Interação

1.612 visualizações

Publicada em

Interação Gênica

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Interação

  1. 1. EXPRESSÃOEXPRESSÃO GÊNICAGÊNICA Magabiológica
  2. 2. INTERAÇÃO GÊNICA  Interação gênica - Quando vários pares de genes não-alelos podem influir ( interagir ) na determinação de um caráter hereditário .  Tipos de interação gênica : - Genes complementares , Epistasia e Herança quantitativa ( herança multifatorial ou polimeria ou poligenia ) . Em alguns casos a proporção do diibridismo F2: 9:3:3:1, é modificada para 9:7 ; 3:4; ou 12:3:1
  3. 3. INTERAÇÃO GÊNICA  Crista ervilha: manifesta-se na presença do gene E, desde que não ocorra o gene R.  crista rosa: manifesta-se na presença do gene R, desde que não ocorra o gene E.  crista noz: manifesta-se quando ocorrem os gene E e R.  crista simples: manifesta-se na ausência dos genes E e R. GENE E: DOMINANTE – CRISTA ERVILHA GENE R: DOMINANTE – CRISTA ROSA GENE E e R: DOMINANTES – CRISTA NOZ GENE e e r: RECESSIVOS - CRISTA SIMPLES
  4. 4. 2. FORMA DOS FRUTOS DE ABÓBORA:
  5. 5. A forma das abóboras depende da interação de dois pares de genes. Proporção fenotípica : 9/16 Discóides 6/16 Esférica 1/16 Alongada Comparando o cruzamento da crista de galinhas com forma das abóboras: ABÓBORAS – 9:6:1 CRISTAS – 9:3:3:1 EXPLICAÇÃO ABÓBORAS: A_bb e aaB_ mesmo fenótipo – esférica CRISTAS: E_rr e eeR_ - fenótipos diferentes – ervilha, rosa
  6. 6. INTERAÇÃO GÊNICA – GENES COMPLEMENTARES ♂♂ ♀♀ EDED EdEd eDeD eded EDED EEDDEEDD EEDdEEDd EeDDEeDD EeDdEeDd EdEd EEDdEEDd EEddEEdd EeDdEeDd EeddEedd eDeD EeDDEeDD EeDdEeDd eeDDeeDD eeDdeeDd eded EeDdEeDd EeddEedd eeDdeeDd eeddeedd CASO: SURDO MUDEZ - GENE e NÃO FORMA O NERVO AUDITIVO; O GENE d NÃO FORMA A COCLEA. CRUZANDO-SE DUAS PESSOAS EeDd x EeDd PROPORÇÃO OBTIDA : 9 : 7
  7. 7. INTERAÇÕES GÊNICAS  Ex.: Cor da penas em galináceos.  Gene C  penas coloridas.  Gene c  penas brancas.  Gene I  epistático sobre gene C. Epistasia  Interação em que um par de genes inibe que outro par, não alelo, manifeste seu caráter.  A epistasia pode ser dominante ou recessiva.  O gene inibidor é chamado de epistático e o inibido é o hipostático. Fenótipos Genótipos Penas coloridas C_ii Penas cc_ _ brancas C_I_
  8. 8. EPISTASIA DOMINANTE No par epistático é necessário apenas um gene dominante 1. COR DAS PENAS DAS GALINHAS Gene C determina a produção de pigmento e c é inoperante. Gene I inibe a ação de C. A pigmentação depende do gene C e ii
  9. 9. 2. COR DA PELAGEM DE CÃES:2. COR DA PELAGEM DE CÃES: Gene B condiciona pelagem PRETA, alelo b MARROM. Gene I (dominante) é epistático a atua inibindo os genes B e b, resultando na pelagem BRANCA.
  10. 10. CRUZAMENTO DE DOIS CÃES PELAGEM BRANCA
  11. 11. EPISTASIA RECESSIVA O par epistásico deverá estar em dose dupla. 1. COLORAÇÃO DA PELAGEM EM RATOS O gene c, (epistático), em dose dupla, inibe a ação dos genes A e a que são hipostáticos, determinando fenótipo Albino. Gene A coloração Aguti o alelo recessivo a pelagem PRETA.
  12. 12. CRUZAMENTO DE DOIS DIIBRIDOS AGUTI
  13. 13. HERANÇA QUANTITATIVA, POLIGÊNIA OU HERANÇA MULTIFATORIAL Um caso de interação gênica, onde os pares de genes não- alelos somam ou acumulam seus efeitos. Não existe relação de dominância, permitindo assim uma série de fenótipos diferentes. Este tipo além de variar em conseqüência do grande número de genótipos, sofre forte influência do ambiente. Aumento ainda mais a variação fenotípica. Os genes que participam da herança quantitativa são denominados de POLIGENES, podendo ou não apresentar segregação independente.
  14. 14. 1. HERANÇA DA COR DA SEMENTE DE TRIGO Parental: Vermelho (AABB), Branco(aabb). F1: Vermelho AaBb
  15. 15. F2: Vermelho-escura AABB Vermelho-médio AABb Vermelho-claro Aabb Vermelho AaBb Branco aabb Prop. Fenotípica 1:4:6:4:1 Os alelos letra Maiúscula contribui para produção pigmento. Minúscula, sem pigmento,branca
  16. 16. 2. HERANÇA DA COR DA PELE: Os genes A e B determinam a mesma quantidade de melanina e possuem efeito aditivo
  17. 17. 3. HERANÇA DA COR DOS OLHOS As diversas cores dos olhos são produzidas pela presença de diferentes Quantidades do pigmento melanina, que apresenta cor marrom. A íris contém duas camadas de pigmento: uma posterior, em que há grande quantidade de melanina, e outra anterior,onde a quantidade de melanina pode variar. Dependendo da quantidade de melanina na camada anterior da íris a cor do olho pode variar verde, castanho-claro, castanho-médio, ou castanho escuro. Pouca melanina na camada anterior resulta or VERDE. Mistura da melanina com o verde cor AZUL. Os castanhos são resultados da diferentes quantidades de melanina, Quanto mais melanina mais escuro. As genes A e B DOMINANTES determinam produção de melanina de efeito cumulativo. Os alelos recessivos a e b não condicionam produção de melanina.
  18. 18. número de poligenes = número de fenótipos - 1 número de fenótipos = número de poligenes + 1 Cor da Pele em HumanosCor da Pele em Humanos FenótiposFenótipos GenótiposGenótipos NegroNegro SSTTSSTT Mulato EscuroMulato Escuro SsTTSsTT SSTtSSTt Mulato MédioMulato Médio SsTtSsTt SSttSStt ssTTssTT Mulato ClaroMulato Claro SsttSstt ssTtssTt BrancoBranco ssttsstt 1 2 3 2 1 Negro Mulato Escuro Mulato Médio Mulato Claro Branco
  19. 19. 2. HERANÇA DA COR DA PELE: Os genes A e B determinam a mesma quantidade de melanina e possuem efeito aditivo
  20. 20. Prop. Fenotípica: 1:16 Castanho escuro, 4:16 Castanho médio, 6:16 Castanho claro, 4:16 Verde, 1:16 Azul

×