construção do projeto de pesquisa- COMO FAZER?
A construção do projeto de pesquisa- COMO FAZER?Rosane Domingues
 
A construção do projeto de pesquisa, metodologias
A construção do projeto de pesquisa, metodologiasA construção do projeto de pesquisa, metodologias
A construção do projeto de pesquisa, metodologiasLeticia Xavier
 
Concurso Professor Cariri Pesquisa
Concurso Professor Cariri   PesquisaConcurso Professor Cariri   Pesquisa
Concurso Professor Cariri PesquisaJonathas Carvalho
 
dSZ5jBu2J3NME3g.pptx
dSZ5jBu2J3NME3g.pptxdSZ5jBu2J3NME3g.pptx
dSZ5jBu2J3NME3g.pptxFSCCarvalho
 
Roda de Conversa sobre redação de textos científicos e pesquisa em ensino de ...
Roda de Conversa sobre redação de textos científicos e pesquisa em ensino de ...Roda de Conversa sobre redação de textos científicos e pesquisa em ensino de ...
Roda de Conversa sobre redação de textos científicos e pesquisa em ensino de ...Rodrigo Diogo
 
Metodologia de pesquisa: ASPECTORS TEÓRICOS E PRATICOS ptx
Metodologia de pesquisa: ASPECTORS TEÓRICOS E PRATICOS ptxMetodologia de pesquisa: ASPECTORS TEÓRICOS E PRATICOS ptx
Metodologia de pesquisa: ASPECTORS TEÓRICOS E PRATICOS ptxprofjanainagimenes
 
Oficina de pesquisa na escola
Oficina de pesquisa na escolaOficina de pesquisa na escola
Oficina de pesquisa na escolaEdilson Borges
 
Apresentação projeto
Apresentação projetoApresentação projeto
Apresentação projetoMarcelo Souza
 
Problemas e Hispóteses de Pesquisas
Problemas e Hispóteses de PesquisasProblemas e Hispóteses de Pesquisas
Problemas e Hispóteses de Pesquisasnaiararohling
 
Estudo de caso_planejamento_e_metodos
Estudo de caso_planejamento_e_metodosEstudo de caso_planejamento_e_metodos
Estudo de caso_planejamento_e_metodosFabinho Juntá Tuxá
 
Projeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - MetodologiaProjeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - MetodologiaKarlos Aires
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisaProjeto de pesquisa
Projeto de pesquisaKarlos Aires
 
Modelo de artigo cientifico ipog (2) (1)
Modelo de artigo cientifico ipog (2) (1)Modelo de artigo cientifico ipog (2) (1)
Modelo de artigo cientifico ipog (2) (1)Eugenio Carlos
 
TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico MilitarTCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico MilitarHudson Junior
 

Semelhante a Pesquisa acadêmica: conceitos e etapas (20)

Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UABApresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
 
APRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptx
APRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptxAPRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptx
APRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptx
 
Etapas importantes na elabora+º+úo do Projeto de Pesquisa.pptx
Etapas importantes na elabora+º+úo do Projeto de Pesquisa.pptxEtapas importantes na elabora+º+úo do Projeto de Pesquisa.pptx
Etapas importantes na elabora+º+úo do Projeto de Pesquisa.pptx
 
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisaAlvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
 
Processo cientifico
Processo cientificoProcesso cientifico
Processo cientifico
 
A construção do projeto de pesquisa- COMO FAZER?
A construção do projeto de pesquisa- COMO FAZER?A construção do projeto de pesquisa- COMO FAZER?
A construção do projeto de pesquisa- COMO FAZER?
 
A construção do projeto de pesquisa, metodologias
A construção do projeto de pesquisa, metodologiasA construção do projeto de pesquisa, metodologias
A construção do projeto de pesquisa, metodologias
 
Concurso Professor Cariri Pesquisa
Concurso Professor Cariri   PesquisaConcurso Professor Cariri   Pesquisa
Concurso Professor Cariri Pesquisa
 
dSZ5jBu2J3NME3g.pptx
dSZ5jBu2J3NME3g.pptxdSZ5jBu2J3NME3g.pptx
dSZ5jBu2J3NME3g.pptx
 
Roda de Conversa sobre redação de textos científicos e pesquisa em ensino de ...
Roda de Conversa sobre redação de textos científicos e pesquisa em ensino de ...Roda de Conversa sobre redação de textos científicos e pesquisa em ensino de ...
Roda de Conversa sobre redação de textos científicos e pesquisa em ensino de ...
 
Metodologia de pesquisa: ASPECTORS TEÓRICOS E PRATICOS ptx
Metodologia de pesquisa: ASPECTORS TEÓRICOS E PRATICOS ptxMetodologia de pesquisa: ASPECTORS TEÓRICOS E PRATICOS ptx
Metodologia de pesquisa: ASPECTORS TEÓRICOS E PRATICOS ptx
 
Adefinicaodoproblema
AdefinicaodoproblemaAdefinicaodoproblema
Adefinicaodoproblema
 
Oficina de pesquisa na escola
Oficina de pesquisa na escolaOficina de pesquisa na escola
Oficina de pesquisa na escola
 
Apresentação projeto
Apresentação projetoApresentação projeto
Apresentação projeto
 
Problemas e Hispóteses de Pesquisas
Problemas e Hispóteses de PesquisasProblemas e Hispóteses de Pesquisas
Problemas e Hispóteses de Pesquisas
 
Estudo de caso_planejamento_e_metodos
Estudo de caso_planejamento_e_metodosEstudo de caso_planejamento_e_metodos
Estudo de caso_planejamento_e_metodos
 
Projeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - MetodologiaProjeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - Metodologia
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisaProjeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
 
Modelo de artigo cientifico ipog (2) (1)
Modelo de artigo cientifico ipog (2) (1)Modelo de artigo cientifico ipog (2) (1)
Modelo de artigo cientifico ipog (2) (1)
 
TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico MilitarTCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
 

Mais de UFMA e UEMA

É PRECISO INCLUIR : Relatos em Educação Especial e Inclusiva
É PRECISO INCLUIR : Relatos em Educação Especial e Inclusiva É PRECISO INCLUIR : Relatos em Educação Especial e Inclusiva
É PRECISO INCLUIR : Relatos em Educação Especial e Inclusiva UFMA e UEMA
 
SOCIEDADE NUMISMÁTICA E NATAFILÍSTICA CARUTAPERENSE –SNNC
SOCIEDADE NUMISMÁTICA E NATAFILÍSTICA CARUTAPERENSE –SNNCSOCIEDADE NUMISMÁTICA E NATAFILÍSTICA CARUTAPERENSE –SNNC
SOCIEDADE NUMISMÁTICA E NATAFILÍSTICA CARUTAPERENSE –SNNCUFMA e UEMA
 
Etapas do trabalho de conclusão de curso-TCC
Etapas do trabalho de conclusão de curso-TCCEtapas do trabalho de conclusão de curso-TCC
Etapas do trabalho de conclusão de curso-TCCUFMA e UEMA
 
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTOPSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTOUFMA e UEMA
 
I jornada internacional de ciências humanas-UFMA
I jornada internacional de ciências humanas-UFMAI jornada internacional de ciências humanas-UFMA
I jornada internacional de ciências humanas-UFMAUFMA e UEMA
 
Extrema pobreza em carutapera
Extrema pobreza em carutaperaExtrema pobreza em carutapera
Extrema pobreza em carutaperaUFMA e UEMA
 
Apostila de práticas pedagogicas III
Apostila de práticas pedagogicas IIIApostila de práticas pedagogicas III
Apostila de práticas pedagogicas IIIUFMA e UEMA
 
PRÁTICA PEDAGÓGICA III
PRÁTICA PEDAGÓGICA IIIPRÁTICA PEDAGÓGICA III
PRÁTICA PEDAGÓGICA IIIUFMA e UEMA
 
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino deSaberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino deUFMA e UEMA
 
Estatística na educação
Estatística na educação Estatística na educação
Estatística na educação UFMA e UEMA
 
FAEME METODOLOGIA CIENTÍFICA
FAEME METODOLOGIA CIENTÍFICAFAEME METODOLOGIA CIENTÍFICA
FAEME METODOLOGIA CIENTÍFICAUFMA e UEMA
 
A Contribuição da Etnomatemática no Processo ensino Aprendizagem no ensino Fu...
A Contribuição da Etnomatemática no Processo ensino Aprendizagem no ensino Fu...A Contribuição da Etnomatemática no Processo ensino Aprendizagem no ensino Fu...
A Contribuição da Etnomatemática no Processo ensino Aprendizagem no ensino Fu...UFMA e UEMA
 
AS FORMAS DE RELEVOS E SUAS INTERFERENCIAIS
AS FORMAS DE RELEVOS E SUAS INTERFERENCIAIS AS FORMAS DE RELEVOS E SUAS INTERFERENCIAIS
AS FORMAS DE RELEVOS E SUAS INTERFERENCIAIS UFMA e UEMA
 
RELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADO
RELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADORELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADO
RELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADOUFMA e UEMA
 
relatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágiorelatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágioUFMA e UEMA
 
apresentação de monográfia
apresentação de monográfiaapresentação de monográfia
apresentação de monográfiaUFMA e UEMA
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERARELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERAUFMA e UEMA
 
CONTROLE AMBIENTAL
CONTROLE AMBIENTALCONTROLE AMBIENTAL
CONTROLE AMBIENTALUFMA e UEMA
 
MENTES PERIGOSAS
MENTES PERIGOSASMENTES PERIGOSAS
MENTES PERIGOSASUFMA e UEMA
 

Mais de UFMA e UEMA (20)

É PRECISO INCLUIR : Relatos em Educação Especial e Inclusiva
É PRECISO INCLUIR : Relatos em Educação Especial e Inclusiva É PRECISO INCLUIR : Relatos em Educação Especial e Inclusiva
É PRECISO INCLUIR : Relatos em Educação Especial e Inclusiva
 
SOCIEDADE NUMISMÁTICA E NATAFILÍSTICA CARUTAPERENSE –SNNC
SOCIEDADE NUMISMÁTICA E NATAFILÍSTICA CARUTAPERENSE –SNNCSOCIEDADE NUMISMÁTICA E NATAFILÍSTICA CARUTAPERENSE –SNNC
SOCIEDADE NUMISMÁTICA E NATAFILÍSTICA CARUTAPERENSE –SNNC
 
Etapas do trabalho de conclusão de curso-TCC
Etapas do trabalho de conclusão de curso-TCCEtapas do trabalho de conclusão de curso-TCC
Etapas do trabalho de conclusão de curso-TCC
 
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTOPSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
 
I jornada internacional de ciências humanas-UFMA
I jornada internacional de ciências humanas-UFMAI jornada internacional de ciências humanas-UFMA
I jornada internacional de ciências humanas-UFMA
 
Extrema pobreza em carutapera
Extrema pobreza em carutaperaExtrema pobreza em carutapera
Extrema pobreza em carutapera
 
Apostila de práticas pedagogicas III
Apostila de práticas pedagogicas IIIApostila de práticas pedagogicas III
Apostila de práticas pedagogicas III
 
PRÁTICA PEDAGÓGICA III
PRÁTICA PEDAGÓGICA IIIPRÁTICA PEDAGÓGICA III
PRÁTICA PEDAGÓGICA III
 
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino deSaberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
Saberes pedagógicos e práticas docentes no ensino de
 
Estatística na educação
Estatística na educação Estatística na educação
Estatística na educação
 
FAEME METODOLOGIA CIENTÍFICA
FAEME METODOLOGIA CIENTÍFICAFAEME METODOLOGIA CIENTÍFICA
FAEME METODOLOGIA CIENTÍFICA
 
A Contribuição da Etnomatemática no Processo ensino Aprendizagem no ensino Fu...
A Contribuição da Etnomatemática no Processo ensino Aprendizagem no ensino Fu...A Contribuição da Etnomatemática no Processo ensino Aprendizagem no ensino Fu...
A Contribuição da Etnomatemática no Processo ensino Aprendizagem no ensino Fu...
 
AS FORMAS DE RELEVOS E SUAS INTERFERENCIAIS
AS FORMAS DE RELEVOS E SUAS INTERFERENCIAIS AS FORMAS DE RELEVOS E SUAS INTERFERENCIAIS
AS FORMAS DE RELEVOS E SUAS INTERFERENCIAIS
 
RELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADO
RELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADORELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADO
RELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADO
 
MONOGRAFIA
MONOGRAFIAMONOGRAFIA
MONOGRAFIA
 
relatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágiorelatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágio
 
apresentação de monográfia
apresentação de monográfiaapresentação de monográfia
apresentação de monográfia
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERARELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
 
CONTROLE AMBIENTAL
CONTROLE AMBIENTALCONTROLE AMBIENTAL
CONTROLE AMBIENTAL
 
MENTES PERIGOSAS
MENTES PERIGOSASMENTES PERIGOSAS
MENTES PERIGOSAS
 

Último

Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoSilvaDias3
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalSilvana Silva
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 

Último (20)

Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 

Pesquisa acadêmica: conceitos e etapas

  • 1. FACULDADE DO MEIO NORTE MAGNO FERNANDO A. NAZARÉ
  • 2.  É procurar respostas para inquietações, ou para um problema.  Atividade básica das ciências na sua indagação e descoberta da realidade. É uma atitude e uma prática de constante busca que define um processo intrinsecamente inacabado e permanente (MINAYO, 1993).  É um processo formal e sistemático de desenvolvimento do método científico (GIL, 1999). O QUE É PESQUISA?
  • 3. NATUREZA DA PESQUISA  Pesquisa Básica Gerar conhecimentos novos úteis para o avanço da ciência sem aplicação prática prevista. Envolve verdades e interesses universais.  Pesquisa Aplicada Gerar conhecimentos para aplicação prática dirigidos à solução de problemas específicos. Envolve verdades e interesses locais.
  • 4. FORMA DE ABORDAGEM  Pesquisa Quantitativa Traduz em números, opiniões e informações para classificá-los e organizá-los. Utiliza métodos estatísticos.  Pesquisa Qualitativa Considera a existência de uma relação dinâmica entre mundo real e sujeito. É descritiva e utiliza o método indutivo. O processo é foco principal.
  • 5. OBJETIVOS  Pesquisa Exploratória: visa proporcionar maior familiaridade com o problema com vistas a torná-lo explicito ou a construir hipóteses. Pesquisas bibliográficas e estudos de caso.  Pesquisa Descritiva: envolve técnicas padronizadas de coleta de dados, como questionários e observação sistemática. Assume a forma de levantamento.  Pesquisa Explicativa: explica o porquê das coisas, visando identificar os fatores que determinam ou contribuem para a ocorrência dos fenômenos. Assume a forma de Pesquisa experimental.
  • 6. DIFERENTES PROCEDIMENTOS TÉCNICOS  Pesquisa Bibliográfica: a partir de material já publicado.  Pesquisa Documental: a partir de material não analisado.  Pesquisa Experimental: variáveis de controle sobre um objeto. Estudo de caso: estudo profundo de um ponto para detalhamento do conhecimento.  Pesquisa-ação: resolução de um problema coletivo.  Pesquisa Participante: interação entre pesquisadores e membros da situação investigadas.
  • 7. ETAPAS DA PESQUISA O projeto de pesquisa deve, fundamentalmente, responder as seguintes perguntas (Rudio, 1986):  O que pesquisar?  Por que pesquisar?  Para que pesquisar?  Como pesquisar?  Quando pesquisar?  Com que recursos?  Pesquisado por quem?
  • 8. • Introdução: presente O objetivo deste trabalho é apresentar ... • Revisão da literatura: presente/passado A estreptomicina é um antibiótico produzido por... • Ao atribuir a ideia à alguém Silva (1990) considerou ... TEMPOS VERBAIS
  • 9. • Material e método: passado A altura foi medida com... • Resultado: passado Observou-se maior crescimento em... • Discussão: presente e passado O crescimento é lento no primeiro período, mas, no grupo tratado, houve aumento nas medidas de ...
  • 10. • Não se deve publicar informações que permitam a identificação do participante da pesquisa (ex. fotos de pacientes); • Se essas informações forem imprescindíveis deve ser fornecido o consentimento informado por escrito para publicação, pelo paciente (seus pais ou tutores); • O consentimento informado exige que se mostre ao paciente o manuscrito a ser publicado. (VOLPATO; BETINI, 2006) ARTIGOS QUE RELATAM PESQUISAS COM SERES HUMANOS
  • 11.
  • 12. O problema é a mola propulsora de todo o trabalho de pesquisa. Depois de definido o tema, levanta-se uma questão pode ser respondida através de uma hipótese, que será confirmada ou negada através do trabalho de pesquisa. O problema é criado pelo próprio autor, no caso criará um questionamento para definir a abrangência de sua pesquisa. Não há regras para se criar um problema, mas alguns autores sugerem que eles sejam expressos em forma de pergunta. PROBLEMA
  • 13. A Justificativa num projeto de pesquisa ou artigo, como o próprio nome indica, é o convencimento de que o trabalho de pesquisa é fundamental de ser efetivado. O tema escolhido pelo pesquisador e a Hipótese levantada são de suma importância, para a sociedade ou para alguns indivíduos, de ser comprovada. JUSTIFICATIVA
  • 14. DEVE-SE TOMAR O CUIDADO, NA ELABORAÇÃO DA JUSTIFICATIVA, DE NÃO SE TENTAR JUSTIFICAR A HIPÓTESE LEVANTADA, OU SEJA, TENTAR RESPONDER OU CONCLUIR O QUE VAI SER BUSCADO NO TRABALHO DE PESQUISA. A JUSTIFICATIVA EXALTA A IMPORTÂNCIA DO TEMA A SER ESTUDADO, OU JUSTIFICA A NECESSIDADE IMPERIOSA DE SE LEVAR A EFEITO TAL EMPREENDIMENTO.
  • 15. A definição dos Objetivos determina o que o pesquisador quer atingir com a realização do trabalho de pesquisa. Objetivo é sinônimo de meta, fim. Alguns autores separam os Objetivos em Objetivos Gerais e Objetivos Específicos, mas não há regra a ser cumprida quanto a isto e outros autores consideram desnecessário dividir os Objetivos em categorias. Para se definir os Objetivos é colocá-los começando com o verbo no infinito: esclarecer tal coisa; definir tal assunto; procurar aquilo; permitir aquilo outro, demonstrar alguma coisa etc.. OBJETIVOS
  • 16. A Metodologia é a explicação minuciosa, detalhada, rigorosa e exata de toda ação desenvolvida no método ( caminho) do trabalho de pesquisa. É a explicação do tipo de pesquisa, do instrumental utilizado (questionário, entrevista etc.), do tempo previsto, da equipe de pesquisadores e da divisão do trabalho, das formas de tabulação dos dados, enfim, de tudo aquilo que se utilizou no trabalho de pesquisa. METODOLOGIA
  • 17. DICAS DE INÍCIO DE FRASES PARA A PRODUÇÃO DO ARTIGO
  • 18.  Frases para iniciar a introdução: Muito se tem discutido, recentemente, acerca de...; Muito se debate, hoje em dia...; O ... é de fundamental importância em...; É de fundamental importância o (a)...; É indiscutível que...; É inegável que...; Muito se discute a importância de...; comenta-se, com freqüência a respeito de...; Não raro, toma-se conhecimento, por meio de...; Apesar de muitos acreditarem que...; Ao contrário do que muitos acreditam...; Ao fazer uma análise da sociedade, busca-se descobrir as causas de... INTRODUÇÃO
  • 19.  Frases para iniciar o desenvolvimento: Ao se examinarem alguns...; verifica-se que... Pode- se mencionar o exemplo...; Em consequência disso, vê-se, a todo instante...; Alguns argumentam que... Além disso... Isso se contar que...; Outros, porém...; Há registros históricos de... que...; Dentre os inúmeros motivos que levaram o ... é incontestável que...; A observação crítica de fatos históricos revela o porquê de...; Fazendo um estudo de..., perceber-se por meio de... DESENVOLVIMENTO
  • 20.  Frases para iniciar a conclusão: Em virtude dos fatos mencionados...; Por isso tudo...; Levando-se em consideração esses aspectos...; Dessa forma...; Em vista dos argumentos apresentados...; Dado o exposto...; Tendo em vista os aspectos observados...; Levando-se em conta o que foi observado...; Em virtude do que foi mencionado...; Por todos esses aspectos ...; Pela observação dos aspectos analisados...; Entende-se que ...; Entende-se que...; É-se levando a acreditar que...; Conclui-se que...; Percebe-se que...; É imprescindível que se conscientizem de que...; É preciso que...; Faz-se necessário que... CONCLUSÃO
  • 21. CITAÇÃO CITAÇÃO DIRETA CURTA CITAÇÃO DIRETA LONGA CITAÇÃO DE CITAÇÃO CITAÇÃOINDIRETA
  • 22. CITAÇÃO DIRETA CURTA Texto idêntico ao do livro Informar página é obrigatório Entre aspas no máximo 3 linhas Autor FORA do parêntese em MINÚSCULA • Esse tipo de citação com autor FORA do parênteses pode está em um contexto maior • Tem que ter um ponto final após parênteses • Citação autor data e página vem ANTES das aspas INÍCIO DE FRASE
  • 23. CITAÇÃO DIRETA CURTA Texto idêntico ao do livro Informar página é obrigatório Entre aspas no máximo 3 linhas Autor DENTRO do parêntese em MAIÚSCULA • Esse tipo de citação com autor dentro do parênteses sempre vem ao final de uma frase • Tem que ter um ponto final após parênteses • Citação autor data e página vem após a aspas ENCERRAA FRASE
  • 24. Conforme Santos (2017, p. 18) “o importante da educação é ver sonhos sendo realizados no olhar de cada criança no futuro, onde todas serão protagonista da sua historia”. “O importante de tudo na vida é ser feliz não importa o restante, lute pelos seus objetivos e breve será seu” (NAZARÉ,2017, p.21). CITAÇÃO CURTA NO INÍCIO DE FRASE CITAÇÃO CURTA NO FINAL DE FRASE
  • 25.  Apud significa “Citado por”  Autor do texto à esquerda, quem citou a direita  Quadros fez um artigo e citou Almeida e você teve acesso ao artigo de Quadros, mas não tem acesso ao livro de Almeida e quer usar a mesma citação, então ficaria: ( ALMEIDA apud QUADROS, 2017)  Traduzindo para facilitar o entendimento: (ALMEIDA citado por QUADROS, 2017) CITAÇÃO DE CITAÇÃO
  • 26. Citação indireta é aquela em que você diz o que autor escreveu com suas palavras, sem tanta regra de descrição como a direta. Nesse tipo de citação não se usa as aspas duplas. Olha como é simples: CITAÇÃO INDIRETA
  • 27. CITAÇÃO DIRETA LONGA • Texto idêntico ao do livro; • Informar página é obrigatório; • Sem aspas com mais de 3 linhas; • Recomendado o máximo de 8 linhas; • Autor fora do parênteses em minúsculo; • Esse tipo de citação autor, data e página com o autor fora do parênteses normalmente faz a citação um parágrafo acima; • Recuo de 4 cm; tamanho fonte Arial 10.
  • 28. Sonia (2017, p.11) define a educação secundaria (...) xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx(BENEDITA, 2017, p.13) INÍCIO DE FRASE FINAL DE FRASE Obs: Escrever sem interpretar o texto original do autor, apenas trocando as palavras do autor por sinônimo, enquadra em plágio.
  • 29. Ninguém escreve sem ler. Ninguém deve ser discípulo perene. “Lemos pois, autores, para nos tornarmos autores, não discípulos”. (DEMO, 2000, P.11)